Você está na página 1de 43

Balsemão Manuel Buraimo

INFLUÊNCIA DA LIDERANÇA SERVIDORA PARA PERMANÊNCIA DASEMPRESAS NO


MERCADO AO LONGO PRAZO, CASO – EMPRESA GOODONE
(Licenciatura em Gestão de empresas com habilitações em gestão Financeiras)

Universidade Rovuma
Nampula
2020
2

Balsemão Manuel Buraimo

Influência da liderança servidora para permanência das empresas no mercado ao longo


prazo, caso – empresa Goodone
(Licenciatura em gestão de empresa, com habilitações em gestão financeira)

Trabalho de Monografia científica a apresentada na Faculdade


de Ciências Económicas e Empresarias, Delegação de
Nampula, para obtenção de grau de Licenciatura em gestão de
empresas com habilitação em Gestão Financeira.

Supervisora: Mestre Itelvina Ribeiro

Universidade Rovuma
Nampula
2020
3

ÍNDICE
DECLARAÇÃO DE HONRA..................................................................................................... 5

DEDICATÓRIA .............................................................................................................................. 6

AGRADECIMENTOS .................................................................................................................... 7

EPIGRAFE ...................................................................................................................................... 8

RESUMO ........................................................................................................................................ 9

CAPÍTULO I. INTRODUÇÃO..................................................................................................... 10

1.1. Objetivos................................................................................................................................. 10

1.1.1 Objetivos geral ...................................................................................................................... 10

1.1.2. Objetivos específicos ........................................................................................................... 11

1.2. Justificativa ............................................................................................................................. 11

1.3. Problematização...................................................................................................................... 12

1.4. Questões de investigação ........................................................................................................ 13

1.5. Estrutura do trabalho .............................................................................................................. 14

CAPÍTULO II. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICO ....................................................................... 15

2.1. Histórico da Liderança ........................................................................................................... 15

2.2. Conceito da liderança ............................................................................................................. 15

2.3. Estilos de Liderança................................................................................................................ 16

2.4. Definindo a liderança servidora .............................................................................................. 18

2.5.O perfil do Líder Servidor ....................................................................................................... 19

2.6. Líder tradicional Vs Líder Servidor........................................................................................ 20

2.7 O impacto da liderança servidora nos resultados da empresa ................................................. 21

CAPÍTULO III: PROCEDIMENTOS METODOLOÓGICO ....................................................... 22

3.1. Metodologia de estudo quanto a Abordagem ......................................................................... 22


4

3.2. Tipos de pesquisa ................................................................................................................... 23

3.2.1.De ponto de vista da sua Natureza ....................................................................................... 23

3.2.2. Quanto aos objectivos.......................................................................................................... 23

3.2.3. Quanto ao procedimento técnico ......................................................................................... 24

3.3. Participantes da pesquisa ........................................................................................................ 25

3.4. Técnicas de colecta de dados .................................................................................................. 25

3.4.1. Entrevista ............................................................................................................................. 26

3.5.Procedimentos de análise de dados ......................................................................................... 28

CAPITULO VI: APRESENTAÇÃO, ANÁLISE E DISCUSSÃO DE DADOS .......................... 29

4.1. Características da liderança servidora .................................................................................... 29

4.2. Influência da liderança servidora para a permanência das empresas no mercado ao longo
prazo .............................................................................................................................................. 33

4.3. Modalidades do uso da liderança servidora para a permanência das empresas no mercado ao
longo prazo .................................................................................................................................... 35

CONCLUSÃO ............................................................................................................................... 36

SUGESTÕES ................................................................................................................................ 38

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS .......................................................................................... 39

APÊNDICE ................................................................................................................................... 42
5

DECLARAÇÃO DE HONRA
Declaro por minha Honra, que esta monografia é resultado da minha Pesquisa pessoal e das
orientações do meu supervisor e o seu conteúdo é original, todas as fontes consultadas estão
devidamente mencionadas nas notas de rodapé, e nas referências bibliográficas.

Declaro ainda que este trabalho não foi apresentado em nenhuma outra instituição para a
obtenção de qualquer grau académico.

Nampula, aos_____ de _______________ de 2020

O candidato

______________________________

Balsemão Manuel Buraimo

Supervisora

_______________________________________

(Itelvina Ribeiro)
6

DEDICATÓRIA

Á Balduíno Manuel Buraimo.


7

AGRADECIMENTOS
Agradeço à Deus, pelo dom da vida e pela Sua presença ininterrupta na minha vida, mesmo
sabendo que não sou merecedor da Sua graça.

Ao meu pai Manuel Buraimo Kazaco minha mãe Abiba Bandeira, pelo amor, carinho e suporte
que sempre demonstraram por mim e por não terem permitido que algo me faltasse durante o
curso.

Aos docentes da Universidade Pedagógica em geral e em especial a minha supervisora supervisor


Itelvina Ribeiro pelo apoio e paciência que teve na elaboração deste trabalho que não foi fácil;

Aos meus irmãos Dario Tarige Petecula, Balduino Manuel, Baltazar Manuel, Bulsay Manuel e
minhas irmãs Ancha Manuel, Genita Manuel, Quinha Manuel, sempre me encorajaram e me
deram força para continuar a estudar.

Aos meus amigos Mestre Isac Chaúque, Beto Kamuendo, Alfredo Jamal pelo incentivo durante o
curso.

Á todos meus colegas pela colaboração e ajuda que sempre deram-me desde o início até ao fim
da formação.

A todos que directa ou indirectamente participaram na minha formação vai o meu:

MUITO OBRIGADO!
8

EPIGRAFE

“A verdadeira liderança é produto de inspiração e não de manipulação”


Myles Munroe
9

RESUMO

O presente trabalho tem como tema: Influência da Liderança Servidora para permanência das empresas no
mercado ao longo prazo, teve como local de estudo empresa GOODONE. Isto porque as organizações ou
empresas vêem se preocupando com aplicação da liderança como estratégia que promova evolução
económicas mais do que as outras organizações ou mesmo com a sua permanência no mercado ao longo.
E a liderança servidora é uma nova visão de liderança, essa nova visão de liderança destaca a missão de
servir as pessoas e é a descoberta mais recente do mundo organizacional de liderança que torna o ambiente
empresarial mais humano e produtivo e é uma estratégia mais eficaz para desenvolver o capital humano
nas organizações ou empresas. O trabalho foi norteado pela seguinte questão de pesquisa: Como a
liderança servidora influência para permanência das empresas no mercado ao longo prazo? para
aprofundar essa questão, foi fundamental analisar Como a liderança servidora influência para permanência
das empresas no mercado ao longo prazo. A pesquisa foi desenvolvida com base na metodologia
qualitativa, bibliográfica, foram apresentados três (03) questões de pesquisa, que as respostas foram
encontradas através da entrevista semi-estruturada. Feito o estudo, concluiu-se que a liderança servidora
tem influenciado grandemente para permanência das empresas no mercado ao longo prazo, na medida que
através da acções do líder servidor baseadas em servir, através da qual ele consegue engajamento da
equipe e assim a equipa apresenta alto nível de energia e uma forte identificação com o próprio trabalho,
muita motivação e produtividade e começam a alcançar todas as metas propostas e consequentemente a
permanência no mercado ao longo prazo.
Palavras-chave: Liderança servidora; Empresa.; Mercado.
10

CAPÍTULO I. INTRODUÇÃO

Nos nossos dias, as empresas são alvos constantes de mudanças impostas pelo ambiente em que
estão inseridas, seja por consequência das incertezas macroeconómicas, pela evolução constante
dos sistemas de comunicação, pela concorrência ou por outros fatores que exigem uma adaptação
rápida e consistente para se manterem competitivas. Neste contexto, as competências
interpessoais e de liderança são apontadas como factor determinante para o sucesso e os
indivíduos que conseguem se adaptar, redefinindo prioridades e promovendo crescimento e
desenvolvimento organizacional sustentável, são percebidos como líderes. Entretanto, a liderança
constitui desta forma, a força motriz para orientar, guiar, controlar, administrar as empresas, de
modo a atingir metas ou objectivos específicos, porque nada acontece sem liderança, tudo que
existe é fruto da liderança.

A liderança é a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente, visando


atingir os objectivos comuns, inspirando confiança por meio da força do carácter (HUNTER,
2006). Como tal, os valores como carácter e ética estão sendo cada vez mais valorizados nos
ambientes de trabalho e talvez por isso, a liderança servidora, seja considerada a essência da
liderança e por sua vez está arraigada nesses valores esquecidos dentro do mundo corporativo. Os
estudiosos dizem ser a liderança servidora a descoberta mais recente do mundo organizacional
por ser capaz de tornar o ambiente empresarial mais humano e produtivo. Segundo DUTRA
(2002), essa nova visão de liderança destaca a missão de servir as pessoas como o objectivo
supremo e a estratégia mais eficaz para desenvolver o capital humano nas empresas. Portanto,
este presente trabalho tem como tema, Influencia da Liderança Servidora para permanecia das
empresas no mercado ao longo prazo, com o objectivo de analisar a influência da Liderança
Servidora para permanência das empresas no mercado ao longo prazo.

