Você está na página 1de 14

TEORIA GERAL DA

ADMINISTRAÇÃO I

Andrea Wanowschek dos Santos


O ambiente global
em mudança – MC
Objetivos de aprendizagem
Ao final deste texto, você deve apresentar os seguintes aprendizados:

 Apontar quais foram e quais são as formas pelas quais os países têm
diminuído as suas barreiras comerciais e culturais. 
 Identificar o papel da cultura nacional nesse cenário. 
 Explicar o modelo de cultura nacional de Hofstede.

Introdução
A administração global está diretamente relacionada à expansão do processo
de globalização, processo esse que tem proporcionado muitas mudanças
para todos os cidadãos. É possível perceber o surgimento de novas tecnolo-
gias, o fortalecimento da língua inglesa e também o surgimento de blocos
econômicos muito fortes. Com esse processo de expansão, é notável que as
barreiras culturais e comerciais tenham diminuído entre os países, pois todos
têm um objetivo em comum que está atrelado ao seu crescimento e aos
resultados positivos decorrentes de suas operações comerciais.
Assim, é possível perceber que a cultura também vem sofrendo
alterações, pois todos têm acesso a qualquer informação, a qualquer
momento. A disseminação da cultura dominante é realizada através
dos meios de comunicação, onde é possível promover uma integração
social mesmo que as pessoas não estejam no mesmo território. Isso é
fantástico, não é mesmo?
Em decorrência das mudanças culturais, foi proposta a Teoria de
Hofstede, que demonstra que os países têm suas próprias culturas, e
que o que dá certo em determinado local pode não dar certo em outro,
não existindo uma única forma de gestão para ser aplicada em todos
os países do nosso planeta. Neste texto, você irá aprofundar os seus
conhecimentos sobre a administração global e as mudanças que são
acarretadas por ela. 
2 O ambiente global em mudança – MC

A diminuição das barreiras comerciais e


culturais dos países
Com a expansão da globalização, as relações comerciais entre as empresas e
os países foram sendo estreitadas. Um grande exemplo disto são as empresas
multinacionais. Elas têm colaborado para a efetivação deste processo por
desenvolver atividades distintas em territórios diferentes. Outro aspecto re-
levante é a constituição de blocos econômicos com o intuito de se fortalecer
no mercado que está cada vez mais competitivo (BLOCOS ECONÔMICOS,
2018?; CERQUEIRA; FRANCISCO, c2018).

O que são blocos econômicos?


São grupos de países que objetivam a integração social e a integração econômica
com o propósito de aumentar a prosperidade dos membros participantes. Estes blocos
estão divididos em quatro categorias: Zonas de Livre Comércio, Uniões Aduaneiras,
Mercados Comuns e Uniões Econômicas e Monetárias.

É possível visualizar que, nos blocos econômicos, as barreiras comerciais


e culturais são menores, pois, inicialmente, estes grupos buscam a isenção de
tarifas de importação dos produtos junto aos países que fazem parte da aliança,
e também objetivam a constituição de uma zona de livre comércio. Em outras
palavras, um produto que for produzido em um país poderá ser vendido em
outro, sem qualquer restrição fiscal, sempre sendo consideradas as normas
sanitárias e também as legislações vigentes do país que está recebendo o pro-
duto (BLOCOS ECONÔMICOS, 2018?; CERQUEIRA; FRANCISCO, c2018).
Atualmente, é possível perceber que estão ocorrendo mais fusões entre as
organizações e, concomitante, a produção de uma empresa pode ser realizada
em vários países, além de poder exportar para os demais. Isto tudo está atre-
lado ao propósito de baixar os custos de produção e elevar a produtividade.
Consequentemente, produtos similares podem ser encontrados em qualquer
parte do mundo.
O ambiente global em mudança – MC 3

