Você está na página 1de 8

A Célula Eucariótica - Organelos e outras

estruturas celulares.
Uma das diferenças entre as células Procarióticas e as células Eucarióticas é que
estas últimas, possuem Organelos (estruturas celulares rodeadas por membrana).

Alguns exemplos de Organelos das células Eucarióticas são o Núcleo, os Vacúolos,


os Plastídios, as Mitocôndrias e ainda os componentes do Sistema
Endomembranar.
Mas as células Eucarióticas possuem também outras Estruturas celulares, como a
Membrana Celular.

Membrana Celular (Plasmática


ou Citoplasmática) .
A Membrana Celular é a estrutura que rodeia o Citoplasma das células, e como
tal está presente em todas as células.

Membrana celular. (DIAS, A. G. e outros; 1999)

É constituída por uma bicamada fosfolipídica, proteínas (periféricas e


integradas), glicoproteínas e glicolípidos
Pode ainda conter colesterol.
Membrana celular ao microscópio óptico. (FREITAS, M. e outros; 1999)

Trata-se de uma membrana invisível ao microscópio óptico. No entanto, a sua


existência pode pôr-se em evidência pela resistência que a superfície da célula,
oferece ao ser atravessada por uma microagulha e ainda pelo facto de a sua
ruptura provocar a saída do citoplasma para o exterior.
a) Membrana celular ao microscópio electrónico. b)ampliação de a). (CRISTO, J. C. A. e outros; 1993)

Ao microscópio electrónico, é facilmente detectável, apresentando-se


constituída por duas bandas escuras separadas por uma banda clara.

Mantém a integridade da célula, assegurando duas funções complementares:

- Limita exteriormente o citoplasma, separando o meio intracelular e o meio


extracelular.
- É uma superfície de troca de substâncias, de energia e de informação entre
esses dois meios.
Citoplasma
Ao microscópio óptico, apresenta-se constituído por uma massa semifluida, um
pouco mais refringente que a água e aparentemente homogénea.
Citoplasma ao microscópio óptico. (MARQUES, E. e outros; 2001)

Tem 85% de água + iões e moléculas orgânicas.

Esquema de uma célula. (NÁPOLES, A. M. e outros; 1999)

No seio do citoplasma, é possível encontrar diversos organelos dispersos. Porém,


a maioria deles não é visível ao microscópio óptico.

Constitui o meio fundamental das células, onde ocorrem, total ou


parcialmente, importantes vias metabólicas.

Nota: Por vezes, notam-se movimentos dos organelos, que se deslocam


passivamente.

Núcleo
É um dos organelos mais saliente da célula.

Tem geralmente forma arredondada, mas pode ser achatado .

A: Célula com núcleo (microscópio electrónico). B: Representação esquemática do núcleo. (SILVA, A. D. e outros; 1999)

Apresenta-se delimitado pelo Invólucro nuclear, que é formado por duas


membranas: uma interna e uma externa, separadas pelo espaço perinuclear.

Em alguns pontos, estas membranas unem-se, constituindo os poros nucleares.

No interior do núcleo existe o nucleoplasma, e finos filamentos emaranhados –


cromatina (que coram intensamente pelos corantes básicos). A cromatina é
constituída por DNA associado a proteínas, constituindo os cromossomas.
Em muitos casos são visíveis um ou mais nucléolos (constituídos por RNA e
proteínas).

Controlo das actividades celulares. (Reprodução, síntese de novas moléculas,


crescimento, etc) .

Nota: Nem sempre se consegue identificar o núcleo, pois sendo a célula uma
entidade tridimensional, pode estar a observar-se um plano que não o intercepta,
o que não significa que o núcleo não seja observável num outro plano.
Parede celular
Nota: A parede celular existe também nas células de muitos fungos e bactérias,
embora com composição .

Nas células vegetais definitivas, a parede celular apresenta, entre a parede


primaria (produzida quando a célula era jovem) e a membrana citoplasmática,
uma parede secundária.
Representação esquemática da Parede celular de uma célula vegetal definitiva. (MARQUES, E. e outros; 2001)

Suporte e protecção (dá uma certa rigidez à célula, oferecendo resistência a


pressões mecânicas).
Possibilita a continuidade citoplasmática entre as células, através dos
plasmodésmios, que são locais onde se movimenta água e sais minerais.

Vacúolo
Vacúolo de uma célula vegetal. (microscópio electrónico). (SILVA, A. D. e outros; 1999)

Os vacúolos são estruturas rodeadas por uma membrana – tonoplasto.


