Você está na página 1de 20

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL – ULBRA

UU
GRADUAÇÃO EAD
Pedagogia
Relatório de Estágio I

Dejair Costa de Lima


Graduando

Ms. Enir Muller


Tutora

Novo Hamburgo, Agosto de 2009.


PLANILHA DE REGISTRO DE ATIVIDADES DO ESTÁGIO I

Nome do aluno: Dejair Costa de Lima


Instituição de Ensino: Escola de Educação Infantil Paraíso da Criança
Estado: Rio Grande do Sul
Município: Novo Hamburgo
Data do Estágio: 17/08 à 21/08 e 24/08 à 28/08 de 2009.
Tutor: Enir Muller
Turma de Estágio e faixa etária dos alunos: Jardim , Educação Infantil , 5 anos a 6
anos de idade.

Orientações Iniciais e Aportes Teóricos

Neste mundo em constante transformação, a educação esta transformando-


se a cada dia. A busca pelo conhecimento, o saber, se faz presente cada vez mais
em nossas vidas, se tornando indispensável.

“Segundo o dicionário de Houssais: a educação é a aplicação dos métodos próprios


para assegurar a formação e o desenvolvimento físico, intelectual e moral do ser
humano; pedagogia, didática, ensino”. (Filosofia da educação, ULBRA – pg 14)

O professor que é um dos personagens principais deste contexto educacional


procurando atualizar-se constantemente, sempre em busca de inovações, conceitos,
procurando a melhor maneira de passar este conhecimento a seus alunos.

Partindo deste propósito, a literatura, textos e recursos informatizados


disponibilizados no decorrer do processo acadêmico ajudam a construir dia-a-dia a
formação do professor. Os temas abordados e os teóricos vistos como Jean Piaget,
Vigotsky, Chomsky, Skinner, entre outros, nos ajudam a embasar esta formação.
Dentro os assuntos expostos, o brincar e o lúdico, nos fizeram compreender
que a brincadeira e os jogos fazem com que a criança interaja consigo e com os
outros, construindo normas e sua personalidade.

“Segundo Vigotsky, o brinquedo desempenha várias funções no


desenvolvimento como: permitir o envolvimento da criança com o mundo
ilusório, favorecer a ação na esfera cognitiva, fornecer um estágio de
transição entre o pensamento e o objeto real, uma vez que, ao brincar, a
criança lida com conflitos relacionados ás regras sociais e seus próprios
impulsos.” (Ludicidade e psicomotricidade, ULBRA Pg. 114)

O conhecimento das diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil


ajudaram a entender o fundamento das Propostas Pedagógicas das instituições,
tendo por finalidade ser uma forma de organização do trabalho pedagógico,
caracterizando a identidade da escola e servindo de referencial.

Todo o conhecimento apresentado até agora, com literaturas, textos e


atividades dentro de sala de aula, nos serviram como base para a prática do estágio,
estando contribuindo para a formação do professor e do indivíduo. Fazendo com que
nos tornemos professores com visões atuais do mundo, tornado a educação e o
conhecimento o maior bem do ser humano.
Caracterização da Instituição

Nome do aluno: Dejair Costa de Lima


Instituição de Ensino: Escola de Educação Infantil Paraíso da Criança
Estado: Rio Grande do Sul
Município: Novo Hamburgo
Data do Estágio: 17/08 à 21/08 e 24/08 à 28/08 de 2009.
Tutor: Enir Muller
Turma de Estágio e faixa etária dos alunos: Jardim , Educação Infantil , 5 anos a 6
anos de idade.