A diminuição das barreiras comerciais possui dois lados, sendo um bastante


positivo, que são as trocas culturais e comerciais entre as nações, e o outro
negativo, que é o aumento de pessoas mais dependentes de outras pessoas e
processos.
O comércio internacional tem a intenção de manter vantajosa a balança
comercial, isto é, importar menos e exportar mais. Existe, também, a balança
de pagamentos que é amplamente mais significativa que a balança comercial,
pois além de realizar as trocas comerciais, compreende as trocas internacionais
de serviços, tais como empréstimos e pagamentos de direitos sobre o uso
de marcas (royalties). Um dos maiores obstáculos para o aumento de uma
economia mais globalizada são as barreiras alfandegárias, que represen-
tam um forte impedimento para o crescimento do capitalismo. As empresas
globais precisam de espaços cada vez mais amplos para circular livremente
bens, serviços e capitais (BLOCOS ECONÔMICOS, 2018?; CERQUEIRA;
FRANCISCO, c2018).
Por meio da globalização, diversos aspectos do comércio internacional
sofreram alterações, tais como:

 Os países subdesenvolvidos têm investido mais em exportação de produ-


tos manufaturados, que são trabalhos realizados a mão. Anteriormente,
eram especialistas em exportação de matérias-primas.
 Para descomplicar o trânsito de mercadorias, os países estão formando
alianças entre si.
 Com a queda das barreiras políticas, o volume de trocas aumentou.

Infelizmente, nem todas as regiões do mundo são beneficiadas igualmente


com esta nova forma de comércio internacional. Atualmente, ocorrem diver-
sas transformações interessantes de serem observadas, como o crescimento
das transações comerciais, a rapidez na evolução tecnológica, o aumento de
investimentos em pesquisa e educação (BARBOSA, 2001).
No Quadro 1, você pode verificar algumas vantagens e desvantagens com
o processo de diminuição das barreiras comerciais e culturais entre os países.
4 O ambiente global em mudança – MC

Quadro 1. Vantagens e desvantagens do processo de diminuição das barreiras comerciais


e culturais.

Vantagens Desvantagens

Surgimento de novos tipos Aumento nos problemas relacionados


de trabalho, que geram novos à exploração de mão de obra.
empregos, mas as pessoas
precisam estar qualificadas.

Introdução de novos produtos Grandes empresas estão deixando


no mercado e no aumento das os seus países de origem e se
trocas comerciais entre os países, instalando nos que propõem
com a consequente melhora melhores condições de investimento.
das relações entre os países.

Introdução de novas O consumismo tem aumentado.


tecnologias, sendo possível
conhece-las rapidamente.

Aumento do nível educacional em Aumento da exclusão social para


consequência da disseminação quem não possui recursos para
de hábito culturais diferentes. ingressar no ensino, tendo como
consequência o avanço da violência
e outros problemas sociais.

Fonte: Adaptado de Barbosa (2001).

A partir das vantagens e desvantagens, é possível perceber os benefícios e


os malefícios da diminuição entre as barreiras comerciais e culturais, porém o
mundo está em constante transformação e tudo pode ser alterado a qualquer
momento. Os problemas que ocorrem com a globalização podem ser sanados,
porém é necessário um olhar diferenciado para eles.

Papel da cultura nacional


Atualmente, é praticamente impossível viver sem a internet, ela é responsável
por aproximar as pessoas, diminuir as fronteiras e simplificar o tráfego das
redes de comunicações. Se pensarmos bem, todos têm acesso a tudo pela
internet, inteirando-se de uma notícia que ocorreu há alguns minutos em
frações de segundos. Tudo se tornou muito dinâmico, com a divulgação das
O ambiente global em mudança – MC 5

