Você está na página 1de 1

Teorias da

Comunicação Comunicação
Aplicadas
e Retórica
Profº Nilthon Fernandes

E udo
Escola Teorias da ap ado de
funcionalista Eras culturais persuasão omun a ão
Propedêutica
e aud ên a
Ciência introdutória; a
reunião dos preceitos,
“Em virtude dessa decisão, a dos conhecimentos
‘enunciação’ não será, pois, nada mais, preliminares e básicos de
porém nada menos tampouco, que o uma disciplina
ato pelo qual o sujeito faz o sentido
ser; coletivamente, o ‘enunciado’ Hermenêutica
realizado e manifestado aparecerá, Arte de interpretar os
na mesma perspectiva, como o livros sagrados e os Observar o lide
objeto cujo sentido faz o sujeito ser” textos antigos. Interpretativismo

Cultura de
O positivismo é uma teoria de desenvolvimento social

Cultura das Cultura


(Landowski, 1992: 167). 1) a fenomenologia social, que estuda o modo como as
Maiêutica do campo das ciências, pois aposta nelas como fator pessoas vivenciam diretamente o cotidiano e imbuem de

Cultura oral Cultura escrita Cultura impressa


O positivismo é uma teoria de desenvolvimento
Arte de levar o interlocutor de desenvolvimento social, e o campo da política, significado as suas atividades;
social do campo das ciências, pois aposta nelas

massa mídias digital


pois desenvolve uma teoria que promove uma 2) as formulações etnometodológicas, que despreza a ideia
Paradigma de
por meio de uma série como fator de desenvolvimento social, e o
doutrina para a promoção do progresso civil. Essa de que as ações são governadas externamente por regras
de perguntas, a descobrir campo da política, pois desenvolve uma teoria Principais autores: Quem? Emissor Controle O raciocínio passa ser mais complexo. Um teoria foi elaborada pelo filósofo Auguste Comte ou internamente motivadas, com o intuito de observar
conhecimentos que que promove uma doutrina para a promoção
Robert Merton, Paul Lasswell Diz o quê? Mensagem Conteúdo
Antes do surgimento da escrita, texto agora pode ser lido, relido e corrigido.
Por volta de 1430, Guttemberg descobre Uma sociedade de massa começa A cultura das mídias vem, de certo modo, (1798-1857), que, influenciado pelo iluminismo como os próprios membros estabelecem e sustentam a
ele possuía sem que do progresso civil. Essa teoria foi elaborada uma maneira de juntar tipos móveis para a surgir, já no século 18 e se firma A palavra chave para a cultura As treze mais citadas e
os conhecimentos, o saber,
Teorias positivista,
regularidade social – analisam a consecução da vida diária
o soubesse. pelo filósofo Auguste Comte (1798-1857), que, Lazarsfeld (sociólogos), Explica o processo de comunicação, Em que canal? Meio Meios A memória de um povo começa a se tornar imprimir textos sobre o papel. Nasce a cultura realmente quando, na segunda
pôr fim à hegemonia da cultura de massas. francês, elaborou uma teoria política, social e científica
no nível interacional; estudadas teorias sobre o
independente do indivíduo e da sociedade. Aquilo que até então era veiculado e digital é Interatividade, a na marcha progressiva da sociedade. Segundo o
influenciado pelo iluminismo francês, elaborou uma Harold Lasswell (cientista tratando da relação entre Para quem? Receptor Audiência eram transmitidos oralmente. A impressa, que veio pôr fim à exclusividade de metade do século 19, a Revolução
imposto por uma minoria (fabricantes e Interatividade do homem com seu pensamento, a humanidade teria passado por
3) análise do discurso focaultiano, que considera o quanto assunto ao longo de 70 anos
Teleonomia
Qualidade da matéria
teoria política, social e científica que apostou em
uma marcha progressiva constante da sociedade.
político), Kurt Lewin e Carl
Hovland (psicólogos).
emissor e receptor por meio de Com que efeito? Efeito Efeitos transmissão da cultura se dava
Os riscos de deformações e perdas do saber
diminuem consideravelmente, pois podem
uma minoria dominante, o clero e a nobreza,
que detinham o poder da escrita e das ideias.
Industrial atrai um grande número
de pessoas para zonas industriais
detentores da informação) a uma grande a máquina e suas tecnologias
dois estágios de desenvolvimento e, no século 19,
teria entrado no terceiro e mais aprimorado estágio,
os sistemas de poder/conhecimento, localizados histórica
e culturalmente, constroem os sujeitos e seus mundos. construtivista e (1946 a 2016), assim como
também um panorama de como
Segundo o seu pensamento, a humanidade teria modelos biológicos (a sociedade maioria que tudo absorvia passivamente, avançadas. A chegada dos meios Desta forma, pode-se depreender que, sob a visão de um

