Você está na página 1de 3

TRABALHO – AP1_AV1

DISCIPLINA: PESQUISA DE MERCADO

PROFESSOR TUTOR: ________________________________________

ALUNO: __________________________________________________

CURSO: __________________________________________________

TRABALHO – AP1_AV1

 INDICADORES DE CORREÇÃO:

INDICADORES PONTUAÇÃO
Coerência de resposta ao enunciado proposto 0 a 2,0 pontos

Capacidade argumentativa e clareza na exposição das ideias e conceitos 0 a 1,0 ponto

Correção Gramatical 0 a 0,5 décimos

Utilização das normas da ABNT na formatação, citações e referências 0 a 0,5 décimos

TOTAL 4,0 pontos

 PROPOSTA:

O cartão de plástico está com os dias contados?

A moeda tem se transformado ao longo do tempo: desde as cabeças de gado, grãos,


conchas, metais, contas e ouro do passado, até o papel-moeda e os cheques bancários dos
nossos dias, chegando ao cartão de crédito, que, segundo alguns, também já está a ponto
de ser abandonado.
Nos dias atuais, usar cartões de crédito é algo tão na- tural que ninguém se lembra
de sua interessante história. Acredita-se que o crédito foi inicialmente usado na Assíria,
Babilônia e Egito há cerca de 3 mil anos. Conta-se que o primeiro anúncio de crédito foi
feito em 1730 por um vende- dor, Christopher Thornton, que queria oferecer aos consu-
midores uma chance de mobiliar suas casas imediatamente, enquanto os pagamentos
tomariam mais tempo (os compra- dores podiam pagar semanalmente). Ele introduziu o
con- ceito de ‘tenha agora e pague depois’. Sedutora para ambas as partes, a ideia logo foi
aceita e adaptada por outros. De fato, o cartão de crédito foi o sucessor de uma variedade
de formas de crédito utilizadas por empresas e bancos. Os créditos eram usados nos anos
1920, nos Estados Unidos, por exemplo, para vender combustível ao crescente número de
proprietários de carros. Em 1938, diversas empresas co- meçaram a aceitar cartões umas
das outras.
Em 1950, o norte-americano Frank McNamara saiu para jantar com seus amigos
e, na hora de pagar, perce- beu que tinha esquecido a carteira. Esse esquecimento foi a
centelha que estimulou a criação do cartão de crédito. Com o amigo Ralph Schneider,
McNamara introduziu o cartão Diners Club, um cartão de cobrança que possibilitava
pagar as contas de uma só vez. Foi o primeiro cartão da história que permitiu aos seus
200 membros comprar alimentos e bebidas em 27 restaurantes da cidade de Nova York.
Em 1958, surgiu o American Express. No mesmo ano o Bank of America criou o
BankAmericard, um produto que depois evoluiu para o sistema Visa, nome introduzido
em 1976. O sistema MasterCard apareceu em 1966, quando um grupo de bancos
emissores de crédito fundaram o MasterCharge. Foi apenas em meados de 1970, com o
estabelecimento da faixa magnética, que o cartão de crédito se tornou parte da Era da
Informação.
Atualmente há inúmeras variações do conceito básico de crédito rotativo para
indivíduos (emitido por bancos e honrado por uma rede de instituições financeiras),
incluindo cartões de crédito com marcas de organizações, cartões de crédito corporativos,
cartões de lojas etc. Os cartões de crédito são uma boa opção de moeda para viajantes,
que podem usá-los em qualquer lugar onde sejam aceitos, isto é, em quase toda parte do
mundo. No Brasil, os principais emissores são Bradesco, Credicard, Itaucard, Ourocard
e Unicard, e as principais bandeiras são Visa, MasterCard, Diners e American Express.
Há grandes diferenças entre o mercado de cartões de crédito no Brasil e nos Estados
Unidos. Aqui há taxas de anuidade, seguros opcionais contra perda ou roubo, alto
índice de inadimplência e taxas de juros bastante elevadas; além disso, tanto o
estabelecimento que vende o produto como o próprio cartão podem propiciar o
parcelamento. Nos Estados Unidos, a escala de vendas e receitas é bem maior; porém a
concorrência também é muito mais acirrada — siatuação que permite e estimula a
suspensão da anuidade. Estima-se que a quantidade de cartões de crédito em posse da
população economicamente ativa seja de 4,7 por pessoa nos Estados Unidos, enquanto
no Brasil esse número é de apenas 0,7, o que leva a crer que ainda existe um grande
potencial de mercado a ser explorado.
Contudo, o dinheiro de plástico, ou cartão de crédito, apesar de bem-sucedido,
não substituiu totalmente o dinheiro nem eliminou algumas situações em que ele é
necessário.
Hoje se discute a nova moeda de troca. Nesses estu- dos, o sistema de cartões de
crédito convencionais volta a passar por uma revolução. Eles tendem a evoluir para os
smartcards — nova geração de cartões inteligentes carre- gados diretamente da conta
bancária e que são capazes de armazenar grande quantidade de informações, protegendo-
-as do acesso de pessoas não autorizadas.
Esses cartões compõem parte do conceito do dinheiro eletrônico (ou digital), que
passará a ser a nova moeda de troca, isto é, a moeda digital na forma de bits e bytes. De
acordo com os estudos, o dinheiro digital será como o dinheiro em papel — o saldo da
conta bancária será convertido em um código digital, armazenado em um microchip, que
poderá estar em um cartão de bolso (o smartcard) ou no disco rígido do computador,
podendo ser usado em transações, desde que os envolvidos (banco, comprador e
vendedor) reconheçam o seu valor. A Internet deverá ser o ambiente natural no qual o
dinheiro digital se desenvolverá.
Com essa evolução, o novo cartão irá assumir uma variedade de funções, incluindo a de
cartão de débito, moedeiro eletrônico, cartão de fidelidade, de identificação pessoal e
outras. Ele poderá ser recarregado e reconfigurado de acordo com as necessidades do
usuário, oferecendo assim mais facilidades e segurança. Seria o fim dos cartões de
plástico?
Fontes: Brad Puffer, Digital cash, http://www.pbs.org/wgbh/nova/moolah/ digitalcash.html; Stanley Slaughter, “Card evolution”,
Business Travel World, out. 2004, p. 4; http://www.rlrouse.com/credit-cards-history.html.

Questões para discussão (Elabore um texto argumentativo com no mínimo 8


linhas respeitando o embasamento teórico da disciplina).

1 - Que informações são necessárias para prospectar o mercado de cartão de crédito e


os potenciais usuários do dinheiro eletrônico? Analise os aspectos favoráveis e
desfavoráveis da adoção do dinheiro eletrônico.

2 - Que tipo de pesquisa você faria para prever o futuro do cartão de crédito no Brasil?
Justifique.

Você também pode gostar