Você está na página 1de 9

APÍTU

C
L

O
Lançamento

vertical no vácuo
3

ou: É possível uma moeda acele ar

mais do que um autom vel esportivo?

S7

No Suplemento, você encontra orientações

 Introdução
para trabalhar a questão introdutória.

Todos os corpos próximos à superfície da Terra são atraídos por ela e, se nada os impedir,

cairão em sua direção. Dizemos que é a atração gravitacional da Terra que “puxa” toda a matéria

Um carro esportivo,

em direção ao centro do planeta.

considerado um

dos mais rápidos do


A tentativa dos seres humanos de compreender a ação da gravidade permitiu significativos

mundo, segundo seu

avanços da ciência, que podem ser observados, entre outros exemplos, no voo dos aviões, no

fabricante, pode ir de

0 km/h a 100 km/h em lançamento dos foguetes (fig. 1) e até nos brinquedos de um parque de diversões.

3,7 segundos, o que

KCOTSNIT
corresponde a uma

aceleração escalar

média de 7,5 m/s

A
Desconsiderando

/SRETUER/Y
a resistência do ar,

a moeda, ao cair,

acelera a aproximada-

LIAD
2

mente 9,8 m/s . Logo,

ANIHC
a moeda acelera mais

que o automóvel.

 Lançamento do foguete chinês Long March-6, na província de Shanxi, em Taiwan, 015.

S8

2 Queda livre e aceleração da gravidade

Consulte o

Suplemento

No movimento de queda, nas proximidades da superfície da Terra, qualquer corpo atra-


para obter orien

tações sobre o
vessa uma camada de ar, que oferece resistência à passagem desse corpo. O efeito dessa

trabalho com os

resistência é maior em alguns corpos do que em outros, dependendo, principalmente, de seu

conteúdos deste

capítulo.
formato (fig. ).

t = 0 s t = 0 s
OCCES

t = 1 s t = 1 s
NOSLIDA

 Uma folha de papel que


t = 2 s

cai aberta é submetida a uma maior

resistência do ar do que uma folha que

cai amassada e transformada em uma


t = 2 s

pequena bolinha.

53
S9

No Suplemento, há comentários sobre este “Explore”.

E
X
Numa situação hipotética, se não houvesse a camada de ar em torno da Terra,
P
L
O
R
todos os objetos cairiam em direção à superfície da mesma forma, fosse uma folha E

de papel aberta, fosse uma enorme peça de ferro. Esse movimento é chamado de
H

I
S
queda livre, isto é, uma queda sem nenhuma resistência, ou, em outras palavras, Pesquise a

Ó
contribuição dos
no vácuo. Um dos primeiros a pensar sobre isso foi Galileu Galilei, cientista italiano

A
estudos de Galileu
que viveu entre os séculos XVI e XVII.

Galilei, pensador do

Galileu observou que, se um martelo e uma pena fossem soltos da mesma altura

Renascimento italiano, para

numa região onde não houvesse ar, isto é, no vácuo, o martelo e a pena cairiam com
o desenvolvimento da

a mesma aceleração e, portanto, chegariam juntos ao chão. Embora não existam re- Ciência Moderna.

gistros seguros sobre a veracidade da ocorrência, conta-se que Galileu soltou duas

KCOTSNIT
bolas de ferro de massas bem distintas do alto da torre de Pisa para comprovar sua

ideia sobre um valor único de aceleração de queda para todos os corpos, indepen-
t  0,1 s

AL/ECRUOS
t  0,2 s
dentemente do valor da massa de cada um.

Séculos mais tarde, em 1971, quando a missão norte-americana Apollo 15 che-

gou à Lua, um dos astronautas foi filmado soltando um martelo de uma das mãos e

ECNEICS/DRAWE HTENNEK
t  0,4 s

uma pena da outra, para que todos, pela televisão, pudessem acompanhar a verifi-

cação da teoria de Galileu sobre a queda dos corpos.

Aceitando o fato de que todos os corpos caem no vácuo com a mesma aceleração,

a próxima questão é: qual é o valor dessa aceleração nas proximidades da Terra?

