Você está na página 1de 30

Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Curso

IMDS – International Material Data System

1
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Introdução

O IMDS – International Material Data System é um passo importante da montadoras e de todas


as empresas que estão na cadeia de fornecimento automobilístico na direção do respeito ao
meio-ambiente. Hoje não basta saber se um determinado veículo respeita o meio-ambiente no
seu funcionamento mas, também, saber que o mesmo veículo, passada a sua vida útil, não
trará conseqüências danosas à natureza.

Produzir veículos com baixo consumo de combustível e emissões de poluentes já é um


consenso geral entre fabricantes. As metas de consumo e emissões já estão claras e
discutidas mas mais altas esferas de decisões mundiais. O novo desafio é ter veículos que
tenham um ciclo de vida aceitável de forma ambiental.

Para que tenhamos este controle, toda a cadeia de fornecimento e produção automobilística
deve se envolver no fornecimento de peças, elementos e componentes que possam ser
ambientalmente corretos. Controlar os tipos de compostos que estão presentes nos automóveis
passa a ser um item controlado.

Este material tem por objetivo a demonstração da utilização do sistema mundial de banco de
dados de cadastro de elementos que compões as peças, conjuntos e sub conjuntos fornecidos
para os fabricantes. Estes têm a possibilidade de, antes de aceitar determinado elemento de
um fornecedor, saber se este é realmente aceitável às condições do ciclo de vida ambiental
que se deseja para determinado veículo.

Meu desejo é que o treinando possa aprender a utilizar esta ferramenta que vem ao encontro
das necessidades de nosso mundo ambientalmente correto.

Julio Pastore – JP Verithas Consulting

2
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Por quê o IMDS?


O IMDS é um banco de dados que cadastra todos os elementos que são compostos nas peças,
conjuntos e subconjuntos automobilísticos visando a seguinte diretiva:

“Para o ano de 2015, conforme a legislação vigente em várias partes do mundo, haverá a
expectativa de que 95% de tudo que compõe um veículo seja reciclável Qualquer um que
deseje reutilizar estes 95% das partes que formam tal veículo, deve saber com precisão
quais os elementos que o compõem.

No futuro, todos os fornecedores de componentes serão responsáveis pelo ciclo de vida de


seus componentes, os quais englobam a operação, uso, disposição à natureza e seus
impactos, seguindo as legislações vigentes nesta área. Para isso, cada fornecedor deve dispor
informações necessárias e suficientes para a sociedade quanto à composição de seus
componentes para que estes entrem na cadeia de reciclagem de forma correta.

Para que estas informações pudessem ser catalogadas, a joint venture formada pela
montadoras Audi, BMW, DaimlerChrysler, Ford Motor Company, Opel, Porsche, Volvo, VW e a
EDS formaram o sistema IMDS.

Segurança nas transações de dados IMDS


A manutenção do banco de dados IMDSYSTEM é feita pela empresa EDS que mantém, em
seus servidores, o banco de dados que cada fornecedor utiliza para cadastrar seus produtos.
Toda a segurança, tanto de dados quanto de integridade física de instalações e operações é de
responsabilidade da EDS que faz isso juntamente com a Joint Venture da indústria
automobilística.

Para que se aumente a segurança nas transações de dados EDS, cada usuário deve se
cadastrar no sistema e o mesmo receberá um username alfanumérico com password que
deverá ser mudado a cada 90 dias ou a cada vez que o sistema for reformulado (reset).

Senhas cadastradas devem ser diferentes da anterior e devem conter entre 8 a 12 caracteres.
Senhas são sensitivas. Desta forma, letras maiúsculas, para o sistema, são diferentes das
minúsculas. Uma composição de caracteres alfanuméricos alternando letras maiúsculas e
minúsculas pode ser uma prática que dá mais segurança à sua senha mas deve-se ter muito
cuidado na guarda da mesma.

CLIENTES ADMINISTRADORES – CLIENT MANAGERS: Administradores do sistema não


são necessariamente usuários que cadastram dados no sistema. Administradores são
representantes do cliente que gerenciam o cadastro do mesmo junto à EDS. Recomenda-se
que cada empresa tenha um mínimo de 2 administradores para oferecer maior segurança de
dados.

USUÁRIOS CERTIFICADOS: Usuários do sistema devem ser designados pelos


administradores do sistema. Estes usuários não tem nível de administração do sistema mas
podem promover a certificação da empresa junto ao sistema como um fornecedor do sistema
automobilístico que necessitará de recertificação anual. O usuário pode criar, enviar ou publicar
dados de materiais. Embora usuários cadastrados não tem nível de administrador de sistema,
eles podem atualizar dados básicos tais como telefone e e-mail de contato.