informações em apenas um clique. Se analisarmos, é inconcebível pensar em


globalização sem associá-la à internet.
Os processos de globalização são percebidos em qualquer região do nosso
planeta, pois estão disponíveis elementos essenciais deste processo distribu-
ídos na grande maioria dos locais. Os elementos que mais visualizamos são
as antenas de celular e de televisão, a modernização dos meios de transporte,
os cabos de fibra óptica, as redes que nem sempre podem ser vistas a olho
nu, mas que fazem parte do espaço em que vivemos, entre outros elementos
(CESNIK; BELTRAME, 2004).
É provável que você já tenha notado que o processo de globalização tem
ação direta com a cultura do país, pois estabelece incontáveis princípios e
aspectos que influenciam, principalmente, a economia, a política, a sociedade
e a educação. Nesta conjuntura, a cultura está completamente introduzida.
Você já percebeu as mudanças nas paisagens? E que essas mudanças têm
relação com a diversificação do natural ao cultural? Estes ambientes são
peculiares a todas as sociedades capitalistas, mas seus elementos culturais
locais ou regionais visualizamos através das particularidades de cada região.
Porém, também é notável que muitas culturas sofrem interferência de outras
culturas externas, podendo aderir a novas propostas.
Existem inúmeras dúvidas e questionamentos que muitos devem estar
fazendo neste momento, pois as mudanças são tantas:

 Será que elas são percebidas?


 Você percebe o comportamento e as mudanças que estão ocorrendo na
cultura na era da globalização?
 Você compreende que estamos passando por um processo de padro-
nização cultural?
 Ou não percebe nenhuma alteração?
 O nosso espaço social está cada vez mais interligado com o global,
você nota isto?

Existem diversos questionamentos e, para alguns, as respostas são claras;


para outros, nem tanto, mas a certeza é a de que estamos caminhando para
um mundo novo, onde as mudanças acontecem a cada instante.
A comunicação está muito mais fácil desde a expansão da globalização e, como
resultado, a transferência de valores culturais ocorre com maior facilidade, pois
todos têm acesso a qualquer informação pela internet, e isto influencia muito as
pessoas. É perceptível que as influências culturais são mais rápidas entre os jovens.
Com os meios de comunicação, é possível disseminar as diferentes culturas e os
6 O ambiente global em mudança – MC

diferentes costumes de cada região do nosso mundo, ocorrendo uma integração


social sem precisar haver uma integração territorial. Mas existem alguns aspectos
negativos deste processo, pois é observável que nem todas as informações cultu-
rais se propagam de maneira igualitária, pois as regiões economicamente mais
dominantes conseguem divulgar um grande número de princípios culturais e, por
isso, influenciam mais pessoas (CESNIK; BELTRAME, 2004).
Os padrões de comportamento e os hábitos das pessoas, tais como roupa,
etiqueta, atividades de lazer, entre outros, são gerados através da indústria
cultural. Esta terminologia foi criada no início do século XX e até hoje pode-
mos empregá-la. A indústria cultural nada mais é do que a uniformização do
modo de ser e de agir das pessoas baseado na cultura dominante de referência,
onde os hábitos e os valores locais acabam sendo menos valorizados do que
a cultura externa. Muitos acreditam que o processo de globalização é um
sistema desumano, pois não é democrático e valoriza apenas as economias
dominantes do mundo. E você, o que pensa sobre isto?

Acessando o link a seguir, você pode conhecer um pouco mais sobre o significado da
terminologia Indústria Cultural.

https://goo.gl/K3SQGy

Vamos desconstruir um pouco as informações que você conhece referente


à indústria cultural, pois é possível constatar que, com a globalização, os
sistemas de comunicação, as informações e o transporte estão aumentando a
sua capacidade de disseminação. Com isto, existe uma forte possibilidade de
os costumes e os valores locais interferirem nos elementos globais. Mas como
isto poderia ocorrer? Através da divulgação e da propagação das culturas das
comunidades locais e/ou regionais. Com isso, elas ultrapassam fronteiras e suas
características são conhecidas por diversas pessoas, promovendo a divulgação
da cultura de pequenas cidades e não apenas da cultura economicamente
dominante, como ocorre no processo da indústria cultural. Em um primeiro
momento, talvez seja um pouco confuso pensar nisto, mas para tudo existem
dois lados.
O ambiente global em mudança – MC 7

