Você está na página 1de 2

Webjornalismo ou Blog?

Debate mostra fronteiras pouco definidas

Blogs são uma ótima ferramenta de comunicação. São grátis, não têm
compromisso com periodicidade e podem tratar de qualquer assunto sem seguir
uma linha editorial. Eles também podem ser um ótimo negócio, quando tratam de
um assunto específico de tal forma a chamar a atenção de anunciantes. Receberam
o status de formadores de opinião, uma vez que cada vez mais consumidores
recorrem a eles para se informar sobre produtos e serviços disponíveis no mercado.
Mas quem são as pessoas que criam e mantêm os blogs? Como eles investigam e
concluem as informações que difundem sobre algum produto ou marca?

Uma pesquisa publicada em novembro de 2010 pelo Technorati, site agregador de


internet especializado na busca por blogs, apenas 2% dos blogueiros da América
Latina estão no Brasil. É uma porcentagem pequena, se for levada em consideração
toda a blogosfera. Mas é gente suficiente para fazer barulho e preocupar empresas
e irritar jornalistas. Isso porque, muitos dos blogueiros são consumidores que se
irritaram com alguma marca, ou pessoas que gostam de algum tema e tratam dele
livremente, opinando muitas vezes com ferocidade e desconsiderando “o outro lado
da história”.

Para a grande maioria dos jornalistas, isso é inaceitável. Um texto jornalístico tem
por premissa o compromisso com a verdade, sem manifestações tendenciosas ou
opiniões. Mas para os blogueiros sem o diploma de jornalista, eles estão muito mais
comprometidos com a verdade, uma vez que não precisam trabalhar preocupados
com anunciantes e um departamento comercial, que é o caso dos grandes veículos.

Para o publicitário Itamar Taver, 37, alguns blogueiros são muito mais confiáveis
que jornalistas, justamente pela falta de limites e regras nesse jogo. “É claro que
existem jornalistas e ‘jornalistas’; em qualquer profissão há pessoas mais
comprometidas que outras”, opina.

Taver mantém o blog Coma com os olhos, que recebe cerca de 135 mil visitas
únicas por mês. Foi ele, que assina srCCOO, quem fez a denúncia sobre o
achocolatado da Nestlé que levava o nome de Alpino e não continha Alpino na
fórmula. O resultado da “brincadeira” foi a suspensão da campanha publicitária do
produto e muita dor de cabeça para a Nestlé.

Mas uma denúncia como essa só teria validade se feira por um jornalista
diplomado? Para Leonardo Carvalho, editor dos sites Herói e MSN Tec, os blogs
revolucionaram o webjornalismo ao mostrar que para um público específico, se
falauma linguagem específica, tornando a comunicação mais efetiva. Então
blogueiro é jornalista? “Não necessariamente”, diz. Mas blogueiro pode ser
jornalista? “Claro que pode! Os blogs, penso, são responsáveis por um novo respiro
na linguagem jornalística”.

Hiperlink “pesquisa” http://technorati.com/blogging/article/who-bloggers-brands-


and-consumers-day/page-2/

Hiperlink “Coma com os olhos” - http://comacomosolhos.com/

Hiperlink “msn Tec” - http://tecnologia.br.msn.com/

Hiperlink Herói - http://heroi.uol.com.br