interpretacionista
agora ser guardados e sempre consultados. E o mais importante é que com essa invenção das cidades. Vindas de diferentes
viva no que tange a ela passado por dois estágios de desenvolvimento e, Método: Positivismo como organismo) e elétricos do mais velho para o mais jovem. Enquanto a fala se esvai muito facilmente, regiões (sobretudo da zona rural)
muda de figura com o poder de escolha
digitais possibilita uma busca
o positivo. Para Comte, a Europa estaria vivendo
uma nova configuração por conta das duas grandes
pesquisador interpretativista, o fenômeno a ser estudado é elas se aplicam no contexto
materializar um projeto, no século 19, teria entrado no terceiro e mais Crítica: participamos dos processos comunicacionais. torna-se possível editar vários exemplares resultado da colocação de significados que o pesquisador
que os novos meios de comunicação, contemporâneo
uma finalidade. aprimorado estágio, o positivo. Para Comte, a Objeto de estudo: (transmissão de sinais entre Guardava-se na memória tudo a escrita, sustentada por um suporte físico, de um mesmo livro a preços acessíveis, e com hábitos diferentes, essas
inovando-se e se renovando, propiciam fragmentada e individualizada revoluções ocorridas: a Revolução Francesa e a impõe ao fenômeno, moldado pela maneira como ambas
A comunicação não é um “canudo” de refrigerante pessoas começam a se adaptar Revolução Industrial. No Brasil, pudemos ver reflexos as partes se interagem, ambos influenciados pelas
Europa estaria vivendo uma nova configuração a mensagem na elementos que compõem o que deveria ser transmitido para permanece por muito mais tempo e pode fazendo com que a informação se torne mais à população. O controle remoto, o vídeo da mensagem e da informação. dessa teoria política com o fim da monarquia e a estruturas macro; além disso, deve-se considerar que a
Teleologia por conta das duas grandes revoluções ocorridas: com entrada e saída. Comunicação como vinculação. alcançar lugares antes inatingíveis, além de popular e mais democrática. Outra grande a uma vida mais padronizada.
comunicação de massa. conjunto). Procurava descrever cassete, o DVD, a TV fechada entre outros Possibilita também a produção Primeira República, comandada pelo marechal Manuel interpretação ainda deve variar de acordo com o lugar onde
Ciência que se pauta no a Revolução Francesa e a Revolução Industrial. as próximas gerações. permitir uma maior fidelidade no registro contribuição da prensa mecânica foi tornar Deixam um pouco de lado seu
são exemplos bem significativos. Podemos o pesquisador e o fenômeno estão inseridos e em qual
conceito de finalidade No Brasil, pudemos ver reflexos dessa teoria Contexto: EUA (década o ato de comunicação a partir
do pensamento. possível a fixação dos idiomas.
comportamento próprio e passam e disseminação de todos e para Deodoro da Fonseca, militar fortemente inspirado
período de tempo ele está sendo analisado.
assim dizer que a cultura das mídias é a pelo positivismo.
(causas finais) como
política com o fim da monarquia e a Primeira de 1930) dessas questões: então a assumir comportamentos do todos. É a cultura do acesso.
República, comandada pelo marechal Manuel interesse coletivo. cultura do disponível.
essencial na sistematização https://bit.ly/3jRAElJ
Deodoro da Fonseca, militar fortemente inspirado
Contexto como relações das alterações da
interdiscursivas e intertextuais. pelo positivismo.
realidade, existindo uma
a) contexto situacional: ancorar causa fundamental que
no tempo e no espaço o sujeito rege, através de metas,
da enunciação 1) visão distante da realidade
experimentada na fruição da obra
propósitos e objetivos, a https://bit.ly/3jRAElJ 2) viagem dialógica do presente ao
b) contexto interno: reconstrução

Vínculos
humanidade, a natureza, passado por meio do contexto histórico do
dos elementos ideológicos
Funções
Conceitos
pintor e do objeto retratado (tema);
seus seres e fenômenos. 3) retorno do passado para o futuro
e linguísticos do sujeito da enriquecido pelo repertório auferido das
enunciação.
Ontologia desempenhadas imagens produzidas pelo quadro.
Contraposição de sensível e
c) Contexto externo: valores inteligível. Vista ordinária da Visão

de grupo étnico, classe social, Parte da filosofia que pela comunicação na Jornada imagem,
extraordinária.
Vincular: ter ou criar uma
cultural, etc. considera o ser em si
Mas sempre levando-se em
conta a organização discursiva
mesmo, na sua essência,
independentemente
sociedade relações, sistemas
panópticos
relação simbólica ou material, Interação entre as ciências da comunicação
e as ciências da cultura na compreensão da
Balanço ou Comportamento
Transmissão da constituir um espaço comum
equilíbrio planejado
(sobretudo para a noção de do modo em que se
TIPOS DE MANIPULAÇÃO: FORMAS DE FAZER-FAZER contexto externo). complementaridade entre as mídias
manifesta.
herança cultural
Dimensão identitária – ORDEM DO SER – (simulacro da
Conjunto de vínculos com a
Correlação entre Primária (o corpo como mídia);
imagem do sujeito)
Ultrapassagem da dimensão sociedade;
Sedução (saber) – (juízo positivo sobre o outro) – sujeito inteligível da significação: as partes Enfraquecimento dos vínculos Secundária (quando um corpo usa
se esforça para corresponder ao simulacro positivo co-existência do sensível e
que lhe é atribuído.
Provocação (saber) – (juízo negativo) – status do destinador
do inteligível. Vigilância ao meio com a violência; uma ferramenta para se comunicar
determina o patamar da provocação, impelindo o outro a fazer.
Mundo natural: transposição da
dimensão textual da significação Publicidade, Jornalismo, Conjunto de vínculos com o com outro);
línguas naturais para o mundo
das qualidades sensíveis. Relações Públicas etc. campo de tensões entre o amor Terciária (os corpos envolvidos no
Dimensão econômica – ORDEM DO FAZER – (Troca econômica,
comparação do valor do objeto) Situações: texto/contexto
e o ódio; processo utilizam ferramentas); Para que os atos e
Tentação (poder) – (juízo positivo) – premiação funda a ação.
Agregar e segregar.
É preciso avaliar a A construção das O entendimento de opiniões possam mudar,
Intimidação (poder) – (juízo negativo) – ameaça ou POLÍTICAS PÚBLICAS
castigo funda a ação. Volitivas - querer PRESSÃO POLÍTICA ingenuidade das ações Para persuadir tem de normas subjetivas do dia a o contexto apresentado Os indivíduos só
opiniões pode ser
Deônticas - dever
das pessoas, no sentido entender que as pessoas dia e do comportamento deve considerar o irão se engajar em
induzida de forma
Epistêmicas/cognitivas -
saber/poder Processo de de direcionar suas buscam o equilíbrio percebido permite um controle comportamental comportamentos que
Cooptação do positiva ou negativa, ao
Doxásticas - crer
Máquina dos
tempo livre comunicação cognições de acordo quanto às suas opiniões considerável controle do percebido e sua relação julgarem alcançáveis.
Factitivas/performativas - fazer (teoria crítica) se apresentar conceitos
Aléticas - ser/parecer Funções sociais Se dá numa sociedade de massas na com a soma de ideias já e tomadas de decisões comportamento real. com a intenção do tipo
media qual prevalecem as leis de mercado que permeiam seus
FATO
preconcebidas sobre os cotidianas. de comportamento e
Modalidade é o modo de colocar (oferta e procura). Os efeitos dos meios JORNALÍSTICO interesses.
MÍDIA MÍDIA MÍDIA
em relação sujeito com valores Atribuição de O papel dos mcm foi assuntos.
de comunicação nessa sociedade são
• Interesse público
situação.
para o destinador que opera
essa relação
status quo; superestimado; limitados, o que impediria sua utilização
OPINIÃO
Opinião Pública
• Interesse do público

