Você está na página 1de 128

www.professorferretto.com.

br
ProfessorFerretto ProfessorFerretto

Brasil Colonial
H0197 - (Enem) Texto I H0198 - (Ifmg) TEXTO 1
Documentos do século XVI algumas vezes se referem
aos habitantes indígenas como “os brasis”, ou “gente
brasília” e, ocasionalmente no século XVII, o termo
“brasileiro” era a eles aplicado, mas as referências ao
status econômico e jurídico desses eram muito mais
populares. Assim, os termos “negro da terra” e “índios”
eram utilizados com mais frequência do que qualquer
outro.
SCHWARTZ, S. B. Gente da terra braziliense da nação. Pensando o
Brasil: a construção de um povo. In: MOTA, C. G. (Org.). Viagem
Incompleta: a experiência brasileira (1500-2000).
São Paulo: Senac, 2000 (adaptado).

Texto II
Índio é um conceito construído no processo de
conquista da América pelos europeus. Desinteressados
pela diversidade cultural, imbuídos de forte
preconceito para com o outro, o indivíduo de outras TEXTO 2
culturas, espanhóis, portugueses, franceses e anglo- “A ciência e a arte, dentro de um processo intrincado,
saxões terminaram por denominar da mesma forma fabricavam realidades mitológicas que tiveram, e ainda
povos tão díspares quanto os tupinambás e os astecas. têm vida prolongada e persistente”.
SILVA, K. V.; SILVA, M. H. Dicionário de conceitos históricos. São COLI, Jorge. A invenção da descoberta. In: Como estudar arte
Paulo: Contexto, 2005. brasileira no século XIX? São Paulo: Senac, 2005, p. 23.

Ao comparar os textos, as formas de designação dos Sobre os documentos referentes ao Descobrimento do


grupos nativos pelos europeus, durante o período Brasil e à arte produzida no século XIX, é correto
analisado, são reveladoras da afirmar que
a) concepção idealizada do território, entendido como a) ignoram a participação dos indígenas no processo de
geograficamente indiferenciado. formação da identidade nacional.
b) percepção corrente de uma ancestralidade comum b) derrubam uma imagem hierarquizada do encontro
às populações ameríndias. das etnias que formaram a nação brasileira.
c) compreensão etnocêntrica acerca das populações c) consolidam uma visão da colonização marcada pela
dos territórios conquistados. exploração portuguesa das matérias-primas.
d) transposição direta das categorias originadas no d) constroem uma memória pacífica do nascimento da
imaginário medieval. nação fundada sob a égide do catolicismo.
e) visão utópica configurada a partir de fantasias de
riqueza. H0199 - (Unesp) TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Leia o texto e observe o mapa para responder à(s)
questão(ões) a seguir.

Nem existia Brasil no começo dessa história. Existiam o


Peru e o México, no contexto pré-colombiano, mas
Argentina, Brasil, Chile, Estados Unidos, Canadá, não.
No que seria o Brasil, havia gente no Norte, no Rio,

Brasil Colonial 1
depois no Sul, mas toda essa gente tinha pouca relação H0200 - (Unicamp) Na América Portuguesa do século
entre si até meados do século XVIII. E há aí a questão XVI, a política europeia para os indígenas pressupunha
da navegação marítima, torna-se importante aprender também a existência de uma política indígena frente
bem história marítima, que é ligada à geografia. [...] aos europeus, já que os Tamoios e os Tupiniquins
Essa compreensão me deu muita liberdade para ver as tinham seus próprios motivos para se aliarem aos
relações que Rio, Pernambuco e Bahia tinham com franceses ou aos portugueses.
Luanda. Depois a Bahia tem muito mais relação com o (Adaptado de Manuela Carneiro da Cunha, Introdução a uma
história indígena. São Paulo: Companhia das Letras/Fapesp, 1992,
antigo Daomé, hoje Benin, na Costa da Mina. Isso
p. 18.)
formava um todo, muito mais do que o Brasil ou a
América portuguesa. [...]
Com base no excerto e nos seus conhecimentos sobre
Nunca os missionários entraram na briga para saber se
os primeiros contatos entre europeus e indígenas no
o africano havia sido ilegalmente escravizado ou não,
Brasil, assinale a alternativa correta.
mas a escravidão indígena foi embargada pelos
a) A população ameríndia era heterogênea e os
missionários desde o começo, e isso também é um
conflitos entre diferentes grupos étnicos ajudaram a
pouco interesse dos negreiros, ou seja, que a
definir, de acordo com suas próprias lógicas e
escravidão africana predomine. [...] A escravização tem
interesses, a dinâmica dos seus contatos com os
dois processos: o primeiro é a despersonalização, e o
europeus.
segundo é a dessocialização.
b) O fato de Tamoios e Tupiniquins serem grupos
aliados contribuiu para neutralizar as disputas entre
franceses e portugueses pelo controle do Brasil, pelo
papel mediador que os nativos exerciam.
c) Os indígenas, agentes de sua história, desde cedo
souberam explorar as rivalidades entre os europeus e
mantê-los afastados dos seus conflitos interétnicos,
anulando o impacto da presença portuguesa.
d) As etnias indígenas viviam em harmonia umas com
as outras e em equilíbrio com a natureza. Esse quadro
foi alterado com a chegada dos europeus, que
passaram a incentivar os conflitos interétnicos para
estabelecer o domínio colonial.

H0201 - (Unesp) O dia em que o capitão-mor Pedro


Álvares Cabral levantou a cruz [...] era a 3 de maio,
(Luiz Felipe de Alencastro. Entrevista a Mariluce Moura. “O quando se celebra a invenção da Santa Cruz em que
observador do Brasil no Atlântico Sul”. In: Revista Pesquisa Cristo Nosso Redentor morreu por nós, e por esta
Fapesp, no 188, outubro de 2011.) causa pôs nome à terra que se encontrava descoberta
de Santa Cruz e por este nome foi conhecida muitos
O texto estabelece a formação do Brasil a partir da anos. Porém, como o demônio com o sinal da cruz
navegação marítima, o que implica reconhecer a perdeu todo o domínio que tinha sobre os homens,
importância receando perder também o muito que tinha em os
a) da imposição de uma lógica global de comércio e da desta terra, trabalhou que se esquecesse o primeiro
dissolução das fronteiras entre os territórios nome e lhe ficasse o de Brasil, por causa de um pau
colonizados na América. assim chamado de cor abrasada e vermelha com que
b) do domínio colonial de Portugal sobre o litoral tingem panos [...].
africano e da intermediação espanhola no tráfico (Frei Vicente do Salvador, 1627. Apud Laura de Mello e Souza. O
escravagista. Diabo e a Terra de Santa Cruz, 1986. Adaptado.)
c) do controle das rotas marítimas por navegadores O texto revela que
italianos e da conformação do conceito geográfico de a) a Igreja católica defendeu a prática do extrativismo
Ocidente. durante o processo de conquista e colonização do
d) da constituição do espaço geográfico do Atlântico Brasil.
Sul e da relação estabelecida entre os continentes b) um esforço amplo de salvação dos povos nativos do
americano e africano. Brasil orientou as ações dos mercadores portugueses.
e) do surgimento do tráfico de africanos escravizados e c) os nomes atribuídos pelos colonizadores às terras do
das relações comerciais do Brasil com a América Novo Mundo sempre respeitaram motivações e
espanhola. princípios religiosos.
2

Brasil Colonial 2
d) o objetivo primordial da colonização portuguesa do Considerando a história indígena no Brasil, a principal
Brasil foi impedir o avanço do protestantismo nas ideia contida no segmento é
terras do Novo Mundo. a) negação da conquista europeia na América, em
e) uma visão mística da colonização acompanhou a 1500.
exploração dos recursos naturais existentes nas terras b) ausência de transformação social nas sociedades
conquistadas. ameríndias.
c) exclusão dos povos americanos da história ocidental.
H0202 - (Mackenzie) “(...) Neste dia, a horas de d) estagnação social do continente sul-americano após
véspera, houvemos vista de terra! Primeiramente dum a chegada dos europeus.
monte, mui alto e redondo; e doutras serras mais e) continuidade histórica do contato cultural entre
baixas ao sul dele; e de terra chã, com grandes ocidentais e indígenas.
arvoredos: ao monte alto o capitão pôs o nome – o
Monte Pascoal, e à terra – a Terra de Vera Cruz.” H0204 - (Unesp) TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
CAMINHA, Pero Vaz de. “Carta. In: Freitas a el -rei D. Manuel”.In FREITAS, Leia o texto para responder à(s) questão(ões) a seguir.
Gustavo de. 900 textos e documentos de história. Lisboa: Plátano, 1986. V.
II, p. 99-100. Em 1500, fazia oito anos que havia presença europeia
no Caribe: uma primeira tentativa de colonização que
O texto acima é parte da carta do escrivão, Pero Vaz de ninguém na época podia imaginar que seria o prelúdio
Caminha, tripulante a bordo da armada de Pedro da conquista e da ocidentalização de todo um
Álvarez Cabral, ao rei português D. Manuel, narrando o continente e até, na realidade, uma das primeiras
descobrimento do Brasil. Essa expedição marítima etapas da globalização.
pode ser entendida no contexto socioeconômico da A aventura das ilhas foi exemplar para toda a América,
época, como uma espanhola, inglesa ou portuguesa, pois ali se
a) tentativa de obtenção de novas terras, no desenvolveu um roteiro que se reproduziu em várias
continente europeu, para ceder aos nobres outras regiões do continente americano: caos e
portugueses, empobrecidos pelo declínio do esbanjamento, incompetência e desperdício,
feudalismo, verificado durante todo o século XIV. indiferença, massacres e epidemias. A experiência
b) consolidação do poder da Igreja junto às Monarquias serviu pelo menos de lição à coroa espanhola, que
ibéricas, interessada tanto em reprimir o avanço tentou praticar no resto de suas possessões
mulçumano no Mediterrâneo, quanto em cristianizar americanas uma política mais racional de dominação e
os indígenas do Novo Continente. de exploração dos vencidos: a instalação de uma Igreja
c) busca por ouro e prata no litoral americano, para poderosa, dominadora e próxima dos autóctones,
suprir a escassez de metais preciosos na Europa, o que assim como a instalação de uma rede administrativa
prejudicava a continuidade do comércio com o densa e o envio de funcionários zelosos, que evitaram
Oriente. a repetição da catástrofe antilhana.
(Serge Gruzinski. A passagem do século: 1480-1520: as origens da
d) conquista do litoral brasileiro e sua ocupação,
globalização, 1999. Adaptado.)
garantindo que a coroa portuguesa tomasse posse dos
territórios a ela concedidos, pelo Tratado de “A instalação de uma Igreja poderosa, dominadora e
Tordesilhas, em 1494. próxima dos autóctones” contribuiu para a dominação
e) tomada oficial das terras garantidas a Portugal, pelo espanhola e portuguesa da América, uma vez que os
acordo de Tordesilhas, e o controle exclusivo religiosos
português da rota atlântica, dando-lhes acesso ao a) mediaram os conflitos entre grupos indígenas rivais
lucrativo comércio de especiarias. e asseguraram o estabelecimento de relações
amistosas destes com os colonizadores.
H0203 - (Ufrgs) Leia o segmento abaixo, do escritor b) aceitaram a imposição de tributos às comunidades
indígena Ailton Krenak. indígenas, mas impediram a utilização de nativos na
Os fatos e a história recente dos últimos 500 anos têm agricultura e na mineração.
indicado que o tempo desse encontro entre as nossas c) toleraram as religiosidades dos povos nativos e assim
culturas é um tempo que acontece e se repete todo conseguiram convencê-los a colaborar com o avanço
dia. Não houve um encontro entre as culturas dos da colonização.
povos do Ocidente e a cultura do continente americano d) rejeitaram os regimes de trabalho compulsório, mas
numa data e num tempo demarcado que pudéssemos estimularam o emprego de mão de obra indígena em
chamar de 1500 ou de 1800. Estamos convivendo com obras públicas.
esse contato desde sempre. e) desenvolveram missões de cristianização dos nativos
KRENAK, Ailton. O eterno retorno do encontro. In: NOVAES, Adauto (org.).
e facilitaram o emprego de mão de obra indígena na
A outra margem do Ocidente. São Paulo: Funarte, Companhia das Letras,
1999. p. 25. empresa colonial.
3

Brasil Colonial 3
H0205 - (Uefs) TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: H0207 - (Ufu) Refiro-me à destruição que pudemos
Leia o excerto para responder à(s) questão(ões) a fazer da grande (20x40 metros) e velha maloca taracuá
seguir. [...] Sabe V. Rvma. que para o índio a maloca é cozinha,
O “coração” econômico da época, Veneza, tem cada dormitório, refeitório, tenda de trabalho, lugar de
vez mais dificuldades em assegurar a competitividade reunião na estação de chuvas e sala de dança nas
de seus produtos. Em 1504, os navios venezianos já grandes solenidades. [...] A maloca é também, como
quase não encontram pimenta em Alexandria. As costumava dizer o zeloso dom Bazola, a “casa do
especiarias desta proveniência se revelam muito mais diabo”, pois que ali se fazem as orgias infernais,
caras do que as que são encaminhadas da Índia maquinam-se as mais atrozes vinganças contra os
portuguesa: a pimenta embarcada pelos portugueses brancos e contra outros índios...
em Calicute é quarenta vezes menos onerosa do que a Monsenhor Pedro Massa, início século XX. In: ZENUN, K. H. e
que transita por Alexandria. ADISSI, V. M. A. Ser índio hoje: a tensão territorial. 2. ed. São
Paulo: Loyola, 1999, p. 70. (Adaptado).
(Jacques Attali. 1492, 1991. Adaptado.)

O início da colonização efetiva do Brasil por Portugal, Com a chegada dos europeus ao continente
historicamente condicionado pelos fatos referidos pelo americano, teve início a subjetivação da figura do índio,
excerto, delineando-se, gradativamente, a imagem do nativo
a) teve início assim que os navegadores chegaram às ocioso, preguiçoso, indisciplinado e desorganizado.
novas terras. Esse ponto de vista atravessou séculos e sobrevive em
b) projetou a hegemonia portuguesa no comércio nossos dias.
atlântico.
c) enriqueceu a Metrópole com a descoberta de metais Dessa maneira, de acordo com a citação, derrubar a
preciosos. maloca seria uma ação necessária, pois a moradia
d) atardou-se devido aos lucros auferidos com o indígena representava o(a)
comércio oriental. a) tradição da cultura pagã que contrariava os planos
e) foi financiado pelos lucros gerados pelo comércio de de conversão e domínio espiritual.
especiarias. b) baluarte de expressão da organização tribal,
influência do contato com a cultura africana.
H0206 - (Ifsul) Observe a imagem. c) símbolo de superioridade da cultura indígena,
quando comparada à europeia.
d) obstáculo que impedia o trabalho de catequese no
espaço conhecido como reduções.

H0208 - (Enem) Os cartógrafos portugueses teriam


falseado as representações do Brasil nas cartas
geográficas, fazendo concordar o meridiano com os
acidentes geográficos de forma a ressaltar uma
suposta fronteira natural dos domínios lusos. O
delineamento de uma grande lagoa que conectava a
bacia platina com a amazônica já era visível nas
primeiras descrições geográficas e mapas produzidos
A imagem acima apresenta o Tratado de Tordesilhas,
por Gaspar Viegas, no Atlas de Lopo Homem (1519),
que foi assinado em 1494 e estabeleceu
nas cartas de Diogo Ribeiro (1525-27), no planisfério de
a) uma linha imaginária traçada a 100 léguas a oeste de
André Homen (1559), nos mapas de Bartolomeu Velho
Cabo Verde, em que as terras a leste pertenceriam aos
(1561).
espanhóis e as terras a Oeste, aos portugueses. KANTOR, Í. Usos diplomáticos da ilha-Brasil: polêmicas
b) uma divisão entre Portugal e Espanha, a partir de cartográficas e historiográficas. Varia Historia, n. 37, 2007
370 léguas a oeste de Cabo verde, em que as terras a (adaptado).
leste ficariam com Portugal e as terras a Oeste, com a
Espanha. De acordo com a argumentação exposta no texto, um
c) uma separação entre França e Inglaterra, das terras dos objetivos das representações cartográficas
do continente americano, sendo as terras ao norte mencionadas era
pertencentes aos ingleses e as terras ao sul, à França. a) garantir o domínio da Metrópole sobre o território
d) um acordo diplomático, assinado no século 18 entre cobiçado.
os países Ibéricos, pela disputa das terras descobertas b) demarcar os limites precisos do Tratado de
com a Expansão Marítima e Comercial Europeia. Tordesilhas.
4

Brasil Colonial 4
c) afastar as populações nativas do espaço demarcado. de ocupação efetiva. […] A atenção da burguesia
d) respeitar a conquista espanhola sobre o Império metropolitana e do governo português estavam
Inca. voltados para o comércio com o Oriente, que desde a
e) demonstrar a viabilidade comercial do viagem de Vasco da Gama, no final do século XV, havia
empreendimento colonial. sido monopolizado pelo Estado português. […] O
desinteresse português em relação ao Brasil estava em
H0209 - (Ifsul) De 1500 a 1530, os portugueses não conformidade com os interesses mercantilistas da
desenvolveram um grande projeto de colonização para época, como observou o navegante Américo Vespúcio,
a sua colônia na América (Brasil). Nesse período, após a exploração do litoral brasileiro, pode-se dizer
ocorreram as expedições de reconhecimentos e as que não encontramos nada de proveito”.
expedições guarda-costas. Berutti, 2004.

A economia, nesse período, Sobre o período retratado no texto, pode-se afirmar


a) deteve-se ao cultivo de café na região do Vale do rio que o(a)
Paraíba. a) desinteresse português pelo Brasil nos primeiros
b) limitou-se ao cultivo de cana-de-açúcar no nordeste anos de colonização, deu-se em decorrência dos
com o trabalho escravo. tratados comerciais assinados com a Espanha, que
c) dedicou-se à extração de metais preciosos, tinha prioridade pela exploração de terras situadas a
sobretudo prata, nas Gerais. oeste de Greenwich.
d) baseou-se na extração do pau-brasil através do b) maior distância marítima era a maior desvantagem
escambo com os nativos. brasileira em relação ao comércio com as Índias.
c) desinteresse português pode ser melhor explicado
H0210 - (Uece) A compreensão cristã do encontro dos pela resistência oferecida pelos indígenas que
portugueses com os primeiros habitantes da América dificultavam o desembarque e o reconhecimento das
teve forte conotação maniqueísta: de um lado estava o novas terras.
bem, simbolizado pelos europeus na sua suposta busca d) abertura de um novo mercado na América do Sul,
pelo paraíso; de outro, o mal, representado pelos ampliava as possibilidades de lucro da burguesia
indígenas e suas práticas diabólicas. metropolitana portuguesa.
e) relativo descaso português pelo Brasil, nos primeiros
Analise as afirmações abaixo acerca dessa trinta anos de História, explica-se pela aparente
compreensão. inexistência de artigos (ou produtos) que atendiam aos
interesses daqueles que patrocinavam as expedições.
I. Tal compreensão foi alimentada por considerações
imprecisas de alguns viajantes que classificavam de H0212 - (Udesc) Leia com atenção o fragmento
“demoníacas” certas práticas culturais dos povos retirado da Carta de Pero Vaz de Caminha.
americanos. “E quando veio ao Evangelho, que nos erguemos todos
II. A leitura das práticas dos povos americanos pelos em pé, com as mãos levantadas, eles [os índios] se
europeus aliou a ideia da conquista de novas terras levantaram conosco e alçaram as mãos, ficando assim,
com o desejo de levar a palavra de Deus àquelas até ser acabado; e então tornaram-se a assentar como
criaturas “demonizadas”. nós. E quando levantaram a Deus, que nos pusemos de
III. O pensamento cristão português dissociava-se das joelhos, eles se puseram assim todos, como nós
ideias e políticas expansionistas; desse modo, a estávamos com as mãos levantadas, e em tal maneira
propagação da fé era desvinculada da empresa sossegados, que, certifico a Vossa Alteza, nos fez muita
marítima. devoção.”
Pero Vaz de Caminha. In: OLIVIERI, A. C. e VILLA, M. A. Crônicas do
descobrimento. São Paulo: Ática, 1999, p. 23.
É correto o que se afirma em
a) I, II e III.
Em relação à Carta de Caminha para o Rei de Portugal,
b) II e III apenas.
pode-se dizer que é:
c) I e III apenas.
a) Uma narrativa que projeta sobre as populações
d) I e II apenas.
nativas uma visão de mundo cristão, como se o Brasil
fosse uma espécie de paraíso edênico.
H0211 - (Espcex) “Os primeiros trinta anos da História
b) Um relato imparcial sobre as populações indígenas,
do Brasil são conhecidos como período Pré-Colonial.
porque o autor narra exatamente o que viu e viveu no
Nesse período, a coroa portuguesa iniciou a dominação
Brasil.
das terras brasileiras, sem, no entanto, traçar um plano
5

Brasil Colonial 5
c) Uma narrativa capaz de identificar a verdadeira H0214 – (Enem) De ponta a ponta, é tudo praia-palma,
essência das populações indígenas brasileiras que já muito chã e muito formosa. Pelo sertão nos pareceu,
conheciam o cristianismo, e traziam no seu íntimo um vista do mar, muito grande, porque, a estender olhos,
conhecimento prévio dos ensinamentos pregados por não podíamos ver senão terra com arvoredos, que nos
Cristo a seus discípulos. parecia muito longa. Nela, até agora, não pudemos
d) Um relato que expressa total ignorância e saber que haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de
despreparo do cronista sobre o caráter dissimulado e metal ou ferro; nem lho vimos. Porém a terra em si é
estratégico das populações indígenas, que desejavam de muito bons ares [...]. Porém o melhor fruto que dela
tão somente ganhar a confiança dos viajantes se pode tirar me parece que será salvar esta gente.
europeus para obter lucros e fazer alianças políticas Carta de Pero Vaz de Caminha. In: MARQUES, A.; BERUTTI, F.;
para derrotar seus inimigos. FARIA, R. História moderna através de textos. São Paulo: Contexto,
2001.
e) Um relato sem valor histórico, pois está marcado por
uma perspectiva eurocêntrica e preconceituosa sobre
A carta de Pero Vaz de Caminha permite entender o
os habitantes nativos do Brasil.
projeto colonizador para a nova terra. Nesse trecho, o
relato enfatiza o seguinte objetivo:
H0213 - (Ifsc) A imagem abaixo apresenta um ritual
a) Valorizar a catequese a ser realizada sobre os povos
antropofágico de um povo indígena do território onde
nativos.
hoje é o Brasil.
b) Descrever a cultura local para enaltecer a
prosperidade portuguesa.
c) Transmitir o conhecimento dos indígenas sobre o
potencial econômico existente.
d) Realçar a pobreza dos habitantes nativos para
demarcar a superioridade europeia.
e) Criticar o modo de vida dos povos autóctones para
evidenciar a ausência de trabalho.

H0215 - (Ifsp) Publicado em Veneza, em 1556, o mapa


abaixo é um dos primeiros a mostrar o Brasil
individualmente. Raro, ele faz parte de uma obra
italiana, Atlas dele navigazione e Viaggi (Atlas de
navegação e Viagens), de Giovanni Battista Ramusio.

Sobre os povos indígenas do Brasil, assinale a


alternativa CORRETA.
a) Os povos indígenas não foram escravizados pelos
portugueses, pois praticavam o escambo.
b) A imagem acima é falsa, pois os indígenas brasileiros
não praticavam a antropofagia. Trata-se de uma pintura da época sobre o Brasil, a qual
c) Todos os povos indígenas brasileiros eram revela pouca preocupação geográfica, mas que nos
amistosos, o que facilitou a colonização portuguesa. mostra:
d) Os povos indígenas brasileiros apresentavam muitas a) uma terra de riquezas: a exuberância das matas, a
diferenças entre si, possuíam línguas diferentes, alguns fartura de peixes nos mares e a existência de
praticavam a antropofagia, outros eram nômades, povoadores fortes, sadios e trabalhadores.
enquanto outros, sedentários. b) indígenas extraindo troncos de pau-brasil que,
e) Os portugueses só tiveram contato com os povos depois, eram empilhados nas feitorias. Chegando os
indígenas após a chegada do primeiro Governador portugueses, os nativos eram recompensados através
Geral. de um escambo com produtos europeus.
6

Brasil Colonial 6
c) o início da colonização do Brasil: os indígenas estão LÉRY, J. Viagem à Terra do Brasil. In: FERNANDES, F. Mudanças
derrubando as árvores para formar os campos onde Sociais no Brasil. São Paulo: Difel, 1974.
seria feito o plantio da cana-de-açúcar e a construção
dos engenhos. O viajante francês Jean de Léry (1534-1611) reproduz
d) o medo dos nativos brasileiros com a chegada das um diálogo travado, em 1557, com um ancião
naus portuguesas: eles estão abatendo árvores para tupinambá, o qual demonstra uma diferença entre a
construção de fortificações e defesa da ameaça sociedade europeia e a indígena no sentido
europeia. a) do destino dado ao produto do trabalho nos seus
e) homens nus, selvagens, que conviviam sistemas culturais.
pacificamente com animais de grande porte, o que b) da preocupação com a preservação dos recursos
causava grande espanto e medo aos colonizadores. ambientais.
c) do interesse de ambas em uma exploração comercial
H0216 - (Unesp) TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: mais lucrativa do pau-brasil.
Leia o texto para responder à questão. d) da curiosidade, reverência e abertura cultural
recíprocas.
[Os tupinambás] têm muita graça quando falam [...]; e) da preocupação com o armazenamento de madeira
mas faltam-lhe três letras das do ABC, que são F, L, R para os períodos de inverno.
grande ou dobrado, coisa muito para se notar; porque,
se não têm F, é porque não têm fé em nenhuma coisa H0148 - (Uece) Leia atentamente o seguinte trecho do
que adoram; nem os nascidos entre os cristãos e Regimento de Feitor-mor de engenho:
doutrinados pelos padres da Companhia têm fé em “O castigo que se fizer ao escravo não há-de ser com
Deus Nosso Senhor, nem têm verdade, nem lealdade a pau nem tirar-lhe com pedras ou tijolos e quando o
nenhuma pessoa que lhes faça bem. E se não têm L na merecer o mandará botar sobre um carro e dar-se-lhe-
sua pronunciação, é porque não têm lei alguma que á com um açoite seu castigo; e, depois de bem
guardar, nem preceitos para se governarem; e cada um açoitado, o mandará picar com navalha ou faca que
faz lei a seu modo, e ao som da sua vontade; sem haver corte bem e dar-se-lhe-á com sal, sumo de limão e
entre eles leis com que se governem, nem têm leis uns urina e o meterá alguns dias na corrente. [...]”
João Fernandes Vieira. Regimento de feitor-mor de engenho.
com os outros. E se não têm esta letra R na sua Apud ALVES FILHO, Ivan. Brasil, 500 anos em documentos. Rio de
pronunciação, é porque não têm rei que os reja, e a Janeiro: Mauad Editora, 1999.
quem obedeçam, nem obedecem a ninguém, nem ao
pai o filho, nem o filho ao pai, e cada um vive ao som Considerando o excerto acima e o conhecimento que
da sua vontade [...]. se tem a respeito da escravidão no Brasil, é correto
(Gabriel Soares de Souza. Tratado descritivo do Brasil em 1587, afirmar que
1987.)
a) os castigos a que o texto se refere configuram-se
como exceção, pois, nessa época, a regra era a
Os comentários de Gabriel Soares de Souza expõem
proibição de maus tratos físicos aos escravos.
a) a dificuldade dos colonizadores de reconhecer as
b) o uso do trabalho escravo e a desvalorização do
peculiaridades das sociedades nativas.
homem, implícita nele, não tiveram impactos na
b) o desejo que os nativos sentiam de receber
sociedade brasileira atual.
orientações políticas e religiosas dos colonizadores.
c) durante o período colonial e imperial brasileiro, o
c) a inferioridade da cultura e dos valores dos
trabalho escravo foi a base da economia, razão pela
portugueses em relação aos dos tupinambás.
qual era normatizado.
d) a ausência de grupos sedentários nas Américas e a
d) a escravidão indígena ou africana só era possível
missão civilizadora dos portugueses.
como forma de penalização a grupos que se revoltaram
e) o interesse e a disposição dos europeus de aceitar as
contra a coroa portuguesa.
características culturais dos tupinambás.
H0149 - (Enem) TEXTO I
H0217 - (Enem) Em geral, os nossos tupinambás
E pois que em outra cousa nesta parte me não posso
ficaram admirados ao ver os franceses e os outros dos
vingar do demônio, admoesto da parte da cruz de
países longínquos terem tanto trabalho para buscar o
Cristo Jesus a todos que este lugar lerem, que deem a
seu arabotã, isto é, pau-brasil. Houve uma vez um
esta terra o nome que com tanta solenidade lhe foi
ancião da tribo que me fez esta pergunta: “Por que
posto, sob pena de a mesma cruz que nos há de ser
vindes vós outros, mairs e pêros (franceses e
mostrada no dia final, os acusar de mais devotos do
portugueses), buscar lenha de tão longe para vos
pau-brasil que dela.
aquecer? Não tendes madeira em vossa terra?”

Brasil Colonial 7
BARROS, J. In: SOUZA, L M. Inferno atlântico: demonologia e [...] Além da capitania, em 1541 foi instalada a vila de
colonização: séculos XVI-XVIII. São Paulo: Cia. das Letras, 1993. Olinda, com a repetição de todas as formalidades de
São Vicente: títulos de sesmarias, lista de homens bons
TEXTO II aptos a votar, eleição de vereadores, alternância no
E deste modo se hão os povoadores, os quais, por mais poder. [...] Em Pernambuco passou a funcionar de
arraigados que na terra estejam e mais ricos que sejam, maneira efetiva a autoridade do donatário, em dois
tudo pretendem levar a Portugal, e, se as fazendas e sentidos. No das receitas, implantou cobrança de
bens que possuem souberam falar, também lhes impostos, inclusive com repasses ao rei, e tais recursos
houveram de ensinar a dizer como os papagaios, aos financiavam serviços delegados ao donatário, como o
quais a primeira coisa que ensinam é: papagaio real de atuar como instância mais alta que o Judiciário da
para Portugal, porque tudo querem para lá. vila e o de controlar a vida civil.
SALVADOR. F. V In: SOUZA, L. M. (Org.). História da vida privada no Brasil:
(CALDEIRA, Jorge. História da Riqueza no Brasil. Rio de Janeiro: Estação
cotidiano e vida privada na América portuguesa. São Paulo: Cia. das Letras,
Brasil, 2017.)
1997.
De acordo com o texto é correto afirmar que o autor
As críticas desses cronistas ao processo de colonização buscou descrever as medidas que:
portuguesa na América estavam relacionadas à a) levaram à capitania de Pernambuco a prosperar.
a) utilização do trabalho escravo. b) causaram o impasse político responsável pela
b) implantação de polos urbanos. Guerra dos Mascates.
c) devastação de áreas naturais. c) levaram o sistema de capitanias hereditárias a
d) ocupação de terras indígenas. fracassar.
e) expropriação de riquezas locais. d) causaram o impasse político gerados da Insurreição
Pernambucana.
H0150 - (Ifce) Sobre a pecuária durante o período e) transformaram as capitanias hereditárias em
colonial no Brasil, é correto afirmar-se que governo-geral.
a) era uma atividade complementar às lavouras do café
durante o período colonial. H0153 - (Fgv) Podem-se apanhar muitos fatos da vida
b) teve papel de destaque na ocupação das áreas daqueles sertanejos dizendo que atravessaram a época
litorâneas. do couro. De couro era a porta das cabanas, o rude
c) contribuiu para a expulsão dos trabalhadores leito aplicado ao chão duro, e mais tarde a cama para
assalariados do campo. os partos; de couro todas as cordas, a borracha para
d) os primeiros criadores de gado contribuíram para a carregar água, o mocó ou alforge para levar comida, a
interiorização da colonização. maca para guardar roupa, a mochila para milhar
e) a pecuária no sertão nordestino usava a mão de obra cavalo, a peia para prendê-lo em viagem, as bainhas de
escrava. faca, as broacas e surrões, a roupa de entrar no mato,
os banguês para curtume ou para apurar sal.
(Capistrano de Abreu. Capítulos de história colonial: 1500-1800, 2000.)
H0151 - (Uece) Sobre a presença de europeus, O texto descreve a cultura material da pecuária, que a
durante os séculos XVI, XVII e XVIII, no território que partir do século XVI estendeu-se ao interior nordestino
hoje pertence ao Brasil, é correto afirmar que da colônia do Brasil. A criação de gado
a) se restringiu aos portugueses que, desde o Tratado a) empregava predominantemente a mão de obra
de Tordesilhas, eram os únicos com direito sobre esta escrava africana e consolidou a pequena propriedade
terra plenamente reconhecido pelas demais nações rural às margens dos grandes rios da região.
europeias. b) contribuía com o complexo econômico litorâneo e
b) diferentemente de outras regiões da América, funcionou em um regime de contenção econômica de
nenhuma das cidades do Brasil sofreu ataques de gastos devido ao aproveitamento de recursos locais.
piratas ou corsários de origem europeia. c) transgredia os ordenamentos legais da
c) devido ao Tratado de Tordesilhas, apenas administração metropolitana e jamais se caracterizou
portugueses e espanhóis estiveram pelas terras como atividade econômica lucrativa.
brasileiras durante os séculos de nossa colonização. d) deslocava o centro dinâmico da exploração
d) além dos portugueses, em diversas regiões do atual econômica da colônia e contribuiu para o
território brasileiro, nos primeiros séculos da colônia, adensamento demográfico em novos territórios.
houve presenças de espanhóis, franceses e e) favorecia o surgimento de cidades
holandeses. autoadministradas e revelou a existência de jazidas de
metais preciosos nas áreas recém-descobertas.
H0152 - (Col. naval) Leia o texto abaixo e responda a
pergunta a seguir.
8

Brasil Colonial 8
H0154 - (Ifba) No processo de colonização, os capitães plástico por já possuir dentro de si todos os opostos.
donatários tinham alguns direitos oferecidos pela Essa espantosa qualidade cultural permite que, ao
coroa portuguesa: podiam escravizar e vender até 24 encontrar alguma alteridade fora dele, o português
índios por ano, direito sobre a morte de escravos, possa lançar mão de características assemelhadas à
gentios e homens livres de menor qualidade. Podiam, esse alter na sua própria personalidade, que possibilita
em alguns casos, deportar (degredo) colonos sem interpenetração cultural sem perda da sua substância
apelação ao rei. O senhor donatário, como grande original.”
proprietário de terras (latifundiário), podia também (Fonte: SOUZA, Jessé. Subcidadania brasileira: para entender o
país além do jeitinho brasileiro. Rio de Janeiro: LeYa, 2018. p. 162.
ceder pedaços de terra para outros colonos
Adaptado).
desenvolverem plantações e podiam ainda deter o
comando militar e o direito de alistar colonos e formar
Deste modo, e de acordo com seus conhecimentos,
milícias.
assinale a resposta correta que corresponde ao ápice
deste processo sócio-histórico.
Com base nesse texto, qual questão é a certa?
a) O legado português na formação da sociedade
a) Esse texto revela que o Rei em nada mandava na
brasileira pode ser notado na manifestação do idioma,
administração colonial portuguesa. Os verdadeiros
na religiosidade, na organização social e,
governantes eram os capitães donatários.
principalmente, no que o difere dos demais modelos
b) Os capitães donatários eram homens da pequena
colonizadores, na integração com diferentes culturas,
fidalguia portuguesa ou mesmo da nascente burguesia.
como a africana e a indígena, por exemplo.
Eram homens ávidos por lucros e por subir na vida. Por
b) A herança cultural portuguesa é predominante na
isso o sistema de capitania hereditária falhou, afinal
formação da sociedade brasileira, sendo que os
eles não se preocuparam com o sistema como um
aspectos culturais adventícios são pouco notáveis ou
todo, mas com seu próprio enriquecimento, deixando
quase imperceptíveis quando levamos em
de lado as tarefas de representantes da coroa.
consideração a real situação do Brasil em comparação
c) Os capitães donatários tinham tarefas voltadas para
com os demais países sul-americanos.
a segurança interna (contra os indígenas não
c) A habilidade social portuguesa pode ser notada,
submetidos) e externa da colônia (contra invasores
principalmente, em regiões fronteiras limítrofes,
europeus); monopolizavam o controle da terra, o que
quando o elemento português precisou se associar ao
produzia uma distribuição de acesso à terra desigual; e
elemento nativo indígena, e nas regiões produtivas
eram os responsáveis pela organização da produção
canavieiras como o Nordeste, quando foi
das matérias-primas brasileiras, voltadas para a
imprescindível contar com o suporte da mão de obra
exportação.
africana, já que nas demais regiões do País o que se
d) As violências acima descritas inviabilizaram a
percebe é a predominância do elemento cultural
continuidade das capitanias, já que as pessoas não
branco europeu em detrimento das demais culturas.
queriam se subordinar a indivíduos com tamanho
d) A conquista da América portuguesa ocorre quando
poder.
o português forja sua integração social por meio da
e) O fato de poderem conceder terras para outros
exploração de africanos escravizados e de nativos
sesmeiros gerou uma política de acesso à terra que
indígenas, no momento em que eles eram úteis
beneficiou portugueses pobres que habitavam o Brasil.
unicamente como fonte de mão de obra para a
manutenção do sistema colonial, visando a acumular
H0155 - (Ufms) A astúcia portuguesa relativa ao
recursos para a Coroa portuguesa.
processo de conquista de sua parcela do território
e) Ao chegar ao Brasil, o colonizador português
americano é relatada em diversas obras da
permanece isento no processo de miscigenação para o
historiografia brasileira e mundial. Este protocolo de
surgimento da sociedade brasileira, ao contrário de
integração portuguesa com outros povos pode ser
outras culturas e sociedades (africanos e nações
notado, por exemplo, no trecho a seguir, de autoria de
indígenas) que precisam se reorganizar e se moldar
Jessé Souza.
para que possam continuar presentes enquanto
elementos formativos do povo brasileiro.
“O português entra em contato com o elemento nativo
e o adventício, formando, em contraposição ao
H0156 - (Famerp) A Bahia é cidade d’El-Rei, e a corte
colonizador anglo-saxão, por exemplo, uma nova
do Brasil; nela residem os Srs. Bispo, Governador,
ligadura, um novo produto social e cultural. Por outro
Ouvidor-Geral, com outros oficiais e justiça de Sua
lado, o elemento português permanece, malgrado
Majestade; [...]. É terra farta de mantimentos, carnes
todos estes contatos, sempre igual a si mesmo. O
de vaca, porco, galinha, ovelhas, e outras criações; tem
português é ele e o outro ao mesmo tempo. Ele é
9

Brasil Colonial 9
36 engenhos, neles se faz o melhor açúcar de toda a (PRADO JÚNIOR, Caio. A formação do Brasil Contemporâneo. São
costa; [...] terá a cidade com seu termo passante de Paulo: Brasiliense, 1963, p. 91.)
três mil vizinhos Portugueses, oito mil Índios cristãos, e Baseando-se no trecho acima sobre o trabalho
três ou quatro mil escravos da Guiné. indígena no Brasil Colônia, assinale a alternativa
(Fernão Cardim. Tratados da terra e gente do Brasil, 1997.) correta.
a) Os indígenas serviram como um elemento ativo e
O padre Fernão Cardim foi testemunha da colonização fundamental na colonização da região Nordeste,
portuguesa do Brasil de 1583 a 1601. O excerto faz uma enquanto na região Centro-Sul sua mão de obra foi
descrição de Salvador, sede do Governo-Geral, utilizada de maneira escassa.
referindo-se, entre outros aspectos, à b) Os jesuítas segregavam os indígenas em aldeias,
a) incorporação pelos colonizadores dos padrões para evitar a escravização da mão de obra nativa
culturais indígenas. durante a colonização portuguesa.
b) ligação da atividade produtiva local com o comércio c) Os colonizadores espanhóis, ao contrário dos
internacional. portugueses, não utilizaram a mão de obra indígena,
c) miscigenação crescente dos grupos étnicos constituindo uma sociedade baseada na colonização
presentes na cidade. de povoamento.
d) existência luxuosa da nobreza portuguesa na capital d) O tipo de trabalho executado pelos indígenas era
da colônia. bastante rudimentar, e a dependência da metrópole
e) dependência da população em relação à importação em relação a essa mão de obra provocou atraso
de produtos de sobrevivência. econômico e cultural para a colônia brasileira.
e) Com o início do tráfico de escravos africanos, a mão
H0157 - (Cftrj) Os africanos foram trazidos do chamado de obra indígena deixou de ser utilizada no processo de
continente negro para o Brasil em um fluxo de colonização.
intensidade variável. Os cálculos sobre o número de
pessoas transportadas como escravos variam muito. H0159 - (Espm) Em 1549 o rei D. João III decidiu, sem
Estima-se que, entre 1550 e 1855, entraram pelos abolir o sistema de capitanias hereditárias, instituir um
portos brasileiros 4 milhões de escravos, na sua grande novo regime.
maioria jovens do sexo masculino. Acompanhado por quatrocentos soldados, seiscentos
(FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Ed. da Universidade degredados, seis jesuítas e muitos mecânicos, partiu de
de São Paulo, 1995. p. 51.) Lisboa o primeiro governador-geral, Tomé de Souza,
que aportou à baía de Todos-os-Santos em fins de
Entre as razões que justificavam o tráfico negreiro março de 1549.
estava: Com o governador chegaram também o ouvidor-geral,
a) O desejo do colonizador em proteger o índio do Pero Borges e o provedor-mor, Antônio Caridoso de
trabalho escravo trazendo o Africano para substituí-lo. Barros.
b) Permitir a livre concorrência entre trabalhadores (Capistrano de Abreu. Capítulos de História Colonial)
indígenas e africanos para baratear a mão de obra.
c) Possibilitar maior dinamismo comercial entre as O ouvidor-geral e o provedor-mor desempenhavam,
colónias e os países europeus. respectivamente, funções de:
d) A lógica de funcionamento da prática mercantilista, a) defesa – administração civil;
onde o tráfico ultramarino de escravos era um negócio b) justiça – fazenda;
relevante tanto para os comerciantes metropolitanos c) fazenda – defesa;
como para a coroa. d) administração militar – justiça;
e) administração da capital – vereança.

H0158 - (Ufpr) Aqui no Brasil tratou-se desde o início H0160 - (Ufjf) Com as grandes navegações,
de aproveitar o índio, não apenas para obtenção dele, portugueses e espanhóis cruzaram o oceano Atlântico
pelo tráfico mercantil, de produtos nativos, ou chegando ao continente americano, a que
simplesmente como aliado, mas sim como elemento denominaram Novo Mundo. Nessas terras,
participante da colonização. Os colonos viam nele um estabeleceram colônias que ficaram conhecidas como
trabalhador aproveitável; a metrópole, um povoador América portuguesa e América espanhola. Acerca da
para a área imensa que tinha de ocupar, muito além de colonização nesses dois territórios, assinale a
sua capacidade demográfica. Um terceiro fator entrará alternativa CORRETA:
em jogo e vem complicar os dados do problema: as a) Na América portuguesa as riquezas encontradas no
missões religiosas. início da colonização foram ouro, prata e pedras

10

Brasil Colonial 10
preciosas, o que levou a coroa a se posicionar a) organizada em classes, cuja posição dependia de
favoravelmente à exploração do território encontrado. bens móveis.
b) Na América espanhola o início da colonização foi b) apoiada no trabalho escravo, principalmente o dos
marcado pelo estabelecimento de feitorias – lavradores de cana.
entrepostos comerciais que armazenavam c) baseada na “limpeza de sangue”, portanto se proibia
mercadorias, alimentos, armas – que se espalhavam a miscigenação.
pela costa. d) determinada pelos recursos financeiros, o que
c) Sob ameaça de invasão estrangeira, foi estabelecido impedia a mobilidade.
na América espanhola um sistema administrativo e) hierarquizada por critérios diversos, tais como a
centralizado e uma política de povoamento pautada na etnia e riqueza.
plantation açucareira.
d) Para a administração da América portuguesa, H0163 - (Cotil)
inicialmente foram estabelecidas as capitanias
hereditárias, que fracassaram, sendo criadas,
posteriormente, o governo-geral e as câmaras
municipais.
e) Tanto na América portuguesa quanto na América
espanhola, durante todo o processo de colonização, o
contato com as populações nativas foi pacífico,
baseado exclusivamente em diplomacia e negociações.

H0161 - (Utfpr) Se as especiarias dominaram o


comércio marítimo português durante o século XV, um
século depois esse papel foi ocupado, no Brasil, pela
produção açucareira, que abrangia a lavoura de cana
propriamente dita e a fabricação do açúcar nos O quadro ‘A Primeira Missa’, pintado em 1860 por
engenhos. Muitos historiadores denominam essa Victor Meireles, representa a primeira celebração
economia de plantation, expressão emprestada dos católica no país, realizada em 1500, além de expor as
ingleses para indicar as lavouras tropicais. diferenças entre o colonizador português e os
indígenas brasileiros. Tais diferenças, quando
Assinale a alternativa que apresenta os três elementos considerada a realidade de 1500 até o século XXI, sobre
nos quais esse tipo de produção se fundamentava. a apropriação da natureza pelo europeu em
a) Latifúndio, monocultura e mão de obra escrava. comparação ao indígena, revelam que:
b) Latifúndio, policultura e mão de obra escrava. a) os colonizadores portugueses se adaptaram
c) Latifúndio, monocultura e mão de obra livre. rapidamente ao modo de vida dos indígenas, o que
d) Minifúndio, monocultura e mão de obra escrava. favoreceu a manutenção do espaço geográfico e a
e) Minifúndio, policultura e mão de obra livre. sobrevivência dos nativos.
b) enquanto entre os europeus não havia dinheiro,
desejo de lucro, propriedade individual, posse da terra
H0162 - (Famema) Havia muito capital e muita riqueza e de recursos naturais, esses elementos já eram
entre os lavradores de cana, alguns ligados por laços de observados entre os indígenas.
sangue ou matrimônio aos senhores de engenho. Havia c) a visão de mundo, as crenças e os costumes geraram
também um bom número de mulheres, não raro muitos conflitos entre os indígenas e os colonizadores,
viúvas, participando da economia açucareira. Digno de ocasionando assim disputa de território que durou até
nota até o fim do século XVIII, contudo, era o fato de os 1550.
lavradores de cana serem quase invariavelmente d) os interesses pelo agronegócio tem conflitado com
brancos. Os negros e mulatos livres simplesmente não os das tribos indígenas até hoje, e uma das razões para
dispunham de créditos ou capital para assumir os esse conflito é a demarcação de terras indígenas.
encargos desse tipo de agricultura.
H0164 - (Fuvest) A respeito dos espaços econômicos do
(Stuart Schwartz. “O Nordeste açucareiro no Brasil Colonial”. In: açúcar e do ouro no Brasil colonial, é correto afirmar:
João Luis R. Fragoso e Maria de Fátima Gouvêa (orgs). O Brasil
Colonial, vol 2, 2014.)
a) A pecuária no sertão nordestino surgiu em resposta
às demandas de transporte da economia mineradora.
O excerto indica que a sociedade colonial açucareira foi b) A produção açucareira estimulou a formação de uma
rede urbana mais ampla do que a atividade aurífera.
11

Brasil Colonial 11
c) O custo relativo do frete dos metais preciosos a) ao fato de que os escravos eram identificados por
viabilizou a interiorização da colonização portuguesa. números marcados a ferro e à interdição do contato
d) A mão de obra escrava indígena foi mais empregada entre os cativos e seus senhores.
na exploração do ouro do que na produção de açúcar. b) à noção do escravo como mercadoria e ao fato de
e) Ambas as atividades produziram efeitos similares que os africanos eram extraídos de sua comunidade de
sobre a formação de um mercado interno colonial. origem.
c) à noção do escravo como tolerante ao trabalho
H0165 – (Unesp) Nem existia Brasil no começo dessa compulsório e ao fato de que ele era proibido de fazer
história. Existiam o Peru e o México, no contexto pré- amizades ou constituir família.
colombiano, mas Argentina, Brasil, Chile, Estados d) ao fato de que os escravos eram etnologicamente
Unidos, Canadá, não. No que seria o Brasil, havia gente indistintos e à proibição de realização de festas e
no Norte, no Rio, depois no Sul, mas toda essa gente cultos.
tinha pouca relação entre si até meados do século e) à noção do escravo como desconhecedor do
XVIII. E há aí a questão da navegação marítima, torna- território colonial e ao fato de que ele não era
se importante aprender bem história marítima, que é reconhecido como brasileiro.
ligada à geografia. [...] Essa compreensão me deu
muita liberdade para ver as relações que Rio, H0166 - (Ufjf) O mapa a seguir constitui-se como um
Pernambuco e Bahia tinham com Luanda. Depois a documento do século XVII e revela o Brasil conhecido e
Bahia tem muito mais relação com o antigo Daomé, cartografado naquele contexto. Ao longo dos séculos
hoje Benin, na Costa da Mina. Isso formava um todo, XVII e XVIII, muitas atividades propiciaram o aumento
muito mais do que o Brasil ou a América portuguesa. do espaço conhecido e habitado do território hoje
[...] chamado Brasil.
Nunca os missionários entraram na briga para saber se
o africano havia sido ilegalmente escravizado ou não, Este é o Mapa de João Teixeira Albernaz II, intitulado
mas a escravidão indígena foi embargada pelos Província do Brasil, datado de 1666. Ali é possível ver o
missionários desde o começo, e isso também é um litoral do Brasil, desde a Barra do Pará, até o Rio
pouco interesse dos negreiros, ou seja, que a Grande, incluindo algumas missões jesuíticas na
escravidão africana predomine. [...] A escravização tem fronteira do Rio da Prata.
dois processos: o primeiro é a despersonalização, e o
segundo é a dessocialização.

(Luiz Felipe de Alencastro. Entrevista a Mariluce Moura. “O


observador do Brasil no Atlântico Sul”. In: Revista Pesquisa
Fapesp, no 188, outubro de 2011.)

A “despersonalização” e a “dessocialização” dos


escravizados podem ser associadas, respectivamente,
A respeito da expansão territorial, assinale a
alternativa CORRETA:

12

Brasil Colonial 12
a) A pecuária desempenhou um importante papel para c) aos que explorassem ilegalmente o trabalho
o povoamento do Sertão e com o tempo, os vaqueiros compulsório dos indígenas e aos colonos que não
seguiram o curso dos rios, especialmente do Rio São fizessem parte de alguma irmandade religiosa.
Francisco. d) aos colonos que se casavam com pessoas vindas da
b) O desconhecimento em relação às bacias Metrópole e aos que afrontassem, por qualquer meio,
hidrográficas existentes, fez com que a ocupação se os chamados “homens bons”.
mantivesse restrita ao litoral da Colônia. e) aos de sangue impuro, representados pela
c) Os jesuítas instalaram suas missões na região ascendência moura, africana ou judaica, e aos
nordeste, visto que a Coroa Portuguesa proibia a praticantes de atividades artesanais ou relacionadas ao
presença das aldeias na região ao sul do Rio de Janeiro. pequeno comércio.
d) A colonização portuguesa manteve-se localizada na
região nordeste, permanecendo as terras abaixo do H0169 - (Col. naval) Leia o texto a seguir.
Trópico de Capricórnio dominadas pela Espanha. "Eu ElRei, faço saber a vós, Tomé de Sousa, fidalgo de
e) Não houve nenhuma ocupação da região da minha casa, que vendo eu quanto serviço de Deus e
Amazônia, o que fez com que esta parte do Brasil meu é conservar e enobrecer as Capitanias e
ficasse inexplorada até o final do século XIX. povoações das terras do Brasil e dar ordem e maneira
com que melhor e mais seguramente se possam ir
H0167 - (Ifce) Com a chegada de Pedro Álvares Cabral, povoando, para exalçamento da nossa Santa Fé e
em 1500, teve início um processo de invasão das terras proveito de meus Reinos e Senhorios, e dos naturais
indígenas e de implantação do sistema colonial. Os deles, ordenei ora de mandar nas ditas terras fazer
portugueses que vieram para o Brasil tinham como uma fortaleza e povoação grande e forte, em um lugar
objetivo claro a exploração econômica do nosso conveniente, para daí se dar favor e ajuda às outras
território e de seu povo. povoações e se ministrar justiça e prover nas cousas
que cumprirem a meu serviço e aos negócios de minha
Constituíam a economia colonial do Brasil Fazenda e a bem das partes."
a) cana-de-açúcar, algodão e café. Fonte: Regimento que levou Tomé de Sousa Governador do Brasil,
Almerím,17/12/1548. Lisboa, Arquivo Histórico Ultramarino
b) pau-brasil, cana-de-açúcar e café.
(AHU), códice 112, fls 1-9.
c) café, borracha da Amazônia e cana-de-açúcar.
d) pau-brasil, cana-de-açúcar e mineração.
Sobre o texto, que é um importante marco da História
e) pau-brasil, cana-de-açúcar e produção de tecidos
do Brasil, é correto afirmar que representava
industrializados.
a) o objetivo da monarquia portuguesa de iniciar a
colonização do Brasil cedendo territórios para que
H0168 - (Fgv) Como a sociedade do reino e as dos
grupos particulares pudessem explorá-los a custa de
núcleos mais antigos de povoamento – a de
seus próprios recursos, enquanto o governo atuaria
Pernambuco, Bahia ou São Paulo – seguiam, em Minas,
como uma espécie de Órgão regulador do que ficou
os princípios estamentais de estratificação, ou seja,
conhecido como Capitanias Hereditárias.
pautavam-se pela honra, pela estima, pela
b) a pretensão do governo português em promover a
preeminência social, pelo privilégio, pelo nascimento.
colonização efetiva do território brasileiro e de
A grande diferença é que, em Minas, o dinheiro podia
estimular a produção colonial, sendo um dos seus
comprar tanto quanto o nascimento, ou “corrigi-lo”,
primeiros atos a construção de urna cidade para ser a
bem como a outros “defeitos” (...) Como rezava um
capital da colônia, concretizada por Tomé de Sousa
ditado na época, “quem dinheiro tiver, fará o que
com a fundação de São Salvador em 1549.
quiser”.
c) o desejo português de não investir recursos no
(Laura de Mello e Souza. Canalha indômita. Revista de História da
Biblioteca Nacional, ano 1, nº 2, ago. 2005. Adaptado) território colonial do Brasil, permitindo que grupos
privados construíssem feitorias com dois objetivos: a
No Brasil colonial, tais “defeitos” referem-se exploração do pau-brasil realizada a partir do escambo
a) aos que fossem acusados pelo Tribunal da Santa com os indígenas e a proteção das ameaças
Inquisição e aos que estivessem na Colônia sem a estrangeiras.
permissão do soberano português. d) o primeiro passo para o processo de povoamento da
b) ao exercício de qualquer prática comercial colônia, que previa a criação de urna capital
desvinculada da exportação e à condição de não ser estruturada no modelo espanhol de ocupação do
proprietário de terras e escravos. território, além da construção de estradas e sistemas
de coleta de esgoto em locais estratégicos, que
serviriam de base para o surgimento de novas cidades.