A Escola de Educação Infantil Paraíso da Criança foi à escolhida para


realização da prática docente do estágio I.
A Escola Paraíso da Criança está situada na Rua Rio São Francisco , nº 226
no Bairro Liberdade, no município de Novo Hamburgo. Foi inaugurada no dia quatro
de abril de dois mil e seis. As fundadoras escolheram este nome com a ideologia de
proporcionar as crianças um ambiente como se fosse a extensão dos seus lares, um
lugar especial
A escola atende, atualmente 36 crianças, entre quatro meses até seis anos e
onze meses. Possui três salas, recepção, cozinha, refeitório, banheiro, lavanderia e
depósito. Possui um pátio bem amplo com pracinha e playground e um gramado.
A equipe pedagógica é constituída por uma pedagoga, psicóloga, diretora e
três professoras. O grupo de funcionárias da mesma é composto por uma
cozinheira, faxineira, e nutricionista. A escola tem três turmas dívidas em berçário,
maternal e jardim. Todas as turmas têm semanalmente aulas de música e Capoeira
que é uma atividade extra onde participam os alunos, cujos pais contribuem com o
valor de doze reais.
Quanto à avaliação dos alunos, relata que ela é constante e individual. As
professoras observam e registram o que visualizam em suas rotinas. Cito o que nos
relara a autora Maria Carmem Barbosa:
“De acordo com o dicionário Houaiss (...) “acompanhar é estar ou ficar com
ou junto a, constantemente ou durante certo tempo; conviver ou
compartilhar as mesmas situações com, ou ser companheiro de(...). desse
modo, o acompanhamento das aprendizagens precisa ser realizado
constante e sistematicamente. Para isso, precisamos utilizar diferentes tipos
de instrumentos de observação, registro e analise. A multiplicidade de
instrumentos de registro ajuda no processo de detalhamento e na criação de
pontos de vista diferenciados. (Barbosa, p. 103)

O objetivo da Educação Infantil é a formação integral do educando


preparando-o para o convívio, respeitando suas diferenças e origens. Todo trabalho
é voltado para projetos e estes priorizam o lúdico. Trabalha-se a partir de
brincadeiras, práticas e fantasias.

“Os projetos bem desenvolvidos levam as crianças a usar sua mente e suas
emoções, tornando-se aventureiras em que tanto alunos e professores
embarcam com satisfação” (HELL,2005,p, 23).

A escola utiliza a filosofia de propiciar situações de cuidados, brincadeiras e


aprendizagens orientadas de forma integrada e que possam contribuir para o
desenvolvimento interpessoal “de ser e estar com os outros”, em uma atitude básica
de aceitação, respeito e confiança. O acesso das crianças aos conhecimentos mais
amplos da realidade social e cultural, num processo de descoberta das capacidades,
de apropriação de conhecimentos e para o desenvolvimento das potencialidades
corporais, afetivas, emocionais, na perspectiva de contribuir para formação integral
das crianças.
Portanto, devemos pensar que a educação infantil exige uma grande
qualificação, pois ela deve prover segurança, acolhimento, desenvolvimento das
habilidades sociais, instigarem curiosidades e conhecimentos. O desafio é promover
oportunidade de investigação sem deixar de lado o domínio do espaço e do corpo.
O Projeto político pedagógico (PPP) da escola está sendo construídos com a
participação dos pais, funcionários, professores e equipe diretiva, entretanto ele
ainda não está a disposição para consulta tendo a sua conclusão prevista para o
inicio do próximo ano.
Observações da Turma

Nome do aluno: Dejair Costa de Lima


Instituição de Ensino: Escola de Educação Infantil Paraíso da Criança
Estado: Rio Grande do Sul
Município: Novo Hamburgo
Data do Estágio: 17/08 à 21/08 e 24/08 à 28/08 de 2009.
Tutor: Enir Muller
Turma de Estágio e faixa etária dos alunos: Jardim , Educação Infantil , 5 anos a 6
anos de idade.

A turma observada foi à turma do jardim, de cinco e seis anos, composta por
quinze alunos, sendo oito meninos e sete meninas. A professora da turma é formada
em magistério.
A sala onde ocorrem as aulas é um espaço amplo, bem arejada, com uma
boa ventilação e iluminação. Na mesma estão dispostos diversos recursos como:
rádio, vídeo, livros infantis e didáticos, revistas, materiais escolares entre eles: lápis
de cor, canetinhas, giz de cera, tintas, massa de modelar, tesouras, brinquedos,
jogos educativos, caixa de fantasia e outros. Nela existem cartazes de ajudante do
dia, aniversariantes do mês, alfabeto, números, varal da criatividade e as regras
feitas pela turma.
Observa-se que a rotina da turma é bastante variada e compreendida pela
mesma, onde as próprias crianças percebem quando a professora varia a
seqüência. É nessa seqüência de diferentes atividades que acontecem no dia- a- dia
da escola que possibilita que a criança se oriente em relação tempo- espaço e se
desenvolva.
A chegada das crianças é com brinquedos livres, a professora recebe os
alunos e olha as agendas. Em seguida organiza a “rodinha”, que é a hora de
conversar sobre as novidades, cantar algumas músicas e fazer alguma brincadeira
dirigida.
Quando chega o horário do lanche, a professora entrega os guardanapos e
organiza o “trem”, cantando músicas especificas para este momento. Os horários
para as refeições na escola são divididos por turma, respeitando assim o tempo de
cada criança. Após o término do lanche a turma é motivada a deixar o refeitório em
ordem para outra turma.
Realizam “trabalhinhos” duas ou três vezes na semana, explorando materiais
diversos, como a argila, a massinha de modelar caseira, o grude, tintas e giz de
cera. Explica que nesta faixa etária é importante utilizar espaços grandes e variados
para a realização dos trabalhos, como papeis pardo, folhas A3, cartolinas e TNT.
Comenta que os desenhos deles vem se modificando a cada dia, percebe- se
a figura humana quase em todos.
Diz Lowenfeld:

“....se fosse possível que as crianças se desenvolvessem sem nenhuma


interferência do mundo exterior, não seria necessário estimulo algum para
seu trabalho artístico.” Isso por que, segundo o autor, quando a criança
desenha, ela transmite o que se encontra de forma ativa em sua mente
naquele momento. Além disso Lowenfeld, observa que é importante a
criança “usar a arte como verdadeiro meio de auto- expressão.”

A aula segue com uma atividade dirigida, após higiene, almoço, higiene bucal
e descanso. Constata-se que é um momento de integração e satisfação para ambos.
Como nos traz Haetinger (1998),

“As experiências do brincar na escola auxiliam a formação de vínculos entre


alunos e professores e certamente facilitam a aprendizagem.”
(HAETINGER, 1998, p, 180).

Durante a observação constatei que os alunos demonstram-se independentes


nas tarefas da rotina, apresentam interesse, participação nas atividades, fazendo
comentários sobre as atividades propostas. O relacionamento professor x aluno
mostra-se bom, com diálogo, explicações, organização, e juntos interagindo
positivamente no sentido de favorecer a aprendizagem.
Observando as aulas, os alunos realizavam as atividades individuais, ou seja,
desenho livre individual, o que faz o aluno se limitar ao espaço que lhe é fornecido,
não sabendo dividir quando for necessário, principalmente em grupo. Já no
brinquedo livre, mostraram um bom relacionamento entre si, conseguindo assim
dividir com facilidade os brinquedos fornecidos.
Na observação do Estágio na Educação Infantil, evidenciou-se que é um
espaço estimulador e promotor de grandes aprendizagem. A criança não é mero
coadjuvante desta aprendizagem e sim um participante ativo que cria e recria,
imagina e joga.
“O brincar em qualquer idade, permite a imaginação e a libertação de muitos
medos.” Já nos dizia a Psicóloga infantil Sandra Romanini em uma palestra sobre
“Brincar e Jogar” em 2005, e certamente as crianças grandes e pequenas que
brincam só tem a agradecer.
Entrevista com a professora regente da turma e a diretora

Nome do aluno: Dejair Costa de Lima


Instituição de Ensino: Escola de Educação Infantil Paraíso da Criança
Estado: Rio Grande do Sul
Município: Novo Hamburgo
Data do Estágio: 17/08 à 21/08 e 24/08 à 28/08 de 2009.
Tutor: Enir Muller
Turma de Estágio e faixa etária dos alunos: Jardim , Educação Infantil , 5 anos a 6
anos de idade.