1.1. Objetivos

1.1.1 Objetivos geral

➢Analisar a influência da Liderança Servidora para permanência das empresas no mercado ao


longo prazo.
11

1.1.2. Objetivos específicos

 Descrever as características da liderança servidora;


 Estudar como a liderança servidora influência para a permanência das empresas no
mercado ao longo prazo;
 Propor as modalidades do uso da liderança servidora para a permanência das empresas no
mercado ao longo prazo.

1.2. Justificativa

Após a apresentação do tema de estudo importa apresentar alguns aspectos que fizeram com que
fosse necessário desenvolver o trabalho, neste caso, as motivações, enquadramento, relevância.

O autor deste trabalho foi e é estudante da Universidade Rovuma, tendo ingressado no ano 2015
para frequentar o curso de Gestão de empresas. A grande motivação do autor para está pesquisa,
de liderança servidora, nasce na mediada em que verificou o facto de as empresas estarem cada
vez mais, em busca de colaboradores capacitados para terem a partir deste capital humano, um
diferencial competitivo no mercado e neste âmbito é o líder que tem a responsabilidade de fazer
com que o colaborador sinta a necessidade de fazer o melhor para a empresa e também se sentir
motivado e satisfeito dentro dela. E ainda a motivação foi se sustentando, por ter observado que,
nos nossos dias, as organizações e empresas lutam pela sobrevivência no mercado, empregam
muitos esforços de marketing de gestão estratégica de contabilidade e comunicação, a liderança é
vista em todos esses esforços como o motor que leva as empresas no alcance dos objectivo
comuns, como é o caso a permanência no mercado ao longo prazo.

Nos estudos autodidácticos autor, sobre a liderança, ele ficou tão impressionado, e isto, gerou
umas das maiores motivação para está pesquisa, impressionado coma visão de liderança de Jesus
a chamada liderança servidora, Jesus nesta visão de liderança, declara estar a serviço, ser servo,
veio para servir, esta visão de liderança tornou ele tão poderoso, que mesmo na sua ausência a
sua companhia tem sobrevivido mais de dois mil anos até aos nossos dias, o que geralmente raro
ou difícil para as companhias dos nossos dias, sobreviverem desta forma, as empresas nascem,
passado algum tempo morem e desaparecem no mercado, mesmo com lideres lá empregando
vários estilos de liderança. Não apenas Jesus, alguns líderes que despertaram e adoptaram esta
12

nova visão de liderança as suas companhias que lideram gozam da permanência no mercado ao
longo prazo, é impressionante ver que as companhias que são orientadas por uma liderança
servidora sobrevivem por muito tempo. É mesmo, por causa disso, que o autor achou relevante
pesquisar sobre o assunto, com o objectivo de analisar a influência da Liderança Servidora para
permanecia das empresas no mercado ao longo prazo por forma a obter resultados que vão
beneficiar as companhias que desejam permanecer no mercado a longo prazo.

E ainda a pesquisa acha maior importância uma vez que, a liderança servidora considera-se uma
descoberta recente, logo, vai beneficiar a comunidade académica no incremento de novo
conhecimento. Por outro lado, vai contribuir para a comunidade no geral, trazendo uma nova
visão de liderança baseada em servir aos outros.

1.3. Problematização

As empresas e organizações enfrentam grandes dificuldades, quanto a permanência no mercado


ao longo prazo. Muitos são esforços que tem sido empregue pelos líderes e gestores de empresas,
para fazer face a permanência no mercado ao longo prazo. Esforços como, a manutenção do
relacionamento com o cliente, preços baixos, treinamento dos colaboradores, atendimento
personalizado, gestão de custo, gestão de fluxo de caixa, criatividade e inovação de produto, dar
um diferencial ao produto, este tem sido todo esforço que é empregue, mas mesmo assim, as
empresas não conseguem sobreviver por muito tempo.

No nosso país, muitas empresas que tinham uma boa posição e com bom destaque no mercado,
muitas delas desapareceram no mercado e não se fala mais delas, portanto, não conseguiram
sobreviver por muito tempo. É caso da Surf, a mCel, a empresa óleo Monapo. Este é um
problema sério das empresas, elas nascem, mas não conseguem sobreviver por muito tempo.
Ainda que, as empresas procuram constantemente soluções seja em teorias ou ciências praticas,
ate participando em seminários de auto ajuda ou desenvolvendo estratégias, mesmo assim, as
empresasse vê a apresentar resultados insignificativos, o clima organizacional prejudicado, os
colaboradores produzindo resultados ineficientes, o desenvolvimento e aprimoramento dos
colaboradores escassos, o índice de trabalho aumenta, os clientes ficam insatisfeitos, o
crescimento da organização é baixo, a rotatividade aumenta e os talentos são perdidos, perdem a
13

capacidade de competitividade apresentada no mercado, e assim, a empresa desaparece no


mercado.

Esta dificuldade que as empresas enfrentam de permanência no mercado ao longo prazo, é uma
situação que preocupa muito as empresas, assim como os líderes e os gestores, tem tirado sono
dos mesmos, lutando com varias estratégias, porque é o desafio de cada empresa é de permanecer
no mercado ao longo prazo, ninguém gosta de morrer, por causa disso, os líderes ou gestores
continuam em busca de soluções, verificou-se que para tal implementam vários estilos de
liderança na tentativa de ver qual dos estilos pode solucionar a situação.

Diante dessa actual dificuldade que as empresas enfrentam de permanecer no mercado ao longo
prazo, os estudiosos apontam a liderança servidora como sendo a liderança do mundo dos
negócios, que é uma nova visão de liderança que desafia o modelo tradicional de liderança chefe,
quebra o mito da hierarquia intocável, propõe aprendizagem com os erros da equipe, busca a
opinião e a experiência de todos os níveis da empresa, invade os chamados segredos da cúpula e
distribui a informação outrora privilegiada para todo o grupo, a fim de que todos sintam que são
parte do mesmo time, lutando pela vitoria comum. Sendo assim, surge a seguinte questão:

➢ Como a liderança servidora influência para permanência das empresas no mercado ao


longo prazo?

1.4. Questões de investigação

Nesta pesquisa optou-se em usar questões de pesquisa para se alinhar a problemática em estudo.
Essas questões são as seguintes:

 Como se Descreve as características da liderança servidora?

 Como a liderança servidora influência para a permanência das empresas no mercado ao


longo prazo?

 Quais são as modalidades do uso da liderança servidora para a permanência das empresas
no mercado ao longo prazo?
14

1.5. Estrutura do trabalho

Para a concretização deste trabalho de monografia, o trabalho este organizado em 5 capítulos. No


primeiro capítulo é apresentado, o tema de estudo, a introdução, o objectivo geral e específico, a
problematização, justificativa, questões de pesquisa, delimitação do tema. Aqui o autor faz uma
breve apresentação do trabalho, correspondente ao que identificou como problema, o que lhe
motivou, que é o porque da pesquisa, onde e quando fez o levantamento dos dados, o que
pretende como objectivo geral, quais o meio usou para o alcance do objectivo geral.

No segundo capítulo é referente a fundamentação teórica, onde o autor traz pensamentos e teorias
de outros autores conciliando as ideias, no sentido de sustentar o tema e tornar fundamentada. No
terceiro capítulo é referente o procedimento metodológico, trata-se de caminhos, meios que o
autor usou para a efectivação do trabalho e assim, tornar fidedigna a pesquisa. O quaro capitulo
consta apresentação e discussão dos dados e por fim o quinto capitulo Conclusão e Sugestões.
15

CAPÍTULO II. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICO

2.1. Histórico da Liderança


CHIAVENATO (2000), a liderança é fruto das Relações Humanas, que começou a ser enfatizado
quando se constatou a influência da Liderança sobre o comportamento dos funcionários, nas
pesquisas realizada por Elton Mayo e seus colaboradores. Que é contrário a ideia proposta nas
Teorias clássicas, que evidenciava o uso do poder, como método de comando, para seus
funcionários.

Enquanto, para AGUIAR (2005) o primeiro estudo sobre a liderança surgiu em 1904, e enfocava
os traços pessoais, físicos, mentais e culturais dos líderes. Essa abordagem parte do pressuposto
de que alguns indivíduos nascem “prontos”, com certos traços de personalidade que os
distinguem das demais pessoas.

Ainda para este autor explica que as Teorias de Traços de Personalidade são as mais antigas a
respeito da liderança, onde o líder é um ser que possui alguns traços específicos de personalidade
que o difere das demais pessoas, a ideia da teoria é que algumas pessoas nascem com
características que são consideradas marcantes, que uma vez utilizadas, conseguem influenciar o
comportamento das demais pessoas que os rodeiam.

Para este autor CARAVANTES (2005), descreve que as Teorias de Traços, ignoram certos
aspectos na liderança com a influência e a reacção dos subordinados perante o líder. Para este
autor a Teoria dos Traços caíram em descrédito, porque não demonstram uma distinção clara dos
traços válidos e não as classificam pelo seu grau de importância, esquecendo-se de considerar que
as organizações diferem uma das outras e que cada situação pode exigir do líder uma postura
diferente.