PÚBLICA

PRIMÁRIA SECUNDÁRIA TERCIÁRIA


Reforço das normas Mais tempo livre das
com fins autoritários – resistência
sociais vigentes; pessoas foi alocado
por parte da OPINIÃO PÚBLICA –
pluralidade de FONTES de informação,
Função narcotizante. nesse consumo; que ajudam a formar a opinião do
O corpo sem aparatos externos O corpo usa ferramentas para amplificar Os corpos envolvidos no processo
público, que toma decisões e pode “Toda comunicação começa na mídia primária, na qual os indivíduos se
suas mensagens no tempo e no espaço comunicativo utilizam ferramentas
interferir nos processos sociais. ESFERA encontram face a face, corporal e imediatamente, e toda comunicação
retorna para lá” Harry Pross Máscaras, pinturas e Importância do tempo Emissor e receptor Possibilita a
PÚBLICA
A instância corpo funda Corpo e cultura: códigos
adereços corporais... lento da escrita utilizam aparatos sincronização da Dissonância
o processo comunicativo
(ponte entre espaços
hipolinguais, linguais e
hiperlinguais (Ivan Bystrina)
Apenas o emissor
(Baitello) para codificação e
decodificação
vida em grandes
cidades cognitiva
necessita de um Imagens bidimensionais:
distintos)
COBERTURA Corpo-bomba, corpo-química, aparato: pinturas representações A eletricidade permite Os ritmos do rádio
REFLEXOS NA JORNALÍSTICA Somos capturados, corpo-máquina (Baitello) rupestres, a escrita, planas produzidas a ampliação da escala e da TV e os ritmos
SOCIEDADE encantados, enfeitiçados
1. Informação
O jogo como raiz da cultura o livro... pelo corpo espacial e temporal... da cidade
• Fenômeno do 2. Opinião pelos apelos sensoriais
agendamento 3. Interpretação do outro (Cyrulnik e (Huizinga)
Vitória simbólica sobre o Um problema: Risco de “violência Risco da cisão entre
Contrera) Corpo tridimensional: altura,
tempo (escrita inaugura transformação do simbólica” quando a o tempo do corpo
Consciência do corpo: largura e profundidade
Agenda Setting, (Public Opinion, de a era virtual) corpo tridimensional mídia utiliza a soma e o tempo das
Walter Lippman, de 1922) é uma inteligência tátil e Corpos que ocupam a avenida
teoria na qual se discute o fato de em imagens do tempo de milhões máquinas (Dietmar
1. ICBC. China. banco; proprioceptiva para protestar (Harry Pross)
2. JPMorgan Chase. Estados Unidos. banco; 3.
China Construction Bank. China. banco;
que é a mídia quem determina quais
assuntos farão parte das conversas dos
bidimensionais de pessoas Kamper)
A dissonância é o modo
4. Agricultural Bank of China;
5. Bank of America. Estados Unidos;
consumidores de notícias.
6. Apple. Estados Unidos. hardware;
7. Ping An Insurance Group. China. seguros;

como as pessoas evocam


8. Bank of China;
9. Royal Dutch Shell. Holanda. petróleo e gás;
10. Wells Fargo. Estados Unidos. banco.
O modelo sustenta que a A resistência da
as cognições, ou seja,
https://bit.ly/3doDUCA

persuasão é uma reflexão cognição à mudança


suas percepções, atitudes
A estrutura de das pessoas acerca de é influenciada
Os efeitos proposicionais, tais
dependem do controle varia com 1. Petrobras. petróleo e gás;
2. Itaú Unibanco;
E quais são os conflitos respostas cognitivas como crenças, desejos,
pela aquisição:
mais comuns que a
3. Vale. mineração;

Estrutura de predominância das geradas sobre o conteúdo percepção, raciocínio,


4. Oi. telecomunicações;

sistema de
5. Bradesco;
6. Eletrobras. setor elétrico;
7. Banco do Brasil;
intenções, sentimentos
grandes empresas comunicação enfrenta?
8. Santander Brasil;

das mensagens. comunicação.


9. Ambev;

propriedade e propriedade e emoções constituintes,


10. Itaúsa.

e que muda de
PERSPECTIVAS
controle (grandes bem como compromissos
e de operação país para país e o Conclusão
empresas, regime 1. quando emissor ou receptor se nega a sociais.
mundo de forma dialogar;
autoritário). Resgate da importância A relação entre
Toda mudança tecnológica radical A complementaridade
global dos vínculos a partir a hipertrofia dos implica em uma mudança nos entre as mídias
e a referência de
2. disputa de poder e interesses entre
sistemas de mediação modos de produção e de emissor e receptor;
do corpo como mídia todas as mídias ao
mais complexos
primária e a atrofia dos consumo, ou seja, cria-se uma corpo possibilitam a
emergência de novas
3. interpretação da mensagem pelo
sistemas primários revolução. A prática ecologista
(Baitello) perspectivas no estudo receptor muito diferente de como foi
Os corpos estão antes e
Desafio: quanto mais se contrapõe claramente ao das Teorias dos Media pensada pelo emissor;
depois das máquinas
visibilidade, tanto modo atual de produção, tão
4. choque cultural, de repertório, entre Conhecer as atitudes Propor que as pessoas Com base em ganchos Saber se uma pessoa
mais invisibilidade Teoria da comunicação:
O corpo implica (Kamper)
depredador tanto para a matéria
passagem do modelo emissor e receptor;
de uma pessoa façam avaliações ou de raciocínio, as pessoas é envolvida pelo ego
território da
Juízo social
Ecologia da quanto para o espírito. Surge telegráfico para o
comunicação (Vicente 5. contexto desfavorável para o emissor, o julgamentos sobre têm de ser levadas permite fazer previsões
proximidade e da
Romano)
assim a consciência de que “a modelo orquestral (ou
contribui com os
sensorialidade Um novo medium não revolução social moderna sugere
partida de futebol) receptor ou para ambos; o conteúdo das a pensar e tomar sobre ela.
que permitem substitui o medium 6. ausência de empatia entre ambos; esforços persuasivos.
Os MCM são “enfeitiçamentos” anterior, mas a
pontos de vista ecologistas”. O corpo como texto mensagens. decisões.
Reforça o dever de aceitar; sustentados pelos mútuos (Contrera)
incorpora a lei da
cultural capaz de
comunicar
7. percepção de manipulação da mensagem;
Teoria Hipodérmica. Teoria da Persuasão
cumulatividade
interesses das empresas 8. uso de meios de comunicação pouco
é baseada em aspectos psicológicos,
defende que a mensagem enviada pela
mídia não é assimilada imediatamente pelo Não levantam questões
indivíduo, dependendo de várias perspectivas
sociais essenciais; As intervenções técnicas do Eu me religo, logo sou
que se engrenam no favoráveis ao diálogo;
individuais. Teoria Empírica de Campo,

Conformismo
embora baseada na Teoria da Persuasão,
fundamenta-se em aspectos sociológicos,
ser humano não se limitam à (Michel Serres)
Conformismo e não 9. falta de transparência das intenções da
deduz que a mídia tem influência
limitada na sociedade.
sistema econômico e
apreciação crítica da social social e por sua vez
biosfera, afetam a sociosfera
comunicação.
sociedade; e o âmbito da comunicação,

Não contar com os MCM


contribuem para a o meio social humano
para mudanças sociais. manutenção desse
sistema.

