Você está na página 1de 40

Apostila com 50 questões resolvidas de

Matemática
1. A Prefeitura de Caruaru promoveu, em comemoração aos 152 anos da cidade, uma festa
dançante oferecida ao povo. Ao longo da festa, o Secretário de Cultura observou que o número
de pessoas, que dançavam, era igual a 25% do número de pessoas, que não dançavam. Logo
quis saber qual era a porcentagem do total de pessoas na festa que não dançavam.
Foi então que o Prefeito, que também observava, falou: Secretário, a porcentagem é
exatamente igual a:

a) 50%.
b) 60%.
c) 75%.
d) 80%.
e) 85%.

Resolução:

Seja D o número de pessoas que dançaram e N o número de pessoas que não dançaram.
Se juntarmos todas as pessoas dançantes com todas as pessoas que não dançaram teremos o
total de pessoas da festa, e isso equivale a 100% das pessoas. Portanto:
D + N = 100%

“O número de pessoas que dançavam era igual a 25% do número de pessoas que não
dançavam”.

D = 25% de N

Substituindo na primeira equação, temos:

25% de N + N = 100%

125% de N = 100%

N = 100/125
N = 80%

Ou seja, 80% do número TOTAL de pessoas da festa não dançaram.


A prova real disso é que 25 % de 80% = 20% (que foi um dado do exercício).
(alternativa D)

2. Quatro amigos, Paulo, João, Fábio e Caio, nasceram em anos distintos, a saber 1970, 1977,
1981 ou 1990, não necessariamente nessa ordem. Cada um exerce, também não
necessariamente nessa ordem, uma das profissões entre arquiteto, fotógrafo, engenheiro e
advogado. Sabe-se que Paulo não nasceu em 1970, que o arquiteto nasceu antes de Caio e
antes do fotógrafo João, que Fábio nasceu antes do advogado, que o advogado não nasceu
em 1977 e que o engenheiro, que não é Caio, nasceu em 1981. Sendo assim, é correto afirmar
que

a) Fábio é advogado.
b) Paulo nasceu antes de Caio.
c) Caio é arquiteto.
d) João nasceu antes de Fábio.
e) o engenheiro nasceu antes do fotógrafo
Resolução:

Existem 4 pessoas, 4 anos de nascimento e 4 profissões. Vamos montar uma tabelinha,


associando os nomes com os anos de nascimento e as profissões. Se aparecer um X é sinal
de que não é pertencente àquele nome. Se aparecer um V, é sinal de que já pertence àquela
pessoa:

1970 1977 1981 1990 Arquit. Fotog. Engen. Advog.


Paulo
João
Fábio
Caio

“Paulo não nasceu em 1970”

1970 1977 1981 1990 Arquit. Fotog. Engen. Advog.


Paulo X
João
Fábio
Caio

“o arquiteto nasceu antes de Caio e antes do fotógrafo João”

Se o arquiteto nasceu antes do Caio, significa que Caio não pode ser o mais novo, se não
ninguém nasceria antes dele. Logo, Caio não nasceu em 1970. O mesmo vale para João
Se o arquiteto nasceu antes do Caio e antes do João, sinal de que Caio e João não são o
arquiteto.
Se o arquiteto nasceu antes de alguém, ele não pode ser de 1990.

1970 1977 1981 1990 Arquit. Fotog. Engen. Advog.


Paulo X
João X X
Fábio
Caio X X

Com isso, já temos a conclusão de que Fábio nasceu em 1970.

1970 1977 1981 1990 Arquit. Fotog. Engen. Advog.


Paulo X
João X X
Fábio V X X X
Caio X X

“antes do fotógrafo João”


Já sabemos que João é fotógrafo. Se João é o fotógrafo, ele não é nem arquiteto, nem
engenheiro e nem advogado, assim como Paulo, Caio e Fábio não são fotógrafo.

1970 1977 1981 1990 Arquit. Fotog. Engen. Advog.


Paulo X X
João X X V X X
Fábio V X X X X
Caio X X X

“que Fábio nasceu antes do advogado”


Logo, Fábio não é advogado. Como alguém nasceu antes do advogado, o advogado não pode
ser o mais novo, ou seja, não pode ser de 1970.
1970 1977 1981 1990 Arquit. Fotog. Engen. Advog.
Paulo X X
João X X V X X
Fábio V X X X X X
Caio X X X

“que o engenheiro, que não é Caio, nasceu em 1981”


Caio não é engenheiro.

1970 1977 1981 1990 Arquit. Fotog. Engen. Advog.


Paulo X X
João X X V X X
Fábio V X X X X X
Caio X X X X

Podemos concluir que Caio é o advogado. Logo, Paulo não pode ser advogado.

1970 1977 1981 1990 Arquit. Fotog. Engen. Advog.


Paulo X X X
João X X V X X
Fábio V X X X X X
Caio X X X X V

“que o advogado não nasceu em 1977 e que o engenheiro, que não é Caio, nasceu em 1981”
O engenheiro nasceu em 1981.
A respeito das profissões, sobraram arquiteto e engenheiro ou para Paulo ou para Fábio. Diz
que o engenheiro nasceu em 1981. Mas sabemos que Fábio nasceu em 1970. Logo, Fábio não
é o engenheiro. Portanto, Fábio é o arquiteto e Paulo é o engenheiro.

1970 1977 1981 1990 Arquit. Fotog. Engen. Advog.


Paulo X X X V X
João X X V X X
Fábio V X X X V X X X
Caio X X X X V

“e que o engenheiro, que não é Caio, nasceu em 1981”


Como sabemos que Paulo é o engenheiro, logo Paulo nasceu em 1981. Se Paulo nasceu
1981, João e Caio não nasceram em 1981.
1970 1977 1981 1990 Arquit. Fotog. Engen. Advog.
Paulo X X V X X X V X
João X X X V X X
Fábio V X X X V X X X
Caio X X X X X V
“que o advogado não nasceu em 1977”
Antes, vimos que o advogado não podia ser o mais novo. E agora, sabemos que ele não
nasceu em 1977. E como o engenheiro é quem nasceu em 1981, o advogado nasceu em 1990.
Como Caio é o advogado, Caio nasceu em 1990. Por conseguinte, João nasceu em 1977.

1970 1977 1981 1990 Arquit. Fotog. Engen. Advog.


Paulo X X V X X X V X
João X V X X X V X X
Fábio V X X X V X X X
Caio X X X V X X X V

Conclusão:
Paulo é engenheiro e nasceu em 1981.
João é fotógrafo e nasceu em 1977.
Fábio é arquiteto e nasceu em 1970.
Caio é advogado e nasceu em 1990.

Analisando as alternativas:
a) Fábio é advogado.
ERRADO, pois Fábio é arquiteto.
b) Paulo nasceu antes de Caio.
CORRETO
c) Caio é arquiteto.
ERRADO, pois Caio é advogado.
d) João nasceu antes de Fábio.
ERRADO, pois João nasceu 1977 e Fábio em 1970.
e) o engenheiro nasceu antes do fotógrafo
ERRADO, pois o engenheiro nasceu em 1981 e o fotógrafo nasceu em 1977.

(alternativa B)

3. A soma da idade de Carlos com a idade de seu irmão é 40 anos. Sabendo-se que a idade do
irmão de Carlos é 2/3 da idade de Carlos, é CORRETO afirmar que a idade de Carlos é

a) 16 anos.
b) 18 anos.
c) 20 anos.
d) 22 anos.
e) 24 anos.

Resolução:

Seja C a idade de Carlos e I a idade de seu irmão.

A soma das idades é 40:


C + I = 40

Sabendo-se que a idade do irmão de Carlos é 2/3 da idade de Carlos.


2
I = 3 de C
2𝐶
I= 3

Substituindo na primeira equação:


2𝐶
C+ 3
= 40

Multiplicando cada termo por 3, temos:

3C + 2C = 120

5C = 120
120
C= 5

C = 24

(alternativa E)

4. Em uma recepção, foram servidas duas opções de suco: uva e laranja. Sabe-se que, nessa
recepção, compareceram 70 pessoas, das quais 25 tomaram suco de uva, 40 tomaram suco
de laranja e 10 tomaram apenas refrigerante. Em relação a essa recepção, julgue, como
VERDADEIRO ou FALSO, os itens a seguir.

