Você está na página 1de 5

BOAS RESPOSTAS PARA ENTREVISTAS DE EMPREGO

1. Conte-me algo a seu respeito


Esta pergunta é clássica. Ocorre em toda entrevista, provavelmente para definir seu rumo e te
fazer falar. É fácil se perder ao responder. Não conte sua vida inteira. Focar-se em aspectos
importantes da sua educação, vida profissional e situação atual são suficientes.
2. Por que você está procurando emprego (ou por que deixou o último)
Deveria ser uma pergunta fácil de responder, mas pode acabar te complicando. Provavelmente
você está procurando um emprego novo (ou um emprego) para alavancar sua carreira,
permitindo que você cresça como pessoa e profissional. Não é bom falar de dinheiro nesta hora,
pois você pode soar como mercenário. Se você foi demitido em um downsizing, permaneça
calmo e seja breve sobre o assunto. Se você foi simplesmente demitido, tenha uma boa
explicação. Em ambos os casos, permaneça sempre calmo.
3. Conte-me o que sabe sobre esta empresa
Faça a lição de casa antes de ir para a entrevista. Não importa se você é candidato a gerente ou
limpador de janelas, conheça algo sobre a empresa na qual está se candidatando. Ela esteve
ultimamente nos noticiários? Quem são as pessoas desta empresa das quais você deve ter
ouvido falar? Pesquise sobre a empresa e vá para a entrevista parecendo alguém preparado e
genuinamente interessado nela e no emprego.
4. Por que você quer trabalhar aqui?
Esta pergunta está diretamente relacionada com a anterior. Qualquer pesquisa feita
anteriormente te levará à conclusão do porquê trabalhar nesta empresa. Pense na resposta a
esta pergunta antes da entrevista, mencione seus objetivos atingidos até agora e destaque os
futuros objetivos e planos para a carreira.
5. Qual sua experiência relevante?
Espera-se que ao se candidatar a alguma vaga, o candidato tenha algumas experiências para
relatar. Esta é a hora de falar delas. Mas se você está mudando de carreira ou tentando algo
diferente do normal, talvez suas experiências não sejam as mais indicadas para o cargo
pretendido. Nesta hora é necessário um pouco de criatividade para fazê-las se ajustarem às
necessidades do cargo pleiteado. Apesar de tudo, habilidades são habilidades e é preciso
mostrar porque habilidades em atendimento ao consumidor seriam ótimas para o cargo de
marketing.
6. Se seus antigos empregadores estivessem aqui, o que eles diriam sobre você?
Esta não é a hora de ser totalmente sincero. Esqueça os fatos ruins e concentre-se nos bons.
Diga coisas como “Eles sempre disseram que eu trabalhava duro” ou “O Zé, meu antigo chefe,
dizia sempre que eu era o melhor cara que ele conheceu para resolver os problemas que
surgiam”.
7. Você já fez algo para melhorar sua formação?
Aqui vale tudo, desde que relacionado ao emprego pretendido. Aulas noturnas, hobbies e
esportes podem ser mencionados.
8. Onde mais você se candidatou?
Esta é uma boa hora de se mostrar disponível, sem dar a entender que está se oferecendo por
todas as empresas da cidade. Assim, seja honesto e mencione algumas outras empresas nas
quais se candidatou. O que o entrevistador quer saber é se você está em uma procura séria por
emprego e se está aberto a opções.
9. Como você trabalha sobre pressão?
Há varias formas de responder a esta pergunta, mas todas as respostas devem ser positivas.
Você pode trabalhar bem, você pode crescer ao estar sob pressão e você pode adorar trabalhar
sobre pressão. NUNCA diga que não trabalha bem desta forma. Este é o primeiro passo para
ser reprovado na entrevista.
10. O que te motiva a fazer um bom trabalho?
A resposta a esta pergunta nunca é dinheiro, mesmo que, na realidade, seja. Você deve estar
motivado por objetivos de vida nobres. Você quer reconhecimento por um trabalho bem feito.
Você quer fazer cada vez melhor em seu trabalho. Você quer ajudar os outros ou ser um líder
em seu ramo de atividade.
11. Qual sua maior qualidade?
Esta é a chance de se destacar. Você está sendo inquirido a responder porque é um bom
empregado e não perca esta oportunidade. Diga que seu desempenho melhora sob pressão,
que é um ótimo motivador, que adora resolver problemas ou é alguém com uma extraordinária
percepção aos detalhes. Se você é campeão de Winning Eleven ou Guitar Hero, guarde isto
para você.