A hegemonia cultural é um conceito que define muito bem a cultura em


um mundo globalizado, pois os sistemas de comunicação possibilitam que as
pessoas expressem as suas ideias e os seus pensamentos através de diversos
canais de comunicação. São eles que auxiliam na divulgação e na captação
das preferências das pessoas, e com isto é possível perceber que os filmes e
os seriados são criados a partir destas influências, persuadindo os compor-
tamentos da grande maioria das pessoas.
Concomitante às redes de televisão e de computadores, é possível quebrar
as barreiras das informações, pois as pessoas são ligadas por esta enxurrada
de informações que recebem diariamente, e isto forma uma grande aldeia
global. Podemos perceber que a língua inglesa se torna essencial dentro deste
estereótipo, pois saber falar e entender o idioma é essencial para a comunicação
que, atualmente, é universal.
Não existe apenas uma visão sobre o papel da cultura nacional no cenário
da globalização, existem influências culturais externas, e mesmo que os ele-
mentos culturais estejam em constante transformação, é importante estarmos
atentos a todas as informações que recebemos, possuindo a preocupação de
entender e absorver os fatores externos trazidos de outras sociedades, mas
nunca renegando os valores tradicionais peculiares da nossa cultura.
Por fim, para estarmos conscientes de todas as transformações, é indispen-
sável nos mantermos informados e atualizados, pois a todo instante chegam
inúmeras informações novas e diversas descobertas dos mais variados setores.

O modelo de cultura nacional de Hofstede


O modelo de cultura nacional de Hofstede, também é conhecido como Teoria
da Cultura de Geert Hofstede, e está fundamentado em um grande estudo sobre
as diferenças culturais. Existe um fato relevante que ocorreu nos anos 70, onde
determinada empresa tentava entender os motivos de duas filias estrangeiras
possuírem resultados diferentes e também precisarem ser gerenciadas de ma-
neiras diferenciadas, embora a ideia da matriz fosse unificar todas as normas
e procedimentos comuns. Quando tentavam fazer isto, nunca alcançavam
resultados significativos. O que será que estava ocorrendo com estas filiais
estrangeiras? Por que os procedimentos de trabalho não funcionavam nas duas
unidades? (PORTAL GESTÃO, 2011)
Simplesmente porque cada uma das filiais possuía empregados com culturas
diferentes, e isto denotava as particularidades no seu funcionamento, pois a
cultura do país que acolheu a empresa filial é fator determinante para entender
8 O ambiente global em mudança – MC

e realizar os procedimentos estabelecidos, sendo que a cultura é determinada


pelos membros da sociedade de cada país. Sendo assim, é praticamente impos-
sível a tarefa de manter os mesmos procedimentos e processos em dois locais
com culturas tão diferentes. Exemplo: a cultura do povo brasileiro e a cultura
do povo japonês, se você pesquisar sobre o assunto perceberá nitidamente as
diferenças entre ambos (PORTAL GESTÃO, 2011).
Não existe um modelo universal de gestão, nem uma única teoria de
administração global no mundo. A própria palavra “gestão” tem inúmeros
significados e em cada país pode ser tratada de uma forma ou de outra, pois
ela está atrelada diretamente ao gerenciamento dos processos e das pessoas.
Cada cultura pode ocorrer em um formato distinto, possuindo relação direta
com tudo que ocorre, portanto, cada cultura tem a sua própria característica.
Já a cultura organizacional deve ser tratada como um acontecimento isolado,
possuindo aspectos bastante distintos das características de uma cultura nacio-
nal. Uma cultura nacional é baseada nos valores que podem ser adquiridos no
seio familiar, em escolas e na própria comunidade. Já a cultura organizacional
é baseada em processos praticados dentro da instituição e compartilhados
através da troca de informações no próprio ambiente de trabalho. As Figuras
1 e 2 ilustram os conceitos.

Figura 1. Relação entre cultura organizacional e cultura nacional.


Fonte: Adaptada de Silveira e Garcia (2010).
O ambiente global em mudança – MC 9

Figura 2. Características da cultura organizacional.

A Teoria Cultural de Hofstede é abordada sobre o viés de cinco dimensões


referentes às diferenças dos valores entre as culturas nacionais (Quadro 2).

Quadro 2. Diferenças entre valores.

