Você está na página 1de 1

Universidade Estadual de Campinas – 25 a 31 de outubro de 2004

8
Pesquisa comprova relação entre fenômeno climático e composto orgânico de alta volatilidade

Cientistas desvendam mecanismos


de formação das chuvas amazônicas Foto: Antoninho Perri
JEVERSON BARBIERI e conseqüentemente gerava os po-
jeverson@unicamp.br lióis que, devido suas altas polarida-
des e hidrofacilidades, serviam en-

E
ntender o mecanismo de for- tão como germes nucleadores que
mação das chuvas e sua estreita atraem moléculas da água. Atraídas,
relação com o meio ambiente as moléculas de água condensariam
sempre foi objeto de estudo de pes- e formariam nas nuvens as gotas de
quisadores de várias partes do mun- água das chuvas. Utilizando um es-
do. E, nessa relação, entender o fun- pectrômetro de massa de última ge-
cionamento do sistema climático da ração, os pesquisadores reproduzi-
Amazônia sempre foi um desafio, ram as condições atmosféricas que
devido ao alto índice pluviométrico provocariam a reação do isopreno
da região e a importância vital das com radicais hidroxilas, medindo
chuvas na conservação da floresta assim as massas e determinando as
amazônica. Ao longo estruturas químicas dos produtos
Liberação dos anos, ocorreram
relatos esporádicos
obtidos durante o processo. A foto-
xidação foi realizada com grande
de isopreno que apontavam para êxito e eles conseguiram observar a
se dá pelas osopreno,
envolvimento do i-
um compos-
formação dos mesmos polióis pro-
postos como núcleos eficientes de
plantas to orgânico de alta vo- condensação de nuvens. De acordo
latilidade emitido em com o professor Eberlin, este resul-
grande quantidade tado confirma a hipótese levantada
pela floresta tropical brasileira, no recentemente na revista Science so-
mecanismo de formação das chuvas bre o papel vital do isopreno, e que
na Amazônia. Não havia, porém, ne- está agora, com o “elo perdido” que
nhuma comprovação científica. faltava, totalmente comprovada ci-
O trabalho desenvolvido no Labo- entificamente. “Essa descoberta é
ratório Thomson de Espectrometria fundamental para fechar o ciclo e
de Massas, do Instituto de Química compreender com perfeição o meca-
da Unicamp (IQ), confirmou essa nismo completo da precipitação de
hipótese. O coordenador da pesqui- chuvas na maior e mais importante
sa, professor Marcos Eberlin, explica O coordenador da pesquisa, professor Marcos Eberlin: descoberta é fundamental para fechar o ciclo floresta tropical de nosso planeta”,
que a idéia de comprovar experi- completa Eberlin.
mentalmente a efetiva participação (LBA), e coordenadas no Brasil pelo formados a partir do isopreno, por Gerais, especialista em fotoxidação, e O trabalho intitulado Mimetizing
do isopreno na indução de chuvas professor Paulo Artaxo, da USP, des- conter também 5 átomos de carbono. Leonardo S. Santos, pesquisador de the Atmospheric Photooxidation of Iso-
na Amazônia surgiu a partir de uma cobriu na atmosfera da Amazônia O que faltava nessa ponte era então Laboratório Thomson, para estudar prene: Interception and Characteriza-
pesquisa publicada na revista Sci- compostos bastantes polares cons- a confirmação de que a fotoxidação do este processo. tion of the Key Polyols Acting as Could
ence, em fevereiro desse ano. Nesse tituídos de 5 átomos de carbono (po- isopreno era mesmo a fonte destes Condensation Nuclei in the Amazon
trabalho, uma equipe de cientistas de lióis), e postulou serem estes elemen- “fabricantes” de chuvas. A partir daí, Experimento – A hipótese a ser Rain Florest by Electrospray Ionization
todo o mundo envolvidos no proje- tos fundamentais na condensação de Eberlin convidou o professor Rodinei testada era a de que se o isopreno, Mass and Tandem Mass Spectrometry
to Experimento de Grande Escala da nuvens e precipitação de chuvas. Foi Augusti, de Departamento de Quími- liberado pelas plantas, seria mesmo foi submetido à publicação alemã
Biosfera-Atmosfera da Amazônia então sugerido que estes polióis eram ca da Universidade Federal de Minas oxidado na atmosfera pela luz solar Angewandte Chemie.

