Você está na página 1de 5

Data do estudo Lição 8

Texto base: 1 Tessalonicenses 4:18

À Espera do Mestre
A Primeira Carta aos
Tessalonicenses

A Carta de Paulo aos Tessaloni- lata alguns problemas que lá ocor-


censes foi provavelmente a primeira riam. O que alegrava o coração de
carta escrita por ele. É quase certo Paulo era saber sobre o crescimento
que Paulo escreveu essa primeira espiritual da congregação.
epístola da cidade de Corinto, onde
Silas e Timóteo, também remeten- 1. Liderança na igreja
tes da carta, estavam com ele. “Sil-
(2:1-12)
vano” era a forma latina do nome
“Silas”. Eles eram os missionários ali Assim como existe uma lideran-
em Tessalônica, uma cidade muito ça em casa, pai e mãe exercendo
importante, cujo porto era a princi- o seu papel, bem como em todas
pal conexão marítima com Roma. as instituições humanas, também é
Ainda hoje é a segunda maior cida- fundamental na igreja, para que ela
de da Grécia. cresça. A atitude do líder pode fazer
O grande tema da carta é sobre toda a diferença no crescimento, se
a divindade de Cristo e sua volta. ele for atuante ou não. E como foi a
Ele inicia agradecendo a Deus pela atuação dos missionários ali em Tes-
Igreja, por sua fé e amor demonstra- salônica? Apesar de enfrentar oposi-
do aos irmãos. Timóteo é quem traz ção, serem maltratados e ultrajados
essas boas notícias a Paulo, mas re- em Filipos (2:2), confiando em Deus,

44
conseguiram anunciar com ousadia de Cristo e à vida cotidiana. Primei-
o evangelho. O comportamento de ramente, a inércia foi usada pelos
Paulo foi de extrema honestidade, tessalonicenses para não trabalhar
não agindo com engano (2:3) nem porque Cristo estava voltando. O ou-
impureza ou dolo. Como uma mãe tro extremo é viver só para o traba-
(2:7) que acaricia os seus próprios lho e para esse mundo, esquecen-
filhos, ele usou de linguagem aben- do-se do dia da morte ou da volta
çoadora, sem bajulação (2:5), e não de Cristo, como faz o mundo atual
trabalhava por ganância. A sua atitu- agindo como na parábola de Jesus,
de era de mansidão e carinho (2:7), em Lucas 19:14 – “Não queremos que
embora pudesse até exigir o seu este reine sobre nós”.
sustento, mas não o fez. Mas ainda
Embora a Igreja crescesse, o
como um pai (2:11), ele trabalhava
apóstolo passa a instruí-los na se-
dia e noite (2:9) para não viver às
quência, em um assunto que trazia
custas de nenhum deles. Sua vida
grande desconforto, que era justa-
era exemplo de equilíbrio (2:10), de
mente a questão dos que dormem
modo piedoso, justo e irrepreensível
no Senhor. Vejamos então.
para com eles. E, então, ele os exor-
ta, e isso de modo individual (2:11),
ou seja, a cada um, para que vivam 2. Os mortos em Cristo
de modo digno de Deus. (4:13-18)
Apesar de ter dado tanto exem- Paulo não queria que os tessa-
plo de trabalho, um problema esta- lonicenses ficassem na ignorância
va acontecendo na igreja devido a acerca da morte dos que dormem
uma interpretação errônea acerca (4:13). O fato é que a morte nos
da volta de Cristo. Embora estives- acompanha desde o primeiro dia de
sem praticando o amor fraternal vida. Morre-se fisicamente, e o ser
(4:9), eles estavam deixando as suas humano é a única criatura que tem
obrigações e trabalho. Viver tran- consciência da morte como um fato
quilamente (4:10) é se comportar inevitável. Mas para o crente há mais
em sociedade de tal modo que não uma possibilidade: além da morte
precise depender de outros para se esperamos a volta de Cristo. “Sobre
sustentar. A iminência da volta de os que dormem” (4:13) é uma metá-
Cristo não pode ser motivo para a fora que era usada na antiguidade
preguiça. Uma vida diligente, cui- pelos gentios, pelos judeus e, pos-
dando do que é seu e trabalhando teriormente, pelos cristãos em refe-
com as próprias mãos é uma repu- rência aos que já morreram. Quando
tação que o cristão precisa ter. Há ele cita “aqueles que não têm espe-
dois extremos que precisam ser ob- rança” (4:13), está se referindo aos
servados quanto à questão da volta

