Você está na página 1de 14

Disciplina ELE0605

Controladores Lógicos Programáveis (CLP)

Notas de Aula

Prof. Dr. Cláudio R.M. Silva


Departamento de Engenharia Elétrica
Centro de Tecnologia - UFRN

Aula 02

Versão: 0.4
Tópicos:
 Introdução (cont.)
 Classificação dos CLPs;
 Conceitos Relacionados;
 Arquitetura Básica
 Esboço Geral;
 CPU;
 Modulos de Entrada;
 Modulos de Saída;
Classificação dos CLPs
(com base no critério tamanho)
 Micro:  Grande:
unidades com até 32 E/Ss; São mais sofisticados;
unidades de até 4.096 E/Ss;
 Pequeno: memórias de até 2Mb.
unidades com até 128 E/Ss; Possui aplicações ilimitadas e pode
memórias com até 2Kb; controlar uma fabrica pequena
possui capacidade de controle
relativamente limitada.  Muito Grande:
São os mais sofisticados;
 Médio: unidades de até 16.000 E/Ss;
unidades com até 2.048 E/Ss; Possui aplicações ilimitadas e pode
memórias com até 32Kb. controlar grandes fabricas.
possui módulos especiais para fazer o
CLP adaptável a pressão, temperatura,
etc.
.
1/2
Classificação dos CLPs
(Quanto ao critério avanços tecnologicos)

 1a. Geração:  Os Terminais de Programação eram na


 Programação intimamente ligada ao verdade Programadores de Memória
hardware do equipamento; EPROM.
 A linguagem utilizada era o Assembler e a  As memórias depois de programadas
programação era desenvolvida por equipe eram colocadas no CLP para que o
altamente qualificada e o programa era programa do usuário fosse executado.
armazenado em memória EPROM.
 3a. Geração:
 2a. Geração:
 Entrada de Programação, onde um
 Primeiras “Linguagens de Programação” Teclado / Programador Portátil é
não tão dependentes do hardware; conectado
 “Programa Monitor “ no CLP compila as  A estrutura física também sofre
instruções do programa, verifica o estado alterações sendo a tendência para os
das entradas, compara com as instruções Sistemas Modulares com Bastidores ou
do programa do usuário e altera o estados Racks.
das saídas.
2/2
Classificação dos CLPs
(Quanto ao critério avanços tecnologicos)

 4a. Geração:  5a. Geração:

 Os CLP's passaram a incluir uma  Atualmente existe uma preocu-


entrada adicional para a comuni- pação em padronizar protocolos
cação serial. de comunicação para os CLP's;
 Com o auxílio dos microcomputa-  Forte integração do CLP. Não só
dores a tarefa de programação outjros CLP's, mas também com
passou a ser realizada nestes. Controladores de Processos,
 As vantagens eram a utilização de Sistemas Supervisórios, Redes
várias representações das lingua- Internas de Comunicação e etc.,
gens, possibilidade de simulações  Existem Fundações Mundiais para
e testes, treinamento e ajuda por o estabelecimento de normas e
parte do software de progra- protocolos de comunicação.
mação, possibilidade de armaze-
namento de vários programas no
micro, etc.
Memórias
CLP

Arquitetura Elementos de comando


(Chaves e Botões) Módulos
de E/S

Genérica
Sistema
I/E Sensores Sob
Elementos de Monitoração CPU Controle
(Displays e semelhantes)

I/S Atuadores

 Sensores:  Atuadores:
São responsáveis pelo recebimento de Interferem no sistema controlado, efetivando
informações do sistema controlado e ações determinadas pelo processador. Ex:
encaminha a I/E; Motores, eletroválvulas, banco de
resistências, etc...
 Interfaces de Entrada (I/E):
Recebe as informações dos sensores;  Elementos de Comando:
Permite o operador enviar informações para
 Processador (CPU): o processador de forma a interferir no
controle. Ex: Botões, chaves, teclados
Recebe da I/E e processa de acordo com alfanuméricos, etc...
programa pré determinado armazenado na
memória; Encaminha resposta a I/S;
 Elementos de monitoração:
 Interfaces de Saída (I/S): Permite ao operador acompanhar o estado
Submete o tratamento e encaminha aos de elemento do sistema de controle. Ex:
atuadores; IHM, monitores, Leds, etc...
O CLP: Ciclo de Operação