26. 35 pessoas tomaram apenas suco de laranja.


27. 10 pessoas tomaram tanto o suco de uva quanto o de laranja.
28. 60 pessoas tomaram ao menos um dos dois sucos.

Resolução:

Das 70 pessoas, 10 tomaram apenas refrigerante. Logo, 60 pessoas (70 – 10) tomaram suco.
(item 28)

Seja A o conjunto das pessoas que tomam suco de uva, B o conjunto das pessoas que tomam
suco de laranja e n(A∩B) a quantidade de pessoas que bebem os dois sucos.

n(A) + n(B) – n(A∩B) = n(AUB)


25 + 40 – X = 60
65 – X = 60
X = 65 – 60
X=5

Ou seja, 5 pessoas tomaram tanto o suco de uva quanto o suco de laranja. (item 27)

Dentre as 25 pessoas que tomaram suco de uva, há aquelas que tomaram APENAS o suco de
uva e as pessoas que tomaram suco de uva E de laranja. Portanto:
25 – 5 = 20 pessoas tomaram apenas suco de uva

O mesmo vale para as 40 pessoas que tomaram suco de laranja.


40 – 5 = 35 pessoas tomaram apenas suco de laranja. (item 26)
Analisando cada item, podemos concluir que:
Item 26: Verdadeiro
Item 27: Falso, pois foram 5 pessoas e não 10.
Item 28: Verdadeiro

5. Considerando a sequência 23; 28; 25; 30; 27; ..., julgue, como VERDADEIRO ou FALSO, os
itens a seguir.

29. O próximo termo dessa sequência é o 29.


30. O sexto termo dessa sequência somado com o sétimo termo é igual a 63.

Resolução:

Do 23 ao 28, somam-se 5 unidades.


Do 28 ao 25, subtraem-se 3 unidades.
Do 25 ao 30, somam-se 5 unidades.
Do 30 ao 27, subtraem-se 3 unidades.

Mantendo o padrão de +5 e – 3, tem-se que o próximo termo será:


27 + 5 = 32 (item 29 é FALSO).

O sexto termo é 32.


O sétimo termo será: 32 – 3 = 29.

A soma entre o sexto termo e o sétimo termo será: 32 + 29 = 61. (item 30 é falso)

6. Francisco ganhou de seu avô a quantia de R$ 550,00. Ele usou 3/5 desse valor para pagar
algumas dividas e 80% do que restou ele colocou na poupança. Sendo assim, julgue, como
VERDADEIRO ou FALSO, os itens a seguir.

31. Após pagar as dívidas o valor que restou para Francisco foi R$ 220,00.
32. Francisco colocou na poupança o valor de R$ 176,00.

Resolução:
3 3 550 1650
de 550 = 5. = = 330
5 1 5

Francisco usou R$ 330,00 para pagar as dívidas. Logo, sobraram:


550 – 330 = 220 reais (item 31 VERDADEIRO)

E 80% do que restou ele colocou na poupança.


80 220 17600
80% de 220 = 100 . 1 = 100 = 176 (item 32 VERDADEIRO).

7. Considere as seguintes propostas de investimento:

1- receber 6% ao ano composto anualmente


2 - receber 5% ao ano composto semestralmente
Para maximizar o valor do investimento ao final de N anos, qual opção deve ser escolhida?

Resolução:
A fórmula de juros compostos é dada por: M = C . (1 + i) t, onde M é o montante obtido ao final
do investimento, C é o capital investido, i é a taxa e t é o tempo.
6
A opção 1 informa que a taxa é ANUAL e de 6% = = 0,06 .
100
Após um ano, teremos:
M = C . (1 + 0,06)¹
M = C . 1,06
5
A opção 2 informa que a taxa é SEMESTRAL e de 5% = 100 = 0,05.
Após um ano, isto é, 2 semestres, teremos:
M = C . (1 + 0,05)²
M = C . (1,05)²
M = C . 1,1025

Comparando os valores, temos que a opção 2 é mais vantajosa que a opção 1, mesmo depois
de N anos.

8. Uma empresa implantou um novo sistema informático, e o cadastro dos colaboradores foi
feito segundo o cronograma a seguir: no primeiro dia, foi cadastrado 1 colaborador; no segundo
dia, foram cadastrados 3 colaboradores, no terceiro dia, foram cadastrados 9 colaboradores; no
quarto dia, foram cadastrados 27; e, assim, sucessivamente, ate o dia em que fossem
cadastrados 243 colaboradores. Depois desse dia, os cadastros recomeçariam seguindo o
mesmo cronograma, ate novamente o dia em que se cadastrassem novamente 243
colaboradores: (1,3, 9, 27,...,243). Sabe-se que, em 30 dias de trabalho, concluiu-se o cadastro
de todos os colaboradores. Qual foi o número total de colaboradores cadastrados?

a) 1200
b) 1215
c) 1800
d) 1820
e) 2000

Resolução:

(1, 3, 9, 27, ..., 243)


3 9
=3 =3
1 3

Temos uma PG de razão 3.

O quinto termo será: 27 . 3 = 81


O sexto termo será: 81 . 3 = 243

Ou seja, há 6 elementos nessa PG.


Como o exercício quer o número de colaboradores, faremos a soma finita dos termos da PG.
S = [a1 . (qn – 1)]/(q – 1)

S = [1 . (36 – 1)]/(3 – 1)
729−1
S= 2

S = 364 colaboradores.

Porém, o exercício quer o número de colaboradores para 30 dias de trabalho, e a quantidade


obtida foi de apenas 6 dias de trabalhos. A partir do sétimo dia, esse ciclo vai se repetindo.
30
Portanto: 6 = 5 grupos de PG iguais.

5 . 364 = 1820 colaboradores

(alternativa D)

9. Dois carros A e B iniciam ao mesmo tempo e do mesmo ponto uma corrida em um circuito
fechado de 2.500 metros. Ambos os carros se movem com velocidades constantes e o carro A
está 5 km/h mais rápido do que o carro B. Em quanto tempo o carro mais veloz ultrapassará o
carro mais lento?

a) Entre 5 e 15 minutos
b) Entre 16 e 25 minutos
c) Entre 26 e 35 minutos
d) Entre 36 e 45 minutos
e) Entre 46 e 55 minutos

Resolução:

O circuito fechado, o que indica que ambos os carros ficarão dando voltas até que o carro mais
veloz ultrapasse o mais lento.

O exercício pergunta em quanto tempo o carro mais veloz ultrapassará o carro mais lento.
Como a velocidade do carro A é 5 km/h a mais do que a do carro B, logo o carro A é o mais
veloz.

A velocidade do carro A é de 5 km/h a mais que a do carro B. Ou seja, em UMA HORA, o carro
A percorre 5 km a mais que B. Se 1 km equivale a 1000 m, logo 5 km equivalem a 5000 m.

Para que o carro A ultrapasse o carro B, basta que ele dê uma volta a mais que B, isto é, 2500
metros. Sabe-se que 1 hora equivale a 60 minutos.

Portanto:
METROS TEMPO
5000 60
2500 x

5000x = 150000
150000
x = 5000
x = 30 minutos

(alternativa C)
10. Do total de processos arquivados por um técnico judiciário, sabe-se que: 3 / 8 foram
arquivados numa primeira etapa e 1 / 4 numa segunda. Se os 9 processos restantes foram
arquivados numa terceira etapa, o total de processos era

a) 18
b) 24
c) 27
d) 30
e) 34.

