Você está na página 1de 5

ECOMPO – ESCOLA POLITÉCNICA DE ENSINO MÉDIO “COMENDADOR MANOEL PEDRO DE OLIVEIRA”

1 – A 30°C a solubilidade do nitrato de prata (AgNO3) em água é de 17,647 mols por quilograma da água.
Adiciona-se, a 30°C, 2.500 g desse sal a 400 g de água, agita-se vigorosamente e depois filtra-se. Qual as
massas da solução saturada e de precipitado obtidas.

2–

No béquer I preparou-se uma solução dissolvendo


1,12 mols de NH4Cl e 150 g de H2O a uma
temperatura de 30 graus Celsius. No béquer II,
uma solução de Ce2 (SO4)3 foi preparada
utilizando uma massa de 30 gramas de soluto e
200 gramas de H2O a 20º C. Utilizando a figura
abaixo determinar o tipo de solução preparada
para cada béquer.

3 – A variação da solubilidade de determinado sal varia linearmente em função da temperatura. Sabe-se que,
a 20º C, 30 g de um sal formam com 200 g de água uma solução saturada. A 80º C são necessários 50g desse
sal, dissolvidos em 200 g de água, para dar uma solução saturada. Calcular o coeficiente de solubilidade
desse sal a 40ºC para cada 100 g de água.

4 – Deseja-se construir a curva de solubilidade do KNO3 em água. Para isso, 8 massas diferentes desse sal
foram dissolvidas (total ou parcialmente) em tubos de ensaio e levadas a aquecimento em banho-maria para
completa dissolução, sendo, em seguida, retiradas do aquecimento. Para a construção da curva, 8
temperaturas devem ser anotadas. Com base na tabela abaixo e sabendo que essa dissolução é endotérmica,
responda ao que se pede:

Tubo 1 2 3 4 5 6 7 8
Mass
4,5g 4,0g 3,5g 3,0g 2,5g 2,0g 1,5g 1,0g
a

a) Qual tubo exigirá maior temperatura para que total dissolução do sal? Justifique
b) Qual o momento em que se deve anotar a temperatura de cada tubo? Justifique
c) Verificou-se que nos tubos de menor massa não ocorreu precipitação. O que deve ser feito para que
ela ocorra? Justifique.

5 – Ao trabalharmos com dissolução de sais, é


comum fazermos uso de curvas de solubilidade,
como a mostrada na figura ao lado:
No experimento realizado em laboratório, foi abordada a construção de tal curva de acordo com o seguinte
procedimento:
- Com o auxílio de um vidro de relógio, pesar 4,25g de KCl na balança de precisão.
- Depositar o KCl em um tubo de ensaio.
- Em uma proveta medir 10 ml de água destilada e misturar ao sal no tubo de ensaio.
- Agitar a solução com bastão de vidro
- Levar o tubo de ensaio com sal ao banho-maria até completa dissolução do sal.
- Retirar o tubo de ensaio do banho-maria, agitar com bastão de vidro, esperar resfriar e anotar a temperatura
onde se inicia o processo de precipitação.
Responda:
a) Por que devemos anotar a temperatura onde se inicia a precipitação?
b) Se compararmos os dados obtidos aos dados teóricos e, observarmos uma grande diferença entre massa
adicionada ao tubo e a temperatura de início de precipitação, o que podemos citar como possível (is) erro (s)
experimental (is)?

6 – No experimento sobre Solução Saturada e Insaturada, adicionamos uma quantidade em excesso de


Ca(OH)2 num pequeno volume de água (I), para em seguida filtrarmos e recolher o filtrado (II), que terá uma
alíquota sua acrescida de uma pequena massa de NaCl (III), e outra alíquota transferida para um béquer que
será avolumado até sua capacidade (IV).
Identifique o tipo de solução para cada número em destaque.

7 – Para solução supersaturada, tínhamos o seguinte roteiro a ser seguido:


Procedimento: (fazer em duplicata)
- Coloque uma medida de acetato de sódio em um tubo de ensaio seco
- Adicione mais ou menos 10 gotas de água pura
- Agite levemente a solução com o bastão de vidro, dissolvendo o máximo possível de sal.
- Coloque a água no Béquer até mais ou menos a metade, coloque o tubo de ensaio e aqueça até completa
dissolução do sal.
- Deixe esfriar em completo repouso, até atingir a temperatura ambiente.
Responda:
a) Em qual momento do experimento teremos a solução supersaturada?
b) Como podemos acelerar nosso experimento?
c) Por que o experimento deve ser feito em duplicata?