Experimentos realizados em tubos de vácuo acoplados a uma máquina fotográ-

8991
fica permitem dimensionar a aceleração escalar de queda de um corpo qualquer.

ed
A figura 3 representa um desses experimentos, no qual o corpo percorre aproxima-

4,9 m

orierevef
damente 4,9 m em 1 s. Observe:

ed
1 1

91
  

s  s  v t  t V 4,9  0  0 1  a 1  a  9,8 m/s


0 0

ed
 

016.9
ieL
Assim, desprezando a resistência do ar, corpos soltos próximos à superfície

e
da Terra caem em queda livre, com aceleração escalar aproximadamente igual a

laneP

9,8 m/s . Esse valor de aceleração é conhecido como aceleração da gravidade

ogidóC od
e é indicado pela letra g. Na resolução de muitos problemas, atribui-se a g o valor

aproximado de 10 m/s

481
.trA
.adibiorp
t  1 s

O movimento de queda livre é uniformemente variado (MRUV), com aceleração

escalar ual ao valor da acelera ão da ravidade terrestre:  Foto estroboscópica

oãçudorpeR
 da queda de uma esfera realizada

g . 9,8 m/s

em intervalos constantes de

tempo. O aumento da distância

percorrida a cada intervalo de

tempo caracteriza um movimento

acelerado.

QUESTÕES RESOLVIDAS

R1 Despreze a resistência do ar e calcule o tempo de queda de uma pedra

abandonada de uma altura de 0 m em relação ao solo.

(Dado: g  10 m/s )

Resolução

Vamos considerar uma trajetória vertical orientada positivamente para

baixo, com a origem coincidindo com o ponto inicial da queda. Dessa for-

ma, a aceleração da gravidade, por ter o mesmo sentido que a orientação

da trajetória, será considerada positiva.

0 v = 0
Aplicando a função horária do espaço do MRUV, temos:
0
OCCES

1 1
 

s  s  v  a V    1 V
0 0
NOSL

 

g
DA

V 0  5t  t   s

Portanto, o tempo de queda, nesse caso, é igual a  s.

54
R2 Qual é a velocidade com que uma pedra abandonada de uma altura de

45 m atinge o solo? (Despreze a resistência do ar e suponha g 10 m/s .)

Resolução

Podemos resolve r a que s t ão p or me i o da e q ua ç ã o de Torr ic elli,

v  v  as. Pa r a t a n t o, consideramos a trajetória orientada po-


0

s i t i va m e n t e para b a i x o, de modo que o sinal da aceleração da gra-

vidade seja p o s i t i v o.

   

v v  as V v 0   10 45 V v 900
0

v  0 m/s

Portanto, a pedra atinge o solo com velocidade escalar de 0 m/s.

R3 Da janela do 8 andar, a 0 m de altura, uma pessoa lança uma esfera ver-

ticalmente para baixo com velocidade escalar de 10 m/s. Depois de quanto

tempo a esfera lançada terá percorrido a metade da distância até o solo?

Resolução

Vamos orientar a trajetória positivamente para baixo, com a origem coin-


.8991

cidindo com o ponto de lançamento, de modo que s  0 m e a velocidade


0
ed

escalar inicial e a aceleração da gravidade tenham sinais positivos.


orierevef

A função horária do espaço no MUV permite escrever:

OIBUR
ed

1
 

ZIUL
s  s  v t  at V 15  0  10t  5t V
91

0 0


ed
016.9

V t  t   0  t   s ou t  1 s
ieL
e
laneP

v
0
Portanto, depois de 1 s (pois a solução t   não convém para a reso-
ogidóC od

lução do problema), a esfera terá percorrido a metade da distância até

g
o solo. Vale observar que o tempo necessário para ela percorrer toda
30 m
481

a distância de 0 m (dobro de 15 m) não é igual a  s (dobro de 1 s),


.trA

como se pode perceber pelo cálculo:


.adibiorp

s  s  v t  at V
0 0


oãçudorpeR

V 0  0  10t  5t V

V t  t 6  0  t . 1,64 s

Lembre-se: resolva as questões no caderno.


QUESTÕES PROPOSTAS

(Sempre que necessário, considere g 10 m/s .) b) a velocidade escalar com que a pedra atinge

o solo;
o

1 Distraidamente, o morador do 7 andar de um

c) a altura, em relação ao solo, em que a pedra

prédio deixa cair a carteira, que  s mais tarde

estava  s após ter iniciado a queda;

atinge o solo, 0 m abaixo. Desconsidere o atrito

d) a distância que a pedra havia percorrido

com o ar e responda: o movimento de queda da

quando sua velocidade instantânea era igual

carteira foi uma queda livre? Justifique.

a 15 m/s.