13

Brasil Colonial 13
e) a ocupação eletiva do território colonial, H0172 – (Uece) Atente para o seguinte excerto:
principalmente após a descoberta de jazidas de ouro “(...) trocar manufaturas baratas por negros na costa
no interior da colônia, que demandou maia recursos do ocidental da África; permutar os negros por matérias-
governo português para a defesa da região de primas nas colônias americanas: por fim, vender as
invasores estrangeiros e de piratas que desejavam matérias primas na Europa a altos preços, ou seja, a
roubar as riquezas do Brasil. dinheiro contado. Comércio de resultados fantásticos
em que o lucro nunca ficava por menos de 300% e
H0170 - (Ifba) Que Deus entendeu de dar podia em certos casos render até 600%”.
A primazia FREITAS, Décio. O escravismo brasileiro. 2.ed. Porto Alegre:
Pro bem, pro mal Mercado Aberto, 1982. p.24.
Primeira mão na Bahia Esse sistema de comércio que foi fundamental para a
Primeira missa colonização brasileira por custear a Coroa portuguesa
Primeiro índio abatido também através da sua taxação é conhecido como sistema
Que Deus deu a) de comércio liberal.
Que Deus entendeu de dar b) de comércio triangular.
Toda magia c) de comércio quadrangular.
Pro bem, pro mal d) internacional de comércio livre.
Primeiro chão da Bahia
Primeiro carnaval H0173 - (Famerp) O sistema de plantation,
Primeiro pelourinho também predominante na colonização portuguesa do Brasil,
Gilberto Gil, Toda menina baiana. In.: CD Realce, Warner: 1979. Trecho baseou-se na
disponível em https://www.letras.mus.br/gilberto-gil/46249. Acesso em a) produção agrícola voltada à subsistência e ao
24 jul 2017.
comércio local.
Com base no trecho da música acima, é possível
b) exportação dos excedentes agrícolas não
afirmar historicamente que:
consumidos internamente.
a) A primeira missa na Bahia foi feita pelos portugueses
c) aplicação de moderna tecnologia europeia à
com o intuito de converter os índios ao catolicismo e
agricultura.
assim evitar que fosse feita uma guerra contra eles.
d) rotação de culturas em pequenas propriedades
b) Para o bem ou para o mal, a Bahia foi o primeiro local
rurais.
no Brasil em que os portugueses colocaram suas mãos.
e) monocultura extensiva com emprego de trabalho
c) O carnaval sempre foi feito durante as festas
compulsório.
profanas que acontecem ao redor das festas religiosas
católicas. Assim, esse texto seria uma metáfora para
H0174 - (Espm) A primeira vez que se mencionou o
entender as contradições do Brasil: carnavalesco e
açúcar e a intenção de implantar uma produção desse
religioso.
gênero no Brasil foi em 1516, quando o rei D. Manuel
d) Deus seria a entidade que moveria a história dos
ordenou que se distribuíssem machados, enxadas e de-
homens. Os homens apenas reproduziriam as suas
mais ferramentas às pessoas que fossem povoar o
vontades. A vontade de Deus, “pro bem ou pro mal”,
Brasil e que se procurasse um homem prático e capaz
espalhou o cristianismo pelo mundo, uma das
de ali dar princípio a um engenho de açúcar. Os
principais instituições colonialistas dos séculos XV até
primeiros engenhos começaram a funcionar em
os dias atuais.
Pernambuco no ano de 1535, sob a direção de Duarte
e) Ao destacar o abate indígena, o pelourinho e as
Coelho. A partir daí os registros não parariam de
missas religiosas, o autor chama atenção para o caráter
crescer: quatro estabelecimentos em 1550; trinta em
violento da colonização brasileira.
1570, e 140 no fim do século XVI. A produção de cana
alastrava-se não só numericamente como
H0171 - (Espcex) Do ponto de vista econômico, o
espacialmente, chegando à Paraíba, ao Rio Grande do
sistema de capitanias, implantado em 1534, não
Norte, à Bahia e até mesmo ao Pará. Mas foi em
alcançou os resultados esperados pelos portugueses.
Pernambuco e na Bahia, sobretudo na região do
Entre as poucas capitanias que progrediram e
recôncavo baiano, que a economia açucareira de fato
obtiveram lucros, principalmente com a produção de
prosperou. Tiveram início, então, os anos dourados do
açúcar, estavam as de
Brasil da cana, a produção alcançando 350 mil arrobas
a) Rio Grande e Itamaracá.
no final do século XVI.
b) São Vicente e Rio Grande. (Lilia M. Schwarcz. Brasil: uma Biografia)
c) Santana e Ilhéus. A partir do texto e considerando a economia açucareira
d) Maranhão e Pernambuco. e a civilização do açúcar, é correto assinalar:
e) São Vicente e Pernambuco.
14

Brasil Colonial 14
a) a cana de açúcar era um produto autóctone, ou seja, H0176 - (Uece) Atente para os excertos apresentados
nativo do Brasil e gradativamente foi caindo no gosto a seguir.
dos portugueses e dos europeus, a partir do século XVI;
b) a produção e comercialização do açúcar ocorreram “(...) No Brasil atual, ainda se acredita que os amuletos
sob a influência do livre-cambismo em que se baseou o estão associados a cultos afro-brasileiros, o que nem
empreendimento colonial português; sempre é verdadeiro. Um caso clássico é o da figa.
c) a metrópole estabeleceu o monopólio real, porém a Vinculada a um passado escravista e, por isso, a uma
comercialização do açúcar passou para os porões dos origem africana, é um amuleto antiquíssimo,
navios holandeses, que acabaram por assumir parte provavelmente da Europa mediterrânica, e que não
substancial do tráfego entre Brasil e Europa; teve só a função que hoje se conhece, de trazer sorte e
d) os portugueses mantiveram um rigoroso monopólio proteger o usuário:(...) E mesmo vindo do
sobre o processo de produção e refinação do açúcar, Mediterrâneo, foi perfeitamente incorporado aos
só permitindo a participação de estrangeiros na comer- amuletos afro-brasileiros, evidenciando assim uma
cialização do produto; mistura de culturas”.
e) para implantação da indústria canavieira no Brasil, o PAIVA, Eduardo França. Pequenos objetos, grandes encantos. In:
projeto colonizador luso precisava contar com mão de Revista Nossa História. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, ano 1,
nº 10, agosto 2004. p.58-59
obra compulsória e abundante, dada a extensão do
território e por isso sempre privilegiou a utilização dos
“(...) A abundância diversificada e o recrudescimento
nativos, cuja captura proporcionava grandes lucros
do devocionário privado no Brasil antigo explicam-se,
para a coroa.
antes de mais nada, pela multiplicidade dos estoques
culturais presentes desde os primórdios da conquista e
H0175 - (Upf) “Não é fácil saber de onde foi que Jorge
ocupação do novo mundo, onde centenas de etnias
Velho partiu para ir combater Palmares, se de São
indígenas e africanas prestavam culto a panteões os
Paulo ou do Piauí. Tanto se pode admitir uma versão
mais diversos. Por se tratar de crenças e rituais
como a outra, já que ambas se apoiam em documentos
condenados pelos donos do poder espiritual, tiveram
de igual autoridade [...]. Há também muita
de ocultar-se no recôndito das matas ou no secreto das
controvérsia sobre os seus efetivos. Em diferentes
casas”.
documentos o número de indígenas oscila entre 800 e MOTT, Luiz. Cotidiano e vivência religiosa: entre a capela e o
1.300, e o de brancos entre 80 e 150, não falando nas calundu. in: História da vida privada no Brasil: Cotidiano e vida
mulheres e crianças que costumava levar consigo. A privada na América portuguesa. São Paulo: Companhia das
marcha de seiscentas léguas até Pernambuco foi uma Letras,1997, p.220.
estupenda façanha. Custou-lhe a perda de 396
pessoas, das quais 196 morreram de fome ou doença e A partir dos excertos acima, é correto afirmar que
200 desertaram.” a) não houve uma miscigenação cultural no Brasil, tão
O bandeirante Domingos Jorge Velho foi contratado forte foi a predominância da cultura europeia e do
pelo governo português para destruir o quilombo de catolicismo na construção da cultura brasileira.
Palmares. Isso se deu porque b) o sincretismo religioso é uma marca da cultura
a) os paulistas, excluídos do circuito da produto brasileira, pois os cultos brasileiros adotaram, desde a
colonial centrada no Nordeste, queriam estabelecer colonização, matrizes europeias, africanas e indígenas.
pontos de comércio, sendo impedidos pelos c) apesar de diversas etnias indígenas e africanas terem
quilombos. participado da formação cultural brasileira, resta
b) os paulistas tinham prática na perseguição de índios, apenas a religiosidade cristã católica europeia em
os quais, aliados aos negros de Palmares, ameaçavam nossa cultura.
o governo com movimentos milenaristas. d) todo o conjunto de crendices e amuletos que ainda
c) o quilombo desestabilizava o grande contingente hoje são utilizados na crença dos brasileiros é originário
escravo existente no Nordeste, ameaçando a só dos cultos afro-brasileiros e foi incorporado à fé
continuidade da produção açucareira e da dominação cristã.
colonial.
d) os senhores de engenho temiam que os H0177 - (Cftrj) Notícias do Brasil (Os Pássaros Trazem)
quilombolas, que haviam atraído brancos e mestiços (...)
pobres, organizassem um movimento de A novidade é que o Brasil não é só litoral!
independência da colônia. É muito mais, é muito mais que qualquer zona sul.
e) os aldeamentos de escravos rebeldes incitavam os Tem gente boa espalhada por esse Brasil,
colonos à revolta contra a metrópole, visando trazer que vai fazer desse lugar um bom país!
novamente o Nordeste para o domínio holandês. Uma notícia está chegando lá do interior.
15

Brasil Colonial 15
Não deu no rádio, no jornal ou na televisão. c) que havia outras atividades econômicas na colônia,
Ficar de frente para o mar, de costas para o Brasil, além da produção e exportação de cana-de-açúcar.
não fazer desse lugar um bom país! d) a necessidade de numerosas embarcações para a
(Milton Nascimento e Fernando Brant) navegação fluvial no Brasil, como o galeão Padre
Eterno.
O trecho acima da canção Notícias do Brasil, de Milton e) a existência de colonizadores franceses no Brasil, os
Nascimento e Fernando Brandt, composta em 1981, únicos capazes de construir grandes navios.
reivindica a valorização da natureza, da paisagem e da
cultura do interior do Brasil. Sobre o processo de H0179 - (Enem) Outra importante manifestação das
desbravamento e exploração do interior do Brasil no crenças e tradições africanas na Colônia eram os
período colonial, assinale a alternativa incorreta: objetos conhecidos como “bolsas de mandinga”. A
a) A busca pelas chamadas “drogas do sertão” insegurança tanto física como espiritual gerava uma
estimulou a exploração da região amazônica. necessidade generalizada de proteção: das catástrofes
b) A produção de gado no interior não representou da natureza, das doenças, da má sorte, da violência dos
uma atividade econômica importante no período núcleos urbanos, dos roubos, das brigas, dos malefícios
colonial. de feiticeiros etc. Também para trazer sorte, dinheiro e
c) A descoberta das Minas Gerais nas décadas de 1680 até atrair mulheres, o costume era corrente nas
e 1690 promoveu a ocupação mais sistemática do primeiras décadas do século XVIII, envolvendo não
interior do centro-sul. apenas escravos, mas também homens brancos.
d) Os bandeirantes paulistas desbravavam o interior
em busca de indígenas que seriam comercializados A prática histórico-cultural de matriz africana descrita
como escravos. no texto representava um(a)
a) expressão do valor das festividades da população
H0178 - (Col. naval) Leia o texto a seguir. pobre.
"Deu no Mercurio Portuguez: "... e do Brasil vira b) ferramenta para submeter os cativos ao trabalho
também o galeão chamado Padre Eterno, que se faz no forçado.
Rio de Janeiro, e é o mais famoso baixei de guerra que c) estratégia de subversão do poder da monarquia
os mares jamais viram". A gazeta mensal lisboeta trazia portuguesa.
a notícia acima fechando a edição de março de 1665. O d) elemento de conversão dos escravos ao catolicismo
periódico de Antônio de Souza de Macedo, secretário romano.
de estado do Reino de Portugal, se referia ao barco de e) instrumento para minimizar o sentimento de
53 metros (m), que deslocava 2 mil toneladas (t), desamparo social.
com um mastro feito num só tronco de 2,97 m de
H0180 - (Ufrgs) Sobre as atividades econômicas e a
circunferência na base. O navio começou a ser
mão de obra na América Portuguesa, entre os séculos
construído em 1659 a mando do governador da
XVI e XVII, é correto afirmar que a produção
capitania do Rio, Salvador Correia de Sá e Benevides,
a) era voltada exclusivamente para o mercado externo,
na Ilha do Governador, em um local conhecido como
restrita ao cultivo em plantations, e a mão de obra era
Ponta do Galeão (onde fica hoje o Aeroporto
exclusivamente de indígenas e africanos escravizados.
Internacional Tom Jobim). Militar e político português,
b) era voltada para além do mercado externo, com
dono de engenhos e currais, Sá fez o mais potente
diversas culturas ligadas ao mercado interno, e a mão
galeão que pôde para evitar depender da proteção das
de obra era majoritariamente de escravizados, mas
frotas do governo ao se aventurar no comércio pelos
com a presença de trabalhadores livres.
mares."
MARCOLIN, Neldson. Por mares sempre navegados. Disponível c) era voltada exclusivamente para o mercado interno,
em: através do cultivo de itens de subsistência, e a mão de
http://revistapesquisa.fapesp.br/2011/11/30por-mares- obra era exclusivamente de indígenas e africanos
nevegados. Acesso em: 09 de abril de 2019. escravizados.
d) não se resumia ao mercado externo, com diversas
É correto afirmar que a existência de estaleiros culturas voltadas ao mercado interno, e a mão de obra
destinados à construção de grandes navios no Brasil do era exclusivamente de indígenas e africanos
século XVII demonstrava escravizados.
a) que o Brasil possuía uma economia dinâmica que e) era voltada exclusivamente para o mercado externo,
superava Portugal e Inglaterra na produção naval. restrita ao cultivo em plantations, e a mão de obra era
b) que a indústria naval apenas servia para transportar majoritariamente de escravizados, mas com a presença
o açúcar para a Europa. de trabalhadores livres.
16

Brasil Colonial 16
H0181 - (Unicamp) As plantações de mandioca Com base no trecho acima e no que se sabe sobre o
encontradas pelas saúvas cortadeiras nas roças sistema escravista ocorrido no Brasil, é correto dizer
indígenas eram apenas uma entre várias outras. Em que
muitas situações, a composição química das folhas a) a visão do jesuíta Antonil apresenta uma perspectiva
favorecia a escolha de outras plantas e a folhagem da da colonização portuguesa em que a escravidão
mandioca era cortada apenas quando as preferidas das aparece de uma forma humanizada, pois eram
saúvas não eram suficientes. Já na agricultura garantidos aos escravos o alimento e as vestimentas.
comercial, machados e foices de ferro permitiam abrir b) não há, no texto de Antonil, qualquer crítica ao
clareiras em uma escala maior, resultando em grande sistema escravista, aos castigos físicos dados aos
homogeneidade da flora. Nas lavouras de mandioca de escravos nem a sua desvalorização como ser humano.
finais do século XVII e do início do século XVIII, as folhas c) o sistema escravista, centrado no trabalho
da mandioca tornavam-se uma das poucas opções das compulsório, no tráfico de africanos para a colônia e
formigas. Depois de mais algumas colheitas, a em uma rígida estrutura de controle e punição, foi a
infestação das formigas tornava-se insuportável, por base da economia colonial e criou uma sociedade
vezes causando o completo despovoamento humano desigual.
da área. d) apesar de aparentar opressão e violência, o sistema
(Adaptado de Diogo Cabral, 'O Brasil é um grande formigueiro’: escravista foi positivo para os africanos trazidos ao
território, ecologia e a história ambiental da América Portuguesa – Brasil, pois possibilitou a eles acesso a uma cultura
parte 2. HALAC - História Ambiental Latinoamericana y Caribeña.
Belo Horizonte, v. IV, n. 1, p. 87-113, set. 2014-fev. 2015.) superior e a uma religião organizada, já que, na África,
viviam primitivamente.
A partir da leitura do texto e de seus conhecimentos
sobre História do Brasil Colônia, assinale a alternativa H0183 - (Uel) Leia o trecho do poema a seguir.
correta. – Essa cova em que estás,
a) A principal diferença entre as lavouras indígenas e a com palmos medida,
agricultura comercial colonial estava no uso de é a cota menor
queimadas pelos europeus, o que não era praticado que tiraste em vida.
pelas populações autóctones. – É de bom tamanho,
b) Comparadas à mandioca cultivada pelos indígenas, nem largo nem fundo,
as novas espécies de mandioca trazidas da Europa é a parte que te cabe
eram menos resistentes às formigas cortadeiras, e por neste latifúndio.
isso mais susceptíveis à infestação. – Não é cova grande.
c) Os colonizadores introduziram no território colonial é cova medida,
novas espécies de mandioca e milho, que é a terra que querias
desequilibraram o sistema agrícola ameríndio, baseado ver dividida.
(MELO NETO, J. C. Morte e Vida Severina. Universidade da Amazônia,
no sistema rotativo de plantação. NEAD – Núcleo de Educação à Distância. p.21-13.
d) A agricultura comercial tendia à homogeneização da Disponível em: <www.nead.unama.br>. Acesso em: 28 ago. 2017).
flora nas lavouras da América Portuguesa, combinando
tradições europeias de plantio com práticas indígenas. O poema trata da relação entre o homem e a terra no
Brasil. Com base nos conhecimentos sobre
H0182 - (Uece) Atente para o que disse o jesuíta André propriedade e usos da terra, assinale a alternativa
João Antonil sobre a escravidão no Brasil: correta.
“No Brasil, costumam dizer que para o escravo são a) No decorrer do segundo Reinado, a Lei de Terras,
necessários três PPP, a saber, pau, pão e pano. E, posto promulgada em 1850, possibilitou o livre acesso das
que comecem mal, principiando pelo castigo que é o terras devolutas aos primeiros imigrantes europeus,
pau, contudo, prouvera a Deus que tão abundante garantindo-lhes a sobrevivência.
fosse o comer e o vestir como muitas vezes é o castigo, b) Na Colônia, as terras doadas como sesmarias
dado por qualquer causa pouco provada, ou levantada; garantiam privilégios aos senhores de engenho, mas
e com instrumentos de muito rigor(...), de que se não restringiam a prática de certas atividades econômicas.
usa com os brutos animais, fazendo algum senhor mais c) No Império, formaram-se os primeiros quilombos
caso de um cavalo que de meia dúzia de escravos...” cuja propriedade dessas terras foi reconhecida
ANTONIL, André João. Cultura e opulência do Brasil. 3. ed. Belo legalmente durante a primeira República.
Horizonte: Itatiaia/Edusp, 1982, p. 37. (Coleção Reconquista do d) Em 1964, João Goulart realizou desapropriações das
Brasil). Disponível em:
http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.d
pequenas propriedades no entorno das metrópoles
o?select_action=&co_obra=1737 para o cultivo de sobrevivência por parte dos
trabalhadores.
17

Brasil Colonial 17
e) No governo de Fernando Henrique Cardoso (1995- 1603 e elevada à categoria de vila em 1726) quanto no
2002), retomou-se a política econômica de estatização interior (Icó, colonizada desde 1683 e elevada à
das propriedades agrícolas resultando em elevadas categoria de vila em 1738).
taxas de crescimento econômico.
Com relação a esses fatos, é INCORRETO dizer que
H0184 - (Ifsp) Observe a figura abaixo e, em seguida, a) a existência de uma atividade econômica relevante
assinale a alternativa que apresenta a relação no interior do Ceará — a pecuária bovina — contribuiu
comercial praticada entre a Metrópole portuguesa e a para que vilas surgissem também longe do litoral.
sua colônia brasileira. b) nos primeiros momentos da colonização, a produção
açucareira, realizada próxima ao litoral, bem como o
comércio de exportação deste produto, fizeram com
que a maioria das vilas e cidades se desenvolvessem na
zona litorânea.
c) as relações entre as atividades econômicas e a
urbanização da colônia são determinantes para o
processo de povoamento e interiorização da
colonização brasileira.
d) desde o início, enquanto a colonização se
interiorizava no restante do Brasil, no Ceará ela
somente ocorreu com a cultura do algodão no século
a) Acordo Monopolista. XIX.
b) Pacto Colonial.
c) Acordo Real. H0187 – (Mackenzie) No Brasil do século XVI, a
d) Pacto Continental. sociedade tinha, no engenho, o centro de sua
e) Pacto Geral. organização.
Assinale a alternativa que NÃO atesta a importância do
H0185 - (Ifsul) “O primeiro passo no sentido de engenho no período colonial.
viabilizar a empresa açucareira e, portanto, a a) A grande propriedade era monocultora e também
colonização no Brasil foi a adoção do sistema de escravocrata, voltada para o mercado externo, sendo a
montagem da estrutura de produção açucareira, um
capitanias hereditárias, já utilizado por Portugal nas
ilhas do Atlântico. Tratava-se da adoção de largas faixas empreendimento de alto custo.
b) Os senhores de engenhos, por serem proprietários
de terra aos capitães-donatários, regulamentada pelas
cartas de doação e forais.” de terras e escravos, detinham o poder político e
Vicentino, Claudio. História geral e do Brasil. volume único. controlavam as Câmaras Municipais, sendo
– São Paulo: Scipione, 2005. p. 161. denominados de “homens bons”, estendendo tal
poder para o interior de sua família.
Sobre a adoção das Capitanias Hereditárias afirma-se c) Alguns engenhos funcionavam como unidades de
que representou produção autossuficientes, pois além de oficinas para
a) uma tentativa bem sucedida da Coroa Portuguesa reparos de suas instalações, produziam alimentos
em administrar sua colônia da América. necessários à sobrevivência de seus moradores.
b) uma alternativa adotada pelo governo português d) No engenho também havia alguns tipos de
que originou a grande propriedade no Brasil. trabalhadores assalariados, como o feitor, o mestre de
c) um fracasso, já que todas as capitanias não se açúcar, o capelão ou padre, que se sujeitavam ao poder
desenvolveram, causando prejuízo à Coroa e à influência do grande proprietário de terras.
Portuguesa. e) Os grandes engenhos contavam com toda a
d) um estímulo para extração de metais preciosos na infraestrutura não apenas para atender às
América portuguesa desde o início do século 16. necessidades básicas de sobrevivência, mas voltadas à
atividade intelectual que tornava o engenho centro de
H0186 - (Uece) Enquanto na maioria das regiões do discussões comerciais.
Brasil as primeiras vilas e cidades surgiram no litoral
(Igaraçu e Olinda, em Pernambuco; Vila do Pereira,
Ilhéus, Santa Cruz e Porto Seguro, na Bahia, e São
Vicente, Cananeia e Santos, em São Paulo), no Ceará,
os povoados e as primeiras vilas surgiram tanto no
litoral (Aquiraz em 1700 e Fortaleza, ocupada desde
18

Brasil Colonial 18
H0188 - (Ufrgs) Observe o mapa abaixo. A respeito do texto é correto assinalar que:
a) os indígenas aldeados e aliados dos portugueses, na
guerra contra os franceses de Villegagnon, eram os
Tupinambás;
b) os indígenas aldeados e aliados dos portugueses, na
guerra contra os franceses de Villegagnon, eram os
Araucanos;
c) os indígenas que apoiaram os franceses de
Villegagnon foram os Tapuias;
d) os indígenas que apoiaram os franceses de
Villegagnon foram os Tupinambás;
e) os indígenas que apoiaram os franceses de
Villegagnon foram os Charruas.

H0190 - (Fuvest) Eu por vezes tenho dito a V. A. aquilo


que me parecia acerca dos negócios da França, e isto
por ver por conjecturas e aparências grandes aquilo
que podia suceder dos pontos mais aparentes, que
Considere as seguintes afirmações sobre a origem dos consigo traziam muito prejuízo ao estado e aumento
grupos étnicos africanos escravizados, trazidos para o dos senhorios de V. A. E tudo se encerrava em vós,
Brasil entre os séculos XV e XIX. Senhor, trabalhardes com modos honestos de fazer
que esta gente não houvesse de entrar nem possuir
I. A maior parte dos grupos étnicos são oriundos do coisa de vossas navegações, pelo grandíssimo dano
norte da África. que daí se podia seguir.
Serafim Leite. Cartas dos primeiros jesuítas do Brasil, 1954.
II. As principais áreas de saída de africanos foram os
O trecho acima foi extraído de uma carta dirigida pelo
atuais territórios de Moçambique e Angola.
padre jesuíta Diogo de Gouveia ao Rei de Portugal D.
III. Os grupos étnicos africanos escravizados, levados ao
João III, escrita em Paris, em 17/02/1538. Seu
nordeste, vêm do leste da África, e aqueles levados
conteúdo mostra
para o sudeste e o sul são oriundos da África ocidental.
a) a persistência dos ataques franceses contra a
América, que Portugal vinha tentando colonizar de
Quais estão corretas?
modo efetivo desde a adoção do sistema de capitanias
a) Apenas I.
hereditárias.
b) Apenas II.
b) os primórdios da aliança que logo se estabeleceria
c) Apenas III.
entre as Coroas de Portugal e da França e que visava a
d) Apenas II e III.
combater as pretensões expansionistas da Espanha na
e) I, II e III.
América.
c) a preocupação dos jesuítas portugueses com a
H0189 - (Espm) A colonização levou à exploração do
expansão de jesuítas franceses, que, no Brasil, vinham
trabalho indígena e foi responsável por muita
exercendo grande influência sobre as populações
dizimação. É ainda na conta da colonização que se
nativas.
deve pôr o recrudescimento das guerras indígenas,
d) o projeto de expansão territorial português na
que, se já existiam internamente, eram agora pro-
Europa, o qual, na época da carta, visava à dominação
vocadas também pelos colonos, os quais faziam
de territórios franceses tanto na Europa quanto na
aliados na mesma velocidade com que criavam
América.
inimigos. Havia nesse contexto índios aldeados e
e) a manifestação de um conflito entre a recém-criada
aliados dos portugueses, e índios inimigos.
ordem jesuíta e a Coroa portuguesa em torno do
Uma das atribuições dos índios aldeados era tomar
combate à pirataria francesa.
parte nas guerras promovidas pelos portugueses
contra índios hostis e servir como povos estratégicos
H0191 - (Espm) As incursões dos bandeirantes
para impedir a entrada de estrangeiros.
paulistas às missões dos jesuítas castelhanos do Guai-
Os índios aldeados e aliados foram mobilizados para
rá multiplicaram-se a partir do século XVII. Paulistas
expulsar os franceses de Villegagnon, o qual, por sua
e guerreiros tupiniquins enveredavam pelo Caminho
vez se uniu a índios amigos que apoiaram a incursão
do Peabiru, velha trilha tupi, rumo ao Guairá,
francesa na baía da Guanabara.
(Lilia Moritz Schwarcz. Brasil uma Biografia) território situado entre os rios Paranapanema, Iguaçu
19

Brasil Colonial 19
e Paraná. Nessa região de posse duvidosa, dado que H0193 - (Ufsj) “Ilha do Bananal, atual Estado de
os portugueses sempre consideraram que a linha de Tocantins, ano de 1750. Um grupo de homens
Tordesilhas passava pelo estuário do Prata, os descalços, sujos e famintos se aproxima de uma aldeia
jesuítas espanhóis haviam criado entre 1622 e 1628 carajá. Cautelosamente, convencem os índios a
onze missões. permitirem que acampem na vizinhança. Aos poucos,
(Adriana Lopez e Carlos Guilherme Mota. História do Brasil: ganham a amizade dos anfitriões. Um belo dia,
uma interpretação)
entretanto, mostram a que vieram. De surpresa,
durante a madrugada, invadem a aldeia. Os índios são
Quanto ao assunto tratado no texto é correto assinalar: acordados pelo barulho de tiros de mosquetão e
a) as incursões dos bandeirantes às missões jesuítas correntes arrastando. Muitos tombam antes de
visavam apresar indígenas aldeados em grupos perceber a traição. Mulheres e crianças gritam e são
numerosos e habituados ao trabalho rural; silenciadas a golpes de machete. Os sobreviventes do
b) nessas incursões não havia nenhuma participação de massacre, feridos e acorrentados, iniciam, sob chicote,
indígenas entre os integrantes das bandeiras; uma marcha de 1500 quilômetros até a vila de São
c) o objetivo primordial dos bandeirantes paulistas era Paulo – como escravos.”
apresar “negros da terra” para a exportação dessa mão TORAL, A. e BASTOS, G. Os brutos que conquistaram o Brasil. In:
de obra para a Europa; Revista Superinteressante, abril de 2000. Fonte:
d) os ataques dos bandeirantes paulistas aos jesuítas http://super.abril.com.br/historia/brutos-conquistaram-brasil-
441292.shtml. Acesso em 29/08/2012
castelhanos eram uma resposta contra a postura da
Espanha que naquele momento apoiava a invasão
holandesa ao Brasil; Ações desse gênero, ocorridas na América Portuguesa,
e) as incursões dos bandeirantes paulistas contra as eram frequentemente empreendidas pelos
missões jesuíticas de Guairá e Tapes ocorreram após o a) bandeirantes paulistas.
Tratado de Madri. b) jesuítas ibéricos.
c) funcionários da coroa portuguesa.
H0192 - (Uel) Leia o texto a seguir. d) invasores franceses.
Afluente da margem direita do Rio Vermelho, ao norte
de Cambé, próximo ao Distrito da Prata, o Rio Palmeira H0194 - (Mackenzie)
forma um vale onde a mata nativa ainda concentra
reservas. Ali, séculos atrás havia um lago. Era um ponto
estratégico com água, peixe, caça e floresta
subtropical. Ali, em 1625 foi construída a redução
jesuítica de San Joseph – o termo missão foi adotado
pelos portugueses, enquanto espanhóis e
pesquisadores preferem redução
(Jornal de Londrina, 3 mar. 2013. p.21.)

Recentemente no município de Cambé, localizado no


norte do Paraná, foram descobertas ruínas de
fundações da Redução Jesuítica, que comportou cerca
de 200 pessoas, com fácil acesso à água e aos produtos
oriundos da floresta.
As Reduções ou Missões Jesuíticas no Brasil estão A charge refere-se
associadas a) à organização do Governo Geral, em 1549, dividindo
a) às ações das bandeiras, que buscavam, nas o território brasileiro em extensos lotes de terras,
Reduções, mão de obra indígena para a escravização. entregues, por sua vez, a nobres portugueses
b) às atividades mercantis de minérios e de drogas do responsáveis pelo início efetivo da colonização do
sertão que abasteciam a metrópole. Brasil.
c) à cristianização facultativa dos indígenas pelos b) às dificuldades encontradas pelo coroa portuguesa
irmãos jesuítas com o apoio da Santa Sé. no início da colonização do Brasil, uma vez que, em
d) à libertação dos indígenas do jugo católico, virtude, dentre outros, do fracasso das Capitanias
conquistando a autonomia para professarem a sua fé. Hereditárias, a colônia sofria constantes ataques de
e) ao desenvolvimento de práticas agrícolas e de piratas europeus.
pecuária extensiva que vieram a abastecer o comércio c) ao fracasso do Governo Geral, em virtude da
metropolitano. corrupção existente na corte portuguesa, transferida

20

Brasil Colonial 20
para o Brasil, responsável pela concessão de privilégios d) Nunca existiu uma bandeira com o objetivo de
aos piratas franceses no comércio do pau-brasil. acabar com quilombos.
d) ao Governo Geral, responsável pela efetivação da e) Entre os objetivos dos bandeirantes estavam a caça
colonização brasileira, por meio de incentivos aos de indígenas e a procura de metais preciosos.
bandeirantes paulistas, para que ultrapassassem os
limites de Tordesilhas e expulsassem os piratas H0218 - (Uece) Filipe Camarão, Henrique Dias, André
franceses fixados no litoral. Vidal de Negreiros e João Fernandes Vieira são
e) às dificuldades encontradas pela coroa portuguesa personagens que participaram da Insurreição
na efetiva organização da exploração da colônia, uma Pernambucana, que foi
vez que a abundância de metais preciosos ali a) um movimento de oposição ao absolutismo de D.
despertou, nos piratas europeus, o interesse pelas Pedro I e resultou na formação de outro país, a
terras lusas na América. Confederação do Equador, durante o primeiro reinado.
b) o conflito entre manifestantes a favor e contra as
H0195 - (Fgv) Leia o texto sobre as origens de São medidas de austeridade de D. Pedro II, em 1848, na
Paulo. primeira fase do segundo reinado.
A estratégia da penetração para o sertão, se foi c) um movimento separatista pernambucano, ocorrido
amplamente aproveitada pelos colonos de São Paulo, no período regencial, entre 1831 e 1840, e que
nasce na prática da conversão jesuítica. (...) Embora somente foi pacificado com a ascensão de D. Pedro II
por razões opostas, tanto as incursões dos jesuítas, ao trono.
tímidas é verdade, não se embrenhando muito além do d) o conflito responsável pela expulsão dos holandeses
núcleo piratiningano, como as bandeiras e as entradas do Nordeste brasileiro, no século XVII, e que garantiu a
dos colonos tinham um mesmo objetivo: o índio. continuidade do sistema colonial português na região.
Amílcar Torrão Filho, A cidade da conversão: a catequese jesuítica
e a fundação de São Paulo de Piratininga. Revista USP. São Paulo, H0219 - (Fuvest) As tentativas holandesas de conquista
n.º 63, 2004.
dos territórios portugueses na América tinham por
objetivo central
O fragmento apresenta parte das condições que
a) a apropriação do complexo açucareiro escravista do
originaram
Atlântico Sul, então monopolizado pelos portugueses.
a) a guerra travada entre a Igreja Católica, a favor da
b) a formação de núcleos de povoamento para
escravização indígena, e os colonos paulistas,
absorverem a crescente população protestante dos
defensores do trabalho livre.
Países Baixos.
b) o conflito entre colonos e religiosos pelo controle da
c) a exploração das minas de ouro recém-descobertas
mão de obra indígena, presente no entorno de São
no interior, somente acessíveis pelo controle de portos
Paulo.
no Atlântico.
c) a leitura, com forte viés ideológico, que considerava
d) a ocupação de áreas até então pouco exploradas
desnecessária a exagerada violência dos jesuítas contra
pelos portugueses, como o Maranhão e o Vale
os povos indígenas.
Amazônico.
d) o desvínculo econômico de São Paulo com o resto da
e) a criação de uma base para a ocupação definitiva das
colônia, diante da impossibilidade de exploração da
áreas de mineração da América espanhola.
mão de obra indígena.
e) o fracasso das missões religiosas em São Paulo, pois
H0220 - (Espcex) Durante o período conhecido por
coube apenas ao Estado português o controle direto
União Ibérica, ocorreu o Embargo Espanhol ao
dos indígenas.
comércio das colônias portuguesas com os holandeses.
Isto motivou a Holanda a atacar o Nordeste brasileiro
H0196 - (Cftsc) A expansão do território das terras
com a finalidade de romper o embargo e reativar as
portuguesas na América se deu, entre outros fatores,
rotas comerciais entre o Brasil e a Europa. É fato
pela ação das entradas e das bandeiras. Sobre essas
relacionado à primeira investida dos holandeses ao
expedições, é CORRETO afirmar que:
Brasil, ocorrida em 08 de maio de 1624, a (o)(s)
a) A relação entre bandeirantes e povos indígenas era
a) conquista de Porto Calvo por Matias de
extremamente pacífica.
Albuquerque.
b) As bandeiras ocorreram apenas na região norte do
b) ocupação de Salvador.
País.
c) governo de Maurício de Nassau.
c) Os jesuítas nunca entraram em confronto com os
d) fundação do Arraial do Bom Jesus.
bandeirantes e até ajudavam na conquista de povos
e) Batalhas de Guararapes.
indígenas.

21

Brasil Colonial 21
H0221 - (Enem) A rebelião luso-brasileira em dividiram os lucros da comercialização do açúcar
Pernambuco começou a ser urdida em 1644 e explodiu produzido no Brasil e levado para a Europa.
em 13 de junho de 1645, dia de Santo Antônio. Uma b) Com a União Ibérica acirraram-se os conflitos entre
das primeiras medidas de João Fernandes foi decretar a Espanha e a Holanda. Com a proibição espanhola da
nulas as dívidas que os rebeldes tinham com os parceria comercial entre holandeses e produtores de
holandeses. Houve grande adesão da “nobreza da açúcar no Brasil, os flamengos invadiram o nordeste.
terra”, entusiasmada com esta proclamação heroica. c) Maurício de Nassau, administrador holandês em
VAINFAS. R Guerra declarada e paz fingida na restauração Pernambuco, promoveu reformas urbanas e manteve
portuguesa. Tempo, n. 27, 2009.
uma boa relação com os senhores de engenho.
d) A revolta conhecida como Insurreição
O desencadeamento dessa revolta na América Pernambucana acabou determinando a saída dos
portuguesa seiscentista foi o resultado do(a) holandeses do nordeste brasileiro e teve como
a) fraqueza bélica dos protestantes batavos. consequência uma crise na empresa açucareira
b) comércio transatlântico da África ocidental. brasileira.
c) auxílio financeiro dos negociantes flamengos.
d) diplomacia internacional dos Estados ibéricos. H0224 - (Uece) Atente ao seguinte enunciado: “Em seu
e) interesse econômico dos senhores de engenho. governo, Maurício de Nassau incentivou a produção de
açúcar, que havia decaído durante a conquista, com a
H0222 - (Uece) O governo de Felipe I à frente do reino concessão de financiamentos; também estimulou a
português (1581-1598) marcou o início da União agricultura de subsistência, sobretudo da mandioca,
Ibérica, período em que os dois reinos ibéricos foram para que não faltassem alimentos aos mais pobres.
governados pelo mesmo soberano, após a guerra de Homem culto e amante das artes, seu governo foi um
sucessão portuguesa. Este mesmo monarca, chamado período de tolerância religiosa entre católicos e
Felipe II, na Espanha, originou a dinastia filipina. protestantes. Seu retorno à Europa e sua substituição
por um ‘triunvirato’ – que alterou suas práticas
Em relação ao Brasil, a chegada do rei espanhol ao administrativas – fez surgir reações e insurreições por
trono português teve como consequência parte dos senhores de engenho”.
a) a elevação do Brasil a vice-reino, tal qual os demais
vice-reinos que a coroa espanhola possuía na América. O enunciado se refere ao período histórico marcado
b) a ocupação do litoral brasileiro da região Sudeste, no a) pela implantação do Governo-Geral, em 1548, como
Rio de Janeiro e em São Paulo, por espanhóis. forma de resolver o fracasso administrativo das
c) a elevação do Brasil à categoria de Reino Unido à Capitanias Hereditárias e garantir a posse e a
Portugal e à Espanha, o que apressou a independência pacificação da Colônia.
da colônia. b) pelo domínio francês no Maranhão, no qual o
d) a ocupação do litoral nordeste do Brasil pelos governo do Conde Nassau trouxe grandes avanços à
holandeses, que pretendiam retomar o comércio do cultura canavieira daquela região e o desenvolvimento
açúcar. da cidade de São Luís.
c) pelo domínio francês no Rio de Janeiro, que teve na
H0223 - (Acafe) “É verdade que antes da união das figura de Maurício de Nassau seu grande nome,
monarquias ibéricas, em 1580, ao manter uma boa responsável por desenvolver a economia e a cidade de
relação com os portugueses, os flamengos São Sebastião do Rio de Janeiro.
frequentavam os portos brasileiros e a cidade de Lisboa d) pelo domínio holandês no Nordeste do Brasil, que se
carregando açúcar em suas urcas, levando-o a refinar estendeu desde a Bahia até o Maranhão e que teve na
em Flandres e distribuindo-o por via terrestre e fluvial administração de Nassau seu período de maior
por toda a Europa central. De sua embarcação tão desenvolvimento.
características, ficou a lembrança na toponímia
carioca, através do morro que evoca a sua forma.” H0225 - (Upf) “As invasões holandesas que ocorreram
PRIORI, Mary del. Histórias da gente brasileira: volume 1: colônia.
São Paulo: Editora LeYa, 2016. Página 69. no século XVII foram o maior conflito político-militar da
Colônia brasileira. Embora concentradas no Nordeste,
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o elas não se resumiram a um simples episódio regional.
período colonial da história do Brasil é correto afirmar, Ao contrário, fizeram parte do quadro das relações
exceto: internacionais entre os países europeus, revelando a
a) Durante a União Ibérica, holandeses e espanhóis dimensão da luta pelo controle do açúcar e das fontes
formaram a Companhia das Índias Ocidentais e de suprimento de escravos”
(Boris Fausto, História do Brasil, 1996, p. 84)

22

Brasil Colonial 22
a) as bases religiosas da colonização holandesa no
Sobre o tema destacado no texto acima, é correto nordeste brasileiro produziram uma organização
afirmar que administrativa que privilegiava a elite luso-brasileira,
a) Domingos Fernandes Calabar foi o personagem ao oferecer financiamento com juros subsidiados e
principal das forças luso-brasileiras, lutando parcelas importantes do poder político aos grandes
heroicamente até o final ao lado de Portugal, que lhe proprietários católicos.
deu o título de príncipe. b) a grande distância entre as promessas de tolerância
b) a ocupação das zonas de produção açucareira na religiosa e a realidade presente no cotidiano dos
América portuguesa e o controle do suprimento de moradores da capitania de Pernambuco deu-se porque
escravos teve como principal interessada a maior os dirigentes da companhia holandesa impuseram o
companhia de comércio da época, a Companhia calvinismo como religião oficial e perseguiram as
Holandesa das Índias Ocidentais, financiada com demais religiões.
capitais do Estado e de financistas particulares. c) a presença da Companhia das Índias Ocidentais no
c) o despotismo de Maurício de Nassau em nordeste da América portuguesa trouxe benefícios aos
Pernambuco levou a sociedade local a se levantar proprietários luso-brasileiros, como o financiamento
contra o período de pobreza imposto por ele, em 1630. da produção, mas reproduziu a lógica do colonialismo,
d) o projeto holandês de colônias de povoamento, ao concentrar a riqueza no setor mercantil e não no
similar ao dos Estados Unidos, poderia ter estimulado produtivo.
um desenvolvimento autônomo à colônia brasileira, d) a felicidade prometida pelos invasores holandeses
com base na industrialização. não pôde ser efetivada em função da lógica
e) as Batalhas de Guararapes (1648 e 1649) marcaram diplomática presente na relação entre Portugal e
a tomada de Recife pelo exército luso-brasileiro, Holanda, pois se tratava de nações inimigas desde o
formado majoritariamente por índios tapuias que, com século XV, em virtude da disputa pelo comércio
sua técnica de guerra avançada, foram decisivos para a oriental.
derrota dos holandeses. e) as promessas dos invasores holandeses se
confirmaram, e a elite ligada à produção açucareira e
H0226 - (Fgv) Leia o excerto de uma peça teatral, de ao comércio colonial foi amplamente beneficiada,
1973. principalmente pelo livre comércio, o que explica a
Nassau resistência desses setores sociais ao interesse
Como Governador-Geral do Pernambuco, a minha português em retomar a região invadida pela Holanda.
maior preocupação é fazer felizes os seus moradores.
Mesmo porque eles são mais da metade da população H0227 - (Ifsc) Os holandeses estão entre os diversos
do Brasil, e esta região, com a concentração dos seus povos que invadiram ou tentaram invadir o território
quase 350 engenhos de açúcar, domina a produção que hoje corresponde ao Brasil, durante o período
mundial de açúcar. Além do mais, nessa disputa entre colonial, no século XVII.
a Holanda, Portugal e Espanha, quero provar que a
colonização holandesa é a mais benéfica. Minha Sobre a presença holandesa no Brasil, assinale a
intenção é fazê-los felizes… sejam portugueses, alternativa CORRETA.
holandeses ou os da terra, ricos ou pobres, a) Os holandeses estabeleceram suas colônias no
protestantes ou católicos romanos e até mesmo Sudeste brasileiro.
judeus. b) Os holandeses eram parceiros comerciais dos
Senhores, a Companhia das Índias Ocidentais, que portugueses na atividade açucareira.
financiou a campanha das Américas, fecha agora o c) O principal interesse dos holandeses era a crescente
balanço dos últimos quinze anos com um saldo economia cafeeira.
devedor aos seus acionistas da ordem de dezoito d) Os portugueses estabeleceram uma política de
milhões de florins. cordialidade com os holandeses quando estes
Moradores invadiram sua colônia.
Viva! Já ganhou! (...) Viva ele! Viva! e) Os holandeses saíram do Brasil por meio de um
processo chamado “União Ibérica”.
Chico Buarque de Holanda e Ruy Guerra. Calabar: o elogio da
traição, 1976. Adaptado.
H0228 - (Acafe) A União Ibérica (1580-1640)
Sobre o fato histórico ao qual a obra teatral faz caracterizou-se quando Filipe II invadiu Portugal com
referência, é correto afirmar que suas tropas e assumiu a coroa portuguesa, unindo
Portugal e Espanha.
23

Brasil Colonial 23
de suprimento de escravos.
No contexto da União Ibérica, todas as alternativas (FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 1996, p. 84.)
estão corretas, exceto a:
a) Em 1640 terminou o domínio espanhol, através do Tendo em vista o quadro histórico descrito acima,
movimento liderado pelo Duque de Bragança. O duque considere o seguinte:
foi coroado monarca de Portugal, dando início à I. A Companhia Holandesa das Índias Ocidentais teve
dinastia de Bragança. como alvo principal a ocupação das zonas de produção
b) Neste período, o Tratado de Tordesilhas não teve açucareira na América portuguesa.
nenhum efeito entre os limites territoriais portugueses II. Domingos Fernandes Calabar, alagoano, tornou-se
e espanhóis na América. Isto favoreceu o avanço colaborador das forças invasoras, até ser preso e
português para o interior da colônia. executado.
c) O principal motivo da União Ibérica foi a tentativa da III. Durante o governo do príncipe Maurício de Nassau,
França de anexar a Espanha ao seu território. A União ocorreu a vinda de artistas, naturalistas e letrados para
do exército espanhol com o exército português Pernambuco, e o Recife conheceu vários
conseguiu afastar esta ameaça. melhoramentos urbanos.
d) Os holandeses invadiram o nordeste neste período IV. Os holandeses defendiam o trabalho livre e
e dominaram Pernambuco, pois os espanhóis não postulavam pelo fim da escravidão.
estavam permitindo o contato comercial dos batavos V. A reconquista ocorreu porque os brasileiros uniram
com os produtores de açúcar. os brancos, os negros escravos e os índios em prol de
Portugal num acordo que ficou conhecido como a
“união das três raças”.
H0229 - (Upe) Os holandeses ocuparam, durante 24
anos, o Nordeste brasileiro: Pernambuco, Paraíba, Rio Está correto apenas o que se afirma em:
Grande do Norte e Itamaracá (1630-1654). Nesse a) I e II.
período, Pernambuco se transformou numa verdadeira b) II e III.
metrópole, com uma vida cultural intensa, onde c) I, II e III.
poetas, cientistas e filósofos tornaram o Brasil um d) III, IV e V.
centro intelectual único na América do Sul. Nesse e) III e V.
contexto, os judeus puderam constituir uma
comunidade com escolas, sinagogas e cemitério, H0231 - (Upe) A primeira metade do século XVII em
dando sua contribuição ao enriquecimento da vida Pernambuco foi marcada pela invasão holandesa à
cultural da região. capitania. A presença holandesa em Pernambuco
LEVY, Daniela Tonello. Judeus e Marranos no Brasil Holandês. durou 24 anos, de 1630 a 1654. A invasão foi motivada
Pioneiros na colonização de Nova York. Século XVII. São Paulo: por vários fatores, dos quais podemos destacar
USP, 2008. (Adaptado) a) o sucesso da colonização holandesa no sul da
América, especialmente nas possessões espanholas, e
Uma característica sociopolítica da ocupação a vontade da Holanda em expandir seus domínios no
holandesa no contexto mencionado foi Novo Mundo.
a) a retração da produção de açúcar. b) a necessidade do algodão, produto amplamente
b) o florescimento de um movimento produzido na capitania de Pernambuco, desde o século
antimodernizador. XVI, por parte das indústrias têxteis holandesas.
c) o estabelecimento da tolerância e da liberdade c) o bloqueio do acesso holandês pela Coroa Espanhola
religiosa. ao comércio do açúcar produzido em Pernambuco,
d) a preocupação apenas em explorar comercialmente durante a União Ibérica.
o território. d) a presença maciça de tropas holandesas na Bahia,
e) a manutenção de boas relações comerciais com o desde 1625.
mundo ibérico. e) os interesses dos comerciantes e senhores de
engenho locais em comercializar com os holandeses,
H0230 - (Upf) As invasões holandesas que ocorreram em detrimento dos portugueses.
no século XVII foram o maior conflito militar da
Colônia. Embora concentradas no Nordeste, elas não H0232 - (Fgv) A interrupção desse fluxo comercial
se resumiram a um simples episódio regional. Ao levaria os negociantes e financistas da República a
contrário, fizeram parte do quadro das relações fundarem a Companhia das Índias Ocidentais (1621).
internacionais entre os países europeus, revelando a (...)
dimensão da luta pelo controle do açúcar e das fontes

24

Brasil Colonial 24
O historiador Charles Boxer considera que esse c) I e III apenas.
conflito, por produtos e mercados, entre o Império d) I, II e III.
Habsburgo e as Províncias Unidas, foi tão generalizado
que pode ser considerado, de fato, a Primeira Guerra H0234 - (Ufpr) Considere as seguintes afirmativas
Mundial, pois atingiu os quatros cantos do mundo. sobre a sociedade e a economia açucareiras entre os
Acerca do fragmento, que aborda o conflito entre o séculos XVI e XVII do período colonial brasileiro:
Império Espanhol e as Repúblicas das Províncias
Unidas, nas primeiras décadas do século XVII, é correto 1. O período de produção açucareiro pode ser
afirmar que compreendido em seus aspectos econômicos como a
a) os fundamentos da presença holandesa em todos os primeira iniciativa de colonização do Brasil, em que o
domínios coloniais portugueses devem ser associados açúcar era o principal produto no comércio com a
à conjuntura de guerra religiosa dominante na Europa, metrópole.
cabendo aos representantes batavos, 2. Entre 1630 e 1654, os espanhóis controlaram as
prioritariamente, impor o calvinismo nas regiões fontes brasileiras de produção de açúcar em
recém-conquistadas, caso de Angola. Pernambuco com o apoio dos indígenas e dos escravos,
b) as práticas holandesas de desrespeito aos domínios que podiam viver sob uma administração política mais
coloniais das outras potências europeias, tolerante aos seus costumes religiosos.
especialmente Portugal e França, determinaram uma 3. O declínio da economia açucareira ocorreu após a
onda permanente de guerras entre essas potências, expulsão dos holandeses, que investiram na produção
gerando o isolamento estratégico das companhias de de açúcar nas Antilhas.
comércio de capital holandês. 4. O sistema açucareiro caracterizou-se por uma
c) a presença holandesa no Nordeste brasileiro, agricultura em grandes propriedades, comandadas
visando o comando da produção açucareira, fez parte pelo senhor de engenho, que possuía plenos poderes
de um processo mais amplo, porque esteve associada políticos sobre a estrutura que os engenhos
ao domínio de espaços fornecedores de escravos na mobilizavam no campo e nas vilas.
África, além de outros domínios no Oriente, até então
sob o domínio português. Assinale a alternativa correta.
d) o maior interesse da companhia de comércio a) Somente as afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.
holandesa era a exploração mineral na América b) Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.
portuguesa e, para atingir esse objetivo, optou pela c) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.
entrada no Brasil por meio do Nordeste açucareiro, d) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras.
porque era uma região menos protegida militarmente e) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras.
e mais aberta à influência estrangeira.
e) a disputa por espaços coloniais no Caribe e na região H0235 – (Fgv) Feitas as contas, a historiografia
oeste da América do Norte gerou uma guerra europeia tradicional do bandeirantismo errou na proposição
de grandes proporções, envolvendo as principais secundária (as bandeiras caçavam índios para vendê-
monarquias do continente e obrigando a Espanha a se los no Norte), mas acertou na principal (as bandeiras
aliar à França e à Inglaterra, com o intuito de se foram originadas pela quebra do tráfico atlântico): os
defender da marinha de guerra holandesa. anos 1625-50 configuram, incontestavelmente, um
período de “fome de cativos”.
H0233 - (Uece) Atente ao que se afirma a respeito da (Luiz Felipe de Alencastro, O trato do viventes. p. 198-9)
invasão holandesa no Nordeste brasileiro. Esse “período de ‘fome de cativos’” relacionou-se
a) aos conflitos entre os holandeses e os portugueses
I. A ocupação do Nordeste do Brasil pelos holandeses no controle sobre o tráfico negreiro africano.
surgiu como episódio da ofensiva econômica b) às inúmeras guerras internas na África, que
holandesa do século XVII. diminuíram drasticamente a oferta de homens para o
II. A expansão econômica holandesa baseava-se tráfico intercontinental.
essencialmente no comércio, na usura e em outras c) à ascensão da marinha de guerra inglesa que,
atividades ligadas à circulação de riquezas. interessada na exploração da África, conteve a retirada
III. O objetivo maior da invasão era a conquista da de homens do continente.
próspera economia açucareira das capitanias do d) à ação militar e diplomática da França, que obteve o
Nordeste. monopólio virtual do tráfico de escravos para a
É correto o que se afirma em América.
a) I e II apenas. e) a importantes restrições de escravização dos
b) II e III apenas. africanos impostas pela Igreja Católica.
25

Brasil Colonial 25
H0236 - (Enem) Os holandeses desembarcaram em a) passou a pilhar e saquear as feitorias na costa
Pernambuco no ano de 1630, em nome da Companhia africana dominada pelos espanhóis, interessada no
das Índias Ocidentais (WIC), e foram aos poucos comércio de escravos e de marfim, invadindo,
ocupando a costa que ia da foz do Rio São Francisco ao também, as cidades de Santos e Salvador, no Brasil.
Maranhão, no atual Nordeste brasileiro. Eles chegaram b) o embargo espanhol representou prejuízos para os
ao ponto de destruir Olinda, antiga sede da capitania interesses holandeses no Brasil, uma vez que
de Duarte Coelho, para erguer no Recife uma pequena participavam do comércio de produtos tropicais
Amsterdã. nacionais, principalmente do pau-brasil.
NASCIMENTO, R. L. X. A toque de caixas. Revista de História da c) sofria, na época, perseguições religiosas na Europa e
Biblioteca Nacional, ano 6, n. 70, jul. 2011. retaliações dos católicos residentes em seu país, por
isso, seu desejo foi montar uma colônia protestante no
Do ponto de vista econômico, as razões que levaram os Brasil.
holandeses a invadirem o nordeste da Colônia d) ocupou o nordeste brasileiro para evitar a criação de
decorriam do fato de que essa região bases e feitorias espanholas, visando quebrar o
a) era a mais importante área produtora de açúcar na monopólio da rota da prata advinda das demais
América portuguesa. colônias e também minar o prestígio internacional
b) possuía as mais ricas matas de pau-brasil no litoral ibérico.
das Américas. e) apoderou-se do nordeste brasileiro e retomou o
c) contava com o porto mais estratégico para a controle da lucrativa operação de transporte, refino e
navegação no Atlântico Sul. distribuição comercial do açúcar brasileiro, perdido a
d) representava o principal entreposto de escravos partir da União Ibérica.
africanos para as Américas.
e) constituía um reduto de ricos comerciantes de H0264 - (Uemg)
açúcar de origem judaica.