8 – A solubilidade de um sal varia linearmente com a temperatura. A  40º C, 50g desse sal formam com
água, 200g de uma solução saturada. Tal solução, quando aquecida a 80ºC, exige o acréscimo de mais 60g do
sal para manter a saturação. Calcule o Cs do sal: 
a) a 40º C  b) a 80º C  c) a 60º C 

9 – Ao lado aparece a curva de solubilidade do Ce 2(SO4)3.


b) Se acrescentarmos 20 g de Ce2(SO4)3 a 100 g
de água a 10°C, obteremos uma solução saturada
com corpo de chão, saturada sem corpo de chão
ou não-saturada?
c) Aquecendo o sistema do item b, o que se
a) A dissolução desse sal na água é endotérmica observará?
ou exotérmica?

10 – (Unifor-CE) A 30°C a solubilidade do nitrato de prata em água é de 3.000 g por quilograma da água.
Adiciona-se, a 30°C, 2.000 g desse sal a 500 g de água, agita-se vigorosamente e depois filtra-se. Qual a
massa da solução saturada obtida?

11 – (UFRJ) Os frascos a seguir contêm soluções saturadas de cloreto de potássio (KCl) em duas
temperaturas diferentes. Na elaboração das soluções foram adicionados, em cada frasco, 400 mL de água e
200 g de KCl.

O diagrama acima representa a solubilidade do KCl em água, em gramas de soluto / 100 mL de H2O, em
diferentes temperaturas.
a) Determine a temperatura da solução do frasco I.
b) Sabendo que a temperatura do frasco II é de 20°C, calcule a quantidade de sal (KCl) depositado no fundo
do frasco.
12 – (Adaptação - UEL-PR) A 10º C a solubilidade do KNO3 é de 0,198 mol/100 g de H2O. Uma solução
contendo 18,0 g de nitrato de potássio em 2,78 mols de água a 25 ºC é resfriada a 10 ºC. Quantos gramas do
sal permanecem dissolvidos na água? Quantos gramas de precipitado são formados? Dados de massa molar
(g/mol): K = 39; N = 14; O = 16; H = 2.
13 – (UFBA, adaptada) A tabela a seguir fornece os valores de solubilidade do cloreto de sódio e do
hidróxido de sódio, em água, a diferentes temperaturas. Assinale verdadeiro ou falso nas afirmações a seguir
(justifique):
( ) Solução saturada é uma mistura heterogênea.
( ) Soluções concentradas são soluções saturada
( ) O hidróxido de sódio é mais solúvel em água que o cloreto de sódio.
( ) Adicionando-se 145 g de hidróxido de sódio a 100 g de água, a 20 ºC, obtém-se um sistema
bifásico, que, depois de aquecido a temperaturas acima de 50 ºC, apresenta-se monofásico

14 – A massa molar da prata é diferente da massa molar do ouro. Duas amostras metálicas de
mesma massa, uma de ouro e outra de prata, possuem o mesmo número de átomos? Em caso
negativo, qual apresenta mais átomos? Justifique. Dados de massa molar (g/mol): Ag = 108 ; Au
= 197.

15 – A solubilidade do KNO3 é de 77,5 g por 50 g de água a 75oC e de 19,0 g a 25oC. Que


massa de KNO3 (em gramas) cristalizará a partir da solução quando se resfriam 50 g da sua
solução saturada de 75oC até 25oC?

16 – Uma solução contendo 14 g de cloreto de sódio dissolvidos em 200 mL de água foi


deixada em um frasco aberto, a 30°C. Após algum tempo, começou a cristalizar o soluto. Qual
volume mínimo e aproximado, em mL, de água deve ter evaporado quando se iniciou a
cristalização? Dados: solubilidade, a 30°C, do cloreto de sódio = 35 g/100 g de água; densidade
da água a 30°C = 1,0 g/mL.

17 – Uma solução saturada de cloreto de ouro de massa igual a 12,60 gramas foi evaporada até a
secura, deixando um depósito de 5,10 gramas de cloreto de ouro. Calcule o coeficiente de
solubilidade do cloreto de ouro.

18 – Analise os dados de solubilidade do KCℓ e do Li2CO3 contidos na tabela a seguir, na


pressão constante, em várias temperaturas. Assinale verdade ou falso e justifique.

( ) Quando se adiciona 40g de KCℓ a 100g de água, a 20ºC, ocorre formação de precipitado,
que se dissolve com aquecimento a 40°C.
( ) Quando se adiciona 0,154g de Li2CO3 a 100g de água, a 50°C, forma-se uma solução
insaturada.
( ) O resfriamento favorece a solubilização do KCℓ, cuja dissolução é exotérmica.
( ) Quando se adiciona 37g de KCℓ a 100g de H2O, a 30°C, forma-se uma solução saturada.
( ) A dissolução do Li2CO3 é endotérmica e favorecida com o aumento de temperatura.

Você também pode gostar