45
que se amarguram, pois a morte se primeiro” (4:16).
apresenta sombria e pavorosa para
A volta de Cristo foi a promessa
eles. Mas os que creem que Jesus
feita pelos anjos em Atos 1:11 – “Va-
morreu e ressuscitou creem tam-
rões galileus ... Este Jesus que dentre
bém que os que dormem voltarão
vós foi assunto ao céu virá do modo
com Cristo. É a ressurreição de Cris-
como o vistes subir”. Isso significa que
to que dá esperança no futuro, e o
a volta do Senhor será visível, pois
crente pode dizer “para mim o mor-
todo olho O verá de forma pessoal e
rer é lucro” (Fp 1:21).
corpórea. Em 4:16 diz-nos: “e os mor-
tos em Cristo ressuscitarão primeiro”,
3. Sobre a volta de Cristo ou seja, todos os que constituem a
Igreja, bem como os santos do An-
Diante da realidade da morte, tigo Testamento, serão os primeiros
qual é o sentimento comum aqui no a se encontrarem com o Senhor. E
texto? Fica clara a intenção de Paulo em 4:18 diz: “depois nós, os vivos, os
de demonstrar algo que vai ocorrer que ficarmos, seremos arrebatados
de forma natural e que ninguém juntamente com eles”. Esse arreba-
precisa ficar com medo, triste ou tamento se dará somente depois da
apavorado pelo que vai acontecer, ressurreição corpórea dos mortos e
por isso acrescenta “para não vos será um acontecimento público. Ve-
entristecerdes como os demais que mos que o grande objetivo do após-
não têm esperança” (4:13). Portanto, tolo em apresentar esse tema foi
podemos sentir saudades dos que para consolar os aflitos e confusos
partem, mas temos esperança de pela morte dos seus queridos. Mas
reencontrá-los na volta de Cristo. ele continua, no capítulo 5, instruin-
Ele afirma que “Deus mediante Jesus do a igreja sobre o arrebatamento
trará em sua companhia os que dor- dos salvos.
mem” (4:14). Na parousia, e Paulo in-
siste que esta é uma palavra do Se-
nhor, acontecerá o seguinte: “nós, os 4. O encontro com o
vivos, os que ficarmos até a vinda do Senhor (5:1-11)
Senhor, de modo algum precedere-
mos os que dormem” (4:15). A seguir Cristo receberá nos ares, por en-
passa a relatar uma série de aconte- tre as nuvens, a sua Igreja amada. A
cimentos que ocorrerão na volta de lei da gravidade não atuará sobre
Cristo: “Porquanto o Senhor mesmo, nossos corpos, pois todos os po-
dada a sua palavra de ordem, ouvi- deres estão submetidos ao Senhor.
da a voz do arcanjo, e ressoada da Aleluia! Paulo continua seu ensino
trombeta de Deus, descerá dos céus, relembrando o que os profetas e o
e os mortos em Cristo ressuscitarão próprio Senhor Jesus já haviam ensi-