Resolução:
3
Seja x o número total de processos arquivados. Nas duas primeiras etapas foram arquivados
8
1
e 4 dos processos. Portanto:

3 1
8
+4

Para somar essas frações, nós multiplicamos os denominadores (8 . 4 = 32). Em seguida,


multiplicamos cruzado numerador com denominador, ou seja, 3 . 4 + 1 . 8.
3.4+1.8 20
32
= 32

Simplificando a fração resultante por 4, tem-se:


5
8

5
Ou seja, nas duas primeiras etapas, foram arquivados do número total de processos.
8
Portanto:
5
de x + 9 = x
8

5𝑥 9 𝑥
8
+1=1

Multiplicando cada elemento por 8.

5x + 72 = 8x

8x – 5x = 72
3x = 72
x = 24

(alternativa B)

11. Ao fazer a intersecção do conjunto de todos os números inteiros positivos múltiplos de 8


com o conjunto de todos os números inteiros positivos múltiplos de 12, será obtido o conjunto
de todos os números inteiros positivos múltiplos de:

a) 4
b) 6
c) 16
d) 24

Resolução:

Conjunto dos números inteiros positivos múltiplos de 8 = {8, 16, 24, 32, 40, 48, 56, 64,72,...}
Conjunto dos números inteiros positivos múltiplos de 12 = {12, 24, 36, 48, 60, 72, ...}

Observando os números que se repetem em ambos os conjuntos, isto é, na intersecção dos


dois conjuntos: {24,48,72,...}

24 = 24 . 1
48 = 24 . 2
72 = 24 . 3

(alternativa D)

12. Na promoção “Aniversariante do dia”, um restaurante oferece desconto de 25% no prato


principal da pessoa que faz aniversário no dia, desde que ela faça a refeição com mais um
acompanhante, que terá desconto de 10% em seu prato principal. No dia do seu aniversário,
Ana almoçou nesse restaurante com sua amiga Beth, que não era aniversariante. No cardápio,
5
o preço (sem desconto) do prato principal consumido por Ana era 4 do preço (sem desconto) do
prato principal consumido por Beth. Depois de efetuados os descontos, o gasto das duas
amigas, juntas, com os pratos principais, foi de R$ 44,10. Nas condições dadas, a diferença
entre o preço de cardápio (sem os descontos) dos pratos principais consumidos por Ana e
Beth, nessa ordem, foi de

a) R$ 5,00
b) R$ 5,20
c) R$ 5,50
d) R$ 5,80
e) R$ 6,00

Resolução:

Seja A o valor do prato de Ana antes do desconto. Como ela era a aniversariante, ela recebeu
um desconto de 25%, portanto, ela pagou 75% do valor (100% - 25%):
75𝐴 3
75% de A = =4.A
100

Seja B o valor do prato de Beth antes do desconto. Como ela não era aniversariante, ela
recebeu um desconto de 10%, portanto, ela pagou 90% do valor (100% - 10%):
90𝐵 9
90% de B = 100 = 10 . B

5
“No cardápio, o preço (sem desconto) do prato principal consumido por Ana era do preço
4
(sem desconto) do prato principal consumido por Beth”
5
A = 4 de B

“Depois de efetuados os descontos, o gasto das duas amigas, juntas, com os pratos principais,
foi de R$ 44,10.”
3 9
.A+ . B = 44,10
4 10

5
Substituindo A por 4 . B e transformando 44,10 centésimos em fração, teremos:

3 5 9 4410
4
. 4 . B + 10 . B = 100

15𝐵 9𝐵 441
+ =
16 10 10

Mmc (16,10) = 80
15𝐵 9𝐵 441
16/5
+ 10/8 = 10/8

75B + 72B = 3528


147B = 3528
B = 24
5 5 120
A = 4 de 24 = . 24 = = 30
4 4

A diferença entre os pratos de Ana e Beth, sem os descontos, será de:


30 – 24 = 6

(alternativa E)

13. Um grupo de 1200 pessoas consiste em coordenadores e subordinados que estão viajando
em um trem. Para cada 15 subordinado existem um coordenador. Dessa forma, calcule o
número de coordenadores viajando nesse trem:

a) 70
b) 75
c) 80
d) 85
e) 90

Resolução:

Se há 15 subordinados para cada um coordenador, podemos concluir que: Num grupo de 16


pessoas (15 + 1), dentre eles, há um coordenador.

Montando uma regra de três, temos:

PESSOAS COORDENADORES
16 1
1200 x

16x = 1200
x = 1200/16
x = 75
(alternativa B)

14. Francisco deseja comprar um imóvel avaliado em R$ 210.000. Se ela pagar 1/5 do valor
total à vista, quanto faltará pagar para quitar 30% do imóvel?

a) R$ 63.000,00
b) R$ 42.000,00
c) R$ 21.000,00
d) R$ 19.500,00
e) R$ 18.700,00

Resolução:

O exercício pergunta quanto faltará pagar para quitar 30% do imóvel. Se Francisco terá quitado
30% do valor do imóvel, logo sobrará 70% do valor do imóvel para pagar.

70% de 210000 = 147000

Entretanto, Francisco já pagou 1/5 do valor do imóvel


1
de 210000 = 42000
5

210000 – 42000 = 168000

Logo, a diferença entre os valores será:


168000 – 147000 = 21000

(alternativa C)

15. Uma fita retangular de 2 cm de largura foi colocada em torno de uma pequena lata
cilíndrica de 12 cm de altura e 192𝜋 cm³ de volume, dando uma volta completa em torno da
lata, como ilustra o modelo abaixo.

A área da região da superfície da lata ocupada pela fita é, em cm² igual a:


a) 8 𝜋
b) 12 𝜋
c) 16 𝜋
d) 24 𝜋
e) 32 𝜋

Resolução:

A fita tem formato retangular. Sua largura é 2 cm e sua base corresponde ao comprimento da
circunferência, pois ela dá uma volta completa na lata cilíndrica.
VolumeCILINDRO = 𝜋.r² . h
192 𝜋 = 𝜋.r².12
16 = r²
r = 4 cm

Logo, a área da fita será:


A = 2 . 2. 𝜋.r
A = 2 . 2. 𝜋. 4
A = 16 𝜋
(alternativa C)

16. Em uma empresa de móveis, um cliente encomenda um guarda-roupa nas dimensões 220
cm de altura, 120 cm de largura e 50 cm de profundidade. Alguns dias depois, o projetista, com
o desenho elaborado na escala 1 : 8, entra em contato com o cliente para fazer sua
apresentação. No momento da impressão, o profissional percebe que o desenho não caberia
na folha de papel que costumava usar. Para resolver o problema, configurou a impressora para
que a figura fosse reduzida em 20%.
A altura, a largura e a profundidade do desenho impresso para a apresentação serão,
respectivamente,

a) 22,00 cm, 12,00 cm e 5,00 cm


b) 27,50 cm, 15,00 cm e 6,25 cm
c) 34,37 cm, 18,75 cm e 7,81 cm
d) 35,20 cm, 19,20 cm e 8,00 cm
e) 44,00 cm, 24,00 cm e 10,00 cm

Resolução:

Os valores de 220 cm, 120 cm e 50 cm correspondem às medidas reais do guarda-roupa.

𝑓𝑖𝑐𝑡í𝑐𝑖𝑜
Escala = 𝑟𝑒𝑎𝑙

Altura:
1 𝐴
= 220
8

8A = 220
A = 27,5 cm

Largura:
1 𝐿
= 120
8

8L = 120
L = 15 cm

Profundidade:
1 𝑃
8
= 50

8P = 50
P = 6,25 cm
As medidas no desenho seriam 27,5 cm, 15 cm e 6,25 cm. Entretanto, o projetista quer reduzir
cada medida em 20%.
20% de 27,5 = 5,5 27,5 – 5,5 = 22 cm
20% de 15 = 3 15 – 3 = 12 cm
20% de 6,25 = 1,25 6,25 – 1,25 = 5 cm
(alternativa A)

17. Uma unidade policial, com 12 agentes, vai preparar equipes de educação para o trânsito
para, no período carnavalesco, conscientizar motoristas de que atitudes imprudentes como
desrespeito à sinalização, excesso de velocidade, ultrapassagens indevidas e a condução de
veículo por indivíduo alcoolizado têm um potencial ofensivo tão perigoso quanto o de uma arma
de fogo.
Com base nessas informações, julgue os itens seguintes.
Existem 12!/(3!)4 maneiras de se montar quatro equipes, cada uma delas com 3 agentes.
( ) Certo ( ) Errado

Resolução:

Para a primeira equipe, há três vagas para 12 pessoas. Portanto, teremos:


12 . 11 . 10

Entretanto, a ordem dessas pessoas dentro das equipes não importa (Combinação). Logo,
devemos dividir pelo fatorial de posições:
12.11.10
3.2.1

Para a segunda equipe, sobram 9 pessoas. O raciocínio se mantém o mesmo.


