Você está na página 1de 1

“A evasão escolar está em alta no Brasil” é um exemplo de manchete bastante

recorrente na atualidade, o que causa preocupação nas pessoas. Nesse sentido, entende-
se que a educação tem um papel essencial na formação do caráter, porém, a escola, para
alguns, parou de ser um lugar de realização pessoal. Essa busca pelo estudo tem sido um
direito lutado pelos cidadãos ao longo da história, porém, atualmente, muitos acabam
largando o colégio por motivos financeiros, familiares, educacionais e tantos outros. Essa
saída antecipada da escola traz muitos malefícios para o indivíduo e para a sociedade e
mostra como a escola deixou de ser um lugar de utopias, como citado em uma entrevista da
revista Cult com o filósofo Zygmunt Bauman.
Em primeira análise, explicita-se que o direito pela educação tem sido muito
batalhado ao longo do tempo para ser alcançado, sendo que ainda não se demonstra
completamente efetivo a todos. Nas sociedades antigas, por exemplo, a possibilidade de
aprendizagem era restrita a membros de classes mais abastadas, sendo que, na maioria
das vezes, as mulheres também não possuíam esse privilégio. Com o tempo, muitas
barreiras foram quebradas e a educação tornou-se mais acessível, mas apresentando,
ainda, alguns empecilhos, como precariedade e falta de professores e de incentivos.
Entretanto, a evasão escolar ainda é um problema recorrente no Brasil, sendo que,
segundo pesquisas realizadas, mais de 40% dos jovens não completam seus estudos na
idade indicada. Isso tem como causas, por exemplo, o desestímulo à aprendizagem, a
necessidade de trabalhar ou dificuldades relacionadas à capacidade de aprender. Nesse
sentido, percebe-se que a população acaba buscando meios alternativos e largando o
colégio, indicando que este já não se apresenta mais como o lugar de sonhos.
Consequentemente, sem a finalização do período escolar, as pessoas podem sofrer com
dificuldades de encontrar empregos, sendo que, muitas vezes, têm que recorrer a
subempregos, prejudicando a condição de vida e a economia do país.
Entende-se, portanto, que a questão da evasão escolar deve receber devido
tratamento, buscando efetivar esse direito tão trabalhado para ser alcançado e uma melhor
condição de vida para a população. Para tanto, cabe ao Ministério da Educação, em
conjunto com as escolas e os professores, criar modelos de ensino mais atrativos, com
atividades lúdicas e interativas, visando o engajamento dos estudantes, além de melhorar
as condições de ensino do país. Ademais, é dever da população fiscalizar para que este
seja um direito de todos, realizando protestos e manifestações caso isso não ocorra. Com
isso, esse antigo privilégio poderá tornar-se ainda mais acessível e a vida dos cidadãos
poderá ser ainda melhor.

Você também pode gostar