H0237 - (Espm) Leia os versos de Gregório de Matos


abaixo e responda:

O açúcar já se acabou? Baixou.


E o dinheiro se extinguiu? Subiu.
Logo já convalesceu? Morreu.
À Bahia aconteceu
o que a um doente acontece,
cai na cama, o mal lhe cresce,
baixou, subiu e morreu.
A decadência econômica que afetava a Bahia e o
Nordeste brasileiro no final do século XVII decorria:
a) da invasão francesa e da devastação da lavoura Em 2014, foram comemorados os 200 anos da morte
canavieira; do criador das belíssimas peças em pedra sabão, uma
b) da região se encontrar então sob a ocupação das quais é apresentada na imagem acima, sendo a
holandesa; mesma de autoria do mais importante artista brasileiro
c) da concorrência que o açúcar produzido pelos do período colonial: Antônio Francisco Lisboa, o
holandeses, nas Antilhas, fazia ao açúcar produzido no Aleijadinho (1737-1814). Ele nasceu em Vila Rica, atual
Brasil; Ouro Preto, e antes dos 50 anos, foi acometido por
d) do deslanchar naquele tempo da cafeicultura; uma doença degenerativa que atrofiava seu corpo.
e) do fato de a Espanha, que dominava a região na Mesmo assim, tornou-se um dos maiores mestres do
época, ter seu interesse voltado para a extração da Barroco no Brasil.
prata em regiões como México e Peru.
O Barroco teve terreno fértil para a expansão em Minas
H0238 - (Mackenzie) Com a união das coroas de Gerais, pois
Portugal e Espanha, ocorreu o início do período a) o enriquecimento provocado pela mineração e a
chamado de União Ibérica (1580-1640). A Holanda, que forte religiosidade dos povos das Minas, conjugados
enfrentou diversas lutas contra a Espanha, exerceu com a intensa vida cultural ligada ao catolicismo,
influência direta na colônia portuguesa na América, favoreceram o desenvolvimento desse estilo artístico
pois na região.
26

Brasil Colonial 26
b) a pouca presença de protestantes na região, por a) Tratado de Utrecht, de 1713.
causa da distância do litoral, fez com que não houvesse b) Tratado de Methuen, de 1703.
forte influência desse ramo religioso, deixando c) Tratado de Paris, de 1763.
caminho livre para a expansão do Barroco, tão ligado d) Tratado de Madri, de 1750.
ao catolicismo. e) Tratado de Utrecht, de 1715.
c) fortaleceu-se com os altos investimentos feitos pelo
governo português na região, já que por causa da H0267 - (Uece) A partir do século XVIII, houve um
produção aurífera, buscava-se fazer de Minas, e crescimento da estrutura urbana no Brasil Colônia,
principalmente de Vila Rica, a referência americana com o surgimento de um grande número de vilas e
para a Europa. cidades, devido, principalmente,
d) a decadência da produção açucareira no Nordeste e a) ao crescimento da atividade açucareira em todo o
a descoberta do ouro em Minas levaram os principais Brasil, após a expulsão dos invasores holandeses.
artistas da Colônia a migrarem para Vila Rica, em busca b) ao desenvolvimento da mineração de ouro e pedras
de financiamento para suas obras e apoio para novos preciosas na região de Minas Gerais e à pecuária no
empreendimentos. Nordeste.
c) ao estabelecimento da industrialização promovida
H0265 - (Fgv) D. Luís da Cunha foi um dos mais pela vinda da família real portuguesa para o Brasil.
importantes letrados do Império português. Em 1736, d) ao aparecimento da cafeicultura como atividade
ao final de sua vida, elaborou uma obra intitulada econômica de exportação nas regiões Sudeste e
Instruções Políticas, sobre Portugal e suas colônias, Nordeste.
onde propunha que o monarca português, D. João V,
escolhesse a cidade do Rio de Janeiro como sede da H0268 - (Famerp) A camada intermediária abrangia,
Corte e capital do Império. nas Minas, indivíduos entregues a uma gama variada
de atividades profissionais. Creio ser possível arriscar a
A respeito do papel da cidade do Rio de Janeiro no hipótese de que poucos viviam com certo conforto e
período colonial, é correto afirmar: despreocupação, a grande maioria sendo constituída
a) A partir das ponderações de D. Luís da Cunha, a pelos que tinham de lutar diariamente pela
monarquia portuguesa passou a organizar seus subsistência, numa capitania inteiramente voltada
domínios coloniais sob a forma de províncias, tanto na para a faina aurífera e para a mineração de diamantes.
América quanto na África, com elevado grau de (Laura Vergueiro. Opulência e miséria das Minas Gerais, 1983.)
autonomia administrativa.
b) O Rio de Janeiro tornou-se capital da área colonial Entre os membros do grupo social apresentado no
em 1763, elevada à condição de Vice-Reino em 1774, texto, viviam nas Minas Gerais do século XVIII:
mas perdeu essa condição no início do século XIX para a) pecuaristas, alfaiates e escravos.
a cidade de São Luís, no Maranhão. b) vendeiros, bandeirantes e grandes produtores
c) Influenciado pelo Marquês de Pombal, D. Luís da rurais.
Cunha propôs a transferência da capital do Império c) pintores, altos dignitários da Igreja e prostitutas.
para o Rio de Janeiro como uma forma de controlar as d) tropeiros, contratadores de diamante e romeiros.
atividades dos jesuítas e de suas missões. e) carpinteiros, padres e faiscadores.
d) O Rio de Janeiro sucedeu à cidade de Salvador como
capital do Brasil em 1763, em uma medida que H0269 - (Enem) A partir da segunda metade do século
acompanhava o deslocamento da base econômica da XVIII, o número de escravos recém-chegados cresce no
colônia do Nordeste para a região mineradora. Rio e se estabiliza na Bahia. Nenhum lugar servia tão
e) Apesar de não possuir a infraestrutura necessária, a bem à recepção de escravos quanto o Rio de Janeiro.
partir das sugestões de D. Luís da Cunha, as FRANÇA, R. O tamanho real da escravidão. O Globo, 5 abr. 2015
(adaptado).
autoridades portuguesas iniciaram os preparativos
Na matéria, o jornalista informa uma mudança na
para que o Rio de Janeiro viesse a sediar a capital do
dinâmica do tráfico atlântico que está relacionada à
Império.
seguinte atividade:
a) Coleta de drogas do sertão.
H0266 - (Espcex) A industrialização da segunda metade
b) Extração de metais preciosos.
do século XVIII, particularmente na Inglaterra, iniciou-
c) Adoção da pecuária extensiva.
se com a mecanização do setor têxtil, cuja produção
d) Retirada de madeira do litoral.
tinha amplos mercados nas colônias inglesas. Qual
e) Exploração da lavoura de tabaco.
tratado abriu as portas das colônias portuguesas para
as manufaturas inglesas?
27

Brasil Colonial 27
H0270 - (Uece) Segundo nos informa Darcy Ribeiro metais e pedras preciosas no interior da América
(1995, p.194), em fins do século XVI, a colônia possuía portuguesa na formação histórica do centro-sul do
3 cidades, a maior delas, Salvador, então sede do Brasil, é correto afirmar que:
Governo Geral, contava com aproximadamente 15 mil a) A demanda do mercado consumidor criado na zona
habitantes; no final do século XVII, salvador tinha em mineradora permitiu a conexão entre diferentes partes
torno de 30 mil habitantes e Recife tinha 20 mil. Ao da Colônia que até então eram pouco integradas.
final do século XVIII, enquanto cidades centenárias b) A partir da criação de rotas de comércio entre os
como Salvador e Recife tinham por volta de 40 mil e 25 campos do sul da Colônia e a região mineradora,
mil habitantes, respectivamente, a jovem cidade de Sorocaba e suas feiras perderam a relevância
Vila Rica, hoje Ouro Preto, elevada à categoria de Vila econômica adquirida no século XVII.
somente em 1711, já possuía cerca de 30 mil c) O desenvolvimento socioeconômico da região das
habitantes. minas e do centro-sul levou a Coroa a deslocar a capital
RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: A formação e o sentido do da Colônia de Salvador para Ouro Preto em 1763.
Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995, p. 194. d) Como o solo da região mineradora era infértil,
durante todo o século XVIII sua população importava
O fenômeno demográfico do rápido crescimento os produtos alimentares de Portugal ou de outras
populacional de Vila rica (Ouro Preto) no século XVIII é capitanias.
atribuído
a) ao processo de interiorização da colonização H0272 - (Upf) No Brasil do século XVIII, a mineração
portuguesa no Brasil a partir da expansão da atividade marcou o deslocamento do eixo econômico para o
pecuarista, por meio das correntes do sertão de Centro, incorporando os territórios que viriam a
dentro, oriunda da Bahia, e do sertão de fora originária compor as capitanias de Minas Gerais, Goiás e Mato
de Pernambuco. Grosso. Sobre essa atividade, leia as seguintes
b) à grande migração de colonos e de pessoas oriundas afirmações:
de Portugal para a região que hoje é Minas Gerais, em
função das descobertas de jazidas de ouro e pedras I. A ocupação das regiões mineradoras ocorreu de
preciosas, o que fez surgirem vários centros urbanos na modo diverso daquela ocorrida nas áreas litorâneas e
área. pecuaristas, pois deu início à urbanização do interior.
c) ao estímulo ao desenvolvimento da colônia, II. O Rio de Janeiro foi o porto de escoamento do ouro
promovido por Sebastião José de Carvalho e Melo, o para a Europa e ingresso de mercadorias que iam para
marquês de Pombal, secretário de Estado do Reino, as minas.
sob o reinado de D. José I, que incentivou a indústria e III. O Rio Grande do Sul integrou-se à economia
a educação no Brasil. nacional enviando gado de corte e animais de carga
d) à ocupação de vastos espaços do território da para a região mineradora, tendo a vila de Sorocaba (SP)
colônia por colonos espanhóis das regiões do Potosi e como principal eixo comercial.
do Rio da Prata, quando ocorreu a União Ibérica (1580- IV. A estratificação social nas minas era marcada por
1640), época em que reis hispânicos governaram o uma grande participação dos setores populares e dos
reino de Portugal. escravos na tomada de decisões.
V. A convergência dos caminhos no centro do país foi
H0271 - (Unicamp) Tanto que se viu a abundância do denominada de Cruzeiro Rodoviário.
ouro que se tirava e a largueza com que se pagava tudo
o que lá ia, logo se fizeram estalagens e logo Está correto apenas o que se afirma em
começaram os mercadores a mandar às Minas Gerais o a) I, II e V.
melhor que chega nos navios do Reino e de outras b) I, II e III.
partes. De todas as partes do Brasil, se começou a c) II, III e IV.
enviar tudo o que dá a terra, com lucro não somente d) II, IV e V.
grande, mas excessivo. Daqui se seguiu, mandarem-se e) III, IV e V.
às Minas Gerais as boiadas de Paranaguá, e às do rio
das Velhas, as boiadas dos campos da Bahia, e tudo o H0273 - (Ufms) Quando pensamos na diversidade de
mais que os moradores imaginaram poderia apetecer- paisagens, associada à extensão territorial e às formas
se de qualquer gênero de cousas naturais e industriais, como foram povoadas as diversas regiões do Brasil,
adventícias e próprias. retomamos a ideia de que o País assume dimensões
(Adaptado de André Antonil, Cultura e Opulência do Brasil. Belo
Horizonte: Itatiaia-Edusp, 1982, p. 169-171.) continentais. Além da vastidão do território, é
importante lembrar que o Brasil também possui uma
Sobre os efeitos da descoberta das grandes jazidas de história riquíssima e que cada região foi marcada por
28

Brasil Colonial 28
uma atividade econômica ao longo do período de d) o desenvolvimento de ampla produção agrícola na
ocupação pós-1500. Assim, assinale a alternativa que região das Minas e a autossuficiência alimentar das
associa corretamente: a região do país, a atividade áreas mineradoras.
econômica que historicamente foi praticada na região, e) a implantação de vasta rede de transportes na região
o período em que obteve maior êxito e qual foi a matriz das Minas e o rápido escoamento do ouro na direção
da mão de obra utilizada. dos portos do Nordeste.
a) Região Nordeste; mineração; período imperial;
trabalho assalariado. H0276 - (Uece) O início do Séc. XVIII marcou uma
b) Região Sul; lavoura açucareira; período colonial; importante mudança no processo de colonização do
trabalho escravo. Brasil pela metrópole portuguesa. A descoberta de
c) Região Norte; produção de algodão; período jazidas de pedras e metais preciosos, no interior do
imperial; trabalho indígena. território, promoveu interiorização do povoamento e
d) Região Centro-Oeste; mineração; período diversas alterações na administração colonial.
republicano; trabalho assalariado.
e) Região Sudeste; mineração; período colonial; Sobre esse período, é correto afirmar que
trabalho escravo. a) apesar de a capital da colônia permanecer no litoral,
diversos núcleos urbanos surgiram nas regiões de
H0274 - (Fatec) Potosí e Vila Rica foram duas cidades exploração mineira tais como Vila Rica, Diamantina,
economicamente importantes das Américas espanhola Sabará e Mariana.
e portuguesa, respectivamente, uma vez que, do b) a mais importante alteração administrativa foi a
entorno delas, foram extraídos metais preciosos. A transferência da capital da colônia, de Salvador, na
acumulação desses e de outros metais, o controle da Bahia, para Ouro Preto, em Minas Gerais.
balança comercial e o monopólio do comércio colonial c) a cobrança de impostos sobre a mineração, como o
foram parte de uma política econômica que fortaleceu “quinto”, praticada pela Intendência das Minas, era
Estados europeus e garantiu o seu desenvolvimento tolerada pois todos os recursos eram usados na
econômico posterior. educação e na saúde pública e gratuita para os colonos.
d) na atividade mineradora, o uso de trabalho escravo,
Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, os muito amplo na economia açucareira, era quase
metais extraídos do entorno dessas duas cidades inexistente, sobressaindo-se o trabalho livre de
coloniais e a política econômica à qual o texto se refere. imigrantes europeus.

Metais extraídos Política econômica


H0277 - (Unesp) Em meados do século o negócio dos
a) Diamante e cobre Monetarismo metais não ocuparia senão o terço, ou bem menos, da
população. O grosso dessa gente compõe-se de
b) Ouro e diamante Monetarismo
mercadores de tenda aberta, oficiais dos mais variados
c) Cobre e níquel Metalismo ofícios, boticários, prestamistas, estalajadeiros,
taberneiros, advogados, médicos, cirurgiões-barbeiros,
d) Prata e ouro Mercantilismo burocratas, clérigos, mestres-escolas, tropeiros,
soldados da milícia paga. Sem falar nos escravos, cujo
e) Níquel e prata Mercantilismo total, segundo os documentos da época, ascendia a
mais de cem mil. A necessidade de abastecer-se toda
essa gente provocava a formação de grandes currais; a
H0275 - (Famerp) A descoberta de ouro, no Brasil do própria lavoura ganhava alento novo.
(Sérgio Buarque de Holanda. “Metais e pedras preciosas”. História
século XVII, provocou, entre outros, geral da civilização brasileira, vol. 2, 1960. Adaptado.)
a) a formação de núcleos populacionais no interior da
colônia e o pagamento, por Portugal, de parte das De acordo com o excerto, é correto concluir que a
dívidas com a Inglaterra. extração de metais preciosos em Minas Gerais no
b) o fim da economia agrícola monocultora e a clara século XVIII
diferenciação em relação às áreas de colonização a) impediu o domínio do governo metropolitano nas
espanhola na América. áreas de extração e favoreceu a independência
c) o início do extrativismo na colônia e a exploração dos colonial.
metais nobres brasileiros por multinacionais inglesas e
norte-americanas.

29

Brasil Colonial 29
b) bloqueou a possibilidade de ascensão social na a) Para o desenvolvimento das atividades de
colônia e forçou a alta dos preços dos instrumentos de exploração das minas foi decisiva a permissão dada
mineração. pela metrópole ao desenvolvimento técnico e
c) provocou um processo de urbanização e articulou a industrial da região.
economia colonial em torno da mineração. b) Os caminhos entre as minas e Salvador, além de
d) extinguiu a economia colonial agroexportadora e escoar a produção mineradora e permitir a entrada de
incorporou a população litorânea economicamente escravos, ficaram marcados pelo aparecimento de
ativa. importantes vilas e povoados.
e) restringiu a divisão da sociedade em senhores e c) A produção agrícola na região das minas
Escravos e limitou a diversidade cultural da colônia. desenvolveu-se a ponto de se tornar um dos principais
itens da pauta de produtos exportados no período
H0278 - (Espm) “Em 1759, os jesuítas foram expulsos colonial.
de Portugal e do Brasil pelo marquês de Pombal. Nas d) Apesar do crescimento da agricultura e da pecuária,
reformas pombalinas, a expulsão dos jesuítas foi o mercado interno não se desenvolveu no Brasil
capítulo dos mais dramáticos, ousados e radicais, colonial, cuja produção se manteve estritamente
demonstrando até que ponto se reafirmava a voltada ao mercado externo.
soberania do Estado português na colônia.” e) As atividades agrícolas e a pecuária desenvolveram-
(Carlos Guilherme Mota e Adriana Lopez. História do Brasil: Uma se de certo modo integradas ao desenvolvimento da
interpretação) mineração e da urbanização da região mineradora.
Os problemas em questão têm por origem o seguinte: H0280 - (Mackenzie) A expulsão da Companhia de
a) Pombal acusava a Companhia de Jesus de formar um Jesus de todos os territórios portugueses, em 1759, foi
verdadeiro Estado dentro do Estado e resistir ao poder uma das medidas mais polêmicas tomadas por Pombal.
do rei; Em geral, as justificativas para esse ato são a total
b) Pombal condenava o monopólio do comércio de incompatibilidade entre o controle das práticas
escravos africanos pela Companhia de Jesus; pedagógicas adotadas pelos jesuítas e o projeto
c) Pombal se ressentiu da recusa por parte da educacional iluminista pombalino. Todavia, é
Companhia de Jesus de participar da colonização do importante assinalar que tal expulsão também está
Estado do Grão-Pará e Maranhão; relacionada
d) Pombal rompeu com os jesuítas após a Companhia a) aos embates entre o Despotismo Esclarecido e as
de Jesus apresentar uma decidida condenação ao convicções dogmáticas da Igreja, que persistiram no
tráfico negreiro praticado pelo governo português; governo de Pombal e de D. Maria I.
e) Os jesuítas apoiavam as pretensões espanholas nas b) à imposição do catolicismo como religião oficial da
negociações dos tratados de limites ocorridos no colônia, fruto da subordinação da coroa portuguesa às
século XVIII. decisões do papa.
c) ao controle do comércio de escravos africanos pelos
H0279 - (Fgv) [...] se o interesse da Coroa estava jesuítas na região norte, impedindo lucros para a coroa
centralizado na atividade minerária, ela não poderia portuguesa.
negligenciar outras atividades que garantissem sua d) à influência da burguesia huguenote na corte de D.
manutenção e continuidade. É nesse contexto que a José I, exigindo o direito de educar os filhos dos
agricultura deve ser vista integrando os mecanismos colonos, até então monopólio dos jesuítas.
necessários ao processo de colonização desenvolvidos e) ao interesse em estabelecer o controle sobre as
na própria Colônia, uma vez que, voltada para o fronteiras da América portuguesa e sobre os recursos
consumo interno, era um meio de garantir a econômicos produzidos nessas regiões.
reprodução da estrutura social, além de permitir a
redução dos custos com a manutenção da força de
trabalho escrava.
Guimarães, C. M. e REIS, F. M. da M. “Agricultura e mineração no
século XVIII”,
in Resende, m.e.l. e VILLALTA, L.C. (orgs.) História de Minas
Gerais. As minas setecentistas.
Belo Horizonte: Autêntica Editora/Companhia do Tempo, 2007, p.
323.
Assinale a alternativa que interpreta corretamente o
texto.

30

Brasil Colonial 30
H0281 – (Ufsm) H0283 - (Cps) O escultor Antonio Francisco Lisboa (c.
1730-1814), mais conhecido como Aleijadinho, é o
autor das doze esculturas dos profetas bíblicos na
cidade mineira de Congonhas do Campo.

A igreja de São Francisco (foto), construída em Ouro Sobre o contexto histórico em que viveu Aleijadinho, é
Preto no século XVIII, é um marco do barroco e da correto afirmar que foi o período
arquitetura brasileira. O contexto histórico que explica a) da colonização e do ciclo do ouro.
a realização dessa obra é criado pelo(a) b) da colonização e do ciclo do pau-brasil.
a) crise do sistema colonial e eclosão das revoltas c) do Primeiro Reinado e do ciclo do açúcar.
regenciais. d) do Segundo Reinado e do ciclo do café.
b) deslocamento do centro administrativo da Colônia e) da Regência Una e do ciclo da borracha.
para a cidade de Ouro Preto.
c) exploração econômica das minas de ouro e H0239 - (Ufjf) Observe as imagens abaixo:
consolidação da agricultura canavieira.
d) ciclo da mineração e decorrente diversificação do
sistema produtivo.
e) distanciamento em relação a autoridade colonial e
consequente maior liberdade de expressão.

H0282 - (Cps) Há caminhos e cidades brasileiras que


nasceram a partir de rotas comerciais ou de exploração
do território, que homens percorreram por rios, por
terra e por mar, perfazendo longas distâncias de
diversas formas, muitas vezes se aproveitando de
caminhos já utilizados pelos povos indígenas.
Uma dessas rotas ligava, entre os séculos XVIII e XIX,
Viamão, no atual Rio Grande do Sul, a Sorocaba, no
atual estado de São Paulo, formando, ao longo do
trajeto, povoados a partir dos pousos – locais de
descanso.

Assinale a alternativa que corresponde corretamente


aos agentes e ao movimento referido.
a) Cavaleiros transportando mercadorias do Pantanal.
b) Bandeirantes à procura de índios, ouro e pedras
preciosas.
c) Tropeiros, com mulas, cavalos e bois, transportando Considerando seu conhecimento sobre os dois
mercadorias. movimentos a que se referem as imagens, é CORRETO
d) Viajantes em cavalos e mulas, para transportar ouro afirmar que:
e pedras preciosas.
e) Navegantes em pequenas embarcações, para
explorar a costa do sul do Brasil.
31

Brasil Colonial 31
a) A composição social dos dois movimentos era república, que teria Ouro Preto como capital, também
diferente e, por isso, os dois defendiam o fim da o perdão de todas as dívidas para com a Fazenda Real.
desigualdade de classe e raça. b) manifestava-se contra os rigores da política fiscal
b) Os líderes dos dois movimentos se mantinham metropolitana sobre a Capitania das Minas, exercida
afastados do povo, evitando a participação dos pobres, através da Casa de Contratação, e inspirava-se nos
escravos e sendo contrários à escravidão. ideais revolucionários franceses.
c) Os negros e ex-escravos mantinham-se na liderança c) visava à independência econômica e à política da
dos dois movimentos, defendendo o fim do pacto Colônia. O levante foi deflagrado quando se exigiu o
colonial e a independência do Brasil. pagamento dos impostos atrasados pelas Casas de
d) A presença dos negros nos dois movimentos foi Fundição em todo o país.
decisiva para o projeto de resistência social e luta d) era de caráter nacionalista, visando à independência
armada contra Portugal e a burguesia brasileira. da Colônia e ao rompimento dos lanços com a
e) A diferença social entre os dois movimentos foi metrópole, com o livre direito de implantação de
fundamental para os dois projetos, que se distinguiam, manufaturas nas capitanias e ao comércio exterior.
sobretudo, no que se refere à defesa do fim da e) foi ideologicamente influenciado pelos princípios
escravidão. iluministas, divulgados em Minas por uma elite
intelectual e acolhidos pela população local, devido à
H0240 - (Fac. Albert Einstein) Crise do sistema colonial crise econômica.
é, portanto, aqui entendida como o conjunto de
tendências políticas e econômicas que forcejavam no H0242 - (Espcex) No início do século XVIII, a
sentido de distender ou mesmo desatar os laços de concorrência das Antilhas fez com que o preço do
subordinação que vinculavam as colônias ultramarinas açúcar brasileiro caísse no mercado europeu. Os
às metrópoles europeias. proprietários de engenho, em Pernambuco, para
(Fernando A. Novais. Portugal e Brasil na crise do Antigo Sistema minimizar os efeitos desta crise, recorreram a
Colonial (1777-1808), 1981.)
empréstimos junto aos comerciantes da Vila de Recife.
A crise mencionada no texto pode ser associada, entre Esta situação gerou um forte antagonismo entre estas
outros fatores, partes, que se acirrou quando D. João V emancipou
a) ao fim do colonialismo europeu nas Américas e na politicamente Recife, deixando esta de ser vinculada a
África e ao surgimento de ideias sociais libertadoras Olinda. Tal fato desobrigou os comerciantes de Recife
nos dois continentes. do recolhimento de impostos a favor de Olinda. O
b) à consolidação da hegemonia marítima britânica e conflito que eclodiu em função do acima relatado foi a
às limitações impostas pela Inglaterra ao tráfico a) Revolta de Beckman.
atlântico de escravos. b) Guerra dos Mascates.
c) ao crescimento do republicanismo no Brasil e ao c) Guerra dos Emboabas.
esforço de redemocratização política empreendido na d) Insurreição Pernambucana.
Europa e na América. e) Conjuração dos Alfaiates.
d) à influência crescente dos Estados Unidos nas
decisões políticas brasileiras e à ampliação do comércio H0243 - (Uece) Ocorridos entre os meados do século
com os países hispano-americanos. XVII até as primeiras décadas do século XVIII, os
e) ao declínio da política mercantilista na Europa e ao movimentos nativistas apresentam-se como os
avanço das propostas reformistas e liberais na primeiros sinais de uma crise do sistema colonial.
economia e na política. Sobre esses movimentos, é correto afirmar que
a) tinham como principal objetivo a separação política
H0241 - (Mackenzie) “O resto empório das douradas entre colônia e metrópole, com a autonomia
Minas administrativa e a formação de novas nações livres nas
Por mim o falará: quando mais finas regiões onde ocorriam.
Se derramam as lágrimas no imposto b) em Minas Gerais, com a Guerra dos Emboabas e a
Clama o desgosto de um país decadente.” Revolta de Felipe dos Santos, no Maranhão, com a
(Cláudio Manoel da Costa)
Revolta dos Beckman, e em Pernambuco, com a
O intelectual e advogado, autor da poesia acima, foi um
Insurreição Pernambucana e a Guerra dos Mascates,
dos integrantes da mais importante revolta colonial
aparecem as divergências entre os interesses dos
brasileira, conhecida como Inconfidência Mineira.
colonos e os da metrópole.
Sobre esse movimento podemos afirmar que
c) ocorreram somente em locais que vivenciavam
a) era de natureza nativista e influenciado pelos
crises econômicas, como o Rio Grande do Sul
discursos iluministas. Buscava a proclamação da

32

Brasil Colonial 32
(Farroupilha 1835-1845) e Pernambuco (Revolução H0247 - (Mackenzie) A Inconfidência Mineira
Pernambucana de 1817). representou potencialmente uma das maiores
d) somente a Confederação do Equador, ocorrida no ameaças de subversão da ordem colonial. O fato de ter
nordeste brasileiro, pode ser tomada como um ocorrido na área das Minas, área na qual a permanente
legítimo movimento nativista, uma vez que não vigilância e repressão sobre a população eram as
pretendia a separação política em relação a Portugal, tarefas maiores das autoridades públicas, indica um
mas, somente, maior autonomia administrativa. alto grau de consciência da capacidade de libertação da
dominação metropolitana.
H0244 - (Acafe) A Revolta de Vila Rica no século XVIII Resende, Maria Eugênia Lage de. A Inconfidência Mineira. São
mostrou os abusos que as autoridades portuguesas Paulo: Global, 1988.
cometiam com os mineradores e a população de Minas De acordo com o texto acima assinale a assertiva
Gerais. correta.
No contexto dessa revolta é correto afirmar, exceto: a) A opulência da produção mineradora alcançou o seu
a) O movimento reivindicava a redução dos preços dos apogeu na segunda metade do século XVIII,
alimentos e o cancelamento da medida que proibia a aumentando a ganância da metrópole portuguesa, que
circulação de ouro em pó. acreditava que os mineiros estivessem sonegando
b) Foi um dos nomes dados à Inconfidência Mineira, impostos e passou a usar de violência na cobrança dos
que entre seus participantes teve Joaquim José da Silva mesmos.
Xavier. b) O descontentamento dos colonos aumentava de
c) Os altos impostos e o rígido controle sobre a acordo com o preço das mercadorias importadas, já
exploração do ouro também contribuíram para o que eram proibidas as manufaturas na Colônia. Além
levante de Vila Rica. disso, os jornais que circulavam na região, alertavam a
d) Um dos líderes da revolta foi enforcado e teve seu população sobre a corrupção nos altos cargos
corpo esquartejado e exposto em praça pública. administrativos coloniais.
c) Sofrendo violenta opressão, a classe dominante
H0245 - (Uefs) A Inconfidência Mineira (1789) e a mineira conscientizou-se das contradições entre os
Conjuração Bahiana (1798) expressaram localmente o seus interesses e os da metrópole. Influenciada pelo
conjunto de mudanças ocorridas no Mundo Ocidental pensamento iluminista e na iminência da cobrança da
a partir de meados do século XVIII. Apesar de suas derrama em Vila Rica, em 1789, preparou uma
diferenças, os dois movimentos opunham-se insurreição.
a) à submissão colonial implícita na política d) Contando com adesão e apoio efetivo de diversas
mercantilista metropolitana. parcelas da população mineira, os insurgentes
b) à importação de ideais iluministas pela cultura reivindicavam um governo republicano inspirado nas
brasileira. ideias presentes na Constituição dos EUA, mas foram
c) à divisão do país entre ricos donatários portugueses. traídos por um dos participantes em troca do perdão
d) à influência das independências das Colônias de suas dívidas pessoais.
Inglesas da América. e) Mesmo sem ter ocorrido de fato, a Inconfidência
e) à participação de homens livres pobres na Mineira, o apoio recebido da população revoltada e
preparação da independência. influenciada pelos ideais iluministas, demonstrou a
maturidade do processo pela independência do país.
H0246 - (Ifsul) As revoltas nativistas foram aquelas que Tal engajamento vai estar presente durante todas as
tiveram como causa principal o descontentamento dos lutas em prol da nossa emancipação.
colonos brasileiros com as medidas tomadas pela
coroa portuguesa. Ocorreram entre o final do século H0248 - (Uece) Atente ao seguinte enunciado: “Nove
XVII e início do XVIII. anos após a Inconfidência Mineira, idealizada e
Disponível em: <http: liderada por membros da elite da capitania de Minas
//www.historiadobrasil.net/brasil_colonial/revoltas_nativistas.ht Gerais (advogados, magistrados, militares, padres e
m>. ricos contratantes), uma nova revolta ocorreu na
Acesso em: 22 jul. 2016. Colônia, contra a dominação portuguesa. Essa,
Entre as principais revoltas nativistas, destacam-se, entretanto, não ficou restrita a um pequeno grupo da
a) Beckman e Filipe dos Santos. elite de brancos e intelectuais ou às ideias políticas
b) Cabanagem e Balaiada. liberais. Teve a participação e mesmo a liderança de
c) Sabinada e Farrapos. pessoas oriundas dos grupos desprivilegiados
d) Carrancas e Setembrada. (mulatos, brancos pobres, negros livres e escravos),
dela participaram o médico Cipriano José Barata de

33

Brasil Colonial 33
Almeida, os soldados Lucas Dantas do Amorim Torres e “A Inconfidência Mineira (1789) e a Inconfidência
Luís Gonzaga das Virgens e os alfaiates João de Deus do Baiana (1798) têm em comum o fato de serem
Nascimento e Manuel Faustino dos Santos Lira. Seus reprimidas pela Coroa Portuguesa ainda na fase de
objetivos incluíam, além da autonomia em relação a preparativos e o desejo de autonomia de seus
Portugal, a implantação de um governo republicano, a participantes, pois consideravam-se prejudicados e
busca por igualdade racial com a abolição da excluídos dos benefícios pelos quais acreditavam ter
escravidão e o fim dos privilégios sociais e econômicos direito de usufruir em sua plenitude. Apesar de
das elites, com a diminuição dos impostos e com algumas opiniões contraditórias, percebe-se que o
aumentos salariais para o povo”. diferencial entre as duas conjurações é o fato de que a
O enunciado acima se refere ao movimento separatista Conjuração Mineira teve um caráter elitista em sua
colonial denominado organização e execução até o fim, enquanto a
a) Conjuração Baiana, de 1798. Conjuração Baiana, ao adquirir contornos mais radicais
b) Revolução Pernambucana, de 1817. e populares, causou o afastamento dos líderes
c) Revolução Praieira, de 1848. intelectuais da elite local que organizaram inicialmente
d) Confederação do Equador, de 1824. o movimento, fazendo com que mulatos, escravos,
brancos pobres e negros libertos se transformassem
H0249 - (Fuvest) Os ensaios sediciosos do final do nos cabeças do levante.”
século XVIII anunciam a erosão de um modo de vida. A Disponível em:
crise geral do Antigo Regime desdobra-se nas áreas http://historiasylvio.blogspot.com.br/2013/inconfidencia-mineira-
x-inconfidenciabaiana. Acesso em: 02/09/2016.
periféricas do sistema atlântico – pois é essa a posição
da América portuguesa –, apontando para a
Fazendo um paralelo entre os movimentos
emergência de novas alternativas de ordenamento da
revolucionários, a Inconfidência Mineira e a
vida social.
István Jancsó, “A Sedução da Liberdade”. In: Fernando Novais,
Conjuração Baiana, podemos afirmar que:
História da Vida Privada no Brasil, v. 1. São Paulo: Companhia das a) Enquanto os participantes da Inconfidência Mineira,
Letras, 1997. Adaptado. em geral buscaram como modelo político a república
organizada nos Estados Unidos, na Conjuração Baiana
A respeito das rebeliões contra o poder colonial foi clara a inspiração na Revolução Francesa.
português na América, no período mencionado no b) A existência da imprensa livre no século XVIII no
texto, é correto afirmar que, Brasil possibilitou a difusão dos ideais de liberdade e
a) em 1789 e 1798, diferentemente do que se dera com igualdade em Minas e nas outras as regiões do país,
as revoltas anteriores, os sediciosos tinham o claro possibilitando o êxito dos revoltos.
propósito de abolir o tráfico transatlântico de escravos c) Na capitania das Minas Gerais, o consumo de livros
para o Brasil. era inferior, quando comparado a outras capitanias, o
b) da mesma forma que as contestações ocorridas no que dificultou a discussão dos ideais emancipacionistas
Maranhão em 1684, a sedição de 1798 teve por alvo o pelos setores médios urbanos.
monopólio exercido pela companhia exclusiva de d) Na Inconfidência Mineira, houve um amplo apoio
comércio que operava na Bahia. das camadas populares, dando maior força ao
c) em 1789 e 1798, tal como ocorrera na Guerra dos movimento, enquanto a Conjuração Baiana ficou
Mascates, os sediciosos esperavam contar com o restrita a intelectuais.
suporte da França revolucionária. e) Na conjuração baiana os envolvidos restringiram
d) tal como ocorrera na Guerra dos Emboabas, a suas ações a reuniões secretas coordenadas pela loja
sedição de 1789 opôs os mineradores recém-chegados maçônica Cavaleiros da Luz, sem nenhuma iniciativa de
à capitania aos empresários há muito estabelecidos na convocação pública para a luta.
região.
e) em 1789 e 1798, seus líderes projetaram a H0251 - (Unesp) A Inconfidência Mineira (1789) e a
possibilidade de rompimento definitivo das relações Conjuração Baiana (1798) tiveram semelhanças e
políticas com a metrópole, diferentemente do que diferenças significativas. É correto afirmar que
ocorrera com as sedições anteriores. a) as duas revoltas tiveram como objetivo central a luta
pelo fim da escravidão.
H0250 - (Ifba) Após a leitura do texto abaixo e dos seus b) a revolta mineira teve caráter eminentemente
conhecimentos sobre o tema, responda a questão popular e a baiana, aristocrático e burguês.
abaixo: c) a revolta mineira propunha a independência
brasileira e a baiana, a manutenção dos laços com
Portugal.

34

Brasil Colonial 34
d) as duas revoltas obtiveram vitórias militares no H0254 - (Espm) Das minas e seus moradores bastava
início, mas acabaram derrotadas. dizer que é habitada de gente intratável. A terra parece
e) as duas revoltas incorporaram e difundiram ideias e que evapora tumultos; a água exala motins; o ouro toca
princípios iluministas. desaforos; destilam liberdades os ares; vomitam in-
solências as nuvens; influem desordens os astros; o
H0252 - (Enem) O instituto popular, de acordo com o clima é tumba da paz e berço da rebelião; a natureza
exame da razão, fez da figura do alferes Xavier o anda inquieta consigo, e amotinada lá por dentro é
principal dos Inconfidentes, e colocou os seus parceiros como no inferno.
a meia ração de glória. Merecem, decerto, a nossa Lilia Schwarcz e Heloisa Starling. Brasil: uma Biografia.
estima aqueles outros; eram patriotas. Mas o que se O texto é parte do discurso histórico e político sobre a
ofereceu a carregar com os pecadores de Israel, o que sublevação que nas minas houve no ano de 1720 e que
chorou de alegria quando viu comutada a pena de o governador Pedro Miguel de Almeida e Portugal, o
morte dos seus companheiros, pena que só ia ser conde de Assumar, fez chegar às mãos das autoridades
executada nele, o enforcado, o esquartejado, o régias em Lisboa.
decapitado, esse tem de receber o prêmio na
proporção do martírio, e ganhar por todos, visto que A respeito da sedição de Vila Rica, em 1720, é correto
pagou por todos. assinalar:
ASSIS, M. Gazeta de Notícias, n. 114, 24 abr. 1892. a) os sediciosos planejavam forçar a coroa a suspender
o estabelecimento das casas de fundição, onde se
No processo de transição para a República, a narrativa registrava o ouro em barras e se deduzia o quinto por
machadiana sobre a Inconfidência Mineira associa arroba, o imposto devido ao rei;
a) redenção cristã e cultura cívica. b) os sediciosos planejavam forçar a coroa a abolir a
b) veneração aos santos e radicalismo militar. derrama, que determinava a cobrança de todos os
c) apologia aos protestantes e culto ufanista. impostos atrasados;
d) tradição messiânica e tendência regionalista. c) os sediciosos rebelaram-se contra forasteiros que
e) representação eclesiástica e dogmatismo ideológico. eram beneficiados pela coroa com privilégios na
exploração das jazidas auríferas;
H0253 - (Col. naval) Leia texto a seguir. d) os projetos dos sediciosos eram o rompimento com
Em 1682, foi criada a Companhia Geral do Comércio do Portugal, a adoção de um regime republicano é a
Estado do Maranhão, com o objetivo de controlar os criação de uma universidade em Vila Rica;
atritos entre fazendeiros e religiosos na disputa pelo e) a sublevação desafiou a ação do marquês de Pombal
trabalho indígena, mais barato que o africano, e que havia determinado o monopólio régio sobre a
incentivar a produção local... A companhia venderia extração de diamantes.
aos habitantes do Maranhão produtos europeus, como
azeite, vinho e tecidos, e deles compraria o que
produzissem, como algodão, açúcar, madeira e as
drogas do sertão, para comercializar na Europa.
Também deveria fornecer à região quinhentos
escravos por ano, uma fonte alternativa de mão de
obra, diante da resistência jesuítica em permitir a H0255 - (Upf) “O quadro da vida colonial, tanto quanto
escravidão de nativos. Os preços cobrados pela dele conhecemos através do depoimento dos cronistas
companhia, entretanto, eram abusivos, e ela não e da exposição dos historiadores, apresenta-se à
cumpria os acordos, como o fornecimento de escravos. superfície, estável e tranquilo. Não é preciso penetrá-
VICENTINO, Claudio e DORIGO, Gianpaolo. História Geral e do lo a fundo, entretanto, para verificar que se trata de
Brasil.
estabilidade e de tranquilidade aparentes. Desde os
Editora Scipione, SP, 2010 – p. 358.
primeiros tempos, na realidade, há grandes choques de
interesses, contrastes de orientação, contradições de
O texto acima descreve uma situação que colaborou
toda a ordem.”
para o acontecimento de um conflito, no período (SODRÉ, Nelson Werneck. O que se deve ler para conhecer o Brasil.
colonial brasileiro ocorrido na segunda metade do 1976, p. 130)
século XVII, que ficou conhecido como No texto acima, o autor refere-se aos movimentos
a) Revolta de Beckman. conspiratórios que ocorreram na colônia brasileira
b) Guerra dos Mascates. contra a metrópole portuguesa.
c) Guerra dos Emboabas. Considerando essa conjuntura, associe os eventos da
d) Revolta de Felipe dos Santos. coluna 1 com a descrição equivalente na coluna 2.
e) Revolta de Amador Bueno.
35

Brasil Colonial 35
1. Conjuração dos ( ) Confronto entre os donos O movimento liderado por Manuel Beckman no
Alfaiates de engenho, de Olinda, e os Maranhão, em 1684, foi motivado pela
comerciantes, em sua a) proibição do ensino laico no Brasil colonial e pelas
maioria portugueses, do pressões que os jesuítas realizavam para impedir a sua
Recife. liberação.
2. Inconfidência ( ) Movimento organizado b) questão da mão de obra indígena e pela insatisfação
Mineira por mulatos e negros, livres de colonos com as atividades da Companhia de
ou libertos, ocorrido na Comércio do Maranhão.
Bahia, no contexto da c) ameaça dos jesuítas de abandonarem a região e pela
escassez de gêneros catequese dos povos indígenas sob a sua guarda.
alimentícios e carestia. d) crítica dos colonos maranhenses ao apoio dos
3. Guerra dos ( ) Conhecida também como jesuítas aos interesses espanhóis e holandeses na
Mascates Revolução dos Padres, foi o região.
único movimento que e) tentativa dos jesuítas em aumentar o preço dos
ultrapassou a fase escravos indígenas, contrariando os interesses dos
conspiratória e atingiu o colonos maranhenses.
processo de tomada do
poder em Pernambuco. H0257 - (Enem) O que ocorreu na Bahia de 1798, ao
4. Revolução ( ) Revolta de caráter contrário das outras situações de contestação política
Pernambucana emancipatório que teve na América Portuguesa, é que o projeto que lhe era
como principal motivo o subjacente não tocou somente na condição, ou no
estabelecimento da derrama instrumento, da integração subordinada das colônias
em Minas Gerais. no império luso. Dessa feita, ao contrário do que se deu
nas Minas Gerais (1789), a sedição avançou sobre a sua
A sequência correta de preenchimento dos parênteses, decorrência.
de cima para baixo, é: JANCSÓ, I.; PIMENTA, J. P. Peças de um mosaico. In: MOTA, C. G.
(Org.). Viagem Incompleta: a experiência brasileira (1500-2000).
a) 1 – 3 – 4 – 2. São Paulo: Senac, 2000.
b) 2 – 1 – 3 – 4. A diferença entre as sedições abordadas no texto
c) 3 – 4 – 1 – 2. encontrava-se na pretensão de
d) 3 – 1 – 4 – 2. a) eliminar a hierarquia militar.
e) 4 – 2 – 3 – 1. b) abolir a escravidão africana.
c) anular o domínio metropolitano.
H0256 – (Fgv) Reverendo padre reitor, eu, Manoel d) suprimir a propriedade fundiária.
Beckman, como procurador eleito por aquele povo e) extinguir o absolutismo monárquico.
aqui presente, venho intimar a vossa reverência, e mais
religiosos assistentes no Maranhão, como justamente H0258 - (Ifsc) Dentre os movimentos que contestavam
alterados pelas vexações que padece por terem vossas o imperialismo português no Brasil, podemos destacar
paternidades o governo temporal dos índios das a Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana. Apesar
aldeias, se tem resolvido a lançá-los fora assim do dos dois movimentos terem como base as ideologias
espiritual como do temporal, então e não tem falta ao do Iluminismo, também tiveram grandes diferenças
mau exemplo de sua vida, que por esta parte não tem entre si. Comparando esses dois movimentos, é
do que se queixar de vossas paternidades; portanto, CORRETO afirmar que:
notifico a alterado povo, que se deixem estar a) Minas Gerais e Bahia se comunicavam ativamente
recolhidos ao Colégio, e não saiam para fora dele para para que seus movimentos ocorressem. Tanto é
evitar alterações e mortes, que por aquela via se verdade que Tiradentes se tornou herói nacional por
poderiam ocasionar; e entretanto ponham vossas lutar nas duas revoltas.
paternidades cobro em seus bens e fazendas, para b) Tanto a Conjuração Baiana quanto a Inconfidência
deixá-las em mãos de seus procuradores que lhes Mineira foram movimentos burgueses, com a
forem dados, e estejam aparelhados para o todo participação popular quase nula e apenas os mais
tempo e hora se embarcarem para Pernambuco, em pobres foram condenados: João de Deus Nascimento,
embarcações que para este efeito lhes forem na Bahia, e Tiradentes, em Minas Gerais.
concedidas. c) Diferente da Inconfidência Mineira, a Conjuração
João Felipe Bettendorff, Crônica dos Padres da Companhia de
Baiana tinha como proposta o fim da escravidão e um
Jesus no Estado
do Maranhão. 2ª Edição, Belém: SECULT, 1990, p.360. levante armado imediato.

36

Brasil Colonial 36
d) Um dos grandes motivos para que as revoltas A tensão mencionada no texto contribuiu para
ocorressem foi a Independência dos Estados Unidos. desencadear qual das rebeliões coloniais citadas
Os revoltosos da Bahia e de Minas Gerais foram em abaixo:
comitiva para o país recém-independente conseguir a) Aclamação de Amador Bueno da Ribeira.
apoio para suas revoltas. b) Revolta de Beckman.
e) Os dois movimentos foram sumariamente c) Guerra dos Mascates.
reprimidos. Os dois líderes, João de Deus Nascimento e d) Guerra dos Emboabas.
Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, foram e) Revolta de Felipe dos Santos.
enforcados juntos, lado a lado, no Rio de Janeiro para
servirem de exemplos.
H0261 - (Uepb) Tanto na Conjuração Mineira, quanto
H0259 - (Mackenzie) Em 12 de agosto de 1798, as na Baiana, com graus e níveis diferenciados de
paredes das igrejas de Salvador, lugares públicos e envolvimento dos grupos mais pobres da população,
paredes de casas, apareceram com panfletos estão presentes os seguintes aspectos do pensamento
manuscritos que diziam: “Está para chegar o tempo iluminista.
feliz da nossa liberdade, o tempo em que todos (João A. de Freitas Neto e Célio Ricardo Tasinafo. História Geral e
seremos irmãos, o tempo em que todos seremos do Brasil. SP. Editora Habra).
iguais”. Tal manifesto conclamava à revolução a
população, que estava insatisfeita com o agravamento Assinale a alternativa que aponta aspectos desta
do custo de vida. influência iluminista:
A respeito dessa revolta é correto afirmar que a) A Conjuração Baiana defendia o regime monárquico
a) a Inconfidência Mineira foi influenciada pelos ideais e não teve a participação popular como o da Mineira,
de liberdade vindos da Europa, pela independência das embora adotasse as ideias liberais.
Treze Colônias da América do Norte e pela opressão b) O movimento rebelde que teria sido deflagrado na
metropolitana. Capitania de Minas Gerais em 1789 defendia o
b) a Inconfidência Baiana foi o mais importante e centralismo lusitano, porque sua principal
significativo dentre os movimentos emancipacionistas, preocupação era com a libertação dos escravos.
como a Inconfidência Mineira, a Conjuração Baiana e a c) As noções de que os governos deveriam existir para
Conjura do Rio de Janeiro. garantir direitos naturais dos homens, como a
c) tal movimento de rebeldia contra a Metrópole se liberdade e a ideia de que a soberania residia no povo
manifestou em um momento em que o próprio Estado e não em monarca.
Português afrouxou sua política de arrecadação fiscal d) Compreendiam que as Leis deveriam expressar a
sobre a Colônia. vontade da nobreza e do clero e não a dos escravos.
d) a Conjuração Baiana, diferente das demais revoltas e) A experiência de independência dos Estados Unidos
da época, não se limitou apenas aos ideais de da América em 1776 não influenciou as Conjurações
independência e liberdade, como propunha mudanças Baiana e Mineira, apesar de ambas defenderem ideias
estruturais para a sociedade brasileira. liberais.
e) a Revolta dos Alfaiates contou com a participação de
todas as classes sociais da Bahia, ao contrário dos
outros movimentos emancipatórios, mas a liderança H0262 - (Ifba) Aportou nesta cidade um navio francês
coube aos grandes proprietários de terras. que descarregou, com todo segredo e sagacidade, uns
livrinhos cujo conteúdo era ensinar o modo mais fácil
H0260 - (Espm) À medida que o século chegava ao fim, de fazer sublevações nos estados com infalível
agravava-se a tensão entre os comerciantes resultado (...). Instruídos por esses livrinhos, alguns
portugueses residentes em Recife e os produtores mulatinhos e também alguns branquinhos da plebe,
luso-brasileiros. Esse atrito assumiu a forma de uma conceberam o arrojado pensamento de fazerem
contenda municipal entre Recife e Olinda, ou seja, também seu levante
entre o credor urbano e o devedor rural. Olinda era a (...).
Relação da Francesia Formada pelos Homens Pardos da Cidade da
principal cidade de Pernambuco e sediava as principais Bahia no Ano de 1798.
instituições locais. Lá os senhores de engenho tinham Autor anônimo. In: Saga. São Paulo: Abril Cultural, 1981. p. 269.
suas casas. Por outro lado, o porto de Recife, a poucos No contexto da Conjuração Baiana (1798), o texto pode
quilômetros de distância era o principal local do ser associado
embarque das exportações de açúcar da capitania. a) à capacidade dos homens de cor da Bahia de
(Adriana Lopez, Carlos Guilherme Mota. História do Brasil: uma promoverem levantes contra o poder senhorial e
interpretação
acabar com o regime de escravidão no Brasil.
37

Brasil Colonial 37
b) ao projeto dos negros escravos, livres e libertos da a) promovia a industrialização do país, cobrando
Bahia de instalar uma monarquia constitucional, impostos elevados de mercadorias importadas da
inspirada no ideal liberal da alta burguesia francesa. Inglaterra.
c) à influência do liberalismo jacobino francês nos b) procurava ampliar o mercado consumidor interno,
setores mais populares que participaram do abolindo gradualmente a exploração do trabalho
movimento baiano, impregnando-o de um ideal de escravo.
república democrática. c) desenvolvia a indústria armamentista, objetivando a
d) à forma como o movimento iluminista chegou ao expulsão das tropas bonapartistas do território
Brasil, compondo uma ideologia própria que português.
sustentará a luta dos homens pobres pela tomada do d) visava aparelhar a colônia como o centro do Império,
poder imperial. viabilizando as políticas econômicas contrárias aos
e) ao papel de lideranças revolucionárias francesas que estatutos coloniais.
viajavam pela América, incentivando levantes liberais e e) invertia a ordem do domínio colonial, bloqueando o
democráticos contra os governos absolutistas desenvolvimento da economia manufatureira no reino
metropolitanos. de Portugal.

