Você está na página 1de 104

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE SÃO PAULO – ETESP

ANDERSON ROGÉRIO DOS SANTOS


ARMANDO KOUITI MATSUBARA
FLAVIO CARLOS MARTINS
GERSON MARQUES DE LIMA

CASA DE CAMPO – CUSTO E DIMENSIONAMENTO EM 103m²

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

SÃO PAULO
2020
ANDERSON ROGÉRIO DOS SANTOS
ARMANDO KOUITI MATSUBARA
FLAVIO CARLOS MARTINS
GERSON MARQUES DE LIMA

CASA DE CAMPO
CUSTO E DIMENSIONAMENTO EM 103m²

Trabalho de Conclusão de Curso


Apresentado como requisito parcial à
Obtenção do Título de Técnico de
Desenho de Construção Civil
Orientação: Caio Vinicius de S. Martingo
Rosana Maciel Gonçalves

São Paulo
2020
ANDERSON ROGÉRIO DOS SANTOS
ARMANDO KOUITI MATSUBARA
FLAVIO CARLOS MARTINS
GERSON MARQUES DE LIMA

TÍTULO DO TRABALHO: CASA DE CAMPO – CUSTO E DIMENSIONAMENTO EM


103m²

Aprovado em: _______________________/__/___

Banca Examinadora:

Professor
Professora

Trabalho de Conclusão de Curso para obtenção do título de Técnico em Desenho de


Construção Civil

São Paulo
2020
DEDICATÓRIA

A nossas famílias em especial; por ter nos


apoiados e nos incentivados a não abrir mão
de nossos anseios e foco na trajetória deste
projeto.
AGRADECIMENTOS

Agradeço a Deus por ter nos dado forças, saúde e a oportunidade para compreender
o aprendizado, para conclusão deste trabalho.

A todos os nossos professores da ETESP – Escola Técnica de São Paulo, por


disponibilizarem seu tempo, material e conhecimentos, para compartilharem com
todos nós.

Aos colegas de sala que, direta ou indiretamente, tiveram participação neste projeto.
(epígrafe – opcional)

A mim ensinaram-me a fazê-lo, e, como eu, todos podem


fazer também.

Lobsang Rampa

2020
Resumo

O crescimento da construção civil nas últimas décadas tem criado novos


desafios para os projetistas, engenheiros, arquitetos e demais profissionais da
construção civil. O aumento da competitividade entre as empresas e o aquecimento
do mercado gera uma necessidade de um controle de custos dentro das obras, além
de projetos bem elaborados que visem a otimização de recursos naturais e industriais.

Antes da elaboração do projeto, foi efetuado um estudo no local de construção


que consiste em analisar de maneira prática e objetiva a área e o solo para construção.

Com isso, buscou-se uma revisão de todo conteúdo abordado durante o curso
de desenho da construção civil.

Fizemos pesquisas de forma descritiva em busca de dados e indicações para


análise.

O trabalho de conclusão de curso em questão visa a construção de uma casa


de campo, sustentável e com padrões e características associadas á região,
chegando o mais próximo possível de uma construção real.
Palavras Chave: Casa de Campo; Construções Sustentáveis; Sustentabilidade.

SUMÁRIO

1. Introdução
2. Objetivo
3. Justificativa
4. Metodologia de Pesquisa
4.1. Estudo Preliminar
4.2. Serviços Preliminares
4.3 Métodos construtivos ao longo do tempo
5. Croqui do Projeto
5.1 Planta da Casa
5.2 Planta de Elétrica
5.3 Planta de Abertura de vãos
5.4 Plantas de Corte
Corte A
Corte B
Corte C
5.5 Plantas de Elevação
Elevação 1
Elevação 2
Elevação 3
Elevação 4
5.6 Planta de Cobertura
5.7 Planta de Cobertura – Memória de cálculos
5.8 Planta de Cobertura - Área de Lazer
5.9 Elevações da Cobertura
5.10 Elevações da Cobertura - Área de Lazer
5.11 Planta da Cumeeira
5.12 Planta Humanizada