3
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

USUÁRIOS CADASTRADOS EM NÍVEL 1: Este tipo de cadastro faz com que o usuário não
tenha acessos administrativos do sistema mas podem administrar os dados que são
cadastrados por ele no sistema.

USUÁRIOS CADASTRADOS SOMENTE PARA LEITURA: Este tipo de usuário somente


poderá consultar os itens que são cadastrados, sem poderem me mudá-los.

USUÁRIOS PÚBLICOS: Este tipo de usuário somente tem acesso às áreas públicas do
sistema IMDS.

Começando a usar o sistema IMDS


Para utilizar o sistema, o usuário deverá ter um computador ligado à internet com um
navegador compatível. Não são todos os navegadores disponíveis para utilização estão
habilitados para trabalhar com o sistema IMDS. Aconselha-se a utilização o Internet Explorer
versão 6.0 ou superior, Firefox 2.x ou Netscape Navigator versão 7.1 ou superior. Deve-se
desativar bloqueadores de popup para o site do IMDS.

Sistemas e comandos Java Script devem estar instalados, habilitados e operando


normalmente. Quando das operações nas telas do IMDS, nunca utilize a tecla VOLTAR de seu
navegador. Sempre que necessitar retornar à uma seção específica, faça esta operação
utilizando os comandos disponíveis nas telas do IMDS.

Cadastro de usuários on line


É permitido, para cada fornecedor que necessite fazer o cadastro, de apenas um cadastro por
unidade da empresa. É recomendável às empresas que possuem múltiplos sites de trabalho
que consultem o helpdesk do sistema para certificar-se de não produzir cadastros duplicados.

Para o cadastro, o operador deve acessar o site www.mdsystem.com e seguir o seguinte


caminho:

Public Pages → System → Online Registration

Até a data de publicação deste material, temos mais de 50.000 empresas já cadastradas.
Desta forma, cadastros duplicados devem ser severamente evitados.

Quando do cadastro, o usuário entrará com os dados da empresa e dados de contato da


mesma. Os dados colocados nesta fase serão copiados automaticamente para os campos de
administrador de sistema (se os mesmos estiverem em branco). O sistema verificará
automaticamente se a empresa está cadastrando seus dados em duplicidade, auxiliando os
usuários a não cometerem tal erro. Aconselha-se que a pessoa que fará esta parte de castrado
já seja a que administrará o sistema.

Após o cadastro, um e-mail será enviado aos dados de cadastro para que a inscrição da
empresa seja confirmada. O usuário deve seguir o link enviado para confirmar a inscrição.

Confirmações não enviadas, em duas semanas, serão canceladas.

4
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 1 – Tela inicial para entrada no cadastro

Figura 2 – Campos para entrada de dados de cadastro da empresa

5
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 3 – Tela de confirmação de dados cadastrados

Figura 4 – Exemplo de e-mail enviado ao usuário para confirmação de cadastro

6
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Após clicar no link de confirmação do cadastro, o navegador abrirá uma página que mostrará o
seu USER e PASSWORD.

Figura 5 – Tela de USERNAME e PASSWORD

ATENÇÃO: ESTA TELA (FIGURA 5) SERÁ MOSTRADA SOMENTE UMA VEZ PELO
SISTEMA. DESTA FORMA, ASSEGURE-SE QUE SEU SISTEMA DE IMPRESSÃO ESTÁ
APTO E PRONTO PARA IMPRIMIR ESTA PÁGINA.

Após cadastrado a empresa e o administrador, este mesmo pode:

1. Criar usuários para utilização do sistema;


2. Modificar perfis dos usuários de sua empresa;
3. Modificar as senhas de seus usuários;
4. Criar pessoas de contato de sua empresa no sistema;
5. Mudar as pessoas de contato de sua empresa;
6. Desativar usuários que não estejam mais trabalhando em sua empresa;
7. Assegurar que sempre há um administrador ativo no sistema.

Quando um usuário é criado, um e-mail é enviado ao administrador que o cadastrou contendo


uma senha de acesso para este usuário.