Assim pode-se perceber que a liderança nasce das relações humanas, isto é, das convivências
humanas os seres humanos como sociais.

2.2. Conceito da liderança


Na conceção de DINIZ (2007), a liderança é uma atividade de inspirar, motivar ações e atitudes
de outras pessoas para o alcance dos objetivos e metas traçados. O autor salienta que isso envolve
competências de liderança.
16

E por outro lado KOUZES & POSNER APUD DAMIÃO (2010), definem liderança como a arte
de mobilizar os outros para que estes queiram lutar por aspirações compartilhadas.

Já para HUNTER (2006, p. 18), “a liderança é a habilidade de influenciar pessoas para


trabalharem entusiasticamente visando atingir objetivos comuns, inspirando confiança por meio
da força do carácter”.

“Liderança é a tomada de iniciativas que resultem num padrão homogéneo de interação em


grupo, voltada para a solução de problemas mútuos” (HEMPHILL, apud CHEMERS; FIELDER,
1981, p. 3).

E para JOHN C. MAXWELL’S define liderança como influenciar mais nada.

Percebe-se com essas definições dadas acima, que a liderança é a capacidade de influenciar as
pessoas através da inspiração baseada na arte de mobilizar por meio da força do carácter visando
atingir, metas e objetivo comuns.

Os autores convergem na ideia de influenciar, desta forma, pode-se perceber que liderar é
influenciar pessoas, como influenciamos, todos autores convergem dizendo através da inspiração

2.3. Estilos de Liderança

Existem diferentes tipos de líderes e eles variam conforme o ambiente em que estão inseridos e
se desenvolvem. Dessa forma, destacam-se em diferentes áreas de atuação e com características
peculiares, tanto para a prática do bem como para a prática do mal.

Geralmente o estilo de liderança tem haver com a forma como a liderança é entendida, para as
consultoras de carreiras CAELA FARREN E BEVERLY L. CAYE, CITADAS POR COHEN
(2006, P. 58) os líderes, em geral podem ser classificados da seguinte forma:

i) Facilitador: ajuda as pessoas a identificar seus valores e interesses, criam ambiente


propício à discussão, ajuda as pessoas a compreender o que querem de suas carreiras;
ii) Avaliador: diz como a pessoa está indo, esclarece os padrões e expectativas pelas quais
ela será julgada, sugere acções específicas para melhorar o desempenho;
17

iii) Vidente: dá informações sobre a organização, a profissão, a indústria, ajuda as pessoas a


encontrar fontes adicionais de informação, aponta tendências, comunica a direcção
estratégica da companhia;
iv) Conselheiro: ajuda as pessoas a identificar metas de carreira, relaciona metas potenciais
às exigências do negócio e aos interesses da empresa, aponta fontes de apoio e obstáculos;
v) Possibilitador: ajuda a desenvolver planos de acção, facilita contactos com gente de
outras áreas.

Por outro lado, SANT’ANNA (2008) salienta que o líder tem como principal função conduzir as
pessoas para que elas alcancem os melhores resultados. Para cumprir essa função, muitos líderes
optam por diferentes formas de liderar, são eles:

i) Autoritário – exige obediência dos liderados. É dominador, o que torna o grupo hostil e
distante pelo medo gerado pelas condutas do líder.
ii) Indeciso – o líder indeciso não assume responsabilidades, deixando o grupo
desorganizado e inseguro.
iii) Democrático – se preocupa com a participação da equipe, estimulando, orientando e
ouvindo seus anseios, gerando um ambiente de interacção, participação, colaboração e
entusiasmo.
iv) Liberal – dá liberdade ao grupo, deixando o grupo perdido.
v) Situacional – seu estilo de liderança depende da situação, o que em determinado período,
gera segurança e motivação no grupo.
vi) Emergente – é aquele que surge para conduzir o grupo em determinadas situações. O
grupo participa, pois sabe que o líder saber áagir se houver alguma emergência.

Como se pode ver, o estilo de liderança tem várias classificações em função de cada autor.
Contudo, nessa diversidade de classificação existem pontos convergentes e divergentes, sendo
que com isso, os estilos de liderança são: i) autoritário; ii) democrático; iii) liberal; iv)
situacional.

Entretanto, podemos destacar agora um novo tipo de líder que vem incorporando-se às
organizações e é objeto desse estudo e de vários autores - o líder servidor. HUNTER (2006)
define líder servidor como alguém com habilidades de identificar e ir ao encontro das legítimas
18

necessidades (e não dos desejos) dos outros, influenciando-os para que possam contribuir
completamente com seus recursos, visando as metas e ao bem comum e com um caráter que
inspire confiança.

2.4. Definindo a liderança servidora


A partir das novas experiencias de liderança, conforme o homem vai evoluindo também o nível
de pensamento se expande, assim na liderança vai surgindo novos estilos de liderança, deste
modo, nos anos 70, ROBERT GREENLEAF foi o accionador dos estudos sobre Liderança
Servidora, instituindo como definição de líder servidor aquele que coloca as pessoas em primeiro
lugar, ou seja, seu foco é o de servir os seus seguidores.

Semelhantemente, GREENLEAF (1977), HALL (1991), MELCHAR & BOSCO (2010),


(LUTHAN & AVOLIO, 2003), (LION & SILVA,2011) definem a liderança servidora como
sendo a habilidade de prontidão de servir aos outros’.

De igual modo, DUTRA (2002) sustenta que a liderança servidora é uma nova visão de liderança,
essa nova visão de liderança destaca a missão de servir as pessoas.

Enquanto para MARINHO (2006, p. 7) enfatiza que, a teoria da liderança servidora desafia o
modelo tradicional de chefia’

‘’A liderança servidora, quebra o mito da hierarquia intocável, propõe aprendizagem


com os erros da equipe, busca a opinião e a experiência de todos os níveis da empresa, invade os
chamados segredos da cúpula e distribuí a informação outrora privilegiada para todo o grupo, a
fim de que todos sintam que são parte do mesmo time, lutando pela vitória comum, a liderança
servidora não é de poderio nos outros, não se caracteriza em líder ser servido, é mais
transparência, consideração aos outros, valorização das ideias dos outros, sem descriminação’’.

Já para NETO (2007), aponta que, Liderança Servidora é uma liderança voltada para o mundo
dos negócios, que se fundamenta no que há de melhor nas pessoas e é uma questão de escolha, de
escolher servir à humanidade.

Neste contexto, pode se perceber que a liderança servidora constitui um novo estilo de liderança
que é caracterizada pelo verbo servir, onde o líder servidor disponibiliza-se em servir, abrindo
19

mão do interesse próprio para cuidar das necessidades dos outros, ajudando os seus liderados a
crescerem e a desenvolverem.

Por outro lado, entende-se que a liderança servidora, constitui uma alternativa à outros estilos de
liderança, porque, a realização pessoal do liderado esta estritamente relacionado com o sucesso
da empresa, ao investir no máximo aos seus liderados ate se tornarem melhores que o líder, isto
ira beneficiar o sucesso máximo da empresa.

Por fim percebe-se que a Liderança Servidora é questão de o líder escolher servir. Contrariamente
aos modelos em que o líder está para ser servido e dar ordens. Nessa nova realidade, o líder
torna-se mais um membro da equipe e deixa de lado aquele antigo conceito de que líder está no
topo e apenas observa os outros trabalharem.

2.5.O perfil do Líder Servidor


Segundo JENNING (2006), o líder servo deve ser alguém que acredita na capacidade,
determinação e iniciativa de seus seguidores para superar suas provações e alcançar o sucesso nos
resultados estabelecidos.

Para GREENLEAF (2006, p. 29) um líder servidor deve ser alguém com perfil de persuasão, as
vantagens obtidas pelo uso correto da persuasão promovem mudanças, seja no comportamento de
alguns indivíduos ou na estrutura da organização.

Com as descrições dos autores acima citados, percebe-se de forma clara a aquilo que é o perfil de
um líder servidor:

Os autores convergiram na ideia de que o líder deve ser alguém que, acredita na determinação e
iniciativa dos outros, alguém que, possui autocontrolo que é o domínio próprio, para evitar
julgamentos precipitados, alguém que, sabe persuadir os outros para evitar o uso da força ou
coerção, o líder servidor deve ser alguém que tem visão, para poder orientar, guiar outros a um
propósito real e tangível, o líder deve ter o perfil de compartilhar o poder, que é uma atitude de
mostrar para os liderados que também o líder é um servo como eles, o líder servo deve saber
considerar o desenvolvimento das pessoas, investindo nos seus aprimoramentos, deve ser alguém
que sabe ouvir, considerar as ideias dos seus liderados, deve ser verdadeiro, isso inspira
confiança, deve ser alguém que, quer aprender a ser líder, isso remonta a ideia de ser humilde.
20

2.6. Líder tradicional Vs Líder Servidor


Para os autores, a liderança servidora desafia o paradigma tradicional de chefia, quebra o mito da
hierarquia intocável, propõe aprendizagem como os erros da equipe, busca a opinião e a
experiência de todos os níveis da empresa, a fim de que todos sintam que são parte do mesmo
time, lutando pela vitória em comum (MARINHO, 2006).