6. Modelagem 3D Sketchup
7 Localizaçao do Terreno
7.1 Layout de Posição da Casa e Norte inidicativo
7.2 Imagens do Terreno
8. Quantificação de Serviços
8.1 Cálculos de brocas
8.2 Cálculos de blocos
8.3 Cálculos de viga baldrame
8.4 Cálculos de pilares
8.5 Cálculos de laje
8.6 Quantitativos serviços totais
8.7 Cálculos de aço nas estruturas
8.8 Cálculo do custo unitário básico
8.9 Identificação do padrão da edificação
8.10 Valor correspondente do M²
8.11 Cálculos dos valores de serviços - ECT
9. Composição de Custos Unitários e Memorial de Cálculos
10. Cálculos com Todas as Tabelas
11. Planilha com as Composições de Custos
12. Sustentabilidade
12.1 Painéis solares
13. Conclusão
14. Referências
1. INTRODUÇÃO

Com o surgimento de novas tecnologias, estas permitiram que o homem


desenvolvesse seu modo de vida, gerando maior conforto e atendo suas
necessidades, assim também ocorrendo na construção civil.

Observa-se que atualmente, diante de uma crise que também afeta a construção
civil, o setor acaba por desenvolver estratégias e tecnologias que favoreçam a
permanência no mercado, mas também com crescimento econômico. (XAXÁ, 2013)

Até meados do século XIX, as atividades de construção civil eram promovidas


basicamente pelo proprietário da edificação.

Antigamente, o processo construtivo era basicamente feito com a elaboração de


materiais locais reunidos para cada obra, com técnicas rudimentares e envolvendo
materiais como o pau-a-pique, adobe ou taipa de pilão. Já nas habitações mais
sofisticadas, a pedra, o barro, o tijolo e a cal. (BARROSO, 2016)

Assim, com o desenvolvimento das novas tecnologias construtivas, o projeto para


a construção com a utilização de softwares, tornaram-se mais sofisticados e de
fundamental importância. Garantindo assim a otimização de recursos e ilustração
mais clara.

Com o aumento dos custos na construção, além da diminuição dos recursos, é de


grande relevância a criação de novos materiais e métodos que possibilitem a
construção de forma sustentável. Assim, passam a buscar novos meios que
contribuam não só para o setor construtivo, mas para uma melhora na qualidade de
vida das pessoas e do ambiente de modo geral. (AMARAL, 2017)
2. OBJETIVO

Este TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) tem por finalidade colocar em prática
todos os ensinamentos adquiridos no decorrer destes três semestres de curso, sendo
estabelecido como objetivo, a criação de um projeto para construção, seja ela,
residencial, comercial ou industrial; respeitando o limite estabelecido.

O projeto proposto, que atenda os requisitos acima citados, tem metragem total de
103m², está situada no sul do estado de Minas Gerais, em zona rural do município de
Conceição dos Ouros.

O acesso a localicade se dá através da estrada dos Bernardinos, com acesso


principal pela rodovia Antonio Simões de Almeida – km 26,5 – MG-173.

Todo trabalho preliminar está fundamentado no “Programa de Necessidades”, que


se baseia em informações cedidas pelo cliente, através de questionário, que atenda
as características fundamentais e favoráveis para o desenvolvimento do projeto.

Não esquecendo as normas regulamentadoras como;


- Código de Obras,
- Leis de uso e Ocupação do Solo;
- Plano Diretor do Município;
- Área de Proteção Permanente;
- Normas estabelecidas pelas empresas de serviços essenciais.
3. JUSTIFICATIVA

1º - Porque é relevante esse tema?

O Tema proposto no desenvolvimento deste projeto se torna relevante na


aplicação dos conceitos teóricos adquiridos no decorrer do curso de “Desenho de
Construção Civil”, pois, ao realizarmos um sonho do Cliente Flavio Carlos Martins em
construir sua Edificação em um local cercado pela Natureza, trouxe aos projetistas
uma oportunidade ímpar de concluir este Curso Técnico.

2º - Quanto essa Tese e viável?

A viabilidade veio através da oportunidade, ter o cliente como parceiro no


desenvolvimento facilitou a construção das soluções aplicadas com mais clareza e
eficiência no projeto.

3° - O quanto o Tema é pertinente ao curso?