7
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 6 – Tela de cadastro de usuários

Entrando no sistema depois de um cadastro


Depois que o administrador está cadastrado, quando retornar ao sistema deve entrar no
endereço www.mdsystem.com e entrar na seqüência das figuras 7, 8 e 9:

Figura 7 – Tela de entrada do IMDS

8
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 8 – Link de entrada para login

Figura 9 – Janela popup para entrada de dados de usuário

Se o usuário estiver entrando no sistema pela primeira vez após o cadastro, o sistema o
obrigará a mudar a senha para uma personalizada. A nova senha terá validade de 90 dias
quando a mesma deverá ser mudada novamente.

A senha cadastrada de ser composta de caracteres alfanuméricos de 8 a 12 caracteres.

A linguagem das telas do sistema pode ser mudada e a língua portuguesa está disponível para
ser configurada. Inglês é a linguagem default do sistema. Lembre-se que tanto a digitação de
usuário e senha são sensitivos, ou seja, caracteres maiúsculos são diferentes dos minúsculos
para o sistema. Desta forma, aconselhamos que, nas atividades de primeiro login, o usuário
copie e cole (utilizando os comandos de seu sistema operacional) para evitar erros.

9
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Administrando senhas
Se o usuário esqueceu sua senha, o mesmo pode recuperá-la utilizando o comando User ID
Forgotten Button. Se o sistema permitir, ou seja, se seu cadastro de usuário não expirou e se
você fez seu último login com sucesso no sistema, você poderá usar o comando New
Password e uma nova senha será enviada para seu e-mail. Desta forma, manter seu endereço
de e-mail sempre atualizado no sistema é uma boa prática.

Na mensagem de e-mail, seguirá dados que enviarão o usuário à tela de recadastramento de


senhas.

Figura 10 – Tela de cadastro de nova senha

Estrutura do sistema IMDS – Tela Principal

Barra de
comandos

Menu
Principal

Área de
Trabalho

Figura 11 – Tela de entrada de login com descrição de áreas de comandos

10
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

• Menu Principal: Este menu está presente em todas as telas que o usuário entrar. Dá o
acesso aos comandos principais de administração do sistema com sub menus
expansíveis conforme o comando principal que se escolhe.

• Área de trabalho: Esta área mostra os campos de trabalho dependendo dos


comandos que são escolhidos. As telas de área de trabalho irão mudando conforme os
comandos dados nos menus.

• Barra de comandos: Esta barra aparece na parte superior da tela. São estes os
seguintes comandos:

Save Check Preview View Edit Analysis Copy Paste Print Help

Comando Verifica os dados Mostra as Abre o item Mudanças Um MDS Copiar os Colar Imprime Contém
para salvar que são informações selecionado podem pode ser dados de os os dados notas e
as introduzidos no que vão para ser analisado um dados correntes releases
modificações sistema. para a visualização. levadas de acordo determinado vindos de ajuda
de tela. Este Quando um impressora para fora com campo para de ao
comando dado novo é Itens da área diferentes a área de outras usuário
pode ser colocado no modificados de parâmetros. transferência áreas para
feito em sistema, esta não poderão seleção do seu de seu operação
botões na verificação é ser vistos sistema sistema do
área de feita neste operacional sistema
trabalho automaticamente comando

Operando o sistema

Recomendações
Para criar o sistema MDS, o Comitê Diretor do sistema publica várias recomendações. Nestas
recomendações, as mesmas são diferentes conforme o tipo de acesso que se tem do sistema.
Para se ter acesso às recomendações, utilize o comando Recommendations no menu
principal. É recomendado que o usuário acesse com freqüência este comando para estar
atualizado de informações importantes.

Figura 12 – Tela de consulta às publicações de recomendações

11
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Substâncias básicas no IMDS


Atualmente, IMDS tem mais de 7.200 substâncias ativas e mais de 250 não ativas. Além das
informações básicas que uma substância tenha cadastrada no sistema, tais como número CAS
e EINECS, a substância em questão pode conter também referência GADSL com marcas como
obrigatórias de cadastramento e outras proibidas.

Desde a versão 4.0 do sistema, substâncias proibidas que são cadastradas no sistema são
diferenciadas em cores diferentes na página de ingredientes:

• Substâncias classificadas como declaráveis, aparecerão na cor azul;


• Substâncias classificadas como proibidas, aparecerão na cor vermelha.

Uma substância básica pode ter as seguintes características:

• Ativa
• Deletada / desativada
• Oculta

Menu CRIAR
O usuário, clicando o comando CRIAR, entrará na tela em que o mesmo deve escolher o tipo
de cadastro que deseja fazer, ou seja, componente, sub componente ou material.