2 Uma pequena pedra despenca do 8 andar de


3 Lançando um objeto verticalmente para baixo

um edifício, a 1,5 m do solo. Desprezando a


com velocidade escalar
r ve-

resistência do ar, calcule:


locidade escalar ao atingir o solo, 0 m abaixo do

ponto de lançamento? Despreze o atrito com o ar.


a) o tempo que a pedra demora para atingir o

solo; (Utilize: 664 . 5,8

55
4 Um corpo em queda livre, a partir do repouso, percorre certa distância

d nos dois primeiros segundos da queda. Qual é a distância que o corpo

percorrerá nos  s seguintes?

5 Durante uma ventania, um vaso cai da janela do  an-

dar de um pr dio, a 11,5 m de altura; enquanto isso,

uma pessoa caminha em direção ao prédio com velo-

cidade escalar constante de 1,5 m/s.

11,25 m

Despreze a resistência do ar e calcule a distância ini-

cial entre a pessoa e a base do prédio para que o vaso

caia no chão rente aos pés da pessoa.

6 Um objeto cai de uma altura e demora  s para che-

gar ao solo. Desprezando a resist ncia do ar, calcule o

tempo que o objeto demoraria para atingir o solo caso

osse solto de uma altura igual a x

7 (UEL-PR) Para calcular a altura de uma onte sobre o leito de um rio,

um garoto abandonou uma pedra da ponte, a partir do repouso, e mediu

o tempo transcorrido até que ela atingisse a superfície da água. Conside-

.8991
rando a aceleração da gravidade igual a 10 m/s e sabendo ue o tem o

de queda da pedra foi de , segundos, pode-se afirmar que a altura da

ed
orierevef
onte, em metros, é um valor róximo de:

a 16 c  e 48

ed
91
b) 0 d) 4

ed
016.9
ieL
OCCES

e
laneP
NOSL
3 Lançamento vertical para cima

ogidóC od
DA
Um objeto lançado verticalmente para cima, com determinado valor de velocidade

481
escalar, sobe, diminuindo, a cada segundo, o valor de sua velocidade escalar de 9,8 m/s,

.trA
.adibiorp
para na altura máxima, inverte o sentido de seu movimento e passa a descer aceleran-

do, aumentando, a cada segundo, o valor de sua velocidade escalar de 9,8 m/s, como

oãçudorpeR
mostra a figura 4. Nessa situação, desconsideramos a resistência do ar.

v = 0 m/s

v = 0 m/s

 A velocidade escalar de um objeto lançado verticalmente para o

alto inverte de sentido no ponto mais alto da trajetória.

Portanto, o sentido da velocidade escalar do objeto é invertido durante o trajeto,

h
mas o sentido da aceleração da gravidade é sempre o mesmo: para baixo. Por isso,

convém estabelecer claramente o sentido da orientação da trajetória na resolução

das situações-problema que envolvam lançamento vertical. v

Vamos considerar, por exemplo, uma pedra lançada verticalmente para cima,

a partir do solo, com velocidade escalar igual a v . Orientando a trajetória positi-


0

t = 0 s

vamente para cima e fazendo coincidir a origem com o ponto do qual a pedra foi
0

lançada (fig. 5), temos os seguintes dados para o problema:

v  0 a  g  0 Figura 5

56
Se a velocidade escalar é maior que zero e a aceleração da gravidade é menor

que zero, podemos afirmar que o movimento de subida da pedra é uniformemente

variado (MRUV) e retardado.

Como o módulo da aceleração da gravidade é o mesmo tanto na subida quanto

na descida, o tempo gasto pelo móvel para subir será o mesmo que levará para des-

cer. Em outras palavras, para atingir a altura máxima e lá parar, invertendo o sentido

de seu movimento, o corpo perde o mesmo valor de velocidade escalar que ganha

ao descer.

Assim, com essa orientação de trajetória, podemos ressaltar:

No lançamento vertical para cima sem resistência do ar, durante a subida

temos MRUV retardado até a altura máxima, ponto em que a velocidade se

anula. Durante a descida, temos MRUV acelerado. Nesse movimento, o tem

po de subida é igual ao tempo de descida.