H0263 - (Uepb) Considerando os conflitos sociais que H0285 - (Ufjf) A transferência da Corte portuguesa para
ocorreram no período colonial, é CORRETO afirmar: o Brasil em 1808 abrange um conjunto de
a) Todos os conflitos ocorridos no período colonial transformações únicas que significaram um marco e
ocorridos entre colonos e forças metropolitanas são um “impacto dramático” para a vida cotidiana da
considerados precursores da independência, sendo cidade do Rio de Janeiro e para todos os súditos que
iniciados por grupos de colonos sempre oprimidos que integravam este vasto império.
buscavam mais liberdade, igualdade e fraternidade.
b) Foram movimentos nativistas que, estimulados pelo Das alternativas abaixo, marque a alternativa
antiabsolutismo e por ideias liberais, lutavam pela CORRETA:
independência do Brasil. a) A abertura dos portos às nações amigas em 1808
c) A Revolta de Vila Rica de 1720, que teve a liderança criou disposições legais que prejudicaram o
de Felipe dos Santos, foi motivada pela crise da desenvolvimento industrial do Brasil e ainda
economia aurífera e tinha como principal objetivo a contribuíram para o fim da escravidão.
independência do Brasil. b) Com a vinda da família real ao Brasil, instituiu-se
d) A maior parte dos conflitos nos trezentos anos de uma distribuição de propriedades privadas, via sistema
administração portuguesa não teve por finalidade a de sesmaria, com objetivos de ampliar a doação de
separação do Brasil em relação a Portugal. terras para os súditos da nova sede da monarquia
e) Não há registros de participação popular e muito portuguesa.
menos de escravos em nenhum dos conflitos ocorridos c) A transferência da Corte para o Rio de Janeiro levou
na América Portuguesa. à criação de um conjunto importante de instituições,
tais como a Intendência Geral da Polícia e o primeiro
banco a funcionar em terras brasileiras, o Banco do
H0284 - (Fgv) A primeira medida importante tomada Brasil.
pelo Príncipe-Regente após sua chegada foi o Alvará de d) Uma das primeiras medidas da família real ao se
1o de abril de 1808. O propósito fundamental do ato instalar no Rio de Janeiro foi abrir espaço para maior
legislativo era promover a industrialização do Brasil. participação dos setores populares nas questões
Alguns importantes incentivos foram concedidos por políticas do império português.
meio do Alvará de 28 de abril de 1809: isenção de e) Dentre as transformações mais impactantes
imposto de exportação para manufaturados nacionais, ocorridas com a chegada da corte em 1808, pode-se
uso obrigatório de bens nacionais pelas tropas reais e mencionar a modernização do Brasil e a abolição da
a distribuição anual de 60 mil cruzados entre os escravidão, prejudicando os cafeicultores e grandes
industriais na tecelagem de algodão, lã e seda. proprietários rurais.
(Carlos Manuel Peláez e Wilson Suzigan. História monetária do
Brasil, 1981. Adaptado.) H0286 - (Ifrj) A cidade de São Sebastião do Rio de
Janeiro era um burgo colonial modesto. O ambiente
Considerando as informações do texto e era descrito como acanhado e desprovido de recursos
conhecimentos sobre a transferência da Corte para os padrões europeus. Mas a chegada da família
portuguesa para o Brasil, pode-se afirmar que o Real portuguesa transformou a cidade, que em poucos
governo anos se tornou a capital do Império Português.
38

Brasil Colonial 38
A respeito dessas transformações, é correto afirmar H0289 - (Uece) Durante treze anos a família real
que: portuguesa esteve no Brasil, que foi sede do império
a) Abertura dos portos às nações amigas incentivou o ultramarino português. Nesse período, diversas
comércio de produtos ingleses na cidade. medidas tomadas pela corte proporcionaram
b) Os recursos financeiros trazidos pela família Real transformações profundas na economia, na política e
Portuguesa foram investidos na urbanização da cidade. na cultura do Brasil. Assim, é correto afirmar que, nesse
c) As missões científicas atraídas por D. João VI visavam período, ocorreu
industrializar o Rio de Janeiro. a) a Confederação do Equador, em 1824, que foi uma
d) O Horto Real, o Aqueduto da Lapa e a 1ª ferrovia do rebelião das províncias nordestinas contra o
Brasil estão entre as realizações de D. João VI. autoritarismo, que pretendia a fundação de uma
república por estas partes do Brasil.
H0287 - (Cftrj) Em 1808, D. João VI chegou ao Brasil, b) a Revolução Pernambucana, em 1817, contra a
fugindo das conquistas napoleônicas. A partir de então, opressão dos tributos para custear a corte no Rio de
o Rio de Janeiro passou a ser a sede do Império Janeiro, que marcou a insatisfação dos brasileiros
Português. O período Joanino (1808-1821) é contra a exploração portuguesa.
considerado um precursor do processo de c) a Noite das Garrafadas, episódio que envolveu
independência do Brasil. Podemos chegar a essa apoiadores do rei e seus opositores, logo antes de sua
conclusão a partir do entendimento de que: abdicação e retorno para Portugal.
a) D. João VI sofreu severas críticas durante todo o d) expulsão do rei português de terras brasileiras, por
período em que esteve no Brasil, não conseguindo sua resistência em aceitar a constituição elaborada
manter sua autoridade e seu governo, tendo assim que pela Assembleia Constituinte e a imposição de uma
renunciar ao trono de Portugal. constituição por ele outorgada.
b) possibilitou a abertura dos portos brasileiros a países
como Inglaterra, facilitando o comércio e o H0290 - (Fgv) Considere as seguintes afirmações sobre
enriquecimento das elites no Brasil. o processo de emancipação política no Brasil:
c) o processo de independência foi uma iniciativa do I. Ocorreu no contexto geral da crise do Antigo Regime
próprio rei português, a partir do momento em que ele e teve como elementos particulares a instalação da
resolveu apoiar a Insurreição Pernambucana em 1817. Corte no Rio de Janeiro e a articulação política entre a
d) a Coroa Portuguesa não tinha interesse de governar elite colonial e setores da burocracia portuguesa.
o Brasil, tendo em vista que perdera a região da II. Foi provocado pelas movimentações separatistas na
Cisplatina para a Coroa Espanhola. Província de Cisplatina e na Bahia, no contexto de
fragmentação da América espanhola.
H0288 - (Cps) Em 1808, o Jardim Botânico do Rio de III. Foi precedido pelo fim da exclusividade comercial
Janeiro foi criado com a finalidade de aclimatar da Metrópole e pela transformação do estatuto
espécies vegetais provenientes de diversos lugares do político do antigo domínio colonial para a condição de
mundo. Com isso, esperava-se criar condições para Reino Unido de Portugal e Algarves.
produzir bens apreciados na Europa. Hoje, essa
instituição científica desenvolve pesquisas sobre a flora Está correto que se afirma em
de áreas protegidas, contribuindo para a conservação a) I e III, apenas.
ambiental. b) I, II e III.
Sobre o contexto de criação dessa instituição, é correto c) I e II, apenas.
mencionar d) II e III, apenas.
a) o reinado de D. Pedro II, responsável por diversas e) III, apenas.
iniciativas na área das ciências, sobretudo na capital do
país à época. H0291 - (Ifce) Sobre a vinda da família real para o Brasil
b) a transfêrencia da Corte de Portugal para o Brasil, é correto afirmar-se que
quando o Rio de Janeiro se tornou a capital do império a) ao desembarcar no Brasil, Dom João VI criou novos
português. impostos alfandegários que contribuíram para o
c) a Independência do Brasil, quando o Rio de Janeiro fechamento dos portos brasileiros para outras nações
se tornou a capital da República recém-criada. estrangeiras.
d) a fundação da cidade do Rio de Janeiro, planejada b) o Brasil continuou na simples posição de colônia do
para ser a nova capital, em substituição a Salvador. império português sem grandes transformações
e) a proclamação da República, quando D. Pedro II foi econômicas, políticas e culturais.
deposto e a capital brasileira foi transferida para
Brasília.
39

Brasil Colonial 39
c) foi uma medida tomada em comum acordo com H0294 - (Fuvest) Na edição de julho de 1818 do Correio
Napoleão Bonaparte para ajudá-lo na integração com Braziliense, o jornalista Hipólito José da Costa,
as nações da Europa Continental. residente em Londres, publicou a seguinte avaliação
d) a cidade do Rio de Janeiro teve o seu cenário sobre os dilemas então enfrentados pelo Império
transformado com a criação da Biblioteca Nacional, a português na América:
construção do Jardim Botânico e o surgimento de
várias casas de comércio que atendiam ao gosto A presença de S.M. [Sua Majestade Imperial] no Brasil
refinado dos cortesãos vindos diretamente da Europa. lhe dará ocasião para ter mais ou menos influência
e) a abertura dos portos brasileiros às chamadas naqueles acontecimentos; a independência em que el-
nações amigas não privilegiou e nem ofereceu isenção rei ali se acha das intrigas europeias o deixa em
de impostos à Inglaterra. liberdade para decidir-se nas ocorrências, segundo
melhor convier a seus interesses. Se volta para Lisboa,
H0292 - (Uece) Sobre a transferência da Corte antes daquela crise se decidir, não poderá tomar parte
portuguesa para o Brasil em 1808, é correto afirmar nos arranjamentos que a nova ordem de coisas deve
que ocasionar na América.
a) ocorreu sem nenhum transtorno para a população
do Rio de Janeiro, que recepcionou os nobres Nesse excerto, o autor referia-se
portugueses de forma planejada, sem que fossem a) aos desdobramentos da Revolução Pernambucana
necessárias grandes mudanças na cidade. do ano anterior, que ameaçara o domínio português
b) teve como causa direta a invasão das tropas sobre o centro-sul do Brasil.
francesas ao território português como forma de forçar b) às demandas da Revolução Constitucionalista do
a adesão do país luso ao bloqueio continental. Porto, exigindo a volta imediata do monarca a Portugal.
c) foi provocada pela ameaça inglesa de invasão ao c) à posição de independência de D. João VI em relação
Brasil, caso Portugal aderisse ao Bloqueio Continental às pressões da Santa Aliança para que interviesse nas
ao comércio britânico, imposto por Napoleão guerras do rio da Prata.
Bonaparte no decreto de Berlim, emitido em 1806. d) às implicações que os movimentos de
d) somente foi realizada como forma de garantir o independência na América espanhola traziam para a
cumprimento do tratado de Fontainebleau, assinado dominação portuguesa no Brasil.
com a França, que garantia a mudança para o Brasil no e) ao projeto de D. João VI para que seu filho D. Pedro
caso de ameaça espanhola a Portugal. se tornasse imperador do Brasil independente.

H0293 - (Uefs) Do ponto de vista econômico, a H0295 - (Udesc) No Brasil, durante o início do século
concessão mais onerosa para os interesses da colônia XIX, as províncias do Norte, dentre elas Pernambuco,
foi a tarifa de 15% ad valorem a ser cobrada sobre as viviam uma relativa prosperidade econômica,
mercadorias inglesas entradas nos portos brasileiros, ocasionada em especial pela produção do algodão e do
em navios ingleses ou portugueses [...]. Situação açúcar. A partir do estabelecimento da Corte
agravada pelo fato de a Carta de Abertura dos portos Portuguesa no Rio de Janeiro, tal prosperidade foi
fixar a taxa de 16% ad valorem para os navios relativamente fragilizada.
portugueses e 24% para todas as demais nações.
(José Jobson de Andrade Arruda. Uma colônia entre dois impérios, Analise as proposições em relação às mudanças
2008.) ocorridas com a chegada da Corte Portuguesa ao Brasil.
O excerto refere-se aos tratados de 1810 assinados I. A alocação de uma estrutura burocrática no Rio de
entre os governos português e inglês, que tiveram Janeiro tornou o governo de Dom João VI mais
como uma de suas consequências capacitado a se envolver nos negócios das províncias,
a) o estímulo ao desenvolvimento das manufaturas no o que possibilitou a diminuição de autonomia destas.
Brasil. II. Para arcar financeiramente com os custos da Corte
b) o fortalecimento do controle metropolitano sobre o no Rio de Janeiro, o governo exigiu a cobrança de mais
comércio colonial. impostos dos setores de produção de açúcar e algodão.
c) a ligação das atividades econômicas coloniais com III. A cobrança de maiores impostos e a diminuição da
uma economia industrial. autonomia das províncias, ocasionadas pela presença
d) a crise das exportações de produtos primários do da Corte no Rio de Janeiro, não tiveram nenhuma
Brasil para a Europa. relação com o movimento que se tornou conhecido
e) a adoção no conjunto do Império português da como Revolução Pernambucana.
política do livre-cambismo.

40

Brasil Colonial 40
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras. H0298 - (Enem) TEXTO I
b) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras. O príncipe D. João VI podia ter decidido ficar em
c) Somente a afirmativa I é verdadeira. Portugal. Nesse caso, o Brasil com certeza não existiria.
d) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras. A Colônia se fragmentaria, como se fragmentou a parte
e) Somente a afirmativa II é verdadeira. espanhola da América. Teríamos, em vez do Brasil de
hoje, cinco ou seis países distintos.
H0296 - (Cftrj) Em 2015 o Rio de Janeiro comemora 450 (José Murilo de Carvalho)
anos de sua fundação. Ao longo dos séculos, a cidade
passou por uma série de mudanças e transformações TEXTO II
que resultaram na capital do estado que temos hoje. Há no Brasil uma insistência em reforçar o lugar-
Dentre estas mudanças podemos citar: comum segundo o qual foi D. João VI o responsável
a) a ocupação francesa no centro do Rio de Janeiro no pela unidade do país. Isso não é verdade. A unidade do
século XVIII, inclusive a Ilha de Villegagnon, sede da Brasil foi construída ao longo do tempo e é, antes de
França Antártica. tudo, uma fabricação da Coroa. A ideia de que era
b) a destruição das plantações de cana-de-açúcar pelos preciso fortalecer um Império com os territórios de
holandeses por conta da concorrência do açúcar Portugal e Brasil começou já no século XVIII.
produzido nas Antilhas durante o século XVII. (Evaldo Cabral de Mello)
1808 – O primeiro ano do resto de nossas vidas. Folha de S. Paulo,
c) o surgimento de ruas e o alargamento de algumas já 25 nov. 2007 (adaptado).
existentes e a criação de instituições por D. João VI a
partir de 1808, como o Jardim Botânico e a Biblioteca Em 2008, foi comemorado o bicentenário da chegada
Real. da família real portuguesa ao Brasil. Nos textos, dois
d) a Revolução do Porto que em 1820 paralisou o porto importantes historiadores brasileiros se posicionam
principal do Rio de Janeiro por conta das altas tarifas diante de um dos possíveis legados desse episódio para
alfandegárias sobre os escravos. a história do país. O legado discutido e um argumento
que sustenta a diferença do primeiro ponto de vista
H0297 - (Uece) “No dia 17 de janeiro de 1808, a Real para o segundo estão associados, respectivamente,
Casa de Bragança chega ao Rio de Janeiro, após 45 dias em:
navegando pelos mares do Atlântico Sul, com rápida a) Integridade territorial – Centralização da
estada em Salvador.” administração régia na Corte.
AZEVEDO, Francisca L. Carlota Joaquina na Corte do Brasil. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira 2003, p. 69.
b) Desigualdade social – Concentração da propriedade
fundiária no campo.
O principal resultado da transferência da Corte c) Homogeneidade intelectual – Difusão das ideias
Portuguesa para o Brasil foi liberais nas universidades.
a) a abertura dos portos e o consequente rompimento d) Uniformidade cultural – Manutenção da
do pacto colonial. mentalidade escravista nas fazendas.
b) a autonomia política e econômica do Brasil em e) Continuidade espacial – Cooptação dos movimentos
relação a Portugal. separatistas nas províncias.
c) o colapso do sistema econômico brasileiro baseado
na mão de obra escrava.
d) o fim do sistema colonial e a instauração do regime
republicano no Brasil.

notas

41

Brasil Colonial 41
www.professorferretto.com.br
ProfessorFerretto ProfessorFerretto

Brasil Império
H0319 - (Famerp) A independência foi, desse modo, H0321 - (Ifce) Sobre a Confederação do Equador é
ruptura e continuidade. correto afirmar-se que
(Miriam Dolhnikoff. História do Brasil Império, 2019.) a) limitou-se à ação de lideranças e populares
pernambucanos, causa maior do seu insucesso.
Na independência brasileira, uma ruptura e uma b) insatisfeitos com as tentativas de negociação do
continuidade podem ser exemplificadas, império, os revoltosos buscaram criar uma nova
respectivamente, constituição mais democrática, mas que continuava
a) pelo esforço de unificação nacional e pelo respeito reafirmando seu caráter monarquista.
aos direitos trabalhistas. c) foi uma das mais significativas revoltas do Segundo
b) pelo afastamento da Grã-Bretanha e pela Reinado.
aproximação com os Estados Unidos. d) buscava a construção de um estado independente,
c) pela fragmentação política do território e pela com capital em Recife, criticava a escravidão e a
hegemonia política das elites rurais. centralização do poder exaltados pelo absolutismo,
d) pelo rompimento em relação ao império português conservadorismo e autoritarismo do monarca.
e pela preservação da escravidão. e) Frei Caneca foi um grande aliado de D. Pedro I, o que
e) pela implantação do sistema republicano e pelo contribuiu para o fim do movimento separatista e a
estímulo à produção agrícola. vitória do imperador.

H0320 - (Ifpe) A Confederação do Equador de 1824 é H0322 - (Espm) O Brasil agora é feito para a democra-
um marco na luta social contra o absolutismo cia, ou para o despotismo – errei em querer dar-lhe
monárquico. Amplas camadas da população local uma monarquia constitucional. Onde está uma
participaram do conflito. Comerciantes, padres, aristocracia rica e instruída? Onde está um corpo de
militares, negros e pardos, e até senhores de engenho magistratura honrado e independente? E que pode um
se envolveram no conflito que opôs setores da clero imoral e ignorante, sem crédito e sem riqueza?
população pernambucana à Monarquia de D. Pedro I. Que resta pois?
(José Bonifácio de Andrada e Silva)
Sobre os pensamentos que fundamentaram a luta dos
revoltosos, é CORRETO afirmar que foram ideias A sociedade civil tem por base primeira a justiça, e por
a) liberais e constitucionalistas, oriundas dos princípios fim principal a felicidade dos homens. Mas que justiça
iluministas então em expansão na Europa e nos tem um homem para roubar a liberdade de outro
Estados Unidos. homem e o que é pior, dos filhos deste homem, e dos
b) absolutistas moderadas, uma vez que os revoltosos filhos destes filhos?
ainda pensavam em manter a monarquia, desde que (José Bonifácio de Andrada e Silva)
constitucional e respeitando a autonomia provincial. (Adriana Lopes e Carlos Guilherme Mota. História do Brasil: Uma
Interpretação)
c) socialistas, o que justifica a presença expressiva de
negros e pardos e de padres sensíveis às injustiças
Os textos revelam posições de José Bonifácio de
sociais e ao racismo.
Andrada e Silva, constituinte reformista e monarquista
d) inspiradas na Igreja Católica Romana, instituição
constitucional, que apresentou o projeto mais
que, naquele momento, procurava distanciar-se das
importante e radical a respeito da abolição do tráfico e
monarquias europeias, o que justifica a participação de
da escravidão.
padres.
e) anarquistas, por isso defendiam, além da derrubada
Quanto às ideias contidas nos textos e ao cenário da
do governo monárquico e absolutista, o fim da
Assembleia Constituinte de 1823 é correto assinalar:
escravidão em terras pernambucanas.

Brasil Imperio 42
a) O projeto de Constituição apresentado por Antonio IV. Os religiosos e quaisquer que vivam em
Carlos de Andrada, irmão de José Bonifácio, foi comunidade claustral.
promulgado com apoio unânime da Constituinte; V. Os que não tiverem de renda líquida anual cem mil
b) O projeto de Constituição, apelidado de réis por bens de raiz, indústria, comércio, ou emprego.
“Constituição da Mandioca”, desagradou a D. Pedro I
e, por isso, ele recorreu à força para fechar a BRASIL. Constituição de 1824. Disponível em:
www.planalto.gov.br. Acesso em: 4 abr. 2015 (adaptado).
Constituinte;
c) Os jornais A Sentinela e Tamoio, vinculados aos
irmãos Andrada, conseguiram consagrar na De acordo com os artigos do dispositivo legal
Constituição de 1824 os planos de abolição do tráfico e apresentado, o sistema eleitoral instituído no início do
da escravidão; Império é marcado pelo(a)
d) Os textos revelam a satisfação de José Bonifácio, a) representação popular e sigilo individual.
bem como sua comunhão de ideias e projeto com a b) voto indireto e perfil censitário.
aristocracia rural; c) liberdade pública e abertura política.
e) Os textos revelam o projeto de incluir na d) ética partidária e supervisão estatal.
Constituição o direito de preservação da escravidão, e) caráter liberal e sistema parlamentar.
pilar da sociedade civil no Brasil.
H0325 - (Uece) Durante o segundo reinado, havia, no
H0323 - (Fmp) Brasil, cerca de 20 mil pessoas que podiam ser eleitores
e escolher deputados e senadores (0,4% da
população), eles eram homens, católicos e com renda
anual superior a 200 mil-réis. Havia ainda no Brasil 2,2
milhões de mulheres livres, 1,8 milhão de homens
livres pobres, algo em torno de 1,7 milhão de escravos
e escravas e outro grande número de pessoas sem
acesso ao voto (praças, estrangeiros, religiosos em
regime de clausura, mendigos e não católicos em
No contexto da independência brasileira, a charge geral).
ironiza o(a) Fonte: Brasil 500 anos. IstoÉ, p.72. Estabilização no Império.
a) influência econômica inglesa sobre o Brasil
b) imperialismo dos EUA sobre a América do Sul Considerando esse aspecto da política brasileira,
c) controle napoleônico sobre Portugal durante o império, explícito nos dados citados, é
d) domínio brasileiro sobre a Província Cisplatina correto afirmar que
e) vigência da União Ibérica a) havia uma representação proporcional dos variados
grupos sociais na política e no poder durante a
H0324 - (Enem) Art. 90. As nomeações dos deputados monarquia no Brasil, daí poder-se dizer que se tratava
e senadores para a Assembleia Geral, e dos membros de um sistema democrático.
dos Conselhos Gerais das províncias, serão feitas por b) se estabelecia uma participação política de caráter
eleições, elegendo a massa dos cidadãos ativos em censitário, ou seja, usava-se um critério, o do
assembleias paroquiais, os eleitores de província, e rendimento anual, para restringir o direito a votar e a
estes, os representantes da nação e província. ser votado.
c) apenas o homem, com qualquer renda, poderia ser
Art. 92. São excluídos de votar nas assembleias candidato nas eleições durante a monarquia; a
paroquiais: exclusão das mulheres era fator comum a todas as
I. Os menores de vinte e cinco anos, nos quais se não nações do mundo.
compreendem os casados, os oficiais militares, que d) a restrição do direito ao voto aos estrangeiros,
forem maiores de vinte e um anos, os bacharéis praças, mendigos e analfabetos que havia no império
formados e os clérigos de ordens sacras. tem sido mantida até hoje no Brasil.
II. Os filhos de famílias, que estiverem na companhia de
seus pais, salvo se servirem a ofícios públicos. H0326 - (Enem) Entre os combatentes estava a mais
III. Os criados de servir, em cuja classe não entram os famosa heroína da Independência. Nascida em Feira de
guarda-livros, e primeiros caixeiros das casas de Santana, filha de lavradores pobres, Maria Quitéria de
comércio, os criados da Casa Imperial, que não forem Jesus tinha trinta anos quando a Bahia começou a
de galão branco, e os administradores das fazendas pegar em armas contra os portugueses. Apesar da
rurais e fábricas. proibição de mulheres nos batalhões de voluntários,

Brasil Imperio 43
decidiu se alistar às escondidas. Cortou os cabelos, b) a independência do Brasil foi um fato isolado, no
amarrou os seios, vestiu-se de homem e incorporou-se contexto americano de luta pela emancipação das
às fileiras brasileiras com o nome de Soldado Medeiros. metrópoles. Isso se deu porque era a única colônia de
GOMES, L. 1822. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2010. língua portuguesa, e porque adotava, como regime de
trabalho, a escravidão africana.
No processo de Independência do Brasil, o caso c) caberia, às futuras gerações de brasileiros, o esforço
mencionado é emblemático porque evidencia a no sentido de impor seus valores para Portugal,
a) rigidez hierárquica da estrutura social. rompendo, definitivamente, os impasses econômicos
b) inserção feminina nos ofícios militares. impostos à Colônia pela metrópole portuguesa desde o
c) adesão pública dos imigrantes portugueses. início da colonização.
d) flexibilidade administrativa do governo imperial. d) apesar de alguns setores da elite nacional possuírem
e) receptividade metropolitana aos ideais interesses semelhantes à burguesia mercantil lusitana
emancipatórios. e, portanto, afastando-se do processo emancipatório
nacional, com a eminente vinda de tropas portuguesas
H0327 - (Ufrgs) Sobre a sociedade brasileira no século para o país, passaram a apoiar a ideia de
XIX e a construção do Estado imperial, considere as independência.
seguintes afirmações. e) assim como Portugal passava por um processo de
reestruturação, após a Revolução Liberal do Porto; no
I. O liberalismo, marcado pela defesa da propriedade Brasil, esse movimento emancipatório apenas havia
privada e livre comércio, foi uma das correntes de começado e só fora concluído, com a subida
pensamento adotadas pelas elites escravocratas antecipada ao trono, de D. Pedro II, em 1840.
brasileiras.
II. A unidade nacional, a integridade territorial e a H0329 - (Unesp) A primeira Constituição brasileira, de
escravidão estão entre os principais pilares da 1824, foi
monarquia. a) aprovada pela Câmara dos Deputados e estabeleceu
III. A nobreza imperial, definida como uma classe social o voto censitário.
distinta, era um segmento restrito reservado àqueles b) imposta por Portugal e determinou o monopólio
que possuíam vínculos de consanguinidade com a português do comércio colonial.
aristocracia europeia. c) outorgada pelo imperador e definiu a existência de
quatro poderes.
Quais estão corretas? d) promulgada por uma Assembleia Constituinte e
a) Apenas I. concentrou a autoridade no Poder Executivo.
b) Apenas II. e) determinada pela Inglaterra e estabeleceu o fim do
c) Apenas III. tráfico de escravos.
d) Apenas I e II.
e) I, II e III. H0330 - (Mackenzie) “A cena de uma rua é, a um só
tempo, a mesma de todo o quarteirão. Os pés de
H0328 - (Mackenzie) “(...). Conquistar a emancipação chumbo (portugueses) deixam que a cabralhada
definitiva e real da nação, ampliar o significado dos (brasileiros) se aproxime o mais possível. E
princípios constitucionais foi tarefa delegada aos inesperadamente, de todas as portas, chovem garrafas
pósteres”. inteiras e aos pedaços sobre os invasores. O sangue
COSTA, Emília Viotti da. Da monarquia à república: momentos espirra, testas, cabeças, canelas... Gritos, gemidos,
decisivos. São Paulo; Livraria Editora Ciências Humanas, 1979.
P.50. uivos, guinchos.
É inverossímil.
A análise acima, da historiadora Emília Viotti da Costa, E a raça toda, de cacete em punho, vai malhando... E os
refere-se à proclamação da independência do Brasil, corpos a cair ensanguentados sobre os cacos
em 7 de setembro de 1822. A análise da autora, a navalhantes das garrafas.”
(Correia, V.,1933, p. 42)
respeito do fato histórico, aponta que
O episódio, descrito acima, relata o enfrentamento
a) apesar dos integrantes da elite nacional terem
entre portugueses e brasileiros, em 13/03/1831, no Rio
alcançado seu objetivo: o de romper com os estatutos
de Janeiro, conhecido como Noite das Garrafadas. Essa
do plano colonial, no que diz respeito às restrições à
manifestação assemelhava-se às lutas liberais travadas
liberdade de comércio, e à conquista da autonomia
na Europa, após as decisões tomadas pelo Congresso
administrativa, a estrutura social do país, porém, não
de Viena.
foi alterada.
3

Brasil Imperio 44
A respeito dessa insatisfação popular, presente tanto b) Apenas ocorreu a independência econômica do
na Europa, após 1815, quanto nos conflitos nacionais, Brasil, mas não a política, pois a elite nacional
durante o I Reinado, é correto afirmar que europeizada submeteu-se aos interesses da Inglaterra.
c) Pelo fato de a monarquia ter sido logo adotada como
a) D. Pedro II adota a mesma política praticada por forma de governo, a independência não representou
monarcas europeus; quando, ao outorgar uma carta mudanças sociais significativas, pois estas ficariam a
constitucional, contrariou os interesses, tanto da classe cargo de gerações futuras.
oligárquica, fiel ao trono, quanto das classes populares, d) Não houve acordo de independência com os
as quais permaneceram sem direito ao voto. Britânicos, que reagiram o quanto puderam à
b) o governo brasileiro também se utilizou de independência do Brasil, já que ela representaria a real
empréstimos junto à Inglaterra, aumentando a dívida autonomia econômica do país.
externa e fortalecendo a economia inglesa, a fim de
sanar o deficit orçamentário e suprir os gastos militares H0332 - (Fac. Pequeno Príncipe) Na interpretação mais
em campanhas contra os levantes populares. conhecida sobre a História do Brasil, a data de 7 de
c) D. Pedro I, buscando recuperar sua popularidade, setembro de 1822 representou um marco, pois, nesse
iniciou uma série de visitas às províncias revoltosas do dia, D. Pedro proclamou oficialmente a separação da
país, adotando a mesma estratégia diplomática que Colônia da metrópole portuguesa.
alguns regentes europeus, nessa época, praticaram,
sem contudo, lograrem nenhum sucesso político. Sobre o processo de Independência do Brasil, assinale
d) as guerras travadas contra o exército napoleônico, a alternativa CORRETA.
na Europa, e o envolvimento do Brasil, na Guerra da a) As relações entre a Coroa portuguesa e o Brasil
Cisplatina, provocaram, em ambos os casos, a enorme melhoraram quando Dom João VI, de Portugal,
insatisfação popular e revolta, diante do elevado apoiado pela Corte portuguesa, assinou um decreto
número de combatentes mortos. concedendo o título de Regente do Brasil a seu filho
e) a retomada de políticas absolutistas, como o Dom Pedro. Entretanto, aproveitando-se da
estabelecimento do Poder Moderador, no Brasil, autoridade que lhe foi concedida, no dia 7 de setembro
dando plenos poderes a D. Pedro I e, na Europa, a dura de 1822, Dom Pedro rompeu politicamente com
repressão contra as ideias liberais, deflagradas pela Portugal e proclamou a Independência do Brasil.
Revolução Francesa, ocasionaram uma enorme b) A Independência brasileira foi um processo liderado,
insatisfação popular. em grande parte, pelos setores sociais que mais se
beneficiavam com a ruptura dos laços coloniais: os
H0331 - (Uece) Atente ao seguinte fragmento da obra grandes proprietários de terra e os grandes
da historiadora Emília Viotti da Costa, a respeito do comerciantes, pois a separação tinha como objetivo
processo de independência do Brasil: preservar a liberdade de comércio e a autonomia
administrativa. A maioria da população permaneceu na
“A ordem econômica seria preservada, a escravidão situação anterior à proclamação da Independência.
mantida. A nação independente continuaria c) Após o processo de Independência, a economia
subordinada à economia colonial, passando do brasileira tornou-se competitiva no mercado
domínio português à tutela britânica. A fachada liberal internacional, pois devido ao apoio econômico inglês o
construída pela elite europeizada ocultava a miséria e Brasil começou a desenvolver a atividade industrial, o
a escravidão da maioria dos habitantes do país. que era proibido pelo governo metropolitano.
Conquistar a emancipação definitiva da nação, ampliar d) A mudança mais significativa após a Independência
o significado dos princípios constitucionais seria tarefa do Brasil ocorreu no âmbito econômico-social, pois
relegada aos pósteros”. com o desenvolvimento econômico surgiram novas
COSTA, Emília Viotti da. Introdução ao estudo da emancipação classes sociais urbanas ligadas ao processo industrial.
política do Brasil. In: MOTA, Carlos Guilherme (Org.). Brasil em
e) A Inglaterra, interessada em manter os benefícios
perspectiva. 16. ed. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 1987.
p.125. comerciais garantidos pelos tratados de comércio e
navegação de 1810, foi a primeira nação a reconhecer
Considerando o processo de independência do Brasil, a Independência do Brasil.
assinale a afirmação verdadeira.
H0333 - (Ifmg) A classe dominante brasileira era, em
a) Não ocorreu nenhuma ocultação dos reais sua maioria, conservadora (...). Desejava manter as
problemas sociais e econômicos do país após a estruturas econômicas e sociais coloniais baseadas no
independência, já que a elite local buscou solucioná-los sistema agrícola, na escravidão e na exportação de
imediatamente. produtos agrícolas tropicais para o mercado europeu.
4

Brasil Imperio 45
Contudo, havia nas cidades (...) alguns liberais que Primeiro Representante, para que incessantemente
esperavam mudanças mais profundas na política e na vele sobre a manutenção da independência, equilíbrio
sociedade: soberania popular, democracia e mesmo e harmonia dos demais Poderes Políticos.
uma república. Disponível em: www.planalto.gov.br. Acesso em: 18 abr. 2015
(BETHELL, Leslie. A independência do Brasil. In: História da (adaptado).
América Latina. São Paulo: EDUSP, 2009. V. 3, p. 213.)
A apropriação das ideias de Montesquieu no âmbito da
A aceitação de D. Pedro pela elite senhorial, como líder norma constitucional citada tinha o objetivo de
do processo de independência do Brasil, eclodido em a) expandir os limites das fronteiras nacionais.
1822, visava a b) assegurar o monopólio do comércio externo.
a) manter nosso país sob a tutela da metrópole c) legitimar o autoritarismo do aparelho estatal.
lusitana. d) evitar a reconquista pelas forças portuguesas.
b) evitar transformações mais bruscas na ordem social e) atender os interesses das oligarquias regionais.
e política.
c) defender a República como sistema de governo para H0336 – (Espm) Vossa majestade verá que fiz de minha
o novo país. parte tudo quanto podia e, por mim, no dito tratado,
d) impossibilitar a escolha do regime monárquico após está feita a paz. É impossível que vossa majestade,
a emancipação. havendo alcançado suas reais pretensões negue
ratificar um tratado que lhe felicita seus reinos,
H0334 - (Udesc) Em 25 de março de 1824, Dom Pedro abrindo-lhe os portos ao comércio estagnado, e que vai
I outorgou a Constituição Política do Império do Brasil. pôr em paz tanto a nação portuguesa, de que vossa
Em relação à Constituição de 1824, assinale a majestade é tão digno rei, como a brasileira, de que
alternativa correta. tenho a ventura de ser imperador.
a) O Texto Constitucional foi construído coletivamente Paulo Rezzuti. D. Pedro: a história não contada. O homem
pela Câmara de Deputados, votado e aprovado em 25 revelado por cartas e documentos inéditos.
de março de 1824. Expressava os interesses tanto do
partido liberal quanto do partido conservador, para o O fragmento é parte da carta de D. Pedro a D. João VI,
futuro na nação que recém conquistara sua versando sobre o tratado por meio do qual Portugal
independência. reconhecia a independência do Brasil, mediante:
b) A Constituição de 1824 instaurava a laicidade no a) a renovação dos tratados comerciais de 1810;
território nacional, extinguindo a religião católica como b) a concessão aos portugueses da Ilha de Trindade;
religião oficial do império e expressando textualmente c) a assinatura de um acordo de reciprocidade;
que “todas as outras religiões serão permitidas com d) o compromisso assumido pelo Brasil de cessar o
seu culto doméstico, ou particular em casas para isso tráfico negreiro;
destinadas, sem forma alguma exterior do Templo”. e) o pagamento pelo Brasil de uma indenização de 2
c) A organização política instaurada pela Constituição milhões de libras.
de 1824 dividia-se em 4 poderes: Executivo, Legislativo,
Judiciário e Moderador, sendo que este último H0337 - (Udesc) “A unidade básica de resistência no
determinava a pessoa do imperador como inviolável e sistema escravista, seu aspecto típico, foram as fugas.
sagrada. (...) Fugas individuais ocorrem em reação a maus tratos
d) A Constituição de 1824 determinou a cidadania físicos ou morais, concretizados ou prometidos, por
amplificada e o direito ao voto para todos os nascidos senhores ou prepostos mais violentos. Mas outras
em solo brasileiro, independentemente de gênero, arbitrariedades, além da chibata, precisam ser
raça ou renda. computadas. Muitas fugas tinham por objetivo refazer
e) A Constituição de 1824 promoveu, em diversos laços afetivos rompidos pela venda de pais, esposas e
artigos, ideais de cunho abolicionista. Tais ideais foram filhos. (...) No Brasil, a condenação [da escravidão] só
respaldo para movimentos políticos posteriores, tais ganharia força na segunda metade do século, quando
como a Revolta dos Farrapos e a Revolta dos Malês. o país independente, fortemente penetrado por ideias
e práticas liberais, se integra ao mercado internacional
H0335 - (Enem) Constituição Política do Império do capitalista. (...) “Tirar cipó” – isto é, fugir para o mato –
Brasil (de 25 de março de 1824) continuou durante muito tempo como sinônimo de
evadir-se, como aparece no romance A carne, de Júlio
Art. 98. O Poder Moderador é a chave de toda a Ribeiro. Mas as fugas, como tendência, não se dirigem
organização política, e é delegado privativamente ao mais simplesmente para fora, como antes; se voltam
Imperador, como Chefe Supremo da Nação, e seu para dentro, isto é, para o interior da própria sociedade
escravista, onde encontram, finalmente, a dimensão
5

Brasil Imperio 46
política de luta pela transformação do sistema. “O não atores políticos pós-independência, não havia histórico
quero dos cativos”, nesse momento, desempenha de partidos parlamentares – nem mesmo de
papel decisivo na liquidação do sistema, conforme parlamento. De fato, em algumas das primeiras
analisou o abolicionista Rui Barbosa”. disputas na Câmara durante a Regência, estava claro
REIS, João José. SILVA, Eduardo. Negociação e conflito: a que a função básica do partido político,
resistência negra no Brasil escravista. São Paulo: Companhia das
particularmente a ideia de um partido de oposição, era
Letras, 1989, p. 62-66-71.
intensamente debatida, e não apenas porque a
ameaça de conflito era bastante real."
De acordo com os autores do texto, João José Reis e NEEDELL, Jeffrey D. "Formação dos partidos políticos no Brasil da
Eduardo Silva, assinale a alternativa incorreta. Regência à Conciliação, 1831-1857". Almanack Braziliense. São
Paulo, nº 10, p. 5-22, nov. 2009, p. 8. Disponível em:
a) As fugas de escravos entre os séculos XVI e XIX <http://www.periodicos.usp.br/alb/article/view/11719/13492>.
Acesso em: 07/08/19.
tiveram motivações diversas, entre elas o tráfico
interprovincial.
b) Durante o século XIX, a luta dos escravos pela Com base no fragmento de texto, considere as
liberdade não se dava somente pela fuga coletiva para afirmativas a seguir.
a formação de quilombos.
c) As cidades, no século XIX, tornaram-se espaços I. O primeiro partido duradouro foi o Partido
significativos para as lutas pela abolição. Conservador. Formado por dissidentes liberais que
d) Os escravos foram agentes da história, e não apenas romperam com aliados mais radicais, chamados
força de trabalho. exaltados.
e) A naturalização do sistema escravista se manteve II. Muitos deputados do Partido Conservador,
estável durante o período colonial e o imperial. mantendo-se fiéis aos princípios liberais, exprimiam
seu desejo de manter equilibrada a relação de poder
H0338 - (Enem) É hoje a nossa festa nacional. O Brasil entre o monarca e o parlamento – representante de
inteiro, da capital do Império a mais remota e seus interesses.
insignificante de suas aldeolas, congrega-se unânime III. Com as regências, foi dissolvida a relação de
para comemorar o dia que o tirou dentre as nações dependência entre eleitores e figuras proeminentes da
dependentes para colocá-lo entre as nações sociedade, como grandes proprietários de terras e
soberanas, e entregou-lhe os seus destinos, que até comerciantes.
então haviam ficado a cargo de um povo estranho. IV. A oposição ao partido do imperador vinha por parte
Gazeta de Notícias, 7 set. 1883. dos os exaltados, que tiveram atuação notória a partir
do início da década de 1830.
As festividades em torno da Independência do Brasil
marcam o nosso calendário desde os anos Estão CORRETAS somente as afirmativas
imediatamente posteriores ao 7 de setembro de 1822. a) I, II e IV.
Essa comemoração está diretamente relacionada com b) II e III.
c) I e III.
d) I, III e IV.
a) a construção e manutenção de símbolos para a
e) I, II e III.
formação de uma identidade nacional.
b) o domínio da elite brasileira sobre os principais
H0300 - (Fmp) Considere o texto da historiadora Maria
cargos políticos, que se efetivou logo após 1882.
de Fátima Gouvêa sobre o período das regências no
c) os interesses de senhores de terras que, após a
Brasil (1831-1840).
Independência, exigiram a abolição da escravidão.
d) o apoio popular às medidas tomadas pelo governo
O Ato Adicional de 1834 transformou os Conselhos
imperial para a expulsão de estrangeiros do país.
Gerais das Províncias em assembleias legislativas
e) a consciência da população sobre os seus direitos
provinciais, tendo ainda ampliado o número de
adquiridos posteriormente à transferência da Corte
representantes provinciais reunidos no âmbito do
para o Rio de Janeiro.
legislativo provincial, ficando essas assembleias
encarregadas de auxiliar os presidentes de província na
H0299 - (Fac. Pequeno Príncipe) Leia o texto que segue.
gestão administrativa sob sua jurisdição.
GOUVÊA, M. F. O império das províncias. Rio de Janeiro, 1822-
"A natureza de um partido político precisa ser discutida 1889. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008, p. 19.
como um prefácio aos problemas das origens
partidárias no Brasil. Deve-se recordar que, para os

Brasil Imperio 47
A medida descrita pelo texto possui, explicitamente, uma república de caráter transitório até que Dom
um perfil Pedro II alcançasse a maioridade.
a) autoritário e absolutista d) ocorreu na província do Grão-Pará, entre 1835 e
b) federalista e regressista 1840, em decorrência da exploração sofrida pelos
c) descentralizador e progressista trabalhadores submetidos a um regime de trabalho de
d) democrático e socialista semiescravidão. Esses foram violentamente reprimidos
e) centralizador e liberal e aproximadamente 30 mil pessoas morreram
assassinadas por tropas imperiais e em incêndios.
H0301 - (Enem) A Regência iria enfrentar uma série de
rebeliões nas províncias, marcadas pela reação das H0303 - (Enem) Uns viam na abdicação uma verdadeira
elites locais contra o centralismo monárquico levado a revolução, sonhando com um governo de conteúdo
efeito pelos interesses dos setores ligados ao café da republicano; outros exigiam o respeito à Constituição,
Corte, como a Cabanagem, no Pará, a Balaiada, no esperando alcançar, assim, a consolidação da
Maranhão, e a Sabinada, na Bahia. Mas, de todas elas, Monarquia. Para alguns, somente uma Monarquia
a Revolução Farroupilha era aquela que mais centralizada seria capaz de preservar a integridade
preocuparia, não só pela sua longa duração como pela territorial do Brasil; outros permaneciam ardorosos
sua situação fronteiriça da província do Rio Grande, defensores de uma organização federativa, à
tradicionalmente a garantidora dos limites e dos semelhança da jovem República norte-americana.
interesses antes lusitanos e agora nacionais do Prata. Havia aqueles que imaginavam que somente um Poder
PESAVENTO, S. J. Farrapos com a faca na bota. In: FIGUEIREDO, L. Executivo forte seria capaz de garantir e preservar a
História do Brasil para ocupados. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, ordem vigente; assim como havia os que eram
2013.
favoráveis à atribuição de amplas prerrogativas à
Câmara dos Deputados, por entenderem que somente
A característica regional que levou uma das revoltas
ali estariam representados os interesses das diversas
citadas a ser mais preocupante para o governo central
províncias e regiões do Império.
era a MATTOS, I. R.; GONÇALVES, M. A. O Império da boa sociedade: a
a) autonomia bélica local. consolidação do Estado imperial brasileiro. São Paulo: Atual, 1991
b) coesão ideológica radical. (adaptado).

c) liderança política situacionista.


d) produção econômica exportadora. O cenário descrito revela a seguinte característica
e) localização geográfica estratégica. política do período regencial:
H0302 - (Ufu) “[...] foi o mais notável movimento a) Instalação do regime parlamentar.
popular do Brasil. O único em que as camadas mais b) Realização de consultas populares.
inferiores da população conseguiram ocupar o poder c) Indefinição das bases institucionais.
de toda uma província com certa estabilidade. [...] d) Limitação das instâncias legislativas.
primeira insurreição popular que passou da simples e) Radicalização das disputas eleitorais.
agitação para uma tomada efetiva de poder.”
PRADO JÚNIOR, Caio. Evolução Política do Brasil e outros estudos. H0304 - (Espcex) Em 1834, numa tentativa de
São Paulo: Brasiliense, 1975. p. 69. (Adaptado) harmonizar as diversas forças em conflito no País,
grupos políticos, como o dos moderados, promoveram
A citação acima diz respeito à Cabanagem, uma das uma reforma na Constituição do Império, mediante a
principais revoltas ocorridas no chamado Período promulgação do Ato Adicional. Observe os enunciados
Regencial Brasileiro. Acerca desse movimento, é abaixo.
correto afirmar que
a) ocorreu na cidade de Salvador, em 1835, com I. Criação do Conselho de Estado.
significativa participação de africanos escravizados de II. Criação das Assembleias Legislativas provinciais.
origem muçulmana. O levante durou menos de 24 III. A regência deixava de ser trina para se tornar una.
horas e foi duramente reprimido. Os revoltosos IV. Fundação do Clube da Maioridade.
sobreviventes foram mortos, presos ou degradados.
b) ocorreu no Maranhão entre os anos de 1838 e 1841 Assinale a opção em as afirmativas estão relacionadas
e foi liderado por homens pobres (com apoio de ao Ato Adicional.
escravos, de vaqueiros e mesmo de alguns fazendeiros) a) I e II
que enfrentaram grandes proprietários de terra, b) II e IV
comerciantes e autoridades políticas. c) II e III
c) ocorreu na província da Bahia entre os anos de 1837 d) I e IV
e 1838. Seu objetivo era, dentre outros, a criação de e) III e IV
7

Brasil Imperio 48
H0305 - (Ifba) Para os Sabinos, o que prevalecia no política do país, encerrou-se em 1840, com o golpe da
Brasil após a independência do país era o “colonialismo maioridade e o início do Segundo Reinado.
de Corte”. O que isso significava? COSTA, Luís César Amad & MELLO, Leonel Itaussu de Almeida.
História do Brasil. São Paulo: Scipione, 2007, p.169. (Adaptado).
a) Que não houve independência, pois a situação de
dependência de Portugal se mantinha.
b) Uma expressão de uma insatisfação com a Ao ler o texto, percebemos que surge, após o Primeiro
centralização política no Rio de Janeiro e com o Reinado, uma nova fase para a história política
crescente abafamento de pleitos locais em nome da brasileira. Durante essa fase ou período,
unidade nacional. a) ocorreu a manutenção do Conselho de Estado, órgão
c) A insatisfação com o fato de a regência no Rio de que assessorava o imperador no exercício do poder
Janeiro ficar, desde a abdicação de Pedro I, sob o Moderador.
controle dos restauracionistas, que pretendiam a volta b) a Revolução Farroupilha, que apresentava caráter
à colonização. separatista e republicano, foi motivada pelo
d) Que os sabinos eram a expressão dos “Exaltados” já descontentamento com a política tributária aplicada à
que, durante a sublevação, em nenhum momento província, entre outros fatores.
abriram mão de se separarem do Brasil. c) o Golpe da Maioridade, desfechado pelo Partido
e) Apesar das intensas lutas federalistas que Conservador, trouxe harmonia política às próximas
antecederam a Sabinada, aquelas não tinham quatro décadas, evitando confrontos ideológicos entre
nenhuma conexão com esta, já que criticavam a os partidos da época.
separação da província da Bahia do restante do Brasil. d) o Brasil experimentou pela primeira vez o sistema
parlamentarista, que ficou conhecido como
H0306 - (Uece) Entre 7 de abril de 1831 e 24 de julho “parlamentarismo às avessas”, visto que o Primeiro-
de 1840, o Brasil foi governado por regentes. Isso Ministro tinha poderes reduzidos.
deveu-se à abdicação de D. Pedro I ao trono brasileiro e) foi marcado por grandes conflitos externos, como foi
em favor de seu filho que tinha então cinco anos e o caso da Guerra do Paraguai, que, ao seu final, elevou
quatro meses de idade. Esse Período regencial, de o prestígio do exército brasileiro no contexto da
pouco mais de 9 anos, teve inicialmente duas regências política nacional.
trinas, e após um ato adicional, em 1834, que alterou o
modelo de regência previsto na Constituição Imperial H0308 - (Espcex) "... Caxias tinha visão certa de que
de 1824, teve, também, duas regências unas. pacificar é um esforço por costurar... de concessões
Essa época da história brasileira foi marcada por recíprocas, de vontade sincera, tudo voltado para a
a) várias rebeliões em províncias do norte, nordeste e conciliação... "
Neto, Jonas Correia em Revista Militar / Edição comemorativa do
sul do país, algumas delas com objetivos separatistas e Bicentenário de Caxias, 2003, pág 9
outras com caráter de defesa da monarquia.
b) grandes avanços nos direitos sociais e uma maior O fragmento de texto acima ressalta uma das
unificação e pacificação interna, se comparada aos características marcantes de Luiz Alves de Lima e Silva,
períodos de governo dos dois imperadores. o Duque de Caxias, evidenciada durante sua carreira
c) acentuar o espírito republicano do povo brasileiro, o militar: ser um pacificador.
que levou à crise e queda imediata da monarquia e à Das rebeliões listadas abaixo, ocorridas no Brasil
adoção da república como forma de governo. durante os 1º e 2º Reinados, as que tiveram
d) efetivar o consenso entre restauradores e participação efetiva de Caxias foram a
trabalhistas que se mantiveram no poder a) Revolta dos Malês; e Questão Religiosa.
alternadamente, mas não realizaram nenhuma b) Sabinada; e Guerra dos Farrapos.
inovação federalista no modelo monárquico brasileiro. c) Cabanagem; e Revolução Praieira.
d) Conjuração baiana; e Sabinada.
H0307 - (Usf) A carta de despedida de D. Pedro I é um e) Balaiada; e Guerra dos Farrapos.
dos documentos que assinalam o triunfo do Partido
Brasileiro sobre o Partido Português e a passagem do H0309 - (Acafe) “A criação de gado se generalizou, na
Primeiro Reinado ao Período Regencial. Em 1834, foi região, assim como a transformação da carne bovina
promulgado um Ato Adicional à Constituição, que em charque (carne-seca). O charque era um produto
tentava conciliar os interesses das facções políticas. vital...”
Esse período conturbado de nossa história, Fonte: FAUSTO, Boris. História do Brasil. 5ª. Edição. São Paulo:
caracterizado por lutas entre restauradores, exaltados Editora da Universidade de São Paulo, 1997. Página 168.
e moderados, assim como pelas rebeliões provinciais
que colocaram em risco a integridade territorial e Pode-se afirmar que as questões envolvendo o charque
8