Figura 13 – Tela de entrada de dados criando um novo MDS

12
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 14 – Tela de entrada de dados de componentes

Criando uma tabela de materiais


O caminho de cadastro de um dado deve seguir o caminho de cadastro de um produto.
Quando um fornecedor utiliza materiais que adquire de outros sub fornecedores, os mesmos
devem cadastrar seus materiais no sistema IMDS. Todos os dados devem ser emparelhados
com o produto. Todas as importantes substâncias devem ser cadastradas nos produtos, tanto
as declaráveis quanto as proibidas.

Além disso, os tipos de MDS seguem uma hierarquia estrutural semelhante a de uma família
com cadastro de elementos pai e filho. Componentes podem ter outros componentes, sub
componentes ou materiais como elemento pai e filhos. Sub componentes podem ter outros sub
componentes ou materiais. Materiais só podem ter outros materiais.

Há milhões de cadastros de MDS e muitos deles têm o mesmo número de parte. Todos os
cadastros de MDS devem ter um identificador exclusivo e único. Para este identificador, damos
o nome de IMDS ID. O mesmo é representado por dois números que aparecem na parte
superior direta da tela. Na figura 14, o IMDS ID é o 2348387 e isso significa que este cadastro é
o 2348387º adicionado ao sistema. Após o símbolo “/” segue o número da versão. Quando a
versão é decimal (ex.: 0.01) a versão em questão pode ter seus dados principais editados.
Quando a versão é dada em número de versão completa (ex.: 5.0) mudanças no sistema raiz
não poderão ser efetuadas.

Componentes, Sub componentes e Materiais


O ponto de partida para cadastrar uma nova entrada é o material. Estas entradas podem ser
feitas pelos usuários cadastrados ou pelos fornecedores de materiais para a empresa que
administra o sistema com possibilidade de adição ou não dos administradores e usuários da
empresa. Pode-se cadastrar também de uma lista de materiais já publicados no sistema (o
cadastramento de materiais já cadastrados é extremamente recomendável).

Se a empresa não cadastrar o tipo de material, a mesma não poderá cadastrar materiais no
sistema MDS.

13
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Materiais são compostos de várias substâncias. A soma destas substâncias básicas deve
totalizar 100%. Um MSDS (Material Safety Data Sheet) não é uma fonte adequada de dados
como substâncias em que a soma não totaliza 100%. Adicionalmente, Se o usuário que
cadastra no sistema MSDS pode não listar todos os elementos GADSL. Somente substâncias
que fazem parte de elementos que acompanham o veículo vendido ao consumidor são
reportados. (Ex.: Líquidos utilizados em pinturas ou adesivos que não são curados e não
integram a camada de tinta não precisam ser cadastrados).

Um componente pode ser utilizado se o produto é fisicamente utilizado na montagem,


mantendo um peso constante. O aspecto importante de um componente é que o mesmo
mantém seu peso constante no processo. Algumas vezes em casos tais como um cabo ligado
à uma parte eletrônica, o cadastramento do mesmo pode ser feito como componente até que o
mesmo seja adaptado de forma final.

Um semi componente pode ser classificado quando o mesmo faz parte de uma sub parte do
componente e / ou terá seu peso ou comprimento diminuído quando da montagem do mesmo.
Exemplos: Um rolo de arame, tinta, um bloco de motor que será usinado antes da montagem,
etc.

Após escolher um dos três tipos de cadastro, a estrutura abaixo aparecerá no menu principal
na seguinte sequência:

1. Ingredients
2. Recyclate Information (no longer used in this format)
3. Supplier Data
4. Recipient Data

Ingredientes
Neste menu, o usuário terá o sistema de componente, sub componente e material disponível
para cadastro. Após escolhida a entrada correta, a tela que se mostrará terá os seguintes
botões de comandos:

Adiciona um componente novo na árvore de elementos – Disponível somente na


tela de cadastro de componentes
Adiciona um sub componente novo na árvore de elementos – Disponível nas telas
de componentes e sub componentes
Adiciona um material novo na árvore de elementos – Disponível nas telas de
componentes, sub componentes e materiais
Adiciona um componente ou sub componente já existente – Disponível nas telas de
componentes e sub componentes.

Quando um destes comandos é utilizado, os campos correspondentes são carregados na área


de trabalho. Enquanto o usuário cria a árvore de estrutura de componentes e sub
componentes, materiais devem ser criados primeiro em uma entrada MDS separada,
atualizados e, após isso, anexados ao componente ou sub componente.