Foi entrevistada a professora titular a diretora da escola que também à auxilia


na turma a qual foi escolhida para fazer o estágio I.
Relataram que são formadas em Magistério desde 2000 e cursam Pedagogia.
As práticas pedagógicas são baseadas no desenvolvimento infantil como um
processo dinâmico, onde através do contato com o corpo, com o ambiente e com a
interação com outras crianças e adultos , vão desenvolvendo a aprendizagem, a
linguagem, o raciocínio, enfim vão se desenvolvendo simultânea e integralmente.
Que viabiliza sua prática com jogos, brincadeiras (lúdico) e muitos momentos de
trocas, de conversações e interação. Cita como teóricos que embasam sua prática
Wallon e Vygotsky.
Durante a entrevista a professora relatou que a turma é bastante heterogenia,
com alunos interessados e curiosos, entretanto, outros que demonstram um período
menor de concentração e com maior interesse em brincar. Comentou que tem dois
alunos em destaque, que são agressivos e dispersos, o que vem sendo trabalhado
com carinho e atenção. Relatou a Diretora que a escola trabalha através de projetos,
que são constituídos a partir da realidade e necessidades das crianças. Durante os
projetos desenvolvidos são realizadas atividades de integração como: piquenique,
passeios, confraternizações e demais brincadeiras do interesse das crianças
explorando diversas áreas do conhecimento, de forma indireta e prazerosa dando
oportunidade aos alunos de construírem o seu próprio conhecimento. As diferenças
entre as crianças precisam ser respeitadas, pois toda criança tem direito de ser
tratada com dignidade e igualdade, a diferença implica em aceitar todas as crianças
como pessoas, seres humanos únicos e diferentes entre si, portanto é uma proposta
social e educativa.
A Diretora ainda falou que os pais dos alunos são bastante participativos na
vida escolar dos filhos, pois se lhes pede ajuda de algo sempre tentam participar o
máximo possível.
PLANEJAMENTO OU PROJETO DE TRABALHO

Nome do aluno: Dejair Costa de Lima


Instituição de Ensino: Escola de Educação Infantil Paraíso da Criança
Estado: Rio Grande do Sul
Município: Novo Hamburgo
Data do Estágio: 17/08 à 21/08 e 24/08 à 28/08 de 2009.
Tutor: Enir Muller
Turma de Estágio e faixa etária dos alunos: Jardim , Educação Infantil , 5 anos a 6
anos de idade.

Título:

Brincando de Capoeira.

Justificativa: A Capoeira Infantil em conjunto com a pré-escola vem potencializar o


desenvolvimento da criança, através de uma didática de ensino que trabalha com o
lúdico nos diversos conteúdos da capoeira. Adaptando ao universo infantil histórias,
músicas e movimentos o projeto Brincando de Capoeira exerce um trabalho onde as
crianças através de movimentos como “caranguejo, tatu bola, meia lua”
desenvolvem brincando.
A capoeira infantil desenvolve na criança a relação consigo mesma, com os
outros e com o mundo, salientando valores como amizade, o respeito e
proporcionando atividades físicas de lazer para os alunos, melhorando assim a
qualidade de vida dos mesmos e os incentivando para a prática de atividades físicas
e culturais.
A Capoeira, principalmente por envolver a musicalidade como fonte principal
para o seu desenvolvimento e prática, se torna atrativa às crianças desta faixa
etária, meninos e meninas aprendem juntos e trabalhando o ritmo e a coordenação
os alunos cantam, batem palmas e tocam instrumentos como berimbau, pandeiro,
entre outros.

Objetivo geral:

Desenvolver o projeto proporcionando uma amplitude cultural aos alunos e


um momento de lazer. Com objetivos comuns às entidades de ensino, fazendo da
pré-escola uma extensão do lar, que através do educador fixa nos alunos os valores
já passados pela família.

Objetivos específicos:

A capoeira Infantil como ferramenta educacional, pode ser inserida na área


pedagógica, por apresentar em sua essência finalidades educativas que devem
refletir um bom comportamento dentro e fora do ambiente pré-escolar.
Portanto o projeto tem a capacidade de:
• Favorecer o desenvolvimento e a melhoria da relação interpessoal, por
utilizar o corpo como um canal de comunicação a partir de gestos e intenções;
• Favorecer o desenvolvimento e a melhoria da relação intrapessoal por
oportunizar a vivências que elevam a uma maior consciência corporal e
espaço temporal;
• Desenvolver a criatividade expressiva, do corpo e da mente através do
“jogo”;
• Oportunizar a melhoria dos aspectos do desenvolvimento humano:
afetivo, cognitivo, motor e social;
• Manter suas energias focadas para o esporte, mantendo-o longe dos
problemas sociais;
• Mostrar-lhes a importância do trabalho em grupo, resgatando os
valores da família; desenvolver o ritmo e a musicalidade;
• Promover o interesse sobre a história do nosso povo, ressaltando a
cultura brasileira através de cantigas e história da própria capoeira, ainda
mais sendo ela considerada o único esporte genuinamente Brasileiro;
• Oportunizar o aprendizado de pintura e artesanato, trabalhando com
sua imaginação e criatividade.