QUESTÕES RESOLVIDAS
.8991

 

R4 Duas pedras, A e B, de massas, respectivamen- V 10  0  15t 5t t t    0


ed
orierevef

te, 1 kg e  kg, foram lançadas verticalmente

t  1 s e t   s
para cima, ambas com velocidades escalares de
ed
91

15 m/s. Desprezando a resistência do ar e ado


ed

 Portanto, as pedras atingiram duas vezes

tando g  10 m/s , responda:


016.9

a altura de 10 m. A primeira vez, durante a

a Qual das duas pedras atingiu a maior altura


ieL

subida, 1 s após o lançamento, e a segunda


e
laneP

em relação ao solo?

vez, na descida,  s após o lançamento.


ogidóC od

b) Qual a altura máxima, em relação ao solo,

Observação: O tempo decorrido para que a

atingida pelas pedras?

pedra atinja o ponto mais alto da trajetória


481

c) Em quais instantes as pedras atingiram a al-

pode ser calculado de várias maneiras. Uma


.trA

tura de 10 m em relação ao solo?

delas é pela média aritmética entre os valo-


.adibiorp

res dos intervalos de tempo correspondentes

Resolução
oãçudorpeR

à altura de 10 m. Assim:

a) As duas pedras atingiram a mesma altura em

relação ao solo, uma vez que foram lançadas

t   t  1,5 s
( alto) ( alto)

com a mesma velocidade. As massas diferen-

tes não interferiram na altura.

b) Vamos aplicar a equação de Torricelli, orien t = 1,5 s

tando a trajetória positivamente para cima e


t = 1 s t = 2 s

OCCES

fazendo coincidir a origem com o solo.

 
v
v  v  as
NOSLIDA

Como a velocidade do corpo é nula no ponto

11,25 m

10 m
mais alto, temos:

0  15   ( 10)s V 0s  5

   11,5 m

Portanto, a altura máxima atingida pelas pe-


R5 Um objeto foi l a n ç a do ve r t i ca l me nt e a ra

dras foi de 11,5 m.


cima, a partir do s ol o, com ve l o c id a de e sc a la r

de 1 m/s. Cons trua os gráficos v  t e s  t

c) Respeitando a orientação adotada anterior-

do movimento do obj e t o de s de o inst a n t e do

mente, vamos aplicar a função horária do es-

lançamento até o instante em q ue ele r e tor na

paço no MRUV.

ao solo, adotando g  10 m/s e desprez ando a

1
 

s  s  t  at V s  0  15t 5t V resistência do ar.


0 0

57
Convém observar que o tempo de subida é
Resolução

igual a 1, s, metade do tempo total de percur-

Vamos adotar a trajetória orientada positiva

so. O gráfico, sempre decrescente, mostra que,

mente para cima e a origem coincidindo com o

até 1, s, a velocidade diminuiu de valor, mas

solo. Nessas condições, temos as seguintes fun-


que, entre 1, s e ,4 s, aumentou de valor, po-

ções horárias para o movimento descrito:


rém no sentido oposto ao definido pela orien

tação da trajetória.

v  v  at  v  1 10t
t (SI)
0
O gráfico s  t desse movimento é uma parábola

que corta o eixo horizontal em dois valores: em

1 
 t 0 s e em t ,4 s. O vértice da parábola cor-
s  s  v t  at  s  1t 5t (SI)
0 0

responde ao ponto de maior altura do percurso,

isto é, ao instante t  1, s. A altura máxima pre-

Ao retornar ao solo, o objeto terá velocidade


cisa ser determinada e, para isso, podemos apli-

escalar de módulo igual àquela com que foi


car a equação de Torricelli:

lançado, porém com sinal negativo, uma vez


v  v  as V 0  1   ( 10)s
0

que percorre a trajetória no sentido contrário

ao estabelecido para sua orientação. Isso per-  s 7, m

mite determinar o tempo total do percurso do

Ou podemos aplicar t  1, s na função horária

objeto:

da posição do objeto:

.8991
 

v  v  at V 1  1 10t  t  ,4 s s  1t 5t V s  1 1, 5(1,)


0

ed
orierevef
 s  7, m
Assim, o gráfico v  t do movimento do objeto

tem o seguinte formato:

ed
Logo, o gráfico  t é:

91
ed
v (m/s)

016.9
s (m)

12

ieL
2
OCCES

e
laneP
2,4

ogidóC od
NOSLIDA

0 1,2 t (s)
SEÕÇARTSULI

481
.trA
–12

0 1,2 2,4 (s)

.adibiorp
oãçudorpeR
Já sabe responder?

É p oss vel uma m eda acel rar ma s do que um

automó el sport vo?