Para os líderes Tradicionais, o status, o privilégio, o poderio, é o constante caso notável, em suas
características, portanto o quadro, a seguir, apresenta uma comparação entre as características do
líder tradicional e do líder servidor.

Líder Tradicional Líder Servidor


Motivado pelo desejo de sucesso pessoal Motivado pelo desejo de servir os liderados
Altamente competitivo e independente Altamente colaborativo e
Interdependente
Conhece a política interna da empresa e a Sensível ao que motiva os outros e os capacita
usa para a vitória pessoal a vencer, partilhando sua visão e metas
Focado na acção rápida Focado no entendimento mútuo
Controla a informação para manter o Partilha a informação e a visão de todo
poder generosamente
Gasta mais tempo dando ordem Ouve profundo e respeitosamente
Acha que o valor pessoal está no talento Acha que o valor pessoal está em trabalhar
individual colaborando com os outros
Faz questão de ter peças-chave para Desenvolve confiança entre todos os que
participam do processo, e quebra a hierarquia
apoiá-lo
Ansioso por falar primeiro Prefere ouvir primeiro e valorizar a opinião
dos outros
Usa o poder e a intimidação pessoal Usa a confiança pessoal e o respeito para
para conseguir o que quer construir pontes e fazer o melhor para todos
Lida com os erros procurando um culpado Torna o ambiente seguro para que todos
aprendam como os erros
Usa o humor para controlar os outros Usa o humor para animar e encorajar os
outros
21

2.7 O impacto da liderança servidora nos resultados da empresa


Todo estilo de liderança que é adoptado por um líder, quando adotado tem um efeito nos
resultados da empresa, os resultados de uma empresa não é frutos apenas de um bom marketing
ou um bom produto, mas também da liderança estabelecida que orienta a empresa.

Para MARINHO (2006), a liderança actual vem se tornando cada vez mais complexa em razão
das demandas apresentadas ao líder e aos liderados. Por esse motivo, avança ele, uma nova visão
de liderança destaca a missão de servir as pessoas como o objectivo supremo e a estratégia mais
eficaz para desenvolver o capital humano das organizações, denominada Liderança Servidora.

Neste contexto, BLANCHARD, BLANCHARD E ZIGARMI (2011), salienta que, os impactos


da liderança servidora são positivos e saudáveis para os resultados organizacionais. Essa relação
se torna evidente na actuação do líder em buscar o bem-estar pessoal e profissional de seus
liderados, ser servidor e não dar ordens. Isso favorece a obtenção de resultados mais eficazes,
visto que os mesmos passam a trabalhar mais satisfeitos e entusiasmados, retribuindo a parceria
promovida pelo líder servidor. Desse modo, a liderança servidora apresenta-se como uma
necessidade para as organizações que demandam melhores desempenhos e resultados. Assim, a
consequência de tal prática, ocasiona uma melhor liderança, melhores serviços e mais sucesso e
significado para as organizações.
22

CAPÍTULO III: PROCEDIMENTOS METODOLOÓGICO

3.1. Metodologia de estudo quanto a Abordagem

A metodologia adoptada neste trabalho foi a qualitativa pelo facto de estar orientada por uma
perspectiva interpretativa que vai possibilitar análise aprofundada e compreender melhor o
objecto de estudo (COUTINHO, 2011).

O termo qualitativo remete a ideia dos tipos de dados que uma comunidade investigadora produz
e dos modos de actuação ou postulados que lhe estão associados (HÉRBET ET AL, 2010). O
autor reitera ainda que na investigação qualitativa há responsabilização do investigador na
redução das acções e/ou discursos dos indivíduos.

Por isso mesmo, foi escolhido essa metodologia tendo em conta a forma como se pretende tratar
ou interpretar os dados colhidos, que foi sem quantificar as informações colectadas dos
participantes da pesquisa. Esta forma de tratamento de dados chama a participação activa do
investigador na análise dos discursos dos investigados.

Com isso, a pesquisa qualitativa é vista como a metodologia que permite envolver todos os
indicadores na interpretação, há nesta metodologia uma atenção tal, que é dada ao investigador na
construção das inferências a luz dos discursos e acções dos participantes.

Com a aplicação da metodologia qualitativa nesta pesquisa, permitiu a validação das inferências
do investigador na base dos dados colhidos. O outro aspecto tido em consideração na escolha
desta metodologia, é pelo facto de a pesquisa estar inserida nas ciências sociais. E a metodologia
recomendada para as pesquisas em ciências sociais é a qualitativa.

Junto disso, HÉRBET ET AL. (2010) afirmam que uma investigação qualitativa exige uma boa
colaboração e boa relação de confiança com os informadores-chaves. É nesta ordem de ideia que
querendo ter acesso às opiniões dos informantes, estabeleceu-se com os informadores-chaves
uma relação aberta e enriquecedora durante a investigação.
23

3.2. Tipos de pesquisa

3.2.1.De ponto de vista da sua Natureza

Quanto a sua natureza, a pesquisa identifica-se como básica, também chamada de teórica ou pura,
visto que pretendia trazer novas teorias de liderança procurando melhorar tal conhecimento.
Como tal FERRARI (1982), a pesquisa teórica procura contribuir, entender e explicar os
fenómenos e nela, os pesquisadores trabalham para gerar novas teorias.

Aliado a isso, MINAYO (2002) diz que a pesquisa visa, portanto a criar novas questões num
processo de incorporação e superação daquilo que já se encontra produzido.

Contudo, ao optar-se por esta pesquisa foi para dar um contributo na área de conhecimento de
liderança e não para uma aplicação, como é de se esperar nas pesquisas de natureza aplicada.

3.2.2. Quanto aos objectivos

O presente estudo, quanto aos objectivos foi exploratório, porque o pesquisador pretendeu
diagnosticar situações, explorar alternativas ou descobrir novas ideias sobre a liderança servidora.
Por outro lado, foi por permitir o alcance de mais informações sobre a liderança servidora e sua
influencia para permanência no mercado ao longo prazo, permitindo a realização de futuras
pesquisas conclusivas.

E OLIVEIRA (2011) refere que as pesquisas exploratórias têm como objectivo principal
desenvolver, esclarecer e modificar conceitos e ideias. Por conta disso, o estudo pretendeu
desenvolver, esclarecer e modificar conceito e ideia de liderança.

Também optou-se por este tipo de pesquisa porque o estudo foi a priori qualitativa e não foi
necessário uso de hipóteses. Aliado a isso, AAKER, KUMAR & DAY (2004) reiteram que a
pesquisa exploratória costuma envolver uma abordagem qualitativa e, geralmente, caracteriza-se
pela ausência de hipóteses, ou hipóteses pouco definidas.
24

3.2.3. Quanto ao procedimento técnico

Para este estudo o pesquisador usou como procedimento técnico a bibliográfica e estudo de
caso, porque foi através de material já elaborado, constituído principalmente de livros e artigos
científicos que o estudo foi desenvolvido. Aliado a isso, LAKATOS E MARCONI (2001, P.
183), a pesquisa bibliográfica,

“ Abrange toda bibliografia já tornada pública em relação ao tema


estudado, desde publicações avulsas, boletins, jornais, revistas,
livros, pesquisas, monografias, teses, materiais cartográficos, etc.
[...] e sua finalidade é colocar o pesquisador em contacto directo
com tudo o que foi escrito, dito ou filmado sobre determinado
assunto ”.

Por outro lado, optou-se pelo estudo de caso, porque o pesquisador pretendia fazer um estudo
profundo e exaustivo permitindo alcance de um amplo e detalhado conhecimento sobre a
liderança servidora. Como é subsidiado por YIN (2001), o estudo de caso é caracterizado pelo
estudo profundo e exaustivo dos fatos objectos de investigação, permitindo um amplo e
pormenorizado conhecimento da realidade e dos fenómenos pesquisados.

“Um estudo de caso é uma investigação empírica que investiga


um fenómeno contemporâneo dentro do seu contexto da vida
real, especialmente quando os limites entre o fenómeno e o
contexto não estão claramente definidos” (YIN, 2001 P. 33).

Ainda, optou-se por estudo caso, como uma estratégia porque a questão de partida deste estudo é
do tipo “como”. Por isso, é estratégico o uso de estudo de caso para explorar processos sociais à
medida que eles se desenrolam nas organizações”, permitindo uma análise processual, contextual
e longitudinal das várias ações e significados que se manifestam e são construídas dentro delas e
para mais familiaridade de problema que o pesquisador não tem controlo assim como, YIN
(2001, P.28) considera o estudo de caso como uma estratégia de pesquisa que possui uma
vantagem específica quando: “faz-se uma questão tipo ‘como’ ou ‘porque’ sobre um conjunto
contemporâneo de acontecimentos sobre o qual o pesquisador tem pouco ou nenhum controle.

Por fim optou-se por pesquisa bibliográfica e estudo de caso, porque o presente estudo, quanto
aos objectivos foi exploratório e os métodos frequentemente utilizados numa pesquisa
exploratória são bibliográfica e estudo de casos, segundo sustenta o MATTAR (2001), quando
25

afirma, os métodos utilizados pela pesquisa exploratória são amplos e versáteis. Os métodos
empregados compreendem: levantamentos em fontes secundárias, levantamentos de experiências,
estudos de casos.