9.8.7
3.2.1

Para a terceira equipe, sobram 6 pessoas.


6.5.4
3.2.1

Para a quarta equipe, sobram 3 pessoas.


3.2.1
3.2.1

Multiplicando todos os resultados, teremos:


12.11.10 9.8.7 6.5.4 3 .2 .1
. . . = 12!/(3!)4
3.2.1 3.2.1 3.2.1 3.2.1

( x ) Certo

18. Considerando que, de um grupo de n pessoas, devem ser escolhidas duas pessoas
distintas, julgue o item a seguir.
Se houver n+2 modos possíveis de escolher as duas pessoas, então n será inferior a 5.

Resolução:
𝑛!
Fórmula de combinação: Cn,p = 𝑝!.(𝑛−𝑝)!

Como serão 2 selecionados, p = 2.


Cn,2 = n + 2
𝑛!
=n+2
2!.(𝑛−2)!

𝑛.(𝑛−1).(𝑛−2)!
=n+2
2!.(𝑛−2)!

𝑛.(𝑛−1)
=n+2
2

n.(n-1) = 2. (n + 2)
n² – n = 2n + 4
n² – n – 2n – 4 = 0
n² – 3n – 4 = 0

Temos uma equação do segundo grau, onde a = 1, b = - 3 e c = - 4.


∆ = b² - 4 . a . c
∆ = (- 3)² - 4 . 1 . (- 4)
∆ = 9 + 16
∆ = 25

−𝑏±√∆
n= 2.𝑎

−(−3)±√25
n=
2.1

3+5 3−5
n1 = 2
=4 n2 = = - 1 (n não pode ser negativo)
2

Logo n = 4. Como n = 4, n é inferior a 5.

19. Em um dos jogos de uma Copa do Mundo, o Brasil jogou uma partida contra a Suíça. Em
tal jogo, observou-se que a posse de bola por parte do Brasil foi 50% maior do que a da Suíça.
Com a duração do jogo de 90 minutos, além do acréscimo de 5 minutos, a quantidade de
tempo total em que o Brasil teve a posse da bola foi de:

a) 57 minutos.
b) 38 minutos.
c) 47 minutos e 30 segundos.
d) 60 minutos.
e) 71 minutos e 15 segundos..

Resolução:

Seja B o tempo de posse de bola do Brasil e S o tempo de posse de bola da Suíça. Se


juntarmos os tempos de posse de bola das duas seleções teremos o tempo total de jogo (90
minutos mais o acréscimo de 5 minutos).
B + S = 95

“a posse de bola por parte do Brasil foi 50% maior do que a da Suíça”
B = S + 50% de S
B = 150% de S
150
B = 100 . S
B = 1,5.S

Substituindo na equação de cima, temos:


B + S = 95
1,5.S + S = 95
2,5.S = 95
95
S=
2,5
S = 38 minutos

B + 38 = 95
B = 95 – 38
B = 57 minutos

(alternativa A)

20. O produto das raízes da equação (x – 2)² + (x + 2)² = 30 é:

a) 30
b) – 22
c) – 30
d) – 11
e) 0

Resolução:

O primeiro passo é desenvolver cada potenciação. Para isso, utilizaremos a propriedade


distributiva.
(x – 2)² = (x – 2) . (x – 2) = x² – 2x – 2x + 4 = x² – 4x + 4

(x + 2)² = (x + 2) . (x + 2) = x² + 2x + 2x + 4 = x² + 4x + 4

Portanto, a equação é:
x² - 4x + 4 + x² + 4x + 4 = 30
2x² + 8 – 30 = 0
2x² – 22 = 0

Temos ai uma equação do segundo grau, onde a = 2, b = 0 e c = - 22.

O exercício pede o PRODUTO das raízes. Relembrando as fórmulas de Soma e Produto,


temos que:
−𝑏 𝑐
Soma = e Produto = 𝑎
𝑎

− 22
Produto = 2
= - 11

(alternativa D)

21. Qual é o menor número que satisfaz a equação (2x – 1)² = 625?
a) 0
b) 13
c) – 13
d) 12
e) – 12

Resolução:

Inicialmente, iremos resolver a potenciação. Aplicaremos também a propriedade distributiva.

(2x – 1)² = (2x – 1) . (2x – 1) = 4x² – 2x – 2x + 1 = 4x² – 4x + 1

Portanto, a equação será:


4x² – 4x + 1 = 625
4x² – 4x + 1 – 625 = 0
4x² – 4x – 624 = 0

Simplificarei toda a equação por 4.

x² – x – 156 = 0

Temos uma equação do segundo grau, onde a = 1, b = – 1 e c = – 156.

∆ = b² – 4 . a . c
∆ = ( - 1)² - 4 . 1 . ( - 156)
∆ = 1 + 624
∆ = 625

−𝑏±√∆
x= 2.𝑎

−(−1)±√625
x= 2.1

1±25
x=
2

1+25 26
x1 = 2
= 2
= 13

1−25 −24
x2 = = = - 12
2 2

Como pede o menor número que satisfaz a equação, a resposta é – 12.

(alternativa E)

22. Observe a tabela abaixo:


De acordo com o padrão da sequência em cada linha, qual seria o número que ocuparia a casa
pintada na tabela?

a) 14
b) 17
c) 19
d) 21
e) 24

Resolução:

Primeiramente, vamos tentar entender a lógica. Observando o primeiro número da linha de


baixo, vemos o 15. Ele é a média aritmética dos dois números que estão exatamente acima
dele na linha de cima.
18+12 30
= = 15
2 2

O mesmo ocorre com o número seguinte da linha de baixo:


12+24 36
2
= 2 = 18

Logo o número que ocuparia a casa pintada será:


26+8 34
2
= 2 = 17

(alternativa B)

23. O jornal impresso de certa cidade é feito com papel reciclado e é um jornal de grande
circulação composto por 56 páginas. Sabe-se que são necessárias 14 folhas, desse papel,
dispostas uma sobre a outra e que são dobradas ao meio para dar formato físico ao jornal. Se
nele estiver faltando a página 08, quais outras páginas estarão faltando também?

a) 09, 50 e 51
b) 07, 50 e 51
c) 09, 49 e 50
d) 07, 49 e 50
e) 09, 51 e 52

Resolução:

Ao dobrar uma folha retangular ao meio para deixar num formato de livro, teremos:
Indo do início, as páginas ímpares estarão na parte vista de frente e as páginas pares estarão
visíveis nas folhas abertas.

Ou seja, na quarta folha, de frente, veremos a página 7 e quando a abrirmos, veremos a página
8. Agora basta ver quais páginas finais estão associadas a elas.