12. Qual seu maior defeito?
Se você for completamente honesto, estará dando um tiro na cara. Se você disser que não tem
nenhum defeito, estará mentindo. Esta é uma questão muito difícil, mas políticos sabem
respondê-la muito bem. Eles dizem coisas como “Estou muito comprometido com meu trabalho
e não passo muito tempo com minha família”. Não diga isto. Quando esta pergunta for feita,
responda algo pequeno relativo a trabalho, mas algo que você já está melhorando. Por exemplo,
“Algumas vezes me disseram que me atenho muito a detalhes e acabo perdendo o foco no
projeto como um todo. Então, passei a dedicar algum tempo a analisar o projeto inteiro para
poder avaliar meu progresso.”
13. Vamos falar sobre salário. Em quanto você está pensando?
Corra! Este é um truque feito nas entrevistas. Mesmo que você saiba a faixa salarial do emprego
ao qual está se candidatando, responder esta pergunta antes do entrevistador é o mesmo que
mostrar as suas cartas. Você quer receber o máximo possível, e a empresa quer te pagar o
mínimo que você aceita receber. Antes de chegar à entrevista, descubra quanto uma pessoa
com sua experiência está recebendo, em média, por um emprego como este. Você pode querer
responder “Bem, é algo no qual tenho pensado bastante e creio que algue´m com a minha
experiência deve receber algo entre X e Y” ou então “No momento, estou mais interessado em
saber o quanto este emprego poderá adicionar à minha carreira”. Pelo menos, esta última
resposta pode fazer você ganhar um pouco de tempo. Mas se você tiver um valor específico em
mente, diga-o. Em geral, pessoas bem informadas erram por pouco.
14. Você trabalha bem em equipe?
A menos que seu QI seja o de uma ameba, você deve responder sim a esta pergunta. É a única
resposta. Que empresa vai querer um funcionário que seja um solitário? Uma boa estratégia
nesta hora é dizer como você se comporta no trabalho em equipe. Assim, fica fácil de dizer que
você é um líder natural.
15. Conte-me uma sugestão sua que tenha sido implementada
Aqui, é importante focar-se na palavra “implementada”. Não há nada errado em ter milhares de
idéias, mas o que interessa se o único lugar onde elas estão é seu caderno de notas? Melhor
ainda, é preciso que a idéia tenha gerado um bom resultado. De que adianta ela ter sido
implementada e ter levado a empresa à falência? Esteja preparado com uma idéia sua que
tenha sido implementada e que tenha gerado bons resultados.
16. Algo já te irritou nas pessoas com que você já trabalhou?
É claro que sua resposta a esta lista é tão grande quanto seu braço. Mas se você disser tudo
isto, há o perigo de acharem que é difícil trabalhar com você. A melhor forma de responder a
esta pergunta é pensar um pouco e dizer “Eu sempre trabalhei bem com meus colegas”.
17. Há alguém com que você nunca trabalharia?
Não. Bem, a não ser que estejam falando sobre assassinos, racistas, estupradores, ladrões ou
algum outro pária social, você pode trabalhar com qualquer um. Caso contrário, você pode ser
ser marcado como alguém que chato e difícil se disser “Eu não trabalho com fãs de Bruno e
Marrone. Desculpe”.
18. Fale-me de problemas que você já teve com chefes anteriores.
Não caia nesta. O entrevistador está te testando para saber se você falará mal dos seus chefes
antigos. Simplesmente responda esta pergunta com tato, diplomacia e, se necessário, uma
grande amnésia. Recentemente, você não teve problema algum.
19. Você prefere trabalhar por dinheiro ou satisfação pessoal?
Não é uma questão muito justa. Nós adoraríamos ganhar dinheiro como o Sílvio Santos para
fazer algo que gostássemos. É bom dizer que dinheiro é importante, mas NADA é mais
importante para você que seu trabalho. Em caso contrário, você é só alguém procurando por um
bom salário.
20. Você prefere que gostem de você ou que te temam?
A resposta correta é “Eu prefiro ser respeitado”. Você não quer ser temido, pois a maneira
correta de motivar um time não é através medo. Também não quer ser o melhor amigo de todo
mundo, pois será complicado tomar decisões difíceis e exigir o cumprimento dos prazos. Mas
quando se é respeitado, não é necessário ser um tirano ou bunda-mole para ter o trabalho feito.
21. Você colocaria os interesses da empresa na frente dos seus próprios?
Outra pergunta capciosa. Se responder sim, você é alguém que não se preocupa com a família.