3.3. Participantes da pesquisa

Nas pesquisas qualitativas pode-se dispensar uma amostra definida a priori para os universos das
investigações. GUERRA (2006) explica que a:

[…] Pesquisa qualitativa é muito maleável, o objeto evolui, a amostra pode


alterar-se ao longo do percurso; e, por outro lado, é difícil (se não mesmo
impossível) definir uma amostra sem fazer referência ao processo de
construção do objeto; assim, é quase impossível definir uma amostra para
as análises qualitativas, dada a diversidade de objetos e métodos (p.43).

O discurso tido sobre a dificuldade em definir uma amostra nos estudos qualitativos, é que a
abordagem qualitativa não se preocupa com generalizações estatísticas, que requerem amostras
suficientemente representativas do universo, para justificar tal generalização estatística dos
resultados obtidos. FLICK (2005) afirma que nas abordagens qualitativas, “o que determina o
modo de seleção das pessoas para o estudo é mais a sua importância para o tema do estudo que a
sua representatividade” (p.42).

Pelo facto de a pesquisa ser qualitativo, não há uso de uma amostragem, mas sim de participantes
da pesquisa, que para CANASTRA et al (2015) são aqueles que assumem o estatuto de
informadores privilegiados. Desta feita, participaram na pesquisa 8 indivíduos da GOODONE,
dos quais cinco (05) Simples colaboradores, um (01) caixa e dois (02) Gerentes.Os oitos
participantes da pesquisa foram submetidos a entrevistas de forma colectar os dados referentes ao
assunto em estudo.

3.4. Técnicas de colecta de dados

Sendo pesquisas processo de busca de informação, é necessária a menção dos meios a serem
usados para a obtenção das tais informações. Entretanto, esta é a etapa em que o pesquisador
menciona os instrumentos a usar para recolha de informações relativo à pesquisa. O que significa
que convém descrever o que trará informação com vista a alcançar resposta do problema em
causa.
26

Pela natureza de abordagem do problema, particularmente, pelo tipo de paradigma empregue, na


pesquisa foram escolhidos os instrumentos que permitem facilmente a análise cuidadosa dos
conteúdos, análise de discurso, e que as informações a serem obtidas sejam produtivas, etc.

Este passo julga-se importante, porque se desejamos compreender mais de perto uma dada
situação, seja para detectar necessidades, para fazer uma escolha, tomar decisão, para melhorar
um funcionamento, os desempenhos, para formar, resolver um problema, etc, devemos recorrer a
recolha de informações.

Por esta razão, o problema das pesquisas serem ineficientes é resultado das formas usadas para a
recolha de informações. Sendo que os mesmos mal escolhido comprometem os resultados da
pesquisa. Portanto, a recolha de informação pode, desde já, ser definida como:

O processo organizado posto em prática para obter informações junto de múltiplas fontes, com o
fim de passar de um nível de conhecimento para outro nível de conhecimento ou de representação
de uma dada situação, no quadro de uma ação deliberada cujos objetivos foram claramente
definidos e que dá garantias de validade suficientes KETELE & ROEGIERS, (1993, p. 17).

Desta forma, a técnica de recolha de dados usados nesse trabalho foi a entrevista, ass
modalidades de escolha dessa técnica foi parcialmente descrito nos pontos anteriores, mas serão
submetidos a mais detalhes nos próximos parágrafos, exactamente quando se estiver
desenvolvendo.

3.4.1. Entrevista

De acordo com DIEHL e TATIM (2004), a entrevista é um encontro entre o entrevistador e o


entrevistado para obtenção de informações mediante uma conversação de natureza profissional.

Deste modo, teve-se um tempo de conversação oral com os entrevistados na busca de suas ideias,
opiniões e factos relacionado com a influência da liderança servidora para permanência das
empresas no mercado ao longo prazo. Ora, como descrito pelos autores acima, a conversação
pode ser individual ou em grupos, mas para a pesquisa em causa usou-se simplesmente
individual, porque os efeitos procurados não estão mais situados ao nível de interacções entre
diferentes pessoas, como é previsto nas entrevistas de grupos.
27

Portanto, a escolha dessa técnica para esta pesquisa deve-se ao facto de dar a possibilidade do
esclarecimento de perguntas não claras ao entrevistado, assim como o esclarecimento de certas
respostas ao entrevistador. Por isso, RICHARDSON (2015) afirma que a melhor forma de
participar da mente de outro ser humano é através da interacção face a face, pois tem o carácter,
inquestionável, de proximidade entre as pessoas que proporciona as melhores possibilidades de
penetrar na mente, vida e definição dos indivíduos.

Esta forma de busca de informação permite mais fiabilidade de informações, mais do que isso é
pelo facto de envolver como entrevistado pessoas que demanda respostas viáveis. Junto disso, a
técnica apresenta como objectivo obter informações do entrevistado sobre o que ele sabe e por
explorar suas actividades e motivações (RICHARDSON, 2015). Portanto, permitiu-se com essa
técnica haver um encontro directo com os colaboradores da GOODONE, na busca de
informações sobre a liderança servidora, perceber como a liderança servidora influencia para a
permanência das empresas no mercado ao longo prazo, e entender deles as modalidades do uso
da liderança servidora para a permanecia das empresas no mercado ao longo prazo. De igual
modo, a entrevista foi abrangida ao Gerente de RH e o Gestor da Empresa (GOODONE) de
intender deles a Influência da liderança servidora para a permanecia das empresas no mercado ao
longo prazo.

Para elaboração da entrevista foi criado um guião de entrevista que continha questões elaborada
em função dos objectivos do estudo. As questões foram extraídas a partir de uma matriz de
categoria, Objectivos e questões, e cada categoria correspondia a um objectivo e cada objectivo
extraiu-se uma à oito questões. Com o guião de entrevista foi possível coletar, informações dos 8
participantes do estudo no recinto da empresa. Essa entrevista fora realizada no mês de Maio na
Empresa GOODONE.

De salientar que antes de realizar as entrevistas, pediu-se a permissão dos participantes do estudo
para poderem ser entrevistados, isto permitiu que questões éticas fossem verificadas. Nas
entrevistas, primeiro o autor apresentou-se e em seguida explicou-se os procedimentos da
entrevista e o objectivo da entrevista. Feito isso, dialogou-se em torno do tema em estudo e por
fim agradeceu-se a colaboração.
28

Por fim, procedeu-se com a codificação dos participantes da pesquisa, esta codificação consistiu
em abreviar a palavra entrevistado (entrevistado, considerou-se E).

Ord. Entrevistados Cargo ou Ocupação Empresa

E1 Gerente da empresa GOODONE

E2 RH (Recursos Humanos) GOODONE

E3 Colaborador ( da produção ) GOODONE

E4 Contabilista da empresa GOODONE

E5 Relações publicas GOODONE

E6 Caixa da empresa GOODONE

E7 Segurança da empresa GOODONE

E8 Faxineira da empresa GOODONE

3.5.Procedimentos de análise de dados

Umas das partes preponderantes na elaboração dos trabalhos científicos é a indicação da forma de
tratamentos dos dados obtidos. Desta forma, está reservada essa parte para ilustrar as
modalidades de análise e interpretação dos dados colhidos. Como tal, AMADO (2013) dá grande
importância o saber analisar e interpretar dados recolhidos. Portanto, a etapa de análise de dados
é central num trabalho de pesquisa e, para efectivação dessa etapa com sucesso não basta ter os
dados, é necessário saber analisa-los e interpretá-los, porque não se pode analisar sem ter os
dados e nem ter os dados se não for para analisá-los.
29

CAPITULO VI: APRESENTAÇÃO, ANÁLISE E DISCUSSÃO DE DADOS

Neste capítulo foi feito à apresentação, a análise e a interpretação dos dados colectados no campo
de estudo (GOODONE) com auxílio da técnica de entrevista. Assim, para operacionalizar esse
processo tomou-se como itens organizadores as categorias e as subcategorias. As categorias de
análise de estudo compreendem: i) as características da liderança servidora; ii) Influência da
liderança servidora para a permanecia das organizações no mercado ao longo prazo; e iii)
Modalidades do uso da liderança servidora para a permanecia das organizações no mercado ao
longo prazo.

Em cada subcategoria das categorias de análise acima expostas, fez-se à apresentação, à análise e
à discussão dos dados. De salientar que a apresentação dos dados das entrevistas teve única
sequência de exposição.

4.1. Características da liderança servidora

Com o intuito de descrever as características da liderança servidora fez-se constar nesta categoria
o conceito da liderança servidora e as características propriamente dita da liderança servidora.
Deste modo, para o conceito da liderança servidora, uns dos entrevistados, E1, mencionou como
um dos conceitos da liderança servidora, o estar a serviço de outras pessoas. Um outro
Entrevistado, o E6, afirmou que estar diante de uma liderança servidora é quando eu como líder
servir as outras pessoas colocando como prioridades as necessidades dos outros e não apenas ser
servido. O outro entrevistado, E3, considerou a liderança servidora como valorizar as ideias dos
outros membros da equipa, sem descriminação. E os outros entrevistados, E4, E5 e E2, definiram
a liderança servidora como o chefe não se passar de chefe. Os entrevistados E6, E7 e E8
consideram a liderança como ser servo primeiro colocando como prioridades as necessidades dos
outros, e não as suas, consideram também como liderança servidora o colocar as pessoas em
primeiro lugar.