Contêm água com substâncias dissolvidas, absorvidas pela célula ou elaboradas
por ela.

Vacúolos de uma célula animal e de uma célula vegetal adulta. (PINTO, A. M. e outros; 1994)

Nas células animais e nas células jovens da plantas, são pequenos e


numerosos.
À medida que as células das plantas envelhecem, os vacúolos vão
aumentando de tamanho, acabando por fundir-se num único vacúolo que ocupa
quase toda a célula, ficando o citoplasma, com os organelos, apenas numa zona
periférica.
Evolução dos vacúolos em células vegetais. (SILVA, A. D. e outros; (1999)

Nota: O vacúolo tem origem no Retículo endoplasmático ou no Complexo .

Armazenamento de compostos orgânicos (proteínas...) e inorgânicos, pigmentos


que dão cor às células e às plantas (pigmentos azuis e vermelhos das pétalas).

Por exemplo: Nas hidranjas, o vacúolo muda de cor, dando diferentes cores à
planta, conforme o pH do solo, graças aos pigmentos antociânicos, que possui no
seu interior.
Armazenamento de substâncias venenosas, que protegem a planta de
predadores.

Plastídios
Existem diferentes tipos de Plastídios.

LEUCOPLASTOS - Plastídios incolores, sem pigmentos.


Amiloplastos. (NÁPOLES, A. M. e outros; 1999)

Amiloplastos – acumulam amido. São abundantes em certas sementes, raízes e


caules.
Oleoplastos – contêm lípidos. (exp. frutos e sementes oleaginosas).
Proteínoplastos – contêm proteínas.

CROMOPLASTOS - Plastídios coloridos, com pigmentos.


Cromoplastos. (NÁPOLES, A. M. e outros; 1999)

No tomate, os cromoplastos contêm grânulos ou agulhas de uma substância


vermelha – licopénio.
Noutros casos, os cromoplastos encerram pigmentos amarelos, cor de laranja,
etc.

CLOROPLASTOS - Cromoplastos que acumulam pigmentos fotossintéticos.

Plastídios ovóides, que contêm pigmentos fotossintéticos, em especial clorofila,


que lhes confere a cor verde (exp. folhas e caules verdes).
Cloroplasto. (SILVA, A. D. e outros; 1999)

Cloroplasto a) Esquema; b) Microfotografia Electrónica (x20000) (CRISTO, J. C. A. e outros; 1993)

Possuem um invólucro constituído por duas membranas (como todos os


Plastídios).

A membrana interna, faz invaginações lamelares que podem formar vesículas


achatadas – os tilacóides.

Estas formações empilham-se umas sobre as outras formando o granum (no


plural grana).

É nestas membranas que se encontram os pigmentos fotossintéticos.


O sistema membranar interno está mergulhado num liquido gelatinoso –
estroma.

Nota: Movimentos de ciclose – movimentos do citoplasma, que arrasta


passivamente os cloroplastos.

Os vários tipos de plastídios podem interconverter-se durante o desenvolvimento


da planta.

Mitocôndria
As mitocôndrias são organelos celulares com forma variada, geralmente em
forma de bastonete .

Mitocôndria. (DIAS, A. G. e outros; 1999)

Microfotografia da ultra-estrutura de uma Mitocôndria. (DIAS, A. G. e outros; 1999)

Têm duas membranas: uma externa e uma interna, separadas pelo espaço
intermembranar.

A membrana interna apresenta invaginações que formam cristas mitocondriais


(pregas que aumentam muito a superfície da membrana interna).
Para o interior da membrana interna, existe uma matriz mitocondrial, onde se
encontram moléculas de DNA e RNA e ribossomas (do tipo procariótico) –
Organelo semi-autónomo.

Principais etapas da Respiração Celular (produção de Energia).

Nota:

O número de mitocôndrias varia com o tipo de célula, o tamanho e a


actividade celular:

Exp.

- 1 nas células de algumas espécies de algas;

- 1000 nas células do fígado:


- várias dezenas de milhar em grandes células como a amiba.

Sistema Endomembranar
O Sistema Endomembranar integra um conjunto de estruturas que se relacionam entre si,
directamente ou através da transferência de vesículas:
Retículo endoplasmático;
Complexo de Golgi;

Lisossomas;

Vacúolos;

Invólucro nuclear;
Membrana celular ;

Retículo Endoplasmático
O Retículo Endoplasmático é um organelo endomembranar constituído por um sistema de cisternas,
vesículas e túbulos.
Retículo Endoplasmático. (SILVA, A. D. e outros; 1999)

Microfotografias de microscopia electrónica de transmissão de Retículo Endoplasmático rugoso (A) e de Retículo Endoplasmático
liso (B). (DIAS, A. G. e outros; 1999)

Pode ser de dois tipos:


- Retículo endoplasmático rugoso - com ribossomas na zona externa das membranas das cisternas.
- Retículo endoplasmático liso – sem ribossomas.