Aliar toda teoria aprendida em inúmeras aulas com Professores experientes,


trouxe um desejo de aplicar esta aprendizagem ao trabalho de conclusão de curso,
projetar uma edificação com as limitações que a licença de técnico nos permite
assinar, já partir para o mercado de trabalho com um projeto realizado, isto fez a
diferença na escolha do tema.
4. METODOLOGIA DE PESQUISA

4.1 ESTUDO PRELIMINAR:


Buscar a definição de um norteador que facilite a elaboração de um projeto,
sendo este, o conjunto de documentos necessários para execução da obra, todo
trabalho preliminar está fundamentado no “Programa de Necessidades”, o mesmo se
baseia em informações passadas pelo cliente, informações estas direcionada por um
questionários que atendam características fundamentais e favoráveis ao
desenvolvimento de todo projeto.
Objetivo: Entrevista com o cliente no formato de questionário, com a finalidade de
absorvendo as necessidades e condições de para realização de um projeto:

4.2 SERVIÇOS PRELIMINARES:


Neste questionário são abordadas as seguintes características:
Documentação do cliente e do terreno ou edificação, verba disponível, quantos
ambientes pretende ter no projeto, quantas pessoas vão morar ou frequentar a
edificação, estilo arquitetônico, se tem animal, topografia do lote, etc: isto é o programa
de necessidades.
Verificar onde se pretende realizar o empreendimento, alguns aspectos como:

✓ - A existência de energia elétrica.


✓ - Rede de água encanada.
✓ - Rede de esgoto.
✓ - Rede de telefonia, um bom sinal de telefonia móvel.
✓ - Topografia do Lote e vizinhança.
✓ - Taqueométrica e curvas de nível do Lote.
✓ - Construções existentes e como foram construídas.
✓ - Condições de clima.
✓ - Norte magnético e Norte Geográfica.
✓ - Serviços Públicos e Privados ao redor do empreendimento, exemplo:
Rodovia, avenidas, ruas pavimentadas, hospitais, escolas, transporte público,
centro comercial (banco, supermercado, farmácia, etc.).
✓ - Documentação do Lote (escritura, matricula, condições de impostos, etc.).
✓ - Croqui do empreendimento para análise do grupo.
4.3 - MÉTODOS CONSTRUTIVOS AO LONGO DO TEMPO

A terra tem sido um dos materiais de construção mais utilizados pelo homem desde
a pré-história tanto em construções de caráter popular como em edifícios
representativos e monumentos, como a construção antiga representada na figura 1,
no interior de Minas Gerais. (NEVES; FARIA, 2001).

FIGURA 1: Casa antiga do interior de Minas Gerais, com adobe aparente.


Fonte: BARROSO, 2016

A Taipa de mão, também conhecida como construção de pau a pique consiste


basicamente no entrelaçamento de madeiras com cipó, formando uma trama, que
seria preenchida por uma mistura de barro com fibras naturais. Era considerada uma
técnica popular, porém com menor resistência.

A seguir, a apresentação do projeto para contrução da casa de campo.


5. CROQUI DO PROJETO

✓ Conforme demanda da necessidade construtiva elaboramos com ajuda do Software AutoCad, as plantas e croquis.
5.1 PLANTA DA CASA

✓ Planta da casa visando cotas e precisão de construção dos locais.


Posição 1 da casa
Posição 2 da casa
5.2 - PLANTA DE ELÉTRICA

✓ Planta de elétrica visa garantir toda iluminação e pontos de tomadas da residência.


5.3 - PLANTA DE ABERTURA DE VÃOS
5.4 - PLANTAS DE CORTE

CORTE A
CORTE B
CORTE C
5.5 - PLANTAS DE ELEVAÇÃO

ELEVAÇÃO 1
ELEVAÇÃO 2
ELEVAÇÃO 3
ELEVAÇÃO 4
5.6 - PLANTAS DE COBERTURA
5.6 - PLANTA DE COBERTURA – MEMÓRIA DE CÁLCULO
5.8 - PLANTA DE COBERTURA - ÁREA DE LAZER
5.9 - ELEVAÇÕES DA COBERTURA
5.10 - ELEVAÇÕES DA COBERTURA - ÁREA DE LAZER
5.11 - PLANTA DA CUMEEIRA
5.12 - PLANTA HUMANIZADA
6.0 - MODELAGEM 3D SKETCHUP

Por ser o software de modelagem 3D mais utilizado pelos arquitetos, o SketchUp agrega valor aos profissionais. Saber utilizar
o programa é de grande importância no mercado da arquitetura e faz parte dos requisitos que muitas empresas levam em
consideração na hora de contratar um profissional na área de desenho da construção civil.
FIGURA 2: Imagem ilustrativa da construção da maquete 3D casa de campo em Minas Gerais
Fonte: Autoria própria

