Você está na página 1de 6

1 GEOMETRIA MOLECULAR

1.1 Teoria Da Repulsão Dos Pares Eletrônicos De Valência

A teoria da repulsão dos pares eletrônicos de valência (TRPEV) consiste em


demonstrar que os pares eletrônicos de valência se comportam como nuvens
eletrônicas, então se repelindo, sendo assim tendem a manter a maior distância
possível entre si, porém como sua força não é forte o bastante para romper a ligação
entre os átomos entra a variável da geometria molecular.

1.2 Informações Gerais

Geometria Molecular é o estudo da forma espacial de como os átomos estão


divididos na molécula. As geometrias mais comuns obtidas são: linear, triangular,
angular, tetraédrica, piramidal, bipiramidal e octaétrica.

Tabela 1 – Geometrias mais comuns


Geometria Pares eletrônicos Pares eletrônicos Pares eletrônicos
totais não ligantes ligantes

Linear 2 0 2
5 3 2
6 4 2

Triangular 3 0 3

Angular 3 1 2
4 2 2

Tetraédrica 4 0 4

Piramidal 4 1 3

Bipiramidal 5 0 5

Octaétrica 6 0 6
Fonte: INFOESCOLA, s.d..

A teoria da repulsão dos pares eletrônicos de valência (TRPEV) aponta que


os pares eletrônicos (elétrons de valência, ligantes ou não) do átomo central
se comportam como nuvens eletrônicas que se repelem e, portanto, tendem
a manter a maior distância possível entre si. (INFOESCOLA, s.d..)

A distância cujo é calculada na geometria molecular é verificada pelo ângulo


formado entre os átomos. Esse fenômeno ocorre devido a força de repulsão eletrônica
não ser suficiente para romper a ligação entre os átomos.
2 POLARIDADE DAS LIGAÇÕES
É a capacidade que as ligações moleculares têm de atrair cargas elétricas,
tanto ânion quanto cátion, e o local da molécula onde ocorre o acumulo é chamado
de pólo.

2.1 Polaridade Nas Ligações Iônicas e Covalentes


Podem ser classificadas como polar e apolar, então vejamos como funciona:

Ligação iônica: Se aplica a regra de que sempre será polar pois, “este tipo de
ligação a transferência de elétrons é definitiva e por isso os compostos iônicos, como
o próprio nome já diz, são carregados de cargas positivas e negativas e, portanto,
apresentam pólos.” (BRASILESCOLA, s.d)

Ligação covalente: Na ligação covalente os polos são associados a


eletronegatividade, se uma ligação covalente for formada por átomos de mesma
eletronegatividade essa ligação será classificada como apolar, pois a distribuição de
carga vai ser assimétrica e não formara polos na molécula.
Já se for formada por átomos de eletronegatividade diferente, serão
classificadas como polar, pois se formará polos de maior eletronegatividade a menor
na molécula.
3 INTERAÇÃO INTERMOLECULAR

Interação intermolecular ou força molecular são os responsáveis por manter


moléculas de diferentes compostos unidas, e são classificados em:

3.1 Força dipolo-induzido: É causada pelo acúmulo de elétrons em


determinada região da molécula. E são a única interação molecular presente nas
moléculas apolares, porém não ocorrem o tempo todo, em algum momento ocorre o
acumulo de cargas nas extremidades da molécula, e é ai que as forças dipolo-induzido
fazem seu papel induzindo as moléculas vizinhas a entrarem em desequilíbrio. Dipolo-
induzido existe em todas as substancias moleculares e é a mais fraca de todas.

3.2 Ligações de hidrogênio: É a interação mais forte que ocorre entre as


moléculas, esta ligação acontece com elementos que são muito eletronegativos,
contando sempre com um átomo de hidrogênio e um outro com tal característica.
(SOQ, 2010) “É a ligação mais forte de todas, devida à alta eletropositividade
do hidrogênio e à alta eletronegatividade do flúor, oxigênio e nitrogênio. De
um lado, um átomo muito positivo e do outro, um átomo muito negativo. Isto
faz com que a atração entre estes átomos seja muito forte.”

A maior parte destes são encontrados em estado líquido e sólido, devido a


intensidade da interação entre estes.
COC (2008, p.35) descreve: “Ocorre quando um átomo de H ligado a um átomo
muito eletronegativo (F, O e N) de uma molécula é atraído por um par de elétrons não
compartilhados no átomo de F, O ou N de outra molécula.”

3.3 Dipolo-Dipolo: Pode ser chamada também de dipolar ou dipolo-


permanente. Ocorre em polares, e é menos intensa que as ligações de hidrogênio.
Devido aos polares terem em um lado um átomo mais eletropositivo e o outro lado
um átomo mais eletronegativo. A extremidade mais eletronegativa do dipolo vai até a
extremidade positiva de outra molécula.

Segundo FELTRE (2004, p.176) quando a molécula é polar, esta tem


tendência de atrair moléculas vizinhas, para conectar o átomo negativo ao positivo e
assim sucessivamente.
4 ILUSTRAÇÃOES
4.1 Geometria Molecular:
Exemplo:

Figura 1: Geometria Molecular


Fonte: http://www.brasilescola.com/quimica/geometria-molecular.htm

4.2 Polaridade das ligações:


Exemplo:

Figura 2: Polaridade de ligações covalentes


Fonte: http://200.156.70.12/sme/cursos/EQU/EQ20/modulo1/aula0/aula03/04.html

4.3 Interação Intermolecular:

Exemplo:

Figura 3: Ligação de Hidrogênio


Fonte: http://www.oocities.org/vienna/choir/9201/hidrogenio.htm
5 REFERÊNCIAS:

INFOESCOLA, s.d. Disponível em: < http://www.infoescola.com/quimica


/geometria-molecular/> Acesso em: 12 de outubro de 2014.

MUNDOEDUCACAO, s.d. Disponível em:


<http://www.mundoeducacao.com/quimica/polaridade-das-ligacoes.htm>Acesso em:
12 de outubro de 2014.

BRASILESCOLA, s.d. Disponível em: < http://www.brasilescola.com/quimica/tipos-


forcas-intermoleculares.htm> Acesso em: 12 de outubro de 2014.

SLIDESHARE, s.d. Disponível em: <


http://pt.slideshare.net/quimica_prefederal/interaes-intermoleculares-jaque> Acesso
em: 12 de outubro de 2014.

SOQ. 03 de março de 2010. Ligações intermoleculares / interações


intermoleculares. Disponível em: < http://www.soq.com.br/conteudos/em
/ligacoesquimicas/p5.php> Acesso em: 15 de outubro de 2014.

COC. Química Geral 1. Ribeirão Preto: COC, 2008. 56p.


FELTRE, R. Química. São Paulo: Moderna, 2004. 400p.

Você também pode gostar