Você está na página 1de 3

DUE DILLIGENCE

quais foram seus proprietários,

licenças ambientais expedidas,

possíveis processos judiciais,

dentre outras evidências.

caracterização e diagnóstico ambiental do imóvel através do procedimento de

Investigação de Passivo Ambiental, o qual será realizado através de vistorias in loco a

fim de observar o seu estado de preservação, averiguação da destinação de resíduos e

evidências de possível contaminação, sendo que se for necessário, poderão ser

realizadas análises químicas (laboratoriais) de solo e água subterrânea.

os resultados obtidos com a investigação devem ser considerados na avaliação

do projeto do negócio.

O que deve ter?

implicações da investigação realizada,

os riscos envolvidos, a estimativa de custos de remediações, bem como

sugestões para a redução do risco e seus efeitos.

Este conteúdo pode ser compartilhado na íntegra desde que,

obrigatoriamente, seja citado o link:

https://www.migalhas.com.br/depeso/321696/due-diligence-ambiental-e-sua-

importancia-nas-transacoes-comerciais

A aplicabilidade da due diligence ambiental é explorar, por meio de uma staff

multidisciplinar, abrangendo técnicos e advogados especializados na área de direito

ambiental, todos os pontos da gestão ambiental de uma empresa, examinando as

questões positivas, bem como, os riscos da negociação almejada, com fundamento no

relatório/parecer e em vistoria ambiental in loco, com o objetivo de confirmar se, de


fato, inexistem passivos ambientais a serem regularizados, de modo a evitar a

responsabilização ambiental civil de reparação de dano.

Vale destacar que o passivo ambiental de uma empresa influenciará

diretamente em sua valoração econômica no mercado. Razão pelo qual, há um

crescente na avaliação de riscos nas transações comerciais, o que explica a entrada de

novos players no mercado brasileiro, que tem a função primordial de minimizar

riscos.   

Para cada transação negocial deve ser apresentado um check list, o que varia

para cada auditoria / empresa, contendo informações e documentos, que darão início

a diligência. Após a construção da análise descritiva dos documentos disponibilizados,

as equipes avaliarão os dados relatados de forma a identificar os pontos críticos

eventualmente existentes em relação à questão ambiental que possam impactar a

operação, gerando um relatório / parecer conclusivo para apresentação ao cliente.

O relatório final apontará os problemas identificados (tais como impactos e

riscos não mitigados adequadamente, ou problemas relacionados com a qualidade,

forma ou conteúdo dos estudos analisados, entre outros) e recomendará às medidas

e providências a serem adotadas para corrigir as deficiências identificadas. Desse

modo, amparará a confecção dos instrumentos definitivos para concretização da

operação, sendo fator determinante para a negociação e, consequentemente, para o

sucesso da operação.

FASES DA DUE DILLIGENCE AMBIENTAL

FASE 1- Revisar todos os documentos da área (a situação legal dos arredores é

igualmente pesquisada)
FASE 2- mostra de solo, água, ar ou outro elemento para exames em

laboratório, se preciso,

A avaliação de Due Diligence auxiliam os investidores e gestores a


compreenderem os riscos complexos decorrentes de fatores sociais,
ambientais, saúde, segurança. A partir de dados concretos, é possível tomar
decisões assertivas, tornando um projeto ou um empreendimento
financeiramente sustentável.

 Avaliação de operações, aquisições e fusões.


 Identificação de potencias passivos e cenários de risco.
 Elaboração de plano de ação e remediação.

buscam identificar e avaliar as responsabilidades ambientais tais como: não


cumprimento das leis ambientais; contaminação de água, solo; contaminação de
pessoas; trabalho escravo entre outros. Portanto, o papel de uma Due
Diligence Ambiental é obter uma estimativa dos passivos ambientais, visto que o valor
das desconformidades verificadas pode influenciar o valor final de uma transação de
compra e venda de empresas ou de um projeto. https://www.sgsgroup.com.br/pt-
br/news/2017/10/due-diligence

Você também pode gostar