Você está na página 1de 11

APRESENTAÇÃO:

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA


DE ESTRUTURAS Graduação:
Universidade Estadual de Londrina - UEL

DIMENSIONAMENTO DE PERFIS DE Mestrado:


AÇO FORMADOS A FRIO Universidade de São Paulo
Escola de Engenharia de São Carlos - EESC
Doutorado:
Universidade de São Paulo
Escola de Engenharia de São Carlos - EESC

Prof. Dr.: Carlos Henrique Maiola

APRESENTAÇÃO: APRESENTAÇÃO:

Mestrado: Doutorado:
Análise experimental de treliças espaciais Ligações parafusadas em chapas finas e perfis
de aço formados a frio
O AÇO:
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA
DE ESTRUTURAS Tensão (σ)

fu

DIMENSIONAMENTO DE PERFIS DE fy
AÇO FORMADOS A FRIO

E
Deformação (ε)

fase fase “fase” de


elástica plástica ruptura
Prof. Dr.: Carlos Henrique Maiola
Diagrama tensãoxdeformação do aço carbono comum

O AÇO: O AÇO:

⇒Tipos de aço ⇒Encruamento


PERFIS EM AÇO PERFIS EM AÇO FORMADOS A FRIO

⇒ Definição
⇒ Perfis laminados

São perfis obtidos a partir do dobramento


⇒ Perfis soldados a frio (em temperatura ambiente) de
chapas finas de aço.

Por norma são permitidos o dobramento


de chapas com espessuras a partir de
0,4mm até o limite de 8,0mm.
⇒ Perfis formados a frio

PERFIS EM AÇO FORMADOS A FRIO PERFIS EM AÇO FORMADOS A FRIO

⇒ Histórico ⇒ Produção
1939 – Inicio das pesquisas Universidade de Cornell
(Prof. George Winter)
-prensas dobradeiras
1946 – Publicada a norma do AISI para projetos e
construções de estruturas em PFF.
(outras edições: 1956, 1960, 1962,1968, 1980, 1986,1991, e 2001)

1967 – Publicado o projeto de norma PNB 143/67


(baseada no AISI 1962)

1990 – Avanço na utilização e na pesquisa com PFF -perfiladeiras

2001 – Publicada a norma brasileira NBR 14762:2001


(baseada no AISI 1990 e 2001)
PERFIS EM AÇO FORMADOS A FRIO PERFIS EM AÇO FORMADOS A FRIO

⇒ Produção ⇒ Variedade de formas


Prensa dobradeira Perfiladeira
Muita flexibilidade para produzir diversas Pouca flexibilidade para produzir
formas de perfis diversas formas de perfis
Com poucas ferramentas se produz Cada tipo de perfil necessita de um
uma grande série de perfis trem de perfilação
Baixo custo do equipamento Alto custo do equipamento

Regulagem simples do equipamento Regulagem do equipamento requer


cuidados
Tensões residuais menores Tensões residuais maiores

Produção pequena Produção grande

Perfis curtos (máx. 6m) Perfis com comprimento ”ilimitado”

Razoável mão-de-obra envolvida Pouca mão-de-obra envolvida


Fonte YU 2001

PERFIS EM AÇO FORMADOS A FRIO PERFIS EM AÇO FORMADOS A FRIO

⇒Vantagens ⇒Materiais utilizados


AÇOS
- Facilidade de produção e
Espessura
baixo custo de estoque Aço fy (Mpa) fu (MPa) disponíveis Características
(mm)
SAE 1010 180 330 Aço comercial
ASTM A36 250 400 2,0 a 150 Estrutural
ASTM A570 GR36 250 365 2,0 a 5,84 Estrutural
COS-AR-COR 400 250 380 2,0 a 100 Aço Patinável
USI-SAC 300 300 400 2,0 a 12,7 Aço Patinável

- Para cargas e vãos pequenos a médios CSN-COR 420 300 420 2,0 a 6,3 Aço Patinável
uma estrutura em PFF resulta mais leve ASTM A570 GR50 345 450 2,0 a 5,84 Estrutural
USI-SAC-350 350 485 2,0 a 12,7 Aço Patinável
COS-AR-COR 500 375 490 2,65 a 50,8 Aço Patinável
O AÇO: PERFIS EM AÇO FORMADOS A FRIO

⇒Encruamento ⇒Materiais utilizados


PARAFUSOS
Especificação fy (Mpa) fu (MPa) Diâmetros (mm)