Brasil Imperio 49
resultaram num conflito ocorrido no período regencial influência da Inglaterra nos assuntos brasileiros,
que chegou até o início do Segundo Reinado no Brasil. preservando seus interesses como donos de escravos.
Nesse sentido, é correto afirmar: c) O golpe foi uma resposta dos conservadores às
a) As questões envolvendo o charque foi um dos propostas liberais que pretendiam estabelecer a
motivos da Guerra dos Farrapos, iniciada no Rio República no país, e Alencar apontou uma prática
Grande do Sul. política dos parlamentares que é recorrente na história
b) Esse conflito ocorreu na região mineradora, entre os do país.
produtores nordestinos e gaúchos, e ficou conhecido d) José de Alencar expressou sua decepção com os
como Guerra dos Emboabas. políticos e, ao registrar sua visão sobre o Clube da
c) A produção de charque em Mato Grosso, área de Maioridade, o escritor contribuiu para inibir
intensa pecuária no Segundo Reinado, ocasionou um procedimentos semelhantes durante o Império,
conflito entre produtores locais e estancieiros oriundos assegurando uma transição pacífica e legal para a
do Rio Grande do Sul. A solução foi a divisão de Mato República, em 1889.
Grosso, criando-se o estado de Mato Grosso do Sul.
d) Após este conflito, o Imperador D. Pedro II autorizou H0311 - (Fgv) Sobre a regência do paulista Diogo
a importação de charque do Uruguai e da Argentina, já Antônio Feijó, entre 1835 e 1837, é correto afirmar que
que as charqueadas da região sudeste foram extintas. a) o regente conseguiu vencer a eleição devido ao
O charque platino entrava no Brasil com baixas taxas apoio recebido dos produtores de algodão do
alfandegárias. Nordeste, classe emergente nos anos 1830, o que
possibilitou o combate às rebeliões regenciais e o início
H0310 - (Unicamp) O escritor José de Alencar relata do processo de centralização político-administrativa.
como ocorriam as reuniões do Clube da Maioridade, b) o apoio inicial que Feijó recebeu de todas as forças
realizadas na casa de seu pai em 1840. Discutia-se políticas do Império foi, progressivamente, sendo
nessas ocasiões a antecipação da maioridade do corroído porque o regente eleito mostrou simpatia
imperador D. Pedro II, então com apenas 14 anos, para pelo projeto político da Balaiada, que defendia uma
que ele pudesse assumir o trono antes do tempo Monarquia baseada no voto universal.
determinado pela Constituição. No fim da vida, José de c) a opção de Feijó em negociar com os farroupilhas e
Alencar rememora os episódios de sua infância e chega com a liderança popular da Cabanagem provocou forte
a uma surpreendente conclusão: os políticos que reação dos grupos mais conservadores, especialmente
frequentavam sua casa na ocasião iam lá não porque do Partido Conservador, que organizaram a queda de
estavam pensando no futuro do país, mas apenas para Feijó por meio de um golpe de Estado.
devorar tabletes e bombons de chocolate. Conforme o d) o isolamento político do regente Feijó, que provocou
relato do escritor, os membros do Clube da a sua renúncia do mandato, relacionou-se com a sua
Maioridade, discutindo altos assuntos na sala de sua incapacidade de conter as rebeliões que se espalhavam
casa, pareciam realmente gente séria e preocupada por várias províncias do Império e com a vitória
com os destinos do Brasil, até que chegava a hora do eleitoral do grupo regressista.
chocolate. e) as condições econômicas brasileiras foram se
Para Alencar, a discussão política no Brasil se resumia deteriorando durante a década de 1830 e provocaram
a um “devorar de chocolate”, isto é, cada um defendia um forte desgaste da regência de Feijó, que renunciou
apenas seus interesses particulares e nada mais. ao cargo depois de um acordo para uma reforma
Adaptado de Daniel Pinha Silva, “O império do chocolate”, em constitucional.
http://www.revistadehistoria.com.br/secao/leituras/o-imperio-
do-chocolate.
Acessado em: 01/08/2016. H0312 - (Mackenzie) “... esses males, nós os temos
suportado em comum com as outras Províncias da
Sobre o Golpe da Maioridade e a visão de José de União Brasileira (...). Para que lançássemos mãos das
Alencar a esse respeito, é correto afirmar que: armas foi preciso a concorrência de outras causas (...)
a) O golpe foi uma manobra das elites políticas, que que nos dizem respeito(...) e que nos trouxeram íntima
criaram uma forma de alterar a Constituição e convicção da impossibilidade de avançarmos na
contemplar os seus interesses durante o período carreira da Civilização e prosperidade sujeitos a um
regencial, fato criticado por Alencar ao fazer uma governo que há formado o projeto iníquo de nos
anedota com o chocolate. submeter à mais abjeta escravidão (...).”
b) Ao entregar o poder a um jovem de 14 anos,
alegando ser maior de 18, os políticos do Império O trecho do Manifesto Farroupilha de 1838, referia-se
manifestavam uma ousada visão política para evitar a ao

Brasil Imperio 50
a) fortalecimento do poder central nas mãos da elite administrativa e suas elites pudessem implementar
latifundiária, ligados ao setor exportador, impedindo projetos políticos baseados no federalismo.
assim a participação política das camadas médias
urbanas, sobretudo dos militares. H0314 - (Ifsul) A Revolta dos Malês, ocorrida em
b) estabelecimento de tarifas alfandegárias favoráveis Salvador, Província da Bahia, na noite de 24 de janeiro
aos interesses dos estanceiros gaúchos e de 1835, durante o Brasil Império, mais precisamente
charqueadores e maior autonomia aos governos durante o Período Regencial (1831 a 1840),
provinciais. representou uma rápida rebelião organizada pelos
c) desejo de um governo federalista capaz de limitar o escravos e que foi reprimida pelas tropas imperiais.
anseio e efetiva participação das classes populares e Disponível em: <https://www.todamateria.com.br/revolta-dos-
ampliar o poder dos grandes proprietários de escravos males/>.
Acesso em: 22 jul. 2016. (texto adaptado).
junto ao governo.
d) anseio autonomista das diversas províncias do país
Essa revolta representou a mobilização de cerca de
e eliminação do regime de produção escravista,
1.500 escravos africanos, os quais lutavam pela
vigente também no sul do país, para tentar dinamizar
a) libertação dos negros de origem islâmica e pela
o mercado consumidor nacional.
tomada do poder.
e) repúdio à política centralizadora do governo
b) libertação dos índios guaranis e de outros escravos
imperial, assim como às demais rebeliões populares
dos engenhos vizinhos.
que assolavam o país, defendendo reformas sociais e a
c) independência do Brasil e pelas ideias republicanas.
adesão a um regime unitarista.
d) defesa da religião católica e pela manutenção de
suas crenças, cultos e costumes.
H0313 - (Ufjf) Leia atentamente o texto abaixo e em
seguida responda:
H0315 - (Uel) Sob o ponto de vista das ideias, foram
O Ato Adicional de 1834 reformou a constituição em
diversas as correntes políticas que atuaram no período
sentido descentralizante. Criou as assembleias
regencial no Brasil (1831-1840).
provinciais, concedendo mais poder às províncias, e
aboliu o Conselho de Estado. À maior descentralização
Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, os
seguiu-se um recrudescimento dos conflitos e revoltas
integrantes e suas posições político-ideológicas.
provinciais. Nunca houve período mais conturbado na
a) Os cabanos situavam-se na região norte do país,
história do Brasil.
CARVALHO, J. M.. D. Pedro II: ser ou não ser. São Paulo:
eram administradores das províncias, corporações do
Companhia das Letras, 2007, p. 36. exército local e elite dos comerciantes portugueses;
defendiam o retorno da família imperial.
As revoltas ocorridas durante o período regencial b) Os farroupilhas eram pequenos proprietários rurais
expressavam um grande descontentamento com o e comerciantes, representavam o setor mais
projeto centralizado de Estado, liderado pelas elites conservador do grupo dos chimangos; postulavam o
enraizadas na Corte. retorno da monarquia com a imposição de medidas
Sobre as revoltas regenciais é CORRETO afirmar que: centralizadoras.
a) os revoltosos eram formados, exclusivamente, por c) Os liberais exaltados eram proprietários rurais,
grandes proprietários de terra que disputavam entre si integrantes do exército e classe média urbana, que
o direito de maior representatividade e projeção no defendiam a descentralização do poder imperial e a
cenário nacional. autonomia das províncias.
b) em sua maioria, as revoltas regenciais ameaçavam a d) Os liberais moderados, ou chimangos, eram
unidade do Império por meio de reivindicações que comerciantes portugueses, aristocratas e integrantes
poderiam levar à fragmentação do território em da alta patente do exército, que defendiam a volta do
pequenas repúblicas. ex-imperador e a autonomia das províncias.
c) índios e africanos foram os grupos sociais que e) Os restauradores, ou caramurus, eram membros do
representaram maior resistência aos movimentos setor rural abolicionista e intelectuais da classe média;
revoltosos, lutando ao lado do governo imperial. defendiam as reformas socioeconômicas que visavam
d) a luta contra a escravidão era uma reivindicação à expulsão do ex-imperador.
comum a todas as revoltas que ocorreram no período,
representando o início das manifestações H0316 – (Uece) Entre abril de 1831 e julho de 1840,
abolicionistas no país. durante o período em que o príncipe herdeiro, Pedro
e) o sucesso dos conflitos armados contribuiu para que de Alcântara, foi menor de idade, o Brasil esteve sob
as províncias alcançassem maior autonomia comando de regentes. As quatro regências (duas trinas

10

Brasil Imperio 51
e duas unas) se seguiram durante nove anos que foi criada para governar até que Dom Pedro II, como
marcaram a nossa história no século XIX. Sobre esse ficaria conhecido, atingisse a maioridade e pudesse ser
período, é correto afirmar que coroado.

a) ocorreram avanços sociais inegáveis, como a Durante o Período Regencial, a política brasileira foi
abolição da escravatura e a concessão do direito ao marcada
voto para os analfabetos, contudo ambos foram a) pela intensificação da política expansionista do
revogados com a chegada de D. Pedro II ao trono. regente Feijó, que acentuou os conflitos internacionais
b) foi um período de grande agitação social e política no Cone Sul (Guerras da Cisplatina e do Paraguai), e
no qual ocorreram revoltas de escravos, como a dos pelo aumento progressivo da dívida externa brasileira.
Malês, em Salvador e revoltas separatistas como a b) pela fragmentação do Império, marcada pela perda
Cabanagem, no Pará, a Sabinada, na Bahia e a de territórios fronteiriços (Província Cisplatina,
Farroupilha, no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Amazônia Colombiana) nos combates com as tropas de
c) foi um período de grande paz interna, o que Simón Bolívar e José de San Martín.
proporcionou um desenvolvimento econômico e social c) pelo pacto federativo, conduzido pelo jovem
sem precedentes, isso foi o que garantiu a D. Pedro II imperador, que favoreceu as demandas dos
um governo longevo de 49 anos que só acabou com sua regionalistas, concedendo autonomia administrativa
morte em 1889. às províncias.
d) durante esses anos o país expandiu seu território, d) pela promulgação da primeira Constituição do
tendo anexado a Província Cisplatina e o estado do Império, que sofreu forte resistência das elites
Acre, definindo assim suas atuais fronteiras e sua regionais por seu caráter centralizador, pela criação do
posição de maior país da América do Sul. poder Moderador e pela extensão do direito de voto
aos analfabetos.
H0317 - (Ifba) “Queremos Pedro II, e) pela criação das Assembleias Legislativas Provinciais
Ainda que não tenha idade. e pela eclosão de rebeliões em diversas províncias,
A nação dispensa a Lei sendo algumas de caráter popular (como a
E viva a maioridade.” Cabanagem) e outras comandadas pelas elites
regionais (caso da Guerra dos Farrapos).
As ações pela antecipação da maioridade, expresso na
quadrinha popular do século XIX, confirma a esperança H0339 - (Unicamp) Os números indicam que antes da
de superação da crise vigente durante o Período abolição de 1888 restavam pouco mais de setecentos
Regencial. mil escravos no Brasil. Conforme estimativa do censo
Sobre o golpe da maioridade podemos afirmar: de 1872, elaborada pelo IBGE, a população total do país
a) Este ato significou a diminuição das atribuições de D. era de 9.930.478 habitantes. Isso indica que grande
Pedro II, e uma tentativa de solucionar a crise social e parte da população de cor (pretos e pardos) já havia
econômica que atingia as províncias do norte do país. adquirido a liberdade por seus próprios meios antes da
b) A proposta da antecipação da maioridade do Lei Áurea.
(Adaptado de Wlamyra Albuquerque, A vala comum da ‘raça
imperador foi apresentada pelos liberais para emancipada’: abolição e racialização no Brasil, breve comentário.
solucionar a crise política vivida pelo país. História Social, Campinas, n. 19, p. 99, 2010.)
c) O golpe da maioridade foi uma manobra dos
conservadores para antecipar a maioridade de D. Com base no excerto e nos conhecimentos sobre a
Pedro, o qual assume o poder aos 17 anos. história da liberdade no Brasil, assinale a alternativa
d) O golpe da maioridade ocorre no momento em que correta.
os problemas sociais que marcaram o período a) A maioria da população negra já era liberta antes de
regencial: fome, seca e estagnação das culturas 1888, porque as províncias escravistas do Sudeste,
tradicionais tinham sido totalmente superados. almejando abrirem-se para a imigração italiana,
e) A medida foi apresentada no momento em que a vinham adotando medidas abolicionistas desde o fim
revoltas regenciais foram reprimidas pelos governos do tráfico, em 1850.
locais com ajuda do governo central. b) Em termos globais, o grande percentual da
população livre de cor reflete o peso demográfico da
H0318 - (Fatec) Leia o texto. população liberta concentrada nas províncias pouco
dependentes da escravidão, como Santa Catarina e
Em abril de 1831, Dom Pedro I abdicou ao trono do Paraná.
Brasil em favor de seu filho, Dom Pedro de Alcântara
que tinha, então, cinco anos de idade. Uma Regência
11

Brasil Imperio 52
c) A maioria da população africana e seus H0341 - (Col. naval) Leia o texto a seguir.
descendentes já era livre quando a Lei Áurea foi Entretanto, violenta contradição foi criada com a
aprovada, porque vinha obtendo alforrias através de implantação desta lei. Ainda que a finalidade precípua
uma multiplicidade de estratégias, desde o período da referida pauta alfandegária fosse garantir a
colonial. ampliação da receita do Estado, a sua implementação
d) O alto número de libertos antes de 1888 reflete o acabou convertendo-se em legislação protecionista. A
impacto da abolição dos escravos por parte do tributação atingiu 2919 artigos de importação, a
Imperador D. Pedro II, pois a família real era a maior maioria passou a pagar o dobro do que anteriormente
proprietária de cativos durante o século XIX, na região pagava, uma vez que o imposto alfandegário antes
do Vale do Paraíba. cobrado era de 15% e passou a ser de 30% ad valorem.
Muitos artigos tiveram de pagar 40%, 50% e mesmo
H0340 - (Ifmg) Ao abrir a Assembleia Geral em 1872, 60% do seu valor.
Dom Pedro II utilizou seu traje de gala, conforme foi (Aquino, Rubim Santos de, [et al.] Sociedade brasileira: uma
posteriormente pintado por Pedro Américo. Parte história através dos movimentos sociais: da crise do escravismo ao
apogeu do neoliberalismo. 7ª ed. - Rio de Janeiro: Record, 2011,
dessa vestimenta ritual era a murça, que ficava sobre o p.40. Adaptado)
ombro do monarca. Enquanto na Europa a peça era
tradicionalmente de pele brilhante de caça (doninha ou A medida econômica relatada no texto refere-se:
marta), no Brasil ela foi confeccionada com penas de a) à Tarifa Alves Branco, um recurso utilizado pelo
papo de tucano. governo imperial para solucionar o déficit das finanças
públicas. No entanto, essa medida não conseguiu
promover a autossuficiência da economia brasileira.
b) à tarifa Silva Ferraz, que estabeleceu impostos
alfandegários mais baixos para máquinas, ferramentas
e ferragens, o que prejudicou a ainda incipiente
produção nacional desses equipamentos.
c) à reforma financeira implantada pelo ministro da
Fazenda Rui Barbosa que foi chamada de
"encilhamento". Essa reforma provocou uma grande
inflação devido à grande emissão de dinheiro.
d) à política implantada pelo presidente Campos Sales,
denominada funding loan, que consistiu num grande
empréstimo feito aos banqueiros ingleses para
combater a grave crise econômica.
e) ao Tratado de Comércio e Navegação assinado com
a Inglaterra e que deu vários privilégios a esse país nas
relações comerciais com o Brasil, por exemplo taxas
alfandegárias inferiores às cobradas de Portugal.

H0342 - (Espcex) Ideias republicanas estavam


presentes entre os brasileiros há tempos. No século
A escolha desse material, no contexto do Segundo XVIII, inspiraram movimentos contra o domínio
Reinado, simboliza a português. Em 1870, um grupo de políticos lançou, no
a) ascensão dos representantes de indústrias têxteis na Rio de Janeiro, o Manifesto Republicano. Os seguintes
economia nacional após a chegada de imigrantes episódios, ocorridos na segunda metade do século XIX,
europeus. abalaram o Império Brasileiro. Considerando os
b) política do governo brasileiro de afirmar sua seguintes fatos:
autonomia face à influência republicana dos Estados
Unidos. I. Questão Militar.
c) criação de um modelo aristocrático de modernidade II. Questão de Fronteiras.
incorporando características nacionais. III. Questão Religiosa.
d) proposta local de rejeitar os parâmetros de IV. Questão da Cisplatina.
civilização impostos pela monarquia da França. V. Questão Abolicionista.

Assinale abaixo a alternativa em que todas as


proposições estão corretas no que se refere às
12

Brasil Imperio 53
questões que contribuíram para o fim do período H0345 - (Ufpr) Em 1888, a princesa Isabel, filha do
Imperial Brasileiro. imperador do Brasil, Pedro 2º, assinou a Lei Áurea,
a) I e II. decretando a abolição […]. A decisão veio após mais de
b) I, II e III. três séculos de escravidão, que resultaram em 4,9
c) I, III e V. milhões de africanos traficados para o Brasil, sendo
d) III, IV e V. que mais de 600 mil morreram no caminho.
e) IV e V. (Amanda Rossi e Camilla Costa, postado em 13 de maio de 2018 –
BBC Brasil em São Paulo. Disponível em:
https://www.bbc.com/portuguese/brasil-44091469. Acesso em 25
H0343 - (Ufrgs) Com relação às dimensões políticas, de junho de 2019.)
econômicas e sociais da escravidão, na formação do
Estado brasileiro no século XIX, considere as seguintes De acordo com o trecho acima, considere as seguintes
afirmações: afirmativas:
I. A proibição do tráfico de africanos, colocada em 1. A chamada “Lei Áurea”, assinada pela princesa
prática em 1850, ocasionou um aumento do fluxo Isabel, não pode ser vista como uma concessão da
interno de escravizados, oriundos da região norte, para monarquia, sendo resultado de um longo processo de
atender a demanda de mão de obra nas lavouras luta e resistência que contou com a presença ativa de
cafeeiras do sudeste. escravizados e escravizadas para sua libertação do
II. As ameaças internacionais de grupos e entidades cativeiro.
abolicionistas motivaram esforços de defesa do regime 2. No período imediato que sucedeu à abolição, os
escravista, articulando interesses comuns de setores libertos puderam contar com medidas de apoio na
da elite brasileira com comerciantes da América forma de distribuição de pequenos lotes de terra, tal
hispânica e dos Estados Unidos. como aconteceu nos Estados Unidos após a Guerra
III. A dinâmica do mercado externo e o Civil, com a chamada “Reconstrução”.
desenvolvimento do capitalismo industrial tornaram 3. Escravizados e escravizadas receberam apoio de
consensual, na elite política imperial, o apoio ao fim da muitos setores da sociedade da época ligados ao
escravidão, aproximando Luzias e Saquaremas, movimento abolicionista, sendo Luís Gama, filho de
durante a chamada “grande conciliação”, ocorrida no escrava e advogado autodidata, um dos personagens
Segundo Reinado. mais célebres e atuantes, empenhando-se na
libertação de centenas de cativos e cativas.
Quais estão corretas? 4. Os segmentos da sociedade adeptos do regime
a) Apenas I. escravista defendiam a “emancipação gradual” e
b) Apenas II. nutriam o profundo receio de que a abolição imediata
c) Apenas III. da escravidão trouxesse desorganização econômica e
d) Apenas I e II. provocasse o caos social.
e) I, II e III.
Assinale a alternativa correta.
H0344 – (Uece) A queda do império no Brasil não se a) Somente a afirmativa 3 é verdadeira.
deu apenas por uma causa, mas por um acúmulo de b) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.
fatores. Analise os fatos apresentados a seguir e c) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras.
assinale o que NÃO corresponde a uma causa para o d) Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.
fim da monarquia no Brasil. e) As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.
a) Guerra de Canudos, ocorrida em uma comunidade
rural no interior da Bahia, que provocou milhares de H0346 - (Unesp) É particularmente no Oeste da
mortes e abalou a popularidade do império. província de São Paulo – o Oeste de 1840, não o de
b) Movimento Abolicionista, que provocou o fim da 1940 – que os cafezais adquirem seu caráter próprio,
escravidão no império, causando a ira de muitos emancipando-se das formas de exploração agrária
latifundiários escravistas. estereotipadas desde os tempos coloniais no modelo
c) Questão Militar, em que oficiais do exército clássico da lavoura canavieira e do “engenho” de
brasileiro se opuseram à monarquia, o que conduziu açúcar. A silhueta antiga do senhor de engenho perde
muitos militares aos quadros do movimento aqui alguns dos seus traços característicos,
republicano. desprendendo-se mais da terra e da tradição – da
d) Questão Religiosa, oriunda do choque entre a rotina rural. A terra de lavoura deixa então de ser o seu
maçonaria, liderada pelo próprio imperador, e clérigos pequeno mundo para se tornar unicamente seu meio
da igreja católica, o que agravou a imagem da de vida, sua fonte de renda […].
monarquia. (Sérgio Buarque de Holanda. Raízes do Brasil, 1987.)
13

Brasil Imperio 54
O “caráter próprio” das fazendas de café do Oeste a) mercantilização do trabalho livre.
paulista de 1840 pode ser explicado, em parte, pelo b) retração das fronteiras agrícolas.
a) menor isolamento dessas fazendas em relação aos c) demarcação dos territórios indígenas.
meios urbanos. d) concentração da propriedade fundiária.
b) emprego exclusivo de mão de obra imigrante e e) expropriação das comunidades quilombolas.
assalariada.
c) desaparecimento das práticas de mandonismo local. H0349 - (Uece) A Guerra do Paraguai (1865-1870), o
d) maior volume de produção de mantimentos nessas maior conflito bélico da América do Sul, começou com
fazendas. a) o ataque a navios da Grã-Bretanha no Rio da Prata.
e) esforço de produzir prioritariamente para o mercado b) a quebra do acordo com a Tríplice Aliança.
interno. c) a ofensiva paraguaia contra o Brasil e a Argentina.
d) o fechamento do comércio fluvial na região platina.
H0347 - (Espm) Somente a partir de 1850 vai se obser-
var um maior dinamismo no desenvolvimento H0350 - (Ifmg) O termo Abolicionismo diz respeito mais
econômico do país em geral e de suas manufaturas em propriamente ao movimento iniciado em 1880,
particular. O crescimento do número de empresas reunindo diversos grupos sociais e tendências políticas.
industriais se faria com relativa rapidez. Os abolicionistas fundaram a “Sociedade Brasileira
(Sonia Mendonça. A Industrialização Brasileira) contra a Escravidão” e o seu jornal, que circulou entre
1880 e 1881.
O assunto tratado no texto guarda relação com: VAINFAS, Ronaldo (org.). Dicionário do Brasil Imperial (1822-
a) a eficácia duradoura da tarifa Alves Branco que 1889). Rio de Janeiro: Objetiva, 2002. P.19). (Adaptado).
protegeu a produção brasileira da concorrência dos
produtos estrangeiros, sobretudo ingleses; Sobre esse tema, afirma-se que:
b) o fim do tráfico de africanos para o Brasil, estipulado
pela Lei Eusébio de Queirós, medida que liberou I. Algumas lideranças do movimento abolicionista
capitais, até então empatados na compra de escravos, defendiam publicamente as fugas de escravos e a
para outras atividades, como indústria, serviços formação de quilombos.
urbanos e bancos; II. Joaquim Nabuco e André Rebouças destacavam-se
c) a opção firme do governo imperial por apoiar a dentre as lideranças abolicionistas de tendência
indústria em detrimento da agricultura, o que é política monarquista.
comprovado pelo auxílio irrestrito às atividades do III. O quilombo de Palmares fazia parte de uma rede de
Visconde de Mauá; resistência ligada à Confederação Abolicionista.
d) a expansão da indústria, a partir de meados do IV. A força política dos abolicionistas no Parlamento foi
século XIX, que ocorreu em todos os grandes centros limitada, tendo sido aprovada a indenização aos
do país, conforme comprovam o elevado número de proprietários de escravos.
empresas com mais de cem trabalhadores em regiões V. Os representantes de várias classes sociais, incluindo
como o Norte e o Nordeste; os ex-escravos, participavam do movimento
e) a formação de um consistente mercado interno abolicionista dos Caifazes em São Paulo.
decorrente da mineração, que impulsionou uma
robusta urbanização capaz de oferecer escoamento da Estão corretas apenas as afirmativas
produção no âmbito local. a) I, II, V.
b) I, II, IV.
H0348 - (Enem) Lei n. 601, de 18 de setembro de 1850 c) II, III, IV.
D. Pedro II, por Graça de Deus e Unânime Aclamação d) III, IV, V.
dos Povos, Imperador Constitucional e Defensor
Perpétuo do Brasil: Fazemos saber, a todos os nossos
súditos, que a Assembleia Geral decretou, e nós H0351 - (Fuvest) Observe as imagens das duas charges
queremos a Lei seguinte: de Angelo Agostini publicadas no periódico Vida
Art. 1º Ficam proibidas as aquisições de terras Fluminense. Ambas oferecem representações sobre a
devolutas por outro título que não seja o de compra. Guerra do Paraguai, que causaram forte impacto na
Disponível em: www.planalto.gov.br. Acesso em: 8 ago. 2014 opinião pública. A imagem I retrata Solano López como
(adaptado). o “Nero do século XIX”; a imagem II figura um soldado
brasileiro que retorna dos campos de batalha.
Considerando a conjuntura histórica, o ordenamento
jurídico abordado resultou na

14

Brasil Imperio 55
H0353 - (Ufrgs) A Revolução Praieira foi um movimento
que arregimentou oligarcas e setores empobrecidos da
população pernambucana contra o Império do Brasil.
Ao divulgarem o “Manifesto ao Mundo”, os rebeldes
exigiam, entre outras demandas, o voto livre e
universal, a independência dos poderes constituídos, o
fim do Poder Moderador e o monopólio de brasileiros
no comércio varejista.

Em relação aos seus ideais, é correto afirmar que os


rebeldes
a) foram inspirados pela Revolução Francesa, eram
Sobre as imagens, é correto afirmar, respectivamente: favoráveis à centralização política no poder executivo
a) Atribui um caráter redentor ao chefe da tropa e partidários da presença portuguesa na economia.
paraguaia; fixa o assombro do soldado brasileiro ao b) foram influenciados pela “Primavera dos Povos” de
constatar a persistência da opressão escravista. 1848, eram liberais e possuíam um componente
b) Denuncia os efeitos da guerra entre a população antilusitano.
brasileira; ilustra a manutenção da violência entre a c) eram adeptos das teorias socialistas, incentivando a
população cativa. luta de classes e a administração centrada no poder do
c) Reconhece os méritos militares do general López; imperador.
denota a incongruência entre o recrutamento de d) lutavam contra o predomínio das oligarquias
negros libertos e a manutenção da escravidão. regionais, preconizavam a “revolução dos pobres” e a
d) Personifica o culpado pelo morticínio do povo independência da região Nordeste.
paraguaio; estimula o debate sobre o fim do trabalho e) defendiam o fim do Império, o retorno à condição
escravo no Brasil. colonial e o incentivo ao comércio interno.
e) Fixa atributos de barbárie ao ditador Solano López;
sublinha a incompatibilidade entre o Exército e o H0354 - (Ufrgs) Leia as seguintes afirmações a respeito
exercício da cidadania. da Guerra do Paraguai.

H0352 - (Famema) Leia o excerto de Brasil Pitoresco, I. A presença de mulheres brasileiras no conflito,
escrito pelo francês Charles Ribeyrolles, sobre as atuando no abastecimento, no tratamento aos feridos
fazendas de café do Vale do Paraíba: e, inclusive, nas frentes de batalha, foi significativa.
A fazenda brasileira, viveiro de escravos, é uma II. Um decreto imperial foi promulgado, garantindo
instituição fatal. Sua oficina não pode se renovar, e a liberdade aos escravizados que se alistassem e
ciência, mãe de todas as forças, fugirá dela enquanto indenização aos seus proprietários.
campearem a ignorância e a servidão. O dilema III. O governo monárquico cumpriu integralmente o
consiste, pois, no seguinte: transformar ou morrer. acordo de concessão de terras, empregos e pensões a
(Charles Ribeyrolles, 1859. Apud Ana Luiza Martins. O trabalho nas todos os “Voluntários da Pátria” que retornaram do
fazendas de café, 1994.)
conflito.
Na região do Oeste paulista, esse “dilema”
Quais estão corretas?
a) dificultou o trabalho assalariado em função do
a) Apenas I.
preconceito gerado pelo atraso tecnológico da lavoura
b) Apenas III.
cafeeira.
c) Apenas I e II.
b) persistiu, o que impediu a modernização das
d) Apenas II e III.
fazendas de café, cujos proprietários lucravam com o
e) I, II e III.
tráfico negreiro.
c) inexistiu, pois a mecanização já predominava na
H0355 - (Unioeste) FONTE 1:
cafeicultura, o que dispensou a maioria dos
trabalhadores.
Existe muita coisa que não te disseram na escola
d) foi solucionado com a vinda de imigrantes apoiada
Cota não é esmola!
pelos cafeicultores, que investiam também em
Experimenta nascer preto na favela pra você ver!
ferrovias.
O que rola com preto e pobre não aparece na TV
e) resultou na crise da cafeicultura após a aprovação da
Opressão, humilhação, preconceito
Lei Áurea, devido à escassez de mão de obra.
A gente sabe como termina, quando começa desse jeito
15

Brasil Imperio 56
Desde pequena fazendo o corre pra ajudar os pais sequência, uma arte do famoso chargista, Agostini, de
Cuida de criança, limpa casa, outras coisas mais maio de 1888, em um contexto marcado pelo processo
Deu meio dia, toma banho vai pra escola a pé de abolição jurídica da escravatura (a chamada “Lei
Não tem dinheiro pro busão Áurea”, de 13 de maio).
Sua mãe usou mais cedo pra poder comprar o pão A distância temporal entre a data de lançamento da
E já que tá cansada quer carona no busão música e de publicação da charge é imensa, cobrindo
Mas como é preta e pobre, o motorista grita: não! todo o período, o qual em nosso país se comemora o
[...] dia da “libertação” de negros e negras escravizadas.
O tempo foi passando e ela foi crescendo Ocorre, contudo, que tal distância não tem servido
Agora lá na rua ela é a preta do sovaco fedorento historicamente para que esses seres humanos deixem
Que alisa o cabelo pra se sentir aceita de ser alvos constantes de violência, criminalização e,
Mas não adianta nada, todo mundo a rejeita particularmente, racismo. Pelo contrário, são séculos e
Agora ela cresceu, quer muito estudar séculos de opressão. Neste sentido, pouco (ou quase
Termina a escola, a apostila, ainda tem vestibular nada) temos a “comemorar”.
E a boca seca, seca, nem um cuspe
Vai pagar a faculdade, porque preto e pobre não vai pra Tendo por referência as duas fontes acima e os
USP problemas históricos que envolvem o tema da
Foi o que disse a professora que ensinava lá na escola “abolição da escravatura” no Brasil, é CORRETO afirmar
Que todos são iguais e que cota é esmola que
Cansada de esmolas e sem o din da faculdade a) a alegria dos negros em roda, representada pela
Ela ainda acorda cedo e limpa três apê no centro da fonte 2, ilustrou perfeitamente a conquista definitiva
cidade da tão sonhada libertação, cujos reflexos são sentidos
Experimenta nascer preto, pobre na comunidade em nosso tempo presente através da eliminação do
Cê vai ver como são diferentes as oportunidades racismo.
E nem venha me dizer que isso é vitimismo b) o processo histórico, que chamamos de “abolição da
Não bota a culpa em mim pra encobrir o seu racismo! escravatura” não pode ser reduzido simplesmente a
E nem venha me dizer que isso é vitimismo [...] uma data, a uma personagem ou à promulgação de
FERREIRA, Bia. Cota não é esmola. Disponível em: uma lei jurídica, pois trata-se de uma luta histórica de
https://www.letras.mus.br/bia-ferreira/cota-nao-esmola/
negros e negras contra quaisquer formas de opressão,
tanto no passado como no presente.
FONTE 2: c) em “Cota não é esmola” (fonte 1), fica evidenciada
na letra da canção uma posição firme e combativa em
defesa das comunidades indígenas, como se pode
constatar no verso “Experimenta nascer preto, pobre
na comunidade / Cê vai ver como são diferentes as
oportunidades”.
d) a distância temporal de 130 anos que separa a
charge de Agostini (1888) da letra da canção de Bia
Ferreira (2018) corresponde a um período histórico
marcado por um conjunto expressivo de políticas
educacionais voltadas à formação de gerações de
jovens sem preconceitos ou discriminações raciais.
e) não há qualquer relação histórica entre as
mensagens das fontes 1 e 2, na medida em que cada
Os troncos, bacalhaus (chicotes) e outros instrumentos uma delas fala de um Brasil completamente diferente
de tortura alimentam as fogueiras, em redor das quais – ou seja, a alegria dos negros em roda na charge do
os novos cidadãos entregam-se ao mais delirante século XIX em comemoração ao fim do racismo
batuque. contrasta bastante com a crítica e a rebeldia da canção.
Charge de Agostini, publicada na “Revista Ilustrada” em maio de
1888 In: http://novo.mgquilombo.com.br/artigos/pesquisas-
escolares/abolicao-como-foi-a-libertacao-dos-escravos-em-minha-
cidade/ (sem data de postagem). Acesso em: 10 ago. 2018 H0356 – (Fgv) Terra do sonho é distante/e seu nome é
Brasil/ plantarei a minha vida/ debaixo de céu anil/
Preste bastante atenção nas fontes 1 e 2. Na primeira, Minha Itália, Alemanha/ Minha Espanha,
vemos um trecho de “Cota não é esmola”, música Portugal/talvez nunca mais eu veja/ minha terra natal.
Milton Nascimento. Sonho imigrante.
composta por Bia Ferreira e lançada em 2018. Na
16

Brasil Imperio 57
Acerca do processo de imigração para o Brasil, H0358 - (Enem) O ponto de partida para o nascimento
registrado no século XIX, é correto afirmar: de uma cozinha brasileira foi o livro de receitas
a) O Brasil tornou-se o destino preferencial dos Cozinheiro Imperial, de 1840. Estimulava a nobreza e os
imigrantes europeus graças à possibilidade de se ricos a acrescentarem ingredientes e pratos locais em
constituírem pequenos proprietários rurais devido à suas festas. A princesa Isabel comemorou as bodas de
promulgação da Lei de Terras em 1850. prata com um banquete no qual foram servidos bolo
b) Desde a proclamação da independência do Brasil, a de mandioca e canja à brasileira.
imigração europeia foi estimulada pelo governo central RIBEIRO, M. Fome imperial: Dom Pedro II não era um gourmet,
mas ajudou a dar forma à gastronomia brasileira. Aventuras na
como uma maneira de atender às pressões inglesas
História, mar. 2014 (adaptado).
pelo fim da escravidão no país.
c) O fluxo imigratório só deslanchou no Brasil após as
O uso da culinária popular brasileira, no contexto
alterações nas leis trabalhistas que garantiram
apresentado, colaborou para
condições de trabalho análogas àquelas oferecidas no
a) enfraquecer as elites agrárias.
continente europeu.
b) romper os laços coloniais.
d) A partir da década de 1870, com as iniciativas do
c) reforçar a religião católica.
governo de São Paulo, intensificou-se o fluxo
d) construir a identidade nacional.
imigratório de europeus para a província paulista
e) humanizar o regime escravocrata.
destinados, sobretudo, à produção cafeeira.
e) A modernização das atividades agrícolas brasileiras
H0359 - (Acafe) Passaram-se 130 anos do fim da
iniciaram-se a partir do declínio da produção canavieira
escravidão no Brasil. Mesmo libertos em maio de 1888,
e com o desenvolvimento do complexo cafeeiro na
os ex-escravos não obtiveram garantias sociais
região do Recôncavo Baiano e do Sul da Bahia.
mínimas. A população negra foi marginalizada e
começou um longo período pela sua inclusão na
H0357 – (Udesc) Em um recenseamento realizado em
sociedade brasileira.
1872 como parte das políticas do Segundo Reinado,
58% dos residentes no país (que responderam ao
Acerca das questões envolvendo a população negra no
recenseamento) declaravam-se pardos ou pretos e
Império e no período republicano, todas as alternativas
38% se diziam brancos. Apesar da superioridade
estão corretas, exceto a:
numérica, existe muito desconhecimento no que diz
a) A Lei Saraiva-Cotegipe ou Lei dos Sexagenários
respeito às condições de vida das populações africanas
emancipava os escravos maiores de 60 anos.
e afrodescendentes que residiam no Brasil, durante o
Posteriormente, muitos escravos ainda não libertos
Período Imperial.
organizavam fugas das fazendas.
b) Em 1910 aconteceu no Rio de Janeiro a Revolta da
A respeito destas condições e a partir de seus
Chibata. Marinheiros predominantemente negros
conhecimentos, analise as proposições.
exigiam melhores soldos e principalmente o fim dos
castigos corporais, as chibatadas.
I. Antes da abolição da escravatura, não havia
c) Um dos primeiros impactos no sistema escravista foi
nenhuma possibilidade de conquista da liberdade por
à supressão do tráfico de escravos para o Brasil em
parte dos escravizados e das escravizadas.
1850, com a Lei Eusébio de Queiroz.
II. Africanos e afrodescendentes escravizados e
d) Com a chegada dos imigrantes italianos para o
escravizadas formavam uma unidade política
trabalho nas lavouras de café, os escravos aprenderam
extraoficial e lutavam todos pelas mesmas causas, na
técnicas de cultivo europeias e passaram a ter
medida em que possuíam os mesmos costumes,
autonomia nas fazendas, obtendo na prática sua
religiões e idiomas.
liberdade, e tornando-se assalariados.
III. A “Revolta dos Malês”, ocorrida no século XIX, é um
exemplo contundente da diversidade existente entre
H0360 - (Ifba) Após séculos de tensão entre os países
africanos e afrodescendentes escravizados e
da região Platina, Brasil e Paraguai entraram em
escravizadas.
guerra. Sobre o tema da Guerra do Paraguai, é correto
assinalar:
Assinale a alternativa correta.
a) Somente a afirmativa I é verdadeira.
b) Somente a afirmativa II é verdadeira. a) Foi decisivo para o processo de constituição da
c) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras. República, porque os militares, em contato com as
d) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras. tropas inglesas, aderiram à ideologia inglesa
e) Somente a afirmativa III é verdadeira. antimonarquista.
17

Brasil Imperio 58
b) Foi um conflito que envolveu o Brasil, o Paraguai, o tentativas foram feitas e todas malsucedidas: colocar
Uruguai e a Argentina, em torno do espólio comercial rapazes e moças em dias alternados e, em 1874, em
proporcionado pela disputa de território e rios na prédios separados. Para complicar, na Assembleia, um
Região do Prata e Mato Grosso. Foi amplamente grupo de deputados se manifestava contrário ao
incentivado pela Inglaterra que se beneficiava do livre desperdício de verbas para uma instituição
comércio defendido pelo Brasil e Argentina contra a “desnecessária”, e a sociedade reagia contra a ideia de
posição Paraguaia, que buscava restringir a presença coeducação.
inglesa nos rios e portos da região. VILLELA, H. O. S. O mestre-escola e a professora. In: LOPES, E. M.
T.; FARIA FILHO, L. M.; VEIGA, C. G. (Org.). 500 anos de educação
c) As contínuas invasões de ladrões de gado em terras
no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2003 (adaptado).
paraguaias e os seguidos conflitos por jurisdição foram
as motivações decisivas para que o Paraguai se
As dificuldades retratadas estavam associadas ao
juntasse ao Uruguai na luta contra o Brasil.
seguinte aspecto daquele contexto histórico:
d) O Paraguai desafiou o poder dos ingleses no
a) Formação enciclopédica dos currículos.
continente porque intencionava se aliar ao Brasil nas
b) Restrição do papel da mulher à esfera privada.
divergências comercias entre o Brasil e a Inglaterra.
c) Precariedade de recursos na educação formal.
e) Foi um conflito que envolveu o Brasil, o Paraguai, o
d) Vinculação da mão de obra feminina às áreas rurais.
Uruguai e a Argentina em torno da navegação do Rio
e) Oferta reduzida de profissionais do magistério
da Prata e os territórios do Mato Grosso. A Guerra não
público.
contou com o apoio Inglês para nenhum dos lados, pois
se beneficiava do monopólio da navegação do
H0363 - (Uemg) “As denúncias de que o exército
Paraguai, parceiro principal dos ingleses.
brasileiro ao lutar na guerra (1864-1870) era formado
por escravos não são novas. Ao contrário, têm pelo
H0361 - (Upe) Observe a imagem abaixo:
menos cento e vinte anos. Seus primeiros autores
foram os redatores dos jornais paraguaios da época
que tratavam de menosprezar o exército brasileiro com
base no duvidoso argumento de que, por ser formado
por negros, deveria ser de qualidade inferior”.
TORAL, André Amaral de. A participação dos negros escravos na
guerra do Paraguai. Estudos Avançados. v. 9, nº 24, São Paulo,
May/ Aug. 1995 (Adaptado).

Sobre os negros como partícipes da Guerra do


Paraguai, analise as assertivas e assinale a alternativa
que aponta as corretas.

I. Os exércitos paraguaio, brasileiro e uruguaio tinham


alguns batalhões formados exclusivamente por negros.
Como exemplos, tem-se o Corpo dos Zuavos da Bahia e
o batalhão uruguaio Florida.
Essa rara imagem do Brasil no século XIX aponta para II. Na época da Guerra do Paraguai, não existiam
uma sociedade negros escravos ou ex-escravos no exército paraguaio.
a) industrial, composta por valores da alta burguesia. A escravidão havia sido abolida no Paraguai em 1842,
b) livre, na qual a escravidão não era mais uma por Carlos Lopes, pai de Francisco Solano López.
realidade. III. Na época da guerra (1864-1870), no Paraguai, o
c) desigual, ainda pautada por estruturas negro brasileiro era representado como inimigo. O
conservadoras. exército brasileiro era o exército macacuno e seus
d) militarizada, voltada para valores da hierarquia da líderes, segundo a propaganda lopizta, eram macacos
guerra. que pretendiam escravizar o povo paraguaio,
e) harmoniosa, demonstrando o bom convívio entre conduzindo-os da liberdade à escravidão.
diferentes grupos. IV. Havia negros no exército brasileiro na Guerra do
Paraguai, mas eles já tinham sido libertos.
H0362 - (Enem) Nas décadas de 1860 e 1870, as escolas a) Apenas I e III.
criadas ou recriadas, em geral, previam a presença de b) Apenas II e IV.
meninas, mas se atrapalhavam na hora de colocar a c) Apenas I e IV.
ideia em prática. Na província do Rio de Janeiro, várias d) Apenas I, II e III.
18

Brasil Imperio 59
H0364 - (Col. naval) Observe a imagem referente à autônomo, que não se submetia aos mandos e
questão. desmandos da potência de então. Estudos
desenvolvidos a partir da década de 1980, porém,
revelam um panorama bastante distinto.
(Francisco Doratioto. Paraguai: guerra maldita. Em: Luciano
Figueiredo, História do Brasil para ocupados, 2013. Adaptado)
Os novos estudos sobre a Guerra do Paraguai
a) questionam a superioridade militar da aliança entre
Argentina, Brasil e Uruguai e consideram que a vitória
dessas nações derivou mais de algumas circunstâncias
favoráveis do que da competência bélica.
b) apontam para o expansionismo territorial do
Império do Brasil como o principal causador dessa
guerra, como pode ser verificado por meio das
pretensões brasileiras por territórios divisos com o
Paraguai e a Argentina.
c) atribuem a responsabilidade do conflito aos quatro
países envolvidos, que estavam em um momento
particular de suas histórias, porque se encontravam em
meio aos processos de construção e consolidação dos
Em 13 de Maio de 1888 foi assinada a lei nº 3353, Estados Nacionais.
conhecida como Lei Áurea, que aboliu a escravidão no d) demonstram como a inabilidade diplomática das
Brasil. É correto afirmar que entre fatores que nações envolvidas provocou uma guerra prolongada e
contribuíram para o fim da escravidão estava: muito cara, que, em última instância, gerou forte
a) a campanha abolicionista que mobilizou dependência econômica da região durante o resto do
profissionais liberais, jornalistas, advogados, século XIX.
intelectuais, entre outros, que atuavam por meio de e) realçam a importância do Uruguai e da Argentina
clubes, associações e jornais defendendo a causa como provocadores desse conflito regional porque
abolicionista. defendiam que a navegação do estuário do Prata fosse
b) a decisão da sociedade brasileira de libertar os exclusividade dessas nações, trazendo imediato
escravos, trocando a alforria dos cativos em troca da prejuízo à Inglaterra.
permanência deles na terra por mais alguns anos,
tornando a Lei Áurea uma mera formalidade. H0366 - (Ufrgs) Sobre as consequências do fim do
c) os constantes ataques de escravos quilombolas regime escravista no Brasil, considere as seguintes
liderados por Chico rei a fazendeiros e políticos afirmações.
brasileiros, pressionando o governo a assinar a I. A ausência, logo após a abolição, de um amplo e
abolição da escravatura em troca do fim dos efetivo projeto político de integração social e
assassinatos. econômica dos indivíduos emancipados pode ser
d) a Proclamação da República tornou a causa considerada um dos fatores das desigualdades raciais
escravagista insustentável devido a participação de que marcam a história republicana brasileira.
escravos da Guerra do Paraguai, levando os militares a II. A emergência de organizações políticas e culturais,
assinar a lei que proibia a escravidão. como a Frente Negra Brasileira, na década de 1930,
e) o processo que gerou a assinatura da Lei Áurea se define um importante processo de defesa das
deu graças a atuação do Imperador D. Pedro II que condições de cidadania e de combate ao racismo.
usou de seu prestígio e influência para convencer a III. A reflexão sobre a memória da escravidão e suas
sociedade brasileira da importância de se acabar com consequências sociais manifesta-se na criação de uma
a forma cruel de trabalho. Comissão Nacional da Verdade da Escravidão Negra e
na definição do Cais do Valongo, no Rio de Janeiro,
H0365 - (Fgv) A partir da década de 1970, ganhou como Patrimônio Mundial da UNESCO.
espaço a interpretação de que o imperialismo inglês foi Quais estão corretas?
a causa da Guerra do Paraguai, deflagrada em a) Apenas I.
dezembro de 1864. Segundo essa vertente, o trono b) Apenas II.
britânico teria utilizado o Império do Brasil, a Argentina c) Apenas III.
e o Uruguai para destruir um suposto modelo de d) Apenas I e III.
desenvolvimento paraguaio, industrializante, e) I, II e III.

19

Brasil Imperio 60
H0367 - (Ufjf) Observe os documentos abaixo: assinale a alternativa CORRETA:
a) Os melhores salários eram pagos para os que
Documento 1 atuavam no trabalho agrícola, sendo grande a
O fotografo português Cristiano Junior retratou os migração das cidades para as áreas rurais.
tipos de trabalhadores característicos das ruas da Corte b) Na maioria das cidades brasileiras do século XIX
do Rio de Janeiro, ao longo do século XIX. conviviam trabalhadores livres e escravos, que podiam
exercer atividades distintas.
c) As mulheres negras, escravas ou não, eram proibidas
de exercer ofícios fora das casas.
d) A mão de obra assalariada só pode ser adotada no
Brasil após a abolição da escravidão.
e) O trabalho de crianças, fossem elas livres ou
escravas, era proibido por lei e regulamentado pelo
Estado.

Documento 2 H0368 - (Uefs) Por onde mais se distanciava a ficção


parlamentar brasileira do modelo britânico era pelo
Em 18 de janeiro de 1858, a Câmara Municipal de Três fato da subida ou da queda de um ministério depender
Pontas enviava o seguinte ofício ao Presidente da só idealmente, entre nós, de uma eventual maioria na
Província de Minas Gerais: câmara popular.
"A falta de braços ocasionada pela morte dos escravos (Sérgio Buarque de Holanda. “Do Império à República”. In: O Brasil
tem também influído consideravelmente para a monárquico, tomo II, vol 5, 1985.)
diminuição da produção porque o agricultor não acha
meios de os substituir em razão de o pequeno número O historiador refere-se ao regime monárquico
de trabalhadores livres que existe neste município brasileiro como “ficção parlamentar”, porque
achar um salário maior do que aquele que a) o ordenamento político brasileiro era sustentado
razoavelmente se pode pagar para cultivar a terra, na pelas tradições orais.
condução de gado, porcos e tropas para o mercado da b) os ministros podiam governar sem contar com o
Corte (...)" apoio do Parlamento.
Adaptado de: Martins, Marcos Lobato. O debate sobre trabalho c) o debate de ideias políticas no país estava
escravo, abolicionismo e trabalho livre no Sul de Minas (décadas interditado pelo governo imperial.
de 18701880), Revista Esboços, Florianópolis, v. 19, n. 28, p. 208-
d) a manutenção de grupos dirigentes submetia-se ao
235, dez. 2012, p. 215.
exercício do poder moderador.
e) o poder absolutista do rei proibia a constituição de
Utilizando as informações presentes nos documentos
partidos políticos.
acima, e seus conhecimentos sobre a sociedade e o
mundo do trabalho no Brasil do Segundo Reinado,

notas

20

Brasil Imperio 61
www.professorferretto.com.br
ProfessorFerretto ProfessorFerretto

Idade Antiga

H0001 - (Fgv) Aqueles que compõem a cidade, tão (Platão. A República, 1987.)
diferentes entre si por suas origens, condições e
funções, de certa forma parecem “semelhantes” uns O texto, concluído na primeira metade do século IV
aos outros. Essa similitude funda a unidade da pólis, a.C., caracteriza
porque para os gregos somente os semelhantes podem a) a predominância das atividades econômicas rurais
permanecer mutuamente unidos pela Philia, sobre as urbanas e enfatiza o primado da
associados a uma mesma comunidade. Todos aqueles racionalidade.
que participam do Estado definem-se como Homoioi, b) a organização da pólis e sustenta a existência de um
semelhantes, depois de maneira mais abstrata, como governo baseado na justiça e na sabedoria.
Isoi, iguais. Essa imagem das relações humanas c) o caráter aristocrático da pólis durante o período das
encontrará no século VI a.C. a sua expressão rigorosa tiranias em Atenas e defende o princípio da igualdade
no conceito de isonomia: igual participação de todos os social.
cidadãos no exercício do poder. d) a estruturação social da pólis e destaca a
(Jean-Pierre Vernant. Les origines de la pensée grecque, 1995. Adaptado.) importância da democracia, consolidada durante o
período de Clístenes.
O autor argumenta que a organização da pólis grega e) a importância da ação de legisladores, como Drácon
a) desconhecia as desigualdades reais entre os e Sólon em Atenas, e apoia a consolidação da
cidadãos na esfera das decisões políticas coletivas. militarização espartana.
b) fundava-se no sentimento recíproco de amizade
entre os cidadãos dos mesmos grupos econômicos.
c) abria-se à participação nas decisões públicas dos H0003 - (Upf) O historiador romano Tácito escreveu
aliados incondicionais da cidade nos períodos de sobre o tratamento dado aos cristãos em Roma:
guerra.
d) enaltecia o exercício da racionalidade política em “No tempo de Péricles (461-429 a.C), o
prejuízo dos cultos das divindades do mundo grego. comparecimento à assembleia soberana era aberto a
e) distribuía o conjunto das tarefas públicas de acordo todo o cidadão. A assembleia era um comício ao ar livre
com as aptidões políticas de cada um dos cidadãos. que reunia centenas de atenienses do sexo masculino,
com idade superior a 18 anos. Todos os que
H0002 - (Unesp) – São uma formosura os governantes compareciam tinham direito de fazer uso da palavra.
que tu modelaste, como se fosses um estatuário, ó As decisões da assembleia representavam a palavra
Sócrates! [...] final na guerra e na paz, nos tratados, nas finanças, nas
– Ora pois! Concordais que não são inteiramente legislações, nas obras públicas, no julgamento dos
utopias o que estivemos a dizer sobre a cidade e a casos mais importantes, na eleição de administradores,
constituição; que, embora difíceis, eram de algum enfim na totalidade das atividades governamentais”.
modo possíveis, mas não de outra maneira que não (BRAICK, P. R.; MOTA, M. B. História: Das cavernas ao terceiro
seja a que dissemos, quando os governantes, um ou milênio. 3ª ed. São Paulo: Moderna, 2013, p. 102)
vários, forem filósofos verdadeiros, que desprezem as
honrarias atuais, por as considerarem impróprias de O texto acima refere-se a Atenas, considerada o berço
um homem livre e destituídas de valor, mas, por outro da Democracia no mundo antigo. Sobre aquele regime
lado, que atribuem a máxima importância à retidão e democrático, está correto afirmar que
às honrarias que dela derivam, e consideram o mais a) apenas os homens livres, proprietários, nascidos em
alto e o mais necessário dos bens a justiça, à qual Atenas, filhos de pais e mães atenienses, eram
servirão e farão prosperar, organizando assim a sua considerados cidadãos, com direito à participação
cidade? direta nas decisões tomadas.