1 56 2  55 3  54 4  53 5  52 6  51

7  50 e 8  49
(alternativa D)

24. O conceito de razão é a maneira mais habitual e prática de fazer a comparação relativa
𝑥 (2𝑥−𝑦)
entre duas grandezas. Se a razão 𝑦 é 4, sendo y diferente de 0, logo o valor da razão de 7𝑦
vale:

a) 7
5
b)
2
4
c) 3
d) 1

Resolução:
𝑥
Sabe-se que 𝑦 = 4. Multiplicando “cruzado”, temos:
x = 4y

Substituindo x por 4y, teremos:


2𝑥−𝑦
7𝑦

2.(4𝑦)−𝑦
7𝑦

8𝑦−𝑦
7𝑦
7𝑦
=1
7𝑦

(alternativa D)

25. Em um evento que ocorrerá na Academia de Letras de certa cidade mineira, na qual 12
escritores locais serão homenageados, será divulgada uma tabela com a quantidade de livros
vendidos de cada escritor. Além disso, os 3 primeiros serão convidados a ocuparem cargos em
um colégio privado da cidade, o qual acaba de inaugurar uma grande biblioteca. Para isso, o
diretor do colégio teve a seguinte ideia: o escritor que vendeu mais livros, ocupará o cargo de
supervisor da biblioteca; o segundo colocado ocupará o cargo de auxiliar de biblioteca; e o
terceiro será responsável pelos reparos em livros. Nessas condições, o número total de
possibilidades para ocupação dessas vagas é

a) 928.
b) 1000.
c) 1250.
d) 1320.

Resolução:

Como há uma importância na ordem dos colocados, pois estes ocuparão cargos diferentes na
biblioteca, trata-se de um problema de ARRANJO, onde:

n = 12 e p = 3
𝑛!
A = (𝑛−𝑝)!

12!
A = (12−3)!

12.11.10.9!
A= 9!

A = 12 . 11 . 10

A = 1320
(alternativa D)

26. Sabrina organizava sua caixa de brinquedos quando teve a ideia de dividir a caixa em 12
compartimentos. No primeiro, ela colocou 2 brinquedos. No segundo compartimento, ela
colocou 4 brinquedos. No terceiro compartimento, 6 brinquedos. E permaneceu seguindo essa
lógica até o décimo segundo compartimento. Sabendo-se que todos os brinquedos foram
guardados exatamente nessa sequência, indique o número total de brinquedos de Sabrina.

a) 138
b) 156
c) 184
d) 218

Resolução:
Temos ai a PA (2, 4, 6, ...) de razão 2. Inicialmente, iremos descobrir quantos brinquedos foram
colocados no 12º compartimento.

an = a1 + (n – 1) . r

a12 = 2 + (12 – 1) . 2

a12 = 2 + 11 . 2

a12 = 2 + 22

a12 = 24

Como quer o número total de brinquedos, calcularemos a soma dos termos de uma PA.
𝑛
S = (a1 + an) . 2

12
S = (2 + 24) .
2

S = 26 . 6

S = 156

(alternativa B)

27. Acabo de comprar uma TV de 55 polegadas que estava anunciada na loja por R$3050,00
na condição de pagamento à vista. Após muita negociação, o gerente me concede uma
condição especial em que dei R$ 2100,00 de entrada e saldo será pago em uma única parcela
de R$983,25 daqui a 30 dias, no boleto bancário. Os juros que incidiram sobre esta operação
financeira foi de:

a) 3,2
b) 3,3
c) 3,5
d) 3,7

Resolução:

Se a TV custava R$ 3050,00, mas foram pagos R$ 2100,00, logo o Capital que sofrerá juros
será:

3050 – 2100 = 950

Sabemos também que 30 dias equivalem a 1 mês.

Fórmula de juros compostos:

M = C . (1 + i)t

983,25 = 950 . (1 + i)¹


983,25
=1+i
950

1,035 = 1 + i

i = 1,035 – 1
i = 0,035
i = 3,5%

(alternativa C)

28. Um professor decidiu montar uma pequena peça teatral em que os atores seriam os seus
alunos. Na peça, há 10 personagens que devem ser representados por alunos diferentes e 8
deles já foram escolhidos entre os alunos da classe. Como a classe tem um total de 20 alunos,
o número máximo de maneiras diferentes com que podem ser escolhidos os alunos que
representarão os 2 papéis restantes é igual a?

Resolução:

Dos 20 alunos, 8 já tem personagens definidos, sobrando assim 12 alunos.

Dos 10 papéis disponíveis, 8 já foram selecionados, sobrando assim 2 papéis.


𝑛!
Arranjo = (𝑛−𝑝)!

12!
A = (12−2)!

12.11.10!
A= 10!

A = 12 . 11

A = 132

29. Um professor pretende escolher, por sorteio, um menino e uma menina de determinada
turma para participar de uma solenidade. Sabendo-se que a turma possui 26 alunos, sendo 14
meninas, a quantidade máxima de resultados possíveis para esse sorteio é?

Resolução:

Se a turma tem 26 alunos, onde 14 são meninas, logo há 12 meninos (26 – 14).

Serão sorteadas duas pessoas, sendo um menino e uma menina. Logo, a quantidade máxima
de resultados possíveis será:

14 . 12 = 168

30. João escreveu todos os números naturais de 27 a 350.


A quantidade de algarismos usados por João é igual a:

a) 898
b) 897
c) 899
d) 900

Resolução:

O exercício quer a quantidade de algarismos começando pelo 27 e terminando em 350.

A conta se baseia em sempre pegar o menor número e o maior número de cada intervalo,
seguindo a quantidade de algarismos.

Com dois algarismos, o intervalo que temos é de 27 até 99. Portanto:

(99 – 27) + 1 = 73 números

Como cada um deles tem dois algarismos:

73 . 2 = 146

O menor número de 3 algarismos é o 100. O maior é 999. Entretanto, o exercício pede até 350.
Logo, o intervalo que temos é de 100 até 350. Portanto:

(350 – 100) + 1 = 251 números

Como cada um deles tem três algarismos:

251 . 3 = 753

Total: 146 + 753 = 899

(alternativa C)

31. Em setembro, o salário líquido de Juliano correspondeu a 4/5 do seu salário bruto. Sabe-se
que ele destinou 2/5 do salário líquido recebido nesse mês para pagamento do aluguel, e que
poupou 2/5 do que restou. Se Juliano ficou, ainda, com R$ 1.620,00 para outros gastos, então
o seu salário bruto do mês de setembro foi igual a

a) R$ 6330,00
b) R$ 5625,00
c) R$ 5550,00
d) R$ 5125,00
e) R$ 4500,00

Resolução:

Seja B o salário bruto de Juliano e seja L o salário líquido.


4 4𝐵
L = 5 de B = 5

2 2𝐿
Aluguel: 5 de L = 5
2𝐿 5𝐿 2𝐿 3𝐿
Restaram: L - 5
=
5
-
5
=
5

2 2 3𝐿 6𝐿
Valor poupado: 5 do que restou = de = 25
5 5

3𝐿 6𝐿 15𝐿 6𝐿 9𝐿
Sobraram: 5
- 25 = 25
- 25 = 25

Essa fração corresponde ao valor que Juliano ficou para outros gastos:
9𝐿
25
= 1620

9L = 40500
40500
L= 9

L = 4500

Esse é o valor do salário líquido. Entretanto, o exercício pede o valor do salário bruto.
4𝐵
= 4500
5

4B = 22500
22500
B= 4

B = 5625

(alternativa B)

32. Um produto teve o seu preço de venda aumentado, no período correspondente de janeiro a
abril de 2017, em 26,5%, devido aos problemas climáticos ocorridos na região em que ele é
produzido. Em maio do mesmo ano, o preço desse produto novamente aumentou, de R$ 3,60,
para R$ 5,22 o quilograma. Dessa forma, é correto afirmar que, de janeiro a maio, o preço
desse produto aumentou, aproximadamente,

a) 71,5%
b) 74,5%
c) 77,5%
d) 80,5%
e) 83,5%

Resolução:

Seja V o valor do produto no período de janeiro até abril. Como houve um aumento de 26,5%
em seu preço, a porcentagem, que inicialmente era de 100%, passou a ser de 126,5% (100 +
26,5). E o preço, que antes era V, passou a ser 3,60. Portanto:

126,5% de V = 3,60
126,5
. V = 3,60
100

126,5V = 360
360
V = 126,5

V ≅ 2,85

Esse era o valor de janeiro até abril. O produto aumentou novamente até chegar a R$ 5,22.
Para saber a porcentagem de aumento, montaremos uma regra de três.

