Você está na página 1de 10

A ORAÇÃO SACERDOTAL DE JESUS - João 17.

1-26

Jesus acabara de dar o discurso do cenáculo, do capitulo 13 até o 16, em


uma conversa a mesa. E nela Jesus:
1. Lava os pés dos discípulos. 13.1-20
2. Indica o traidor. 13.21-30
3. Da um novo mandamento. 13.31-3
4. Pedro é avisado que o negaria. 13.36-38
5. Jesus fala sobre o céu. 14.1-15
6. Promete outro consolador. 14.16-31.
7. Fala sobre a produtividade espiritual. 15.1-26
8. Jesus fala sobre a missão do consolador. 16.1-24
9. Jesus se despede dos discípulos. 16.25-33

O discurso do cenáculo é concluído nesta “oração sacerdotal”, pois é neste


momento que Jesus se consagra para o sacrifício em que Ele é,
simultaneamente, sacerdote e vítima.
O sacerdote fazia sacrifícios pelo povo e intercedia por eles, e aqui vemos
Jesus intercedendo e se preparando para sua morte.
É maravilhoso demais vermos o Senhor orando a Deus o Pai pela sua
igreja.
Philipp Malengthen um dos reformadores disse,[1] "Não há voz que jamais
foi ouvida, nem no céu ou na terra, mais exaltada, mais santa, mais
frutífera, mais sublime do que a oração feita pelo Filho do próprio Deus. "

Jesus nesta oração ora por ele próprio, ora pelos discípulos e pela
igreja.
Eu gostaria que juntos nós tirássemos três lições.

1 A BASE SOBRE A QUAL CRISTO ORA PELOS SEUS É A SUA


GLORIFICAÇÃO (17.1-5)
1 A Sua glorificação esta ligada a sua morte, ressurreição e
entronizamento a direita de Deus. (17.1)
Sua hora de ser glorificado havia chegado “é chegado a hora”.
Jesus é glorificado em sua crucificação, ressurreição e seu entronizamento
a direita de Deus.
Jesus cumpriu seu papel aqui na terra, de o verbo encarnado, o
Deus encarnado e agora na sua crucificação iniciaria a sua glorificação.
Jesus já havia falado sobre sua glorificação:
“Respondeu-lhes Jesus: É chegada a hora de ser glorificado o Filho
do Homem. Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo
na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto...
Agora, está angustiada a minha alma, e que direi eu? Pai, salva-me desta
hora? Mas precisamente com este propósito vim para esta hora.” João
12.23-24,27

2 A Sua glorificação tem eficácia sobre os eleitos (17.2)


Aqui vemos um trabalho de Deus Pai e Deus filhos. Deus o pai
escolhendo e Jesus salvando.
Jesus tem autoridade sobre todas as coisas e em especial aqui no texto ele
fala de sua autoridade sobre toda carne, para conceder vida eterna sobre
os que o Pai lhe deu, ou seja, sobre os eleitos de Deus, vemos aqui
claramente a eficácia da obra de Cristo sobre os eleitos.

3 A Sua glorificação trará vida eterna aos eleitos (3)


A obra de Cristo é completa, o pai escolhe, o filho redime, e dá à Vida
eterna. A vida consiste na comunhão com Deus. Que nos criou para ele
mesmo, mas a rebelião quebrou esta união entre Deus e o homem. Vida
eterna consiste muito mais do que tempo de conhecimento, mas
relacionamento, conhecer (ginw,skwsin)[2], que trás a idéia de “entender,
ter conhecimento, percepção”. Nós levaremos toda a eternidade
conhecendo a Deus, tendo intimidade com Ele.
A vida eternar é conhecer a Deus por meio de Jesus. Ele é o mediador que
veio nos reconciliar com o Pai. Deus estava em Cristo reconciliando
consigo o mundo (2 Co 5.18).
Jesus em João se mostra como aquele que é o caminho a Deus o Pai, a
verdade e a Vida. (Jo 14.6)

D A Sua glorificação consuma a obra de Deus (4)


[3]A salvação foi uma obra que o Pai confiou ao Filho e ele veio e a
terminou. Temos a salvação pela completa obediência de Jesus e pelo seu
sacrifício vicário.
Jesus antecipa aqui seu brado de vitória sobre a cruz.
“Consumando a obra”.
Na cruz Jesus bradou: “Está consumado”. Não resta mais nada a fazer.
Acabou. (tete,lestai)
Esta expressão significa três coisas:
1) Quando um pai dava uma missão ao filho e este a cumpria, dizia para o
pai: “Tetélestai”;
2) Quando se pagava uma nota promissória: batia-se o carimbo:
“Tetélestai”;
3) Quando se recebia a escritura de um terreno, escrevia-se na escritura:
“Tetélestai”.