FIGURA 3: Imagem ilustrativa da construção da maquete 3D casa de campo em Minas Gerais


Fonte: Autoria própria
FIGURA 4: Imagem ilustrativa da construção da maquete 3D casa de campo em Minas Gerais
Fonte: Autoria própria
FIGURA 5: Imagem ilustrativa da construção da maquete 3D casa de campo em Minas Gerais
Fonte: Autoria própria
FIGURA 6: Imagem ilustrativa da construção da maquete 3D casa de campo em Minas Gerais
Fonte: Autoria própria
FIGURA 7: Imagem ilustrativa da construção da maquete 3D casa de campo em Minas Gerais
Fonte: Autoria própria
7. LOCALIZAÇÃO DE TERRENO

FIGURA 2: Imagem área do terreno em Minas Gerais


Fonte: Cliente, através do Google Maps

7.1 - LAYOUT DE POSIÇÃO DA CASA E NORTE INDICATIVO

FIGURA 3: Layout de posicionamento da casa em relação ao terreno


Fonte: Cliente
7.2 – IMAGENS DO TERRENO

ESTRADA DE ACESSO

ESTRADA DE ENTRADA DO LOTE


FRENTE DO LOTE

VISÃO PANORÂMICA DO LOTE


VISÃO DE DENTRO PARA ENTRADA DO LOTE
8. QUANTIFICAÇÃO DE SERVIÇOS

8.1. CÁLCULO DE BROCAS.


8.2. CÁLCULO DE BLOCOS.

Após a análise dos desenhos e projeto por parte do contratante foi elaborado
o orçamento da obra que é uma das operações mais importantes do processo
da obra, pois é a partir dele que se inicia o estudo de viabilidade financeira e compõe
os valores que irão estabelecer o fluxo de caixa que afeta a situação econômica da
construção como um todo. Além do cálculo dos materiais, movimentação de terra e
custos adicionais.
8.3 - CÁLCULOS DE BLOCOS ESTRUTURAIS

Quantitativo de serviços

Quantitativo de Estrutural (blocos de fundação)


Bloco de Comprimento Largura Espessura
Volume (M³)
Fundações (M) (M) (M)
B1 0,4 0,4 0,4 0,064
B2 0,4 0,4 0,4 0,064
B3 0,4 0,4 0,4 0,064
B4 0,4 0,4 0,4 0,064
B5 0,4 0,4 0,4 0,064
B6 0,4 0,4 0,4 0,064
B7 0,4 0,4 0,4 0,064
B8 0,4 0,4 0,4 0,064
B9 0,4 0,4 0,4 0,064
B10 0,4 0,4 0,4 0,064
B11 0,4 0,4 0,4 0,064
B12 0,4 0,4 0,4 0,064
B13 0,4 0,4 0,4 0,064
B14 0,4 0,4 0,4 0,064
B15 0,4 0,4 0,4 0,064
B16 0,4 0,4 0,4 0,064
B17 0,4 0,4 0,4 0,064
Total 1,088
8.4 - CÁLCULOS DE VIGA BALDRAME.

Quantitativo de serviços
Quantitativo de Estrutural (Subsolo/Baldrame)
Comprimento Largura Altura
Vigas Volume (M³)
(M) (M) (M)
V1 9,15 (H) 0,2 0,6 1.098
V2 9,60 (H) 0,2 0,6 1.152
V3 4,15 (H) 0,2 0,4 0,332
V4 3,70 (H) 0,2 0,4 0,296
V5 9,20 (H) 0,2 0, 0,736
V6 3,85 (V) 0,2 0,4 0,308
V7 3,15 (V) 0,2 0,4 0,252
V8 2,85 (V) 0,2 0,4 0,228
V9 3,00(V) 0,2 0,4 0,24
V10 2,50 (V) 0,2 0,4 0,2
V11A 3,15(V) 0,2 0,4 0,252
V11B 2,70(V) 0,2 0,4 0,216
V12 6,00 0,2 0,6 0,72
Total 6,23
8.5 - CÁLCULOS DE PILARES.

