Você está na página 1de 20

1

CETREM
CENTRO DE TREINAMENTO ECLESIÁSTICO & MISSÕES

FRANCISCO SÉRGIO SANTOS CALIXTO

PRIMEIROS PASSOS PARA UMA BOA INTERPRETAÇÃO


BÍBLICA

JUAZEIRO DO NORTE-CE
2010
2

FRANCISCO SÉRGIO SANTOS CALIXTO

PRIMEIROS PASSOS PARA UMA BOA INTERPRETAÇÃO BÍBLICA

Projeto de pesquisa apresentado à disciplina de


Estágio Supervisionado em cumprimento parcial às
exigências do Curso Livre em Teologia para obtenção
de nota.
Orientadora: Profª. Elisabeth de Paula Coutinho.

CETREM
CENTRO DE TREINAMENTO ECLESIÁSTICO & MISSÕES
2010
3

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO................................................................................................................................4

JUSTIFICATIVA..............................................................................................................................5

MARCO TEÓRICO..........................................................................................................................6

OBJETIVOS.....................................................................................................................................8

Objetivo Geral...................................................................................................................................8

Objetivos Específicos....................................................................................................................8

METODOLOGIA.............................................................................................................................9

CRONOGRAMA............................................................................................................................10

RECURSOS....................................................................................................................................12

Recursos Humanos......................................................................................................................12

Recursos Materiais......................................................................................................................13

Recursos Financeiros...................................................................................................................13

BIBLIOGRAFIA.............................................................................................................................13

ANEXOS.........................................................................................................................................15
4

INTRODUÇÃO

Dentro do meio cristão se sabe que as diretrizes maiores de nossas regras


de fé estão nas Escrituras, assim, entende-se a necessidade de manter o povo de
Deus bem capacitado para realizar uma leitura bíblica sadia, minimizando o risco
de interpretações errôneas ou excesso de dúvidas sobre as doutrinas básicas da
igreja e, trazendo as aplicações diretas que a Palavra nos prescreve para a vida,
com correção.

Fazer uma leitura bíblica entendendo o que o texto bíblico expõe, poder
comparar o que as pessoas nos falam, confrontando com a palavra de Deus,
conscientizar-se do prejuízo que pode ser causado à nossas vidas através de
uma má interpretação da Palavra, são os principais pontos a serem trabalhados
nesse projeto.

Com esse entendimento é que trataremos no presente trabalho, da


exposição do projeto da oficina de fundamentos de interpretação bíblica, a ser
realizada na Congregação Maanaim, da Primeira Igreja Batista de Crato, nos
meses de maio, junho e julho de 2010.

ESPECIFICAÇÕES:

Tipo de projeto: Oficina de Interpretação Bíblica

Entidade envolvida: Congregação Maanaim, da Primeira Igreja Batista de Crato

Área de atuação: Educacional Cristã

Público alvo: 10 alunos, frequentadores da Escola Bíblica Dominical.


5

JUSTIFICATIVA

Desde novembro de 2009, quando assumi como dirigente da Congregação


Maanaim e durante as ações cotidianas, conversas com os membros, EBD e
estudos bíblicos dos lares, pude perceber que os membros sofrem diversas
interferências equivocadas em suas interpretações de textos bíblicos. Procurando
encontrar os motivos que levaram a essa má leitura bíblica, detectou-se que:
muitos não passaram por aulas de discipulado após sua conversão; há alguns
membros com educação normal deficiente, idosos inclusive; a quantidade e
variedade de dirigentes anteriores contribuíram para que não houvesse uma
formação doutrinária sólida; e a exposição televisiva de diversas doutrinas que
hoje estão inseridas em nossas igrejas.

Na epístola aos Efésios, Paulo faz uma observação que podemos tomar
como referencial nesse momento.

E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para


profetas, e outros para evangelistas, e outros para
pastores e doutores, Querendo o aperfeiçoamento
dos santos, para a obra do ministério, para edificação
do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à
unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a
varão perfeito, à medida da estatura completa de
Cristo. Para que não sejamos mais meninos
inconstantes, levados em roda por todo o vento de
doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia
enganam fraudulosamente. (Ef. 4.11-14, RC).

Paulo traz elucidação tanto ao nosso chamado quanto ao seu propósito.


Ajudar no aperfeiçoamento dos santos e na edificação da igreja, proporcionando
que os fiéis escapem das artimanhas de homens mal intencionados, e no nosso
caso, muitas vezes do seu próprio erro.