VALOR %
2,85 100
5,22 x

2,85x = 522
522
x = 2,85 = 183,15%

Tendo em vista a porcentagem inicial de 100%, o aumento foi de 83,15%

Das alternativas, a mais próxima é 83,5%


(alternativa E)

33. Para preparar 60 copos de suco de maracujá, são necessários L litros de água. Com a
mesma quantidade de água, também é possível preparar 108 copos de suco de uva. Um
vasilhame continha L litros de água, que foi usada para preparar 20 copos de suco de maracujá
e 63 copos de suco de uva. Com a água restante no vasilhame, o número máximo de copos de
suco de uva que podem ser preparados é

a) 6
b) 8
c) 9
d) 12
e) 15

Resolução:

Com L litros de água, pode-se preparar 108 copos de suco de uva ou 60 copos de suco de
maracujá.

A pergunta do exercício pede acerca de copos de suco de uva, então iremos ver quantos
copos de suco de uva são correspondentes a 20 copos de suco de maracujá.

MARACUJÁ UVA
60 108
20 x

60x = 2160
2160
x = 60
x = 36
A partir do vasilhame, foram preparados 20 copos de suco de maracujá e 63 copos de suco de
uva, o que corresponde a, 36 + 63 = 99 copos de suco de uva.

O máximo é 108 copos de suco de uva. Portanto, ainda podem ser preparados:

108 – 99 = 9 copos de suco de uva

(alternativa C)

34. Ao se jogar um determinado dado viciado, a probabilidade de sair o numero 6 é de 20%,


enquanto a probabilidade de sair qualquer outro número são iguais entre si. Ao se jogar este
dado duas vezes, qual o valor mais próximo da probabilidade de um número par sair duas
vezes?

Resolução:

Ao lançar um dado de seis faces, a probabilidade de cair um número de 1 a 6 é de 100%.


Seja x a probabilidade individual de tirar qualquer número de 1 a 5. Então:

P(1) + P(2) + P(3) + P(4) + P(5) + P(6) = 100%

x + x + x + x + x + 20% = 100%
5x = 100% - 20%
5x = 80%
80
x= 5
x = 16%

Então: P(1) = 16%, P(2) = 16%, P(3) = 16%, P(4) = 16%, P(5) = 16, P(6) = 20%

O exercício quer número par. Os números pares são 2, 4 e 6. Então:


P(par) = P(2) + P(4) + P(6) = 16% + 16% + 20% = 52%

Como o dado será lançado duas vezes:


52 52
P(par) . P(par) = 52% . 52% = 100 . 100 = 0,52 . 0,52 = 0,2704 ou 27,04%

35. Alice tem ração suficiente para alimentar seus 6 coelhos durante 25 dias. Ao final de 5 dias
ela adquire mais 4 coelhos. O número de dias que a ração ainda durará, a partir daí, é :

Resolução:

Há ração para alimentar 6 coelhos durante 25 dias. Então:


6 . 25 = 150
Podemos interpretar que ela teria a possibilidade de alimentar 1 coelho durante 150 dias.

Entretanto, 5 dias se passaram e ela adquiriu mais 4 coelhos. Se 5 dias se passaram, sobram
ainda 20 dias.
4 . 20 = 80
Ou seja, ainda sobrou ração para alimentar 1 coelho durante 80 dias.

Adquirindo mais 4 coelhos, Alice terá um total de 10 coelhos.


80/10 = 8

Ou seja, com a ração que sobrou, ela poderá alimentar seus 10 coelhos por 8 dias.

36. A metade de um capital C foi aplicada a juros compostos com taxa de 20% ao mês.
Simultaneamente, outra metade foi aplicada a juros simples, com taxa mensal de i %. Ao final
de 2 meses, os montantes a juros simples e a juros compostos, somados corresponderam ao
total do capital C , acrescido de 50%. Quantos são os divisores inteiros positivos de i?

Resolução:
𝐶
Consideremos C como o capital. Como ele foi dividido ao meio, logo: 2.

Aplicação à juros compostos.


20
i = 20% = = 0,2
100

M = C . (1 + i)t
𝐶
M1 = 2 . (1 + 0,2)²
𝐶
M1 = 2 . (1,2)²
𝐶
M1 = 2 . 1,44
M1 = 0,72.C
72𝐶
M1 = 100

Aplicação à juros simples.


𝐶.𝑖.𝑡
J= 100

𝐶 𝑖
J= 2
. 100 . 2

𝐶.𝑖
J = 100

Mas M = C + J
𝐶 𝐶.𝑖
M2 = 2 + 100

50𝐶 𝐶𝑖
M2 = 100 + 100

50𝐶+𝐶𝑖
M2 = 100

O exercício diz que, ao somar os montantes de ambas as aplicações, elas equivalerão ao


Capital acrescido de 50%, isto é, C + 50% de C = 150% de C = 1,5C.

M1 + M2 = 1,5C
72𝐶 50𝐶+𝐶𝑖
100
+ 100
= 1,5C
72𝐶+50𝐶+𝐶𝑖
= 1,5C
100

72C + 50C + Ci = 150C

Colocando C em evidência:
C. (72 + 50 + i) = 150C

Simplificando C de ambos os lados.

122 + i = 150
i = 150 – 122
i = 28

Os divisores inteiros positivos de 28 são: {1, 2, 4, 7, 14, 28}.


Logo, há 6 divisores inteiros positivos.

37. Uma quantia foi aplicada a juros simples de 6% ao mês, durante 5 meses e, em seguida, o
montante foi aplicado durante mais 5 meses, a juros simples de 4% ao mês. No final de 10
meses, o novo montante foi de 234,00. Qual o valor da quantia aplicada inicialmente?

a) 150,00
b) 160,00
c) 170,00
d) 180,00

Resolução:

Juros simples: J = C . i . t

Primeira aplicação da quantia C.

J = C . 6% . 5
J = C . 0,06 . 5
J = 0,3 . C

Montante: M = C + J
M = C + 0,3C
M = 1,3C

Esse montante será o valor inicial da segunda aplicação.

J=C.i.t
J = 1,3C . 0,04 . 5
J = 0,26C

M=C+J
M = 1,3C + 0,26C

Entretanto, o exercício diz que o novo montante, após essas aplicações, é R$ 234,00.
234 = 1,56C
234
C = 1,56
C = 150
(alternativa A)

38. Analise as seguintes informações:

I. Ana é um ano mais nova do que Márcio.


II. Márcio é três anos mais velho do que Antônia.
III. Paulo é dois anos mais velho do que Antônia.

Com base nessas informações, é válido concluir que:

a) Paulo é mais velho do que Márcio


b) Paulo é cinco anos mais novo do que Márcio.
c) Paulo é mais novo do que Ana.
d) Paulo e Ana têm a mesma idade.
e) Paulo é mais velho do que Ana.

Resolução:

Como todas as alternativas envolvem Paulo, ele será o ponto central da nossa resolução. E
como a questão não pede a idade de ninguém, podemos estipular um valor fictício, para
podermos comparar as supostas idades, vendo assim quem é mais velho ou mais novo.

Suponhamos que Paulo tenha 30 anos (poderia ser qualquer outra idade).

Segundo a afirmação III: Paulo é dois anos mais velho do que Antônia.
Logo, Antônia tem 28 anos.

Segundo a afirmação II: Márcio é três anos mais velho do que Antônia.
Logo, Márcio tem 31 anos.

Segundo a afirmação I: Ana é um ano mais nova do que Márcio.


Logo, Ana tem 30 anos.

Portanto:
Paulo = 30 anos Antônia = 28 anos Márcio = 31 anos Ana = 30 anos.

Analisando as alternativas:
a) Falso, pois 30 é menor que 31.
b) Falso, pois Paulo é um ano mais novo que Márcio.
c) Falso, pois eles têm a mesma idade
d) Verdadeiro, pois eles têm a mesma idade.
e) Falso, pois eles têm a mesma idade.

(alternativa D)

39. Vanda, Sandra e Maura receberam R$ 7.900 do gerente do departamento onde trabalham,
para ser divido entre elas, de forma inversamente proporcional a 1/6, 2/9 e 3/8,
respectivamente. Assertiva: Nessa situação, Sandra deverá receber menos de R$ 2.500.
Resolução:

Seja V o valor que Vanda deve receber, S o valor referente a Sandra e M o valor referente a
Maura.