KCOTSRETTUHS/VOLA

ARTSEILA
ODRAUDE TNAS
TRA VONOK

58
Lembre-se: resolva as questões no caderno.
QUESTÕES PROPOSTAS

8 Uma pedra é lan ada para cima com velocida- De acordo com o gráfico, responda:

de escalar de 6 km/h, num local, aqui na Ter-


a) Qual foi a velocidade escalar de lançamento?

ra, onde é possível desprezar a resistência do ar.

b) Qual é o valor de ?

Quais são os valores da velocidade e da acelera-

ção escalar
r da pedra no ponto mais alto? (Adote 14 Do alto de uma torre de 60 m de altura foi lan-

g  10 m/s .)
çada uma pedra verticalmente para cima com

velocidade escalar de 0 m/s, que, na descida,

9 Com qual valor de velocidade escalar


r devemos

caiu no chão, no pé da torre. Despreze a resis-

lançar uma pedra verticalmente para cima para

tência do ar, adote g  10 m/s e calcule:

que ela atinja a altura máxima de 1 m? Despreze

a resistência do ar e adote g  10 m/s a) o tempo total que a pedra demorou no ar a par-

tir do momento em que foi lançada até atingir

10 Um pequeno projétil é atirado verticalmente

o solo;

para cima e após 5 s volta à posição da qual

foi lançado. Desprezando a resistência do ar e b) a altura m xima, em relação ao solo, atingida

adotando g  10 m/s , calcule: pela pedra.

a) a velocidade escalar de lançamento do projétil;

15 Joaquim estava catando goiabas, apoiado em

b) a altura máxima atingida pelo projétil.

um galho a ,5 m do chão, quando resolveu lan-


.8991

çar verticalmente para cima uma goiaba com

11 A partir do chão, Álvaro lançou uma maçã ver-


ed

velocidade escalar de 16 m/s, para que ela, na


ticalmente para cima com velocidade escalar de
orierevef

descida, caísse no chão e se espatifasse. Despre-


10 m/s. Helena, em uma janela a  m de altura,

zando a resistência do ar e adotando g  10 m/s


ed

apanhou a maçã quando ela já estava descendo.


91

calcule:
Quanto tempo demorou do lançamento até que
ed
016.9

a maçã:
a) o tempo decorrido entre o momento de lança-
ieL

a) atingisse o ponto mais alto de sua trajetória?


mento da goiaba e o momento em que ela se
e
laneP

espatifou no chão;
b) fosse apanhada por Helena?
ogidóC

(Despreze a resistência do ar e adote g  10 m/s .)

b) a velocidade escalar da goiaba quando passava


od

por um ponto situado na metade da altura má-


12 Um corpo foi lançado verticalmente para cima
481

xima atingida por ela em relação ao chão.


com uma vel escalar inicial de 0 m/s e,
.trA
.adibiorp

após 5 s, foi apanhado por uma pessoa. Despre-

16 (Mackenzie-SP) Ao parar em um cruzamento


zando a resistência do ar e adotando g  10 m/s

entre duas avenidas, devido ao semáforo ter


oãçudorpeR

construa os gráficos:

mudado para vermelho, o motorista de um au-

a) v  t do corpo durante todo o movimento;


tomóvel vê um menino malabarista jogando

b) s  t  bolas verticalmente para cima, com uma das

altura máxima atingida pelo corpo e a altura mãos. As bolas são lançadas uma de cada vez,

em que ele estava quando foi apanhado pela


de uma mesma altura em relação ao solo, com

pessoa.
a mesma velocidade inicial e imediatamente

após lançar a  bola, o menino pega de volta

13 O gráfico abaixo representa o movimento de um

a 1 bola.

corpo lançado verticalmente para cima numa

região onde a aceleração da gravidade é igual O tempo entre os lançamentos das bolas é sem

10 m/s e a resistência do ar pode ser desprezada. pre igual a 0,6 s. A altura máxima atingida pelas

bolas é de:

s (m)

(Dado: aceleração da gravidade = 10 m/s )


OCCES

a) 90 cm
H

b) 180 cm
NOSLIDA

c) 40 cm

d) 00 cm

0 0,8 1,6 t (s)

e) 60 cm

59
Investigar

Atividade experimental

é preciso

O deslocamento no MRUV S10

No Suplemento voc

encontra orientações para


O objetivo desta atividade é verificar como o deslocamento varia com o tempo em

trabalhar com esta atividade

um movimento sujeito à aceleração escalar constante. Para isso, você vai construir uma
experimental.

pista com dois cabos de vassoura. Certifique-se de que os cabos são lisos, que não apre-

sentam nenhum obstáculo ao movimento (pregos, farpas na madeira etc.). Você tam-

bém vai precisar de uma bolinha e de um tijolo ou um pedaço de madeira para elevar a

pista (veja a figura a seguir). Essa elevação deve ser pequena para que a bola não ad -

quira uma velocidade escalar muito grande, o que dificultaria a marcação do tempo.