Motivado por essas constatações, é que se pretende realizar o projeto


dessa oficina.
6

MARCO TEÓRICO

Os problemas que a execução do projeto pretende sanar estão


compreendidos em dois ramos da ciência: a pedagogia e a hermenêutica. A
pedagogia nos auxiliará no trato das pessoas quanto à receptividade das lições
em si, observando que todos estarão passando por um processo real de
reeducação. Para o preenchimento da necessidade de aprender sobre o assunto
foi escolhida a obra do Professor Álvaro Vieira Pinto, Sete Lições sobre a
Educação de Adultos, onde são abordados alguns conceitos sobre problemas
educacionais semelhantes aos que enfrentamos:

A educação é um fato social. Refere-se à sociedade


como um todo. É determinada pelo interesse que
move a comunidade a integrar todos os seus
membros à forma social vigente (relações
econômicas, instituições, usos, ciências, atividades,
etc.). É o procedimento pelo qual a sociedade se
reproduz a si mesma ao longo de sua duração
temporal. Contudo, neste processo de auto-
reprodução está contida, uma contradição: a
sociedade desejaria fazer-se no tempo futuro o mais
igual possível a si mesma; porém a dinâmica da
educação atua em sentido oposto, uma vez que
engendra necessariamente o progresso social, isto é,
a diferenciação do futuro em relação o presente.
(PINTO, 2005, p. 30).

O processo educacional descrito por Pinto nos diz que quanto mais
tentamos caminhar para que a sociedade tenha um padrão educacional similar
dentro dos diversos modelos sociais, dificilmente conseguiremos, pois, as
sociedades estão em constante mudança em todos os seus setores. Esse modelo
de igualdade também é desejado por nós e descrito na Palavra, quando nos
sugerido para estarmos unidos pelo mesmo sentimento (Fp 2.2 RA), entretanto,
os fiéis não estão intelectualmente isolados da intervenção social, o que traz
semelhante consequência para a educação na igreja, com a diversidade de
opiniões e entendimento das Escrituras.

Como material de apoio a esse projeto estaremos utilizando, dentro da


hermenêutica duas obras. A primeira trata-se de O Conhecimento das Escrituras
de R. C. Sproul que traz esclarecimentos sobre princípios básicos para serem
observados na leitura da Bíblia e Os Perigos da Interpretação Bíblica de D. A.
Carson, que expõe seus trabalhos exegéticos sobre alguns dos mais importantes
7

conflitos sobre o entendimento da Palavra, indicando também como não devemos


ler a Bíblia.
8

OBJETIVOS

Objetivo Geral

• Proporcionar que os membros da Congregação Maanaim possam ter uma


leitura bíblica correta.

Objetivos Específicos

• Promover um despertar da congregação para a importância da observação


e aplicação da Palavra de Deus;

• Ajudar os membros da congregação em suas dificuldades de leitura;

• Estimular a pesquisa simplificada de vocábulos de difícil compreensão;

• Conscientizar sobre a necessidade de se transmitir conhecimentos bíblicos


aos irmãos na certeza de que estamos agindo conforme a vontade de
Deus.
9

METODOLOGIA

A oficina será realizada com aulas expositivas e interativas, visando, tão


logo sejam apresentados os conceitos, a aplicabilidade do que for colocado
durante as aulas.

A apresentação do conteúdo será dividida em quatro módulos. O primeiro


trará os conceitos básicos da confiabilidade das Escrituras, o estudo de seus
atributos e conceitos sobre interpretação. Na segunda parte, abordar-se-ão os
principais métodos utilizados para uma boa leitura bíblica e serão feitos exercícios
de leitura. No terceiro encontro, os alunos serão convidados a trazer os textos
bíblicos em que têm mais dificuldade de entendimento, para que possam ser
trabalhadas as suas dificuldades pessoais. No quarto encontro continuaremos
com os exercícios de interpretação e finalizaremos com uma redação, ou
apresentação verbal, do que foi absorvido do texto trabalhado em sala, com o
intuito de estimular o transmitir do evangelho com uma maior qualidade.
10

CRONOGRAMA

Durante o mês de maio haverá a elaboração das aulas a serem


ministradas, como também, a revisão e aprofundamento na literatura em que está
baseado o projeto, para a obtenção de todas as perspectivas alcançáveis, dentro
das possibilidades, dos estudos dos fundamentos da interpretação bíblica.

Em junho, a oficina será ministrada em substituição às aulas da escola


bíblica dominical, na seguinte disposição:

• Dia 23/05/2010 – Estudos sobre a Declaração Doutrinária da Convenção


Batista Brasileira.

• Dia 27/05/2010 – Encerramento dos estudos sobre a Declaração


Doutrinária da Convenção Batista Brasileira.

• Dia 30/05/2010 – Módulo 01: Conceitos básicos

• Estudos conceituais sobre: Interpretação bíblica,


inspiração das Escrituras, revelação;

• Classificação dos livros do Antigo e do Novo


Testamentos.