Síntese de vários compostos orgânicos (lípidos e proteínas) e no transporte de proteínas e de outras


substâncias, dentro da célula.

O Complexo de Golgi é um organelo endomembranar constituído por um conjunto de cisternas e


vesículas.

Intervém na secreção e está relacionado com o Retículo endoplasmático.


Nas plantas participa na produção da Parede celular.

Lisossomas
Os Lisossomas são organelos esféricos com membranas simples, que contêm no seu interior enzimas –
hidrólases .

Microfotografia de Lisossomas. (DIAS, A. G. e outros; 1999)

Intervêm na decomposição de moléculas e estruturas celulares.


Intervém também na morte das células.

Ribossomas
Os Ribossomas são estruturas celulares pequenas, constituídas por duas sub-unidades: uma maior
e outra menor, que podem encontrar-se dispersas no citoplasma ou associados ao Retículo
endoplasmático rugoso.
Ribossomas. A: Ribossomas isolados; B: Polirribossoma; C: Esquema. (SILVA, A. D. e outros; 1999)

Microfotografia de ribossomas.

(DIAS, A. G. e outros; 1999)

Centríolos
Os Centríolos são estruturas de arranjo microtubular, constituída por 9 grupos de 3 microtubulos,
apresentando o conjunto uma aspecto cilíndrico.
Só existem nas plantas inferiores e nos animais. Existem dois por célula e situam-se próximo do
núcleo.

Centríolos. 1: Corte longitudinal; B: Corte transversal. (SILVA, A. D. e outros; 1999)

Citoesqueleto
Esquema tridimensional do Citoesqueleto. (CRISTO, J. C. A. e outros; 1993)

O Citoesqueleto sé uma rede com vários tipos de fibras que se intercruzam no citoplasma.:
Microfilamentos, Filamentos e Microtúbulos.

Citoesqueleto de uma célula animal.


(DIAS, A. G. e outros; 1999)

Tem funções análogas às do esqueleto de certos organismos. Confere suporte


mecânico a algumas estruturas e mantém a forma das células.

Cílios e Flagelos
Os Cílios e os Flagelos são expansões da superfície celular, que não estão presentes em todas as
células.
Normalmente os flagelos são longos, relativamente às dimensões da célula e pouco numerosos,
enquanto que os cílios são numerosos e curtos.

A- Protozoários com cílios; B- Espermatozóides com flagelos. (SILVA, A. D. e outros; 1999)

Sob o ponto de vista estrutural, ambos são envolvidos por uma membrana (membrana plasmática) e na
base possuem um corpúsculo denominado corpo basal.
O corpo basal é constituído por nove grupos de três microtúbulos, dispostos segundo uma superfície
cilindrica. Dois dos túbulos de cada grupo (dupla) prolongam-se para a expansão, quer no cílio, quer no
flagelo.

Cílio. (SILVA, A. D. e outros; 1999)

São responsáveis pela locomoção (flagelos) ou pelo movimento de materiais (cílios).


Os movimentos dos cílios são pendulares e os dos flagelos são ondulatórios.

Bibliografia:

CRISTO, J. C. e outros; A Terra e a Vida – A Célula, Módulo de Vida; 1ª edição; Editora Replicação;
Lisboa; 1993.

DIAS, A. G. e outros; Ciências da terra Vida, volume 2 – 10º ano; 1ª edição; Areal Editores; Porto;
1999.

FREITAS, M. e outros; Natura – 8º Ano; 1ª edição; Porto Editora; Porto; 1999.

MARQUES, E. e outros; Técnicas Laboratoriais de Biologia, Bloco I; 1ª edição; Porto Editora; Porto;
2001.

NÁPOLES, A. M. e outros; Técnicas Laboratoriais de Biologia, Bloco I; 1ª edição; Didáctica Editora;


Lisboa; 1999.

PINTO, A. M. e outros; Técnicas Laboratoriais de Biologia I; 1ª edição; Texto Editora; Lisboa; 1994.

SILVA, A. D. e outros (1999); Terra, Universo de Vida - 10º ano; Porto Editora; Porto.

http://www.ncbi.nlm.nih_gov