Fundamentação Teórica:

No período pré-escolar a atividade principal da criança é a brincadeira do faz


de conta, caracterizada, principalmente pela situação imaginária. Conforme Leontiev
(1988, p.59) nesta atividade “a criança assimila o mundo objetivo como um mundo
de objetos humanos reproduzindo ações humanas com eles”.
Segundo Adriano (2006), a Capoeira possui várias possibilidades reais e
concretas de intervenção pedagógica com crianças de 0 a 6 anos que podem ser
inseridas no universo da educação infantil. Dentre estas a musicalidade, o
movimento, o ritual e as relações interpessoais são de muita importância.
Lê Boulch afirma que:

“A associação do canto e do movimento permite a criança sentir a


identidade rítmica, ligando os movimentos do corpo e os sons musicais.
Esta atividade representa um estágio prévio ao ajustamento e um suporte
musical imposto à criança”. (Lê Boulch, 1982, p. 182)

Adriano (2006) ressalta a importância do trabalho musical da Capoeira


realizado com crianças em idade pré-escolar, proporcionando seu ajustamento
rítmico, que favorece um maior equilíbrio emocional da mesma, melhorando as
relações com os outros colegas. A utilização dos instrumentos de Capoeira
(berimbau, pandeiro, atabaque e outros) possui uma enorme contribuição no
desenvolvimento da coordenação motora fina. A partir do manuseio desses
instrumentos, a criança perceberá as implicações de gestos menores (finos), o que
possibilitará uma melhoria no processo de escrita.
O mesmo autor ainda acrescenta que o movimento tem papel de grande
relevância no desenvolvimento da criança, sendo fundamental na construção da
cultura corporal humana. Por em sua essência, a Capoeira ser uma atividade
prática, enfocando no jogo da roda de Capoeira um de seus momentos mais
sublimes e característicos, e por este jogo se consolidar a partir de movimentos
corporais, a Capoeira funciona como importante agente facilitador no trato com o
movimento na educação infantil. Através da atividade com a Capoeira, a criança
poderá facilmente familiarizar-se com a imagem do próprio corpo, uma vez que os
exercícios que permeiam a prática da Capoeira envolvam todas as partes do corpo.
De acordo com Freitas (1997), jogando Capoeira a criança trabalha as
valências físicas sem sobrecarga, apenas com os movimentos e peso do próprio
corpo. E esses benefícios são vivenciados de forma prazerosa, como uma
brincadeira.
Além de trabalhar todas as partes do corpo, tal atividade desportiva auxilia na
ampliação das atividades psicomotoras através dos movimentos que utiliza, aliado a
uma intervenção lúdica, que é fator preponderante para a prática da Capoeira.
Segundo Adriano (2006), o ritual da Capoeira é importante para a valorização
e conhecimento da cultura afro-brasileira, o que permite o resgate da herança
antepassada.
O mesmo autor ressalta que as relações inter-pessoais são fundamentais na
Capoeira. A mesma se trata da forte relação de respeito mútuo, pois a coletividade
prevalece durante todo o seu ritual. Desse modo, o objetivo desta arte que é “jogar
com” e não contra o outro, prevalece também dentre os demais componentes da
roda.

Metodologia:

Desenvolver as aulas de forma alegre e divertida, com atividades dinâmicas


que proporcionem um momento de lazer e entretenimento à criança. Os movimentos
de Capoeira foram selecionados, adaptados e renomeados para o universo infantil.
A linguagem utilizada facilita e diverte o aprendizado. Os materiais pedagógicos
(pasta, dados, pandeirinhos, figuras, fantoches, etc.) são utilizados em aula para
facilitar o entendimento dos movimentos, das brincadeiras e das historinhas. A
Capoeira, principalmente por envolver a musicalidade como fonte principal para o
seu desenvolvimento e prática, se torna atrativa às crianças desta faixa etária, que
através das músicas coreografadas, meninos e meninas aprendem juntos e
desenvolvem o ritmo e a musicalização. A metodologia de ensino não visa apenas a
melhoria do aspecto físico da criança, algumas atividades trabalham o aspecto
cognitivo, estimulando o reconhecimento das cores, formas geométricas, números,
objetos, animais e etc.