• Dia 06/06/2010 – Módulo 02: Fundamentos e regras de interpretação;

• A Bíblia como revelação progressiva;


11

• A Bíblica como organismo;

• Tipos de interpretação;

• Lendo como a um livro qualquer;

• Lendo de forma existencial.

• Dia 13/06/2010 – Módulo 03: Fundamentos e regras de interpretação;

• Revisão;

• O implícito deve ser interpretado pelo explícito;

• O significado das palavras;

• Momento tira dúvidas.

• Dia 20/06/2010 – Módulo 04: Fundamentos e regras de interpretação;

• Revisão;

• Os paralelismos na Bíblia;

• Diferenças entre provérbio e Lei;

• Momento tira dúvidas.

• Dia 27/06/2010 – Módulo 05: Prática

• Exercício de leitura em grupo.

• Dia 04/07/2010 – Módulo 06: Fundamentos e regras de interpretação;

• Revisão;

• A autoridade bíblica nos conflitos;

• Interpretando as experiências pessoais à luz da bíblia;

• A fé é essencial para a compreensão da Palavra.

• Dia 11/07/2010 – Módulo 07 : Prática


12

• Exercício de leitura individual;

• Encerramento.

RECURSOS

Recursos Humanos

Até o momento, somente o próprio estagiário estará envolvido na


elaboração e execução do projeto.
13

Recursos Materiais

• Quadro Branco;

• Pincel para quadro branco;

• Apagador;

• 45 cópias, para confecção de apostila própria.

Recursos Financeiros

Serão necessários aproximadamente R$ 250,00 (duzentos e cinquenta


reais) para a compra do material sugerido, cujo investimento deverá ser arcado
pela congregação Maanaim.

BIBLIOGRAFIA

PINTO, Álvaro Vieira. Sete lições sobre educação de adultos. 14ª edição. São
Paulo: Cortez, 2005.
14

SPROUL, R. C. O conhecimento das escrituras. São Paulo: Cultura Cristã,


2003.

CARSON, D. A. Os perigos da interpretação bíblica – A exegese e suas


falácias. 2ª edição. São Paulo: Vida Nova, 2007.

BÍBLIA, N. T. Efésios. Português. Bíblia sagrada. Trad. João Ferreira de Almeida,


Ed. Revista Corrigida, 1969. Cap. 4, vers. 11-14.

BÍBLIA, N. T. Filipenses. Português. Bíblia sagrada. Trad. João Ferreira de


Almeida, Ed. Revista e Atualizada, 1959. Cap. 2, vers. 2.
15

ANEXOS

EBD – Congregação Maanaim


27/06/2010

Exercício de Leitura:

Cl 3. 12-17
16

Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de


ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de
mansidão, de longanimidade.
Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso
alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o
Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós;
acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da
perfeição.
Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual,
também, fostes chamados em um só corpo; e sede
agradecidos.
Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e
aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a
Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com
gratidão, em vosso coração.
E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o
em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.

Responda as perguntas abaixo:

1. Do que esse texto fala? (Idéia central)

2. Em que tempo foi escrito esse texto?


( ) Antes da vinda de Jesus

( ) Durante o ministério de Jesus na terra

( ) Após a ressureição de Jesus

( ) Na eternidade.

3. Qual o escritor humano desse livro?


( ) Davi

( ) Paulo

( ) Pedro

( ) Plínio

4. De que tipo de livro se trata?


( ) Prófetico

( ) Poético

( ) Carta pastoral
17

( ) Livro Histórico

5. O texto apresenta características de?


( ) Instruções

( ) Reflexão

( ) Narrativa

( ) Profecia (predição)

6. No texto acima existem seis ordens, seis coisas que o autor pede que se
faça. Localize-as e descreva o que o texto sugere que se cumpra.