ʺEu na minha liderança procuro sempre servir a todos meus colaboradores, identifico em cada
um, quais suas preocupações, seus interesses, o que gosta o que não gosta e dai procuro
satisfazer atendendo todos em suas preocupações, eu fazendo isso penso que estou a
servir(Entrevistado E1).
30

ʺO nosso líder sempre procurou colocar em primeiro lugar e ate como prioridade os nosso
interesse pessoais, as nossa preocupações, a nossa vida social, ele não fica esperando apenas ser
servido ( entrevistado E6).

ʺ O líder desta empresa ele sempre valoriza as nossas ideias, veja que, eu sou da produção, do
nível operacional, mas sempre que participo das reuniões as minhas opiniões são consideradas e
eu me sinto engajado na empresa (Entrevistado E3).

ʺ Líder servidor é alguém que não se faz de chefe(que só fica ai assistindo as actividade a
serem executadas nem participa, só manda e nem se interessa com os outros), líder servidor é
deixar essa posição ( Entrevistado E4,E5,E2)

ʺ Colocar as pessoas em primeiro lugar, como faz o nosso líder aqui na empresa, ele sempre
procura nos ajudar nas nossas dificuldades e preocupações até mesmo nas nossas situações
financeiras e sociais, ele é alguém que sabe tirar tempo para nos visitar nas nossa casas, nos
encoraja sempre para crescer, procura identificar constantemente as nossas fraquezas, onde não
somos habilidosos ele nos potencia, esta maneira de trabalhar é isso que é servir os outros, olha
só poucas vezes o nosso líder fala das suas preocupações ele esta sempre ocupado tentando nos
ajudar nas nossas preocupações por causa disso, nos sentimos a vontade em trabalhar com eleʺ (
Entrevistado E6,E7e E8).

Por outro lado, para identificar as características da liderança servidora, E1 e E5 afirmaram que a
liderança servidora é caracterizada por valorização dos feitos dos outros, presença de persuasão,
credibilidade nos outros membros. O E2, mencionou como uma das características a capacidade
de influenciar os outros através da persuasão. O E3 afirma que o líder servidor deve ter como
característica o domínio próprio sobre o seu ego. O E4 aponta como uma das características de
líder servidor a sensibilidade ao que motiva os outros e os capacita a vencer, partilhando sua
visão e metas e acha que o valor pessoal está em trabalhar colaborando com os outros se
colocando em posição de servidor. Os entrevistados E6, E7e E8avançaram como características
da liderança servidora, a capacidade de saber ouvir, respeitar a opinião dos outros, se preocupar
com o desenvolvimento e o bem-estar dos outros, estimar os outros, confiante nos outros,
verdadeiro, Humilde, visionário, para poder orientar, guiar outros a um propósito real e tangível,
e ser alguém que compartilha o poder.
31

ʺ Eu como líder costumo a dar valor o que os outros fazem, tanto as suas opiniões as atividades
desempenhadas, para conseguir animar o colaborador a continuar dar o seu melhor na empresa,
senão ele vai pensar que nunca faz algo melhor para empresa e vai desencorajar a sua progressão
e sua criatividade e desempenho, portanto, é isso que eu acho que um líder servidor deve possuir
como característica saber valorizar os feitos dos outrosʺ (Entrevistado E1 e E5).

ʺ Não é com força ou tentado intimidar os outros ou mesmo por via de ameaços que vamos
influenciar as pessoas, o nosso líder aqui na empresa costuma a ser muito persuasivo, ele
consegue nos influenciar por via disso, sem uso de força, veja só ele quando quer que algo se
faça , ele nos mostra as vantagens , os benéficos de executar uma tarefa de forma eficiente e
eficaz ele nos faz ver o nível de progresso que iríamos atingir que beneficiaria a todos se
desempenharmos as tarefas eficientemente, já olhando nós para os resultados o progresso que
iriamos atingir ficamos persuadidos e vendo pela forma como o líder se entrega no trabalho se
preocupando connosco ainda sendo líder, todos nós ficamos influenciados querendo trabalhar
como o líder trabalha para nós , se preocupando com a empresa como líder se preocupa com as
nossas vidas, procuramos todos trabalhar de forma eficiente e eficaz para alcançar o progresso e
crescimento que o nosso líder nos fez ver antes, sem uso de força apenas nos persuadindo
consegue nos influenciar, eu acho que é isso que um líder servidor deve possuir como
característica influenciar por meio da persuasão ( Entrevistado E2).

ʺ O nosso líder tem uma característica que nos faz admirar, ele não pensa só nele ele gosta
partilhar as oportunidades para todos, ele pensa em melhorar a vida de todos na empresa, não
apenas dele, é verdade que ele tem ego, mas sabe dominar , posso correr risco de afirmar que não
vejo o ego nele, onde tudo seria para ele, eu admito e penso que essa é uma das característica que
um líder servidor deve possuir, saber dominar o seu próprio egoʺ ( Entrevistado E3).

ʺ Na verdade nós somos seres humanos que trabalham com impulsos, senão nos sentimos
impulsionados, se o impulso não esta lá connosco, nos torna-mos preguiçoso em desempenhar
alguma atividade, dai um líder deve ser capaz de identificar o que impulsiona um trabalhador,
isso em cada um que pertence na empresa, porque os impulso não são os mesmos para cada
individuo, desta forma o líder deve procurar identificar o que cada membro lhe motiva lhe
impulsiona, para trazer a energia a eles de modo a desempenharem as actividades com vigor, eu
32

penso que um líder servidor deve ter essa capacidade de ser sensível ao que motiva os seus
colaboradores ʺ ( Entrevistado E4)

ʺ O nosso líder confia em nós, ainda que você tenha fracassado ele não deixa de confiar em você,
respeita as nossas opiniões, partilha a sua visão com todos nós, se preocupa com o
desenvolvimento de todos da empresa em todas áreas da nossa vida , veja só, de tanta sua
preocupação em querer nos ver bem, ele cria condições de termos treinamentos nas áreas da
nossa vida, que nós não temos sucesso, costumamos a ter treinamento financeiro, treinamento
para o desenvolvimento profissional, entre mais, o nosso líder é muito verdadeiro, sabe ouvir e é
humilde reconhece que algumas coisas não sabe e sempre pedi nosso apoio, para me um líder
servidor deve possuir essas características (Entrevistados E6, E7 e E8)

Nos prismas expostos acima, pode-se apurar que a liderança servidora é caracterizada pelo verbo
servir, o líder servidor disponibiliza-se em servir, abrindo mão dos interesse próprio para cuidar
das necessidades dos outros, ajudando os seus liderados a crescerem e a desenvolverem, criando
oportunidades de serem melhores que o líder, o líder se preocupa desta forma, em transformar os
seus liderados melhores que ele.

Por outro lado, a liderança servidora pressupõe primeiramente a ideia de estar a serviço dos
outros, isto é,é uma questão do líder escolher servir. Contrariamente aos modelos de liderança em
que o líder está para ser servido e dar ordens. Nessa nova realidade, o líder torna-se mais um
membro da equipe e deixa de lado aquele antigo conceito de que líder está no topo e apenas
observa os outros trabalharem. Ser líder servidor é uma missão de assistir, acompanhar, cuidar e
proporcionar o bem-estar dos seus liderados.

Na Liderança servidora, o foco não está no líder como estamos acostumados a ver, ou seja, não
existe culto à personalidade, grandes feitos, heróis quase míticos, salvadores da pátria, mas gente
comum, com um forte desejo de servir aos seus semelhantes para que todos cresçam juntos e,
com isso, conseguir um mundo melhor. Verifica-se, portanto, um forte senso de responsabilidade
social e integridade. Nesse sentido, uma das principais características do Líder Servo é a
capacidade de persuadir, de procurar sempre convencer e nunca coagir ou constranger ninguém.
Assim a verdadeira Liderança Servidora está baseada na capacidade de influenciar pessoas a agir
por meio da persuasão.
33

Portanto, o líder deve ser alguém que acredita na determinação e iniciativa dos outros, alguém
que possui autocontrolo, isto é, o domínio próprio para evitar julgamentos precipitados, alguém
que sabe persuadir os outros para evitar o uso da força ou coerção, deve ser alguém que tem visão
para poder orientar, guiar outros a um propósito real e tangível.

O líder servidor deve ter o perfil de compartilhar o poder, que é uma atitude de mostrar para os
liderados que também o líder é um servo como eles, o líder servo deve saber considerar o
desenvolvimento das pessoas, investindo nos seus aprimoramentos, deve ser alguém que sabe
ouvir, considerar as ideias dos seus liderados, deve ser verdadeiro, isso inspira confiança, deve
ser alguém que, quer aprender a ser líder, isso remonta a ideia de ser humilde.