E A Sua glorificação finaliza com sua volta ao céu para assentar a


direita de Deus
Jesus pede para reassumir a mesma glória que tinha antes da
encarnação – Cristo veio do céu, onde desfrutou de glória inefável com o
Pai desde toda a eternidade. Abriu mão de sua majestade e se esvaziou e
se humilhou a ponto de ser chamado apenas do Filho do carpinteiro. Mas,
agora, volta para o céu e retoma seu posto de glória, de honra e de
majestade.

2 O FOCO DA ORAÇÃO DE JESUS SÃO OS ELEITOS (17.6-20)


Jesus ora por todos aqueles que o pai lhe deu (2,6,9) e os que
haveriam de crer (17.20). Por que Jesus ora por estes?

1 Por que os eleitos não são mais do mundo e o mundo os odeia


(17.14-16)
Nós (eleitos) não somos mais do mundo, fomos tirados do mundo,
eleitos por Deus o pai, fazemos parte de uma família divina agora, Deus o
pai nos ressuscitou juntamente com Cristo e nos fez assentar nos lugares
celestiais em Cristo Jesus. (Ef 2.6). E justamente por não sermos do
mundo, ele nos odeia.
Assim como Cristo não é do mundo, quando nos unimos a ele,
também não somos mais.

O texto diz que nós fomos tirados do mundo por Deus o Pai e
dados a Jesus (17.6,9), e por isso o mundo nos odeia, pois passamos a
não mais fazer parte deste sistema.
É fato que quando entendemos a respeito da salvação (17.3) passamos a
não mais fazermos parte do sistema do mundo, é por isso que somos
diferentes, temos que ser diferentes, e isto para muitos do mundo acaba
sendo afronta e somos desprezados.
“Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como
Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também
andemos nós em novidade de vida”. Romanos 6.4

O Senhor Jesus entregou a mensagem de Deus aos discípulos que o pai


lhe deu “dei-lhes a tua palavra”, e o mundo os odiou.
Mensagem esta que Jesus é o salvador, que morreu pelos nossos
pecados. E nós cristãos temos esta mensagem.

O próprio Senhor Jesus disse que o mundo não conhece a Deus


(17.25). É por isto que O massacram, que O odeiam e odeiam a quem O
segue.
Muitas vezes estes ataques vêm da família, de amigo, da mídia e de tantos
outros lugares.
É Jesus ora ao pai pedindo que nos guarde no mal[4] (ponhrou/) do
mundo.

Mas Jesus disse.


“Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz.
Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o
mundo” (Jo 16.33).

2 Jesus ora pela nossa capacitação para vivermos no mundo (Jo


17.17)

Se não somos do mundo e ele nos odeia, como vivermos então


aqui?
A capacitação para estarmos no mundo é a santificação efetuada pela
Palavra de Deus (Jo 17.17).
Neste versículo o Senhor Jesus afirma que a verdade é a Palavra de Deus.

Palavra esta que os discípulos conheciam, (v 6,8,14).


Notem que Jesus havia entregado a Palavra aos discípulos.

Ainda em suas últimas instruções aos discípulos o Senhor Jesus


fala que enviaria o Espírito Santo, chamando-o de o Espírito da verdade.

“E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja
para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode
receber, porque não no vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele
habita convosco e estará em vós”. (Jo 14.16, 17).
Ele faria os discípulos lembrarem de tudo o que o Senhor Jesus
havia lhes ensinado,

“mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome,


esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos
tenho dito”. (Jo 14.26)

E que também os guiaria em toda verdade:

“quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a


verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido
e vos anunciará as coisas que hão de vir”. (Jô 16.13).

Verdade que são as Palavras que o Senhor Jesus recebeu do Pai e passou
para os discípulos, portanto, o Espírito Santo iria fazê-los lembrar.
Wayne Grudem teólogo reformado diz:
“Isso aponta para uma obra especial de supervisão do Espírito
Santo, mediante a qual os discípulos lembrariam e registrariam sem erro
tudo o que Jesus havia dito”[5].

Se estudarmos sobre o que era a verdade para Jesus vemos que:


· Ele chama o Espírito Santo de o Espírito da verdade (Jo 14.16;
16.23).
· Ele se chama de a verdade (14.6).
· A Palavra é a verdade (Jo 17.17).

Para Jesus ele tinha como verdade toda a Palavra de Deus. Temos que
olhar para a Bíblia assim como Jesus olhava e dava valor.
Para ele a Palavra não podia falhar.
“Se ele chamou deuses àqueles a quem foi dirigida à palavra de
Deus, e a Escritura não pode falhar” (Jo 10.35).
Cada letra era valorizada
“Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou
um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra”.(Mt 5.18).