Quantitativo de serviços
Quantitativo de Estrutural (Subsolo Para Térreo)
Comprimento Largura Altura
Pilares Volume (M³)
(M) (M) (M)
P1 0,2 0,2 2,8 0,112
P2 0,2 0,2 2,8 0,112
P3 0,2 0,2 2,8 0,112
P4 0,2 0,2 2,8 0,112
P5 0,2 0,2 2,8 0,112
P6 0,2 0,2 2,8 0,112
P7 0,2 0,2 2,8 0,112
P8 0,2 0,2 2,8 0,112
P9 0,2 0,2 2,8 0,112
P10 0,2 0,2 2,8 0,112
P11 0,2 0,2 2,8 0,112
P12 0,2 0,2 2,8 0,112
P13 0,2 0,2 2,8 0,112
P14 0,2 0,2 2,8 0,112
P15 0,2 0,2 2,8 0,112
P16 0,2 0,2 2,8 0,112
P16 0,2 0,2 2,8 0,112
Total 1.904
8.6 - CÁLCULO DE LAJE
Quantitativo de serviços

Quantitativo de Estrutural (Térreo)


Laje Área Altura
Perímetro (M) Volume (M³)
s (M²) (M)
L1 41 79,73 0,12 9,57
Total 79,73 Total 9,57

8.7 QUANTITATIVOS SERVIÇOS TOTAIS

Quantitativo de serviços

Volume Total
Pilar do térreo 1,904
Lajes do térreo 9,57
Vigas subsolo/baldrame 6,23
Volume Total (M³) 17.704

8.8 CÁLCULOS DE AÇO NAS ESTRUTURAS

✓ Volume total de laje do térreo e andares 1 = 9,57 m³ de concreto


✓ 9,57 m³ de concreto x 70 kg de aço m³ de concreto = 669,90 kg de aço
✓ Volume total de viga baldrame = 6,23 m³ de concreto
✓ 6,23 m³ de concreto x 100 kg de aço m³ de concreto = 623 kg de aço
✓ Volume total dos blocos de fundações = 1.088 m³ de concreto
✓ 1,088 m³ de concreto x 90 kg de aço m³ de concreto = 1,088 kg de aço
✓ Volume total dos pilares do subsolo para térreo = 1,904 m³ de concreto
✓ 1,904 m³ de concreto x 90 kg de aço m³ de concreto = 171,36 kg de aço

✓ Cálculos de Formas
✓ Volume total de concreto de pilar, viga, laje e bloco de fundação = 18.792
m³ de concreto
✓ 18.792 m³ de concreto x 12 m² de forma m³ de concreto = 225,504 m² de forma.
8.8 CÁLCULO DO CUSTO UNITÁRIO BÁSICO (CUB)

Fonte: Sinduscon-Vale do Piranga


http://www.cub.org.br/cub-m2-estadual/MG/
8.9 IDENTIFICAÇÃO DO PADRÃO DA EDIFICAÇÃO

Conforme tabela do Sinduscon-Vale do Piranga a edificação é padrão Normal, se


adequando na tabela R1(residência unifamiliar).

8.10 VALOR CORRESPONDENTE AO M² PARA CONSTRUÇÃO DA EDIFICAÇÃO

O valor correspondente é de R$ 1.613,52 no total de 79,73 m², totalizando uma


estimativa do CUB de R$ 128.645,95 (cento e vinte oito mil seiscentos e quarenta e
cinco reais e noventa e cinco centavos) – valor estimado através do CUB.
Na formação destes custos unitários básicos não foram considerados os
seguintes itens, que devem ser levados em conta na determinação dos preços por
metro quadrado de construção, de acordo com o estabelecido no projeto e
especificações correspondentes a cada caso particular: fundações, submuramentos,
paredes-diafragma, tirantes, rebaixamento de lençol freático; elevador(es);
equipamentos e instalações, tais como: fogões, aquecedores, bombas de recalque,
incineração, ar-condicionado, calefação, ventilação e exaustão, outros; playground
(quando não classificado como área construída); obras e serviços complementares;
urbanização, recreação (piscinas, campos de esporte), ajardinamento, instalação e
regulamentação do condomínio; e outros serviços (que devem ser discriminados no
Anexo A - quadro III); impostos, taxas e emolumentos cartoriais, projetos: projetos
arquitetônicos, projeto estrutural, projeto de instalação, projetos especiais;
remuneração do construtor; remuneração do incorporador.
Devemos atentar ao CUB, pois ele não resume o valor total da obra, apenas da
uma estimativa sobre o preço do imóvel, conforme planilha abaixo de custos
adicionais, nos dá uma estimativa de valores que podem ser adicionados a construção
com base na planilha Estimativa de Custo Total (ECT).
8.11 CÁLCULOS DOS VALORES DE SERVIÇOS COM BASE NA ESTIMATIVA
DE CUSTO TOTAL (ECT)

