Você está na página 1de 3

1- É simplesmente incrível ver um simpósio com um tema tão

interdisciplinar, até porque geralmente os estudantes preferem


focar em temas mais casuais para sua graduação, conseguir ter
essa visão multidisciplinar é revolucionário. Como você, quanto
graduanda de farmácia, teve esse pensamento voltado ao meio
ambiente?

Bom, eu li em uma revista uma vez que os profissionais visionários do futuro


serão aqueles competentes em sua profissão com uma preocupação
ambiental, pois eles sabem que sem o meio ambiente não existe futuro.
Acredito eu, que como farmacêuticos nós temos que ter a compreensão de que
A toxicidade de uma substância química é à sua capacidade de causar dano em um
órgão determinado, de se alterar os processos bioquímicos ou então alterar um
sistema enzimático e que Todas as substâncias, sejam elas naturais ou sintéticas são
potencialmente tóxicas, por isso, temos que ter a percepção de que quando esses
efeitos tóxicos estão no meio ambiente e que, mesmo sem saber, estamos
diariamente consumindo alimentos ou a agua contaminada, mesmo que
involuntariamente, estamos colocando o nosso corpo a uma constante contaminação.
Mas e ai, qual os malefícios que isso irá nos trazer com o tempo? Ainda não sabemos,
precisamos de profissionais corajosos e capacitados para estar colocando isso sempre
em questão. Então, meu sonho é me tornar uma profissional capacitada com a
obtenção de conhecimento necessário e utilizar isso para ajudar ao meio ambiente. é
algo que me deixa extremamente eufórica. Eu amo o meio ambiente, está enraizado
em mim e vou levantar essa bandeira o quanto for possível.

2- E quando temos mais de um fármaco, já se sabe o que acontece?

É o que chamamos de combinada dos fármacos, ainda é muito pouco


conhecida, não se tem muitos estudos que nos embasem, porém não podemos
descartar os seus efeitos aditivos ou sinérgicos. Como exemplo podemos citar
os anti-inflamatórios ibuprofeno e diclofenaco que podem aumentar ainda mais
a mortalidade de uma espécie de microcustáceos chamada Daphnia magna.
E essa preocupação se agrava ainda mais se pensarmos que essas
substâncias são sempre encontradas no meio ambiente.

3- Já existem estudos voltados para a análise de afluentes urbanos?

Sim, e os dados desses estudos apontam para uma concentração de


hormônios derivados de resíduos fármacos capazes de afetar gravemente os
rios e lagos de diversas regiões. Como eu disse na apresentação, os dados
levantados no ano de 2010 pela companhia Brasil Health Service mostram que
1kg de medicamento descartado via esgoto pode contaminar até 450 mil litros
de água.
E pra gente ter uma idéia ainda maior do potencial desses impactos e de suas
possíveis consequências, um estudo da Agência Brasileira de Desenvolvimento
Industrial, publicado em outubro de 2016 indicam efeitos na reprodução e
mobilidade de organismos aquáticos.
Gente os impactos do descarte são graves e precisam ser debatidos com
seriedade.

4- Quais danos os medicamentos podem provocar ao meio ambiente?

Apesar de ainda sabemos muito pouco sobre as consequências que podem


ocorrer devido a esse descarte de medicamentos a longo, por ainda existir
poucos estudos, temos o entendimento de que todos os medicamentos são
formulados para provocar um certo efeito, correto? Concordam comigo? Isso
porque eles conseguem atravessar as barreiras biológicas dos organismos pra
conseguir chegar até o órgão afetado. Certo? Dessa forma fica fácil fazer uma
analogia compreendendo que ao colocarmos esse entendimento
correlacionado com o meio ambiente percebemos que os RQM também podem
resistir a barreiras e a degradação, e com isso se tornar mais persistentes.

5- Você acredita que alguma dessas substâncias apresentem uma


tendência cumulativa?

Sim! algumas destas substâncias já apresentam essa tendência, mas o que


seria isso ne? Significa que elas podem se acumular através cadeia trófica né
que é a cadeia alimentar, se tornando uma via de contaminação para os seres
humanos, já que vai ocorrer ali uma sequência de organismos servindo de
alimento para outros. E em geral, nós nos alimentamos desses organismos.

6- Você acredita que o uso intensivo de medicamentos acaba


transformando os resíduos destes compostos em poluentes
comuns nos ambientes aquáticos?

Sim, pois após a utilização desses farmacos, seja na medicina humana ou na


veterinária, os medicamentos são excretados pelos organismos diretamente
para o ambiente, e são transportados para os corpos hídricos, passam por
estações de tratamento de esgoto (ETEs). Nestas estações, normalmente os
resíduos de medicamentos não são removidos completamente devido à
tecnologia ineficiente, e dessa forma acabam alcançando o meio ambiente.
Essas águas após contaminadas podem ser utilizadas para produção de água
potável.
Agora, nas estações de tratamento de água (ETAs), a mesma situação pode
acontecer, ou seja, por falta dessas tecnologias mais avançadas, os resíduos
de fármacos podem ser encontrados na nossa água potável.

7- Como os medicamentos que nós consumimos chegam até o


ambiente?
Ao se consumir uma elevada quantidade de fármacos, uma parcela acaba
sendo excretada pelas fezes e pela urina, e assim chegam às Estações de
Tratamento de Esgoto que não tem a capacidade de filtrar estes compostos e
acaba sendo escoada para os rios, junto com os resíduos sanitários. Fora
aquelas pessoas que tem o habito de acumular medicamentos em suas casas,
ne? São aquelas tão famosas “farmacinhas residenciais”, um
comportamento que está impregnado na cultura da sociedade brasileira. Bom,
muitas vezes, esses medicamentos acabam vencendo e são descartados no
vaso sanitário atingindo os corpos hídricos. Ou então, quando descartados no
lixo comum, acabam sendo levados para aterro sanitário comprometendo a
qualidade do solo. Além disso, os componentes químicos descartados podem
alcançar o nível freático, poluindo o reservatório das águas submersas no solo.

8- Medicamento na água é problema?

Sim. A introdução no ambiente aquático de substâncias químicas sintéticas vai


envolver uma enorme variedade de compostos e seus efeitos sinérgicos podem
ocorrer, até mesmo com outras classes como metais pesados e pesticidas, que
tbm são muito encontrados no meio ambiente.

Você também pode gostar