4.2. Influência da liderança servidora para a permanência das empresas no mercado ao


longo prazo

Nesta categoria procurou-se estudar Influência da liderança servidora para a permanecia das
empresas no mercado ao longo prazo. Neste âmbito, os entrevistadosE1, E2,E3,E4,E5,
consideraram que a liderança servidora gera resultados positivos para a empresa e influencia para
sua permanência no mercado ao longo, através do maior engajamento, produtividade,
compromisso, desempenho, entusiasmo e satisfação dos clientes que o líder servo consegue dos
seus liderados. O E6, apontou como influência da liderança servidora, o crescimento acelerado da
empresa, verificado no 2016 a 219 quando o líder optou por Aproximar-se dos outros,
desenvolvendo vínculos de confiança, incentivo, cooperação mútua e igualdade, tratar com amor
o seu liderado, se preocupando com seus interesses, suas vidas, partilhando a visão com eles,
cofiando, encorajando, persuadindo, proporcionando o bem-estar para todos o que gerou deles
por causa dessas ações confiança e compromisso.

Os entrevistados E7 e E8 acham que a liderança servidora influencia para a permanência da


empresa no mercado ao longo prazo na medida em que as acções do líder de se preocupar
primeiro nas necessidades do seus liderados, ajudando os a superar as suas dificuldades,
investindo todos seus esforços para desenvolver seus talentos, melhoras suas vidas, cuidando,
acompanhando, satisfazendo seus interesses, lutando para o bem-estar deles, trabalhando lado a
lado com eles os liderados sentem-se em divida, e assim ficam, comprometido, capacitados e
34

trabalham entusiasmados, envolvidos a gerar bons resultados como forma de retribuir o ato de
amor e respeito do líder.

ʺ Quando um líder, confia nos outros, respeita as opiniões dos outros se preocupa com os
outros, serve bem os outros proporcionando o bem-estar dos outros, este servir aos outros vai
criar na equipa maior engajamento, uma forte energia e uma vez que uma equipa é engajada
produz mais e é mais criativa, se empenha mais nas atividades da empresa, como resultado a
empresa permanece muito tempo no mercadoʺ ( Entrevistados E1,E2,E3,E4,E5)

ʺ A empresa GOODONE é líder no mercado de Ferragem em Nampula porque o nosso líder


serve bem os seus colaboradores, e estes por sua vez servem bem aos clientes, veja só, nos anos
de 2016 a 2020 registamos um bom crescimento empresarial devido o bom relacionamento entre
o líder e seus liderados, o nosso líder passou a se aproximar mais de nós, se tornando mais servo,
dedicando-se em melhorar as nossas vidas, isso gerou maior engajamento nosso, no trabalho,
maior desempenho, ao ver que o líder se dedica e se preocupa com o nosso bem-estar sentimo-
nos comprometido em retribuir o esforço dele por nós, gerando bons resultados para empresa ʺ
(entrevistado E6)

ʺVer o líder preocupado a Satisfazer as nossas necessidades, em nos ajudar nas nossas
preocupações, servindo a nós, influenciou-nos a trabalhar mais empenhados nos objectivos da
empresa, o que permitiu a empresa a permanecer no mercado ao longo tempo ate entãoʺ
(entrevistado E7 e E8).

Nas ópticas acima expostas dos entrevistados, compreendesse que a liderança servidora
influencia para permanência das empresas no mercado ao longo prazo, através das ações do líder
que incidem nos liderados, acções de confiança, amor, persuasão, encorajamento, criação de
valores para os seguidores, acções de investir no desenvolvimento e crescimento profissional,
compartilhar o poder, saber ouvir, considerar as ideias dos seus liderados, ser verdadeiro, gerando
dos seus liderados, maior engajamento, colaboradores melhores e capacitados, comprometidos,
maior desempenho deles, maior produtividade, e consequentemente maior satisfação dos clientes,
e que por causa da satisfação que o clientes obtém sentem-se obrigados a comprar sempre da
empresa o que permite que a empresa permaneça no mercado ao longo prazo.
35

4.3. Modalidades do uso da liderança servidora para a permanência das empresas no


mercado ao longo prazo

Nesta categoria procurou-se propor as modalidades de adopção da liderança servidora, nesta


extensão os entrevistados E1, E2,E3, E4, E5, apontaram para o ato de escolher servir. O E6
considerou abrir a mão dos interesses próprios e da posição de chefia. O Entrevistado E7,
considerou como modalidade de adopção da liderança servidora a necessidade do líder começar a
pensar em torna-se mais um membro da equipe. E o E8, apontou como modalidade de uso da
liderança servidora o incorporar a liderança servidora numa visão de estratégia empresarial para
desenvolver o capital humano.

ʺ Servir as pessoas, ter o desejo de ajudar os outros, se importar com os outros, é ato de escolha
do próprio líderʺ (entrevistados E1, E2, E3,E4,E5).

ʺ É fácil adotar a liderança servidora, basta simplesmente estar disposto a deixar de lado os
interesses pessoas de lado e passar a desejar colocar como prioridade os interesses dos outros,
diria em outras palavras renunciar a posição de chefeʺ

ʺPercebe que o nosso líder começou a adotar a ideia de servir, quando começou a pensar em ser
com um membro da empresa, trabalhando junto connosco nas actividades da empresaʺ
(entrevistado E6).

ʺSe um líder pretende desenvolver seu capital humano, desta forma pode adotar a liderança
servidora como uma estratégiaʺ (entrevistado E7)

Nas perspectivas acima patentes dos entrevistados, compreende-se como modalidade de uso da
liderança servidora i) a escolha de servir os outros; ii) abrir a mão dos interesses próprios e da
posição de chefia; iii) começar a pensar em torna-se mais um membro da equipe, e iv) o
incorporar a liderança servidora numa visão de estratégia empresarial para desenvolver o capital
humano.
36

CONCLUSÃO

No contexto actual, é preciso que as empresas tenham consciência sobre a necessidade de


valorização das pessoas que trabalham nela, pois todo ser humano almeja reconhecimento e
respeito. Madre Tereza de Calcutá já dizia, “as pessoas anseiam por apreciação, mais do que pelo
pão” (HUNTER, 2006, p. 55). A empresa como um todo é responsável pelo seu sucesso ou não.
No entanto, o funcionário é a ferramenta mais importante, afinal ele está na linha de frente e
representa a empresa frente ao cliente, ou seja, ele é o responsável por causar uma primeira boa
impressão. Se isso acontecer, o cliente se tornará fã da empresa e terá um efeito multiplicador,
trazendo outros clientes para a mesma.

Contudo, A liderança servidora é caracterizada pelo verbo servir, o líder servidor disponibiliza-se
em servir, abrindo mão dos interesses próprios para cuidar das necessidades dos outros, ajudando
os seus liderados a crescerem e a desenvolverem, criando oportunidades de serem melhores que o
líder, o líder se preocupa desta forma, em transformar os seus liderados melhores que ele.
Pressupõe primeiramente a ideia de estar a serviço dos outros, isto é, é uma questão do líder
escolher servir. Contrariamente aos modelos de liderança em que o líder está para ser servido e
dar ordens. Nessa nova realidade, o líder torna-se mais um membro da equipe e deixa de lado
aquele antigo conceito de que líder está no topo e apenas observa os outros trabalharem. Ser líder
servidor é uma missão de assistir, acompanhar, cuidar e proporcionar o bem-estar dos seus
liderados.

Portanto, o líder deve ser alguém que acredita na determinação e iniciativa dos outros, alguém
que possui autocontrolo, isto é, o domínio próprio para evitar julgamentos precipitados, alguém
que sabe persuadir os outros para evitar o uso da força ou coerção, deve ser alguém que tem visão
para poder orientar, guiar outros a um propósito real e tangível. O líder servidor deve ter o perfil
de compartilhar o poder, que é uma atitude de mostrar para os liderados que também o líder é um
servo como eles, o líder servo deve saber considerar o desenvolvimento das pessoas, investindo
nos seus aprimoramentos, deve ser alguém que sabe ouvir, considerar as ideias dos seus
liderados, deve ser verdadeiro, isso inspira confiança, deve ser alguém que, quer aprender a ser
líder, isso remonta a ideia de ser humilde.
37

A luz do objectivo geral de analisar a influência da liderança servidora para a permanência das
empresas no mercado ao longo prazo, um líder servo consegue dos seus liderados: Engajamento,
onde todos se ajustam a empresa trabalhando como uma equipa, num clima organizacional
saudável nãohavendo grupinhos ou quem se sinta isolado ou descriminado; Compromisso, todos
sente-se obrigados a gerar resultados empregando todos seus esforços de procurar gerar
resultados positivos para a empresa; Confiança, trabalham seguro, sem medo e cheios de boas
espectativas e retribuem a mesma confiança ao líder; Produtividade, mostram maior desempenho
nas actividades do dia a dias trabalhando para que haja produtos disponíveis; Satisfação, porque o
líder se esforça em satisfazer o seu liderado os mesmos retribuem o favor ao líder trabalhando
forte para satisfazer os clientes e consequentemente a permanência no mercado ao longo prazo.