Bases Apelo do
experienciais medo

Indústria Cultural movimenta


uma Terceira Cultura. Gosto estético e
A indústria cultural encontrou no
kitsch o meio mais eficiente de Escola de Rosenberg sugere quatro Se as guerras [a
violência e os
Os autores acreditam passos para alcançar uma
introjetar seu produto na sociedade
intelectual corrompidos
Frankfurt
MCM sistema de símbolos, valores, cada vez mais preguiçosa, mas não
mitos, imagens. Vida cotidiana.
pelo fluxo trivial da haver uma queda no menos exigente de experiências e conflitos] nascem na Intenciona-se que a
comunicação não-violenta:
Imaginário coletivo. Relações sensações. Esse kitsch do século
multiculturais dependentes da cultura imprensa; padrão estético e no
nacional, religiosa, humanista. Poder Impacto sobre o 18 se instala definitivamente
mente dos homens, Os julgamentos são eficácia da resposta
industrial mundial. Mãe-Pátria
Cultura – público gosto popular. Isso
no século 21, hoje oferece uma
Experiências estratégicas Ameaças altas em
Pai-Estado. Mítico-vividas. gosto popular decorre do aumento
nova estratégia que se constitui
valendo-se de obras consagradas é na mente dos mediados pelas de processamento geram e a informação de O apelo do medo
contraponto com
Segunda industrialização processada
e sincretizada nas imagens
alfabetizado e não
culturalmente refinado; das audiências
como clássicos da cultura universal,
da literatura universal neste caso, e
1. observar sem julgar homens que devem sensações ou sentimentos e sensações, autoeficácia persuadam funciona se empurra o
e nos sonhos. rompendo sua particularidade, para eficácia argumentativa
historicamente. ser erguidas as sentimentos indivíduo para o controle
Segunda colonização se processa Compreensão superficial. devolver naquele sucedâneo um
produto industrial, absolutamente 2. identificar sentimentos tais como de familiaridade, o indivíduo, de modo
de perigo e falha se
também alta, tende
em sentido horizontal na
simplificado, e por consequência,
defesas da paz desencadeados pelo que se aumentadas ou que seus resultados
conquista de territórios na vertical. a levar as pessoas a
3. assumir responsabilidades
esterilizado.
próprio ato de se reduzidas podem determinar a sejam evitados e as empurra a pessoa no
Tratado da Unesco influência no julgamento dos considerar mudanças
envolver com os seus ações recomendadas controle do medo.
de atitudes.
Monopolização: pouca ou
O primeiro problema em usar o termo
4. fazer pedidos Década Internacional para a
Cultura de Paz 2001-2010 processamentos.
conteúdos.
acatadas.
nenhuma oposição aos
meios de comunicação
de massa na difusão
“marxismo heterodoxo” é o significado dos
termos ortodoxo e heterodoxo. Essas duas
Principais autores
Theodor Adorno, Max
Dialética do
de valores, políticos ou
imagens públicas. Exemplo:
palavras possuem origem religiosa. O termo Horkheimer, Walter Benjamin, Esclarecimento
monopolização usada para ortodoxo vem da união de duas palavras de
Herbert Marcuse e
controlar o povo. origem grega, orthos + doxa. Orthos significa
Jürgens Habermas. Crítica à ideia de que a razão
Escola latioamericana “direito”, “reto”, “justo”, “correto”, “exato”.
Doxa, por sua vez, significava, originalmente, Método: marxismo libertaria a humanidade, de
Os autores se questionam “[...] a persuasão de massa Martín-Barbero distingue o cenário entre emissores e
“crença” ou “opinião” ou, ainda, “crença heterodoxo; dialética que a evolução tecnológica
sobre quais as formas mais “MCM provam ser mais incluía contatos diretos
receptores num percurso da pesquisa e suas ligações com
hegeliana
Três condições são os estudos culturais do consumo. Abordando o paradigma popular” e “opinião comum”, tal como Platão elevaria a sociedade a um estágio
efetivas de a propaganda eficazes quando utilizados nas organizações locais
de gratificação que, invarialmente, tem levado muitos
utilizou o termo. A palavra “doxa” ganhou Objeto de estudo
necessárias para a
estudos a desconsiderarem a perspectiva de significação
Canalização: de numa situação de virtual e a se concentrarem apenas numa recepção vazia
mensagem na comunicação
superior. A racionalidade técnica
padrões ou atitudes propaganda com objetivos resultar em ação social. como reforço do que os (Boaventura e Martino, 2010). novo significado posteriormente (alguns
submeteu a sociedade capitalista Iluminismo Os detalhes
de comportamento
sociais: Eles enumeram três Propaganda com ‘monopólio psicológico’ mass media transmitiam. A Orozco Gomez (2000), centrou sua linha de pensamento indicam que isso já estaria presente na Bíblia de massa É preciso avaliar três
apresentados na
nos estudos da recepção e da alfabetização audiovisual,
persistentes. Raramente
ou quando o objetivo é resposta individual ao que criou o termo “televidência” para constituir uma hebraica pré-cristã, apesar da veracidade de sua Contexto: Alemanha à dominação econômica. Tem de se criar
procura incutir novas
Monopolização; pontos: 1) monopolização; objetivos sociais
interação com outros referentes entre telespectadores.
existência ser contestada por outros), passando (anos 1923/30), EUA (anos
Livrar o mundo do feitiço, fatores básicos para M M M
os canais de comunicação mensagem conectam
Os destinatários, na condição de componentes de uma
atitudes ou criar
2) canalização em vez muito mais canalizar do eu determinada audiência, possuem características pessoais a significar “glória” e teria reaparecido na
1940), Alemanha (anos
dissolver mitos, anular a mensagens persuasivas
novos padrões de
Canalização; modificar as atitudes básicas apresentavam mostrou que marcadas por um certo contrato de vidência, permitindo
tradução grega do “Novo Testamento”. imaginação pelo saber. O persuasão: motivação,
claramente esses
comportamento. ao receptor uma interação com outros membros da mesma
de mudança de valores 1950 e 1960) capazes de gerar
a propaganda não se torna audiência ao criar uma comunidade compartilhada que

