Você está na página 1de 11

Importância do uso da literatura surda em sala de aula.

Autor: João Vitor Caruzo dos Santos e Maria Eduarda de Souza Ortiz
Tutor externo: Luciana Alves De Paula Freitas
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI
Letras-LIBRAS (FF05612/FLC4104LBR) – Estágio curricular obrigatório III
28/06/2021

RESUMO

O presente trabalho tem como proposta apresentar aos professores as possibilidades e


melhorias no ensino tendo em vista um uso da literatura surda que consiste em adaptar
ou diferenciação nas praticas de sala de aula, bem como demostrar partir do relato de
um profissional da área sobre os benefícios do ensino da literatura surda para
os alunos tanto surdos como ouvintes, desta forma o ensino voltado a praticas mais
dinâmicas de ensino tanto aos alunos surdos em sua L1 bem como os alunos
ouvintes em sua L2 em relatos vivenciados servindo tanto para nós ouvintes como para
os surdos como base de estudo e incentivando a aprendizagem dos alunos bem como
facilitar o acesso de obras literárias distintas bem como a produção da mesma.

Palavras-chave: Proposta. Literatura Surda. Vivências.

1 INTRODUÇÃO

O vigente trabalho tem como proposta um ensino diferenciado para alunos


ouvintes e surdos sobre a Libras, sendo esse conteúdo apresentado uma nova concepção
pouco usada nas salas de aulas de Libras como cursos e salas de recursos
multifuncional da surdez, demostrando diversas ações sobre o uso da literatura surda
nas salas de aula fornecendo ao aluno surdo por sua vez uma dinâmica mais atraente ao
aprendizado sobre literaturas e aos alunos ouvintes demostrando vivencias e
experiencias dos autores surdos no seu cotidiano, desta forma o trabalho tende a
demostrar aos professore técnicas de uso da literatura surda bem como a melhorias
fornecidas pela mesma sobre os alunos de Libras independente do grau de instrução dos
mesmos a literatura surda tende a demostrar com exemplos claros experiencias e noções
diferenciadas e uma oportunidade de promover aos alunos criações e produções dentro
da mesma tendo em vista que a libras é uma língua visual espacial.
2 ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: FUNDAMENTAÇÃO TÉORICA

Começamos a entender a Literatura analisando o proposto por (Brown,1994).

Sempre que se ensina uma língua, também se ensina um sistema complexo de


costumes culturais, valores, e formas de pensar, sentir e agir. (Brown,1994:
25).

Neste sentido o tema apresentado no programa de extensão Metodologias e


estratégias de ensino e de aprendizagem e o projeto de extensão Alfabetização e
letramento em tempos de ensino a distância onde o produto virtual é uma Videoaula
podemos analisar a demonstração sobre o exposto de que a língua ao ser ensinada
carrega consigo vários outros aspectos d cunho cultural, valores humanos, forma de
pensar sentir e agir, diante disso a libras ao ser passada aos alunos deve vir
acompanhada dela a Literatura surda que demostra a nós alunos, acadêmicos e
professores uma base das vivencias dos alunos surdos, sendo ima importante ferramenta
de ensino proposto para o ensino de L1 por (Penha,2018, p110)

Estimular as Narrativas a partir de Livros de Literatura com imagens (sem


texto escrito), explorando as situações, personagem e recursos visuais que
compõem o enredo. (Penha,2018, p110)

Desta forma podemos ver que o uso da literatura é muito importante para o
aluno surdo sendo um recurso importantíssimo de ensino para fazer o aluno entender o
referido tema com o uso de imagens, que a libras é uma língua visual espacial todos já
sabemos da forma de que o sue ensino se baseie na forma de uso da língua para a
mesma ser ensinada, desta forma a literatura surda entra como uma ferramenta
fundamental de ensino pois a mesma e rica em imagens e recursos visuais, pois
podemos entender literatura surda como:
[...] utilizamos a expressão “literatura surda” para histórias que têm a língua
de sinais, a questão da identidade e da cultura surda presentes na narrativa.
Literatura surda é a produção de textos literários em sinais, que entende a
surdez como presença de algo e não como falta, possibilitando outras
representações de surdos, considerando-os como um grupo linguístico e
cultural diferente. (KARNOPP, 2006, p. 102).

Desta forma a literatura se torna fundamental para o aluno surdo no


entendimento do conteúdo sobre a sua língua materna sua L1, pois o mesmo tem que
compreender onde ele estará encontrando referencias de pessoas e vivencias de pessoas
que passam ou passaram por situações e como elas se estabeleceram no momento ali
presente, dando ao aluno surdo experiencias de vida sobre um viés educacional para a
transformação dele tanto como cidadão como aluno e ou profissional, diante destas
situações o aluno pode vivenciar a literatura como base para si mas a literatura pode
estar presente em um olhar totalmente educacional em seu uso em maioria sobre o olhar
pedagógico como forma de histórias de fabulas, contos, poemas, crônicas entre outras
produções literárias, bem como desta vez se estabelecendo com o entendimento de
questões linguísticas principalmente se a obra é traduzida para a língua de sinais, SW ou
mesmo adaptada em Língua portuguesa.

