Você está na página 1de 24

Edilson Abiatar Vumba

Mercado de capital e sua importâancia para o sistema financeiro em moçambique:

Uma análise da bolsa de valores como ferramenta para o desenvolvimentoer a


economia de Moçambique (período de análise)

Maputo
2021

Edilson Abiatar Vumba

Código -20170987

Mercado de capital sua importancia para o sistema financeiro em moçambique:

bolsa de valores como feramenta para desenvolver a economia

Projecto de pesquisa de fim do curso, no


curso de gestão financeira e seguros,
faculdade de economia do instituto
superior de ciências e tecnologias de
moçambique, como parte dos requesitos
para elaboração da monografia.

Maputo
2021
ÍNDICE
CAPÍTULO I.................................................................................................................................i
INTRODUÇÃO............................................................................................................................i
1.1 Contextualização.................................................................................................................i
1.2 problema de pesquisa..........................................................................................................ii
1.3 justificativa........................................................................................................................iii
1.4 Objectivos..........................................................................................................................iv
1.5 Delimitação........................................................................................................................v
Capitulo II....................................................................................................................................v
Sistema finceiro e mercados de capital.........................................................................................v
2.1Sistema finaceiro Conceitos................................................................................................v
2.2 Estrutura do sistema financeiro.........................................................................................vii
2.3 Caracteristicas do sistema financeiro...............................................................................viii
2.4 Sistema financeiro moçambicano.....................................................................................viii
Capitulo III..................................................................................................................................ix
3.1 Mercado de capitais...........................................................................................................ix
3.2 Subdivisões do mercado de capital.....................................................................................x
3.2.1 Mercado primario........................................................................................................x
3.2.1.1 Operações tipicas do mercado primario...................................................................xi
3.2.2Mercado secundario.........................................................................................................xi
3.2.2.1 Operações tipicas do mercado secundario...............................................................xii
3.2.3 Mercado das Cotações Oficiais......................................................................................xii
3.2.4Segundo Mercado...........................................................................................................xii
3.3 Tipos de Valores Mobiliários...........................................................................................xiii
3.3.1 Acções..........................................................................................................................xiii
3.3.1.1 Classificação das Acções.......................................................................................xiv
3.3.2 Valores Mobiliários Representativos De Dívida...........................................................xiv
3.3.3 Obrigações de Tesouro..................................................................................................xv
3.3.4 Bilhetes de Tesouro........................................................................................................xv
3.3.5 Obrigações Corporativas................................................................................................xv
3.3.6 Papel Comercial.............................................................................................................xv
3.4 Bolsa de valores...............................................................................................................xvi
3.5 Sistema de Bolsa de Valores adoptado em Moçambique.....................................................xvi
3.6 Analise critca da lireratura..............................................................................................xvii
Capitulo IV...............................................................................................................................xvii
4. MÉTODOS E PROCEDIMENTOS......................................................................................xvii
4.1 Hipotes............................................................................................................................xvii
4.2 Metodologia...................................................................................................................xviii
4.3 Referências Bibliográficas...............................................................................................xix
5. Cronograma............................................................................................................................xx

Nota: o presente projecto apresenta diversos problemas, dos quais:

 Incorrecta Estruturação dos capítulos;


 Incorrecta Definição dos objectivos específicos;
 Ausência de elementos importantes na R.L
 A metodologia não está clara, aliás, esta depende da correcta formulação dos
objectivos;
 Inconsistências no modelo de referências;
 Erros ortográficos (acentuação e omissão),
 Método de paginação
i

CAPÍTULO I

INTRODUÇÃO
Este capítulo está dividido em cinco secções. A primeira secção introduz e contextualiza
o tema da pesquisa. A segunda secção declara o problema da pesquisa. A terceira secção
justifica o tema em alusão. A quarta secção define os objectivos do estudo. A última
secção apresenta a organização da monografia .

O Mercado de Capitais passou a ter importância fundamental dentro de todo o processo


de desenvolvimento da economia mundial. Trata-se, em princípio, de um ambiente de
realização de transações dinâmicas, um sistema que distribui os valores mobiliários,
visando proporcionar liquidez aos títulos de emissão de empresas, viabilizando o
processo de capitalização destas. As empresas têm procurado satisfazer suas
necessidades de financiamento para suas actividades, cada vez mais por meio da
emissão de valores mobiliários no Mercado de Capitais e, cada vez menos, pelos
financiamentos junto aos bancos, os quais, em alguns casos, podem ter custos mais
elevados.

Este vem passando por grandes mudanças e transformações, apresentando relevante


evolução, materializando seu importante papel de financiador de actividade econômica
económica e também se destacando como fonte opcional para os investidores que
buscam retornos mais rentáveis do que aplicações em títulos públicos fundos de
investimentos, poupança dentre outros para suas economias.

1.1 Contextualização
Segundo (Valá,2019:131) O mundo tem estado a conhecer transformações profundas,
marcadas pela consolidação do processo de globalização, crise financeira e de aumento
de preços dos alimentos, alterações climáticas, crescentes fluxos de imigração ilegal,
deterioração dos termos de troca colocando pressão aos países em desenvolvimento,
terrorismo, crise energética, entre outros.
Alguns desses factores da conjuntura internacional tem influenciado o desempenho da
economia nacional, como a volatilidade dos preços dos principais produtos de
exportação entre 2014-2016, como o carvão e alumíinio, agravando o já crónico défice
da balança comercial e tendo afectado receitas de exportação de Moçambique.
ii

Factores internos também têm influenciado negativamente o desempenho da nossa


economia, como a instabilidade político militar nalgumas zonas do país que cessou em
finais de 2016, calamidades naturais ( cheias alternadas por secas, ciclones, ventos
fortes e outros eventos climáticos extremos), suspensão de apoio geral ao orçamento do
estado desde 2016, associado a quebra de confiança dos parceiros de cooperação em
relação ao nosso país em decorrência das dívidas contraidascontraídas em 2013 e 2014.

