Você está na página 1de 3

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA __ VARA DA COMARCA DE

Y, ESTADO DE F

XISTO DA SILVA, brasileiro, solteiro, administrador, portador do


RG nº ... e do CPF nº ...,, residente e domiciliado na Rua X, nº
..., bairro Z, cidade Y, vem respeitosamente à presença de
Vossa Excelência, por meio de sua advogada (procuração
inclusa), com base no artigo 164, I, do Código Tributário
Nacional propor:

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO,

em face da FAZENDA PUBLICA DO MUNICIPIO Y,


devidamente inscrita no CNPJ nº ..., representada pela
Procuradoria Geral da União, com endereço situado na Rua ...,
nº ..., cidade ..., devendo ser citada por seu representante, pelas
razões de fato e direito que passa a expor:

I – DOS FATOS

O autor recebeu cobrança simultânea, por meio de uma


mesma guia de documento fiscal, de dois tributos: IPTU e Taxa de Conservação
das Vias e Logradouros Públicos (TCVLP). No caso da referida taxa, certo é que
o contribuinte não concorda com sua cobrança, o que o levou, por meio de
seu advogado, a ajuizar ação judicial a fim de declarar sua
inconstitucionalidade, havendo pedido liminar, ainda não apreciado, para
afastar a obrigatoriedade do recolhimento da referida exação fiscal.

Por outro lado, em relação à cobrança do IPTU, pretende o contribuinte efetuar


o seu pagamento. No entanto, a guia de pagamento é única e contém o valor
global dos referidos tributos, tendo o banco rejeitado o pagamento parcial
relativo somente ao IPTU. Nesse caso, considerando que o IPTU ainda não está
vencido, bem como o contribuinte não obteve êxito para solucionar seu
problema na esfera administrativa, o autor não vislumbra outra alternativa que
não a presente medida afim efetuar o pagamento do imposto municipal.

II – DO DIREITO

Ocorre no caso em tela a subordinação do pagamento de um tributo a outro pelo


fisco municipal, entretanto, tal situação é inadmissível. Ora, se a cobrança se
refere a dois tributos distintos, com fatos geradores distintos e até mesmo de
espécies diferentes, é inconcebível que o pagamento de um fique condicionado
ao pagamento de outro.

Neste cenário, o art. 164, I, do CTN prevê a possibilidade de consignação em


juízo do crédito tributário quando este tiver o recebimento recusado ou
subordinado ao pagamento de outro tributo. Deste modo, a fim de satisfazer a
obrigação tributária na forma do art. 156, VII, do CTN, pretende o autor o
recolhimento do valor referente ao IPTU mediante a consignação em juízo, frente
a subordinação deste ao pagamento da TCVLP, nos termos do art. 164, I, do CT

IV – DOS PEDIDOS

Em face o exposto requer:


A citação do réu para levantar o depósito ou oferecer resposta;

Que seja deferido o depósito do valor do IPTU devido, tornando inexigível o


crédito tributário correspectivo;

Ao fim, seja julgado procedente o pedido, declarando-se extinta obrigação


tributária;

A condenação da ré ao pagamento das custas processuais e honorários


advocatícios, nos termos do artigo 85, § 2º do CPC;

Protesta por todos os meios de provas em direito admitidos, especialmente a


prova documental.

Dá se a causa o valor de R$ ....

Termos em que,

Pede deferimento.

Local ..., data ...

Advogado...

OAB...

Ana Carolina Galhoti do Amaral - RA 130930 – 10º PERÍODO

Você também pode gostar