7. Como você recebe tais ordens? Como essas ordens expressas nos
textos afetam seu coração?

8. O que se entende no versículo: “Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso


coração” vr. 15

EBD – Congregação Maanaim 11/07/2010

Exercício de Leitura: Texto 01

1 Sm 1.1-20
18

Houve um homem de Ramataim-Zofim, da região montanhosa de Efraim, cujo


nome era Elcana, filho de Jeroão, filho de Eliú, filho de Toú, filho de Zufe,
efraimita. Tinha ele duas mulheres: uma se chamava Ana, e a outra, Penina;
Penina tinha filhos; Ana, porém, não os tinha. Este homem subia da sua cidade
de ano em ano a adorar e a sacrificar ao SENHOR dos Exércitos, em Siló.
Estavam ali os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, como sacerdotes do SENHOR.
No dia em que Elcana oferecia o seu sacrifício, dava ele porções deste a Penina,
sua mulher, e a todos os seus filhos e filhas. A Ana, porém, dava porção dupla,
porque ele a amava, ainda mesmo que o SENHOR a houvesse deixado estéril. (A
sua rival a provocava excessivamente para a irritar, porquanto o SENHOR lhe
havia cerrado a madre.) E assim o fazia ele de ano em ano; e, todas as vezes que
Ana subia à Casa do SENHOR, a outra a irritava; pelo que chorava e não comia.
Então, Elcana, seu marido, lhe disse: Ana, por que choras? E por que não
comes? E por que estás de coração triste? Não te sou eu melhor do que dez
filhos? Após terem comido e bebido em Siló, estando Eli, o sacerdote, assentado
numa cadeira, junto a um pilar do templo do SENHOR, levantou-se Ana, e, com
amargura de alma, orou ao SENHOR, e chorou abundantemente. E fez um voto,
dizendo: SENHOR dos Exércitos, se benignamente atentares para a aflição da
tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, e lhe deres
um filho varão, ao SENHOR o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua
cabeça não passará navalha. Demorando-se ela no orar perante o SENHOR,
passou Eli a observar-lhe o movimento dos lábios, porquanto Ana só no coração
falava; seus lábios se moviam, porém não se lhe ouvia voz nenhuma; por isso, Eli
a teve por embriagada e lhe disse: Até quando estarás tu embriagada? Aparta de
ti esse vinho! Porém Ana respondeu: Não, senhor meu! Eu sou mulher atribulada
de espírito; não bebi nem vinho nem bebida forte; porém venho derramando a
minha alma perante o SENHOR. Não tenhas, pois, a tua serva por filha de Belial;
porque pelo excesso da minha ansiedade e da minha aflição é que tenho falado
até agora. Então, lhe respondeu Eli: Vai-te em paz, e o Deus de Israel te conceda
a petição que lhe fizeste. E disse ela: Ache a tua serva mercê diante de ti. Assim,
a mulher se foi seu caminho e comeu, e o seu semblante já não era triste.
Levantaram-se de madrugada, e adoraram perante o SENHOR, e voltaram, e
chegaram a sua casa, a Ramá. Elcana coabitou com Ana, sua mulher, e,
lembrando-se dela o SENHOR, ela concebeu e, passado o devido tempo, teve um
filho, a que chamou Samuel, pois dizia: Do SENHOR o pedi.

Responda as perguntas abaixo:

1. Do que esse texto fala? (Idéia central)


19

_______________________________________________________________________

_______________________________________________________________________

_______________________________________________________________________

_______________________________________________________________________

_______________________________________________________________________

2. Em tempo que tempo ocorre a narrativa desse texto?


( ) Antes do reinado de Davi e antes do êxodo do Egito

( ) Antes do reinado de Davi e depois do êxodo do Egito

( ) Logo após o dilúvio

( ) Após a morte de Salomão

3. De que tipo de livro se trata?


( ) Prófetico

( ) Histórico/Profético

( ) Carta pastoral

( ) Histórico

4. O texto apresenta características de?


( ) Instruções

( ) Reflexão

( ) Narrativa

( ) Profecia (predição)

Texto 02

Mc 1.1-11

Princípio do evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus. Conforme está escrito na profecia
de Isaías: Eis aí envio diante da tua face o meu mensageiro, o qual preparará o teu
caminho; voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas
veredas; apareceu João Batista no deserto, pregando batismo de arrependimento para
remissão de pecados. Saíam a ter com ele toda a província da Judéia e todos os
20

habitantes de Jerusalém; e, confessando os seus pecados, eram batizados por ele no rio
Jordão. As vestes de João eram feitas de pêlos de camelo; ele trazia um cinto de couro e
se alimentava de gafanhotos e mel silvestre. E pregava, dizendo: Após mim vem aquele
que é mais poderoso do que eu, do qual não sou digno de, curvando-me, desatar-lhe as
correias das sandálias. Eu vos tenho batizado com {com; ou em} água; ele, porém, vos
batizará com {com; ou em} o Espírito Santo. Naqueles dias, veio Jesus de Nazaré da
Galiléia e por João foi batizado no rio Jordão. Logo ao sair da água, viu os céus
rasgarem-se e o Espírito descendo como pomba sobre ele. Então, foi ouvida uma voz
dos céus: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo;

1. A quem se refere a expressão “voz que clama no deserto”?

2. Que tipo de batismo era praticado por João Batista?

3. De que alimentava-se João Batista? De eram feitas suas roupas?

4. Qual foi o anúncio feito por Joaõ Batista?

5. De quem João Batista era filho?

6. Em que rio Jesus foi batizado?