Esse quadro económico fez com que a actividade económica abrandasse, o metical
perdesse valor em relação ao dólar norte-americano e o nível geral de preços
aumentasse de forma acentuada (Valá,2019).

A busca por um desenvolvimento econóômico sustentável sempre foi o grande objetivo


dos agentes econômicos. Para que isso acontecesse, seria necessária uma expansão
contínua da capacidade produtiva, que por sua vez, só se tornava real com investimentos
em capital e recursos humanos. O crescimento apresentava um ritmo acelerado com
investimentos direcionados às alternativas com maiores retornos econômicos e sociais.

É neste sentido, que o Mercado de Capitais se mostra como uma importante ferramenta
noferramenta no objetivo da obtenção de recursos para investimento, visto que ela
permite um fluxo de capital de quem poupa para quem necessita de recursos para
investimento produtivo e cria condições que incentivam a formação de poupança e a
direciona para as melhores alternativas. O Mercado de Capitais também possibilite e
orienta “a estrutura de uma sociedade pluralista, baseada numa economia de mercado,
permitindo a participação coletiva de forma ampla na riqueza e nos resultados da
economia” (Pinheiros, 2005, p.136).

1.2 problema de pesquisa


Uma empresa, quando necessita de recursos para novos investimentos encontra várias
opções no mercado financeiro, como empréstimos e financiamentos, abertura de capital
no mercado de ações entre outros.
Frequentemente tem-se ouvido falar nas dificuldades de obtenção de créditos por parte
das empresas e pessoas físicas. As empresas por necessitarem de empréstimos elevados,
encontram geralmente no mercado de crédito dificuldades de obter o valor necessário
para seus investimentos e acima de tudo enfrentam o pagamento de altas taxas de juros.
Outra dificuldade se relaciona aos pagamentos destes empréstimos já que o retorno dos
seus investimentos se dá geralmente de 03 (três) a 05 (cinco) anos. As pessoas físicas
iii

também possuem esta dificuldade de obtenção de crédito para realização de seus


projetos e anseios, principalmente pela cobrança de altas taxas administrativas e taxas
de juros.
Embora exista apetência local e internacional para investir, o Mercado de Capitais de
Moçambique encontra-se ainda numa fase embrionária. Não obstante os diversos
factores existentes na economia que podem contribuir para o seu crescimento e
desenvolvimento a longo prazo, as oportunidades presentes no mercado não têm sido
capitalizadas na sua plenitude, devido a factores de carácter interno a Bolsa de Valores
de Moçambique (BVM), bem como a factores externos, como os relativos a
regulamentação que afectam as suas operações (BVM,2017).
A percepção de falta de procura por parte dos investidores, associada ao reduzido
número de empresas cotadas, criou um ciclo vicioso para a BVM, em que as entidades
emitentes não admitem os seus títulos à cotação devido a falta demanda e os
investidores mantêm-se fora do Mercado devido ao número reduzido de emissões.
Ademais, aos intermediários, faltam-lhes incentivos para criarem mecanismos para
responder a estes problemas, devido as baixas comissões advindas deste mercado,
preferindo manter a sua carteira de clientes (tanto entidades emitentes assim como
investidores) nas áreas comercial e de retalho. Estes e outros problemas que afectam o
desenvolvimento do Mercado de Capitais em Moçambique.(BVM,2017).
Com estes agravantes, observa-se cada vez mais a relevância do mercado de ações no
cenário econômico, que aparece como mais uma oportunidade para empresas,
instituições e pessoas físicas de obterem recursos para tornarem possíveis seus projetos.
Com a pesquisa pretende-se responder a seguinte pergunta de partida:
 Até que ponto o mercado de capital é relevante como um dinamizador de
variável investimento e se através dele é possivel solidificação das empresas
face as mudanças decorrentes na economia nacional.

1.3 justificativa
Uma análise do sistema financeiro concretamente no mercado de capital é de extrema
importanciaimportância visto que constitue um vector importantes para impulsionar o
desenvolvimento económico.

Contribui para o desenvolvimento económico, actuando como propulsor de capitais para


os investidores, estimulando a formação de poupança privada, e permitir e orientar a
iv

estruturação de uma sociedade pluralista, baseada na economia de mercado, com


participação colectiva nariqueza e nos resultados da económia(Pinheiro,2014).

As exigências crescentes em termos de mecanismos de financiamento diversificados e


que sejam adequados as distintas demandas, fazem pressão para o surgimento de novas
e inovadoras soluções, bem como arrojadas valências que possam colocar o mercado de
capitais no seu lugar de destaque no sistema financeiro moçambicano.(BVM,2017).
Existem vários estudos que analisam os mercado de capitais em diferentes países, com
maior ênfase para os países desenvolvidos. Em Moçambique não existem muitos
estudosmuitos estudos concrectos publicados que visema analisar e procurar formas de
catapultar esse mercado visto que ainda se encontra na fase embrionariaembrionária.

