Você está na página 1de 13

RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO

Carol , João e Mara


APRESENTAÇÃO (CAROL)
O Raciocínio Lógico serve para analisar, argumentar, justificar ou provar
raciocínios. Caracteriza-se pela sua precisão e exatidão, baseando-se
em dados prováveis ou em fatos. É a capacidade racional e analítica,
pois segue regras que se desenvolve passo a passo.
Lógica é a ciência que expõe as leis, os modos e as formas do
conhecimento científico. Etimologicamente, o conceito de lógica deriva
do latim, que deriva do termo grego lógike, relacionado com logos, e
tem o significado de “razão”, “palavra”, “discurso” ou “estudo”, sendo
assim a ciência do raciocínio.
Dizemos então que a lógica é o estudo dos métodos e princípios utilizados
para distinguir o raciocínio correto do incorreto, relacionada com uma
maneira específica de raciocinar de forma acertada.
Surgiu na Antiga Grécia com e Heráclito.
Parmênides dizia que a razão deve ser guiada de acordo com os
princípios de não-contradição e de identidade com a finalidade de
conhecer a verdade.
Heráclito dizia o contrário, que o logos e a verdade encontra-se na
mudança das coisas, e essa mudança se realiza sob a forma de
contradição.
Platão e Aristóteles oferecem soluções diferentes.
Platão: A dialética (diálogo, arte de debater, persuadir ou raciocinar)
é o exercício direto do pensamento e da linguagem. É um debate
onde há ideias diferentes, onde um posicionamento é defendido e
contradito logo depois, separando os fatos e dividindo as ideias
para debatê-las com mais clareza.
Aristóteles sistematizou e definiu a lógica como a conhecemos, o que
inclusive se fez chamar por muito tempo de Lógica Aristotélica.
Para Aristóteles, a Lógica é um instrumento que antecede o exercício do
pensamento e do discurso, ou seja, oferece meios para que o
pensamento e o discurso possam se realizar. tinha um objetivo
metodológico, mostrando o caminho correto para a investigação, o
conhecimento e a demonstração científica. Para ele, os elementos
constituintes da Lógica são o conceito, o juízo e o raciocínio, fazendo as
leis da lógica corresponderem às ligações e relações que existem entre
esses elementos.
Além da Lógica Clássica, fundamentada em métodos não matemáticos
vindos da Filosofia e seguindo um caráter intuitivo, temos também a
Lógica Formal ou Lógica Matemática, baseando-se em métodos e
técnicas matemáticas. A Lógica Matemática é caracterizada pela
axiomatização, pelo simbolismo e pelo formalismo, analisando o
raciocínio segundo operações e relações de cálculo específico.
Apesar de pertencer a disciplina de Matemática, o
Raciocínio Lógico está mais ligado à Filosofia, por
meio de um conjunto de axiomas e regras que
possibilitam um raciocínio válido. Além da
importância da Matemática, algo indispensável que
usamos em todos os momentos de nosso cotidiano,
principalmente no trabalho seja em cargos públicos
ou privados, o Raciocínio Lógico também chega a ser
indispensável, afinal, a todo momento precisamos
buscar as soluções mais adequadas aos problemas
do cotidiano.
O DESENVOLVIMENTO DO
RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO.
(MARA)
O conhecimento lógico-matemático segundo Piaget (1978), é uma
construção que resulta da ação mental da criança sobre o mundo,
construído a partir de relações que a criança elabora na sua
atividade de pensar o mundo, e também das ações sobre os
objetos.
Sensório-motor. (é o das percepções e movimentos, não se podendo
ainda dizer que a criança pensa. A evolução se dá na medida em
que aprende a coordenar suas sensações e movimentos).
.
INTUITIVO OU SIMBÓLICO (PRÉ- OPERATÓRIO).
a lógica infantil sofre um salto, derivado da descoberta
do símbolo. A realidade pode ser representada, no
sentido que a palavra torna presente o que está
ausente. É a época de estar centrada em si mesma,
tanto no aspecto da afetividade quanto no
conhecimento. Vive em um mundo de ausência de
normas que só é superado aos três ou quatro anos,
tornando-se mais sociável, sendo capaz de aceitar
normas do mundo exterior.
OPERATÓRIO CONCRETO.