Conteúdos programáticos:

• Conteúdo Histórico: Passado aos alunos de uma forma lúdica,


ressaltando a historia e cultura Brasileira.
• Movimentação: Golpes, esquivas, e acrobacias adaptados ao universo
infantil.
• Músicas: Serão trabalhadas músicas de capoeira e do cotidiano infantil.
• Instrumentações: Será trabalhado inicialmente o tato (contato com o
instrumento), logo após o ritmo onde os alunos terão a oportunidade de tocar
os instrumentos.
• Regras, Deveres: É um conjunto de preceitos para orientação dos
alunos, orientando-se num comportamento social padrão e nas tradições da
capoeira, desenvolvendo inicialmente a disciplina, o respeito mútuo, noções
de higiene e todos os benefícios que a capoeira pode trazer, trabalhando
junto com os objetivos da escola.

Recursos utilizados:
Som, instrumentos típicos da capoeira, material reciclado, giz de quadro,
fantoches, figuras e desenhos.
Avaliação:
Por meio de observação, acompanhando o crescimento e desenvolvimento da
criança nos aspectos de ordem física, afetiva, cognitiva. A avaliação será feita
diariamente de observações diárias.
RELATO DA PRÁTICA DOCENTE

Nome do aluno: Dejair Costa de Lima


Instituição de Ensino: Escola de Educação Infantil Paraíso da Criança
Estado: Rio Grande do Sul
Município: Novo Hamburgo
Data do Estágio: 17/08 à 21/08 e 24/08 à 28/08 de 2009.
Tutor: Enir Muller
Turma de Estágio e faixa etária dos alunos: Jardim , Educação Infantil , 5 anos a 6
anos de idade.

Atividades realizadas na semana de 17/08/2009 à 21/08/2009.

O presente relatório tem por objetivo apresentar as observações e práticas


das atividades realizadas com a turma do jardim.

Com a chegada dos alunos do turno da tarde, foi feita a apresentação


formal do professor estagiário, pela professora titular, esta solicitou que
fizéssemos uma roda para que os alunos se apresentassem dizendo seus nomes.
Após esta atividade o professor estagiário encaminhou os alunos ao almoço,
sendo supervisionado pela professora auxiliar. Depois do descanso foi dado inicio
as atividades, primeiramente com uma introdução sobre a capoeira e de como
seriam as atividades. As crianças, no começo se mostraram um pouco dispersas,
atento a isso, iniciou-se o aquecimento e o alongamento de forma recreativa, com
atividades onde as crianças se movimentam, cantam e imitavam animais,
evidenciando ao longo da aula uma melhora em todos os aspectos, principalmente
em relação à concentração, a atenção e a compreensão dos movimentos,
interagindo no final com as histórias e nas atividades com músicas coreografadas,
como “pula, pula, pula grilo” e “Todo mundo ta contente”, onde as crianças
executavam livremente a ginga e todos os movimentos que tinham aprendido
naquele dia. Depois desta atividade, as crianças foram brincar com os brinquedos
trazidos de casa. Logo veio o lanche e higiene. Em seguida, os alunos foram olhar
um filme para esperar os pais.