Quando da criação de um MDS, um nome em default é criado com a seguinte estrutura base:
ex.: Component_2285358 que é carregado em tempo real. Por outro lado, o sistema, nesta
fase, pode enviar uma mensagem de erro do sistema.

14
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Joker (Wildcard) para cadastro em MDS


Existe uma miscelânea de substâncias básicas já cadastradas no sistema MDS, com
restrições, quando estas substâncias básicas não são conhecidas.Estas substâncias são
chamadas de “jokers” ou “wildcards” e os mesmos têm seus números CAS no sistema.

Há uma categoria especial de substância que não possui número de cadastro CAS e não é um
Joker. Uma pseudo-substância dá a descrição de uma substância isolada ou de um grupo de
substâncias que não possuem número CAS. Casos deste tipos podem ser, por exemplo,
resinas acrílicas ou fibras de algodão. É importante que o sistema considere estes elementos
como reais e não como Jokers ou Wildcards. Neste caso, pseudo-substâncias aparecerão, na
coluna de cadastro do CAS, o símbolo “-“.

A estrutura em árvore
Um item pode ser cadastrado com uma estrutura em árvore, com ligações em nós. Para
administrar o sistema, a estrutura pode recolher ou expandir utilizando o mouse.

Figura 15 – Exemplo de estrutura em árvore de elementos de um MDS

Na construção da árvore de elementos, pode-se mudar a ordem de colocação dos elementos


nos nós. Para isso, utiliza-se o comando conforme figura 16.

15
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 16 – Comando de alteração de ordem dos nós na árvore

Quando um comando de deleção ou de movimentação de níveis de elementos é acionado


pelas teclas da figura 16, aparecerá um sub menu que pedirá a orientação da movimentação
(para o início, um passo acima ou um passo abaixo).

Fugura 17 – Tela de comando de modificação de elementos em árvore

Cada módulo de MDS possui dados de criação, sistema de verificação de dados e atualização
dos mesmos. Estes dados são mostrados em uma estrutura de detalhes em que o usuário
poderá acessá-los em cada tela de elemento.

Figura 18 – Tela de demonstração de elemento com detalhes de cadastramento

16
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Indicadores de peso: Em telas de cadastro de elementos, o sistema pedirá, entre outros


dados, o peso do elemento. Os mesmos são divididos entre “medidos”, “tolerância”,
“calculado”, e “derivação”.

Medidos: Este campo cadastra o peso da parte que está se cadastrando. Quando isso
acontece, o comando “derivação” atualiza automaticamente a diferença percentual entre o
peso medido para o elemento e a soma dos elementos que estão presentes na árvore.

Tolerância: Este campo cadastra uma margem de tolerância para evitar erros de cálculos
entre os arredondamentos e das medições de cada elemento.

Calculado: Este campo mostra a soma dos elementos dos elementos diretamente ligados ao
nó do elemento principal.

Derivação: Este campo mostra a diferença percentual entre o peso calculado e mo medido.

Outros comandos:

Quantidade: Este campo somente aparece quando anexado a outros componentes e este
campo só aceita dados numéricos. Este campo é usado para calcular o peso total e como um
multiplicador do peso medido dos componentes e a quantidade em que se referem.

Entrando com porcentagens: Este campo se aplica a sub componentes e materiais quando
anexado a outros sub componentes e materiais quando anexado a outros materiais.

Cadastrando substâncias básicas


Quando o usuário está em uma árvore de estrutura, substâncias básicas podem ser
cadastradas dos elementos já cadastrados no sistema.

Figura 19 – Tela de cadastramento de substância básica

17
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Você pode localizar uma substância básica pelo seu número CAS (preferencialmente), EU-
index, Einecs, GADSL ou pelo nome. Para isso, pode-se utilizar os wildcards (ex.: se colocada
a palavra “resina”, o sistema retornará todos os componentes que tenham esta expressão em
sua descrição no nome). Se a localização de uma determinada substância se tornar algo muito
difícil para o usuário, o mesmo pode pedir auxílio para o helpdesk da EDS (disponível somente
em inglês).

Cada tela de resultado de pesquisa só mostra 500 elementos, no máximo, por tela.

Figura 20 – Tela de resultado de pesquisa de determinado elemento

Quando acionado o comando view, pode-se ver detalhes de uma determinada substância. O
comando apply aplicará os dados da árvore que estiver sendo construída pelo usuário.