Suplementação. sociais; 3) contatos face a ou então quando operam em


eficaz pelo simples fato de
se apropria e interpreta os referentes dos programas
https://bit.ly/33ThxSS
entendimento que vence a oportunidade e
recursos com o
televisivos (Boaventura e Martino, 2010).

combinação com contatos superstição (crendice popular que aceitação ou rejeição.


capacidade.
Para Canclini (1997), o público é compreendido
face suplementares. sua exposição” num conjunto de áreas pertencentes a diferentes
não possui explicação científica).
diretos” setores, tanto econômicos, políticos como educativos,
com dinâmicas distintas nos hábitos de consumo
O desenfeitiçamento do mundo é
produto do discurso.
de produtos culturais.

a erradicação do animismo (todas


Suplementação: os meios
de comunicação de massa as coisas possuem um espírito que
provam ser muito mais
Indústria os conecta uns aos outros).
eficazes trabalhando em
Dialético é uma palavra grega Iluminismo A elaboração das pessoas Tipos
conjunto com centros
Cultural
locais de contatos
organizados e diretos.
que significa “arte do diálogo,
de convencer, de persuadir ou
Combate aos conceitos universais durante o processamento
alternativos Probabilidade
de verdade. O que não se ajusta
raciocinar”. Em suma, é um debate Produção em série de produtos
às medidas da calculabilidade e
da mensagem pode
de elaboração de elaboração
Disfunção de ideias diferentes, chegando a uma culturais - deterioração dos
Antropomorfismo é um conceito

consistir de dois tipos.


filosófico que está associado
conclusão a partir desses pensamentos da utilidade é suspeito para o as formas humanas em que

padrões culturais - mercadoria são atribuídas características

narcotizante diversos que tornam-se um novo


conceito que pode ser contrariado (perda da manifestação
iluminismo. Figuras míticas se
reduzem ao sujeito. O ideal é o
físicas, sentimentos, emoções,
pensamentos, ações ou
comportamentos humanos
aos objetos inanimados ou
novamente.
“O vasto fluxo de
artística). Os produtos são sistema. O iluminismo reconhece
seres irracionais.
Os persuasores
carregados de ideologia – o homem na medida em que em Para uma probabilidade
comunicações suscita
que os pode manipular.
devem apresentar
apenas uma preocupação conformismo. As semelhanças podem de elaboração alta,
superficial com os argumentos fortes e
ajudar a categorizar ou na presença de forte
problemas sociais, e baseados em dados
essa superficialidade conectar conceitos ou motivação, oportunidade
frequentemente encapa a
factuais para atingir a
partes da informação. e capacidade, o receptor
apatia da massa”. rota central ou
precisa focalizar nos
periférica das
argumentos primários da
mensagens enviadas.
mensagem.
Mundo da Mundo da
Modelos formalista e funcionalista
Cultura: mundo Cultura e Civilização:
Funcionalista é a verificação do modo como os usuários da
língua se comunicam eficientemente
das ideias e dos Indústria mundo da
A primeira delas é a noção de campo do discurso (o que está
acontecendo), e remete à natureza da ação social. O campo relaciona- sentimentos Cultural reprodução As pessoas,
se diretamente com a metafunção experiencial na semântica. A
segunda seria relações do discurso (quem está participando), e
elevados; material. Reprodutibilidade Efeitos de mediante três
refere-se aos participantes enquanto seres que assumem status e
papéis sociais muito bem definidos. As relações estão relacionadas
diretamente com a metafunção interpessoal na semântica. E o terceiro
técnica da obra correção de condições, tendem
a corrigir seus
seria o modo do discurso (qual a forma que a linguagem toma), ou
como a linguagem está sendo configurada em função da situação;
ou seja, qual seria sua organização simbólica, seu status, sua função
de arte leva à atitude
julgamentos.
massificação do
no contexto, incluindo o canal, a forma retórica (ex: persuasão,
exposição, didática, dentre outros). O modo é relacionado diretamente
A linguagem serve, com a metafunção textual na semântica.
em primeiro lugar, à
expressão do conteúdo, consumo dos bens
tem uma função
“ideacional” que Enfase à dimensão artísticos;
comumente se denomina Maior parte da Valor de culto da
significado cognitivo.
A gramática funcional considera a competência comunicativa,
a capacidade que os indivíduos têm não apenas de codificar e
O que o trabalho
subjetiva, à interioridade Do burguês para
decodificar expressões, mas de usar e interpretar expressões de uma
população estava dos sentimentos, aos arte não desaparece
A linguagem serve para a
função “interpessoal”, o
maneira interacionalmente satisfatória.

excluída tanto dos abnegava, a cultura massa = perdeu a Primeiro, o destinatário da