Idade Antiga 62
b) baseava-se na participação direta de toda a A figura mostra uma tapeçaria funerária produzida no
população nas Assembleias Legislativas, que uma vez Egito, durante o chamado Período Helenístico,
por ano se reuniam em praça pública, chamada de retratando um homem vestido como grego,
Ágora, e deliberavam sobre os mais variados assuntos. posicionado entre dois deuses egípcios, Osíris e Anúbis.
c) os estrangeiros, bem como os escravos libertos,
podiam participar livremente das decisões tomadas Assinale a alternativa que explica, corretamente, a
nas assembleias, representando seus próprios fusão das culturas grega e egípcia representada na
interesses. tapeçaria.
d) é um equívoco chamá-lo de democrático, pois a) As sucessivas incursões militares empreendidas pela
negava a participação dos representantes eleitos pelos rainha Cleópatra VI nos territórios gregos
proprietários de terras. proporcionaram o contato dos egípcios com a arte e a
e) como não havia escravos em Atenas, a quase filosofia helenística, cuja concepção estética
totalidade da população tinha participação política influenciou a produção dos artesãos do Baixo Egito.
daquela Cidade-Estado. b) Educado por Aristóteles, o faraó Menés, responsável
pela unificação dos reinos do Baixo e do Alto Egito,
H0004 - (Enem) A soberania dos cidadãos dotados de tornou-se grande admirador da arte e da filosofia
plenos direitos era imprescindível para a existência da gregas, e foi o responsável pela difusão da cultura
cidade-estado. Segundo os regimes políticos, a helenística em seu império.
proporção desses cidadãos em relação à população c) A política expansionista de Alexandre, o Grande,
total dos homens livres podia variar muito, sendo promoveu o contato dos gregos com outros povos da
bastante pequena nas aristocracias e oligarquias e Europa, da Ásia e da África, e originou a cultura
maior nas democracias. helenística, caracterizada pela miscigenação de
CARDOSO, C. F. A cidade-estado clássica. São Paulo: Ática, 1985. diversos elementos culturais.
d) Os egípcios tomaram contato com a cultura
Nas cidades-estado da Antiguidade Clássica, a helenística por meio do comércio com os povos
proporção de cidadãos descrita no texto é explicada visigodo, ostrogodo, viking e alano que, partindo do
pela adoção do seguinte critério para a participação norte da Europa, navegavam até o Nilo levando
política: produtos de diferentes procedências.
a) Controle da terra. e) Resultado da união política da Grécia e do Egito, por
b) Liberdade de culto. meio do casamento de Alexandre, o Grande, com
c) Igualdade de gênero. Cleópatra VI, a cultura helenística foi imposta, muitas
d) Exclusão dos militares. vezes à força, a todos os súditos do novo império.
e) Exigência da alfabetização.
H0006 - (Enem) Quando se trata de competência nas
H0005 - (Fatec) construções e nas artes, os atenienses acreditam que
poucos sejam capazes de dar conselhos. Quando, ao
contrário, se trata de uma deliberação política, toleram
que qualquer um fale, de outro modo não existiria a
cidade.
BOBBIO, N. Teoria geral da política. Rio de Janeiro: Elsevier, 2000
(adaptado).

De acordo com o texto, a atuação política dos cidadãos


atenienses na Antiguidade Clássica tinha como
característica fundamental o(a)
a) dedicação altruísta em ações coletivas.
b) participação direta em fóruns decisórios.
c) ativismo humanista em debates públicos.
d) discurso formalista em espaços acadêmicos.
e) representação igualitária em instâncias
parlamentares.

H0007 - (Mackenzie) A Confederação de Delos,


organizada no século V a. C., que chegou a registrar
cerca de 400 políeis gregas, está vinculada

Idade Antiga 63
a) à derrota grega nas Guerras Púnicas e à necessidade H0010 - (Fac. Pequeno Príncipe) Com o surgimento das
de unir forças para enfrentarem um inimigo em primeiras cidades – que remontam 12 mil anos atrás –
comum. na convivência social e política, começaram a se
b) à extinção do sistema de produção escravista grego destacar algumas pessoas, grupos ou famílias em
e ao caos econômico que tal fato determinou. cargos de liderança, surgindo as primeiras instituições
c) à unificação política das cidades-estados gregas a fim políticas, religiosas e administrativas com a função de
de fazerem frente à invasão macedônica. coordenar os estoques de alimentos, as práticas e
d) à defesa por parte grega do controle comercial do cultos religiosos e a defesa da cidade. Com o passar dos
Mediterrâneo ocidental diante da ascensão persa. anos, esta organização tornou-se mais complexa e
e) à supremacia de Atenas diante das demais cidades assumiu diferentes formas de atuação e modelos
gregas após a vitória sobre os macedônios. políticos.

H0008 - (Ifce) O modo de pensar dos gregos antigos, Sobre as formas políticas desenvolvidas no Ocidente ao
sua organização política, sua cultura e arte deixaram longo de sua história, assinale a alternativa CORRETA.
marcas profundas na civilização ocidental. Sobre a a) O significado da palavra democracia atualmente é o
história desse povo é correto afirmar-se que mesmo desde a Grécia antiga.
a) foi no período clássico ateniense que as mulheres b) A democracia ateniense, diferente das democracias
conquistaram o direito de participação política e o livre modernas, era excludente, pois, metecos, escravos,
exercício do voto. mulheres e crianças não eram considerados cidadãos.
b) o período clássico grego, em Atenas, é identificado c) A República romana se formou com a ascensão de
como o apogeu da democracia, quando os cidadãos Júlio Cesar ao cargo de imperador.
gozavam de ampla liberdade e o voto era universal e d) A construção da modernidade envolveu mudanças
direto. na maneira de pensar as relações de poder e a política.
c) Esparta era uma cidade-estado que, apesar de As teorias de Bodin e Hobbes defendiam um governo
militarista e voltada para a guerra, era regida por um democrático e participativo.
sistema oligárquico que apresentava o pleno ideal de e) Entre os séculos XVII e XVIII, alguns soberanos
democracia. europeus, por ideologia e pelas crescentes pressões da
d) a educação ateniense era voltada para a formação população, adotaram como prática de governo, uma
do cidadão e da cidadã, conhecedor(a) das suas postura liberal e democrática.
tradições culturais e militares.
e) as guerras médicas correspondem aos confrontos H0011 - (Espm) Era considerada a engrenagem
entre atenienses e espartanos pelo controle da essencial para assegurar o bom funcionamento do
Confederação de Delos. regime. A tradição afirma que sua origem remeteria
a Sólon. A partir de Clístenes passou a contar com
H0009 - (Acafe) A Grécia antiga é uma das civilizações quinhentos membros sorteados anualmente, à razão
da antiguidade clássica. Na sua formação política e de cinquenta por tribo, entre todos os cidadãos, a
social, a civilização dos helenos passou por diversas partir de listas estabelecidas em cada demo, a
fases. principal função do órgão consistia em preparar os
decretos a serem submetidos ao voto da Assembleia.
Acerca da história política, social e militar da Grécia (Claude Mossé. Dicionário da Civilização Grega)
antiga, todas as alternativas estão corretas, exceto a:
a) Com encenações feitas ao ar livre, o teatro grego era O órgão em questão, tratado pelo texto é:
dividido basicamente em tragédia e comédia, a) a Eclésia, órgão soberano da democracia ateniense;
abordando temas humanos e mitológicos. b) a Helieia, órgão responsável pela justiça na
b) Em Esparta, os hilotas pertenciam ao Estado e eram democracia ateniense;
provenientes de populações conquistadas pelos c) a Boulé, órgão que preparava decretos votados pela
espartanos e sua mão de obra era utilizada Assembleia dos Cidadãos na democracia ateniense;
principalmente na agricultura. d) a Gerúsia, ou Conselho dos Anciãos, órgão decisório
c) Na Guerras Médicas, Esparta, liderando a Liga do em Esparta;
Peloponeso invadiu e destruiu a cidade de Atenas, e) a Ápela, órgão encarregado de preparar projetos,
iniciando um período de hegemonia no mundo grego. órgão consultivo em Esparta.
d) A chamada idade de ouro de Atenas está vinculada
ao governo de Péricles, que caracterizou sua H0012 - (Unicamp) Os gregos sentiram paixão pelo
administração pelo embelezamento artístico da polis humano, por suas capacidades, por sua energia
ateniense. construtiva. Por isso, inventaram a polis: a comunidade
3

Idade Antiga 64
cidadã em cujo espaço artificial, antropocêntrico, não ‘chegada dos gregos significou a introdução de um
governa a necessidade da natureza, nem a vontade dos elemento novo que se misturou com seus
deuses, mas a liberdade dos homens, isto é, sua predecessores para criar, lentamente, uma nova
capacidade de raciocinar, de discutir, de escolher e de civilização e estendê-la como e por onde puderam’.
destituir dirigentes, de criar problemas e propor FUNARI, Pedro Paulo. Grécia e Roma. São Paulo: Contexto, 2001.
Adaptado.
soluções. O nome pelo qual hoje conhecemos essa
invenção grega, a mais revolucionária, politicamente
falando, que já se produziu na história humana, é Segundo o texto, a formação da Grécia antiga ocorreu
democracia. a) de forma negociada, por meio de alianças e acordos
(Adaptado de Fernando Savater, Política para meu filho. São políticos entre os líderes das principais tribos nativas
Paulo: Martins Fontes, 1996, p. 77.) da península balcânica.
b) de forma gradual, a partir da integração de povos
Assinale a alternativa correta, considerando o texto provenientes de outras regiões com habitantes da
acima e seus conhecimentos sobre a Grécia Antiga. parte sul da península balcânica.
a) Para os gregos, a cidade era o espaço do exercício da c) de forma planejada, pela expansão militar dos povos
liberdade dos homens e da tirania dos deuses. nativos da península balcânica sobre territórios
b) Os gregos inventaram a democracia, que tinha então controlados por grupos bárbaros.
o mesmo funcionamento do sistema político vigente d) de forma violenta, com a submissão dos habitantes
atualmente no Brasil. originais da península balcânica a conquistadores
c) Para os gregos, a liberdade dos homens era exercida recém-chegados do norte.
na polis e estava relacionada à capacidade de invenção
da política. H0015 - (Fuvest) Em relação à ética e à justiça na vida
d) A democracia foi uma invenção grega que criou política da Grécia Clássica, é correto afirmar:
problemas em função do excesso de liberdade dos a) Tratava-se de virtudes que se traduziam na
homens. observância da lei, dos costumes e das convenções
instituídas pela polis.
H0013 - (Uefs) Uma opinião aceita amplamente é a de b) Foram prerrogativas democráticas que não estavam
que os gregos receberam o alfabeto dos povos fenícios. limitadas aos cidadãos e que também foram
O nosso próprio alfabeto é derivado do alfabeto grego. estendidas aos comerciantes e estrangeiros.
Os intermediários foram os etruscos, cuja escrita foi c) Eram princípios fundamentais da política externa,
transmitida aos romanos. mas suspensos temporariamente após a declaração
(John F. Healey. “O primeiro alfabeto”. In: Lendo o passado, 1996. formal de guerra.
Adaptado.) d) Foram introduzidas pelos legisladores para reduzir o
poder assentado em bases religiosas e para
O excerto explicita a existência de estabelecer critérios racionais de distribuição.
a) igualdades culturais, linguísticas e políticas entre as e) Adquiriram importância somente no período
sociedades das antiguidades Oriental e Clássica. helenístico, quando houve uma significativa
b) desenvolvimentos paralelos e independentes dos incorporação de elementos da cultura romana.
povos mesopotâmicos, semitas, africanos e greco-
romanos. H0016 - (Upe) É bem provável que você tenha ouvido
c) encontros intercivilizacionais e políticos decorrentes falar de Alexandre, o Grande (no mínimo, por causa do
da formação do antigo Império Egípcio na Europa e na filme com Collin Farrell e Angelina Jolie). É bem
Ásia. provável que tenha ouvido falar da democracia
d) diálogos e trocas culturais transcorridos na região do ateniense. Mas também é bastante provável que
Mar Mediterrâneo na Antiguidade. nunca tenha se dado conta de que esses dois extremos
e) vínculos necessários entre difusão de regimes do espectro político, a democracia e a monarquia
democráticos e formação cultural dos cidadãos. absoluta, assim como as sociedades e os mundos
diametralmente opostos por ele definidos estivessem
H0014 - (Fac. Albert Einstein) Por muito tempo, entre separados no mundo antigo pela duração de uma vida.
os historiadores pensou-se que os gregos formavam SCOTT, Michael. Dos democratas aos reis. Rio de Janeiro: Record,
um povo superior de guerreiros que, por volta de 2000 2012, p. 24.
a.C., teria conquistado a Grécia, submetendo a
população local. Entre os anos finais da democracia ateniense (c. 403
Hoje em dia, os estudiosos descartam esta hipótese, a.C.) e o domínio macedônico (388 a.C.), a(s)
considerando que houve um movimento mais principal(ais) característica(s) sociopolítica(s) de
complexo. Segundo o pesquisador Moses Finley, a Atenas foi(foram) a
4

Idade Antiga 65
a) formação dos grandes complexos filosóficos, em se, em seguida, os despojos no monumento público,
especial o Socrático. situado na mais bela avenida da cidade, e onde as
b) ampliação da democracia que havia iniciado com vítimas de guerra são sempre sepultadas – à exceção
Péricles, cerca de cem anos antes. dos mortos de Maratona: a estes, considerando-se seu
c) dissolução da cidade-estado e sua incorporação mérito excepcional, concedeu-se sepultura no próprio
pelas cidades vizinhas, como Tebas e Esparta. lugar da batalha. Uma vez que a terra recobre os
d) desagregação do regime democrático e as mortos, um homem escolhido pela polis, reputado por
constantes disputas com as cidades-estado vizinhas. distinguir-se intelectualmente e gozar de alta estima,
e) institucionalização da monarquia com a derrubada pronuncia em sua honra um elogio apropriado; depois
do regime democrático, instituído um século antes. disto, todos se retiram. Assim têm lugar esses funerais;
e, durante toda a guerra, quando era o caso, aplicava-
H0017 - (Enem) TEXTO I se o costume”.
Sólon é o primeiro nome grego que nos vem à mente Citado em LORAUX, N. A invenção de Atenas. Rio de Janeiro:
quando terra e dívida são mencionadas juntas. Logo Editora 34, 1994. p. 39.
depois de 600 a.C., ele foi designado “legislador” em Assinale a alternativa correta a respeito da história da
Atenas, com poderes sem precedentes, porque a antiguidade grega, a partir do texto apresentado.
exigência de redistribuição de terras e o cancelamento a) Os ritos funerais na Grécia antiga eram cerimônias
das dívidas não podiam continuar bloqueados pela religiosas, destinadas apenas a conduzir ao paraíso os
oligarquia dos proprietários de terra por meio da força heróis mortos.
ou de pequenas concessões. b) Os metecos, participantes das práticas funerais,
FINLEY, M. Economia e sociedade na Grécia antiga. São Paulo: formavam parte do demos ateniense e possuíam os
WMF Martins Fontes, 2013 (adaptado). mesmos direitos políticos que os cidadãos da pólis.
c) Todos os soldados atenienses mortos nos confrontos
TEXTO II com Esparta, em razão do grande mérito de seus feitos,
A “Lei das Doze Tábuas” se tornou um dos textos eram sepultados no próprio lugar da batalha.
fundamentais do direito romano, uma das principais d) A cena descrita, ocorrida na democracia ateniense,
heranças romanas que chegaram até nos. A publicação indica o valor dado aos cidadãos mais eloquentes da
dessas leis, por volta de 450 a.C., foi importante pois o cidade.
conhecimento das “regras do jogo” da vida em e) A realização de um discurso fúnebre por alguém
sociedade é um instrumento favorável ao homem escolhido na massa de cidadãos de Atenas revela o
comum e potencialmente limitador da hegemonia e caráter secundário e improvisado da cerimônia.
arbítrio dos poderosos.
FUNARI, P. P. Grécia e Roma. São Paulo: Contexto, 2011 H0019 - (Unesp) Apesar de sua dispersão geográfica e
(adaptado). de sua fragmentação política, os gregos tinham uma
profunda consciência de pertencer a uma só e mesma
O ponto de convergência entre as realidades cultura. Esse fenômeno é tão mais extraordinário,
sociopolíticas indicadas nos textos consiste na ideia de considerando-se a ausência de qualquer autoridade
que a central política ou religiosa e o livre espírito de
a) discussão de preceitos formais estabeleceu a invenção de uma determinada comunidade para
democracia. resolver os diversos problemas políticos ou culturais
b) invenção de códigos jurídicos desarticulou as que se colocavam para ela.
aristocracias (Moses I. Finley. Os primeiros tempos da Grécia, 1998. Adaptado.)
c) formulação de regulamentos oficiais instituiu as
sociedades. O excerto refere-se ao seguinte aspecto essencial da
d) definição de princípios morais encerrou os conflitos história grega da Antiguidade:
de interesses. a) a predominância da reflexão política sobre o
e) criação de normas coletivas diminuiu as desenvolvimento das belas-artes.
desigualdades de tratamento. b) a fragilidade militar de populações isoladas em
pequenas unidades políticas.
H0018 – (Ufrgs) Na sua narrativa da Guerra do c) a vinculação do nascimento da filosofia com a
Peloponeso, Tucídides assim relata as práticas funerais constituição de governos tirânicos.
atenienses. d) a existência de cidades-estados conjugada a padrões
civilizatórios de unificação.
“Desse cortejo participam livremente cidadãos e e) a igualdade social sustentada pela exploração
estrangeiros; e as mulheres da família estão presentes, econômica de colônias estrangeiras.
ao túmulo, fazendo ouvir sua lamentação. Depositam-
5

Idade Antiga 66
H0020 - (Uece) Atente ao seguinte excerto: “Vivi a Delos, aliança de cidades-Estados gregas com o intuito
guerra inteira, tendo uma idade que me permitia de combater a presença persa no Mediterrâneo.
formar meu próprio juízo, e segui-a atentamente, de d) as Campanhas de Alexandre, o Grande, aliado a
modo a obter informações precisas. Atingiu-me Esparta e Corinto, combateram e venceram as
também uma condenação ao exílio que me manteve poderosas forças persas e ampliaram os domínios
longe de minha terra por vinte anos após o meu gregos até a Ásia Menor, propagando os princípios da
período de comando em Anfípolis e, diante de minha democracia ateniense pelo Mediterrâneo.
familiaridade com as atividades de ambos os lados, e) a Guerra do Peloponeso, o mais importante conflito
especialmente aquelas do Peloponeso, em bélico da Antiguidade, envolveu as principais cidades-
consequência do meu banimento, graças ao meu ócio, Estados gregas que, aliadas a Roma, enfrentaram e
pude acompanhar melhor o curso dos acontecimentos. derrotaram as forças militares cartaginesas.
Relatarei, então, as divergências surgidas após os dez
anos, e o rompimento da trégua e as hostilidades H0022 - (Unisc) Leia o texto a seguir:
supervenientes”.
(TUCÍDIDES, História da Guerra do Peloponeso, V, 26). "Como ocorre na atualidade, também na Antiguidade
[demos] era um termo ambíguo ou polissêmico, já que
Sobre a Guerra do Peloponeso, registrada por em certos contextos de uso se referia ao conjunto dos
Tucídides, é correto afirmar que cidadãos, e em outros às pessoas comuns, à parte mais
a) se trata de conflito armado entre gregos e troianos. pobre da população".
b) foi uma guerra entre Atenas e Esparta. CARDOSO, Ciro Flamarion S. A Cidade-Estado Antiga. 3. ed. São
c) não ocorreu propriamente: trata-se de uma ficção do Paulo: Ática: 1990. p. 84.
mundo antigo.
d) foi o conflito que ficou conhecido como Guerras Apesar das democracias modernas possuírem alguns
Médicas. elementos que remetem à democracia ateniense, na
Antiguidade percebe-se algumas características
específicas, conforme sugere o fragmento acima.
H0021 - (Fgv) (...) a partir do século V a.C., a guerra
tornou-se endêmica no Mediterrâneo. Foram séculos Considere as seguintes afirmativas.
de guerra contínua, com maior ou menor intensidade,
ao redor de toda a bacia. O trabalho acumulado nos I. Os atenienses participavam diretamente das
séculos anteriores tornara possível um adensamento discussões e da tomada de decisões, pelo voto.
dos contatos, um compartilhamento de informações e II. Os escravos eram considerados bárbaros e as
estruturas sociais, uma organização dos territórios mulheres seres inferiores e, portanto, excluídos
rurais que propiciava a extensão de redes de poder. naturalmente de qualquer debate. Porém, os
Foram os pontos centrais dessas redes de poder que estrangeiros gozavam de direitos políticos, desde que
animaram o conflito nos séculos seguintes. participassem dos negócios públicos.
Norberto Luiz Guarinello. História Antiga, 2013. III. Na democracia ateniense, nem todos são cidadãos,
pois mulheres, escravos e estrangeiros são excluídos da
Sobre esses “séculos de guerra contínua”, é correto cidadania.
afirmar que IV. Sendo uma democracia representativa, como as
a) as Guerras Púnicas, entre Atenas e Cartago, foram modernas, os atenienses participavam da Eclésia – a
uma disputa pelo controle comercial sobre o mar principal assembleia da democracia na Grécia Antiga.
Mediterrâneo, terminando após três grandes
enfrentamentos, com a vitória de Cartago e a Assinale a alternativa correta.
hegemonia cartaginesa em todo o Mundo Antigo a) Somente as afirmativas I e II estão corretas.
ocidental. b) Somente a afirmativa II está correta.
b) as Guerras Macedônicas foram um longo conflito c) Somente a afirmativa III está correta.
entre o Reino da Macedônia, em aliança com os persas, d) Somente a afirmativa IV está correta.
e o Império Romano, que venceu com muitas e) Somente as afirmativas II e IV estão corretas.
dificuldades porque ainda estava em guerra com
outros povos. H0023 - (Fuvest) O aparecimento da polis constitui, na
c) as Guerras Médicas, entre persas e gregos, história do pensamento grego, um acontecimento
resultaram na vitória dos últimos e, em meio a esses decisivo. Certamente, no plano intelectual como no
confrontos, permitiram que Atenas liderasse a Liga de domínio das instituições, só no fim alcançará todas as
suas consequências; a polis conhecerá etapas múltiplas

Idade Antiga 67
e formas variadas. Entretanto, desde seu advento, que medida e, em muitos textos, lembrou que os gregos
se pode situar entre os séculos VIII e VII a.C., marca um foram os criadores da democracia.
começo, uma verdadeira invenção; por ela, a vida Assinale a alternativa que indica corretamente quais
social e as relações entre os homens tomam uma forma são as principais diferenças entre as concepções de
nova, cuja originalidade será plenamente sentida pelos democracia na Antiguidade grega e no mundo
gregos. contemporâneo.
Jean-Pierre Vernant. As origens do pensamento grego. Rio de a) Na Antiguidade grega, a democracia surgiu da
Janeiro: Difel, 1981. Adaptado.
necessidade de administrar países cada vez maiores;
nas democracias contemporâneas, a política ajuda a
De acordo com o texto, na Antiguidade, uma das administrar unidades menores, como as cidades.
transformações provocadas pelo surgimento da polis b) Na Antiguidade grega, o espaço reservado à
foi atividade política eram os templos religiosos ou as
a) o declínio da oralidade, pois, em seu território, toda residências das pessoas mais importantes; nas
estratégia de comunicação era baseada na escrita e no democracias contemporâneas, a atividade política se
uso de imagens. realiza no espaço público.
b) o isolamento progressivo de seus membros, que c) Na Antiguidade grega, política e religião eram esferas
preferiam o convívio familiar às relações travadas nos sociais separadas; nas democracias contemporâneas, a
espaços públicos. noção de cidadania vincula-se estreitamente às
c) a manutenção de instituições políticas arcaicas, que concepções religiosas.
reproduziam, nela, o poder absoluto de origem divina d) Nas democracias contemporâneas, a participação
do monarca. política é vinculada à renda, com o voto censitário; na
d) a diversidade linguística e religiosa, pois sua difusa Grécia Antiga, apenas os proprietários de terras,
organização social dificultava a construção de homens e mulheres, tinham direito à participação
identidades culturais. política.
e) a constituição de espaços de expressão e discussão, e) Nas democracias contemporâneas, o direito à
que ampliavam a divulgação das ações e ideias de seus participação política se estende a todos os grupos
membros. sociais; na Grécia antiga, apenas os homens livres
nascidos na polis eram considerados cidadãos.
H0024 - (Ufpa) No Estado democrático ateniense, a
Assembleia do Povo era o poder soberano. Contudo, a H0026 - (Ifce) É bastante difundida a ideia de que o
democracia ateniense tinha limites, como se observava berço da democracia foi a cidade de Atenas, da Antiga
na composição da Assembleia uma vez que nela se Grécia, onde os cidadãos alcançaram possibilidades de
estabelecia o(a) participar das discussões das questões públicas. Sabe-
a) direito à manifestação livre a todos os habitantes da se, contudo, que havia exceções e graves problemas
Ática, desde que fossem filhos de pais atenienses e sociais, políticos e econômicos. Caracteriza uma dessas
mães metecas. exceções
b) participação de homens ricos, possuidores de terras a) a Eclésia, assembleia popular, com as reformas de
e de um número pequeno de escravos urbanos e Clístenes, que teve seus poderes ampliados,
vinculados à elite. fortalecendo a prática democrática.
c) exclusão dos hoplitas e estrangeiros, mesmo que b) o fato de mulheres não possuírem direitos políticos,
esses tivessem cargos e fossem possuidores de alguma na medida em que a democracia ateniense era restrita
honra militar. aos homens adultos, considerados cidadãos.
d) participação de cidadãos atenienses maiores de c) o ostracismo (exílio por dez anos), que era um
vinte anos, filhos de pai cidadão e de mãe ateniense, instrumento de defesa da democracia ateniense para
excluindo-se as mulheres e os escravos. quem a pusesse em perigo.
e) participação de cidadãos atenienses maiores de 18 d) o fato de a democracia ateniense ter posto fim às
anos, desde que esses fossem honrados e tivessem brigas sociais, possibilitando aos camponeses o direito
pelo menos um escravo. de voto.
e) a incorporação dos escravos à sociedade ateniense,
H0025 – (Fatec) Em 2015, o noticiário internacional deu apesar de não terem a liberdade.
grande destaque à Grécia, país europeu que vivia uma
grave crise econômica e convocou a população para H0027 - (Unesp) A cidade tira de seu império uma parte
decidir, via referendo, as medidas que deveriam ser da honra, da qual todos vós vos gloriais, e que deveis
adotadas pelo governo para gerir a crise. Parte da legitimamente apoiar; não vos esquiveis às provas, se
imprensa destacou o caráter democrático de tal não renunciais também a buscar as honras; e não
7

Idade Antiga 68
penseis que se trata apenas, nesta questão, de ser artes, pelas ciências e por novas vertentes filosóficas.
escravos em vez de livres: trata-se da perda de um O nome dado a essa expressão cultural foi:
império, e do risco ligado ao ódio que aí contraístes. a) modernista.
(Péricles apud Pierre Cabanes. Introdução à história da b) renascentista.
Antiguidade, 2009.)
c) contemporânea.
d) realista.
O discurso de Péricles, no século V a.C., convoca os e) helenística.
atenienses para lutar na Guerra do Peloponeso e
enfatiza H0030 - (Utfpr) No século V a.C., a vitória dos gregos
a) a rejeição à escravidão em Atenas e a defesa do sobre os persas nas Guerras Médicas assinalou o
trabalho livre como base de toda sociedade apogeu da Grécia Antiga. Atenas, sob o governo de
democrática. Péricles, atingiu o apogeu da democracia ateniense e
b) a defesa da democracia, por Atenas, diante das grande desenvolvimento econômico. Essa democracia
ameaças aristocráticas de Roma. beneficiava:
c) a rejeição à tirania como forma de governo e a a) a todos os habitantes da cidade de Atenas, mesmo
celebração da república ateniense. que estrangeiros.
d) a defesa do território ateniense, frente à investida b) a todos os considerados cidadãos atenienses.
militar das tropas cartaginesas. c) apenas aos políticos do partido democrático.
e) a defesa do poder de Atenas e a sua disposição de d) apenas aos juízes do Supremo Tribunal que podiam
manter-se à frente de uma confederação de cidades. julgar mais livremente.
e) a toda a elite ateniense, incluindo as mulheres.
H0028 - (Fac. Albert Einstein) Observe a imagem.
H0031 - (Ufpr) Considere o excerto de poema
espartano do século VII a.C.:

[...] Pois não há homem valente no combate,


se não suportar a vista da carnificina sangrenta
e não atacar, colocando-se de perto. [...]
É um bem comum para a cidade e todo o povo,
que um homem aguarde, de pés fincados, na primeira
fila,
encarniçado e todo esquecido da fuga vergonhosa,
expondo a sua vida e ânimo sofredor,
e, aproximando-se, inspire confiança
com suas palavras ao que lhe fica ao lado.
(Tradução de Maria Helena da Rocha Pereira. In: Hélade: Antologia da
Entre as características da polis grega, podemos citar a: Cultura Grega, Coimbra: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra /
a) dimensão híbrida da acrópole, que conjugava Instituto de Estudos Clássicos, 4. ed., 1982.)

espaços religiosos com grandes áreas de plantio e


produção de alimentos. Com base nesse excerto, considere as afirmativas
b) incorporação de elementos arquitetônicos de abaixo sobre os valores ressaltados no poema e sobre
origem etrusca na construção das habitações características da cidade-Estado de Esparta entre os
populares. séculos VII e V a.C.:
c) conurbação, que provocava a junção de diversas
aldeias e cidades numa mesma unidade administrativa. 1. Esparta e Atenas compartilhavam do mesmo ideal
d) construção de templos e edifícios públicos em locais militar expresso no poema, motivo pelo qual juntaram
altos e o caráter fortificado da acrópole. esforços na Liga de Delos.
2. O poema expressa os valores esperados dos
H0029 - (Utfpr) Para além das conquistas militares, um soldados espartanos: a coragem, o espírito de combate
dos mais importantes feitos de Alexandre, o Grande, e a cooperação com o coletivo.
foi favorecer o surgimento de uma nova cultura, com 3. Para sustentar o exército, o Estado espartano
forte influência grega. As cidades de Alexandria, no formou a Liga do Peloponeso e distribuiu as terras
Egito, Pérgamo, na Antióquia, e a Ilha de Rodes, no Mar conquistadas entre as cidades-Estado aliadas.
Egeu, constituíram-se em centros difusores de novos 4. Esparta manteve uma elite militar, formada pela
valores e de novos saberes, que se estenderam pelas educação rígida de suas crianças, que eram controladas
pelo Estado e separadas de suas famílias.
8

Idade Antiga 69
Assinale a alternativa correta. H0034 - (Enem) O que implica o sistema da polis é uma
a) Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras. extraordinária preeminência da palavra sobre todos os
b) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras. outros instrumentos do poder. A palavra constitui o
c) Somente as afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras. debate contraditório, a discussão, a argumentação e a
d) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras. polêmica. Torna-se a regra do jogo intelectual, assim
e) As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras. como do jogo político.
VERNANT, J. P. As origens do pensamento grego. Rio de Janeiro:
Bertrand, 1992 (adaptado).
H0032 - (Upe)
Na configuração política da democracia grega, em
especial a ateniense, a ágora tinha por função
“O homem que destrói cidades é demente
a) agregar os cidadãos em torno de reis que
como o profanador de templos e túmulos, governavam em prol da cidade.
b) permitir aos homens livres o acesso às decisões do
asilos sacrossantos dos parentes mortos. Estado expostas por seus magistrados.
c) constituir o lugar onde o corpo de cidadãos se reunia
Quem age dessa forma, cedo há de perder-se.”
para deliberar sobre as questões da comunidade.
d) reunir os exercícios para decidir em assembleias
Esse é um fragmento da tragédia As Troianas, escrita fechadas os rumos a serem tomados em caso de
por Eurípides. Apresentada pela primeira vez em 415 guerra.
a.C., encontrou a cidade de Atenas e muitas outras e) congregar a comunidade para eleger representantes
poleis gregas envolvidas na Guerra do Peloponeso com direito a pronunciar-se em assembleias.
(431-404 AEC).
H0035 - (Ueg) Como resultado das campanhas
Sobre esse conflito, é CORRETO afirmar que militares de Alexandre (Magno), surgiu a cultura
a) envolveu a maior parte dos Estados do helenística. Houve influência da cultura oriental sobre
Mediterrâneo Oriental, como a Pérsia e o Egito. a grega, porém não se deve superestimar a
b) opôs as duas principais cidades-estado, Atenas e importância dessa influência. Na realidade, os
Esparta, e seus aliados, organizados em ligas rivais. caracteres da cultura grega sempre foram dominantes.
c) foi rápido graças à evolução militar das falanges. ORDOÑEZ, Marlene; QUEVEDO, Júlio. Horizontes da História. São
Paulo: IBEP, 2005. p. 41.
d) apesar de ter durado décadas, seu impacto na vida
cotidiana dos gregos foi limitado.
Essa hegemonia da cultura helênica verificou-se,
e) as cidades marítimas apoiaram Esparta, uma
sobretudo no Ocidente, sendo justificada pelo fato de
potência militar mais avançada que Atenas.
que
a) os persas logo revelariam pretensões imperialistas,
sendo liderados por Xerxes numa grande campanha
H0033 - (Fgv) É a partir do século VIII a.C. que
militar contra os gregos.
começamos a entrever, em diferentes regiões do
b) os habitantes de Alexandria, a capital do Império de
Mediterrâneo, o progressivo surgimento das cidades-
Alexandre, se recusavam a admitir a presença de
Estados ou polis. Elas formaram a organização social e
estrangeiros em suas fronteiras.
política dominante das comunidades organizadas ao
c) os gregos mantinham forte resistência à liderança de
longo do Mediterrâneo nos séculos seguintes.
(Norberto Luiz Guarinello, História Antiga, 2013, p. 77. Adaptado)
Alexandre Magno, por ele não ser grego de origem, já
Nas polis, é correto que nascera na Macedônia.
a) assinalar a crescente importância da mulher e da d) os orientais, mesmo tendo se integrado ao império
família nos espaços públicos. de Alexandre, continuaram sendo considerados
b) reconhecer a presença de espaços públicos, caso da bárbaros pelos gregos.
ágora.
c) destacar uma característica: a inexistência de H0036 - (Fuvest) Em certos aspectos, os gregos da
espaços rurais. Antiguidade foram sempre um povo disperso.
d) identificar a acumulação de capital pela ação do Penetraram em pequenos grupos no mundo
Estado. mediterrânico e, mesmo quando se instalaram e
e) apontar para a sua essência: a organização urbana acabaram por dominá-lo, permaneceram desunidos na
estruturada para a guerra. sua organização política. No tempo de Heródoto, e
muito antes dele, encontravam-se colônias gregas não
somente em toda a extensão da Grécia atual, como
9

Idade Antiga 70
também no litoral do Mar Negro, nas costas da atual c) Foi tão importante nas sociedades do Egito e da
Turquia, na Itália do sul e na Sicília oriental, na costa Mesopotâmia quanto nas da Grécia e de Roma.
setentrional da África e no litoral mediterrânico da d) Foi marcante nas sociedades grega e romana só a
França. No interior desta elipse de uns 2500km de partir de um determinado estágio do desenvolvimento
comprimento, encontravam-se centenas e centenas de de ambas, quando surgiu a propriedade privada.
comunidades que amiúde diferiam na sua estrutura e) Era desconhecida nas chamadas sociedades
política e que afirmaram sempre a sua soberania. Nem hidráulicas do Egito e da Mesopotâmia e entre os
então nem em nenhuma outra altura, no mundo hebreus e fenícios.
antigo, houve uma nação, um território nacional único
regido por uma lei soberana, que se tenha chamado H0038 - (Uern) Observe a charge e leia o trecho.
Grécia (ou um sinônimo de Grécia).
FINLEY M. I. O mundo de Ulisses. Lisboa: Editorial Presença, 1972.
Adaptado.

Com base no texto, pode-se apontar corretamente


a) a desorganização política da Grécia antiga, que
sucumbiu rapidamente ante as investidas militares de
povos mais unidos e mais bem preparados para a
guerra, como os egípcios e macedônios.
b) a necessidade de profunda centralização política,
como a ocorrida entre os romanos e cartagineses, para
que um povo pudesse expandir seu território e difundir
sua produção cultural. A Ágora ou praça central era o espaço onde se reuniam
c) a carência, entre quase todos os povos da os cidadãos para discutir a vida política e decidir sobre
Antiguidade, de pensadores políticos, capazes de as ações a serem tomadas.
(Vainfas, 2010.)
formular estratégias adequadas de estruturação e
unificação do poder político.
Ao analisarmos a charge e o texto, e tendo em vista o
d) a inadequação do uso de conceitos modernos, como
contexto da Grécia Antiga e o do Brasil atual em relação
nação ou Estado nacional, no estudo sobre a Grécia
à participação política, é possível inferir que
antiga, que vivia sob outras formas de organização
a) em ambos os casos, apesar da ideia de democracia
social e política.
preconizar a participação de todos, existiam (e
e) a valorização, na Grécia antiga, dos princípios do
existem) limites para o exercício pleno desse direito.
patriotismo e do nacionalismo, como forma de
b) na Grécia, cidadão era apenas aquele que
consolidar política e economicamente o Estado
participava das gerúsias, por ser considerado “homo
nacional.
politicus”. No Brasil, só se considera cidadão o
indivíduo com mais de 18 anos.
H0037 - (Upf) Leia o fragmento do documento a seguir,
c) tanto na Grécia quanto no Brasil, a democracia era
que trata da escravidão na Idade Antiga.
(e é) caracterizada pela participação universal, ou seja,
de toda a população votante e em dia com suas
“Ao lidarmos com escravos, não deveríamos permitir
obrigações eleitorais.
que fossem insolentes para conosco, nem deixá-los
d) como no Brasil o voto atual é direto e secreto, o
totalmente sem controle. Aqueles cuja posição está
processo democrático torna-se mais transparente e
mais próxima da dos homens livres deveriam ser
incorruptível, o que não era possível na Grécia, devido
tratados com respeito; aqueles que são trabalhadores
ao controle de poder dos generais.
deveriam receber mais comida. Já que o consumo de
vinho também torna homens livres insolentes [...], é
H0039 - (Ufpr) Considere o texto abaixo:
claro que o vinho jamais deveria ser dado a escravos,
ou só muito raramente.”
(ARISTOTELES, in: CARDOSO, Ciro Flamarion. O trabalho
“O surgimento das moedas liga-se (...) a três
compulsório na antiguidade. Rio de Janeiro: Graal, 1984, p. 108) transformações culturais notáveis da Grécia nos idos
do século VII a.C. (...): o desenvolvimento da polis (...)
Sobre a escravidão na Antiguidade, é correto afirmar: e da vida política (...), a complexificação crescente das
a) Esteve presente com igual importância econômica trocas comerciais (...) [e] a alfabetização.”
em todas as sociedades mediterrâneas. FUNARI, Pedro Paulo. Antiguidade Clássica: a História
b) Foi restrita às cidades-estados da Grécia e à Roma e a cultura a partir dos documentos. Campinas: Editora
republicana e imperial. da Unicamp, 1995, p. 50.
10

Idade Antiga 71
A partir do excerto acima e dos conhecimentos sobre a (Maurice Crouset. O Oriente e a Grécia, in: História Geral das
Grécia antiga, assinale a alternativa que relaciona Civilizações)
corretamente a polis, a expansão grega e o
desenvolvimento das moedas. A respeito da sociedade ateniense, o texto deve ser
a) A polis desenvolveu-se como uma cidade fortificada, relacionado com:
caracterizando a ocupação da Magna Grécia por a) eupátridas;
Esparta. A expansão grega ocorre devido à insuficiência b) geórgois;
de escravos nas cidades-Estado. Nas guerras realizadas c) metecos;
no Mediterrâneo, milhares de prisioneiros foram feitos d) hilotas;
escravos e vendidos nas colônias gregas, o que e) periecos.
intensificou a circulação de moedas.
b) A polis era um tipo específico de organização social
encontrada em Atenas e Esparta. No período em H0041 - (Uepa) Apesar das semelhanças quanto à
questão, essas duas cidades-Estado rivalizaram-se na língua e a religião entre os gregos das diversas polis, a
expansão territorial, gerando a Guerra do Peloponeso. Grécia do Período Clássico em diante era um mosaico
Ao final deste conflito, os atenienses derrotados de cidades autônomas em termos políticos e
fundaram colônias em regiões do Mediterrâneo e do econômicos. A criação das cidades-estado seguiu por
mar Negro, aumentando a circulação de moedas. caminhos diferentes em função da relação entre
c) A polis foi a principal forma de organização social na populações autóctones e povos estrangeiros.
Grécia, constituindo-se em cidades autônomas com Particularmente, a história da fundação de Atenas e de
governos e leis próprias. No século VII a.C., com o Esparta teve clara relação com sua organização
aumento demográfico e a concentração latifundiária, sociopolítica, pois:
houve a expansão grega para regiões do Mediterrâneo a) ocorreu em Atenas a partilha de poder
e do mar Negro, causando intensa circulação de administrativo entre jônios e demais estrangeiros,
moedas para o comércio marítimo e terrestre. enquanto em Esparta se deu a dominação política dos
d) A polis surgiu como solução para os conflitos entre dórios.
Esparta e Atenas pelo domínio do restante da Grécia, b) o domínio jônico submeteu os povos autóctones na
constituindo-se como cidade autônoma fortificada, formação de Atenas, enquanto os dórios partilharam o
cujo isolamento a protegia de agressões. Isso permitiu governo de Esparta com os nativos lacedemônios.
a expansão comercial marítima de Atenas pelo c) Atenas tornou-se centro cosmopolita do mundo
Mediterrâneo, levando à formação de colônias e ao antigo, dada a proeminência social dos estrangeiros,
aumento da circulação de moedas nas trocas enquanto a elite dórica manteve-se predominante no
comerciais. governo de Esparta.
e) A polis era um tipo de cidade-Estado que se d) a formação de Atenas esteve vinculada ao trabalho
desenvolveu em decorrência da expansão comercial agrícola das populações camponesas, enquanto os
grega, ocasionando a fundação de colônias na Magna guerreiros dóricos de Esparta constituíram uma
Grécia. Por conta de seu caráter autônomo, algumas sociedade militarizada.
cidades-Estado uniram-se na Liga de Delos para e) Atenas formou-se com a reunião de jônios e
conquistar territórios no Mediterrâneo, gerando populações locais pré-helênicas, enquanto Esparta
aumento na atividade comercial grega e o uso de resultou da invasão dórica, marcada pela submissão
moedas. dos habitantes autóctones.

H0040 – (Espm) Acolhidos com uma hospitalidade


benevolente, não se sentem humilhados por uma H0042 - (Ufrgs) Com relação à vida social e política na
discriminação injuriosa. Excluídos dos direitos Grécia clássica, assinale a alternativa correta.
políticos e também da propriedade imobiliária, a) A democracia grega foi instituída no século VI a.C.
pagando anualmente uma taxa módica, são eles, de por Clístenes, colocando fim a um período de governo
fato no tocante ao resto, assimilados aos cidadãos tirânico e criando os princípios da República.
sujeitos aos mesmos encargos militares e fiscais. b) A decadência da pólis grega no período arcaico,
Exercem as mais variadas profissões liberais, entre os séculos VIII a.C. e VI a.C., e o surgimento do
artesanais ou mercantis. Não há, por assim dizer, um Império ateniense permitiram o florescimento cultural
artista, um homem de letras ou de ciência que, sendo nas cidades antigas.
grego e não ateniense, não tenha passado uma parte c) O desenvolvimento de uma filosofia fundada na
mais ou menos importante de sua vida em Atenas. razão ocorreu com o fim do período micênico na

11

Idade Antiga 72
Grécia, o que implicou a passagem do politeísmo para que os homens e as mulheres são iguais, pois ambos
o monoteísmo. são filhos de Deus.
d) Os habitantes tinham direitos políticos e eram c) A mulher ateniense casada vivia grande parte do seu
considerados cidadãos nas cidades-estado, com tempo confinada no lar, estando submissa a um regime
exceção das mulheres e dos escravos. de quase reclusão, privada de uma participação efetiva
e) A união política entre atenienses e espartanos nas decisões políticas.
contra os avanços do exército persa ocorreu no d) A sociedade guerreira espartana privava as mulheres
contexto da Guerra do Peloponeso. de qualquer forma de liberdade, restringindo as
funções destas à educação de seus filhos e filhas.
H0043 - (Fatec) Ao longo da História, muitas e) Nas várias sociedades mesopotâmicas, a mulher
sociedades utilizaram o trabalho de pessoas desempenhava um papel preponderante, pois, como
escravizadas, como, por exemplo, a Grécia Clássica e a era a responsável pela procriação, cabia a ela o
América Portuguesa. exercício de mando.
Refletindo sobre essa forma de exploração do trabalho,
é correto afirmar que H0045 - (Fgv) São características do período arcaico
a) as duas sociedades citadas utilizaram (séculos VIII-VI a.C.), na Grécia Antiga:
predominantemente o trabalho de escravos africanos a) desenvolvimento dos oikos e expansão creto-
da região subsaariana e da África oriental. micênica.
b) a utilização do trabalho escravo, nas duas b) desenvolvimento das poleis e expansão pelo
sociedades citadas, pode ser considerada a base da Mediterrâneo.
organização econômica e produtiva. c) rivalidades entre Esparta e Atenas e Guerra do
c) as duas sociedades citadas utilizaram o trabalho de Peloponeso.
escravos apenas na produção agrícola de exportação e d) enfraquecimento das poleis e expansão
não nas cidades. macedônica.
d) o exercício da cidadania era permitido aos escravos e) guerras entre gregos e persas e o fim da democracia
na Grécia Clássica, mas era impedido na América ateniense.
Portuguesa.
e) havia, na Grécia, apenas escravos de origem romana H0046 - (Enem) TEXTO l
e, na América Portuguesa, apenas escravos de origem Olhamos o homem alheio às atividades públicas não
africana. como alguém que cuida apenas de seus próprios
interesses, mas como um inútil; nós, cidadãos
H0044 - (Upf) Chico Buarque cantou em “Mulheres de atenienses, decidimos as questões públicas por nós
Atenas”. mesmos na crença de que não é o debate que é
empecilho à ação, e sim o fato de não se estar
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas esclarecido pelo debate antes de chegar a hora da
Vivem pros seus maridos, orgulho e raça da Atenas ação.
Quando amadas, se perfumam TUCÍDIDES. História da Guerra do Peloponeso. Brasília: UnB, 1987
Se banham com leite, se arrumam (adaptado).
Suas melenas TEXTO II
Quando fustigadas não choram Um cidadão integral pode ser definido por nada mais
Se ajoelham, pedem, imploram nada menos que pelo direito de administrar justiça e
Mais duras penas exercer funções públicas; algumas destas, todavia, são
Cadenas. limitadas quanto ao tempo de exercício, de tal modo
que não podem de forma alguma ser exercidas duas
Tomando como ponto de partida a letra da música, vezes pela mesma pessoa, ou somente podem sê-lo
podemos assinalar, sobre o papel desempenhado pela depois de certos intervalos de tempo prefixados.
ARISTÓTELES. Política. Brasília: UnB, 1985.
mulher na antiguidade, que:
Comparando os textos l e II, tanto para Tucídides (no
a) A mulher no Egito Antigo teve apenas um papel
século V a.C.) quanto para Aristóteles (no século IV
reprodutivo, pois não possuía direitos sociais e
a.C.), a cidadania era definida pelo(a)
jurídicos que lhe garantissem qualquer forma de
a) prestígio social.
liberdade.
b) acúmulo de riqueza.
b) As mulheres hebraicas possuíam direitos políticos e
c) participação política.
sociais equivalentes aos dos homens, derivados dos
d) local de nascimento.
preceitos religiosos do Pentateuco, os quais defendiam
e) grupo de parentesco.

12

Idade Antiga 73
H0047 - (Ifsp) Em Atenas e em Esparta, as mais por turno; com efeito, consistindo a justiça
importantes polis gregas da antiguidade, o trabalho era democrática em ter todos o mesmo, numericamente e
preferencialmente distribuído do seguinte modo: não segundo merecimento, forçosamente tem que ser
soberana a multidão e aquilo que é aprovado pela
Em Atenas Em Esparta maioria tem que ser o justo.”
ARISTÓTELES. Política. In. PINSKY, Jaime. 100 Textos de História
realizado por todos os Antiga.
reservado apenas aos SP: Contexto, 2009. p. 87-88.
atenienses, homens e
espartíatas, havendo II.
mulheres, pois a
a) alguns meses
isonomia (a
dedicados ao
igualdade) era um
militarismo.
valor fundamental.

reservado aos
escravos, fossem eles
escravos por dívidas
reservado aos hilotas,
ou obtidos por
b) isto é, os servos do
guerras, pois o
Estado.
ateniense livre
dedicava-se à política
e às artes.

reservado a todos
reservado apenas aos sem discriminação,
estrangeiros, pois a pois homens e
c) escravidão grega fora mulheres eram
abolida pelo considerados iguais
legislador Sólon. tendo as mesmas
obrigações.

reservado aos
reservado aos
demiurgos que não Compreendendo a experiência democrática na Grécia
escravos que eram
eram considerados Antiga e na sociedade contemporânea, assinale a
d) considerados bens
cidadãos, portanto, proposição verdadeira:
pessoais de cada
não participavam da a) Ao longo da história do Ocidente, a experiência
família espartana. democrática tem vigorado como sistema político,
vida política.
baseando-se em princípios de igualdade e justiça.
realizado tanto pelos b) A democracia grega possuía uma desigualdade de
reservado aos escravos por dívida direitos civis e políticos entre os setores da sociedade,
plebeus, homens (espartanos privilegiando as elites, excluindo grande parcela da
e) livres e pobres que endividados com população.
precisavam ganhar outros espartanos) c) Aristóteles no texto destacado enaltece a
para subsistir. quanto pelos democracia como regime baseado na liberdade, que
escravos de guerra. em seu tempo significa o governo igualitário de todos
os habitantes da polis.
d) A democracia nos tempos gregos foi praticada com
o mesmo sentido moderno de participação popular na
H0048 - (Ifba) Analise o texto e a tirinha a seguir. vida política e exercício da cidadania plena, sendo um
importante legado da Grécia Antiga.
I. “O fundamento do regime democrático é a liberdade, e) A experiência democrática na polis ateniense,
(realmente costuma-se dizer que somente neste embora não fosse popular, inaugurou um período de
regime participa-se da liberdade, pois este é, segundo participação efetiva na vida política de metecos
se afirma, o fim de toda democracia). Uma (estrangeiros), libertos e escravos, excluindo, contudo,
característica da liberdade é ser governado e governar a participação de mulheres.

13

Idade Antiga 74
H0049 - (Ufpr) Sobre o período helenístico (séculos IV O quadrinho do cartunista Gilmar, publicado em 2010,
a II a.C.) é correto afirmar: expõe uma crítica contemporânea ao que se
a) Com a rápida conquista territorial feita pelos apresentou como “democracia” na Atenas da
macedônios, liderados especialmente por Alexandre antiguidade clássica. Das alternativas abaixo, qual
Magno, houve a difusão da cultura grega do Egito até a expressa de modo consistente tal crítica?
Índia, por meio da adoção da koiné, uma variante mais a) A apatia da população, que não tinha o hábito de
simples do grego. Ocorreu a fusão entre culturas participar das decisões tomadas nas assembleias
orientais e a cultura grega, além da construção de dirigidas pelos cidadãos.
polos culturais, como Alexandria. Esse período deixou b) A contradição envolvendo um ideal democrático e a
uma influência duradoura, que se manteve também exclusão real da participação política de sujeitos
dentro dos limites do Império Romano. considerados “não cidadãos”.
b) Foi um longo período de desenvolvimento c) A equivalência entre a forma democrática ateniense
econômico, em que a agricultura foi incentivada por e a que é utilizada atualmente na sociedade brasileira
todos os territórios conquistados por Alexandre desde a Constituição de 1988.
Magno. O objetivo desse imperador era rivalizar com o d) A necessidade de se constituir, na sociedade grega
Império Romano, estabelecendo em Alexandria um da antiguidade, uma forma de democracia
governo despótico e centralizador. Nesse período, a representativa, na qual cada eleitor escolhia seus
cultura grega se expandiu do Egito até a China. representantes.
c) Foi marcado pelas conquistas de Alexandre Magno, e) O favorecimento sistemático de representantes de
que teve dificuldades em expandir o seu governo, por partidos políticos que nem sempre representavam a
conta da resistência dos romanos e dos persas. Apesar maioria da população.
de ter reinado por décadas, Alexandre Magno não
conseguiu manter a independência grega, perdendo H0051 - (Cps) Em 1929, o arqueólogo alemão Julius
seus territórios para o nascente Império Romano. Jordan desenterrou uma vasta biblioteca de tábuas de
d) Foi um período de decadência cultural, em que argila com um tipo de escrita conhecida como
manifestações culturais gregas misturaram-se a “cuneiforme”, com cinco mil anos de idade, mais
influências de outras culturas conquistadas pelos antigas que exemplares semelhantes encontrados na
exércitos de Alexandre Magno. Devido ao seu rápido China, no Egito e na América.
crescimento, o império helenístico permitiu que as As tábuas estavam em Uruk, uma cidade
culturas e costumes locais se preservassem em troca mesopotâmica – e uma das primeiras do mundo – às
de lealdade política. Isso levou ao fim da língua, da margens do rio Eufrates, onde hoje fica o Iraque.
filosofia, do teatro e da arquitetura gregas. As tábuas não haviam sido usadas para escrever poesia
e) Foi uma era de violência endêmica e de escravidão ou enviar mensagens a lugares remotos. Foram
dos povos conquistados por Alexandre Magno, o que empregadas para fazer contas – e também para
explica sua breve duração. Logo após a morte de elaborar os primeiros contratos.
Alexandre, o império se dividiu e foi conquistado pelos <https://tinyurl.com/ycuj8mq6> Acesso em: 26.10.2018.
persas. Dessa forma, o projeto de difusão da cultura Adaptado.
grega foi abandonado, deixando alguns poucos
monumentos e bibliotecas pelo Oriente. O texto faz referência a um período muito conhecido
da história da Humanidade, no qual surgiram os
H0050 - (Ufjf) Observe os quadrinhos abaixo: primeiros registros escritos.
Assinale a alternativa que, corretamente, descreve o
contexto em que surgiu a escrita na Mesopotâmia.
a) Os mesopotâmicos criaram a escrita como forma de
se comunicar com os deuses, entalhando placas de
argila que eram cuidadosamente depositadas no
interior dos templos religiosos.
b) O surgimento da escrita foi vinculado à criação de
um sistema de educação segundo o qual todas as
crianças deveriam dominar o conhecimento das letras
e dos cálculos.
c) As cidades da Mesopotâmia eram separadas por
longas distâncias, percorridas a pé por mensageiros
que levavam cartas e ofícios trocados entre os
governantes.