a lógica deixa de ser puramente intuitiva e passa a ser


operatória, sendo a criança capaz de interiorizar as
ações de maneira concreta. Embora presa a
experiência vivida o pensamento torna-se mais
coerente 5 permitindo construções lógicas mais
elaboradas. A diminuição do egocentrismo ocorre,
pois o discurso lógico tende a ser mais objetivo,
confrontado com a realidade e com outros discursos.
OPERATÓRIO FORMAL

O pensamento lógico atinge o nível das operações


abstratas, sendo o adolescente capaz de distanciar-se
da experiência, de tal forma que pode pensar por
hipótese.
CONSTRUÇÃO DAS ESTRUTURAS DE
PENSAMENTO
Apoia-se sobre todas as atividades cognitivas do sujeito,
isto é, sobre os esquemas, coordenações de ações,
operações e estruturas.
CLASSIFICAÇÃO- Classificar é separar objetos, pessoas e
ideias em categorias de acordo com características
percebidas por meio de semelhanças ou diferenças.
SERIAÇÃO- Classificar é separar objetos, pessoas e ideias
em categorias de acordo com características percebidas
por meio de semelhanças ou diferenças.
SEQUENCIA -Sequenciar é fazer suceder, a cada elemento (ex: fazer uma
sequencia para um colar).
ABSTRAÇÃO EMPÍRICA - retira as informações dos objetos físicos ou dos
aspectos materiais da própria ação do sujeito, como empurrar, puxar,
apertar para observar as reações do objeto;
ABSTRAÇÃO REFLEXIVA - apoia-se sobre todas as atividades cognitivas do
sujeito, isto é, sobre os esquemas, coordenações de ações, operações e
estruturas.
Esta depende da coordenação das ações ou operações do sujeito,
transferindo para um nível superior o que é tirado de um nível inferior de
atividade
TOMADA DE CONSCIÊNCIA
METACOGNIÇÃO (fazer /compreender/Pensar sobre o pensar/ Ter
consciência de sua capacidade)
FINALIZANDO (JOÃO)
O raciocínio lógico está ligado a conceitos capazes de organizar e clarear as
situações cotidianas, preparando os jovens para circunstâncias mais complexas.
A utilização do raciocínio lógico na formação educacional de jovens gera pessoas
criticas com senso argumentativo, e é com essa característica que
desenvolvemos alunos capazes de criar, interpretar, responder e explicar
situações problemas.
Tais habilidades permitem (alguns exemplos entre tantos):
• capacidade de leitura para a interpretação de textos, para a compreensão de
sentenças matemáticas e a resolução de problemas.
• Construção e interiorização da tabuada através de organização lógica de
agrupamentos sucessivos.
• Memorização garantida sem decorar.
• Cálculo mental para decomposição dos números.
Portanto, o desenvolvimento das habilidades de raciocínio lógico-matemática
implica em construções e reconstruções, as quais se desenvolvem das
mais simples às mais complexas, até conseguir a autoregulação que se
caracteriza pela conservação e mudança na estrutura cognitiva.
Esse processo exige coordenações e transformações contínuas que
possibilitam diferentes níveis de consciência e integração dos esquemas,
os quais são resultados da forma de pensar, da qual a necessidade das
intervenções para a construção da tomada de consciência.
Sendo assim a intervenção é de fundamental importância, pois através
destas o sujeito poderá chegar à reflexão, possibilitando que ele elabore
suas hipóteses e busque soluções para problemas que lhe sejam
significativos, construindo novos conhecimentos e suas habilidades sendo
aprimoradas.

Você também pode gostar