E falta da procura neste mercado bem como a falta de informação relevante sobre a sua
natureza, papel, vantagens e como usar, de forma concreta, os produtos do mercado de
capitais e os serviços oferecidos pela Bolsa de Valores, bem como o reduzido
numeronúmero de empresas cotadas comparado com os mercados dos outros
paisespaíses.

Grafico. Numeros de empresas cotadas nas bolsas de valores internacionais

Fonte: PLANO ESTRATÉGICO DA BOLSA DE VALORES DE MOÇAMBIQUE: (2017 - 2021)

1.4 Objectivos

Objectivo geral deste estudo é analisar o mercado de capitais e a sua


importanciaimportância para o desenvolvimento daa economia de Moçambique, o
estudo é desenvolvido com vista alcançar os seguintes
v

objectivos específicos:

 identificar o mercado de capitais como alocador do investimento.


 verificar o desempenho do mercado de ações, de forma a verificara verificar sua
capacidade de investimentos que contribuem para o crescimento económico
 entender como o mesmo mercado pode ser uma alternativa viavel de
minvestimento.

1.5 Delimitação
Marconi & lakatos (2003:5), referencia que o processo de delimitação do tema só é
dado por concluido quando se faz a limitação geografica espacial do mesmo com vista a
realização da pesquisa.

O estudo decorreu no territorio moçambicano, na provincia e cidade de maputo, na


bolsa de valores de moçambique sediada instituição (Av. 25 de Setembro,nº 1230, 5º
andar, Bloco 5, Edifício 33 andares - Maputo).

Capitulo II

Sistema finceiro e mercados de capital

2.1Sistema finaceiro Conceitos


Howells e bain (2001:3) definem o sistema finaceiro como uma série de mercados para
instrumentos financeiros, e os individuos e instituições que negociam nestes mercados.
Em uma económia de mercado, o sistema financeiro é de extrema importância na
medida em que capta a poupança e canaliza para investimentos concretos que causam
impacto positivo para economia real.

A associação portuguesa de bancos(2015) advoga que o sistema financeiro compreende


o conjunto de instituições financeiras que asseguram, essencialmete, a canalização da
poupança para o investimento nos mercados financeiros, através da compra e venda de
produtos financeiros. Estas instituições asseguram um papel de intermediação entre os
agentes económicos que, num dado momento, podem assumir-se como credores e,
noutros momentos, como devedores.

Com o advento da globalização que se ampliou a partir dos anos 80, com o avanço da
tecnologia de informação, o desenvolvimento das telecomunicações e da informática,
vi

criou-se a necessidade de um mercado financeiro cada vez mais integrado nos diversos
países e conseqüente reestrutura dos modelos de investimento (maiores opções para os
tomadores e emprestadores). Os Sistemas Financeiros tornaram-se de fundamental
importância para dinamizar o investimento nos mercados financeiros. Passaram a ser
definidos pelo conjunto de mercados financeiros existentes numa dada economia, pelas
instituições financeiras participantes e suas inter-relações e pelas regras de participação
e intervenção do poder do público nesta atividade (CARVALHO,2000).

Neste aspecto já não seria mais possível um país isolar-se nas operações do mercado
financeiro. Este passou de um âmbito nacional para a integralização de todos os países.
Os sistemas financeiros se diferenciam através do tipo de relação entre os investidores
de recursos e pelo perfil das instituições que praticam a circulação destes recursos entre
eles. Segundo Santos (1979, p. 19): “Esta é uma das funções básicas do mercado
financeiro: prover os canais através dos quais os agentes econômicos que têm fundos
disponíveis possam aplicá-los numa variada gama de títulos emitidos pelos agentes
econômicos que n ecessitam desses fundos”.
Conforme o tipo de contrato adotado entre os agentes econômicos, o sistema financeiro
será baseado no crédito ou no mercado de capitais. E, ainda dependendo da função
exercida pelas instituições nessa relação do sistema financeiro poderemos identificar se
as instituições operam de forma diversificada ou se estão restritas a nichos específicos
do sistema (CARVALHO, 2000).
Em sua maioria, as operações de créditos são feitas via bancos ou instituições
autorizadas a operar com empréstimos.
Nos sistemas financeiros há dois tipos de captação de recursos:
 intermediação financeira ou a desintermediação financeira. As relações
financeiras intermediadas são aquelas em que uma instituição financeira
interpõe suas próprias obrigações no processo de canalização de recursos do
emprestador último ao tomador último. O maior exemplo de sistema
intermediado, portanto, é o mercado de crédito. Nas economias menos
avançadas, ou em desenvolvimento é comum o predomínio da intermediação
financeira portanto, da utilização do crédito bancário como fonte financiadora
de investimentos tanto de empresas como de pessoas físicas.
 As relações financeiras desintermediadas são aquelas em que o emprestador
último retém consigo diretamente obrigações do tomador final. A
vii