Como a divisão foi feita de forma inversamente proporcional:

𝑉 𝑆 𝑀
1 = 1 = 1
1 2 3
6 9 8

Embaixo, colocaremos o inverso de cada uma das frações. Logo:

𝑉 𝑆 𝑀
6 = 9 = 8
1 2 3

O mmc entre os denominadores (1, 2, 3) é 6. Então, multiplicando cada fração por 6, teremos:

𝑉 𝑆 𝑀
36 = 54 = 48
1 2 3

Dividindo no numerador, teremos:


𝑉 𝑆 𝑀
= 27 = 16
36

Aplicando a propriedade de proporção:


𝑉 𝑆 𝑀 𝑉+𝑆+𝑀 7900
= 27 = 16 = 36+27+16 = 79 = 100
36

Como quer o valor referente a Sandra

Se somarmos os valores recebidos por elas, encontraremos o valor dado pelo gerente. Então:
V + S + M = 7900
𝑆
= 100
27

S = 27 . 100

S = 2700

A assertiva de Sandra receber menos de 2500 está errada.

40. Um capital é aplicado, a juros simples, à taxa de 4% ao mês. Quanto tempo, no mínimo, ele
deverá ser aplicado, a fim de que seja possível resgatar o triplo da quantia aplicada?

Resolução:
4
i = 4% = = 0,04
100

Como quer resgatar o triplo da quantia aplicada, o montante deverá ser o triplo do capital
investido. Portanto:
M = 3C

Mas M = C + J

3C = C + J

J = 3C – C
J = 2C

Como é uma aplicação a juros simples:


J=C.i.t

2C = C . 0,04 . t

2 = 0,04 . t
2
t = 0,04

t = 50

41. Com o objetivo de coletar água da chuva, uma pessoa deixou um tambor sem tampa com o
formato de cilindro reto de diâmetro de base 80 cm e altura de 1,2 m, bem no meio de seu
quintal. Após uma noite inteira de chuva, de intensidade moderada, a pessoa foi verificar o
quanto de água havia conseguido coletar no tambor e observou que a altura alcançada pela
água no recipiente foi de 150 mm. Qual foi o valor que melhor se aproxima da quantidade de
água, em litros, coletados no recipiente?

a) 75,4 L
b) 76,8 L
c) 79,2 L
d) 80,1 L

Resolução:

Se o diâmetro da base mede 80 cm, o raio medirá 40 cm (pois é a metade).

Sabendo que 1 litro = 1 dm³, vamos converter cada medida para decímetros.

40 cm = 4 dm
1,2 m = 12 dm
150 mm = 1,5 dm

Volume de um cilindro = 𝜋 .r² . h

Se o exercício pedisse o volume do cilindro, utilizaríamos 12 dm. Como ele pede o volume de
água, utilizaremos 1,5 dm (pois essa é a altura atingida pela água).
V = 3,14 . 4² . 1,5
V = 3,14 . 16 . 1,5
V = 75,36

(alternativa A)

42. Na malha quadriculada abaixo, cada lado de um dos 24 quadradinhos mede 1 cm.

Um aluno pretende ampliar o retângulo ABCD acima de modo que sua área fique multiplicada
por 9. Após a ampliação, o perímetro do retângulo, em cm, será igual a:

a) 144
b) 108
c) 54
d) 36

Resolução:

Se a área será aumentada em 9 cm², podemos pensar que os lados serão aumentados em:
A = L²
L² = 9
L=3

Ou seja, as dimensões do novo retângulo serão:


4 . 3 = 12
2.3=6

Perímetro do novo retângulo: 12 + 6 + 12 + 6 = 36 cm

(alternativa D)

43. Antes de iniciar a decisão do Campeonato Brasileiro de Vôlei, seis atletas, dois
preparadores físicos e três dirigentes de uma equipe posaram para uma foto, lado a lado. De
quantos modos distintos esses profissionais podem aparecer, supondo que as pessoas de
mesma função devam sempre ficar juntas?

Resolução:

Seja A para atleta, P para preparador físico e D para dirigente. Primeiramente, pensando
somente nas funções, faremos a permutação entre elas.

3! = 3 . 2 . 1 = 6

Dentro de cada função, há pessoas diferentes. Logo, devemos fazer a permutação das
pessoas, seguindo cada função:
Para atleta: 6! = 6 . 5 . 4 . 3 . 2 . 1 = 720
Para preparador: 2! = 2 . 1 = 2
Para dirigente: 3! = 3 . 2 . 1 = 6

Total: 6 . 720 . 2 . 6 = 17280 modos distintos

44. Cinco máquinas iguais, trabalhando juntas e em período ininterrupto, produzem certa
quantidade de uma peça em 8 horas. Ao completar um quarto da produção, interrompeu-se o
trabalho e decidiu-se colocar mais uma máquina em funcionamento, idêntica às anteriores, de
modo a diminuir o tempo necessário para a produção daquela quantidade de peças. Reiniciada
a produção, as seis máquinas completaram o trabalho. Desprezando-se o tempo em que as
máquinas ficaram paradas na interrupção do trabalho, o tempo total utilizado para a produção
daquela quantidade de peças foi:

a) 7 horas e 15 minutos.
b) 7 horas e 00 minuto.
c) 6 horas e 45 minutos.
d) 6 horas e 30 minutos.
e) 6 horas e 15 minutos.

Resolução:

Seja Q a quantidade total de peças produzidas.


Cinco máquinas iriam produzir x peças em 8 horas.
1 1
“Após completar 4 da produção”: 4 de 8 h = 2 horas.

1 3
Ou seja, em 2 horas, as cinco máquinas produziram das peças, faltando assim da produção
4 4
para acabar o serviço. Como uma máquina foi acrescentada, o número de máquinas passou a
ser 6. Montando uma regra de três composta, teremos:

MÁQUINAS HORAS PRODUÇÃO


1
5 2 de Q
4
3
6 x de Q
4
(Inversamente) (Diretamente)
𝑄
5 𝑥 4
= . 3𝑄
6 2
4

5 𝑥 1
= .
6 2 3

5 𝑥
=
6 6

6x = 30
x = 5 horas

O tempo de produção total será: 2 h (das cinco máquinas) + 5 h(das seis máquinas) = 7 h
(alternativa B)

45. Se aplicarmos o valor de R$ 8700 pelo sistema de capitalização simples por um período de
16 meses, a uma taxa de 6,35% trimestral, qual o montante que teremos no final da aplicação?

a) R$ 11.252,60
b) R$ 11.320,20
c) R$ 11.517,80
d) R$ 11.646,40

Resolução:

Fórmula de juros simples: J = C . i . t


6,35
O capital (C) é de R$ 8700,00 e a taxa (i) é de 6,35%, ou seja, 100
.

16
O tempo é de 16 meses. Entretanto, como a taxa é trimestral, devemos considerar t = 3
.

6,35 16
J = 8700 . 100
. 3

883920
J= 300

J = 2960,40

Mas como o exercício pede o montante:

M=C+J
M = 8700 + 2960,40
M = 11646,40
(alternativa D)

46. A tabela apresenta a distribuição do número total de atendimentos realizados em dois dias
da semana passada, apenas pelos oficiais administrativos Raquel e Denis.

Segunda-feira Quarta-feira
Raquel 60% 40%
Denis 40% 60%

Com base nas informações apresentadas, assinale a alternativa que contém uma informação
necessariamente verdadeira:

a) O número total de atendimentos realizados na segunda-feira foi igual ao número total de


atendimentos realizados na quarta-feira
b) O número de atendimentos realizados por Denis, na segunda-feira, foi igual ao número de
atendimentos realizados por Raquel, na quarta-feira.
c) Na segunda-feira Raquel fez mais atendimentos que Denis.
d) Raquel fez mais atendimentos na segunda-feira do que na quarta-feira.
e) Denis fez mais atendimentos na quarta-feira do que na segunda-feira.