mensagem deve se tornar Segundo, a pessoa
falante usa a linguagem
O funcionalismo, no qual a função das formas linguísticas parece
valores espirituais para antes da tecnificação Terceiro, o destinatário
como um meio de
desempenhar um papel predominante, e o formalismo, no qual
a análise da forma linguística parece ser primária, enquanto os
bens materiais quanto oferecia se não no
do mundo; do feudal
aura; tecnificação consciente que os dados deve ser capaz de
da mensagem deve
participar do evento de interesses funcionais são apenas secundários. se contentarem com contextuais podem ter
identificar a “teoria da
fala: ele expressa seu
do acesso ao consumo presente pelo menos crescente do influenciar seus pontos de vista possuir e estar disposto
julgamento pessoal e
O movimento do sistema ao texto envolve dois momentos: num
promessas ou expectativas para o burguês = sobre a mensagem persuasiva ingenuinidade”, que
suas atitudes.
primeiro passo, há uma seleção dentre o conjunto de traços, e
de bens culturais; no futuro. a gastar os recursos
A função “textual”, que
uma forma canônica possível é selecionada para o sintagma em
questão; num segundo passo, o processo se realiza, isto é, os traços sem reivindicá-las às continua a aura; mundo; de forma inadequada, o que
às vezes ocorre porque as
pode explicar como, e
cognitivos requeridos
paradigmáticos se convertem numa forma sintagmática concreta.
em que medida os dados
diz respeito à criação
condições materiais; Consequências características salientes de um para se envolver em um
do texto; por ela, a julgamento da tarefa ou do de polarização poderiam
linguagem contextualiza
as unidades linguísticas,
negativas no contexto de comunicação levam ter esse efeito.
processo de correção.
fazendo-as operar
no contexto e na situação.
processo de a influenciar a mente.
m
desauratização
Cultura e Benjamin concordava da arte (quando a
que com a perda da aura arte deixa de ser:
cibercultura única, autêntica e
Benjamin via se destruía a unicidade e
distante); Paradigma
consequências a singularidade da obra
de arte, mas ao perder narrativo
positivas nesse
processo; seu valor de culto seu
valor de exposição se
O termo Cibercultura especifica
Ciberespaço Cibercultura um conjunto de técnicas, intensificaria;
materiais e intelectuais, de
Ciberespaço é um espaço de A internet é o principal ambiente
práticas, de atitudes, de
comunicação que descarta a do ciberespaço devido à natureza
modos de pensamento e de
necessidade do homem físico para do hipertexto, mas o ciberespaço
valores que se desenvolvem
Para ser persuasuva
construir a comunicação como fonte também acontece na relação do
juntamente com o crescimento Enfatizar a eficácia É preciso apresentar a mensagem não
de relacionamento, dando ênfase ao homem com outras tecnologias:
celular, pagers, comunicação entre
do ciberespaço, resumindo as da influência através bons motivos para precisa ser estritamente
ato da imaginação necessária para a progressivas transformações a
criação de uma imagem anônima rádio-amadores e serviços do tipo
que a sociedade digitalmente do poder exclusivo da que as pessoas se racional, mas sim ser
“tele-amigos” etc.
incluída assiste narrativa. envolvam em uma ação direcionada por uma
ou crença. boa narrativa.
Para Benjamin, a
A obra de arte ganha
desauratização não Entre os frankfurtianos
outra qualidade: torna-se
Sociabilidade
Mutação desvirtua a obra de arte há momentos de
Desterritorializada acessível a todos, seu
A evolução tem como base as novas
(cartaz, disco etc.); ela convergências,
consumo generaliza-se,
tecnologias intelectuais, que originaram A cibercultura expressa uma O compositor norte-americano Eric
alterações no imaginário do homem, na
forma como as pessoas se relacionam
mutação fundamental da
própria essência da cultura.
Whitecre reuniu pessoas de 12 países
apenas abandona os mas também de
entre si e com a própria tecnologia
Como não prescinde na
num coro virtual para cantar Lux
Aurumque. O resultado traduz-se em torna-se possível. Outro
Novos espaços e meios de
inteligência nem do esforço 185 vozes misturadas. Cada pessoa gabinetes e salões para divergências;
sociabilidade
individual, é a chave da gravou sue vídeo apenas assistindo as valor: o de consumo; Correspondência
Reinvenção/apropriação dos
códigos convencionais
cultura do futuro, uma vez instruções do compositor no YouTube ser divulgada e apreciada Construtivismo representou de recursos
que é o conceito universal um movimento de vanguarda
Pontos principais: participação e
criação coletiva
sem totalidade por todos; artística (artes plásticas, escultura,
arquitetura, cenografia, dança,
fotografia, design) que surgiu no
início do século XX na capital russa,
Moscovo. Durou até meados da
década de 1920 e influenciou o
Universal Ferramentas Wiki movimento artístico da Bauhaus. Alocar um nível de
A persuasão é Quanto mais recursos recursos que atenda,
É universal porque promove
uma função de cognitivos puderem ser
a interconexão generalizada
Textos publicados na web que podem
Caráter ambíguo: A obra de arte desauratizada mas não chegue a
que forma a grande rede,
ser modificados por qualquer usuário,
via browser, sem a necessidade Atribuem à cultura em Diagnóstico e comensalidade entre comparados com os exceder a um nível Processo
mas cada nó é fonte cultura é depositária era o fim da dialética e o o suprimento e a níveis de cognição do
duplo
de autorização prévia, aliados a
requerido para
de heterogeneidade e um sistema que registra todas as geral e à obra de arte
das experiências Dimensão Benjamin acredita na julgamento demanda de recursos indivíduo, melhores são
Copyleft
diversidade de assuntos,
abordagens e discussões em
alterações e as exibe, de forma
transparente, tornando a construção dupla função: representar congelamento do processo cognitivos.
apreensão, ajuda a
do conhecimento mais fluída
passadas de repressão conservadora e possibilidade da politização os resultados de cunho produzir julgamentos
É uma forma de usar a legislação de
permanente renovação
e consolidar a ordem histórico. A obra de arte com persuasivos. favoráveis.
proteção dos direitos autorais com o
e das expectativas emancipatória da das massas por meio da
objetivos de retirar barreiras à utilização,
existente e ao mesmo aura preservava a consciência
cultura e da obra de
difusão e modificação de uma obra criativa
devido à aplicação clássica das normas de
propriedade intelectual tempo a de criticá-la,
de melhoria, de de que a realidade poderia ser obra de arte desauratizada,
Funciona como um termo adicional a uma
licença. Por exemplo, uma licença livre visa
denunciá-la como aperfeiçoamento: ela arte encontram-se de melhor. Sua dissolução coincide no entanto, com certo
garantir a quem receba uma cópia da obra
licenciada as seguintes liberdades: Open Source Linux - sistema operacional
critica o presente e mãos dadas; ceticismo.
Caracteriza-se pela Entre essas duas rotas, o que
Para usar, copiar, estudar,
(várias distribuições);
imperfeita e contraditória com a unidimensionalização do Os julgamentos tendem
Aos persuasores vale existência de uma rota medeia à persuasão, são os
remete a expectativas a ser manipulados pelas
compartilhar, modificar e
Qualquer licença de software livre Open Office - pacote de sistemática ou central fatores que influenciam os
distribuir o trabalho