desintermediação tem a premissa de reduzir custos nas transações, pois aumenta


a rapidez e o número de operações, proporcionando maior liquidez. O mercado
de ações é um dos representantes do mercado desintermediado, onde o papel da
instituição financeira se difere do papel no mercado intermediado. Nesta o papel
limitase a promoção da colocação de papéis, isto é, corretagem de valores.
(CARVALHO, 2000).
Historicamente sociedades economicamente mais avançadas têm tendido a exibir
estruturas financeiras onde o mercado de capitais (desintermediação) cresce
continuamente em importância como canal de circulação de recursos em relação ao
mercado de crédito. A significância dessa relação é reforçada pela constatação de que o
processo de desenvolvimento financeiro das principais economias capitalistas tem como
características a rápida expansão do mercado de títulos. (CARVALHO, 2000).
Conforme Mello (1979, p. 26): “o estudar a história econômica de qualquer
comunidade que esteja apresentando um rápido crescimento, que o desenvolvimento da
intermediação financeira - consubstanciada no surgimento, diferenciação e
crescimento dos ativos, instituições e mercados financeiros - é sempre um aspecto
característico das primeiras etapas do crescimento”.
Contudo percebemos que não é só a transferência de fundos entre agentes econômicos
que caracteriza a importância do setor financeiro numa economia de mercado. Neste
mercado se desenvolve o processo de negociação de títulos previamente existentes em
circulação e aos quais é propiciada a necessária liquidez. (SANTOS, 1979). Neste
contexto, verificamos a importância do mercado secundário representado pelo mercado
de ações que possibilita a liquidez dos títulos, facilitando aos agentes econômicos a
recomposição das suas carteiras.
Uma outra percepção, ainda referente aos ativos financeiros é que as transações de
compra e venda destes ativos possuem uma importância fundamental para o
desenvolvimento financeiro da economia. Conforme Mello (1979), a comercialização
destes ativos possibilita uma intensificação das atividades financeiras, além daquelas já
existentes (concessão de créditos, depósitos á vista e a prazo, etc) trazendo melhores e
maiores opções ao mercado financeiro e aos investidores. Neste contexto podemos
afirmar que uma eficiente atuação das instituições financeiras pode incentivar a
formação de capital, bem como a melhoria da utilização do fator capital na economia,
daí a importância do elo entre a intermediação financeira e a formação de capital para
geração do crescimento econômico.
viii

2.2 Estrutura do sistema financeiro

Brito(2019) refere que o sistema financeiro pode ser constituido fundamentalmente pelo
sector bancário (bancos, instituições financeiras, instituições para-bancarias e
autoridades monetárias), sector segurador ( seguros e resseguros), e pelo sector
financeiro (onde se enquadram as bolsas de valores, de mercadorias e derivados).

É importante ter em conta que as as instituições financeiras acima referidas actuam em


diferentes mercados, nomeadamente o mercado de capitais , mercado cambial, mercado
monetário e mercado de crédito, todos pertencentes ao sistema financeiro.

2.3 Caracteristicas do sistema financeiro

Segundo (Valá;2019:134) o sistema financeiro varia de país para país e de acordo com
as caracteristicas de cada país, podendo assim variar na sua estrutura, nivel e dimensão.

Tipicamente têm-se assumido a divisão em dois tipos: os assentes no sistema bancário,


e; os assentes no sistema de mercados de capitais,(Brito,2009;Levine&Demirguç-
kunt,2002).

Sengundo o mesmo autror no sitema financeiro bancário, os bancos são as entidades


nucleares do sistema e os maiores impulsionadores do desenvolvimento financeiro. São
exemplos disso:a alemanha,japão,frança e moçambique.

No sistema financeiro assente no mercado de capitais, é este mercado o maior


impulsionador do desenvolvimento financeiro, permitindo uma maior alocação de
capital, fornece diversas ferramentas de gestão e diversificação do risco e permite
mitigar os problemas associados aos grandes bancos. Predominantes em países como os
EUA, Reino Unido.(Valá,2019)

2.4 Sistema financeiro moçambicano

Caracteristicas principais a caracterização do sistema financeiro varia de país para país.


Moçambique, como a maioria dos países em vias de desenvolvimento, tem um sistema
financeiro menos desenvolvido, reduzido o número de operadores e instrumentos
financeiros.(Valá,2019).

A criação de um estado baseado nos principios de inspiração socialista, nos primeiros


anos de independecia, levou a criação de uma economia centralizada, com o estado a
ix

controlar quase toda actividade economica (Maloa,2016). Na altura eram só três bancos
comerciais, e cerca de 95% do negócio bancário era representado pelos bancos
controlados pelo (BPD e BCM).

As economias de mercado caracterizam-se pela: (1) leberdade de abertura e


funcionamento de empresas, com pouca interferência do governo; (2) o mercado é
mediado pela interacção entre produtores e consumidores, e; (3) a fiscalização e
regulação da economia por parte do estado. Estas caracteristicas permitiram que o
sistema financeiro moçambicano integrasse, apartir da mudança, mais instituições, mais
agentes e consequentemente um maior dinamismo no sistema, embora com uma
tendência de protagonismo dos bancos(Vala,2019).

Capitulo III

3.1 Mercado de capitais


Segundo (David,2019) O Mercado de Valores Mobiliários ou Mercado de Capitais é “o
conjunto dos mercados organizados ou controlados pelas autoridades competentes
onde se transaccionam Valores Mobiliários”. Quer isto significar que, na verdade, não
existe um mercado de capitais, mas vários e que nesses vários mercados, são
transaccionados simplesmente valores mobiliários.