ASTM A307 - 415 12,7< d < 101,6


ISO 4.6 235 390 12 < d < 36
ASTM A 325 635 825 12,7 < d< 25,4
560 725 25,4 < d< 38,1
ISO 8.8 640 800 12 < d < 36
ASTM A490 895 1035 12,7 < d < 38,1
ISO 10.9 900 1000 12 < d < 36

CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS

⇒Método linear
- Considera a massa do perfil concentrada
na sua linha média – (linhas e arcos)

CARACTERÍSTICAS
GEOMÉTRICAS
CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS

⇒Método linear ⇒Método linear


- Características geométricas do perfil - Características geométricas do perfil
U 100 x 40 x 2,0 (mm) U 100 x 40 x 2,0 (mm)

L w = 10 − 4 ⋅ 0,2 = 9,2cm
Lw = d − 4 ⋅ t
2 2

A w = 9,2 ⋅ 0,2 = 1,84cm2


L/2

L/2
r= 2
1 Aw = Lw ⋅ t r= 2
1
100

100
L/2

L/2
L3w 9,23
I1 = I1 = = 64,9cm3
t= 2 12 t= 2 12
I2 = 0
40 40
I2 = 0

CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS

⇒Método linear ⇒Método linear


- Características geométricas do perfil - Características geométricas do perfil
U 100 x 40 x 2,0 (mm) U 100 x 40 x 2,0 (mm)
2
Lf = bf − 2 ⋅ t L f = 4 − 2 ⋅ 0,2 = 3,6cm
Af = Lf ⋅ t A f = 3,6 ⋅ 0,2 = 0,72cm2
d1

r= 2 r= 2
2
d t   10 0,2 
2
100

100
1
I1 = 0 + L f ⋅  −  I1 = 0 + 3,6 ⋅  −  = 86,4cm
3

t= 2
2 2 t= 2  2 2 
40
L3f 40

I2 = 3,63
12 I2 = = 3,9cm3
12
CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS

⇒Método linear ⇒Método linear


- Características geométricas do perfil - Características geométricas do perfil
U 100 x 40 x 2,0 (mm) U 100 x 40 x 2,0 (mm)

L c = 1,571⋅ R L c = 1,571⋅ 0,3 = 0,47cm


1 CG

c = 0,637 ⋅ 0,3 = 0,19cm


C

c = 0,637 ⋅ R
r= 2 r= 2
100

100
C

A c = Lc ⋅ t A c = 0,47 ⋅ 0,2 = 0,09cm2


I1 = I2 = 0,149 ⋅ 0,33 = 0,004cm3
t= 2 t= 2
40
I1 = I2 = 0,149 ⋅ R 3 40

CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS

⇒Método linear ⇒Método simplificado


- Características geométricas do perfil - Considera o perfil uma composição de
U 100 x 40 x 2,0 (mm) retângulos de cantos vivos
A total = A w + 2 ⋅ A f + 2 ⋅ A c = 3,46cm2

- Momento de inércia da linha (direção x)


r= 2

I' x = ΣI1 = 237,7cm3


100

d
- Momento de inércia do perfil (direção x)
t= 2
40
Iperfil x = I' x ⋅ t = 47,5cm 4 t
b
CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS

⇒Método simplificado ⇒Método simplificado


- Características geométricas do perfil - Características geométricas do perfil
U 100 x 40 x 2,0 (mm) U 100 x 40 x 2,0 (mm)
- Área - Área
A total = 1,92 + 1,52 = 3,44cm2
A alma = dw ⋅ t
- Momento de inércia (direção x)
A alma = 9,6 ⋅ 0,2 = 1,92cm2
d=96

d=96
t ⋅ d3 w
=
A mesas = 2 ⋅ (b f ⋅ t )
Ialma
12
t=2
A mesas = 2 ⋅ (3,8 ⋅ 0,2) = 1,52cm2 t=2
0,2 ⋅ 9,63
b=38 b=38 Ialma = = 14,7cm 4
12

CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS

⇒Método simplificado ⇒Método simplificado


- Características geométricas do perfil - Características geométricas do perfil
U 100 x 40 x 2,0 (mm) U 100 x 40 x 2,0 (mm)
- Área - Área
A total = 1,92 + 1,52 = 3,44cm2 A total = 1,92 + 1,52 = 3,44cm2
- Momento de inércia (direção x) - Momento de inércia (direção x)
b ⋅t 
d=96

3 d=96
Imesas = 2 ⋅  f + A f ⋅ d2méd  Itotal = 14,7 + 36,5 = 51,2cm 4
 12 
t=2
 3,8 ⋅ 0,23  t=2
b=38 Ialma = 2 ⋅  + 0,76 ⋅ 4,9 2  = 36,5cm 4 b=38