é também uma licença de código softwares para escritório; (cinema). mundo, com o contentamento informações que são
ressaltar que os dados
para a persuasão, assim recursos cognitivos para o
que são percebidos ou são
aberto (open source), a diferença Mozilla Firefox - navegador do futuro. relativamente acessíveis e, como também uma rota processamento elaborativo de
entre as duas nomenclaturas está para web; com o presente. portanto, vêm para mente
relevantes, por serem os que
provavelmente afetam os heurística ou periférica. uma mensagem.
essencialmente na apresentação
Wordpress - plataforma prontamente no momento julgamentos, devem estar
Software livre: discurso baseado
para blogs;
Creative commons em questrões éticas da formação desses bem claros para serem bem
Código aberto: puramente
Organização voltada a expandir a técnico, evitando
Magento - plataforma para julgamentos. assimilados.
quantidade de obras criativas disponíveis propositamente as e-commerce
por meio de suas licenças que permitem questões éticas
a cópia e compartilhamento com menos
restrições que o tradicional todos
direitos reservados Marcuse defende a Habermas: crítica a
As licenças CC foram idealizadas para Heurística é a arte de
Resultados permitir a padronização de declarações preservação da obra de
no licenciamento e na distribuição de
TRADICIONAL: Adorno, Horkheimer descobrir e inventar,
Colaboração
conteúdos culturais como textos, músicas,
arte com sua aura como uma característica típica
e Marcuse pelo fato
imagens, filmes etc.
Engajamento ver na obra de única forma de impedir
dos seres humanos,
principalmente quando
Capital Social
arte somente sua unidimensionalização,
de terem uma posição estes estão em busca de
Reconhecimento
uma promessa de ou seja, sua cooptação tradicional, limitada e respostas para questões
complexas.

Mídias sociais felicidade; pelo sistema capitalista de idealista em relação à obra Contrato fiduciário

Semântico
Mídia social é uma estrutura social
composta por pessoas ou organizações, produção. de arte e à cultura: (dimensão cognitiva
de troca de valores) e A nven ão
conectadas por um ou vários tipos
do o d ano
Tecnossociabilidade
contrato de veridicção
de relações, que partilham valores e
(o dizer-verdadeiro do
Construção sociocultural posto
objetivos comuns
discurso)
em movimento pelas novas
Uma das características M
tecnologias
fundamentais na definição
das redes é a sua abertura
Biossociabilidade e porosidade, possibilitando
relacionamentos horizontais
LIMITADA: por se
basearem em um
Nova ordem de produção de vida, da e não hierárquicos entre os
natureza e do corpo, acionada pelas participantes
intervenções tecnológicas
conceito burguês de
Cibernação
Conformismo arte, no qual fenômenos A teses sociológica de que Os talentos pertencem
a perda de apoio na religião à indústria muito antes
Criar uma sociedade em que o
exercício do poder, entregue a
social artísticos como o jazz, objetiva, a dissolução que esta os apresente;
o surrealismo, o filme dos últimos resíduos pré- ou não se adaptariam
n odu o
mecanismos de retroalimentação
democráticos, de controle racional, capitalistas, a diferenciação tão prontamente. A
eventualmente autorreguláveis, contemporâneo não técnica e social e a extrema constituição do público,
evitaria o surgimento de suas formas
violentas e tirânicas têm lugar; especialização deram que teoricamente e de
lugar a um caos cultural é fato favorece o sistema
cotidianamente desmentida da indústria cultural, faz
pelos fatos. parte do sistema e não o
IDEALISTA: por não desculpa.
admitirem a alteração M
interna da estrutura
e função da arte e
Ideia de conceber
cultura que acompanha
uma “esquerda“ que Crítica à esquerda
Nova esquerda o desenvolvimento do
pudesse substituir a já tradicional por não A cultura contemporânea
alemã Principais capitalismo tardio
a tudo confere um ar de
A dependência da mais
superada; (como a ideia ter desenvolvido uma poderosa sociedade
Enzesberger ideias semelhança. Filmes, rádio
radiofônica em relação à
de superação da dialética teoria marxista dos e semanários constituem
indústria elétrica, ou a do
um sistema. Cada setor se
pelos frankfurtianos) MCM harmoniza em si e todos
cinema aos bancos, define
a esfera toda, cujos setores
entre si. A verdadede que
singulares são ainda, por
nada são além de negócios
sua vez, co-interessados
lhes serve de ideologia. Esta
eeconomicamente
deverá legitimar o lixo que
interdependentes.
produzem de propósito.

Revolução Industrial
Os MCM podem ser utilizados Capitalismo Liberal
para o engajamento social, Sociedade de Consumo e
Indústria Cultural,
especialmente, a cobertura Economia de Mercado Os animais também produzem. Eles
MCM, jornalística sobre os Era da Eletricidade e Era constroem ninhos e habitações como no
caso dos pássaros e castores, formigas
Cultura de Massa novos movimentos sociais da Eletrônica - aumento do etc. Porém, só produzem o estritamente o Uma cultura
(movimento ambientalistas, poder de penetração dos indispensável a si mesmo ou aos filhotes.
Só produzem em uma única direção.
muito
feministas, contra-cultura meios de comunicação O homem produz universalmente. O ordinária
etc..) animal só produz sob a compulsão de
2 3
necessidade física direta. O homem só
produz quando livre da necessidade.
1

A cultura, feita
Surgem como Média: valores de Massa: não se
industrialmente, Superior: produtos
consequências da pequeno-burgueses trata nem de uma Um lugar Fazer com:
passa a ser vista como Três formas de adorados pela crítica comum Culturas
m m
Industrialização. - Mozart em ritmo de cultura, nem de populares usos e
produto trocável por manifestação erudita - pinturas A linguagem
Reificação discoteca, pinturas de táticas
dinheiro e que deve do Renascimento, massa, produtos ordinária

(transformação em cultural p.57 p.71 p.86


ser consumido como paisagens vendidas como telenovelas, Nos locais de
composições de trabalho se vão
coisa) - tudo, inclusive em praça pública por exemplo
difundindo as
se consome qualquer Beethoven O homem ordinário
No que dizia técnicas culturais
o homem aparece com as
respeito à relação
efetiva das forças, o
que camuflam

outra coisa insígnias de uma Cada um e Uma “arte” discurso de lucidez


trapaceava com as
a repro

desventura geral
que ele transmuda
Ninguém brasileira palavras falsificadas p.86
em derrisão
e também com a m
proibição de dizer