O Mercado de Capitais é uma rede formada pelas Bolsas de Valores e instituições


financeiras (bancos, corretoras e seguradoras) que negociam papéis (ações e títulos) em
longo prazo e que possui funções de transformação e apoio como a conversão de ativos
líquidos em investimentos fixos, procurando atender as necessidades específicas de
poupadores e investidores, a capacidade de transformação dos prazos das operações
conciliando o desejo do poupador de oferecer recursos de curto prazo com a
necessidade dos investidores de obter recursos de médios e longos prazos, capacidade
de transformar pequenos e médios montantes de capital, acumulados gradativamente
por diferentes poupadores, em grandes e consolidados montantes de capital, capacidade
de transformação de riscos permitindo uma diluição de diferentes graus de risco de
aplicações específicas, por meio de uma composição de risco razoável e relativamente
baixo,(Melo,1979).
Segundo BVM (2017) consiste num mercado financeiro no qual se transacionam
valores mobiliários de médio e longo prazos, tipicamente acções e obrigações, para
x

além de muitos outros instrumentos financeiros menos conhecidos, como os direitos, as


bunidades de participação, o papel comercial e demais valores mobiliários.

Fo
nte:Bolsa de Valores de Moçambique plano estratégico 2017-2021

3.2 Subdivisões do mercado de capital

O mercado de valores mobiliários por sua vez subdivide-se em dois mercados: o


Mercado Primário, e o Mercado Secundário, sendo que este último por sua vez se
subdivide em Mercado de Bolsa e Mercado Fora de Bolsa.(BVM,2017).

3.2.1 Mercado primario


O Mercado Primário é o mercado onde são criados e emitidos os diversos valores
mobiliários, que posteriormente serão transaccionados e negociados no Mercado
Secundário. Se esses valores mobiliários forem admitidos à cotação na Bolsa de
Valores, então serão transaccionados no Mercado de Bolsa, caso contrário serão
negociados no Mercado Fora de Bolsa.(BVM,2017).

O Mercado Primário de acordo com (David,2019) é “o mercado de valores mobiliários


através do qual os mesmos são emitidos e distribuídos (vendidos) pelos (primeiros)
investidores”. Em outros termos, é neste mercado onde eles são criados e passam, pela
primeira vez, a ter um dono. É uma relação entre a empresa e o investidor.
Segundo a CMC é o mercado onde às acções, obrigações e outros instrumentos de
capital são vendidos pela primeira vez para a colecta de capitais de longo prazo;
 Por lidar com novas emissões, este mercado é também conhecido como o
mercado das novas emissões;
xi

 Neste mercado, o fluxo de fundos vai sempre dos pupadores para os devedores
(governo e indústrias), que os utlizam para a criação de novas unidades de
negócios.
3.2.1.1 Operações tipicas do mercado primario

São operações típicas do Mercado Primário a emissão de Obrigações do Tesouro, a


emissão de Obrigações Corporativas, a emissão de Papel Comercial, a emissão de novas
acções das empresas, entre outras. Estas emissões são feitas através de Ofertas Públicas
ou Privadas aos seus destinatários, que normalmente são os bancos, as empresas
públicas e privadas, os investidores institucionais, os fundos de pensões, as seguradoras,
o público em geral (BVM,2017).

3.2.2Mercado secundario

Mercado Secundário segundo (David,2019) é o “conjunto dos mercados de valores


mobiliários organizados para assegurar a compra e venda desses valores depois de
distribuídos aos investidores através do mercado primário”. Ou seja, trata-se de um
mercado onde se estabelecem relações entre investidores.
 É o mercado onde as compras e vendas de activos previamente emitidos têm
lugar;
 As transações no mercado secundario são, geralmente realizadas por via de
bolsas de valores.

A principal qualidade do mercado secundário é a criação de liquidez. Se um individuo


compra um activo e, aseguir quer vende-lo, ele pode fazelo por meio de uma bolsa de
valores por meio de um intermediario(CMC).

O Mercado Secundário de Valores Mobiliários é constituído por dois mercados: a Bolsa


de Valores e o Mercado fora da Bolsa. São negociados na Bolsa de Valores de
Moçambique os Valores Mobiliários das empresas que tenham sido admitidas à cotação
e os títulos de dívida emitidos pelo Estado. Os demais Valores Mobiliários são
negociados no Mercado Fora de Bolsa.

Portanto, sob o ponto de vista de integração no Mercado de Valores mobiliários, a Bolsa


de Valores é um sub-mercado do Mercado Secundário de Valores Mobiliários,
(David,2019).
xii

O Mercado Primário e o Mercado Secundário são altamente dependentes entre si. Só é


possível a existência de um Mercado Primário dinâmico, com emissões frequentes e
bem-sucedidas, se o Mercado Secundário garantir elevados níveis de negociação
(liquidez) aos investidores.
3.2.2.1 Operações tipicas do mercado secundario
São operações comuns no Mercado Secundário a compra e venda de acções e de
obrigações, as ofertas públicas ou privadas de acções já existentes (já emitidas em
Mercado primário), à negociação de títulos de dívida (Obrigações, Papel Comercial),
negociação de unidades de participação de fundos de investimento.
O Mercado Secundário de Bolsa está também segmentado em função da dimensão das
emitentes,havendo um mercado para as denominadas Grandes Empresas – o MCO ou
Mercado de Cotações Oficiais – e um mercado de bolsa para as PME (Pequenas e
Médias Empresas) – o SME ou Segundo Mercado.(BVM,2017).
3.2.3 Mercado das Cotações Oficiais
O Mercado de Cotações Oficiais é destinado a transacção de Valores Mobiliários
emitidos pelas Grandes Empresas (empresas com mais de 100 trabalhadores e ou um
volume de negócios superior a 29.970.000,00 MZN). (David,2019).