14

Idade Antiga 75
d) A evolução da literatura oral gerou a necessidade de H0054 - (Uece) O código de Hamurabi é o mais famoso
registrar os textos poéticos declamados pelos grandes e orgânico código de leis existente, cujo significado não
oradores da Antiguidade clássica. é o de uma medida legislativa, visto conter dúvidas a
e) O desenvolvimento do comércio levou à criação da respeito da aplicação concreta de suas disposições nos
escrita, utilizada, inicialmente, para realizar registros veredictos judiciais.
contábeis e firmar contratos.
No que diz respeito a esse código, é correto afirmar que
H0052 - (Famerp) Com esta civilização surge [...] uma a) buscava demonstrar quão bem organizado e bem
vida econômica dominada pelo comércio marítimo. Tal governado seria o reino sob o comando do monarca.
traço lhe atribui uma originalidade precisa entre as b) precedia os veredictos judiciais, buscando
civilizações orientais, às quais ela se liga por tantos promulgar novas disposições.
laços. Isto era inevitável, numa ilha onde a natureza c) tornava o rei dependente da tradição inaugurada por
impunha ao homem condições de vida muito diversas Ur-Nammu, fundador da terceira dinastia de Ur.
das reinantes nos vales do Nilo e do Eufrates. d) considerava a possibilidade de uma medida
(André Aymard e Jeannine Auboyer. “O homem no Oriente legislativa ser um instrumento de debilidade da
próximo”. In: O Oriente e a Grécia Antiga, vol 2, 1962.) realeza.

O excerto destaca a originalidade da civilização


cretense, entre 2000 e 1400 a.C., em relação às H0055 - (Fatec) No século V a.C., Heródoto, historiador
sociedades do Mediterrâneo Oriental e do Oriente grego, afirmou que “O Egito é uma dádiva do Nilo”.
Médio, caracterizadas
a) pela alta produção de gêneros alimentícios com um Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, a
mínimo de esforço individual. principal razão de se atribuir ao rio Nilo uma
b) pela inexistência de contatos comerciais com importância tão grande para o desenvolvimento do
economias dos povos vizinhos. Egito Antigo.
c) pela divisão socialmente igualitária dos bens a) Nos períodos de cheias, as águas desse rio
produzidos em grande escala. fertilizavam as margens, o que possibilitou a
d) pelo conhecimento dos segredos da escrita pela agricultura.
casta de produtores agrícolas. b) Os faraós construíram barragens para obter
e) pela presença do trabalho coletivo em regiões eletricidade, aumentando a produção de itens de
favoráveis à economia agrícola. exportação.
c) A navegação pelo grande rio permitiu que os egípcios
conquistassem o sul da Europa, formando um grande
H0053 - (Upf) Na chamada Antiguidade Oriental, as império.
sociedades, notadamente a egípcia e a mesopotâmica, d) Das margens do rio se retirava o barro com que eram
desenvolveram-se em regiões semiáridas, onde obras fabricados os tijolos utilizados na construção das
hidráulicas grandiosas eram necessárias para o cultivo grandes pirâmides.
agrícola. Então, nessas sociedades: e) Atravessando a África de norte a sul, o Nilo
a) Desenvolveu-se o modo de produção escravista possibilitou a integração cultural e econômica da área
intimamente ligado ao caráter bélico e expansionista entre o Saara e o deserto da Namíbia.
dessas sociedades.
b) A forma de trabalho predominante era a servidão
coletiva, e o indivíduo explorava a terra como membro H0056 - (Ifsul) Além das pirâmides, no Antigo Império,
da comunidade e servia ao Estado, proprietário dessa os Egípcios desenvolveram sua escrita. Eram os
terra. chamados Hieróglifos, escritos da esquerda para a
c) O principal instrumento de poder das camadas direita, com desenhos que remetiam a objetos do
populares era constituído pelo Estado, que assegurava cotidiano. Esses símbolos representavam sons
o seu domínio sobre os outros grupos sociais. específicos. Com o passar do tempo, para agilizar e
d) A superação das comunidades coletivas levou ao facilitar a comunicação, os hieróglifos foram
surgimento da propriedade privada e, como resultado, substituídos por uma escrita mais simples, o Hierático.
à utilização da mão de obra escrava. Posteriormente, ainda outra escrita mais simples foi
e) A ampla utilização do trabalho livre garantia a desenvolvida, o demótico.
produção de excedentes, que era necessária para as Disponível em:
trocas comerciais e para o progresso econômico. <http://www.paginadahistoria.com.br/exibe_historia_geral/56/3.-
egito.html/>.
Acesso em: 20 jul. 2016.
15

Idade Antiga 76
A descoberta dos franceses, em 1799, fundamental A comparação entre as disposições do recurso natural
para se desvendar a escrita egípcia, foi a em questão revela sua importância para a
a) Pedra de Roseta. a) desagregação das redes comerciais.
b) Pedra de megalítico. b) supressão da mão de obra escrava.
c) Stonehenge. c) expansão da atividade agrícola.
d) Quéops. d) multiplicação de religiões monoteístas.
e) fragmentação do poder político.
H0057 - (Udesc) “Quem construiu Tebas, a das sete
portas? Nos livros vem o nome dos reis, mas foram os H0059 - (Ifsp) Considere a imagem e o texto a seguir:
reis que transportaram as pedras? Babilônia, tantas
vezes destruída, quem outras tantas a reconstruiu? Em
que casas da Lima Dourada moravam seus obreiros?”
Perguntas de um operário que lê. Bertold Brecht.

Heródoto de Halicarnasso, nascido no século V a.C., é


comumente conhecido como “o Pai da História”. De
acordo com o historiador François Hartog, Heródoto
interessava-se, entre outras questões, pelas
maravilhas e pelos monumentos considerados, muitas
vezes, expressões da influência divina.

Considerando os questionamentos de Bertold Brecht, A imagem demonstra um julgamento. Nele o objetivo


assinale a alternativa que contém a melhor era pesar o coração do morto que deveria ser mais leve
interpretação para a frase de Heródoto: “O Egito é uma que a pluma para provar que sua conduta em vida era
dádiva do Nilo”. irrepreensível, pautada na verdade, justiça e boas
a) Permite constatar o desconhecimento de Heródoto ações, que dariam a ele a imortalidade e paz se
no que diz respeito à Geografia, uma vez que os rios houvesse êxito no julgamento. Com base na História do
que atravessam o território egípcio são Tigre e Antigo Egito, é correto concluir que a imagem se refere
Eufrates. ao:
b) Representa um anacronismo pois, no século V a.C., a) Tribunal de Osíris.
quando proferida, o Egito era ainda colônia do grande b) Tribunal de Hórus.
Império Bizantino. c) Tribunal de Tutankhamon.
c) Atribui apenas à presença do Nilo o desenvolvimento d) Tribunal de Ísis.
do Egito, porém não considera a importância da e) Tribunal de Hator.
presença humana, do trabalho empreendido na
utilização do rio e dos benefícios naturais para o
H0060 - (Fuvest) Examine estas imagens produzidas no
desenvolvimento da região.
antigo Egito:
d) Representa a profunda religiosidade do povo
egípcio, o qual atribuía ao deus Nilo o desenvolvimento
do Império, à época, no período pré-dinástico.
e) Atribui centralidade às ações do imperador Nilo que,
entre os séculos VI a.C. e V a.C., administrou o processo
de expansão territorial do Império Egípcio, sem,
todavia, ressaltar a participação dos soldados que
lutavam sob o comando do imperador.

H0058 - (Enem) O sistema de irrigação egípcio era


muito diferente do complexo sistema mesopotâmico, As imagens revelam
porque as condições naturais eram muito diversas nos a) o caráter familiar do cultivo agrícola no Oriente
dois casos. A cheia do Nilo também fertiliza as terras Próximo, dada a escassez de mão de obra e a proibição,
com aluviões, mas é muito mais regular e favorável em no antigo Egito, do trabalho compulsório.
seu processo e em suas datas do que a do Tigre e b) a inexistência de qualquer conhecimento
Eufrates, além de ser menos destruidora. tecnológico que permitisse o aprimoramento da
CARDOSO, C. F. Sociedades do antigo Oriente Próximo. São Paulo:
Ática, 1986.
produção de alimentos, o que provocava longas
temporadas de fome.
16

Idade Antiga 77
c) o prevalecimento da agricultura como única H0063 - (Uea)
atividade econômica, dada a impossibilidade de caça
ou pesca nas regiões ocupadas pelo antigo Egito.
d) a dificuldade de acesso à água em todo o Egito, o que
limitava as atividades de plantio e inviabilizava a
criação de gado de maior porte.
e) a importância das atividades agrícolas no antigo
Egito, que ocupavam os trabalhadores durante
aproximadamente metade do ano.

H0061 - (Upf) As civilizações antigas localizadas no


Oriente Médio basicamente se dividem em três:
egípcia, mesopotâmica e hebraica. Sobre essas
civilizações e suas características comuns, é correto
afirmar que: Os egípcios da Antiguidade acreditavam que a vida
a) suas relações sociais eram baseadas no princípio da continuava no além-túmulo e que, para isso, era
igualdade de todos os cidadãos perante os deuses. preciso que o ambiente social, em que os donos dos
b) se desenvolveram na região do crescente-fértil, nas túmulos viveram, fosse representado nas suas paredes.
proximidades de rios. Essas pinturas da tumba de Nakht, escriba do Império,
c) nelas existia uma teocracia absoluta baseada no representam
comércio marítimo. a) as intervenções e modificações realizadas pelos
d) suas religiões primavam por uma vida após a morte, antigos egípcios no mundo natural, por meio de
com castigos ou recompensas eternas. técnicas e conhecimentos adquiridos.
e) contavam com códigos de leis brandos e desprovidos b) as secas periódicas, que afligiam os antigos egípcios
de ética religiosa. e resultavam do baixo índice pluviométrico nas
cabeceiras do rio Nilo.
c) os conflitos sociais presentes na antiga sociedade
H0062 - (Unesp) A maior parte das regiões vizinhas [da egípcia que opunham a nobreza aos altos funcionários
antiga Mesopotâmia] caracteriza-se pela aridez e pela públicos.
falta de água, o que desestimulou o povoamento e fez d) o poder teocrático dos faraós que eram
com que fosse ocupada por populações organizadas considerados filhos do deus Sol e, devido a isso, justos
em pequenos grupos que circulavam pelo deserto. Já a e infalíveis.
Mesopotâmia apresenta uma grande diferença: e) a falta de habilidade dos antigos pintores egípcios,
embora marcada pela paisagem desértica, possui uma incapazes de retratar a vida cotidiana da população.
planície cortada por dois grandes rios e diversos
afluentes e córregos. H0064 - (Uepa) Os escribas do Egito antigo ocupavam
(Marcelo Rede. A Mesopotâmia, 2002.) uma posição subalterna na hierarquia administrativa
governamental frente à aristocracia burocrática. Sua
A partir do texto, é correto afirmar que posição social era inferior em relação aos conselheiros
a) os povos mesopotâmicos dependiam apenas da caça do Faraó, aos chefes da administração, à nobreza
e do extrativismo vegetal para a obtenção de territorial, à elite militar e aos sacerdotes. Mas as
alimentos. características de seu ofício os afastavam de trabalhos
b) a ocupação da planície mesopotâmica e das áreas forçados e das arbitrariedades das elites, que
vizinhas a ela, durante a Antiguidade, teve caráter subjugavam e exploravam camponeses livres e
sedentário e ininterrupto. escravos de origem estrangeira. Tal condição
c) a ocupação das áreas vizinhas da Mesopotâmia tinha privilegiada se explicava:
características nômades e os povos mesopotâmicos a) pelas possibilidades de ascensão social dos escribas
praticavam a agricultura irrigada. que, em função do sucesso de suas carreiras, poderiam
d) a ocupação sedentária das regiões desérticas ocupar posições no alto escalão da administração
representava uma ameaça militar aos habitantes da pública.
Mesopotâmia. b) por serem provenientes do meio social dos felás,
e) os povos mesopotâmicos jamais puderam se camponeses livres, que investiam na formação
sedentarizar, devido às dificuldades de obtenção de educacional de seus filhos mais inclinados ao serviço
alimentos na região. público.
17

Idade Antiga 78
c) pelo domínio dos escribas dos segredos da escrita O objetivo da obra era
demótica e dos hieróglifos, do cálculo e, por a) estabelecer uma ordem constitucional para fundar o
conseguinte, da organização das atividades da Estado imperial mesopotâmico.
administração pública. b) enaltecer a pessoa do rei, associando-a ao poder, à
d) pelo domínio exclusivo dos escribas do idioma justiça e à sabedoria.
escrito, da matemática, da agrimensura e dos c) proporcionar aos cidadãos do império um código
processos administrativos em geral. legal universal e aplicável a todas as situações
e) pela dependência direta de faraós e altos conflituosas.
funcionários reais relativa aos conhecimentos dos d) impor a lei do Talião como norma exclusiva para a
escribas, que formavam uma corporação intelectual ordem constitucional mesopotâmica.
dotada de poder político. e) promover a igualdade jurídica entre todos os súditos
do rei.
H0065 - (Utfpr) Em relação à economia do Antigo Egito
é correto afirmar que: H0068 – (Uftm) Leia os excertos da obra 100 textos de
a) por sua proximidade com o Mar Mediterrâneo era História Antiga, organizada por Jaime Pinsky, de 1980.
muito desenvolvido o comércio marítimo.
b) o comércio de manufaturas egípcias abastecia Eu sou o rei que transcende entre os reis,
outros povos do Mar Mediterrâneo. Minhas palavras são escolhidas,
c) a agricultura dependia, em grande parte, das cheias Minha inteligência não tem rival.
do Rio Nilo. (Hamurábi, 1792-1750 a.C. Autopanegírico.)
d) a criação de gado e a mineração eram os setores
econômicos mais importantes. O fundamento do regime democrático é a liberdade
e) a agricultura, a mineração e o artesanato tinham a [...]. Uma característica da liberdade é ser governado e
mesma importante econômica. governar por turno [...]. Outra é viver como se quer;
pois dizem que isto é resultado da liberdade, já que o
H0066 - (Unesp) [Na Mesopotâmia,] todos os bens próprio do escravo é viver como não quer.
(Aristóteles, 384-322 a.C. Política.)
produzidos pelos próprios palácios e templos não eram
suficientes para seu sustento. Assim, outros
rendimentos eram buscados na exploração da A partir dos textos, pode-se afirmar que
população das aldeias e das cidades. As formas de a) os fundamentos do poder político eram os mesmos
exploração eram principalmente duas: os impostos e para Hamurábi e Aristóteles.
os trabalhos forçados. b) a democracia, segundo Aristóteles, impôs o
(Marcelo Rede. A Mesopotâmia, 2002.) abandono do regime escravista.
c) Hamurábi considerava que o governante deveria ser
Entre os trabalhos forçados a que o texto se refere, escolhido entre os mais sábios.
podemos mencionar a d) expressam diferentes concepções sobre as relações
a) internação de doentes e loucos em áreas rurais, entre governantes e governados.
onde deviam cuidar das plantações de algodão, cevada e) a dinastia esclarecida, com doses de despotismo e
e sésamo. liberdade, era defendida por ambos.
b) utilização de prisioneiros de guerra como artesãos
ou pastores de grandes rebanhos de gado bovino e H0069- (Ufsm) Observe as imagens:
caprino.
c) escravidão definitiva dos filhos mais velhos das
famílias de camponeses, o que caracterizava o sistema
econômico mesopotâmico como escravista.
d) servidão por dívidas, que provocava a submissão
total, pelo resto da vida, dos devedores aos credores.
e) obrigação de prestar serviços, devida por toda a
população livre, nas obras realizadas pelo rei, como
templos ou muralhas.

H0067 - (Ufrgs) Durante o reinado de Hamurábi na


Babilônia (1792 – 1750 a.C.), foi escrita uma relação de
sentenças legais que, modernamente, é conhecida
pelo nome de Código de Hamurábi.

18

Idade Antiga 79
H0071 - (Ueg) Artigo 200: Se um homem arrancou um
dente de um outro homem livre igual a ele, arrancarão
o seu dente.
Artigo 201: Se ele arrancou o dente de um homem
vulgar pagará um terço de uma mina de prata.
Artigo 202: Se um homem agrediu a face de um outro
homem que lhe é superior, será golpeado sessenta
vezes diante da assembleia com um chicote de couro
de boi.
CÓDIGO DE HAMURÁBI. In: VICENTINO; DORIGO. História para o
Nas gravuras, veem-se uma pintura egípcia (2100 a.C.) Ensino Médio. São Paulo: Scipione, 2001. p. 47.
e um baixo-relevo mesopotâmico (645 a.C.). A partir
desses dois modos de representar a vida cotidiana na Estes artigos pertencem ao célebre Código de
Antiguidade Oriental, é possível afirmar: Hamurábi, primeiro registro escrito de leis de que se
I. Uma característica comum às civilizações do Egito e tem notícia. Com base na leitura dos exemplos
da Mesopotâmia, na Antiguidade, era o predomínio do apresentados, conclui-se que
comércio sobre as atividades agropastoris. a) a pena pelo delito cometido pode variar de acordo
II. As duas civilizações tinham como atividade com a posição social da vítima e do agressor.
primordial a agricultura de irrigação e utilizavam os b) para a legislação de Hamurábi, a Lei de Talião era
animais como principal meio de transporte. absoluta, sempre “olho por olho, dente por dente”.
III. Na produção artística de cada povo, o historiador c) Hamurábi conseguiu unificar a Babilônia a partir da
encontra não apenas o registro do mundo do sagrado, implantação de um só código de leis para todo o
do poder e da vida material, mas também a indicação território.
de valores e costumes existentes nas sociedades. d) os antigos babilônios consideravam que agredir a
IV. A arte dos povos antigos não tinha função política face de um homem era mais grave do que arrancar seu
nem religiosa e era, antes de mais nada, a expressão da dente.
sensibilidade do artista e a fruição prazerosa do
espectador.

Está(ão) correta(s) H0072 - (Uftm) A irrigação não pode ser vista como a
a) apenas I e II. causa do surgimento do Estado centralizado e da
b) apenas II e III. civilização egípcia: pelo contrário, um sistema
c) apenas I, II e III. centralizado de obras hidráulicas para a agricultura
d) apenas III e IV. irrigada surgiu como resultado tardio de um Estado
e) apenas IV. forte.
(Ciro F. Cardoso. O Egito Antigo, 1982.)
H0070 - (Utfpr) Leia o texto e assinale a alternativa
correta. A partir do texto conclui-se que, no Egito Antigo,
“A história de nossa civilização ocidental tem origem a) as cheias do Nilo, irregulares e responsáveis por
no Oriente, por volta de 3000 anos a.C.. Certos povos inundações que destruíam tudo o que havia nas
já haviam descoberto a escrita e tinham chegado a um margens, não favoreceram o processo de
sistema complexo de vida. Desenvolviam diversas sedentarização.
atividades organizadas de trabalho, no campo e nas b) o poder do Faraó era simbólico, uma vez que o
cidades. Tinham uma forma definida de governos e leis soberano não dispunha de exércitos nem de burocracia
(...) tinham, enfim, uma cultura. É o que chamamos para fazer valer sua vontade.
civilizações.” c) a concentração do poder nas mãos de uma dinastia
(Hollanda, S. B. A História da Civilização, São Paulo, 1975, p. 11.) centralizadora não pode ser explicada a partir das
a) As primeiras civilizações surgiram às margens dos necessidades agrícolas.
grandes rios como o Nilo, o Tigre, o Eufrates e o Rio d) dependia-se do comércio externo para alimentar a
Amarelo entre outros. população, uma vez que a produção agrícola era muito
b) A escrita foi inventada na China. limitada.
c) Na Índia surgiu o sistema de escravidão. e) o sistema político em vigor resultava de
d) A antiga Pérsia corresponde hoje ao território de necessidades impostas pelas características
Israel. geográficas da região.
e) A religião monoteísta é uma criação do antigo Egito.

19

Idade Antiga 80
H0073 - (Unicamp) Os imperadores romanos que com o apoio dos patrícios e com grande distribuição de
reinaram no século II administraram um vasto império. terras para a plebe.
Eles se tornaram mais abertamente monárquicos e d) O cristianismo viveu duas fases distintas no mundo
dinásticos, particularmente fora de Roma, onde não romano: inicialmente foi alvo de intensas perseguições
precisavam se preocupar com os humores do Senado. e, posteriormente, no século IV tornou-se a religião
Emergiu uma corte itinerante que competia por oficial do Estado romano.
influência. Comunidades provinciais enviavam um
embaixador atrás do outro para acompanhar o H0075 - (Ufpr) Para assegurar a ordem entre os
imperador onde quer que ele pudesse estar. Poderiam conquistados, os romanos tinham que manter postos
encontrar Adriano às margens do Nilo ou avançados e acampamentos militares espalhados pelo
supervisionando a construção da grande muralha que território imperial. Era preciso alimentar e armar os
cruzava o norte da Britânia; ajudando a projetar seu soldados onde estivessem.
templo de Vênus diante do Coliseu; fazendo um (FUNARI, Pedro P. A. Grécia e Roma. São Paulo: Editora Contexto,
discurso para soldados na África. O império era 2001, p. 91.)
governado de onde o imperador estivesse.
(Adaptado de Greg Woolf, Roma. São Paulo: Cultrix, 2017, p. 204.) Sobre o exército romano, no período imperial, é
correto afirmar:
A partir da leitura do texto, assinale a alternativa a) Foi decisivo nas conquistas territoriais durante o
correta. período republicano, perdendo seu prestígio durante o
a) O Senado, composto por notáveis, fazia oposição à período imperial.
centralização do poder do Imperador e garantia a b) Permaneceu distante das atividades de manutenção
centralidade do governo em Roma e a democratização das fronteiras dos territórios.
das decisões governamentais. c) Deixou de exercer sua influência no governo após as
b) O Império romano foi marcado pelas disputas de reformas de Augusto.
poder entre o Imperador e o Senado. Os conflitos entre d) Desempenhou diferentes papéis administrativos e
eles acabaram por resultar na diminuição do poder do econômicos na manutenção do poder imperial.
Senado no que diz respeito à administração pública. e) Era limitado em tamanho, o que refletiu num papel
c) O Senado, composto por notáveis, apoiava a político secundário.
centralização do poder nas mãos do Imperador. A nova
estrutura política do Império permitia a mobilidade da H0076 - (Uel) Analise a figura a seguir.
administração pública representada pelo Imperador.
d) O Império, governado por militares, opunha-se às
comunidades provinciais. Isso levou ao
desaparecimento do Senado como instituição
responsável pela administração pública.

H0074 - (Acafe) Roma antiga legou muitos aspectos


culturais ao mundo ocidental atual. Os romanos
antigos chegaram a ter um dos grandes impérios do
mundo europeu. Acerca de Roma antiga e suas
características históricas, todas as alternativas estão
corretas, exceto a alternativa:
a) A partir do século III, o Império Romano começou a
vivenciar um período de crise. Entre as causas desta
crise podem-se citar: queda da produção de alimentos,
desorganização do Exército e queda da arrecadação de
impostos.
b) O aumento do número de escravos, o aumento das
Com base na figura e nos conhecimentos sobre o
propriedades dos patrícios e o grande fluxo de riquezas
período de transição da República para o Império
para Roma foram consequências das conquistas
Romano, assinale a alternativa correta.
militares romanas.
a) Após a desestruturação da República, os
c) A primeira reforma agrária da história aconteceu em
imperadores romanos legitimaram sua posição sobre
Roma, com os irmãos Graco. Teve sucesso e contou
fundamentos políticos laicos.
20

Idade Antiga 81
b) Com o término da República e a ascensão do Império I. Com o fim do período monárquico, a hierarquia social
ao longo do primeiro século a.C., os imperadores na República deixou de estar fundada na descendência
passaram a ser considerados como escolhidos pelos familiar e na propriedade de terras, valorizando as
deuses. ocupações ligadas ao comércio urbano e à prática da
c) Durante o colapso da República, ocorreu magistratura.
inexpressiva participação popular, tendo em vista que II. No contexto dos séculos III e II a.C., a manumissão
a escravidão tinha sido abolida no período de de estrangeiros, escravizados a partir de conquistas
Espártaco. bélicas, possibilitava a tais indivíduos liberdade social e
d) No Império, Roma iniciou sua expansão territorial cidadania política.
para regiões mediterrânicas da atual Europa, do III. Entre as principais causas do fim da República, estão
Oriente Médio e do norte da África. a invasão de tribos normandas oriundas do norte da
e) No final da República, os atores históricos ligados Europa, a difusão do cristianismo e a crise econômica
aos triunviratos buscaram legitimar seu poder por provocada pela chamada “Conspiração de Catilina”.
intermédio do fortalecimento da liberdade do Senado.
Quais estão corretas?
a) Apenas I.
H0077 - (Ufpr) Leia o trecho abaixo, escrito por b) Apenas II.
Agostinho de Hipona (354-430) em 410, sobre a c) Apenas III.
devastação de Roma: d) Apenas I e II.
e) I, II e III.
Não, irmãos, não nego o que ocorreu em Roma. Coisas
horríveis nos são anunciadas: devastação, incêndios, H0079 - (Espm) O ano de 509 a.C., uma das datas mais
rapinas, mortes e tormentos de homens. É verdade. importantes na história de Roma, marcou o fim da
Ouvimos muitos relatos, gememos e muito choramos Monarquia e o começo da República, a qual significou
por tudo isso, não podemos consolar-nos ante tantas uma mudança radical na forma de governar Roma. O
desgraças que se abateram sobre a cidade. governo passou a ser exercido pelos magistrados, pelo
(Santo Agostinho. Sermão sobre a devastação de Roma. Tradução Senado e pelas assembleias. Os magistrados detinham
de Jean Lauand. Disponível em:
o poder executivo. A mais importante das
<http://www.hottopos.com/mp5/agostinho 1.htm#_ftn2>. Acesso
em 11 de agosto de 2018.) magistraturas era exercida por dois elementos que
Considerando os conhecimentos sobre a história do atuavam como os representantes do conjunto dos
Império Romano (27 a.C. – 476 d.C.) e as informações cidadãos. Suas funções eram comandar o exército,
do trecho acima, assinale a alternativa que situa o convocar o senado e presidir os cultos públicos. Eram
contexto histórico em que ocorreram os problemas os verdadeiros chefes da República e deveriam atuar
relatados sobre Roma e a sua consequência para o sempre de comum acordo. Nenhum deles podia tomar
Império, entre os séculos IV e V. uma decisão sem consultar o seu colega (o termo
a) Trata-se do contexto das invasões dos povos colega significa associado a outro).
(Bárbara Pastor. Breve História de la Antigua Roma: Monarquia y
visigodos, sendo uma das causas do final do Império
República)
Romano do Oriente.
b) Trata-se do contexto dos saques de povos vândalos, O texto deve ser relacionado a:
sendo uma das causas do final do Sacro Império a) pretores;
Romano-Germânico. b) questores;
c) Trata-se do contexto das pilhagens de povos c) tribunos da plebe;
ostrogodos, sendo uma das causas do final do Império d) cônsules;
Bizantino. e) ditadores.
d) Trata-se do contexto das incorporações de povos
vikings, sendo uma das causas do final do Sacro Império H0080 - (Fuvest) (…) o “arco do triunfo” é um
Romano do Oriente. fragmento de muro que, embora isolado da muralha,
e) Trata-se do contexto das invasões de povos tem a forma de uma porta da cidade. (...) Os primeiros
bárbaros, sendo uma das causas do final do Império exemplos documentados são estruturas do século II
Romano do Ocidente. a.C., mas os principais arcos de triunfo são os do
Império, como os arcos de Tito, de Sétimo Severo ou de
Constantino, todos no foro romano, e todos de grande
H0078 - (Ufrgs) Considere as seguintes afirmações beleza pela elegância de suas proporções.
sobre a história antiga de Roma. PEREIRA, J. R. A., Introdução à arquitetura. Das origens ao século
XXI. Porto Alegre: Salvaterra, 2010, p. 81.
21

Idade Antiga 82
Dentre os vários aspectos da arquitetura romana, fim do Império Romano e do mundo antigo e o início
destaca-se a monumentalidade de suas construções. A de uma nova era, a Idade Média.
relação entre o “arco do triunfo” e a História de Roma (Carlos Augusto Ribeiro Machado. Roma e seu império, 2004.
Adaptado.)
está baseada
a) no processo de formação da urbe romana e de
edificação de entradas defensivas contra invasões de A queda do Império Romano do Ocidente foi
povos considerados bárbaros. provocada, entre outros fatores,
b) nas celebrações religiosas das divindades romanas a) pela fragilização do poder central, que gradualmente
vinculadas aos ritos de fertilidade e aos seus ancestrais perdeu o controle das províncias que compunham o
etruscos. Império.
c) nas celebrações das vitórias militares romanas que b) pelo declínio econômico das colônias asiáticas, que
permitiram a expansão territorial, a consolidação deixaram de fornecer matérias-primas à capital do
territorial e o estabelecimento do sistema escravista. Império.
d) na edificação de monumentos comemorativos em c) pela hegemonia econômico-financeira da Igreja, que
memória das lutas dos plebeus e do alargamento da passou a combater militarmente os imperadores
cidadania romana. pagãos.
e) nos registros das perseguições ao cristianismo e da d) pelo desenvolvimento militar dos impérios
destruição de suas edificações monásticas. macedônio e persa, que se tornaram rivais de Roma e
a derrotaram.
H0081 - (Mackenzie) No processo histórico da Roma e) pelas invasões dos bárbaros, que saquearam o
Antiga, a República, como regime político foi Império Romano e, assim, facilitaram sua conquista
substituída pelo Império. Sobre a ordem imperial, é pelos hunos.
correto afirmar que a
a) concentração dos poderes na figura do imperador H0083 - (Unesp)
tranquilizava a classe dos patrícios e senadores que
concordavam com esse tipo de regime que, de acordo
com eles, seria o único capaz de sufocar a anarquia e
as rebeliões de escravos.
b) criação do império, obra elaborada pelo Primeiro e
Segundo Triunvirato, expressou o triunfo da vontade
dos generais, para os quais o regime imperial seria o
tipo de governo ideal, para controlar a crise social do
final da República.
c) base do império foi sustentada pelo poder dos
camponeses romanos, nos campos, e pela plebe nos
centros urbanos, principais interessados na existência
de uma ordem que lhes assegurasse o domínio da terra
e a permanência da prática do pão e circo.
d) vitória da participação popular no cerne da vida
O mapa do Império Romano na época de Augusto (27
política marcou, profundamente, o novo regime
a.C. – 14 d.C.) demonstra
político, diferente do que ocorreu tanto no período
a) a dificuldade das tropas romanas de avançar sobre
monárquico, quanto no período republicano.
territórios da África e a concentração dos domínios
e) crise econômica pelo qual Roma passava nos últimos
imperiais no continente europeu.
anos da República, decorrente das inúmeras derrotas
b) a resistência do Egito e de Cartago, que conseguiram
militares enfrentadas pelos romanos e os gastos
impedir o avanço romano sobre seus territórios.
despendidos para consolidar a conquista do
c) a conformação do maior império da Antiguidade e a
Mediterrâneo, levaram o povo a apoiar o novo regime.
imposição do poder romano sobre os chineses e
indianos.
H0082 - (Famerp) Enquanto nas cidades o poder ficou
d) a iminência de conflitos religiosos, resultantes da
nas mãos dos bispos, nos campos, concentrou-se na
tensão provocada pela conquista de Jerusalém pelos
dos grandes proprietários. O governo romano perdeu
cristãos.
força: já não era capaz de cobrar os impostos de
e) a importância do Mar Mediterrâneo para a expansão
maneira eficiente, nem mesmo de pagar os exércitos.
imperial e para a circulação entre as áreas de
Em 476, o último imperador romano foi deposto. Era o
hegemonia romana.

22

Idade Antiga 83
H0084 - (Fgv) A vida privada dos escravos romanos à centralizaram o poder reconheciam na escravidão um
época do Império é um espetáculo pueril que se olha mecanismo de enfraquecimento do exército.
com desdém. No entanto, esses homens tinham vida
própria; por exemplo, participavam da religião, e não H0085 - (Uel) Durante o século II, o Império Romano
apenas da religião do lar que, afinal, era o seu: fora de atingiu sua máxima extensão territorial, dominando
casa, um escravo podia perfeitamente ser aceito como quase toda a atual Europa, o norte da África e partes
sacerdote pelos fiéis de alguma devoção coletiva; do Oriente Médio. No final do século IV, porém, essa
podia também se tornar padre dessa Igreja cristã que unidade começaria a ser desfeita com a divisão do
nem por um momento pensou em abolir a escravidão. império em duas porções: a ocidental, com a capital em
Paganismo ou cristianismo, é possível que as coisas Roma, e a oriental, com a capital em Bizâncio. Nos
religiosas os tenham atraído muito, pois bem poucos séculos IV e V, a fragmentação territorial se
outros setores estavam abertos para eles. Os escravos aprofundou ainda mais e o Império Romano do
também se apaixonavam pelos espetáculos públicos do Ocidente acabou desaparecendo para dar lugar a
teatro, do circo e da arena, pois, nos dias de festa, diversos reinos germânicos.
tinham folga, assim como os tribunais, as crianças das Quanto à desagregação e queda do Império Romano
escolas e... os burros de carga. do Ocidente, assinale a alternativa correta.
(Paul Veyne, O Império Romano. Em: Paul Veyne (org.). História da a) O êxodo rural causado pelos ataques dos povos
vida privada v. 1: do Império Romano ao ano mil, 2009. Adaptado) germânicos resultou num crescimento desordenado
das cidades, criando instabilidade e desordem política
A partir da discussão presente no trecho, é correto
nos centros urbanos e forçando a abdicação do último
afirmar:
imperador romano.
a) a característica fundante do escravismo romano era
b) O paganismo introduzido no Império Romano pelas
a origem étnica, o que fazia com que a escravização dos
tribos germânicas enfraqueceu o cristianismo e causou
povos conquistados e o tráfico nas fronteiras do
a divisão entre cristãos católicos e ortodoxos,
Império proporcionassem a grande maioria da mão de
encerrando o apoio da Igreja ao imperador e
obra servil, ao mesmo tempo em que a escravidão
consequentemente fazendo ruir o império.
entre os próprios romanos havia caído em desuso
c) A língua oficial do Império Romano, o latim, ao se
desde a crise da República.
fundir com os idiomas falados pelos invasores, deu
b) os escravos na sociedade romana não eram uma
origem às línguas germânicas, dificultando a
coisa, mas seres humanos, na medida em que até os
administração dos territórios que se tornaram cada vez
senhores que os tratavam desumanamente
mais autônomos até se separarem de Roma.
impunham-lhes o dever moral de ser bons escravos, de
d) A disputa entre os patrícios romanos e a plebe pelas
servir com dedicação e fidelidade, características
terras férteis facilitou a invasão do império pelos
necessariamente humanas; no entanto, esses seres
“povos bárbaros”, pois o exército romano foi obrigado
humanos eram igualmente um bem cuja propriedade
a deixar as fronteiras desguarnecidas para defender os
seu amo detinha.
proprietários das terras das constantes rebeliões.
c) a escravidão caracterizava as relações de produção
e) Com o fim das conquistas territoriais, o escravismo e
em Roma e os escravos, em sua inferioridade jurídica,
a produção entraram em declínio, somado às “invasões
desempenhavam uma função produtiva, marcados por
bárbaras” e à ascensão do cristianismo, que
um lugar social de pobreza, privação e precariedade,
aceleraram a fragmentação e queda de Roma.
estando associados às formas braçais de trabalho e à
produção de bens materiais em uma sociedade
altamente hierarquizada.
H0086 - (Ufpr) Leia o texto a seguir:
d) a justificativa moral da escravidão sofreu uma
Foi a República Romana que primeiro uniu a grande
intensa transformação ao longo dos séculos, de tal
propriedade agrícola com a escravidão em grupos no
forma que a própria sociedade romana passou a
interior em maior escala. O advento da escravidão
questioná-la, tornando mais brandas as relações
como um modo de produção organizado inaugurou –
escravistas em meio à transformação do cristianismo
como na Grécia – a fase clássica que distinguia a
em religião oficial do Império, o que contribuiu para o
civilização romana, o apogeu de seu poder e de sua
aprofundamento da crise do escravismo.
cultura. Mas enquanto na Grécia isso havia coincidido
e) as relações escravistas caracterizaram os tempos da
com a estabilização da pequena agricultura e de um
República romana, muito associadas ao poder dos
compacto corpo de cidadãos, em Roma foi
patrícios, pertencentes à aristocracia de grandes
sistematizado por uma aristocracia urbana a qual já
proprietários, mas entraram em decadência na
gozava de um domínio social e econômico sobre a
passagem para o Império, pois os generais que
cidade. O resultado foi a nova instituição rural do
23

Idade Antiga 84
latifundium escravo extensivo. A mão de obra para as H0088 - (Espm) Durante o seu governo, Otávio apoia-
enormes explorações que emergiam do século III a.C. do pelos equestres e conciliando com a aristocracia
em diante era abastecida pela espetacular série de senatorial, enfeixou em suas mãos imensos poderes.
campanhas que deu a Roma o poder sobre o mundo No plano da organização militar criou-se uma guarda
mediterrâneo. especial, a Guarda Pretoriana.
(ANDERSON, Perry. Passagens da antiguidade ao feudalismo. São (Rubim Santos Leão de Aquino. História das Sociedades: das
Paulo: Brasiliense, 1995, p. 58.) comunidades primitivas às sociedades medievais)

Tendo como alvo a República Romana, assinale a A Guarda Pretoriana citada no texto era encarregada:
alternativa correta. a) de defender as fronteiras e as províncias afastadas;
a) A desestruturação agrária em Roma, que b) da segurança pessoal do imperador e da vigilância
estabeleceu sistemas de latifúndios, beneficiou os da capital;
grupos empobrecidos, uma vez que estes podiam c) da expansão territorial e da obtenção de mão de
abandonar o campo e se estabelecer em cidades. obra escrava;
b) As guerras constantes ajudaram as classes d) de garantir a reunião da Assembleia Curiata, da qual
dominantes da Roma republicana a desviar a atenção participavam todos os patrícios;
dos problemas fundiários derivados do latifundium nos e) de garantir a arrecadação dos tributos e proteger os
séculos seguintes. questores.
c) Foi por meio da intervenção dos irmãos Graco que o
problema da reforma agrária foi resolvido no século II, H0089 - (Enem) TEXTO I
pois os poderes políticos foram transplantados ao Sólon é o primeiro nome grego que nos vem à mente
senado e, assim, Roma viu mais um século de paz. quando terra e dívida são mencionadas juntas. Logo
d) Os tribunos da plebe tiveram um papel importante depois de 600 a.C., ele foi designado “legislador” em
no processo da reforma agrária romana, possibilitando Atenas, com poderes sem precedentes, porque a
a transformação do modo de vida de maneira a exigência de redistribuição de terras e o cancelamento
permitir que todo pequeno agricultor transformasse das dívidas não podiam continuar bloqueados pela
sua propriedade em um Domus. oligarquia dos proprietários de terra por meio da força
e) O domínio social e econômico das cidades provinha ou de pequenas concessões.
de delicada relação entre a manutenção de sistemas FINLEY, M. Economia e sociedade na Grécia antiga. São Paulo:
agrários em que a mão de obra escrava era aproveitada WMF Martins Fontes, 2013 (adaptado).
de forma esporádica e a utilização ocasional de grandes TEXTO II
extensões de terra. A “Lei das Doze Tábuas” se tornou um dos textos
fundamentais do direito romano, uma das principais
heranças romanas que chegaram até nos. A publicação
dessas leis, por volta de 450 a.C., foi importante pois o
conhecimento das “regras do jogo” da vida em
H0087 - (Uece) As Guerras Púnicas, que se constituíram sociedade é um instrumento favorável ao homem
por uma série de combates entre Roma e Cartago no comum e potencialmente limitador da hegemonia e
período entre o século III e o século II a.C., assinalaram arbítrio dos poderosos.
FUNARI, P. P. Grécia e Roma. São Paulo: Contexto, 2011
uma mudança radical na história de Roma e do mundo (adaptado).
antigo, porque
a) mesmo tendo Roma sofrido algumas derrotas, O ponto de convergência entre as realidades
triunfou com as vitórias de Aníbal. sociopolíticas indicadas nos textos consiste na ideia de
b) os conflitos entre Roma e Cartago duraram mais de que a
um século. a) discussão de preceitos formais estabeleceu a
c) após o fim do conflito, Roma se aproximou de uma democracia.
civilização mais avançada e rica. b) invenção de códigos jurídicos desarticulou as
d) redesenhou toda a organização do mundo antigo e aristocracias
Roma transformou-se na grande potência do c) formulação de regulamentos oficiais instituiu as
Mediterrâneo. sociedades.
d) definição de princípios morais encerrou os conflitos
de interesses.
e) criação de normas coletivas diminuiu as
desigualdades de tratamento.

24

Idade Antiga 85
H0090 – (Unicamp) c) Influência intensa da cultura grega, domínio político
dos plebeus, grande moralização dos costumes.
d) Fortalecimento do Estado romano, surgimento de
uma poderosa classe de comerciantes, aumento do
número de escravos.
e) Aumento do trabalho livre, maior concentração
populacional nos campos, enriquecimento da elite
patrícia.

H0092 - (Famerp) Durante o século IV, a velocidade da


expansão do cristianismo aumentou muito,
especialmente nas cidades [romanas]. As antigas
crenças continuaram existindo, mas o número de fiéis
diminuiu muito. Os cristãos passaram a chamar os
adeptos das outras religiões de pagãos e, em algumas
ocasiões, se dedicaram a destruir seus templos e as
estátuas dos deuses antigos.
A imagem acima retrata parte do mosaico romano de Isso não significa que as religiões tenham vivido em
Nennig, um dos mais bem conservados que se conflito. O cristianismo tomou diversas ideias e
encontram até o momento no norte da Europa. A características do paganismo para si. Os livros escritos
composição conta com mais de 160 m2 e apresenta no início do Império e na época da República eram
como tema cenas próprias de um anfiteatro romano. considerados obras-primas da literatura, e mesmo os
https://fr.wikipedia.org/wiki/Perl_(Sarre)#/media/File:Retiarius_st que falavam de outros deuses eram lidos e apreciados
abs_secutor_(color).jpg. pelos cristãos.
Acessado em: 12/08/2016. Carlos Augusto Ribeiro Machado. Roma e seu império, 2004.
Adaptado.
A partir da leitura da imagem e do conhecimento sobre
o período em questão, pode-se afirmar corretamente Segundo o texto, a ascensão do cristianismo na Roma
que a imagem representa Antiga
a) uma luta entre três gladiadores, prática popular a) não impediu o avanço de outras formas de
entre membros da elite romana do século III d. C, que religiosidade, e o paganismo, apesar de reprimido,
foi criticada pelos cristãos. continuou a crescer e manteve-se hegemônico.
b) a popularidade das atividades circenses entre os b) deu-se a partir das conquistas romanas na Palestina
romanos, prática de cunho religioso que envolvia os e revelou a correção e a supremacia religiosa da fé
prisioneiros de guerra. cristã frente às antigas religiões.
c) uma das ações da política do pão e do circo, c) não impediu a manifestação de outras formas de
estratégia da elite romana que usava cidadãos religiosidade e, apesar de terem ocorrido tensões,
romanos na arena, para lutarem entre si e, assim, algumas antigas práticas religiosas persistiram.
divertir o povo. d) deu-se a partir das cruzadas, que levaram a fé cristã
d) uma luta entre gladiadores, prática que tinha aos pagãos, judeus e muçulmanos que controlavam as
inúmeras funções naquela sociedade, como a diversão, terras do Oriente Próximo.
a tentativa de controle social e a valorização da guerra. e) deu-se a partir do extermínio dos grupos que
professavam crenças antigas e da eliminação dos
materiais que contivessem referências ao paganismo.
H0091 - (Upf) A expansão de Roma durante a
República, nos séculos III e II a.C, com o consequente H0093 - (Mackenzie) Leia o texto a seguir.
domínio da bacia do Mediterrâneo, provocou Esta refundação efetua-se sob o signo do cristianismo.
importantes transformações políticas, sociais e Trata-se menos de uma conversão de Constantino do
econômicas, dentre as quais: que da vontade de reunificação do Império sob um
a) Acentuado processo de industrialização, êxodo dogma, cujo monoteísmo é bastante conveniente à
urbano, endividamento do Estado. concepção de poder absoluto que o imperador
b) Fortalecimento da classe dos plebeus, expansão da encarna. Constantinopla é, portanto, ao mesmo tempo
pequena propriedade agrícola, propagação do a cidade epônima de Constantino, o berço da dinastia
cristianismo. que ele fundou e a sede de sua nova religião.

25

Idade Antiga 86
Stéphane Yérasimos. La nouvelle Rome. Disponível em: b) tinha uma organização social baseada numa justa
www.histoire.presse.fr. distribuição da riqueza e era alicerçada pelo poderio
Acesso em 15 ago. 2015
militar.
c) tinha uma sociedade baseada na tradição de culto
Assinale a alternativa que corresponde, corretamente,
aos antepassados e todos os romanos tinham sua terra
ao excerto e ao contexto.
e um lugar para cultuar seus entes.
a) A partir de Constantino, a política romana liga-se à
d) vivia sobre uma constante tensão social em função
religião cristã, atendendo a interesses de
do apoio irrestrito dos pobres aos militares, já que
fortalecimento da figura do imperador e a contenção
estes garantiam ao povo a propriedade da terra,
da crise até então vivida pelo Império.
mesmo a contragosto dos latifundiários.
b) A fundação de Constantinopla, com a consequente
transferência da capital, atendeu a interesses religiosos
H0095 - (Utfpr) No período imperial, a cidade de Roma,
de fortalecimento do Cristianismo na parte oriental do
atingiu algo em torno de um milhão de habitantes, mas
Império.
boa parte dessa população vivia em condições
c) A transferência da capital do Império para
precárias, já que o sistema escravista a impedia de
Constantinopla e a perseguição aos cristãos,
arrumar trabalho. Para diminuir as tensões sociais os
promovida pelo imperador Constantino, conseguiram
imperadores adotavam a Política de Pão e Circo, que
conter as crises vividas em Roma.
pode ser definida como:
d) O crescimento do monoteísmo, as contestações ao
a) distribuição de cereais e grandes espetáculos
poder do imperador e a conversão de Constantino ao
públicos em que gladiadores lutavam entre si ou com
Cristianismo forçaram à perseguição a outras religiões
animais ferozes.
e à transferência da capital.
b) distribuição de alimentos como pães, frutas e
e) A oficialização do Cristianismo e a transferência da
hortaliças, além da realização de jogos variados.
capital para Constantinopla, ambas realizadas por
c) distribuição de alimentos em geral e representações
Constantino, atenderam a interesses políticos e
teatrais, mas somente de comédias, com o objetivo de
religiosos do governo romano.
alegrar a assistência.
d) distribuição de pães e outros alimentos, além da
realização de corridas de biga pelas ruas centrais da
H0094 - (Uece) Plutarco atribuiu ao Tribuno da Plebe,
cidade.
Tibério Graco, o seguinte discurso dirigido aos pobres
e) distribuição de alimentos variados e grandes
de Roma:
espetáculos de circo, com a presença de mágicos,
“As feras que atravessam os bosques da Itália têm cada
palhaços e malabaristas.
uma seus abrigos e suas tocas; os que lutam e morrem
pela defesa da Itália só têm o ar e luz e nenhuma outra
H0096 - (Enem) TEXTO I
coisa mais. Sem teto para se abrigar, eles vagueiam
Esta foi a regra que eu segui diante dos que me foram
com seus filhos e suas mulheres. Os enganam seus
denunciados como cristãos: perguntei a eles mesmos
generais quando, nas batalhas, os estimulam a
se eram cristãos; aos que respondiam
combater pelos templos de seus deuses, pelas
afirmativamente, repeti uma segunda e uma terceira
sepulturas de seus pais. Isto porque, de um grande
vez a pergunta, ameaçando-os com o suplício. Os que
número de romanos, não há um só que tenha o seu
persistiram, mandei executá-los, pois eu não duvidava
altar doméstico nem seu jazigo familiar. Eles
que, seja qual for a culpa, a teimosia e a obstinação
combatem e morrem para alimentar a opulência e o
inflexível deveriam ser punidas. Outros, cidadãos
luxo de outros, e, quando dizem que são senhores de
romanos portadores da mesma loucura, pus no rol dos
todo o mundo, eles não são donos sequer de um
que devem ser enviados a Roma.
pedaço de terra”.
Correspondência de Plínio, governador de Bitínia, província
Apud Plutarco. Vidas Paralelas. Tomo VI. P. 209-210. Disponível em:
http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select
romana situada na Ásia Menor, ao imperador Trajano. Cerca do
_action=&co_obra=6712 ano 111 d.C. Disponível em: www.veritatis.com.br. Acesso em: 17
jun. 2015 (adaptado).
Com essas palavras, o Tribuno Tibério Graco nos
informa que Roma TEXTO II
a) possuía uma grande camada social desprovida de É nossa vontade que todos os povos regidos pela nossa
acesso à propriedade, contudo, era essa camada que administração pratiquem a religião que o apóstolo
garantia o sucesso militar e o poderio das elites Pedro transmitiu aos romanos. Ordenamos que todas
romanas. aquelas pessoas que seguem esta norma tomem o
nome de cristãos católicos. Porém, o resto, os quais
consideramos dementes e insensatos, assumirão a
26

Idade Antiga 87
infâmia da heresia, os lugares de suas reuniões não H0098 - (Enem) Os escravos tornam-se propriedade
receberão o nome de igrejas e serão castigados em nossa seja em virtude da lei civil, seja da lei comum dos
primeiro lugar pela divina vingança e, depois, também povos; em virtude da lei civil, se qualquer pessoa de
pela nossa própria iniciativa. mais de vinte anos permitir a venda de si própria com
Édito de Tessalônica, ano 380 d.C. In: PEDRERO-SÁNCHEZ, M. G. a finalidade de lucrar conservando uma parte do preço
História da Idade Média: textos e testemunhas. São Paulo: Unesp,
da compra; e em virtude da lei comum dos povos, são
2000.
nossos escravos aqueles que foram capturados na
guerra e aqueles que são filhos de nossas escravas.
Nos textos, a postura do Império Romano diante do CARDOSO, C. F. Trabalho compulsório na Antiguidade. São Paulo:
cristianismo é retratada em dois momentos distintos. Graal, 2003.
Em que pesem as diferentes épocas, é destacada a
permanência da seguinte prática: A obra Institutas, do jurista Aelius Marcianus (século III
a) Ausência de liberdade religiosa. d.C.), instrui sobre a escravidão na Roma antiga. No
b) Sacralização dos locais de culto. direito e na sociedade romana desse período, os
c) Reconhecimento do direito divino. escravos compunham uma
d) Formação de tribunais eclesiásticos. a) mão de obra especializada protegida pela lei.
e) Subordinação do poder governamental. b) força de trabalho sem a presença de ex-cidadãos.
c) categoria de trabalhadores oriundos dos mesmos
povos.
d) condição legal independente da origem étnica do
H0097 - (Fgv) “Não descreverei catástrofes pessoais de indivíduo.
alguns dias infelizes, mas a destruição de toda a e) comunidade criada a partir do estabelecimento das
humanidade, pois é com horror que meu espírito segue leis escritas.
o quadro das ruínas da nossa época. Há vinte e poucos
anos que, entre Constantinopla e os Alpes Julianos, o H0099 - (Ifce) “Consideremos o significado da palavra
sangue romano vem sendo diariamente vertido. A república. Ela vem do latim res publica, que quer dizer
Cítia, Trácia, Macedônia, Tessália, Dardânia, Dácia, ‘coisa de todos’. Denomina, portanto, uma forma de
Épiro, Dalmácia, Panônia são devastadas pelos godos, governo em que o Estado e o poder pertencem ao
sármatas, quedos, alanos (...); deportam e pilham tudo. povo.
Quantas senhoras, quantas virgens consagradas a No entanto, o que se observou na fase inicial da
Deus, quantos homens livres e nobres ficaram na mão república romana foi a instalação de uma organização
dessas bestas! Os bispos são capturados, os padres política dominada apenas pelos patrícios. Não houve a
assassinados, todo tipo de religioso perseguido; as distribuição do poder entre todos, pois a maioria da
igrejas são demolidas, os cavalos pastam junto aos população, os plebeus, não tinha, inicialmente, o
antigos altares de Cristo (…).” direito de participar das decisões políticas. Isso gerou
(São Jerônimo, Cartas apud Pedro Paulo Abreu Funari, Roma: vida
grandes conflitos.”
pública e vida privada. 2000)
(COTRIM, Gilberto. História Global: Brasil e geral. Vol.1, 2ª ed.
O excerto, de 396, remete a um contexto da história São Paulo: Saraiva, 2013. p. 124).
romana marcado pela
a) combinação da cultura romana com o cristianismo, Por conta da situação acima mencionada, os plebeus
além da desorganização do Estado Romano, em meio iniciaram uma longa luta em busca dos seus direitos,
às invasões germânicas e de outros povos. sobre a qual é incorreto afirmar-se que
b) reorientação radical da economia, porque houve o a) a “Lei das XII Tábuas”, ainda que favorecesse os
abandono da relação com os mercados mediterrâneos patrícios, serviu para dar clareza às normas e aos
e o início de contato com o norte da Europa. costumes.
c) expulsão dos povos invasores de origem não b) a “Lei Canuleia” autorizava o casamento entre
germânica, seguida da reintrodução dos organismos patrícios e plebeus.
representativos da República Romana. c) o “Comício da Plebe” deu aos patrícios o direito de
d) crescente restrição à atuação da Igreja nas regiões decidirem pelos plebeus assuntos relativos aos
fronteiriças do Império, porque o governo romano interesses de ambos.
acusava os cristãos de aliança com os invasores. d) a “Eleição de Magistrados” deu aos plebeus a
e) retomada do paganismo e o consequente retorno da condição de ascenderem, aos poucos, aos principais
perseguição aos cristãos, responsabilizados pela grave cargos públicos.
crise política do Império Romano. e) a proibição da escravização por dívidas fez com que
nenhum romano fosse mais escravizado por conta de
dívidas existentes.
27

Idade Antiga 88
H0100 - (Ifsp) Segundo o historiador Marvin Perry, a c) as reduções de impostos, que tinham a finalidade de
partir de 27 a.C. “a brilhante habilidade política de evitar revoltas provinciais e rebeliões populares.
Otávio Augusto deu início à maior era romana. Nos d) os gastos cotidianos das famílias pobres com
duzentos anos seguintes o mundo mediterrâneo alimentação, moradia, educação e saúde.
desfrutou as bênçãos da”: e) as despesas militares, a realização de obras públicas
(PERRY, Marvin. Civilização Ocidental. São Paulo: Martins Fontes, e a manutenção de estradas.
2002, p. 104).
H0102 - (Enem) A Lei das Doze Tábuas, de meados do
a) ação política do Triunvirato que elegeu três
século V a.C., fixou por escrito um velho direito
governantes para o Império. costumeiro. No relativo às dívidas não pagas, o código
b) riqueza do Império Romano viabilizada por meio de permitia, em última análise, matar o devedor; ou
guerras e conquistas. vendê-lo como escravo “do outro lado do Tibre” – isto
c) Pax Romana que gerou um longo período de paz.
é, fora do território de Roma.
d) reforma agrária promovida pelos irmãos Tibério e CARDOSO, C. F. S. O trabalho compulsório na Antiguidade. Rio de
Caio Graco. Janeiro: Graal, 1984.
e) aprovação do Édito de Milão que colocou fim as
perseguições aos cristãos. A referida lei foi um marco na luta por direitos na Roma
Antiga, pois possibilitou que os plebeus
a) modificassem a estrutura agrária assentada no
H0101 - (Fuvest) Os impérios do mundo antigo tinham latifúndio.
ampla abrangência territorial e estruturas b) exercessem a prática da escravidão sobre seus
politicamente complexas, o que implicava custos devedores.
crescentes de administração. No caso do Império c) conquistassem a possibilidade de casamento com os
Romano da Antiguidade, são exemplos desses custos: patrícios.
a) as expropriações de terras dos patrícios e a geração d) ampliassem a participação política nos cargos
de empregos para os plebeus. políticos públicos.
e) reivindicassem as mudanças sociais com base no
b) os investimentos na melhoria dos serviços de
assistência e da previdência social. conhecimento das leis.

notas

28

Idade Antiga 89
www.professorferretto.com.br
ProfessorFerretto ProfessorFerretto

Idade Média
H0103 - (Acafe) O período medieval europeu H0105 - (Ufpr)
caracterizou-se pelo predomínio do sistema feudal,
especialmente na Europa centro-ocidental. Sua
formação remonta as transformações ocorridas no
final do Império Romano Ocidental. Dentro deste
contexto, são características associadas ao feudalismo
europeu as afirmações abaixo, exceto a alternativa:
a) A Igreja Cristã tornou-se uma grande instituição.
Exercia o domínio ideológico e cultural da sociedade
feudal, caracterizado pelo teocentrismo.
b) O servo constituiu-se na mão-de-obra principal nas
relações feudais de produtividade. Achava-se ligado à
terra e a um senhor feudal.
c) As relações de suserania e vassalagem estavam
ligadas ao teocentrismo medieval e serviam
unicamente para formar o cavaleiro, protetor da
cristandade.
d) A sociedade era estamental, sem mobilidade social.
Os servos, vinculados à terra, não tinham possibilidade
de ascender socialmente.