 12 
CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS PROGRAMA DE CURSO:

14/02 manhã
1. Estruturas de aço utilizando perfis formados a frio - Introdução
1.1. Processos de dobramento e perfis usuais;
M.L. M. S. Flexo NBR 1.2. Aços empregados nos perfis formados a frio;
1.3. Influência do trabalho a frio nas propriedades mecânicas do aço;
A (cm2) 3,46 3,44 3,6 3,47 1.4. Propriedades geométricas das seções transversais;
U 100 x 40 x 2,0 (mm)
1.5. Comportamento de uma placa comprimida (Instabilidade Local);
1.6. Flambagem por distorção.
Ix (cm4) 47,5 51,2 56,67 51,99
r= 2
14/02 tarde
2. Projeto de uma cobertura em arco utilizando perfis formados a frio (1a etapa)
100

Iy (cm4) 1,56 3,68 5,70 5,23 2.1. Diretrizes de projeto;


2.2. Concepção estrutural;
2.3. Ações e solicitações;
Wx 9,50 10,24 11,33 10,40
t= 2
40 3. Dimensionamento de elementos estruturais utilizando perfis formados a frio
3.1. Dimensionamento de peças tracionadas;
3.2. Dimensionamento de peças comprimidas.

PROGRAMA DE CURSO:

07/03 manhã
4. Dimensionamento de elementos estruturais utilizando perfis formados a frio
4.1. Dimensionamento de peças fletidas;
4.2. Dimensionamento de peças submetidas à flexão composta.

Sistemas estruturais de coberturas


07/03 tarde
5. Dimensionamento de ligações metálicas
5.1. Dimensionamento de ligações parafusadas;
5.2. Dimensionamento de ligações soldadas.

6. Projeto de uma cobertura em arco utilizando perfis formados a frio (2a etapa)
6.1. Dimensionamento dos elementos estruturais da treliça.
6.2. Dimensionamento de terças e longarinas;
6.3. Análise e dimensionamento de ligações.
ARCO METÁLICO: SISTEMA EM TRELIÇA

ESC 1:50

EIXO DE SIMETRIA

25430
BANZOS: 100X40X3,00

SUP. CONTRAV. 1408 1408


TRELIÇAS/ ARCO- L 30X30x3,0
704

300

EMENDA SMV 2319

3250
08 VER DET. B 5
14 SMV

2750
VER DET. A

0
5575

50
08
14

Ø 3/8"

Ø 3/8"
4
70 SUP. M. FRANCESA VERTICAL-SMV
0 CH. 8mm
15
TIRANTE Ø 3/4"
370

REXT: 24466
250 930
600 RINT: 23966
100
VER DET. B

550
L 30X30x3,0 300

40
ESTICADOR - VER DET. "C"

350
930 CH. 3,00mm
SOLDA BANZOS:
500

1408 SOLDAR
D CONTINUA
400
BANZO
B CANT. DOBRADA

500
32X32X6.35 REFORÇO - CHAPA 1/8"

500
L30X30x3,0-tip. SOLDAR EM AMBOS LADOS DO PERFIL
D
5000

DETALHE - B CORTE DD 400


SOLDA DE FILETE 3mm
C C
B CH. 3,00mm EMENDA NOS BANZOS
TRELIÇAS/PILAR
DETALHE A TIP. L 30X30x3,0
CORTE BB
APÓS A PRUMADA,SOLDAR
O PILAR NO QUADRO.
22300

NIVEL DO PISO
B

Treliça Howe triangular


B

22700

CORTE AA 1:50

PORTICO TRELIÇADO C/ TIRANTE


A1 a A7- 07 PEÇAS

SISTEMA EM TRELIÇA SISTEMA EM TRELIÇA

Os tipos de seções transversais


mais adequados para o trabalho a
flexão são aqueles com maior
inércia no plano de flexão, isto é,
massas mais afastadas do eixo
neutro. O ideal, portanto, é
concentrar as massas em duas
chapas, Uma superior e outra
inferior, ligando-as (PFEIL, 1988,
p.125)

Treliça de banzos paralelos inclinada


SISTEMA EM TRELIÇA SISTEMA EM TRELIÇA

Treliça de banzos paralelos inclinada enrijecida Arco treliçado

SISTEMA EM TRELIÇA SISTEMA EM TRELIÇA

PEREIRA 2006 PEREIRA 2006