Regra do 0,1%
Ingredientes ou aditivos nos materiais cadastrados não necessitam de cadastramento se os
mesmos compuserem uma composição de 0,1% em massa dos elementos. As exceções a esta
regra são para as substâncias que são proibidas ou com declaração compulsória. Para
localizar estes elementos que estão em estado de exceção, deve-se observar a lista CAS no
link de recomendações ou verificar no cadastro de outras entidades se determinado produto é
declarado como proibido ou de uso restrito.

Pesquisando na árvore
Quando se necessita pesquisar dentro de uma árvore ativa, pode-se fazer tal pesquisa pelo
nome da substância ou outros dados de cadastro.

18
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 21 – Pesquisando na árvore ativa


Símbolos ISO para polímeros
Para dar mais detalhes de informações para os cadastros de materiais no sistema MDS, pode-
se cadastrar os elementos poliméricos com os símbolos ISO conforme as normas ISO 1043-
1/2, ISO 11469 ou ISO 18064.

Dependendo do peso de determinado componente, a marcação deste sistema pode ser


obrigatória ou opcional. Se o cadastro da marca ISO não estiver como opção no menu de
cadastro significará que, para o elemento em questão, não há símbolos poliméricos ISO.

Quando da criação e cadastro de um novo elemento, campos de cadastro de critérios para


símbolos ISO aparecerão. Se o cadastro for obrigatório, os campos devem ser preenchidos.

Figura 22 – Cadastro de tipo de polímero e sua obrigatoriedade em símbolos ISO

Quando o usuário aciona o comando de nível de material polimérico com classificação de


símbolo normativo, aparecerá a tela da figura 23.

19
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 23 – Tela de condições de cadastro para materiais poliméricos

Para responder corretamente a questão de marcas ISO poliméricas, o usuário deve verificar
com cuidado o tipo de material que está trabalhando. A resposta “não aplicável” pode ser
colocada quando o módulo em questão não se tratar de um elemento polimérico classificado
ou no caso de sua soma de sub conjunto em massa não ultrapassar 25 gramas contanto que
seu componente primário que está amarrado a ele seja mais pesado.

A janela de verificação do sistema MDS emitirá uma mensagem de alerta para cadastramento
de poliméricos no seguinte caso:

• No caso de materiais com classificações 5.1, 5.1 a, 5.1 b, 5.3 e 5.4.1. em que a soma
dos mesmos ultrapasse 25 gramas

O mesmo sistema de verificação emitirá uma mensagem de erro para o seguinte caso:

• No caso de materiais com classificações 5.1, 5.1 a, 5.1 b em que a soma de suas
partes totalize um valor maior que 100 gramas ou
• Contenha materiais de classificação 5.3 em que a soma de suas partes totalize um
valor superior a 200 gramas.

20
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 24 – Tela de MDS com detalhe no cadastro de elemento polimérico ISO

Códigos de aplicação para substâncias IMDS


IMDS contém várias substâncias básicas. Algumas são marcadas como “obrigatórias em
declaração” e outras como “proibidas”. Nenhuma substância declarada como proibida poderá
ser utilizada na cadeia de composição dos produtos automobilísticos com exceção de certas
aplicações específicas (somente válida quando a mesma é postulada por lei). Não somente as
substâncias proibidas que devem ser suas funções obrigatoriamente declaradas. Substâncias
que têm sua declaração compulsória devem seguir mesmo raciocínio.

O cadastro destas substâncias é de extrema importância tanto para a empresa declarante


como para seus clientes. As substâncias que são consideradas de uso restrito são as que
contém chumbo em sua composição, cromo hexavalente e seus sub componentes, mercúrio e
seus sub componentes, cádmio e seus sub componentes, níquel e compostos policíclicos
aromáticos hidrocarbonetos (PAHs). Os códigos de aplicação, no site do IMDS estão em inglês
independente da língua em que o sistema foi configurado.

É fortemente recomendável que todas as empresas que compõem seus produtos com
estas substâncias que trabalhem em projetos de engenharia para substituí-los por
outros não perigosos. A omissão destes produtos na composição do MDS de um
produto acarretará conseqüências contratuais e legais passíveis de punições.

Aplicação de códigos para produtos restritos só é possível para componentes. Se um sub


componente tem a necessidade de aplicação destes códigos, o mesmo, quando passado para
a classificação de componente, terá a opção de cadastro destes códigos. Dependendo da
substância e da classificação dos materiais de composição e onde são utilizados, o sistema
mostrará uma lista de códigos disponíveis para uso. Quando a aplicação dos mesmos for muito
óbvia, o próprio sistema os acrescentará no componente em questão.