Finalmente, para passar a fazer uso da liderança servidora começa por fazer escolha, deve
escolher servir, o servir é base da liderança servidora é o fundamento, depois deve abrir a mão
aos interesses próprio e a posição de chefia, não temo ser líder servidor senão deixar de lado
aquele antigo conceito de que líder está no topo e apenas observa os outros trabalharem, para ser
líder servo deve passar a cuidar das necessidades dos outros numa missão de assistir,
acompanhar, cuidar e proporcionar o bem-estar dos seus liderados, também pode se fazer uso da
liderança servidora numa empresa, integrando como estratégia empresarial de desenvolver o
capital humano, o líder servidor disponibiliza-se em servir, ajudando os seus liderados a
crescerem e a desenvolverem, criando oportunidades de serem melhores que o líder, o líder se
preocupa desta forma, em transformar os seus liderados melhores que ele.
38

SUGESTÕES

Com as conclusões obtidas nesse estudo que pretendia analisar a forma como a liderança
servidora influencia para permanência das empresas no mercado ao longo prazo, sugere-se que:

 Os líderes adoptem esse novo estilo de liderança, a servidora.

Por outro lado, sugere-se como modalidades de adoção desse estilo de liderança, as seguintes:

 Decisão própria do líder em estar na posição dos seus liderados;

 Determinação do líder em se preocupar com as necessidades dos outros e não com as suas
próprias necessidades;

 Almejar ver os seus liderados satisfeitos;

 Buscar conhecer e Colocar em primeiro lugar as necessidades dos seus liderados;

 Almejar cuidar e proporcionar o bem-estar dos seus liderados;

 Capacitar os liderados nas actividades a serem desenvolvidas;

 Partilhar todas informações a todos níveis de trabalhos desde o topo da empresa ate ao
nível baixo da empresa não limitar a partilhar de informações como forma exclusão;

 Pedir sugestões, opiniões e ideias aos seus colaboradores sobre o funcionamento da


empresa e melhorias da empresa;

 Saber ouvir os seus colaboradores ate o guarda da empresa, dar liberdade de expressão

 Envolver todos na formulação de estratégias sem acepcao de áreas de trabalho;

 Valorizar as ideias de todos colaboradores;

 Valorizar as iniciativas de todos colaboradores;

 Pôr a mão na massa junto com seus colaboradores.


39

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AAKER, D. A.; K. V.; D.G. S. Pesquisa de marketing. São Paulo: Atlas. 2004.

AGUIAR, M. A. F. Psicologia aplicada à Administração: uma abordagem multidisciplinar. São


Paulo: Saraiva. 2005.
AMADO, J. Manual de investigação qualitativa em educação. Coimbra, Portugal: Imprensa
da Universidade de Coimbra. 2013
AMADO, J. (COORD.) Manual de investigação qualitativa em educação (2ª.ed.). Coimbra,
Portugal: Imprensa da Universidade de Coimbra. 2014

BARROS. N, J. P. Liderança e Liderança para o Serviço. Disponível


em:http://www.faculdademodulo.com.br/Default.asp?Codigo=5557&Secao=&SubSecao>
Acesso em 14 nov. 2006.

BAKKER, A.; & LEITER, M. P. Where to go from here: integration and future research on
work engagement. In: A. B. Bakker & M. P. Leiter (coords.). Work engagement: a handbook of
essential theory and research. New York: Psychology Press, 181-196. 2010.

CANANSTRA, F., Haanstra, F., & Vilanculos, M. Manual de Investigação Cientifica da


Universidade Católica de Moçambique (2a ed.). Beira, Moçambique: UCM. 2015

CHEMERS, M. F. F. E. Liderança e Administração Eficaz. São Paulo: Editora da Universidade


de São Paulo. 1981.

CHIAVENATO, I. Administração: teoria, processo e prática. 4 ed. Rio de Janeiro: Elsevier,


2007.

CHIAVENATO, I. Gerenciando pessoas: O passo decisivo para administração participativa.


2.ed. São Paulo: Makron Books, 1994.

COHEN, D. A empresa do novo milênio. Disponível


em:<http://home.furb.br/wilhelm/COMPETIV/A_empresa_do_novo_milenio.doc> Acesso em:
03 Nov. 2006.

COUTINHO, C.P. Metodologias de Investigação. Coimbra, Portugal: Almedina. 20011

CUNHA, M. P. E. Organizações Positivas. Lisboa: Millennium. 2009

DRUCKER, P. Desafios gerenciais para o século XXI. Tradução de Nivaldo Montigelli Jr. São
Paulo: Thomson, 1999.

DUTRA, Joel Souza. Gestão de Pessoas. São Paulo: Atlas, 2002.

DUTRA, S. S. Como liderar mudanças. Em J. F. Oliveira, & R. M. Marinho, Liderança uma


questão de competencia. São Paulo: Editora Saraiva.2005
40

DIEHL, A., & Tatim, D. São Paulo, Brasil: Pearson Prantice Hall.2004

FERRARI, A. T. Metodologia da pesquisa científica. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1982.

FLICK, U. Lisboa, Portugal: Monitor.2005

GREANLEAF, R. Servant-leadership: A journey into de Nature of legitimate power and


greatness.New York, Ny:Paulist press.1997

GREENLEAF, R. Liderança Servidora. São Paulo: Centro Brasileiro de Estudo em Liderança,


Universidade de Santo Amaro, 2006.

GIL, A. C. Metodologia do ensino superior (4a. ed.). São Paulo, Brasil: Editoras Atlas. 2012

Gil, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social (6a. ed.). São Paulo, Brasil: Editoras
Atlas.2012

GUERRA, I. C. Pesquisa qualitativa e análise de conteúdo: sentidos e formas de uso. São


João do Estoril, Portugal: Principia.2006

HUNTER, J. C. O monge e o executivo: uma história sobre a essência da liderança. Rio


deJaneiro: Sextante, 2004.

HALL, K. Living leadership: Biblical leadership speaks to our Day. Andersson, IN: warner
press.1991

HÉRBET, M., GOYETTE, G. & BOUTIN, G. Investigação qualitativa: fundamentos e


práticas (4a. ed.). Lisboa, Portugal: Instituto Piaget.20110

HTTPS://WWW.GOOGLE.COM/AMP/S/WWW.NEOASSIST.COM/2018/04/19/MOTIVACA
O-NAS-ORGANIZACOES

HTTPS://ONLINELIBRARY.WILEY.COM/JOURNAL/20448295

JENNINGS, K. Líder a serviço. Rio de Janeiro: Best Seller, 2006

J O H N C. M, The 5 Levels of Leadership, AN EXECUTIVE BOOK SUMMARY BY


SHANNON DUNNINGTON.

JANINI, C. Como se tornar um líder servidor – O monge e o executivo.Disponível em:


<http://carreiras.empregos.com.br>. Acesso em: 14 nov. 2006.

KOUZES, J. P, B. Z. Líder- Mestre: o verdadeiro líder serve aos outros e se sacrifica por
eles. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

KETELE, J. & ROEGIERS, X. Metodologia de recolha de dados. Lisboa, Portugal: Instituto


Piaget.1993
41

LINO, L & SILVA, J. (2011). Lideranca servidora no aspecto do lider servidor como perfil
procurado pela organização. FACUNICAMPS Nucleo de pesquisa e Extensao Golania, GO,
Brasil, Marco de 2011.

LUTHAN, F. & AVOLIO, B. Authentic leadership development. In K. Cameron & J.


DUTON (EDS.), positive organizational scholarship. San Francisco: Berrett-Koehler.2003

MINAYO, M. C. de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 4. ed. São


Paulo/Rio de Janeiro: HUCITEC/ ABRASCO, 1996.

MARINHO, Robson M.; OLIVEIRA, Jayr F. Liderança: Uma questão de competência. São
Paulo: Saraiva, 2006

MELCHAR, D & BOSCO, S. Achieving High Organization Performance through servant


leadership.The Journal of Business Inquiry. 2010

OLIVEIRA, M. F. Metodologia científica: um manual para a realização de pesquisas em


administração. CATALÃO-GO: UFG, 2011.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: Métodos e Técnicas (3a. ed.). São Paulo, Brasil: Editoras
Atlas.2015

SANT’ANNA.B.Liderança,e seus tipos.

Disponívelem:http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/lideranca-e-seustipos/
20854/ em 30/03/2019.

SOUZA, R. A. P.Engajamento no Trabalho. Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande


do Sul Instituto de Psicologia: 2017.
42

APÊNDICE
43

APÊNDICE A: Guião de entrevista ao gestor da empresa GOODONE e Recursos Humanos.

ENTREVISTA

1. O que entendes por liderança?

2. O que entende sobre liderança servidora?

3. Quais são as características de um líder servidor?

4. Como se descrevem essas características?

5. Há uma relação entre servir os liderados e a permanência da empresa no mercado?

6. Qual é a relação entre ser líder servidor e os resultados da empresa?

7. De que forma a liderança servidora pode influenciar para uma empresa permanecer no
mercado ao longo prazo?

8. Como um líder que não faz uso desse estilo de liderança pode passar a fazer uso?

9. Quais são os procedimentos a serem seguidos para adotar a liderança servidora?

10. O que é necessário fazer para passar a fazer uso da liderança servidora?

Obrigado

Você também pode gostar