Empresas Cotadas: CERVEJAS DE MOÇAMBIQUE (CDM); CETA; COMPANHIA


MOÇAMBICANA DE HIDROCARBONETOS (CMH); EMPRESA
MOÇAMBICANA DE SEGUROS (EMOSE); MATAMA S.A. Podendo consultar
todos os procedimentos para a admissão de empresas neste mercado no Código de
Mercado de Valores Mobiliários e no Regulamento nº 1/GPCABVM/2010 de 27 de
Maio que regulamenta oprocesso de admissão à cotação de Valores Mobiliários.

3.2.4Segundo Mercado
O Segundo Mercado foi criado em 2009, com a aprovação do actual Código do
Mercado de Valores Mobiliários, e destina-se à transacção de Valores Mobiliários
emitidos por Pequenas e Médias Empresas – PME’s (5 a 100 trabalhadores e/ou um
volume de negócios que varia entre 1.200.000,00 MZN a 29.970.000,00 MZN).(BVM).

3.2.4.1 Empresas Cotadas: ZERO INVESTIMENTOS S.A, TOUCH PUBLICIDADE


S.A e ARCO INVESTIMENTOS S.A. Podendo consultar todos os procedimentos para
a admissão de empresas neste mercado no Código de Mercado de Valores Mobiliários e
xiii

no Regulamento nº 2/GPCABVM/2010 de 28 de Maio (Regulamento do Segundo


Mercado).

3.3 Tipos de Valores Mobiliários


De acordo com a BVM os valores mobiliários são documentos emitidos pelo estado,
empresas ou outras entidades, em grande quantidade, que representam direitos e
deveres, podendo ser comprados e vendidos, nomeadamente na bolsa. os principais
valores mobiliários negociados são:

Fonte: bolsa de valores de moçambique.


3.3.1 Acções
As empresas, ao necessitarem de capital para fazer novos investimentos, têm a opção
de, por intermédio do mercado de ações, buscar recursos financeiros para fazer frente
ao desenvolvimento de sua atividade econômica. Tais empresas procuram reduzir os
riscos de suas atividades, dividindo-o com terceiros que adquirem ações de sua
companhia.
Estes terceiros, além dos riscos assumidos, também adquirem direitos sobre o
patrimônio da empresa, bem como sobre os rendimentos gerados pelas atividades da
empresa. (Requião, 2005).
De acordo com Rubens Requião ação é “o título representativo do preço de emissão, em
que é dividido o capital social e da qual resulta o direito de seu titular de participar da
vida da sociedade anônima.” Possibilitam a transferência de participação societária na
empresa e a negociação no mercado de valores mobiliários.
xiv

3.3.1.1 Classificação das Acções


De acordo com (Rovai,2011) As Acções podem ser classificadas segundo vários
critérios, no entanto, irrei me restringir a fazer menção a dois deles: quanto à forma e a
quanto à espécie ou à natureza dos direitos que conferem.

Acções Nominativas Vs Acções ao Portador


Quanto a forma as acções podem ser nominativas ou ao portador. São nominativas
aquelas em que consta no título representativo da acção o nome do seu titular. São ao
portador aquelas em que não consta o nome do seu titular no título, basta ser portador da
acção para exercer os direitos que ela conferem.
Acções Registadas Vs Escriturais
As Acções Nominativas podem ser Registadas ou Escriturais. São Registadas as que
constam do Livro de Registo de Acções Nominativas ou Instrumento de controlo que o
substitua e Escriturarias as que são mantidas em conta de depósito, de um
estabelecimento bancário autorizado.
Acções Ordinárias vs Acções Preferenciais
Independentemente da forma (nominativas ou ao portador) as Acções podem ainda ser
classificadas quanto à espécie em: ordinárias ou preferenciais.
As Acções Ordinárias asseguram aos seus titulares a plenitude dos direitos de
accionista, inclusive o de votar nas deliberações das Assembleias Gerais e o de eleger os
administradores da sociedade.
As Acções Preferências conferem aos seus titulares dividendos prioritários em cada
exercício e que ultrapassem, de qualquer forma, os valores atribuídos a este título aos
titulares de acções ordinárias. Pode-se assim dizer que as acções preferências conferem
todos os direitos que são assegurados aos titulares de acções ordinárias, acrescidos de
alguns privilégios (Rovai,2011).
3.3.2 Valores Mobiliários Representativos De Dívida
Quando falamos das acções referimo-nos ao facto de o Investidor passar a ser titular de
uma fracção do capital da sociedade, o que lhe atribui a qualidade de accionista. De
forma diversa se processa nos Títulos de Dívida. Essencialmente o que acontece é que
Estado ou as Empresas vendem alguns papéis (que podem ser físicos ou electrónicos) a
Investidores.(David,2019).
Os Investidores que compram esses papéis passam a ter o direito de receber juros sobre
o valor investido, e o reembolso do valor investido no final do Investimento. Esta é a
xv