46
nado – e essa é uma doutrina conso- que de maneira nenhuma escapa-
ladora. Os primeiros cristãos viviam rão, e os sofrimentos se tornarão tão
na expectativa desse grande Dia do intensos e agudos como guerras,
Senhor e, por isso, sua influência foi rumores de guerra, pestes, terremo-
tão poderosa na pregação do evan- tos, agitação mundial, incredulidade
gelho, pois o Senhor estava para e esfriamento da fé, sinais no sol e
voltar a qualquer momento. O Dia na lua. Estes serão os sinais mais
do Senhor era uma expressão usada fortes de que Cristo está voltando.
tanto no Antigo Testamento como Qual deve ser o nosso comporta-
no Novo Testamento e se refere ao mento? Nós somos “filhos da luz e
dia do juízo de Deus. Quanto aos do dia” (5:5). Nenhum ladrão poderá
tempos de épocas desse aconteci- nos surpreender, pois “não somos da
mento (5:1), os tessalonicenses não noite nem das trevas”. A postura do
precisavam de novas informações, crente diante dessa situação deve
pois eles já sabiam, assim como ser estar bem acordado (5:6), vigian-
nós. Precisamos é sempre trazer à do como pessoas sóbrias. Temos à
memória esse grande e terrível Dia. nossa disposição uma vestimenta
Já está chegando e devemos estar especial a nos proteger naquele dia
preparados, pois virá como o ladrão mal, “vestindo-nos da couraça da
de noite, será repentinamente e sur- fé e do amor, e tendo por capacete
preenderá a todos. Você está prepa- a esperança da salvação” (5:8). Não
rado? fomos destinados por Deus para
a ira (5:9), ou seja, para sucumbir
O apóstolo relembra uma ad-
naquele dia mal, mas destinados
vertência: quando andarem dizendo
para receber a salvação por nosso
paz e segurança eis que lhes sobre-
Senhor Jesus Cristo. Portanto, quer
virá repentina destruição (5:3). Os não
estejamos vigiando ou venhamos a
salvos estarão em perigo e em to-
morrer (5:10), viveremos juntamente
tal desamparo. Hoje todos desejam
com o Senhor. O que se espera do
paz, mas se recusam a estar em paz
crente é uma atitude completamen-
com Deus. Todos os meios e recur-
te diferente do mundo. Paulo passa
sos são usados hoje, mas são insu-
a orientar até o final da carta como
ficientes para trazer a paz. Basta ver
se deve agir como verdadeiro cren-
os noticiários sobre armamentos,
te que espera pelo seu Senhor (5:11-
terrorismo, rumores de guerra etc.
28): “exortar uns aos outros; edificar
Sabemos que somente o Príncipe da
os irmãos; honrar os que presidem
paz será capaz de implantar a ver-
na igreja; ter paz uns com os outros;
dadeira paz. A ilustração das dores
admoestar os desordeiros; consolar
do parto refere-se àquela que está
os desanimados; sustentar os fra-
para dar à luz e mostra que a vinda
cos; ser paciente; não retribuir o mal
será repentina e irreversível. E 5:3 diz

47
com o mal; alegrar-se sempre; orar Para pensar e agir
sem cessar; dar graças por tudo; não
extinguir o Espírito; não desprezar a 1. A questão da morte é intrigan-
Palavra; examinar tudo e reter o bem; te e desafiadora para todos nós. Há
abster-se da aparência do mal.” Em muita dúvida sobre o assunto, mas
um mundo caótico, somos chama- não precisamos ser ignorantes, pois
dos para iluminar de uma forma tão o assunto foi ensinado aqui. Como
especial. Você está vivendo nessa você tem se comportado diante da
expectativa da volta de Cristo? morte de um ente querido?
2. A escatologia é uma doutrina
Conclusão que nos deixa em suspense quando
começamos a estudá-la. Mas a rea-
A igreja de Tessalônica era uma lidade é que iremos todos enfrentar
igreja forte e crescente em amor. No a morte ou veremos a volta de Cris-
entanto, apesar de ter sido evangeli- to, se estivermos vivos. Você se sen-
zada por missionários que lideraram te preparado para esse momento?
com dignidade e amor, ensinando as Continua trabalhando e cuidando
doutrinas da fé, ocorreram erros de dos seus afazeres, mas vigiando so-
interpretação quanto aos mortos e a briamente?
vinda de Cristo. Eles ainda eram ig-
norantes quanto à ressurreição dos 3. A expressão “consolai-vos uns
mortos e tinham uma visão da vinda aos outros” é citada várias vezes. É
de Cristo equivocada, o que fez com motivo de grande alegria ter a segu-
que deixassem até de trabalhar. Vi- rança da vida eterna e poder conso-
viam inconsistentes e dependendo lar e exortar quem está em dúvida
dos favores alheios. Paulo os exorta sobre o futuro. Você tem consolado
a retornar ao trabalho para viver dig- os outros?
namente e ensina sobre o grande e
terrível Dia do Senhor, que para os
ímpios será dia de pavor, mas para
os crentes, um dia de glória, pois se Leitura Diária
encontrarão com o Senhor e todos SEG 1 Tessalonicenses 1:10
os salvos da Terra. Deve-se viver TER 1 Tessalonicenses 2:1-12
uma vida honrosa agora, aguar-
dando esse grande acontecimento, QUA 1 Tessalonicenses 2:13-20
e devemos estar alertas, pois não QUI 1 Tessalonicenses 3:1-13
sabemos o dia e hora. Mas esse dia SEX 1 Tessalonicenses 4:1-18
chegará! E devemos estar vigilantes
SÁB 1 Tessalonicenses 5:1-12
e felizes.
DOM 1 Tessalonicenses 5:13-28

48