Materiais

 Dois cabos de v
vassoura, tijolo ou pedaço de madeira, fita adesiva, bolinha de gude

ou de borracha, fita métrica ou trena, cronômetro, régua e papel milimetrado.


CEIWIS

cabos de vassoura
bolinha

fita adesiva
ODRACIR

tijolo

Procedimento

1 Junte os dois cabos de vassoura de maneira que suas extremidades fiquem

alinhadas e fixe-os com fita adesiva. A pista está pronta e a bolinha deve

correr no vão formado pela união dos dois cabos (veja a figura).

2 Marque, na pista, com fita adesiva, distâncias proporcionais a quadrados

inteiros: 1, 4, 9 e 16. Por exemplo, se a primeira marcação estiver a 7 cm da

origem, a segunda deve estar a 8 cm, a terceira, a 6 cm, e a quarta, a 11 cm.

Os cabos de vassoura têm aproximadamente 10 cm, portanto você conse-

guirá quatro medidas de tempo.

3 Apoie a pista no tijolo ou no pedaço de madeira.

4 Faça no caderno uma tabela para anotar os tempos de cada trecho. Veja o

mo elo ao la o.

5 Construa um gráfico da posição  tempo no papel milimetrado.

8

6 Procure repetir o experimento pelo menos duas vezes para confirmar os

dados obtidos.
63

Questões

1 Os tempos gastos pela bolinha entre cada marcação são iguais?

2 Os pontos marcados no gráfico sugerem algum tipo de curva conhecida?

Que tipo de função é representada no gráfico da posição  tempo para o

movimento?

3 Determine o valor da aceleração escalar da bolinha e a função horária do

espaço para o movimento por meio da análise dos pontos do gráfico.

4 Você pode filmar o movimento da bolinha com uma câmera de celular e

transferir o arquivo do filme para um computador. Os reprodutores de mí-

dia do sistema operacional permitem que você analise o filme com riqueza

de detalhes, fornecendo os intervalos de tempo com maior precisão.

60
Para pesquisar

Será verdade mesmo que...

em grupo

S11
... a Terra gira ao redor do Sol?

O Suplemento apresenta orien-

tações para o trabalho com

Embora essa pergunta possa ser respondida imediatamente “Sim, é verdade

esta atividade.

mesmo que a Terra gira em torno do Sol”, durante muitos séculos acreditou-se que a

Terra estava no centro do Universo. Essa ideia era, de certa forma, confirmada elo

caminho (trajetória) feito pelos planetas e pelas estrelas no céu noturno. O objetivo

deste trabalho em grupo é explorar o conceito de referencial discutido na unidade.

Para isso, o grupo deve comparar as trajetórias dos planetas considerando dois sis-

temas de referência: em um deles, a Terra está no centro do Sistema Solar, conhe-

cido como sistema geocêntrico, e no outro, chamado de sistema heliocêntrico, o

Sol ocupa essa posição central.

EUQUD
AIGIL

Representação esquemática

do sistema eocêntrico.

Questões para discussão em grupo

1 Pesquise o significado da palavra planeta e explique-o.

2 Faça duas representações do Sistema Solar em duas folhas de papel. Numa

delas, coloque o Sol no centro do sistema e, na outra, coloque a Terra no centro

e desenhe o Sol girando em torno da Terra, junto com os demais planetas. Que

tipo de trajetória os planetas e as estrelas deveriam seguir quando observados

no sistema de referência geocêntrico? E no caso do sistema heliocêntrico?

Socialize

Proponha as duas questões anteriores para, pelo menos, uma pessoa da família.

Compare as respostas obtidas com as suas. São respostas semelhantes ou to-

talmente diferentes? Se forem diferentes, em que diferem? Utilize a linguagem

adequada e produza um texto na forma de reportagem de um jornal televisivo,

expondo as opiniões colhidas e a do grupo. Argumente a favor e contra os mo-

delos geocêntrico e heliocêntrico.

De acordo com a orientação do professor, leia a reportagem para seus colegas e

ouça a avaliação que fizerem.

61

Você também pode gostar