21
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 25 – Tela com orelha para aplicações de códigos em produtos restritos

Figura 26 – Na opção de aplicações, o detalhe de colocação de códigos para o chumbo

22
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 27 – Declaração de aplicação de determinada substância restrita

Informações para reciclagem


Materiais que têm a classificação de recicláveis são os que estão na categoria de lista de
materiais nos níveis 1, 2, 3, 4 e 5.

Figura 28 – Lista de materiais com os níveis de reciclagem

23
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

A lógica de cadastramento segue que, quando um material A, por exemplo, for cadastrado
abaixo de um material B que tenha a classificação de reciclável, a aba de cadastramento das
características de reciclagem aparecerá para preenchimento de seus campos. Por outro lado,
quando o material A foi anexado a um componente ou sub componente, as informações
estarão somente para a tela do material A.

Figura 29 – Aba para cadastramento de dados de reciclagem

Em um componente, as informações de reciclagem somente são importantes quando a massa


do mesmo no conjunto superar 25 gramas. Neste caso, a declaração de dados de reciclagem é
obrigatória.

Desde que um material desta classificação não tenha seu peso cadastrado, o MDS deixará
disponível a aba de cadastramento de informações de reciclagem. Se a informação de massa
não for preenchida, quando do envio ou classificação da árvore de dados, o sistema data uma
tela de descrições de erros e avisos quanto à falta de informações de massa dos materiais e /
ou dados de reciclagem.

24
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 30 – Tela da aba de reciclagem e as informações obrigatórias


Dados de fornecedor
Nesta seção, quando do cadastramento de um MDS, o sistema pedirá o cadastro de
informações de contato responsável pelas informações colocadas. Os nomes de contato
estarão em opção do drop list desta tela. Para se ter os nomes desejados nesta tela, o
administrador de sistema deve cadastrar os nomes desejados como usuários.

Figura 31 – Cadastro de dados de usuário para determinado MDS

Os dados que cada usuário poderá ver no sistema dependerá s de como o mesmo está
cadastrado, Por exemplo, se um usuário é cadastrado para ver dados de matriz e outro de uma
unidade de fabricação, o primeiro provavelmente terá mais dados em acesso do que o
segundo.

Recebimento de dados

25
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Para que seu cliente tenha acesso aos dados cadastrados em determinada árvore, o mesmo
deve ser cadastrado como cliente da organização. Há dois tipos de cadastramento: os clientes
categorizados como “published” ou “internal”.

Figura 32 – Tela de cadastramento de clientes para envio de MDS

Figura 33 - Tela de dados de cliente para pesquisa dos cadastrados

Quando um determinado MDS é cadastrado para envio a um cliente, somente ele terá acesso
aos dados que foram enviados.

Após o cadastro de um ou mais clientes, os mesmos aparecerão na lista de envio com outros
comandos tais como send ou propose. Se o envio está sendo feito pela primeira vez, o
comando ao ser escolhido é send. Por outro lado, se um determinado MDS já existente está
sendo atualizado para determinado cliente, o comando é propose.

26
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Número DUNS
Criado em 1962 pela Dun&Bradstreet(D&B) o sistema universal DUNS é utilizado para
identificação de empresas catalogadas e autorizadas a manter negócios para outras empresas
americanas até para sua participação nas bolsas de valores do mundo. É um número único de
cadastro de empresas que espelha as condições financeiras das mesmas para negócios no
geral. Para saber mais deste cadastro, entre no site www.dnb.com.

Para o preenchimento das informações da empresa onde os dados MDS são enviados, um
campo de aplicação do número DUNS aparece como opcional para identificação da empresa.
Se o usuário não tem o número DUNS da empresa a ser cadastrada, pode-se deixar o relativo
campo em branco.

Requisitos especiais para criação de um MDS - Polímeros


Para materiais com classificação 5.1.a, 5.1.b, 5.2, e 5.3, o campo de cadastramento de
símbolos poliméricos será mostrado. Para evitar enganos, os tipos de simbologias de materiais
aparecerão em um drop list e para termoplásticos, as entradas são conforme as normas ISO
1043 e para elastômeros termoplásticos a ISO 18064 e para elastômeros comuns temos a
norma ISO 1629.

Figura 34 – Tela de cadastro em normas ISO para termoplásticos

Número interno de material e Número de materiais padrão


Quando se cadastra um material, na tela de cadastramento haverá dois campos de entrada de
números de identificação de materiais. O chamado “Número Interno de Material” é aquele que
o fornecedor pode colocar seu próprio número de classificação de material. Este campo pode
ficar em branco.