A distância do poder pode ser também chamada de


distância hierárquica, pois tem o intuito de avaliar
o quanto os membros com menos poder em uma
sociedade aceitam e preveem a distribuição desigual,
Distância
sendo mensurada através de sistemas que possuem
do poder
menores poderes.
Esta característica tem relação direta com a maneira
que as diferentes sociedades enfrentam a gestão das
desigualdades entre os cidadãos.

Esta dimensão tem a ver com as pessoas e os grupos


do qual pertencemos. A ideia é constatar se as pessoas
querem apenas tomar conta de si próprias, das suas famílias
Individualismo
e/ou organizações que estão atreladas, ou se fazem parte
versus coletivismo
de uma sociedade com ou sem relação entre os indivíduos,
onde é possível dividir informações ou simplesmente
retê-las em seus próprios grupos.

A dimensão da masculinidade versus feminilidade prevê


a determinação dos papeis dos homens e das mulheres
Masculinidade em uma sociedade. Cada cultura define estes papeis de
versus maneiras diferentes. É importante avaliar se a cultura
feminilidade possui direcionamento para influenciar, acertar e para
a aquisição de coisas, ou é mais focada na contribuição
das pessoas, em seus sentimentos e na qualidade de vida.

(Continua)
10 O ambiente global em mudança – MC

(Continuação)

Quadro 2. Diferenças entre valores.

Esta dimensão foi definida como o grau de ameaça que


pode ser constatado pelos membros de uma cultura em
Evitar a incerteza momentos desconhecidos ou de incertezas, ou melhor,
representa o sentimento de aflição que as pessoas sentem
ou as inseguranças com os riscos e situações não previstas.

É mensurado pelas tradições dos acontecimentos


passados ou presentes, onde a sociedade irá se basear
Orientação a em um outro aspecto, sempre visualizando os benefícios
longo prazo versus apresentados e que desejam para o futuro. A longo
a curto prazo prazo, são os valores orientados para o futuro. Exemplo:
poupança. A curto prazo, são os valores orientados para
o passado e o presente. Exemplo: respeito às tradições.

Por fim, para compreendermos qual é a gestão que ocorre em determinado


país, é necessário possuir conhecimento e compreensão do cenário local. Após
conhecer as dimensões propostas na Teoria Cultural de Hofstede, é possível
compreender que os indivíduos que residem em outros países podem pensar,
sentir e agir de forma muito diferente do nosso país de origem.

BARBOSA, A. F. O mundo globalizado: política, sociedade e economia. São Paulo:


Contexto, 2001.
BLOCOS ECONÔMICOS. Blocos econômicos. [S.l.: s.n., 2018?]. Disponível em: <http://
blocos-economicos.info/>. Acesso em: 17 out. 2017.
CERQUEIRA, W.; FRANCISCO. Blocos econômicos. [S.l.]: Mundo Educação, [c2018?]. Dis-
ponível em: <http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/blocos-economicos.
htm/>. Acesso em: 17 out. 2017.
CESNIK, F. S.; BELTRAME, P. A. Globalização da cultura. São Paulo: Manole, 2004.
PORTAL GESTÃO. Teoria das dimensões culturais: Geert Hofstede. [S.l.]: Portal Gestão,
2011. Disponível em: <https://www.portal-gestao.com/artigos/6675-teoria-das-
-dimens%C3%B5es-culturais-geert-hofstede.html>. Acesso em: 19 out. 2017.
O ambiente global em mudança – MC 11

SILVEIRA, L.; GARCIA, F. Influência da cultura nacional na cultura organizacional: estudo


de caso de aquisição no sector de Biotecnologia. Gestão & Planejamento, v. 11, n. 1, p.
24-43, 2010. Disponível em: <http://slideplayer.com.br/slide/1633681/5/images/25/
Gest%C3%A3o+Internacional+de+Recursos+Humanos+CULTURA+ORGANIZACIO
NAL.jpg>. Acesso em: 09 mar. 2018.

Leitura recomendada
HENDERSON, H. Além da globalização. São Paulo: Cultrix, 2003.

Você também pode gostar