No segundo dia a recepção dos alunos com a professor estagiário foi


bastante agradável, alguns alunos estranharam, mas logo se familiarizaram com o
professor. Os mesmos foram encaminhados para o almoço. Após a higiene e o
descanso, a professora titular fez uma roda com os alunos e passou a atividade
que realizariam até a hora do lanche. Já na atividade proposta de capoeira foi
desenvolvido os movimentos básicos e dois movimentos avançados estrelinha e
pião de mão, foi iniciada a participação na roda de capoeira, onde gradativamente,
através do incentivo do professor, foram explorando sua criatividade e
descobrindo seus limites, melhorando sua expressão corporal e coordenação
motora. Foram atenciosos na hora da explicação das novas brincadeiras, mas
dispersam-se com facilidade, considerando alguns casos específicos que foram
trabalhados no decorrer da aula com atividades de concentração e cooperação,
melhorando consideravelmente no decorrer das atividades. Na parte musical,
lembraram das músicas da aula anterior e demonstram muito interesse pelo
instrumento “pandeiro”. Após esta atividade, as crianças foram brincar na
pracinha, lanchar, fazer higiene e esperar os pais na sala de vídeo.
No terceiro e quarto dia, os alunos foram encaminhados para o almoço,
higiene e descanso. A professora organizou as crianças e as dirigiu para o pátio
onde realizaram atividades ecológicas. O lanche foi feito pelos alunos na aula de
culinária com a ajuda da professora titular, após foi feita a higiene. A partir da
atividade do dia anterior, relembramos os movimentos e outros foram
apresentados, onde a maioria ainda não possui uma coordenação precisa para a
execução dos movimentos, mas isso vem melhorando a cada aula devido à
dedicação, empenho da turma e do auxilio do professor. Gostam das brincadeiras
onde interagem com os colegas de forma alegre e contagiante, o que auxilia na
realização de outras atividades. Apesar de ser uma turma agitada, são
participativos, cooperando para as atividades em grupo, todavia, para atividades
individuais é necessária a intervenção para que haja a devida colaboração, como
na parte musical onde foi apresentado o berimbau, o qual todos ficaram
fascinados. Após esta atividade, os alunos vão a pracinha e recolhem as folhinhas
das árvores que estavam caídas no chão para enfeitar os desenhos feitos
anteriormente e aproveitam para brincar. O lanche é servido, a higiene realizada e
os alunos esperam seus pais olhando desenhos.

No quinto dia cantamos algumas músicas em roda e os alunos brincaram


livremente. Após almoçar, fizeram a higiene e descansaram. Após a arrumação da
sala, a professora passou a atividade daquela tarde, logo viria o lanche e higiene e
neste na aula de capoeira, foi feito com sucata, um caxixi, instrumento típico da
capoeira parecido com um chocalho, todas as crianças adoraram, logo foi
desenvolvido movimentos mais amplos e as crianças puderam explorar os seus
limites, alguns alunos necessitaram do auxilio do professor na execução dos
movimentos, mas todos participaram ativamente. Depois os alunos brincaram na
pracinha, lancharam, fizeram higiene, foi realizada a aula de música e após esta
aula, ao alunos esperaram os pais na sala de vídeo.

Atividades realizadas na semana de 24/08/2009 à 28/08/2009.

Na segunda semana praticamos as atividades de rotina e aprimoramos os


movimentos que foram aprendidos, tudo através de brincadeiras e atividades
cooperativas. Terminamos a semana com as brincadeiras que eles mais
gostaram, como a do “capitão do mato” e a da “Corrente de escravos”,
brincadeiras adaptadas para universo infantil, já enfatizando a história e a cultura
brasileira e para finalizar uma roda de despedida, onde todas as crianças
participaram ativamente, depois foi feita a volta a calma com a música do
ventinho. Logo depois da atividade, as crianças foram brincar na pracinha,
lancharam , fizeram a higiene e esperaram os pais olhando um filminho.
REFERÊNCIAS

Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental.


Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.
Volume 1: Introdução; volume 2: Formação pessoal e social; volume 3:
Conhecimento de mundo.

HAIDT, REGINA CÉLIA CAZAUX. Curso de Didática Geral. 7 ed. Ed. Ática, São
Paulo – SP. 2002.

MACHADO, Izaltina de Lourdes. Educação Montessori: de um homem novo para


um mundo novo. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1993. (A Pré-Escola brasileira).

ARCE, Alessandra. A Pedagogia na “Era das Revoluções”: uma analise do


pensamento de Pestalozzi e Frobel. Campinas: Autores Associados, 2002.

JULIO, Ana Angélica. O Método Montessori: estudo de representações de


professores utilizadores do método. Campinas, 1997. Dissertação ( Mestrado em
Educação) – Pontifica Universidade Católica.

Maia, Christiane Martinatti; Scheibel, Maria Fani (Org.) Didática: Organização do


Trabalho Pedagógico. Curitiba: IESDE Brasil S.A., 2006.

KAMII, Constance. Aritmética: novas perspectivas – implicações da teoria de


Piaget, Campinas: Papirus, 1992.

CHALITA, G. Educação A Solução está no Afeto. Editora Gente, 2001.


SEBASTIANI, M. T. Fundamentos Teóricos e Metodológicos da Educação Infantil.
Curitiba: IESDE Brasil S.A., 2003.
CRAIDY, Carmem Maria; KUERCHER, Gladis. Educação Infantil: pra que te
quero?
PIAGET, Jean .1962