razão pela qual são considerados títulos de dívida, pois trata-se de um empréstimo que o
Estado ou as Empresas fazem junto dos Investidores, ou seja, os Investidores tornam-se
credores.
quando a emissão é feita pelo Estado, ela é considerada uma dívida pública e,
dependendo do período de duração da emissão, pode revestir a forma de Bilhete de
Tesouro (quando a emissão tenha uma duração não superior a um ano) ou de Obrigação
de Tesouro (quando a emissão tenha uma duração superior a um ano) (David,2019).
Segundo o mesmo autor Quando a emissão é feita por uma empresa, ela é considerada
dívida privada e, dependendo do período de duração da emissão, ela pode revestir a
forma de Papel Comercial (quando a emissão tenha uma duração não superior a um ano)
ou de Obrigação Corporativa (quando a emissão tenha uma duração superior a um ano).
3.3.3 Obrigações de Tesouro
Segundo (David,2019) As obrigações de Tesouro, como já referimos, são valores
mobiliários representativos de dívida do Estado, emitidos por um período superior a um
ano. Elas constituem uma das formas mais seguras de investimento, pois gozam dos
privilégios e garantias reconhecidas dos títulos da dívida pública, podendo ser inscritas
no Orçamento do Estado para que sejam cumpridas as obrigações assumidas pelo
Estado.
3.3.4 Bilhetes de Tesouro
Os Bilhetes de Tesouro distinguem-se das Obrigações de Tesouro pelo período de
emissão. Tal como já referimos, estes títulos são emitidos com a duração máxima de um
ano.(David,2019).
3.3.5 Obrigações Corporativas
De acordo com (David,2019) As obrigações corporativas, representam uma dívida das
empresas perante os seus investidores. Trata-se de uma dívida a médio e a longo prazo,
pelo que, é ideal para investidores que estejam à procura de investimentos com esse
período de maturidade.

3.3.6 Papel Comercial


À semelhança do Bilhete de Tesouro, constitui um título de dívida de curto prazo (não
podendo ser emitido por um período superior a um ano, distinguindo-se apenas da
entidade emitente, pois enquanto os Bilhetes são emitidos pelo Estado, o Papel
Comercial é emitido pelas empresas.
xvi

Diferentemente do que sucede com as Obrigações Corporativas, no Papel Comercial


não subsistem dúvidas de que as mesmas podem ser emitidas por qualquer sociedade
comercial, incluindo pessoas colectivas de direito (associações, fundações públicas,
autarquias locais, entre outras).
O Papel Comercial confere ao Investidor o direito a receber juros nas condições
especificadas no documento de emissão e de ser reembolsado o valor do investimento
no final do período de investimento (David,2019).

3.4 Bolsa de valores


Para samuelson e nordhaus (1998), uma bolsa de valores é “ uma instituição financeira,
que proporciona todos os meios para que a economia, empresas, capitais, e
investimentos, sejam utilizados da melhor forma, através de um local de
estabelecimento da bolsa de valores, regulamentação de instrumentos técnicos e
materias, traduzidos numa permanente negociação de títulos de valores em bolsa”
Em termos de definição de bolsa de valores, é essencial referir que esta é um meio de
fortalecimento do sistema capitalista e de economia de mercado, que permite
desenvolver a economia e as finanças de uma determinada economia naciona, reginal ou
mesmo global. Aponta que a bolsa de valores é um dos mais importantes instrumentos
do mercado e da economia capitalista, entanto financiador e regulador do próprio
mercado de capitais e criação de riqueza( samuelson Nordhaus,1998).
A Bolsa de Valores pode ser entendida em várias perspectivas de acordo com
(david.2019):
 Como o edifício ou lugar onde funcionam os escritórios da instituição (Av. 25
de Setembro,nº 1230, 5º andar, Bloco 5, Edifício 33 andares - Maputo);
 Como instituição “entidade pública responsável pela organização, gestão e
manutenção de um mercado secundário central de valores mobiliários”
 Como o conjunto das operações bolsistas ( Mercado Bolsista).

3.5 Sistema de Bolsa de Valores adoptado em Moçambique.


Existem essencialmente dois Sistemas de Bolsa de Valores no mundo distinguindo-se
pelo “modo de constituição das Bolsas de Valores”: o Sistema Liberal e o Sistema
Restrito de Bolsa de Valores.
xvii

No Sistema Liberal, os Governos permitem que se criem livremente outras Bolsas de


Valores no país. É por isso que é comum ouvirmos que em alguns países existe mais de
uma Bolsa de Valores.
No Sistema Restrito o direito de criação da Bolsa é um direito exclusivo do Estado.
Em Moçambique vigora o Sistema Restrito, sendo “proibido o uso, em território
nacional, por qualquer outra entidade ou organização, pública ou privada, da expressão
Bolsa de Valores” mesmo que o objecto da entidade ou organização seja “diverso do da
gestão de um mercado secundário central de valores mobiliários”(BVM,2017).
3.6 Analise critca da lireratura
Nas ultimas décadas, varios paises asiaticos sairam de uma situação de pobreza e se
tornaram nações industrializadas, graças ao desenvolvimento do mercado de capitais.
O mercado de capitais e especificamente, o mercado accionista, permitem a diluição,
uma das maiores fontes de desenvolvimento economico.
No principio o mercado de capitais se mostrou fraco ou com pouco numero de empresas
e consequentemente um crescimento lento da economia, isso porque o governo no início
da indenpendicia optou por pelo sistema socialista o que dificultou o desenvolvimento
do sistema financeiro. Embora que actualmente o nivel seja cresente não está
relacionado com a dimensão do pais.
Varios autores tem prespectivas de como funciona o mercado de capital e os factores
que são realmente relevantes nos aspectos marco economicos e micro economicos,
Sendo relativo para cada país ou economia.
Para o caso em estudo, os resultados apontam para factores micro economicos, sendo
esses mesmos factores com o potencial de desenvolver o mercado de capital, refirimo a
propensão a poupar, fazendo com que haja mais capital para se investir no mercado de
capital com retornos suficientes para se igual aos outros mercados.

