Você está na página 1de 5

206

DIREITO ADMINISTRATIVO I

Conteúdo 08: Regime Diferenciado de Contratações


O RDC é um regime diferenciado nas contratações, que atualmente é utilizado não somente nas contratações para
atividades relacionadas ao esporte (Copa das Confederações, Copa do Mundo, Jogos Olímpicos, por exemplo), mas
também para outros objetos, tais como, contratações do PAC, contrações do sistema carcerário etc.

A Comissão do RDC é composta majoritariamente por servidores (composição por servidores). 206

É possível contratar mais de uma empresa para o mesmo objeto do contrato: há possibilidade de a administração
pública contratar mais de uma empresa ou instituição para executar o mesmo serviço (multiadjudicação), desde que
não implique perda de economia de escala, quando o objeto da contratação puder ser executado de forma
concorrente e simultânea por mais de um contratado ou a múltipla execução for conveniente para atender à
administração pública (art. 11).

Nesse sentido, ensina Matheus Carvalho “A lei do Regime Diferenciado de Contratações, já sofreu duas alterações,
primeiramente, pela lei 12.688/12 que incluiu neste regime as contratações necessárias ao cumprimento das ações
integrantes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Na mesma esteira, mediante alteração efetivada
pela Lei nº 12.722/12, o Regime Diferenciado de Contratações - RDC também passou a ser aplicável às licitações
e contratos necessários à realização de obras e serviços de engenharia no âmbito dos sistemas públicos de ensino.
Por fim, a Lei nº 12.745/12, inserindo nova alteração no texto legal, incluiu no RDC, os acordos firmados para
execução de obras e serviços de engenharia no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS, das ações no âmbito da
segurança pública, das obras e serviços de engenharia, relacionadas a melhorias na mobilidade urbana ou ampliação
de infraestrutura logística e nos contratos de locação de bens móveis e imóveis, nos quais o locador realiza prévia
aquisição, construção ou reforma substancial, com ou sem aparelhamento de bens, por si mesmo ou por terceiros,
do bem especificado pela administração. Por seu turno, a Lei 13.243/16 determina que o Regime Diferenciado de
Contratações poderá ser utilizado nos contratos necessários á realização das ações em órgãos e entidades dedicados
à ciência, à tecnologia e à inovação”.

Dessa forma, contemplamos ser possível a utilização do RDC é exclusiva para licitações e contratos vinculados
à realização da:

1. Copa das Confederações (2013);

2. Copa do Mundo (2014);

3. Jogos Olímpicos e Paralímpicos (2016);


207

4. Obras de infraestrutura e de contratação de serviços para os aeroportos das capitais dos Estados da
Federação distantes até 350 km das cidades sedes dos eventos acima;

5. Ações integrantes do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC;

6. Obras e serviços de engenharia no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS;

7. Obras e serviços de engenharia para construção, ampliação e reforma de estabelecimentos penais e


207
unidades de atendimento socioeducativo.

Destaque-se ainda, ser possível a indicação de marca, para fins de:

a. Padronização do objeto;

b. Única capaz de atender o objeto do contrato;

c. Identificação do objeto (ou similar...).

Procedimento do Regime Diferenciado nas Contratações

Fase interna

A fase interna do RDC é semelhante as outras modalidades de licitação.

Desse modo, a denominada fase preparatória, ocorrerá nos mesmos moldes em que se desenvolve a fase interna do
procedimento licitatório regulamentado pela lei geral.

→Publicação no Diário Oficial ou Site Oficial do Órgão;

Com a publicação do edital, marca-se a data para a abertura de propostas.

→Apresentação | Abertura das Propostas;

→Impugnação das propostas.

Contratação de obra – impugnação pode ser feita até o 5º dia útil anterior ao início da licitação. Qualquer cidadão
ou licitante poderá impugnar. Todavia, caso seja contratação de serviços, será até o 2º dia útil anterior ao início da
licitação.

Qualquer alteração que for feita no edital, deverá sofrer nova publicação, nos mesmos moldes da publicação
originária.
208

Publicação do Edital → Classificação e Julgamento das Propostas → Habilitação →Fase


Recursal →Encerramento.

Obs.: O edital do procedimento licitatório, se assim desejar, pode determinar a inversão das fases (1º habilitar para,
posteriormente, 2º - classificar as propostas).

→ inversão das fases naturais da licitação, com o julgamento das propostas precedendo a habilitação (art. 12).

208

Proposta

Nesse sentido, Matheus Carvalho ensina “desde que o edital não preveja a inversão de Habilitação das fases,
hipóteses nas quais a habilitação dos licitantes será realizada antes da apresentação de propostas”.

Desse modo, em regra geral, com a publicação do edital passa-se a classificação das propostas.

As propostas serão classificadas de acordo com os critérios objetivos:

Critério de julgamento fica estabelecido no edital.