A Palavra de Deus é a verdade que capacita os discípulos para


estarem no mundo e o meio pelo qual a santificação é alcançada.
É por isso que quando a Palavra de Deus é tirada da igreja, mal
interpretada, a igreja começa a passar por problemas e muitas delas
chegam até a fechar as portas.

3 Jesus ora pela nossa a missão de irmos ao mundo, apesar d’ele


nos odiar (Jo 17.18)

Do mesmo modo que Jesus foi enviado ao mundo com uma missão
agora ele envia seus discípulos ao mundo com uma missão.
O Senhor Jesus diz que os discípulos não são do mundo, não mais
pertencentes a este mundo.
Mas agora ele envia os discípulos de volta ao mundo, mas com
uma missão.

A reação dos cristãos não deve ser a de retirar-se do mundo, mas


de viver no mundo motivados pelo amor de Deus. Os discípulos devem
continuar a missão de Jesus na terra, para isso que eles são enviados.
O Senhor Jesus nos tirou do mundo, nos deu a salvação, nos
capacita com sua palavra para irmos de volta ao mundo e cumprir a nossa
missão, a de sermos e fazermos discípulos. (Mt 28.19,20).
Antes de voltar ao céu, após sua ressurreição, ele disse:

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome


do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo ensinando-os a guardar todas as
coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias
até à consumação do século.” Mateus 28.19,20

Temos a missão de não sermos ermitões, nem grupo fechado, mas


sim, a de ir, de amar e sermos sal da terra e luz do mundo. De mostrarmos
a diferença que Jesus faz em nossas vidas.
Eu entendo que ir ao mundo é muito mais que falar que tenho
Jesus, mas é viver o evangelho DE MOSTRAR A SANTIFICAÇÃO PELA
PALAVRA NA MINHA VIDA. A ponto das pessoas verem diferença em
minha vida e assim notarem que sou verdadeiro discípulo de Jesus. Que
ando em novidade e vida.

3 JESUS ORA PELA SUA IGREJA (17.20-26)

1 Pela unidade (20-23)


Por fim, Jesus ora não apenas por aqueles discípulos, mas por todos os
que viriam a crer por intermédio da mensagem deles.
Um ponto importantíssimo na nossa caminhada aqui no mundo, é que
devemos ter unidade (17.21-23).
Por isso fazemos parte de uma comunidade que se chama igreja, pois a
palavra igreja (evkklhsi,a) significa, “chamados para fora”, ou seja, nós
somos chamados para fora do sistema do mundo, não somos mais deste
mundo somos chamado a vivermos uma vida em unidade como igreja.
Cristo nos tira do mundo, nos capacita pela sua palavra, nos envia de volta
ao mundo, mas para vivermos aqui em unidade.
O sermos unidos fará com que o mundo nos conheça (21).

“Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns
aos outros”. João 13.35
A unidade cristã fará com que cresçamos e sejamos aperfeiçoados
(teteleiwme,noi) (23). Sejamos completos, pois sozinhos não somos
completos, precisamos viver em unidade para sermos completos.

“Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a


cabeça, Cristo de quem todo o corpo, bem ajustado e consolidado pelo
auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o
seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor.” Efésiso 4.15

A nosso unidade, fará com que trabalhemos juntos, fará com que ajudemos
uns aos outros, que tenhamos vida em comum.
A mutualidade cristã precisa existir na igreja.

2 Glorificação futura (24-26)


Jesus pede ao Pai para que seus discípulos vejam sua glória e
estejam no céu com ele.
A palavra para desejo aqui no texto é (qe,lw), significa desejo,
querer, mas a NVI traduz de uma maneira mais claro, “Pai, quero que os
que me deste...”. A nossa salvação esta segura, nosso destino esta seguro.
A obra de Cristo é completa.
Já não somos deste mundo, estamos nos mundo, a capacitação é a
palavra do Senhor, temos que viver em unidade e o nosso destino é certo.
O Senhor Jesus já havia avisado. (Jo 14.1-3)
Qual a nossa esperança? Nossa esperança é que um dia
estaremos face a face com o Senhor. Contemplando a sua glória.

CONCLUSÃO

Nesta oração intercessora de Jesus, podemos ver: ele declarando


que nós cristãos:
Cristo ora pela sua glorificação.
Ora por nós, pois não somos mais deste mundo e ele nos odeia.
Que a capacitação para vivermos aqui no mundo é a sua Palavra.
Que ele nos envia de volta ao mundo para continuarmos a sua missão.
E que vivamos em unidade.
É maravilhoso vermos em Cristo uma obra perfeita e é descanso para
nossas almas, saber que Cristo orou por nós.
Que Deus abençoe a todos.

Você também pode gostar