Promover o
Procurando a diversão, A cultura de massa conformismo social - os
Cultura a indústria cultural aliena, forçando o produtos da indústria Freud e o
Industrializada estaria mascarando indivíduo a perder cultural praticam o homem p.87
realidades intoleráveis e ou a não formar uma reforço das normas ordinário
- Narcotizante -
fornecendo ocasiões de imagem de si mesmo sociais, repetidos até
hedonismo Enigma do
consumidor-esfinge.
fuga da realidade diante da sociedade a exaustão e sem O uso ou o Suas fabricações
se disseminam na
discussão consumo rede da produção
televisiva, urbanística
Enunciação e comercial

Conclusão proverbial

Revisitamos um paradigma voltado para IC fabrica


julgar um fenômeno sem decifrar seu produtos cuja Aspectos Aspectos
significado finalidade é a de
A argumentação traduz uma escolha negativos positivos
serem trocados O perito e
maniqueísta - política, cultural, estética e
por moeda o filósofo m
moral - frente a um fato social
Acusação
Estratégia e
São generalistas; limitados aos táticas
“médios gostos”; constroem a p.187
Lógicas; jogos,
homonogeneidade contos e artes 1. Criar um teatro de ações.
Simplifica ao Não aliena à medida de fazer O relato tem inicialmente uma
Narcotização da consciência; os MCM Promove a função de autorização ou, mais
máximo seus que suas produções exatamente, de fundação. É a
descaracterizam, retiram, destroem a deturpação e a base mística, no mundo invisível,
produtos, de modo acabam por beneficiar sem a qual todas as condutas
ordenadas ou autorizadas pelo
consciência dos grupos sociais degradação do a obter uma atitude o desenvolvimento do direito humano e de todos os

Defesa Cultura superior e cultura inferior para gosto popular sempre passiva do homem - crianças - Operações sobre os lugares,
os relatos exercem o papel
As “operações de
demarcação”, contratos Entre as questões assim
comportamentos humanos,
incertos, perigosos, fatais

narrativos e compilações de suscitadas, devem-se


consumidor linguagem - TV cotidiano de uma instância
uma ideia datada, engessada móvel e magisterial em
relatos, são compostas com distinguir aquelas que p.192
fragmentos tirados de histórias
Inevitabilidade dos mídia no mundo matéria de demarcação. Os anteriores e “bricolados” num
dizem respeito à dimensão
magistrados “se ransportavam (extensionalidade),
moderno e sua produção é simbólica Visão de cultura como sistema simbólico aos locais” a fim de “ouvir”,
todo único. Neste sentido,
orientação
esclarecem a formação dos
e constante que tende para a Retórica das
a propósito de fronteiras mitos, como têm também (vetorialidade), afinidade
“litigiosas”, as falas (homografias) etc.
universalidade. A IC é a possibilidade A distribuição de “emoções prontas” ou Fixou para si práticas, contraditórias das partes
a função de fundar e 2. Fronteiras e pontes. Os
articular espaços relatos são animados por
enlatadas sem peso social e político como tarefa O modelo de astúcias
real de tudo e todos para se milenares p.191
uma contradição que neles

Desempenha as mesmas Acúmulo de ser o cientista


Wittgenstein
representa a relação entre

comunicarem Assume uma atitude da atividade Uma a fronteira e a ponte, entre

paternalista, dirigindo funções de um Estado informação acaba significante da linguagem


prática de
um espaço (legítimo) e sua
exterioridade (estranha). A
Os MCM não existem fora do mercado por transformar-se na linguagem ordinária região vem a ser o espaço
o consumidor ao invés Fascista - base do comum
dissimulação: criado por uma interação

Os integrados afirmam que a crítica à capitalista porque a economia é baseada de colocar-se à sua totalitarismo moderno em formação (a a “sucata”
ID passa por uma definição arbitrária do no consumo disposição - alienação - o homem quantidade provoca Onde o mapa demarca, o Se o delinquente só existe
Nas narrações organizadoras deslocando-se, se tem por
é um mero produto alteração na relato faz uma travessia. O especificidade viver não à margem,
que deve ser genuinamente o humano Doses homeopáticas da alta cultura do sistema
relato é diégese para designar de espaços, as demarcações mas nos interstícios dos códigos
qualidade) a narração: instaura uma parecem desempenhar o papel que desmancha e desloca, se ele
caminhada (guia) e passa dos xoana gregos, astuciosas se caracteriza pelo privilégio do
deslocada, destilada e enfraquecida através (transgride). O espaço de como ele, elas não punham percurso sobre o estado, o relato
Integrados dizem que a quantidade limites a não ser se (e os) é delinquente. A opacidade do
Julgamento operações que ele pisa é feito
deslocando. Esses indicadores corpo em movimento, gesticulando,
de informações resulta num salto para Nivelamento dos produtos culturais de movimentos: é topológico,
relativo às deformações de apontavam em caracteres
andando, gozando, é que organiza
indefinidamente um aqui em relação
figuras, e não tópico, definidor retos as curvaturas e os
a qualidade
Filtragem
a um alhures, uma familiaridade em
A distribuição de “emoções prontas” RÉU - Indústria Cultural de lugares movimentos do espaço confronto com a estranheza
É o primeiro processo
ou enlatadas sem peso social e político ACUSADORES - Apocalípticos democratizador
Não responsabilizar os mídia pela Crítica: a sustentação dos argumentos está da cultura, ao
introdução da dimensão circense da no reacionalismo político e na inadimplência Nivelamento dos produtos culturais, ADVOGADOS - Integrados Paradigma do tribunal colocá-la ao alcance
vida social, não inventaram nem a cultural do novo fenômeno que existia
aproximação do belo e grotesco Apocalípticos e Integrados da massa - sendo,
distração gratuita e o prazer negativo portanto, instrumento
Defensores: produtores comprometidos com
Crítica política e moral privilegiado de
o sisvtema da mídia e sem comprometimento O processo de alienação é um desdobramento Caráter de sistema
combate da mesma
Os processos de homogenização podem pessoal, ideológica ou profissionalmente com obrigatório condensado e nivelado nos alienação
significar integração e consciência a Indústria Cultural produtos da cultura superior Representações sociais Maneiras de falar
usuais não têm
equivalências nos
Nova qualidade discursos filosóficos A historicidade
Simplificação produtiva é resultado e não são traduzíveis