Resolução:
Quando pede algo que seja necessariamente verdadeiro, ele deve ser verdadeiro para todos
os casos sem exceção. Quando se encontra um contraexemplo, podemos dizer que a
afirmativa não é necessariamente verdadeira.
Então, iremos analisar cada afirmativa. Se encontrarmos um contraexemplo, ela estará errada.

a) O exercício indica apenas porcentagens, e não o número de atendimentos de cada dia.


Logo, a afirmativa está errada.

b) Suponhamos que na segunda-feira, tenham comparecido 1000 pessoas e na quarta-feira


tenham comparecido 100 pessoas.
Denis na segunda: 40% de 1000 = 400
Raquel na quarta: 40% de 100 = 40
Afirmativa errada.

c) Suponhamos que na segunda-feira tenham comparecido 1000 pessoas.


Atendimentos de Raquel: 60% de 1000 = 600
Atendimentos de Denis: 40% de 1000 = 400

Se fossem 100 pessoas:


Atendimentos de Raquel: 60% de 100 = 60
Atendimentos de Denis: 40% de 100 = 40

Ou seja, sempre será maior. Afirmativa CORRETA.

d) Suponhamos que na segunda-feira tenham comparecido 100 pessoas e na quarta-feira


tenham comparecido 1000 pessoas.
Raquel na segunda-feira: 60% de 100 = 60
Raquel na quarta-feira: 40% de 1000 = 400
Afirmativa ERRADA.

e) Suponhamos que na segunda-feira tenham comparecido 1000 pessoas e na quarta-feira


tenham comparecido 100 pessoas.
Denis na segunda-feira: 40% de 1000 = 400
Denis na quarta-feira: 60% de 100 = 60
Afirmativa errada.

(alternativa C)

47. Em uma loja, pode-se comprar qualquer produto pagando-se à vista, com desconto de 10%
sobre o preço da etiqueta, ou a prazo, 30 dias após a data da compra, pagando-se o preço da
etiqueta, em um único pagamento. Quem opta pelo pagamento a prazo, está realizando uma
compra financiada a juros simples, cuja taxa anual de juros equivalente está entre:

a) 125% e 130%.
b) 135% e 140%.
c) 130% e 135%.
d) 120% e 125%.
e) 140% e 145%.

Resolução:
Para facilitar os nossos cálculos, vamos estipular um valor fictício. Suponhamos que o valor do
produto seja R$ 100,00.

Se pagar à vista, terá 10% de desconto. Ou seja:


10% de 100 = 10 100 – 10 = 90 Valor à vista = R$ 90,00

No pagamento a prazo, não tem desconto. Valor a prazo = R$ 100,00.

Logo, o juros é de R$ 10,00 (100 – 90)

O tempo é de 30 dias. Convertendo para meses, temos:


30 dias = 1 mês.
𝐶.𝑖.𝑡
A fórmula de Juros Simples é: J = 100

90.𝑖.1
10 =
100

1000 = 90i
1000
i= 90

i = 11,11...

Vamos aproximar para i = 11% ao mês

Entretanto, ele pede a taxa anual. Como um ano tem 12 meses.

11 . 12 = 132

i = 132% (que está entre 130% e 135%)


(alternativa C)

48. O custo de fabricação de uma unidade de um produto é R$ 5,00. O preço unitário de venda
desse produto é composto pelo custo de fabricação, adicionado com os impostos incidentes na
1
sua comercialização, e com o lucro, lucro esse que corresponde a 4 do seu preço unitário de
venda. A fim de incentivar a aquisição desse produto pela população, o governo decidiu reduzir
para zero, por um tempo determinado, o valor dos impostos incidentes na sua comercialização.
Dessa forma, somente o valor do imposto deixou de fazer parte do preço unitário de venda
desse produto, mantendo-se o custo de sua fabricação e o valor referente ao lucro, lucro esse
3
que passou a corresponder a 8 do seu novo preço unitário de venda. Com o imposto, o valor de
venda desse produto era de:

a) R$ 10,00.
b) R$ 12,00.
c) R$ 11,00.
d) R$ 13,00.
e) R$ 14,00.

Resolução:
Seja V o preço de venda do produto, C o custo pela fabricação, I os impostos incidentes e L o
lucro.

“O preço unitário de venda desse produto é composto pelo custo de fabricação, adicionado
com os impostos incidentes na sua comercialização, e com o lucro”

V=C+I+L

O custo do produto é R$ 5,00. Portanto, C = 5.


1 1 𝑉
E o lucro corresponde a do preço de venda. Portanto, L = 4 de V ou 4
4

𝑉
V=5+I+ 4

𝑉
V- =5+I
4

3𝑉
=5+I
4

3𝑉
I= 4
–5

Depois que o governo decidiu reduzir para zero o valor dos impostos incidentes, o novo preço
de venda do produto será igual à diferença entre o preço de venda antigo do produto e os
impostos. Portanto:
Novo preço de venda = V – I
3
O custo foi mantido de R$ 5,00. E o novo lucro U corresponderá a do novo preço. Ou seja:
8
3
novo lucro = 8 . (V – I)

Então:
V–I=C+U
3
V – I = 5 + 8 . (V – I)

3𝑉 3𝐼
V–I=5+ 8
-
8

Multiplicando cada termo por 8, temos:

8V – 8I = 40 + 3V – 3I
8V – 3V = 40 – 3I + 8I
5V = 40 + 5I

Simplificando cada termo por 5, temos:


V=8+I
3𝑉
Mas I = 4
– 5. Substituindo, tem-se:

3𝑉
V=8+ 4
–5
Multiplicando cada termo por 4, temos:

4V = 32 + 3V – 20
4V – 3V = 32 – 20
V = 12

(alternativa B)

49. Para se fazer um mosaico, vários pedaços de cartolina iguais, no formato de triângulo
equilátero de vértices ABC, foram recortados em 4 pequenos pedaços, também nos formatos
de triângulos equiláteros iguais, cada um deles com a maior área possível. A figura a seguir
representa um desses pedaços de cartolina: os pontilhados correspondem aos cortes feitos.

Sabendo-se que a área de cada pedaço triangular maior de cartolina é de, aproximadamente,
3,46 cm², que os vértices D, E e F dos triângulos menores são, respectivamente os pontos
médios dos lados AB, BC e CA do maior triângulo, e, ainda, utilizando √3 = 1,73, pode-se
afirmar, corretamente, que o perímetro aproximado de cada triângulo menor mede

a) 12 cm
b) 8 cm
c) 10 cm
d) 6 cm
e) 14 cm

Resolução:

𝐿².√3
A fórmula da área de um triângulo equilátero é: A = .
4

O exercício diz que a área do triângulo maior (ou seja, ABC) é 3,46 cm² . Substituindo na
fórmula e já trocando √3 = 1,73, tem-se:

𝐿².1,73
3,46 =
4

1,73.L² = 13,84
13,84
L² =
1,73
L² = 8

L = √8

L = 2√2

Lado do triângulo ABC é 2√2. Ou seja, AB = 2√2, AC = 2√2 e BC = 2√2.


2√2
Porém, AD = metade de AB. Ou seja, AD = . Então, AD = √2.
2

Como quer o perímetro e um triângulo tem 3 lados, logo:

Perímetro = 3 . √2
Perímetro = 3 . 1,4
Perímetro = 4,2

O valor mais próximo é de 6 cm.

(alternativa D)

50. A área de um tabuleiro quadrado é igual a 900 cm². O perímetro desse tabuleiro é:

a) 30
b) 90
c) 120
d) 180
e) 225

Resolução:

O tabuleiro é um quadrado. A área de um quadrado é dada por:

Área = Lado²

Como a área é de 900 cm², logo:

900 = L²
L = √900
L = 30

Ou seja, cada lado do quadro mede 30 cm.

Como um quadrado tem quatro lados iguais, o seu perímetro será:

Perímetro = 30 + 30 + 30 + 30 = 120 cm
(alternativa C)