Se responder não, não é alguém leal à empresa. Responda sim, porque você está, a esta altura,
tentando ser o empregado perfeito, e empregados perfeitos não se importam em perder o jogo
de futebol do filho para fazer hora extra.
22. Me explique porque devo te contratar.
Como você sabe, “Porque sou ótimo” ou “Porque eu precis ode um trabalho” não são respostas
boas. Esta é a hora de dar uma lista das suas habilidades e talentos que se encaixam
perfeitamente para a vaga pretendida. Também não é a hora de depreciar os outros candidatos.
Concentre-se em suas qualidades, e não nas falhas dos outros.
23. Você tem algo para me perguntar?
Esta também é uma das perguntas mais feitas em entrevistas. Ela está diretamente relacionada
à pesquisa realizada por você antes de chegar à entrevista e te dá a chance de mostrar o quão
preparado você está. Você provavelmente gostaria de perguntar sobre os benefícios oferecidos,
se eles ainda não foram citados. Uma boa pergunta genérica é “Quando posso começar a
trabalhar, se eu for contratado, é claro”. Também pode perguntar no que vai trabalhar e como
isto afetará o restante da empresa. Sempre tenha questões prontas, pois errar aqui é uma ótima
maneira de terminar a entrevista de forma lamentável.
Pegadinhas comuns
• A armadilha do silêncio: após perguntas “difíceis”, como a do seu “maior defeito”, ou
“maior arrependimento”, alguns avaliadores com pretensões psicológicas empregam um
velho truque: ao invés de continuar a entrevista, fazer um comentário ou a próxima
pergunta, eles simplesmente ficam em silêncio, encarando o entrevistado sem passar
nenhuma mensagem (de desaprovação, etc.) com sua expressão facial. Isto é uma pegadinha,
e bastante gente cai – ao perceber a situação de stress, assumem que o entrevistador
considerou a resposta errada, mentirosa, insuficiente, ridícula ou qualquer outra coisa, e
começam a tentar “consertar”, muitas vezes com resultados desastrosos para si mesmo. A
intenção é mesmo intimidar e provocar stress, para ver como o candidato se sai. Se tentarem
isso com você, aguarde alguns segundos calmamente, e em seguida não afirme nada, apenas
pergunte: “há algo mais que eu possa esclarecer sobre este ponto?” Se o entrevistador
continuar em silêncio, simplesmente aguarde silenciosamente também, em atitude respeitosa
e séria, prestando atenção a ele,como se estivesse dando a ele tempo para pensar, até que ele
perceba que você não se intimidou e nem vai “se entregar”.
• O dilema das informações confidenciais: para este não há solução simples. Se nas
perguntas sobre seu antigo emprego ou chefe você perceber que o entrevistador de fato
parece esperar receber respostas objetivas sobre questões internas da empresa em que você
atualmente trabalha ou recentemente trabalhou, você terá um dilema entre sua integridade e
o seu interesse em agradar o entrevistador. E a integridade deve ganhar em qualquer
situação, especialmente em uma entrevista de emprego. No máximo responda o que
considerar como informação pública, mas nunca viole a confidencialidade das informações
sensíveis da empresa – e responda, de forma clara e sem se alongar, que ir além do que você
disse violaria seu compromisso de confidencialidade. Evite falar que violaria a ética, a não
ser que você queira ofender o entrevistador, pois isso equivale a dizer que ele está sendo
anti-ético. Note que em muitos casos, a pressão para que você revele segredos de outra
companhia é um teste, e você passa apenas se resistir a ela.
• O problema hipotético sem solução: Esta é uma questão comum em seleções de
executivos: você recebe uma breve descrição de uma situação desafiadora e complexa, e a
pergunta: como você resolveria esta situação? Note que dificilmente o problema é na sua
área de conhecimento específico, e mesmo que seja, dificilmente você terá recebido dados
suficientes para poder saber como começar, ou como garantir o sucesso. A não ser que isso
ocorra no contexto de uma avaliação de criatividade, ou em uma dinâmica de grupo, sua
melhor chance pode ser considerar que se trata de uma pegadinha clássica, e entender que o
que você deve responder é como agiria para resolver o problema: levantaria tais e tais dados,
consultaria tais e tais pessoas, contrataria este e aquele serviço, e então daria a ordem a tal e
tal departamento. Caso contrário, se você simplesmente propuser uma solução sem nenhum
dado para suportá-la, vai parecer que seu processo de tomada de decisão é bastante falho.