• A leitura dos sinais de entrada são aplicadas às


entradas do CLP a cada ciclo de varredura,
todos esses sinais são transferidos para a
unidade de memória interna denominada
memória imagem das entradas;
• Estes sinais de entradas e os sinais internos do
CLP são processados pelo programa do
usuário;
• Ao término do processamento, os resultados
são transferidos à memória imagem das
saídas e então aplicados aos terminais de
saída do CLP;
• O ciclo de varredura é reiniciado.
Módulo CPU
 Interface com:  memória dos TMR e dos CNT;
 módulos de entrada e saída;  memória para data hora, etc...
 terminal de programação IHM;
 Processador:
 Memórias:  Cérebro da máquina do CLP;
 Memória ROM: Armazena um  Divide seu tempo entre a execução do
programa imutável gravado na sistema operacional e o programa do
fábrica... Sistema operacional. usuário.
 Memória RAM ( usuário): memória
destinada a armazenar código de  Memórias externas:
máquina das instruções relativas ao  Memórias tipos EPROM EEPROM,
programa de aplicação; e armazena FLASCH, etc...
dados utilizados durante o  Memórias não voláteis, onde o usuário
processamento; pode gravar seu programa;
 A capacidade de armazenamento da  São conhecidos como cartuchos de
RAM, limita o tamanho de aplicação memória;
do CLP;
 Memória RAM ( sistema): armazena  Fonte de alimentação:
informações durante o processo de  Converte VCA em VCC;
operação;  Barramento de alimentação..
O CLP: Sinais Digitais

 Possuem dois estados definidos: ligado/desligado ou on/off ou 0/1(binário)


 Exemplos de Entradas:
 Botões de comando
 Sensores de Presença
 Chaves fim-de-curso

 Exemplos de Saídas:
 Lâmpadas
 Sirenes
 Mostradores (displays)
 Eletro-válvulas
 Chaves magnéticas
Módulos de Entradas Discretas

Possíveis entradas:
• 240 Vac,
• 120 Vac,
• 24 Vdc ou
• 5 Vdc.
Modulos de Saídas Discretas

• Alimentam:
• lâmpadas,
• relés,
• pequenos motores etc.
O CLP: Sinais Analógicos

 Sinais Analógicos
 Indicam o valor de uma variável através de um sinal de tensão:
 0V a +10V
 -10V a +10V
 ou Indicam o valor de uma variável através de um sinal de corrente:
 0 a 20mA
 4 a 20mA
 Exemplos de Entradas:
 Sensores de Temperatura
 Sensores de Umidade
 Sensores de Pressão
 Sensores de Nível
 Exemplos de Saídas:
 Servos-mecanismos em geral (servo-válvula)
Entradas e Saídas Analógicas
O CLP: ENTRADAS E SAÍDAS - CONCLUSÃO

 O CLP monitora continuamente o estado dos dispositivos/equipamentos conectados às entradas, e


baseando-se no programa de aplicação, controla os dispositivos/equipamentos conectados às
saídas.

 Estes dispositivos de entrada e saída (E/S) podem ser de diversos tipos, com as mais variadas faixas
de corrente elétrica:
 Chaves de nível, Seletoras, Digitais ou Pressostatos
 Botões de comando (controle)
 Painéis de alarme, Indicadores ou Anunciadores (mostradores ou displays)
 Solenóides
 Motores Elétricos ou Contatores para motores
 Transdutores
 Lâmpadas
 Eletro-válvulas
 Sirenes
 Etc...