Fórmula de Composição (ECT) = CUB (Custo Unitário Básico/m²) x Área Total


Construída
Fórmula de Composição (ECT) = CUB (Custo Unitário Básico/m²) x Área Total Construída x Porcentagem
%
Item Serviços Porcentag CUB Área Valor do
em % m² ECT R$
1 Canteiro de obra 1,5% R$ 1.929,69
2 Serviços Gerais de Administração 3,0% R$ 3.859,38
3 Proteções 0,5% R$ 643,23
4 Sistemas hidráulicos
5 Sistemas Sanitários e Pluviais
6 Sistemas prevenção e combate a 10,5% R$ 13.507,82
incêndio R$ R$
7 Sistemas elétricos 1.613,52 79.73 R$ 5.789,07
8 Automação, sistemas lógicos de 4,5%
telecomunicação.
9 Sistemas de Proteção contra 0,2% R$ 257,30
descargas atmosféricas
10 Ar condicionado, ventilação e 0,5% R$ 643,23
exaustão.
11 Sistema de monitoramento 2,5% R$ 3.216,15
informatizado e seguranças
TOTAL
R$29.845,87

✓ VALOR A SER ADICIONADO A CONSTRUÇÃO DO IMOVEL


TOTALIZANDO UMA ESTIMATIVA PRELIMINAR

✓ R$ 158.491,82 (cento e cinquenta e oito mil quatrocentos e quarenta e


um real e oitenta e dois centavos).

8.12 IDENTIFICAÇÃO DO PADRÃO DA EDIFICAÇÃO


Conforme tabela do Sinduscon-Vale do Piranga a edificação é padrão Normal, se
adequando na tabela R1(residência unifamiliar).
9. COMPOSIÇÃO DE CUSTOS UNITÁRIOS E MEMORIAL DE CÁLCULOS
COM TODAS AS TABELAS

Tabelas elaboradas com dados do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e


Índices da Construção Civil (SINAPI) e tabela de Composição SINAPI
O Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil
(SINAPI) é a ferramenta pela qual a Administração Pública Federal (ou demais
Administrações que esteja manuseando verba federal) define os valores dos insumos
e serviços necessários às obras e serviços de engenharia.
Não raramente, a utilização adequada deste sistema de referenciamento
orçamentário pode ser alvo de dúvidas, principalmente no que toca a sua
obrigatoriedade. Tal realidade poderia conduzir à conclusão de que as obras e
serviços de engenharia custeados com recursos provenientes do orçamento da União
não mais necessitam ter a definição dos preços respectivos a partir do SINAPI. Essa
assertiva, por sua vez, não parece ser a mais correta.
“Art. 3º O custo global de referência de obras e serviços de engenharia, exceto
os serviços e obras de infraestrutura de transporte, será obtido a partir das
composições dos custos unitários previstas no projeto que integra o edital de licitação,
menores ou iguais à mediana de seus correspondentes nos custos unitários de
referência do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil
– SINAPI, excetuados os itens caracterizados como montagem industrial ou que não
possam ser considerados como de construção civil.
Parágrafo único. O SINAPI deverá ser mantido pela Caixa Econômica Federal
– CEF, segundo definições técnicas de engenharia da CEF e de pesquisa de preço
realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.”
Assim, em que pese a ausência de previsão na LDO 2014, a observação da
tabela SINAPI encontra-se presente no Decreto n° 7.983/2013, permanecendo
obrigatória para a Administração Pública Federal.
Agora, há que se levar em consideração que cada região e cada
empreendimento possui suas particularidades técnicas e de mercado, o que finda por,
em alguns casos, gerar uma variação no custo de insumos e serviços em relação
àqueles consignados no SINAPI.
9.1 PLANILHAS DE COMPOSIÇÃO DE CUSTOS E SERVIÇOS
9.2 PLANILHA COM TODAS AS COMPOSIÇÕES DE CUSTOS
10. SUSTENTABILIDADE

O conceito de moderna construção sustentável baseia-se no desenvolvimento de


um modelo que enfrente e proponha soluções aos principais problemas ambientais de
sua época, sem renunciar à moderna tecnologia e à criação de edificações que
atendam as necessidades de seus usuários.