Capitulo IV

4. MÉTODOS E PROCEDIMENTOS
4.1 Hipotes
 Fraco nível de educação financeira e mecanismos de protecção do investidor que
desencorajam potenciais investidores a participem no Mercado;
 Fraca visibilidade da Bolsa de Valores devido a limitada disponibilidade de
dados sobre o Mercado;
xviii

 Baixos níveis de rendimento e poupança no país, que impossibilitam a existência


de uma fonte de capital para investir na Bolsa.
4.2 Metodologia
O estudo analisa o mercado de capital, bolsa de valores de moçambique que é uma
empresa dotada de personalidade juridica, autonomia financeira, com natureza de
empresa pública dependendo directamente do ministério das finança.

Natureza da pesquisa
Quanto à natureza a pesquisa é aplicada, pois objectiva gerar conhecimentos para
aplicação prática dirigidos à solução de problemas específicos, envolvendo verdades e
interesses locais, no caso do sistema financeiro e sua importancia no mercado de
capital em Moçambique.

Método Científico
Foi utilizado o método Hipotético-dedutivo que consiste na construção de conjecturas
baseadas em hipóteses positiva e negativa, para tentar explicar as dificuldades
expressas no problema.

Abordagem do problema
Quanto ao método de abordagem, no projecto foi usada a abordagem qualitativa,
usando das ferramentas disponíveis para extrair dados, que possibilitem desenvolver,
analisar e chegar a uma conclusão para o tema apresentado, com vista a validar uma
das hipóteses.

Tipo de pesquisa
Para este projecto foi adaptada a metodologia que consiste numa pesquisa exploratória
e descritiva quanto ao objectivo, apoiando-se na pesquisa bibliográfica e documental
quanto aos seus procedimentos, descrevendo a importancia do mercado de capital e
como pode afectar a economia de Moçambique.

Procedimentos técnico
A colecta de dados foi baseada na pesquisa bibliográfica, dispondo de livros, artigos
científicos online, publicações, fichas de apoio, monografias e jornais electrónicos,
para a análise de dados.
xix

4.3 Referências Bibliográficas


VALÁ,Salim Cripton.(2019) Economia Moçambicana numa Encruzilhada:Politicas
Economicas, Bolsa de Valores e Desenvolvimento Rural.Maputo :Escolar Editora.

SAMUELSON,P.,&NORDHAUS,W.(1998).Economia.Lisboa:McGraw-hill.

PINHEIRO,J.L. (2014). Mercado de Capitais, Fundamentos e Técnicas. 7ª.Edição


São Paulo:Atlas, 2014.

PINHEIRO, Armando Castelar e SADDI, Jairo. Direito, economia e mercados. Rio de


Janeiro: Elsevier, 2005.
REQUIÃO, Rubens.Curso de direito comercial.1˚a.vol. São Paulo: Editora Saraiva,
2005.
Comissão de Valores Mibiliarios (2017)”Analise de Investimentos: Historico,
principais ferramentas e mudanças conceituais para o futuro”1ª Edição, Comissão
de Valores Mobiliarios, Rio de Janeiro.
HOWELLS,P.,& BAIN, K. (2001). Economia Monetária: Moedas e Bancos. Rio de
Janeiro:LTC,capítulo 1.
CARVALHO, Fernando Cardim, et al. Economia Monetária e Financeira: teoria e
política. 4.edição. Rio de Janeiro: Campos, 2000. 453p.
SANTOS, João Regis Ricardo. Poupança, Investimento e Intermediação Financeira:
Conceitos Básicos. (Cap. I). IN: CASTRO, Helio Oliveira Portocarrero
(Org.).Introdução ao Mercado de Capitais. 2. ed. Rio de Janeiro: IBEMEC, 1979. p.
15-21.
MELLO, P. C. (1979).”Mercado de Capitais e Desenvolvimeto Económico”. (Cap.
II). In: CASTRO,H.O.P.(org.), Introdução ao Mercado de Capitais. Rio de
Janeiro:IBEMEC.
Brocura da bolsa de valores: conheça melhor a bolsa de valores de moçambique (2017)
Bolsa de Valores de Moçambique(BVM),(2016) Relatório Anual de Desempenho
do Mercado Bolsista, 2016, Maputo;
Código de Mercado de Valores Mobiliários e no Regulamento nº
1/GPCABVM/2010 de 27 de Maio que regulamenta o processo de admissão à cotação
de Valores Mobiliários.
MARCONI, M. DE A; LAKATOS , E.M , FUNDAMENTOS DA METODOLOGIA
CIÊNTIFICA. 6. Ed . São paulo: atlas, 2003. 5p.
xx

5. Cronograma
Actividade Setembro Outubro Novembro Dezem
bro
Escolha do tema

Levantamento de 
dados

Formulação do 
Problema
Definição de

Termos
Delimitação da

Pesquisa
Selecção de 
métodos e
Técnicas
Elaboração de 
Dados
Análise de dados

Representação de 
dados (tabelas e
figuras)
Redação 
Revisão de 
Normas

Você também pode gostar