Desta forma aluno vai ter um acesso maior a esse recurso fundamental para o
ensino de aspectos linguísticos e ou gramaticais da língua portuguesa assim facilitando
o entendimento do aluno surdo da sua L2,ppois de acordo com Gesser 2009,” o aluno
surdo pode desenvolver suas habilidades cognitivas e linguísticas (se não tiver outro
impedimento) ao lhe ser assegurado o uso da LS em todos os âmbitos sociais em que o
mesmo transita desta forma a surdez não é o que compromete o desenvolvimento do
surdo e sim a falta de acesso a ela”, desta forma o uso da literatura proporciona nestes
momentos uma clara concepção da língua de acordo com a seu nível de escolaridade,
pois nada adianta proporcionar ao aluno do Pré de 4 anos uma produção literária
voltada aos alunos do 7°Ano do fundamental II pois assim o aluno não vai analisar e se
sentir presente naquele ambiente e reconhecer para si aquela situação demostrada, pois:

A comunicação é importante na construção da identidade. Quanto mais cedo a


criança tem contato com sua comunidade, mas cedo pode adquirir sua língua
materna e características próprias de sua comunidade, (Rebouças,
2019, p7)
Desta forma a literatura surda como material de apoio ao aluno surdo é
demostrada de uma funcionalidade inimaginável para a construção do caráter do aluno
surdo, mais a literatura surda também pode ser usada com alunos ouvintes estudantes de
Libras como L2 pois ela demostra as dificuldades vivenciadas pelos surdos pela falta de
acessibilidade entre outras questões étnicas e sociais que eles vivenciam, com o olhar
mais linguístico a literatura surda em forma de vídeo pode ser uma ferramenta muito útil
no ensino principalmente no EAD, pois a mesma demostra a correta formulação dos
sinais e pode ser assistida por diversas vezes pelo aluno.
3 VIVÊNCIA DO ESTÁGIO

Devido ao momento que nos encontramos não foi possível estar em sala de
aula com os alunos, sendo assim a abordagem dos conteúdos na parte pratica em sala de
aula não ocorreu. No entanto tivemos uma abordagem por meio de plataformas virtuais
com alguns professores que tiveram acesso a elas e por maio da plataforma Zoom e
GoogleMeet para a interação com os mesmos.
Mais a partir do momento que tivemos contato com os professores, podemos
analisar que a interação e a divulgação de informações foram bastante proveitosa por
parte deles, devido a isso o produto virtual conta com uma entrevista realizada com o
Professor Dionata N. Sanches professor surdo Bilingue que atua no CAS de Apucarana-
PR, que forneceu em um bate papo diversas explicações de temas e ideias e
metodologias para o uso da literatura surda por parte do professor e a sua experiencia
como aluno surdo da importância da literatura no processo de aprendizagem vivenciado
por ele pois o mesmo atuou como professor de sala de recursos em um colégio e tem
bastante conhecimento da Literatura surda e seus usos.

4 IMPRESSÕES DO ESTÁGIO (CONSIDERAÇÕES FINAIS)

Devido ao momento de pandemia da COVID-19 em que nos encontramos e


muito difícil sabermos ao certo o que, pois a abordagem usada para se ter o “ contato”
com os alunos pois é feito no momento por meio de plataformas virtuais e redes sociais,
o que dificulta em parte a abrangência das mesmas pois acaba não atingindo a todos os
alunos algo que acaba por ser falha em sua abrangência, algo que ficou bastante
destacado mesmo com usos de diversas plataformas virtuais que ajudam o aluno mais se
o mesmo não tiver o contato acabam por não conseguir atingir os resultados esperados
pois dependem da conexão com a internet algo que alguns alunos principalmente nas
cidades do interior acabam por não ter, mais quando o aluno tem acesso a elas o ensino
é bastante proveitoso pois acarreta em uma dinâmica mais “divertida” pelo aluno desta
forma essas mesmas ferramentas não devem ser perdidas pois muito ajudam no
desenvolvimento do aluno algo que agora por diante vai ser mais necessária não
totalmente necessária mais em suma vão ter de estar ali no cotidiano dos alunos e
professores.
Desta forma a abordagem aos alunos usuários da Libras tanto como L1 e L2 com
a literatura surda é bastante proveitoso pois dinamiza o aprendizado e insere os alunos
em questões de vivencia e reflexão a cerca da cultura surda e a sua língua a Libras.

REFERÊNCIAS
(Brown,1994: p.25). Metodologia de Ensino em LIBRAS como L2, Universidade
Federal de Santa Catarina, Florianópolis 2010. Disponível em
https://www.libras.ufsc.br/colecaoLetrasLibras/eixoFormacaoPedagogico/metodologia
DeEnsinoEmLibrasComoL2/assets/629/TEXTOBASE_MEN_L2.pdf acesso em: 20
nov. 2020.

(Rebouças, 2019,p,7), https://www3.ufrb.edu.br/eventos/iieplis/wp-


content/uploads/sites/38/2020/03/16-POR-QUE-LER-A-LITERATURA-SURDA-NA-
ESCOLA-1.pdf acesso em 28 jun. 2021.

KARNOPP, 2006, p. 102).


http://www.olhodagua.ibilce.unesp.br/index.php/revistamosaico/article/viewFile/539/48
6 acesso em 28 jun. 2021.

(Penha,2018, p110,) Parâmetros de ensino em língua brasileira de sinais como L1,


UNIASSELVI 2018, Indaial-SC.
Anexo I
Anexo II

Você também pode gostar