Você está na página 1de 2

1. A arte é por excelência um domínio da incognoscibilidade.

Discuta a verdade
desta afirmação tendo em conta as pretensões da Sociologia da Arte.

Resp: Segundo alguns pensadores como Becker que e um estudioso social que olha para a
arte como algo que deve ser estudado e ser compreendida no total, Para Kant a obra de
arte não é uma representação de uma coisa bela, mas sim a bela representação de uma
coisa. Portanto, a obra pode representar o que for, desde que atraia a nossa atenção,
desperte em nós uma sensação desconhecida ou adormecida e nos faça perceber de
outra maneira. A arte é uma forma de o ser humano expressar suas emoções, sua história
e sua cultura através de alguns valores estéticos, como beleza, harmonia, equilíbrio

2. Segundo Francastel, as análises da História da Arte, da História e da Sociologia


revelam dificuldades na abordagem da arte. Descreva as limitações de cada uma
das disciplinas na análise do campo artístico
Para Francastel, A história da arte se limita em fazer o balanço das obras do passado
baseadas numa classificação focada na biologia ou botânica. A história limita-se em
analisar o campo artístico recusando o documento figurado, empregando só para ilustrar
uma verdade estabelecida em função somente das fontes escritas que tenham passado
das suas mãos. A sociologia desvaloriza ao documento não escrito, considerando a
investigação presente, suspeitando fontes de informação que não oferece elementos
fáceis de incorporar no seio dos dados funcionais, económicos, sociais.

3. O livro e a escultura são produtos da inteligência humana que envolvem no seu


processo de produção valores, interesses, escolhas decisões dos seus autores. Esclareça
a afirmação tomando em consideração as pretensões da História de sobrevalorizar as
fontes escritas na produção da verdade histórica.

R: A história tem a sua única fonte de verdade as fontes escritas para obter e
organizar informações do passado, e ignora a escultura e outras produções que
são figurativas que há ausência de linguagem escrita que foram usadas
divulgação e imposição de crenças e acontecimentos. Para além dos documentos
escritos que fornecem informações capazes de transmitir um saber, o
pensamento plástico é uma forma que o homem utiliza para relatar
acontecimentos ao universo retratando a maneira de viver e os seus usos e
costumes, um exemplo concreto as actividades primeiras do homem nas pinturas
rupestres. Contudo as obras de arte são um meio de obter informações credíveis
do passado para além do documento escrito.
5. Para Becker, a arte é essencialmente uma actividade social. Argumente servindo-
se do conceito do conceito de «Mundo artístico».

O“mundo artístico” constituem-se através de redes de indivíduos cuja actividade


cooperativa, organizada através do conhecimento partilhado dos meios necessários à
realização de determinado trabalho. A arte uma actividade social e não produto de génio
pelo facto de haver uma coordenação de varias pessoas e organizações que dependem
um do outro para realizar o trabalho artístico

6. Por que é a atribuição de estatuto de «artista» a determinados actores é, na


perspectiva de Becker, uma convenção reducionista

Segundo Becker todo o conjunto de pessoa que faz parte de colaboração e manipulação
de todo o trabalho de um artista, a obra de arte é fruto de uma acção colectiva em que
varias pessoas e organizações cooperam com o objectivo de conceber a obra de arte,
mas no entanto somente consideram um grupo de pessoas ou uma pessoa como o
responsável pela produção, o artista não chegaria longe sem ajuda de pessoas alheias
como patrões, ajudantes, pessoas que alavancava o artista para o trabalho do artista ir
mais além.

Você também pode gostar