Tipos: menor preço ou maior desconto; técnica e preço; conteúdo artístico; maior oferta e maior retorno
econômico.

Os critérios objetivos da Lei do RDC possuem algumas peculiaridades.

1) Menor preço ou maior desconto: a variação decorre do fato de que muitas vezes o valor já é tabelado,
assim, vencerá o procedimento licitatório aquela empresa que propor o maior desconto sobre o valor do
objeto a ser contratado.
2) Técnica e preço;
3) Melhor técnica ou conteúdo artístico: para a contratação de projetos, inclusive arquitetônicos, e trabalhos
de natureza técnica, desempate artístico científica ou artística, excluindo-se os projetos de engenharia.
4) Maior oferta de preço: na hipótese de alienação de bens aos particulares.
5) Maior retorno econômico. Algumas obras não serão pagas de imediato, de modo que vencerá, aquela que
tiver condições de futuramente apresentar o melhor retorno econômico a Administração
Pública (contrapartida posterior).

Critérios de Desempate

A Lei que regulamente o RDC contempla hipóteses diferenciadas em face da Lei 8.666/93 de critérios de desempate,
sendo sete os critérios.
209

No tocante aos critérios de desempate, preleciona Matheus Carvalho (Manual de Direito

Administrativo, 2016) “No que tange aos critérios de desempate na licitação, a lei define que, em casos de condições
idênticas de propostas, será primeiramente realizada disputa final, em que os licitantes empatados poderão
apresentar nova proposta fechada em ato contínuo à classificação. Mantendo-se a situação de empate, será
realizada a avaliação do desempenho contratual prévio dos licitantes, desde que exista sistema objetivo de
avaliação instituído e, somente depois destas medidas, serão utilizados, sucessivamente, os critérios de desempate
regulamentados no art. 3°, § 2°, da lei 8.666/93 e, por fim, ainda será possível a efetivação de sorteio, caso as209
medidas anteriores não sejam aptas a definir o vencedor do procedimento licitatório”.

→Disputa Final;

→ Avaliação do desempenho contratual prévio dos

licitantes;

→Lei 8.666/93 – passa-se a utilização dos critérios de desempate da Lei 8.666, caso os acima elencados não forem
suficientes para o desempate. São eles: bem produzido no país; bens produzidas por Empresa Brasileira; bens
produzidas por empresas que investem em tecnologia e pesquisa no Brasil; e bens produzidos por empresas que
comprovarem a reserva de vagas.

→Sorteio.

Uma vez classificada a proposta, o vencedor irá se habilitar.

Habilitação

Seguirá o mesmo procedimento da Lei n. 8.666, disposta ao teor do art. 27.

Prazo Recursal

O prazo é de 5 (cinco) dias uteis a contar da lavratura que designa o licitante vencedor.

Encerramento

A fase de encerramento abarca a homologação e a adjudicação, sendo feita pela autoridade superior.

Observações – Contratos do RDC (Peculiaridades)

Obs.1: A Lei do RDC não contempla outra hipótese de dispensa de licitação. Dessa forma, as hipóteses de dispensa
e inexigibilidade são as mesmas contidas na Lei 8.666/93.
210

Obs.2: Duração: em regra, as contratações dispostas na Lei do RDC seguem as mesmas dispostas na Lei nº
8.666/93.

Contrato de prestação de serviços continuados – poderiam sofrer sucessivas prorrogações, até o máximo de 60
meses. Na Lei do RDC, referidas contratações podem sofrer sucessivas prorrogações até a extinção do
APO (Autoridade Pública

Olímpica).
210
Obs.3: A Lei prevê que também poderá sofrer as penalidades dispostas na Lei nº 8.666/93 (multa, declaração de
inidoneidade e proibição de contratar com o poder público).

Não poderá celebrar contratos dentro do âmbito da entidade que realizou a proibição. Além dessa limitação, existe
uma limitação temporal (até dois anos).

Na lei do RDC o limite temporal é de até 5 (cinco) anos.

Obs.4: A lei do RDC criou a denominada contratação integrada.

• Empresa elabora o projeto base;

• Outra empresa elabora o projeto executivo;

• Realização do procedimento licitatório para execução da obra.

Dessa forma, outra peculiaridade da legislação ora objeto de estudo, é que a lei 12.462/11 admite a
chamada contratação integrada que consiste em situação na qual um único ajuste compreende a elaboração e o
desenvolvimento dos projetos básico e executivo, a execução de obras e serviços de engenharia, a montagem, a
realização de testes, a pré-operação e todas as demais operações necessárias e suficientes para a entrega final do
objeto.

A contratação integrada assegura maior celeridade do procedimento, posto que será um único procedimento
licitatório que abarcará projeto base, o projeto executivo e a contratação da empresa que procederá com a obra).

Você também pode gostar