Estudo avalia técnica de criação de peixes Fotos: Divulgação/Neldo Cantanti


ANTONIO ROBERTO FAVA minado metodologia emergética,
fava@unicamp.br com o objetivo de quantificar todos
os recursos necessários para a produ-

O
engenheiro de alimentos O- ção de peixes. Essa metodologia tem
távio Cavalett, pesquisador o propósito de ‘contabilizar’ sistema-
da Faculdade de Engenharia ticamente não apenas as contribui-
de Alimentos (FEA), foi buscar, nu- ções vindas da economia (mão-de-
ma milenar técnica chinesa, uma obra, combustível, eletricidade e in-
maneira que fosse prática, econômi- fra-estrutura), mas também as con-
ca e de qualidade na produção de tribuições da natureza, como o sol, o
peixes. Trata-se de um sistema inte- vento e a chuva, com a finalidade de
grado simples, e comprovadamente proporcionar a avaliação da susten-
rentável economicamente, que con- tabilidade do sistema de produção de
ta com o aproveitamento de dejetos peixes”, diz o pesquisador.
de suínos criados em baias, às mar- Tal atividade no Estado de Santa
gens de lagos ou sobre açudes cons- Catarina tem suscitado o interesse
truídos nas propriedades rurais. O de empresas particulares que vêem
uso desses dejetos destinados à ali- na criação de peixes integrada à pro-
mentação de pei- dução de suínos a chance de abrir
Simples, xes possibilita
um aproveita-
boas possibilidades de comércio.
“Um bom exemplo da industrializa-
sistema é mento dos com- Açude em ção de peixes é a empresa Cardume,
Santa
economicamente ponentes do es-
terco, principal- Catarina, e
considerada a mais importante da
região, que fabrica diversos produ-
rentável mente restos de o engenheiro tos industrializados como lingüiça,
farelo de soja e de de alimentos nuggets e filé de peixe, distribuídos
milho utilizados na ração dos suínos. Otávio por todo o território nacional”, diz
De acordo com pesquisas de Ca- Cavalett Otávio. É preciso salientar que na
valett, este processo de criação de (destaque): região Oeste de Santa Catarina não
peixes, embora ainda pouco desen- técnica se produz apenas uma única espé-
volvido no Brasil, vem sendo im- milenar cie de peixe, mas cinco: a carpa co-
plantado no estado de Santa Cata- mum e a tilápia, em maior quantida-
rina desde a década de 80, com a de, e a carpa prateada, a capim e o
construção de açudes pelo governo bagre africano.
para essa finalidade. A produção brasileira de peixes
“O que procurei fazer foi avaliar passou de 20,5 mil toneladas em 1990,
se o sistema que estão desenvolven- do nos campos, “possibilitando ren- pos invisíveis) lançados na água e da mento passa a ter alto valor biológico para 210 mil em 2001, com um au-
do é ou não ambientalmente equili- dimentos consideráveis para a ma- saúde das diversas espécies de pei- na alimentação de peixes. mento acumulado de 925%. Enquan-
brado. E a conclusão a que cheguei nutenção das famílias dos agriculto- xes. Segundo o pesquisador, os de- to isso a produção mundial de peixes
é atestar que tal processo é altamente res naquela região do estado”, sali- jetos orgânicos dos porcos, em vivei- Nuggets e filé – Para Otávio Ca- obteve um crescimento de 187% no
eficaz”, diz o pesquisador. Tanto é enta o pesquisador da FEA. Para se ros de piscicultura, permitem o de- valett, autor da dissertação de mes- mesmo período. “Essa rápida expan-
que, como se pode constatar, nos ter uma idéia do desenvolvimento senvolvimento de três cadeias trado Análise emergética da piscicultu- são na produção de peixes no Brasil,
últimos anos tem havido crescente dessa atividade na região, basta di- de alimentação para peixes: a pri- ra integrada à criação de suínos e de muitas vezes de forma desordenada
interesse por parte de proprietários zer que a região Oeste de Santa Ca- meira, onde estão as macropartí- pesque-pagues, defendida recente- e sem a devida regulamentação, tem
rurais com o propósito de formar tarina se constituiu hoje o maior pólo culas não digeridas do esterco, a se- mente sob orientação do professor preocupado autoridades da área
viveiros de peixes intercalados à de produção de suínos do Brasil, gunda, é composta pela decompo- Enrique Ortega Rodrigues, na Fa- quanto aos possíveis impactos que a
produção de suínos. Isso tem ocor- com aproximadamente três milhões sição do esterco, e a terceira está re- culdade de Engenharia de Alimen- atividade pode causar ao meio am-
rido com mais freqüência exatamen- de cabeças. presentada pelas bactérias que colo- tos (FEA), o propósito de sua inves- biente, como a redução de oxigênio
te na região Oeste de Santa Catarina, Dessa forma, a sustentabilidade nizam as micropartículas do ester- tigação científica foi avaliar os aspec- da água causada pelo excesso de nu-
onde a piscicultura destaca-se entre da criação de peixes, integrada à co (sem valor nutricional para os tos ambientais do sistema de produ- trientes, poluição dos rios e a conta-
as atividades com enorme potenci- suinocultura, vai depender da qua- peixes), mas que, pela colonização ção de peixes naquela região do país. minação dos lençóis freáticos”, obser-
al para manter o homem trabalhan- lidade dos efluentes (que libera cor- das bactérias e protozoários, o ali- “Para isso usei um método deno- va o pesquisador.