Por outro lado, o campo de “Número Padrão de Material” é disponível somente para materiais
metálicos. Neste caso, este número pode ser visto nas listas EN, UNS ou VDA. Há também
materiais metálicos que não tem cadastramento para este número e não há como cadastrar
este código nestes casos.

27
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Tornando o MDS produtivo


O sistema de cadastro MDS se torna produtivo quando o mesmo passa pelos comandos
Internal/Send/Propose/Publish para envio e publicação de dados de cadastro MDS para seus
clientes.

Quando um fornecedor envia dados de MDS para seu cliente, o envio é virtual tendo em vista
que os dados continuam nos servidores da EDS e o cliente tem acesso aos dados e pode
aceitá-los ou rejeitá-los. Somente os clientes têm acesso aos dados IMDS somente quando os
fornecedores os enviam. Até este ponto, nenhum dele têm acesso às informações.

MDS Request
Para evitar erros de nos tipos de MDS e cadastros de elementos que são enviado para os
clientes, o sistema 6.0 criou o comando “MDS Request”. Este sistema tem o conceito de Puxa-
empurra informações conforme são necessárias e aceitas pelo fornecedor. Com isso pode-se
acompanhar mais de perto os movimentos de análise dos MDS enviados.

Figura 35 – Tela do comando MDS Request

Nesta tela, serão pedidas as seguintes informações:

1. Project name
2.Type of MDS
3.Company ID / OrgUnit ID of MDS supplier
4.Org-Unit ID of MDS recipient
5.Deadline date
6.All chapter 4 fields (Part/Item No., Description, Drawing number etc.)
7.Assigned MDS
8.Request Status

Os campos de preenchimento obrigatório são “Part / Item number” e “Org-Unit ID”.

28
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

Figura 36 – Tela de resultados da pesquisa MDS Request

MDS completos para pesquisa somente recebem este status quando são aceitos. Os
resultados podem ser exportados em PDF ou em CSV com uma limitação de cada tela de
exposição de 500 resultados por vez.

Na tela, podemos ver que há o critério de levantarmos os resultados de MDS que recebemos
(received requests) ou MDS enviados (own requests).

Figura 37 – Tela de classificação do tipo de pesquisa e status do MDS

O Status se refere a:

• New: refere-se a uma requisição nova que ainda não pode ser vista pela empresa
cliente destinatária – IMPORTANTE: SE O REQUEST DE UM MDS NOVO FOR
DELETADO E AINDA NÃO ENVIADO, O MESMO SERÁ FISICAMENTO DELETADO
DO SISTEMA.

29
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br
Certificações JP Verithas

Registro Nº 458
ISO9001:2008

• Sent: refere-se aos que foram enviados e não podem mais ser modificados.
• Working: Quando o elemento ainda não é um MDS e está sendo trabalhado.
• Waiting for acceptance: Quando o MDS foi enviado e esperando aceitação.
• Completed: Quando o MDS foi aceito
• Reject: Quando o MDS foi rejeitado
• Deleted: Quando o MDS foi cancelado no sistema

Ações
Teoricamente, os dados de MDS seguem o mesmo caminho para todas as empresas em que é
endereçado. Quando o usuário termina o cadastro de MDS, os dados devem ser transformados
em MDS para serem enviados para os clientes. Quando esta operação se conclui, ou seja,
torna o MDS produtivo, o usuário também determina quem poderá ver a árvore de interações.
Esta operação pode ser feita de algumas maneiras:

• Internal: MDS modificados internamente só podem ser anexados a outros MDS


criados por usuários de sua própria companhia.
• Send: É o comando mais utilizado para envio de MDS. Com este comando, o cliente
pode aceitar ou rejeitar seu MDS.Até que o mesmo seja aceito, a empresa pode fazer
modificações no MDS em questão.
• Propose: Quando o mesmo MDS deve ser enviado para vários clientes, utiliza-se este
comando. Se um dos clientes propor mudanças, o usuário pode reenviar os dados para
aquele cliente com os dados sugeridos.
• Publish: Um MDS publicado será acessível para todos os usuários MDS. Não há
verificação de pendências neste comando e existe clientes que não aconselham o uso
deste comando pois não tem o comando de aceitar ou não o mesmo MDS. Quando um
MDS é aceito o mesmo não poderá mais ser deletado.

30
Escritório: (11) 3711-4010 – SP
(21) 3717-1030 – RJ www.jpverithas.com.br
(41) 3941-9695 – PR jpverithas@jpverithas.com.br

Você também pode gostar