Você está na página 1de 2

c 



 
 




V
O valor de uma promessa é baseado no poder e fidelidade de quem promete. "Vos
será feito" é a promessa feita em atenção a nossas orações, e é   quem promete:
©  
  
  



 

 


 © (João 15:7). Acrescente a isso a
promessa de João 14:14: ©

 © e a de João 16:23: © 
 ©, e a promessa se torna duplamente segura. Há poder na oração.V

A cláusula "se" não deve ser negligenciada, contudo. A oração eficaz se apóia numa
relação apropriada com Jesus Cristo ²©
 
 © ² a qual por
sua vez repousa sobre uma atitude apropriada para com a sua palavra: ©
  



©.V

3 
    V

£recisamos estar em Cristo para que nossas orações sejam eficazes. Assim como o
ramo precisa estar na videira para receber nutrição e produzir fruto, assim precisamos
estar em Cristo, a verdadeira videira, para estarmos espiritualmente vivos, nutridos
espiritualmente, espiritualmente produtivos, sendo eficazes pelo poder de nossas
orações.V

A palavra "permanecer" ou "estar" aparece dez vezes no contexto. Merrill C. Tenney


observa, corretamente, que esta palavra "significa a manutenção de uma conexão
ininterrupta antes que repouso, e revela a necessidade de uma relação constante e
ativa entre o crente e seu Senhor, para que a vida resultante seja produtiva."
Manutenção, não repouso! Não podemos descansar, presumindo ingenuamente que,
uma vez que nos tornamos ligados a nosso Senhor, continuaremos automaticamente a
estar nele. £recisamos trabalhar para manter essa relação. Os meios pelos quais
estamos nele são claramente declarados na segunda cláusula "se" . . . .V

3
 



 
   V

Não podemos estar em Jesus a menos que suas palavras estejam em nós. Quando as
suas palavras permanecem em nós, somos absorvidos pelo aprender e pelo obedecer
seu ensinamento. Temos freqüentemente nossas Bíblias na mão. Entregamo-nos a
uma serena leitura do seu ensinamento, parando para meditar, permitindo à verdade
"penetrar". Encontramo-nos numa disposição para refletir, interrogando-nos onde
poderíamos estar deixando de fazer sua vontade.V

Quando as palavras de Jesus permanecem em nós, tomamos uma nova identidade,


deixando nossa velha identidade em favor daquela de Jesus. Jesus habita em nós.
Quando outros observam nossa conduta vêem o reflexo de Jesus. Somos compassivos
para com os necessitados, pacientes nos sofrimentos, atentos às crianças pequenas,
tranqüilos com a perseguição, enraivecidos contra o pecado, preocupados com os
perdidos, humildemente submissos à vontade de Deus, buscando primeiramente o
reino de Deus e sua justiça em nossas vidas. O mundo não nos compreende, assim
como ele não compreendeu Jesus (João 15:18-21).V

Quando as palavras de Jesus permanecem em nós, desejamos que a vontade de Deus


esteja feita na terra como no céu (Mateus 6:10). Enquanto expressamos a Deus o que
é nossa vontade em várias circunstâncias, não buscamos impor a ele nossa vontade.
Antes, oramos para que sua vontade seja feita em tudo, submetendo nossa vontade à
sua, deste modo recebendo "o que desejamos" em resposta às nossas orações.V

A progressão seguinte se torna clara: As palavras de Jesus estão em nós, capacitando-


nos a estar em Jesus e capacitando-nos, em seguida, a orar eficazmente, confiantes
em que será feito o que desejamos.V

A   V

Admiramo-nos com aqueles que questionam a resposta de Deus à oração. Ouviu-se


um irmão dizer que nenhuma de suas orações tinha sido jamais respondida. £alavras
estranhas, na verdade! Nenhuma oração que seja feita com o espírito justo, por uma
pessoa justa, foge da atenção de Deus. Ele ouve e responde a cada uma delas.V

Admiramo-nos, por outro lado, com aqueles que rejeitam o ensinamento de Jesus,
calcam aos pés seu nome e sua palavra e ainda pensam que, em momentos de crise e
de pânico, podem orar eficazmente. As orações de tais são uma abominação
(£rovérbios 28:9).V

Esteja em Jesus; que as palavras dele estejam em você; então ore com absoluta
confiança e certeza de que Deus proverá o que você deseja.V

por Bill HallV