Trata-se de uma visão multidisciplinar e complexa, que integra diferentes áreas do


conhecimento a fim de reproduzir a diversidade que compõe o próprio mundo.

A construção sustentável seu contexto teórico encontram-se conhecimentos de


arquitetura, engenharia, paisagismo, saneamento, química, elétrica, eletrônica, mas
também de antropologia, biologia, medicina, sociologia, psicologia, filosofia, história e
espiritualidade.

Por isso, para se atingir uma construção sustentável que atenda as


recomendações das Normas ISO 21930 e ISO 15392, é importante pensar e atuar de
forma holística, sem dividir e decompor em partes estanques e separadas o que se
propõe para a edificação, não se trata de formar inúmeras equipes multidisciplinares
cada qual especializada em um campo na obra sustentável o que a tornaria acessível
apenas a proprietários e investidores de alto poder aquisitivo, mas sim de criar a
cultura da sustentabilidade no seio da própria sociedade.

Dessa forma, muito mais do que um tema de “domínio público” do qual muito se
fala, mas pouco se faz, o conhecimento da construção sustentável poderá tornar-se
um saber e um viver público, ou seja, um processo cultural.
10.1 PAINÉIS SOLARES

A definição de Energia Solar é associada à energia fotovoltaica, tecnologia que


utiliza a luz do Sol como fonte de energia para gerar eletricidade e, portanto, possui a
vantagem de ser uma energia gratuita, renovável, alternativa e limpa, apesar da
desvantagem de seu alto custo inicial.

A energia solar funciona utilizando placas fotovoltaicas, responsáveis por captar a


luz do sol e gerar energia, contando com vantagens como ser o sistema de geração
de energia mais barato do mundo, além de sua facilidade de manutenção e o fato de
trazer economia de até 95% na conta de luz.

São vantagens e desvantagens da energia solar, respectivamente: possuir vida


útil de até 25 anos, além de gerar economia de até 95% na conta de luz, pagando-se
em até 7 anos, apesar de não gerar energia à noite ou quando há quedas de energia
na rede elétrica, exceto em sistemas com baterias.

A energia solar fotovoltaica possui vantagens e desvantagens, entre elas: a


facilidade de acesso à energia elétrica em locais mais remotos, apesar de sistemas
off-grid possuírem baixa capacidade de armazenamento por ainda estarem em
desenvolvimento.

Com todas essas informações acima optamos por incluir em nosso projeto a
inclusão de 4 painéis solares para ajudar na captação de energia solar.
CONCLUSÃO

Diante dos argumentos, dados e informações expostas, foi possível analisar


com as ilustrações e desenhos os melhores processos construtivos, visando além da
construção a aplicação dos ensinamentos e pesquisas ao longo do curso de desenho
da construção civil, onde foi possível concluir que a demanda por fazer parte da
modernidade faz com que tenhamos que melhorar os processos construtivos das
residências, mantendo sua beleza e funcionalidade.

Mas a demanda atual por práticas sustentáveis de modo geral, e especialmente


relativas à construção civil, com técnicas, métodos e processos construtivos
sustentáveis fez com que nosso projeto fosse adequado às boas práticas atuais
cumprindo o nosso dever de pensar nas gerações futuras.

Concluímos que mesmo uma casa de campo, pode ser atual e moderna
visando cumprir todas as etapas construtivas e seguras, além de mostrar
completamente tudo que foi aprendido ao longo do curso nas aulas, que mesmo com
a pandemia de Covid-19, tem mantido os ensinamentos e a grade curricular da
ETESP, cumprindo a missão de preparar novos profissionais para o mercado de
trabalho.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

NBR – 15270 - Blocos cerâmicos.

NBR – 8545 – Blocos cerâmicos sem a função estrutural.

NBR – 7199 - Execução e aplicação de vidros na Construção Civil.

NBR – 15758 – Sistemas Construtivos em chapas de gesso de Darya

Apostila de Madeiras - Francisco A Romero Gesualdo.

SISTEMA DE VEDAÇÃO VERTICAL – PAINÉIS DE MADEIRA – UFBH

Painéis de madeira como vedação vertical em construções – Artigo 2686


da PUC Minas.

Apostila, Caderno de Construção Civil, Fatec São Paulo, 1992, número


82.

Você também pode gostar