Sobre a iluminura, é INCORRETO afirmar:


a) Revela a supremacia da união entre guerreiros e
trabalhadores sobre os membros do clero.
b) Representa a sociedade trifuncional tal qual foi
H0104 - (Espcex) O Mundo Feudal baseava-se em uma concebida pelo bispo Adalberão de Laon, no século XI.
sociedade rigidamente hierarquizada, na qual os c) Expressa uma concepção de sociedade no medievo.
indivíduos encontravam-se subordinados uns aos d) Representa uma configuração social baseada na
outros por laços de dependência pessoal. Havia uma cooperação e no serviço para a harmonia social no
grande massa de camponeses presos à terra, que medievo.
viviam sob o domínio dos senhores feudais e que se e) Não expressa a sociedade medieval em sua
dividiam em dois grupos com características configuração social variada.
particulares:
a) Suseranos e vassalos H0106 - (Famerp) [...] o senhor faz-se homem de um
b) Cavaleiros e soldados senhor mais poderoso cuja força, neste caso, já não
c) Servos e baixo clero reside nos vestígios de uma função pública, mas tão só
d) Servos e vilões na extensão das terras e no número de vassalos que o
e) Vilões e salteadores reconhecem como suserano.
(Charles Parain et al. Sobre o feudalismo, 1973. Apud Hamilton M.
Monteiro. O feudalismo: economia e sociedade, 1987.)

No âmbito da Idade Média ocidental, o texto


caracteriza
a) os conflitos socioeconômicos nos campos e a
valorização da hegemonia monárquica.

Idade Media 90
b) as relações baseadas na propriedade rural e o Ao tratar das doenças e dos tratamentos médicos na
controle do poder pelos funcionários públicos. Idade Média, o texto
c) as concorrências entre donos de manufaturas e a a) reconhece a diversidade dos cuidados médicos em
rigidez da hierarquia social. um universo sociorreligioso uniforme.
d) as relações entre classes sociais distintas e o b) caracteriza o avanço das ciências médicas na Europa,
princípio da soberania política. em comparação com outras partes do mundo.
e) as relações internas à nobreza e a noção de riqueza c) destaca o caráter democrático da medicina popular,
como posse de terras. em comparação com tratamentos mais caros.
d) associa o declínio dos tratamentos médicos à
H0107 - (Ufjf) Leia o texto a seguir: perseguição desencadeada pela Inquisição.
e) relaciona o acesso a tratamentos médicos às
“A sociedade dos fiéis forma um só corpo; mas o Estado diferentes condições sociais e religiosas.
compreende três. A lei humana impõe duas condições:
o nobre e o servo não estão submetidos ao mesmo H0109 - (Ifsul) O período histórico entre os séculos V e
regime. Os guerreiros são protetores das igrejas. Eles XV, que abrange as terras do entorno do mar
defendem os poderosos e os fracos, protegem todo Mediterrâneo, é denominado como Idade Média.
mundo, inclusive a si próprios. Os servos, por sua vez, Foram homens do século XVI que deram esse nome.
têm outra condição. Esta raça de infelizes não tem Para eles, a Idade Média foi um período menos
nada sem sofrimento. Fornecer a todos alimentos e importante, de menor desenvolvimento científico e
vestimenta: eis a função do servo. A casa de Deus, que tecnológico. Alguns historiadores chegaram mesmo a
parece una, é, portanto, tripla: uns rezam, outros chamá-la de Idade das Trevas.
combatem e outros trabalham. Todos os três formam
um conjunto e não se separam: a obra de uns permite A Idade Média corresponde a um período histórico
o trabalho dos outros dois e cada qual por sua vez a) em que ocorreu o domínio do sistema feudal em
presta seu apoio aos outros.” todas terras da Europa.
LAON, Adalbéron de. In: LE GOFF, Jacques. A civilização do b) de retrocesso tecnológico, já que os avanços
Ocidente medieval. São Paulo: Edusc, 2005, p. 257-258.
científicos dos gregos antigos foram desconsiderados
pelos povos do entorno do Mediterrâneo, naquele
O trecho acima foi escrito pelo bispo Adalbéron de período.
Laon em 1030 com o objetivo de explicar a organização c) de domínio espiritual da Igreja Católica de Roma nas
social que existiu no período medieval dividida em terras do entorno Mediterrâneo.
estamentos. Sobre a sociedade estamental é CORRETO d) onde diferentes civilizações produziram avanços
afirmar que: científicos e tecnológicos na região abrangida,
a) A igreja católica defendia e justificava a divisão social contrariando a tese defendida no século XVI.
da sociedade estamental.
b) A sociedade estamental caracterizava-se pela H0110 - (Famema) O problema das “origens” do
possibilidade de ascensão social. feudalismo gerou inúmeras polêmicas sobre o fim do
c) Nesta sociedade o estamento mais privilegiado era o Império Romano no Ocidente (século V) e o surgimento
dos servos. das instituições feudais. Comumente, aceita-se a tese
d) Nesta organização os servos eram sustentados pelos da junção de formas sociais romanas e germânicas que,
estamentos clerical e senhorial. justapostas, engendrariam as bases da sociedade
e) A sociedade estamental era pautada em uma feudal.
hierarquia social igualitária. Outros historiadores têm procurado ver na própria
crise interna do império, particularmente a partir do
H0108 - (Fac. Albert Einstein) Durante muito tempo, os século III, as causas da decadência romana e sua
doentes eram tratados, principalmente, com remédios fragilidade em face dos bárbaros.
populares. Nas terras não cristãs, os homens e as (Francisco C. T. da Silva. Sociedade feudal, 1982. Adaptado.)
mulheres que aplicavam esses tratamentos eram
considerados feiticeiros e feiticeiras. Nas terras cristãs, As origens do sistema feudal podem ser encontradas
a feitiçaria era proibida, mas havia “curandeiros” a) no declínio da escravidão no Império Romano, o que
cristãos a quem Deus havia dado um saber. As pessoas originou nova forma de trabalho, e na noção de
mais ricas (senhores e burgueses) eram quase sempre fidelidade pessoal dos germanos.
tratadas por médicos judeus, pois os judeus possuíam b) no fracasso da reforma agrária no Império Romano,
conhecimentos de medicina vindos da Antiguidade. o que intensificou as guerras civis, e na concepção de
(Jacques Le Goff. A Idade Média explicada aos meus filhos, 2007. poder divino dos germanos.
Adaptado.)
2

Idade Media 91
c) na assimilação dos povos dominados, que se (Pedrero-Sanchez, M. Guadalupe. História da Idade Média: textos
tornaram plenos cidadãos romanos, e na ideia de e testemunhos. São Paulo: Unesp, 1999, p. 95)
propriedade privada dos germanos.
d) no fortalecimento da autoridade imperial, que se O trecho acima foi extraído de um documento inglês do
sobrepôs ao Senado romano, e na tradição das leis século XI e diz respeito a uma típica relação feudal. A
escritas dos povos germânicos. relação em evidência é a
e) na crise dos minifúndios romanos, o que gerou a) Vassalagem: relação recíproca entre senhores em
intenso êxodo rural, e nas relações escravistas típicas que fica acordado a proteção por parte do Suserano e
das comunidades germânicas. o trabalho nos campos por parte do Vassalo.
b) Servidão: relação vertical entre senhores e
H0111 - (Mackenzie) “O que se deve chamar de camponeses que, uma vez presos à terra, não podem
feudalismo ou termo correlato (modo de produção abandonar suas obrigações nos feudos.
feudal, sociedade feudal, sistema feudal etc.) é o c) Vassalagem: relação horizontal entre senhores a
conjunto da formação social dominante no Ocidente da qual cria uma teia de alianças políticas e uma maior
Idade Média Central, com suas facetas política, descentralização do poder.
econômica, ideológica, institucional, social, cultural, d) Servidão: relação entre senhores e servos a qual
religiosa. Em suma, uma totalidade histórica, da qual o estabelece um acordo de proteção e ajuda econômica
feudo foi apenas um elemento.” em troca de terras para o plantio.
(Franco Júnior, Hilário. A Idade Média: Nascimento do Ocidente. e) Vassalagem e Servidão: relações equivalentes entre
São Paulo, Brasiliense, 2010, p.88) nobres e servos em que os vassalos asseguram o
trabalho nas terras senhoriais.
Entre os séculos IX e XIII, a Europa ocidental conheceu
o auge do modo de produção feudal. Sobre o H0113 - (Cps) Para o homem europeu medieval, o
feudalismo, é incorreto afirmar que referencial de todas as coisas era o sagrado, fenômeno
a) foi resultado de uma lenta transformação, que teve comum de sociedades muito dependentes da natureza
início no final do Império Romano, passou pelas e, portanto, a mercê de forças desconhecidas e não
invasões germânicas e começou a estruturar-se após o controláveis. Isso gerava, compreensivelmente, um
período carolíngio. sentimento generalizado de insegurança. Temia-se
b) em sua formação, apresenta tanto raízes romanas pelo resultado, quase sempre pobre, das colheitas.
(Vilas e Colonato) como raízes germânicas (Comitatus Temia-se a presença frequente das epidemias, que não
e Beneficium). se sabia combater. Desamparado diante de uma
c) sua sociedade era composta por três camadas fixas, natureza frequentemente hostil, o indivíduo procurava
ou seja, de difícil mobilidade: os sacerdotes, os as origens disso, e as possíveis escapatórias, num
guerreiros e os trabalhadores. mundo do Além.
d) a Vassalagem, representada pela relação entre Franco Junior, Hilário. A Idade Média, nascimento do Ocidente.
São Paulo: Brasiliense, 2006, p. 139. Adaptado.
senhores feudais e seus servos, apresenta como
principal característica a fidelidade do vassalo a seu
suserano. De acordo com o autor, é correto afirmar que
e) os servos não eram trabalhadores livres, mas a) o desenvolvimento do sistema de rotação tornava as
também não eram escravos. Estavam ligados à terra, colheitas previsíveis e dinamizava as redes comerciais
não podendo ser retirados dela para serem vendidos. intercontinentais, das quais a Europa feudal era o
principal centro produtor.
H0112 - (Mackenzie) Leia o documento abaixo: b) a sacralização foi substituída pelos investimentos no
“É permitido a qualquer, sem punição, auxiliar o seu desenvolvimento da ciência, vista como meio de
senhor, se alguém o ataca, e obedecer-lhe em todos os solucionar os problemas que afligiam o europeu
casos legítimos, exceto no roubo, no assassinato e medieval.
naquelas coisas que não são consentidas a ninguém, c) a relação da sociedade medieval com a natureza era
sendo reconhecidas como infames pelas leis. O senhor pacífica, porque o racionalismo indicava soluções
deve proceder da mesma maneira com o conselho e a práticas para os problemas cotidianos.
ajuda; e deve ir em auxílio do seu homem em todas as d) a sensação de insegurança diante do inesperado fez
vicissitudes, sem malícia. É permitido a todo o senhor com que essas sociedades medievais buscassem a
convocar o seu homem que deve estar à sua direita no solução no sobrenatural.
tribunal; e mesmo que seja residente no mais distante e) a sociedade medieval, de valores antropocêntricos,
mansus de quem o protege, deverá ir ao pleito se o seu viu na domesticação da natureza a solução para
senhor o convocar” problemas sanitários.

Idade Media 92
H0114 - (Uece) As principais características do H0116 - (Enem) A ausência quase completa de
Feudalismo são as relações de dependência e fantasmas na Bíblia deve ter favorecido também a
fidelidade. A doação do feudo se concretizava com um vontade de rejeição dos fantasmas pela cultura cristã.
juramento por meio do qual o nobre se comprometia a Várias passagens dos Evangelhos manifestam mesmo
a) proteger e auxiliar militarmente o outro. uma grande reticência com relação a um culto dos
b) respeitar e amar o seu vassalo. mortos: “Deixa os mortos sepultar os mortos”, diz
c) pagar o direito de usufruto. Jesus (Mt 8:21), ou ainda: “Deus não é Deus dos
d) proporcionar isenção no pagamento de tributos. mortos, mas dos vivos” (Mt 22:32). Por certo,
numerosos mortos são ressuscitados por Jesus (e, mais
tarde, por alguns de seus discípulos), mas tal milagre –
H0115 - (Ufpr) Leia o trecho abaixo, retirado de uma o mais notório possível segundo as classificações
carta escrita entre 830 e 840 pelo aristocrata franco posteriores dos hagiógrafos medievais – não é
Eginhardo, em favor de camponeses: assimilável ao retorno de um fantasma. Ele prefigura a
própria ressurreição do Cristo três dias depois de sua
Ao nosso mui querido amigo, o glorioso conde Hatton, Paixão. Antecipa também a ressurreição universal dos
Eginhardo, saudação eterna do Senhor. Um dos vossos mortos no fim dos tempos.
SCHMITT, J.-C. Os vivos e os mortos na sociedade medieval. São
servos, de nome Huno, veio à igreja dos santos Paulo: Cia. das Letras, 1999.
mártires Marcelino e Pedro pedir mercê* pela falta que
cometeu contraindo casamento sem o vosso De acordo com o texto, a representação da morte
consentimento [...]. Vimos, pois, solicitar a vossa ganhou novos significados nessa religião para
bondade para que em nosso favor useis de indulgência a) extinguir as formas de ritualismo funerário.
em relação a este homem, se julgais que a sua falta b) evitar a expressão de antigas crenças politeístas.
pode ser perdoada. Desejo-vos boa saúde com a graça c) sacramentar a execução do exorcismo de infiéis.
do Senhor. d) enfraquecer a convicção na existência de demônios.
(Cartas de Eginhardo. Tradução de Ricardo da Costa. Extratos de
documentos medievais sobre o campesinato (sécs. V-XV). e) consagrar as práticas de contato mediúnico
Disponível em: <https://www.ricardocosta.com/extratos-de- transcendental.
documentos-medievais-sobre-o-campesinato-secs-v-
xv#footnoteref19_nuc8key>. Acesso em 11 de agosto de 2018.) H0117 - (Famerp) Enquanto nas cidades o poder ficou
nas mãos dos bispos, nos campos, concentrou-se na
*pedir mercê = pedir intercessão dos grandes proprietários. O governo romano perdeu
força: já não era capaz de cobrar os impostos de
No extrato acima, encontramos elementos da vida maneira eficiente, nem mesmo de pagar os exércitos.
social e econômica do período medieval europeu (Alta Em 476, o último imperador romano foi deposto. Era o
Idade Média). Esse documento insere-se em qual fim do Império Romano e do mundo antigo e o início
sistema social, político e econômico predominante de uma nova era, a Idade Média.
nesse contexto? (Carlos Augusto Ribeiro Machado. Roma e seu império, 2004.
a) Feudalismo, caracterizado pela ruralização da Adaptado.)
economia, pela relação senhorial entre nobres e servos
e pela atuação social e política da Igreja Católica. O texto alude à gênese de duas características
b) Mercantilismo, caracterizado pela urbanização da importantes da Idade Média Ocidental:
economia, pela relação senhorial entre nobres e a) o fim do comércio internacional e o crescimento do
camponeses e pela atuação social e política da Igreja republicanismo.
Protestante. b) a feudalização e o aumento do poder político da
c) Socialismo, caracterizado pela ruralização da Igreja.
economia, pela relação remunerada entre nobres e c) o desaparecimento do poder real e a ruralização.
servos e pela atuação cultural e política da Igreja Cristã. d) a supressão dos exércitos nacionais e o avanço do
d) Mercantilismo, caracterizado pela urbanização da islamismo.
economia, pela relação campesina entre nobres e e) o igualitarismo social e a autossuficiência das
vassalos e pela atuação social e política da Igreja propriedades rurais.
Ortodoxa.
e) Feudalismo, caracterizado pela urbanização da H0118 - (Unesp) A era feudal tinha legado às
economia, pela relação agrária entre o clero e os servos sociedades que a seguiram a cavalaria, cristalizada em
e pela atuação social e cultural da Igreja Cristã. nobreza. [...] Até nas nossas sociedades, em que
morrer pela sua terra deixou de ser monopólio de uma
classe ou profissão, o sentimento persistente de uma
4

Idade Media 93
espécie de supremacia moral ligada à função do controlada por uma classe de senhores feudais, a quem
guerreiro profissional — atitude tão estranha a outras os camponeses prestavam serviços e faziam
civilizações, tal como a chinesa — permanece uma pagamentos em espécie.
lembrança da divisão operada, no começo dos tempos (Perry Anderson. Passagens da Antiguidade ao feudalismo, 2016.
Adaptado.)
feudais, entre o camponês e o cavaleiro.
(Marc Bloch. A sociedade feudal, 1987. Adaptado.)
O excerto contém informações históricas essenciais
Segundo o texto, a valorização da ação militar sobre o feudalismo, tais como
a) representa a continuidade da estrutura social a) as produções artísticas e os fundamentos culturais.
originária da Idade Média. b) as bases econômicas e as relações sociais.
b) ultrapassa as barreiras de classe social, igualando os c) as guerras de dominação e a formação dos reinos
homens medievais. bárbaros.
c) deriva da associação, surgida na Idade Média, entre d) as crenças religiosas e o poder eclesiástico.
nobres e cavaleiros. e) as atividades comerciais monetarizadas e o
d) surgiu na Idade Média e é desconhecida nas crescimento urbano.
sociedades modernas.
e) revela a identificação medieval de quem trabalhava H0121 - (Upe) Observe a imagem a seguir:
com quem lutava.

H0119 - (Unicamp) Estamos acostumados a considerar


que o sistema centro/periferia, ao menos no Ocidente,
é um eixo essencial da estrutura e do funcionamento
no espaço das economias, das sociedades, das
civilizações. O historiador Fernand Braudel estimou
que tal sistema só existiu e funcionou plenamente a
partir do século XV. Essa definição não se aplica à
Cristandade Medieval sem importantes correções. A
noção de centro e a oposição centro/periferia são
menos decisivas que outros sistemas de orientação
espacial. O principal sistema é o que opõe o baixo ao
alto, quer dizer, o Aqui, esse “mundo” imperfeito e
marcado pelo Pecado Original, ao céu, morada de
Deus.
(Adaptado de Jacques Le Goff e Jean-Claude Schmitt,
“Centro/Periferia”, em Dicionário temático do ocidente medieval, Qual aspecto da sociedade medieval é mais
v. 2. São Paulo: Edusc, 2002, p. 203.) caracteristicamente representado por essa imagem?
a) Religiosidade
A partir do texto acima, assinale a alternativa correta. b) Belicosidade
a) Usada nas Ciências Humanas para a compreensão de c) Racionalidade
períodos históricos desde a Antiguidade, a noção de d) Piedade
centro/periferia perdura até a atualidade e estrutura o e) Humanismo
sistema econômico global contemporâneo.
b) As noções de baixo e alto têm um sentido histórico H0122 - (Fac. Pequeno Príncipe) Considere o texto a
mais preciso para a compreensão da Cristandade seguir.
Medieval do que o sistema centro/periferia.
c) O sistema centro/periferia é aplicável ao estudo da “Hoje não é fácil imaginar o que uma igreja significava
Cristandade Medieval, já que os feudos constituíam o para as pessoas daquele período (século XIII), a igreja
centro da vida econômica e cultural naquele contexto. era, geralmente o único edifício de pedra em toda a
d) O sistema centro/periferia aplicado durante a Era redondeza; constituía a única construção de
Medieval espelhava o sistema de orientação baixo e considerável envergadura muitas léguas em redor, e
alto, sendo o baixo o mundo do pecado e o alto o seu campanário era um ponto de referência para todos
mundo da virtude cristã. os que vinham de longe. Aos domingos e durante o
culto, todos os habitantes da cidade ali podiam
H0120 - (Uefs) O modo de produção feudal que encontrar-se, e o contraste entre o edifício e as casas
emergiu na Europa ocidental na Idade Média foi primitivas e humildes em que as pessoas passavam a
dominado pela terra. A propriedade agrária era
5

Idade Media 94
vida devia ser esmagador. Não admira que toda a b) Negando a tradição jurídica romana, o império
comunidade estivesse interessada na construção bizantino pautou sua jurisdição no direito
dessas igrejas e se orgulhasse da sua decoração. consuetudinário.
Mesmo do ponto de vista econômico, a construção de c) A filosofia estoica influenciou o movimento
um mosteiro, que levava anos, devia transformar uma iconoclasta, provocando o cisma cristão do Oriente no
cidade inteira.” século XI.
Fonte: GOMBRICH, Ernest Hans Josef. A história da arte. Rio de d) O catolicismo ortodoxo tornou-se a religião oficial do
Janeiro: LTC, 2000, p. 170.
império após a denominada querela das investiduras.
e) A catedral de Santa Sofia sintetiza a tradição artística
A Igreja Católica exerceu uma influência marcante bizantina com seus ícones e mosaicos.
sobre a população medieval, ultrapassando em muito
sua função religiosa e espiritual. Sobre a influência da H0124 - (Ifsul) Dentro do Império Bizantino, a
Igreja Católica nesse período, assinale a alternativa autoridade era o imperador. Este recebia o auxílio de
CORRETA. uma extensa burocracia. O imperador era o
a) A partir do século XI, a Igreja começou a se sobrepor componente fundamental das estruturas políticas
aos senhores feudais. Entre as principais medidas para dominantes (exercia seus poderes no exército e na
isso, está a Paz de Deus – um movimento criado pela igreja). A tática adquirida pelo Império Bizantino
Igreja Católica para unir forças contra os senhores que (apelando para a guerra e utilizando uma diplomacia
se oponham a sua autoridade. para afastar e/ou englobar diversos povos
b) O poder e influência da Igreja Católica aumentaram enfraquecidos por sua dominação) fez com que ele
a partir do século XII quando começaram a surgir as cruzasse por onze séculos.
primeiras universidades europeias com o objetivo de Disponível em: <http://www.infoescola.com/idade-
ensinar teologia e latim para que a população pobre media/formacao-do-imperio-bizantino/>.
pudesse se instruir melhor sobre os ensinamentos Acesso em: 22 jul. 2016. (texto adaptado)
cristãos. O imperador que formulou o Corpo do Direito Civil e foi
c) A arquitetura medieval refletiu tanto a insegurança responsável pela reconstrução da Igreja Santa Sofia foi
(castelos), quanto a religiosidade (catedrais). a) Constantino.
Destacou-se, nesse período, a construção de mosteiros b) Teodósio.
e catedrais. O estilo predominante foi o arabesco de c) Justiniano.
inspiração ibérica. d) Basílio II.
d) As catedrais na Idade Média, por serem a casa de
Deus que representava a Jerusalém Celeste, eram H0125 - (Utfpr) O Império Bizantino, após a queda de
lugares dedicados exclusivamente à oração e Roma, gradativamente se afastou da influência
adoração. ocidental e da autoridade exercida pelo papa. Em
e) A função dos mosteiros medievais não se limitou meados do século XI, após uma série de discordâncias,
apenas ao papel religioso e à produção intelectual. Do ocorreu o Cisma do Oriente que dividiu o cristianismo
ponto de vista econômico, contribuíram para melhorar em duas partes. No Ocidente, a Igreja Católica
os métodos de produção agrícola e, do ponto de vista Apostólica Romana se manteve, mas no Oriente, outra
cultural, foram responsáveis pela reprodução e Igreja Cristã foi formada.
conservação do conhecimento em suas bibliotecas. Assinale o nome que recebeu a Igreja do Império
Bizantino.
H0123 - (Upe) A civilização bizantina foi muito mais a) Igreja Protestante.
original e criativa que, em geral, lhe creditam. Suas b) Igreja Renascentista.
igrejas abobadadas desafiam em originalidade e c) Igreja Cristã Ortodoxa Grega.
ousadia os templos clássicos e as catedrais góticas, d) Igreja Supra Oriental.
enquanto os mosaicos competem, como supremas e) Igreja Moderna.
obras de arte, com a escultura clássica e a pintura
renascentista. H0126 - (Ufjf) Leia:
(ANGOLD, Michael. Bizâncio: A ponte da antiguidade para a Idade “Os reinos germânicos tiveram entre si semelhanças e
Média. Rio de Janeiro: Imago, 2002. p. 9. Adaptado.) diferenças. Possuíram, em relação ao antigo Império
Romano, caracteres comuns (elementos de
Sobre o legado cultural bizantino, assinale a alternativa permanência), bem como, outros que os
CORRETA. individualizaram (elementos de ruptura). Houve a
a) Herdando elementos da cultura grega, os bizantinos convivência entre o germano e o romano”.
desenvolveram estudos sobre a aritmética e a álgebra. GUERRA MARTINS. M. Os povos bárbaros. São Paulo, Ática, 1997.
p. 17.
6

Idade Media 95
A partir da leitura do trecho acima, marque a opção H0128 - (Uel) Embora a ideia de transformação seja
CORRETA sobre o contexto do período inicial da Idade uma característica da modernidade, nos períodos
Média (entre os séculos V e VII): anteriores, na Europa, ocorreram diversas mudanças
a) Igreja Católica teve sua influência política e nos campos político, econômico, científico e cultural.
socioeconômica enfraquecida devido a sua forte Pode-se afirmar que, com o declínio do Império
relação com o Império Romano que não existia mais. Romano na Europa Ocidental, constituíram-se novas
b) Os Estados organizados pelos invasores bárbaros se relações sociais entre os habitantes desses territórios,
caracterizavam por uma forte estabilidade política e momento que foi denominado pelos historiadores
por fronteiras territoriais bem definidas. como Período Medieval.
c) Com a diminuição de fatores que geravam o Com relação a esse período, considere as afirmativas a
aumento da mortalidade, como guerras, epidemias e seguir.
fome, ocorreu uma alta demográfica populacional.
d) A sociedade vivenciou um processo de I. Carlos Magno libertou o seu império do poderio
desmilitarização com a diminuição contínua da papal por intermédio de alianças militares realizadas
importância dos exércitos controlados pelos grandes com a nascente nobreza mercantil de Veneza.
proprietários de terras. II. Os camponeses possuíam o direito de deixar as
e) A produção econômica concentrava-se fortemente terras em que trabalhavam e migrar para os burgos
em atividades rurais desenvolvidas em grandes pelo acordo consuetudinário com os suseranos.
propriedades que visaram à autossuficiência. III. Os chefes guerreiros comandavam seus seguidores
no Comitatus por meio de juramentos de fidelidade. Os
H0127 - (Espm) No dia seguinte, os poucos francos que nobres também realizavam esse pacto entre si.
escaparam ao massacre manquejaram até o IV. O grande medo da população era ocasionado pelas
acampamento de Carlos Magno, muitos feridos, todos invasões de bárbaros, pelas epidemias e pela fome. A
sujos e cobertos de sangue, os olhos expressando, crença em milagres se propagava rapidamente entre a
eloquentes, o horror que haviam visto e suportado. população.
Muitos também se mostravam envergonhados porque
sobreviveram, enquanto seus companheiros jaziam Assinale a alternativa correta.
mortos. Mas, na realidade, não tinham motivo para a a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
vergonha, pois haviam lutado para sobreviver ao b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
combate, e não fugido. Quando Carlos Magno soube o c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
que sucedera a Rolando e seus pares, a resplandecente d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
nata da cavalaria franca, ele chorou. e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
(Allan Massie. Carlos Magno. A vida do imperador do Sacro
Império Romano.) H0129 - (Espm) Observe a imagem, leia o texto e
responda:
O texto trata da batalha de Roncesvales, episódio em
que Rolando, sobrinho de Carlos Magno, morreu
heroicamente. O episódio inspirou poemas intitulados
"Canções de Gesta"; especialmente a "Canção de
Rolando", poema que foi, para os homens da Idade
Média, o que a "Ilíada" tinha sido para os helenos.

A derrota dos francos, em Roncesvales, deve ser


relacionada:
a) com as campanhas militares empreendidas por
Carlos Magno contra os saxões;
b) com as campanhas militares contra os sarracenos na
Espanha;
c) com as campanhas militares promovidas por Carlos
Magno, no norte da Itália, contra os lombardos; Depois da queda do Império Romano do Ocidente (476)
d) com o conflito contra os bizantinos do Império Roma caiu num período de obscuridade enquanto
Romano do Oriente; Constantinopla permanecia o farol da civilização e da
e) com a campanha comandada por Carlos Magno cultura, sendo constantemente embelezada por
contra a heresia dos albigenses. monumentos magníficos. Um deles, Santa Sofia, obra-
prima da arquitetura, erguida no século VI e

Idade Media 96
considerada pelos historiadores de arte como a oitava d) da fusão das concepções cristãs com a cultura
maravilha do mundo. Em 1453 Constantinopla foi decorativa oriental.
submetida ao domínio de outro povo e o monumento e) do desenvolvimento comercial das cidades italianas.
passou por modificações exteriores e interiores.
H0131 - (Upe) Na Idade Média, Bizâncio era um
Assinale a alternativa que apresente, respectivamente, importante centro comercial e político. Merecem
os responsáveis pela construção e pelas posteriores destaques seus feitos culturais, mostrando senso
alterações em Santa Sofia: estético apurado e uso das riquezas existentes no
a) gregos – persas; Império. Na sua arquitetura, a igreja de Santa Sofia
b) gregos – turcos seljúcidas; destacou-se pela
c) bizantinos – árabes muçulmanos; a) sua afinação com o estilo gótico, com exploração dos
d) bizantinos – turcos otomanos; vitrais e o uso de metais na construção dos altares.
e) francos – hindus. b) simplicidade das suas linhas geométricas, negando a
grandiosidade como nas outras obras existentes em
H0130 - (Unesp) Observe a figura. Bizâncio.
c) grande riqueza da sua construção, com uso de
mosaicos coloridos e colunas de mármores suntuosas.
d) imitação que fazia dos templos gregos, com altares
dedicados aos mitos mais conhecidos, revelando
paganismo.
e) consagração dos valores católicos medievais, em
que a riqueza interior era importante em toda cultura
existente.

H0132 - (Unesp) O culto de imagens de pessoas divinas,


mártires e santos foi motivo de seguidas controvérsias
na história do cristianismo. Nos séculos VIII e IX, o
Império bizantino foi sacudido por violento movimento
de destruição de imagens, denominado "querela dos
iconoclastas". A questão iconoclasta
a) derivou da oposição do cristianismo primitivo ao
culto que as religiões pagãs greco-romanas devotavam
às representações plásticas de seus deuses.
b) foi pouco importante para a história do cristianismo
na Europa ocidental, considerando a crença dos fiéis
nos poderes das estátuas.
O ícone, pintura sobre madeira, foi uma das c) produziu um movimento de renovação do
manifestações características da Civilização Bizantina, cristianismo empreendido pelas ordens mendicantes
que abrangeu amplas regiões do continente europeu e dominicanas e franciscanas.
asiático. A arte bizantina resultou d) deixou as igrejas católicas renascentistas e barrocas
a) do fim da autocracia do Império Romano do Oriente. desprovidas de decoração e de ostentação de riquezas.
b) da interdição do culto de imagens pelo cristianismo e) inviabilizou a conversão para o cristianismo das
primitivo. multidões supersticiosas e incultas da Idade Média
c) do “Cisma do Oriente”, que rompeu com a unidade europeia.
do cristianismo.

Idade Media 97
H0133 - (Fgv)

Sobre a expansão e as rotas comerciais islâmicas, é correto afirmar:


a) Constituída a partir de antigos centros urbanos, como Cairo e Damasco, a expansão foi marcada pela centralização
do poder e pelo estabelecimento de um circuito mercantil articulado à Europa medieval.
b) Impulsionada simultaneamente com a difusão da religião muçulmana, a expansão foi sucedida pela fragmentação
política nos séculos subsequentes, a despeito do rico mercado que articulava o Oriente ao continente europeu.
c) Estabelecida devido à crise do mundo romano, a expansão permitiu aos árabes o restabelecimento de algumas
instituições políticas de Roma e o restabelecimento do Mediterrâneo como Mare Nostrum.
d) Tributária do desenvolvimento da economia europeia, a expansão islâmica manteve as características das
estruturas sociais e políticas do Norte da África e estimulou um processo inédito de urbanização na Mesopotâmia.
e) Vinculada à proliferação das práticas religiosas pagãs e animistas, reativas ao cristianismo, a expansão islâmica
esteve imbricada à religião que defendia as práticas mercantis e a ascensão social como sinal da bênção dos deuses.

H0134 - (Unesp) A migração de Maomé e seus H0135 - (Utfpr) Recitar o credo “Alá é nosso Deus e
seguidores, em 622, de Meca para Medina permitiu a Maomé, o seu Profeta”, orar cinco vezes ao dia, dar
consolidação da religião muçulmana que incluía, entre esmolas aos pobres, jejuar no mês do Ramadã e
outros princípios, peregrinar, pelo menos, uma vez na vida para a cidade
a) a recomendação de que os muçulmanos não sagrada de Meca, são preceitos revelados a Maomé
escravizassem ou atacassem outros muçulmanos, pois pelo anjo Gabriel, segundo o entendimento dos:
eles pertencem à mesma irmandade de fé. a) Hindus.
b) a proibição de que os muçulmanos exercessem b) Judeus.
atividades comerciais, pois o manejo cotidiano de c) Cristãos.
riquezas era considerado impuro. d) Muçulmanos.
c) a proibição de que os muçulmanos visitassem Meca, e) Budistas.
pois o solo puro e sagrado dessa cidade deveria
permanecer intocado. H0136 - (Fatec) No século VIII, tropas muçulmanas,
d) a recomendação de que os muçulmanos não lideradas pelo general Tarik, saíram do Norte da África,
limitassem seu culto a um só Deus, pois o criador atravessaram o mar Mediterrâneo pelo Estreito de
multiplica-se em diversas formas e faces. Gibraltar e conquistaram quase toda a península
e) a proibição de que os muçulmanos saíssem da Ibérica.
Península Arábica, pois eles sofriam perseguições em
outros territórios. Sobre o período de domínio muçulmano na península
Ibérica, é correto afirmar que
a) contribuiu para a consolidação do feudalismo,
isolando a Europa do restante do mundo, e
estimulando as pessoas a abandonarem as cidades.

Idade Media 98
b) o desenvolvimento mercantil provocou o d) durou aproximadamente meio século, e foi marcado
crescimento de cidades como Córdoba e Toledo, pela perseguição aos cristãos, pela obstrução das rotas
atraindo poetas, letrados e músicos, estimulando o mercantis e pela Peste Negra, que dizimou parte da
ambiente intelectual. população europeia.
c) sua duração foi maior em Portugal do que na e) consolidou o sistema escravocrata medieval, fechou
Espanha, reino do qual os muçulmanos foram expulsos universidades, desestimulou o desenvolvimento
pelos cruzados, cerca de trinta anos após a ocupação científico e proibiu manifestações literárias e musicais
da península Ibérica. pagãs.

H0137 - (Cps) Restritos à Península Arábica até a primeira metade do século VII, os árabes chegaram a diferentes
regiões até o ano de 750 d.C., entrando em contato com outros povos.

Observe o mapa que apresenta o alcance desse movimento no período citado.

Sobre esse período e com o auxílio das informações do mapa, é correto afirmar que
a) durante o domínio do Império Romano do Ocidente, a expansão árabe facilitou a difusão da língua latina na região
norte da África.
b) os povos árabes conseguiram alcançar regiões além do oceano Atlântico fazendo uso dos seus conhecimentos
cartográficos.
c) durante a Antiguidade, bizantinos, francos e indianos permitiram o avanço dos povos árabes, tanto no continente
europeu, quanto no asiático.
d) o domínio árabe alcançou cidades como Bizâncio, Poitiers e Roma, sobre as quais exerce influência cultural, política
e econômica até o presente.
e) a expansão árabe levou para a Europa, sobretudo a partir da Península Ibérica, transformações culturais e inovações
na Álgebra, na Astronomia, na Medicina entre outras áreas.

H0138 - (Mackenzie) Leia os textos a seguir: possui em seu palácio um bloco de ouro pesando 30
arratéis (cerca de 14 kg). Esse bloco de ouro foi criado
“De Tarkala à cidade de Gana, gastam-se três meses de por Deus, sem ter sido fundido ao fogo ou trabalhado
marcha um deserto árido. No país de Gana, o ouro por instrumento. Foi, porém, furado de um lado ao
nasce como plantas na areia, do mesmo modo que as outro, a fim de que nele pudesse ser amarrado o cavalo
cenouras. É colhido ao nascer do sol”. do rei. É algo curioso que não se encontra em nenhum
Ibn al-Fakih. Citado em: Alberto da Costa e Silva. Imagens da outro lugar do mundo e que ninguém possui a não ser
África: da Antiguidade ao século XIX. São Paulo: Companhia das o rei, que disso se vangloria diante de todos os
Letras, 2012, p. 32.
soberanos do Sudão”.
Al-Idrisi. Citado em: Alberto da Costa e Silva. Imagens da África: da
“[Gana] é a terra do ouro. (...) Toda a gente do Magreb Antiguidade ao século XIX. São Paulo: Companhia das Letras,
sabe, e ninguém disto discrepa, que o rei de Gana 2012, p. 37.
10

Idade Media 99
Os textos foram escritos por viajantes árabes ao posteriormente, com o abandono das religiões
observarem aspectos sobre o Reino de Gana, na África, primitivas da África e com a hegemonia do islamismo.
durante a Idade Média europeia. Pela análise dos d) o comércio transaariano foi uma das portas de
excertos, é correto afirmar que tal Reino entrada do islamismo na África, e essa religião, em
a) causava espanto e admiração, tanto pelo algumas regiões do continente, ou incorporou-se às
desenvolvimento econômico como pelo poder religiões tradicionais ou facilitou uma convivência
teocrático politeísta de governante. relativamente harmônica.
b) causava estranhamento em seus visitantes, tanto e) as correntes islâmicas mais moderadas, caso dos
pela quantidade exagerada de metais preciosos sunitas, influenciaram as principais lideranças da África
disponíveis como pelo poder autoritário do ocidental, possibilitando a formação de novas
governante. denominações religiosas, não islâmicas, desligadas das
c) provocava perplexidade nos viajantes, pois não tradições tribais locais.
compreendiam seu desenvolvimento em meio a um
continente marcado pela inexistência de civilizações. H0140 - (Ifsp) Segundo o historiador Demant, “em
d) desenvolveu-se sustentado pela riqueza do ouro e princípio, Maomé conseguiu converter à nova fé a
pela crença monoteísta, fator que o desqualificava esposa e alguns amigos. Seu primeiro núcleo de
perante os viajantes que ali passavam. ouvintes foi mínimo, mas suficiente para irritar a elite
e) impressionava seus visitantes, tanto pela opulência comercial de Meca, cuja renda do turismo religioso foi
trazida pelo ouro como pela sua complexa organização ameaçada pela insistência de Maomé em destruir as
política e social. imagens dos deuses politeístas. A repressão contra
essa pequena e primeira comunidade muçulmana o
H0139 - (Fgv) “Em muitos reinos sudaneses, sobretudo levou a fugir com seus seguidores, no ano de 622 d.C,
entre os reis e as elites, o islamismo foi bem recebido para outra cidade, mais aberta às suas demandas:
e conseguiu vários adeptos, tendo chegado à região da Iatreb, desde então nomeada de Al-Medina (a Cidade),
savana africana, provavelmente, antes do século XI, situada a 300 quilômetros ao norte de Meca.
trazido pela família árabe-berbere dos Kunta. (DEMANT, Peter. O Mundo Muçulmano. São Paulo: Contexto,
2011, p. 26).
(...) O islamismo possuía alguns preceitos atraentes e
aceitáveis pelas concepções religiosas africanas, (...)
associava as histórias sagradas às genealogias, Com base na situação descrita sobre a fuga do
acreditava na revelação divina, na existência de um fundador do islã, o Profeta Maomé, é correto o que se
criador e no destino. (...) O escritor árabe Ibn Batuta afirma em:
relatou, no século XIV, que o rei do Mali, numa manhã, a) Sua fuga é conhecida como a jihad (luta em favor de
comemorou a data islâmica do fim do Ramadã e, à Deus) e marca o início do calendário muçulmano.
tarde, presenciou um ritual da religião tradicional b) Sua fuga é conhecida como a salat (reza que se faz
realizado por trovadores com máscaras de aves.” cinco vezes ao dia) e marca o início do calendário
(Regiane Augusto de Mattos, História e cultura afro-brasileira. muçulmano.
2011) c) Sua fuga é conhecida como a hijra (hégira ou
migração) e marca o início do calendário muçulmano.
Considerando o trecho e os conhecimentos sobre a d) Sua fuga é conhecida como o ramadan (ramadã -
história da África, é correto afirmar que mês de jejum, entendido como purificação e ascese
a) a penetração do islamismo nas regiões subsaarianas para Deus) e marca o início do calendário muçulmano.
mostrou-se superficial porque atingiu poucos setores e) Sua fuga é conhecida como a shahada (testemunho
sociais, especialmente aqueles voltados aos negócios – é a confissão que efetua a conversão) e marca o início
comerciais, além de sofrer forte concorrência do do calendário muçulmano.
cristianismo.
b) a presença do islamismo no continente africano
derivou da impossibilidade dos árabes em ocupar
regiões na Península Ibérica, o que os levou à invasão
de territórios subsaarianos, onde ocorreu violenta
imposição religiosa.
c) o desprezo das sociedades africanas pela tradição
árabe gerou transações comerciais marcadas pela
desconfiança recíproca, desprezo mudado,

11

Idade Media 100


H0141 - (Uemg)

Durante a Idade Média, no ano de 570, nascia Maomé, conhecido por ser o profeta de Alá. Desde a sua morte até o
século XXI a crença em Alá tem sido difundida pela fé Islâmica que é, até hoje, predominante no norte da África e na
Península Arábica. Em 711, a expansão islâmica conquistara espaço na Europa Ocidental. Quase toda a Península
Ibérica fica sob o poder do Califado.

O que detém o avanço Islâmico é


a) a resistência do império Franco e o processo de reconquista ligado às monarquias locais fortemente influenciadas
pelo cristianismo.
b) a proposta, dos grupos dirigentes das Monarquias Ibéricas, de associar os preceitos islâmicos aos valores cristãos,
enfraquecendo assim as frentes de batalha.
c) a ação da Rússia em repressão aos islâmicos, formando uma frente combativa para manter as antigas monarquias
ibéricas.
d) a formação de um Reino Cristão que unia todas as monarquias europeias para combater os invasores.

H0142 - (Upe) Por dupla graça de Maomé e Carlos c) compõe as duas vertentes civilizacionais, o
Magno, pela criação efêmera, mas plena de significado Cristianismo e o Islam, e o findado Império Romano,
histórico e humano, de um império cristão no interior destruído pelos bárbaros, como gênese da Europa.
das terras entre o Loire e o Reno, ao mesmo tempo d) impõe como limites intransponíveis a fronteira entre
romano e cristão. os rios Loire e Reno, mantendo, assim, o espaço que
PIRENNE, Henri. Maomé e Carlos Magno. Lisboa: Asa, 1992, p. Roma havia ocupado e, portanto, salientando a
123. (Adaptado) importância da Antiguidade para a gênese da Europa.
Esse trecho é um resumo da tese clássica do historiador e) expõe dois projetos conflitantes de imperialismo, o
Henri Pirenne sobre a formação da Europa. Após sua Carolíngio e o Islamita, e afirma que, no calor dessa
leitura, infere-se que o autor disputa, se deu a gênese da Europa.
a) opõe duas figuras históricas, Maomé e Carlos
Magno, identificando duas civilizações opostas em H0143 - (Fgv) (...) quais mecanismos levaram à
seus valores e suas crenças, e, nessa oposição, estaria escravidão nas sociedades africanas do século VII ao
a gênese da Europa. século XV?
b) propõe uma civilização europeia, fundada nos (...)
princípios de unidade entre as duas mais importantes Genericamente, a escravidão esteve presente na África
religiões monoteístas que se fundiram na gênese da como um todo, fazendo-se necessário observar as
Europa. especificidades históricas próprias de complexos
sociais e políticos e das formas de poder das diversas
sociedades africanas. Mas é fundamental acrescentar
12

Idade Media 101


que a dinâmica e a intensidade da escravidão no cristãos e judeus, que viviam em Portugal e na
continente africano tem a ver com a maior ou menor Espanha, mantivessem suas crenças e cultos, embora
demanda do tráfico atlântico gerada pelo oferecessem vantagens àqueles que se convertessem
expansionismo europeu na América. Isso acarreta ao Islã.
mudanças sociais na África, como a expansão e a III. A Revolução Islâmica no Irã, em 1979, instituiu um
subsequente transformação da poligenia, o estado fundamentalista xiita, no qual as leis do país
desenvolvimento de diferentes tipos de escravidão no passaram a ser inspiradas em preceitos religiosos. Com
continente, além do empobrecimento de uma classe isso, aqueles que praticavam o ateísmo, as religiões
de mercadores africanos. politeístas, bem como a prostituição, o adultério
(Leila Leite Hernandez, A África na sala de aula: visita à história feminino e o homossexualismo podiam ser punidos
contemporânea, 2008, p. 37-8) com a pena de morte.

A partir do fragmento, é correto afirmar que Assinale a alternativa correta.


a) a maior mudança ocorrida na África, após a a) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
imposição do colonialismo ibérico, esteve relacionada b) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.
com a passagem da mercantilização do trabalho c) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.
compulsório para formas mais brandas de exploração d) Somente a afirmativa I é verdadeira.
da escravidão, com o avanço de direitos para os e) Todas as afirmativas são verdadeiras.
africanos convertidos ao cristianismo.
b) a chegada do colonialismo europeu na África
subsaariana foi fundamental para o desenvolvimento H0145 - (Upe) Maomé pertenceu a um ramo menor do
do continente, em razão da organização do tráfico clã dos Quraysh (coraixitas), um dos mais poderosos de
intercontinental de escravos, permitindo que a maior Meca. Foi criado como mercador e casou-se aos 25
parte das rendas advindas dessa atividade ficasse no anos com uma rica viúva bem mais velha que ele,
próprio continente. chamada Khadija. Supõe-se que, nas suas viagens de
c) a existência da escravidão na África negra era negócios, Maomé teria entrado em contato com
desconhecida até a chegada dos primeiros árabes judaicos e cristãos e sido influenciado por eles.
(DEMANT, Peter. O mundo muçulmano. 3. ed. São Paulo:
exploradores coloniais, caso dos portugueses, que Contexto, 2011. p. 25. Adaptado.)
impuseram essa forma de organização do trabalho,
condição necessária para a posterior acumulação de Sobre a realidade apresentada no texto, assinale a
capitais entre as elites regionais africanas. alternativa CORRETA.
d) as práticas de utilização do trabalho compulsório em a) A principal influência que Maomé sofreu do
todo o território africano, até a chegada dos judaísmo e do cristianismo foi a crença no
exploradores europeus, estavam articuladas com a monoteísmo.
essência da religiosidade do continente, caracterizada b) Maomé não obteve sucesso na tentativa de unificar
pela concepção de que os sacrifícios materiais levavam a península arábica em nome do Islã.
os homens à graça divina. c) O profeta Maomé não obteve resistência para
e) a escravidão existente no continente africano, antes empreender a conquista de Meca.
da expansão marítima, tinha uma multiplicidade de d) O comércio, atividade desenvolvida por Maomé, não
características, sendo inclusive doméstica, e o tráfico era comum entre os povos árabes do século VII.
de escravos, para atender aos interesses mercantilistas e) Os árabes, no século VII, não tinham contato com
europeus, trouxe decisivas transformações para as cristãos, só com judeus.
inúmeras regiões da África.
H0146 - (Ucs) Atualmente, o islamismo é a religião com
H0144 - (Udesc) Analise as proposições sobre o
maior número de seguidores no mundo. Seus preceitos
Islamismo e a cultura ocidental.
pregam a paz, a justiça e a generosidade entre as
pessoas. No entanto, os jornais veiculam com
I. O Islamismo é uma religião que se propagou no
frequência notícias sobre muçulmanos, como também
Oriente Próximo e Norte da África logo após a morte
são chamados os adeptos do islamismo, envolvidos em
de Maomé, sobretudo entre os povos que viviam como
conflitos e situações relacionadas à violência e à
pastores nômades e comerciantes das regiões
intolerância religiosa.
desérticas. (PELLEGRINI, Marco Cesar (Org.). Novo olhar história. São Paulo:
II. Os mouros islamizados do Norte da África ocuparam FTD, 2010. p. 169.)
diversos territórios da Península Ibérica, do início do
século VIII ao final do século XV, permitindo que Sobre o islamismo, é correto afirmar que
13

Idade Media 102


a) surgiu na Arábia e, hoje, é possível afirmar que todos Ordem de Cister, onde eram utilizados os métodos
os árabes são muçulmanos, seguindo os valores e os mais racionais de criação de gado, desempenharam
ideais pregados por Maomé. certamente um papel determinante nesse
b) muitas pessoas, com a expansão islâmica, foram aperfeiçoamento.
convertidas ao islamismo; desse modo, nem todos os DUBY. G. Economia rural e vida no campo no Ocidente medieval.
Lisboa: Estampa, 1987 (adaptado).
árabes são muçulmanos e nem todos os muçulmanos
são árabes. O texto aponta para a relação entre aperfeiçoamento
c) a conversão ao islamismo foi um fenômeno ligado à da atividade pastoril e avanço técnico na Europa
expansão muçulmana nos séculos VII e VIII, pois os ocidental feudal, que resultou do(a)
árabes impunham sua religião aos povos dominados, a) crescimento do trabalho escravo.
inclusive de forma violenta. b) desenvolvimento da vida urbana.
d) o movimento islâmico não teve como se expandir c) padronização dos impostos locais.
para a África subsaariana, uma vez que sua doutrina d) uniformização do processo produtivo.
prega a superioridade racial árabe sobre as demais. e) desconcentração da estrutura fundiária.
e) a tomada de lugares santos do islamismo,
localizados na Palestina, deu aos califas motivos H0370 - (Fac. Albert Einstein) Durante muito tempo, os
suficientes para a pregação da guerra santa, a hégira. doentes eram tratados, principalmente, com remédios
populares. Nas terras não cristãs, os homens e as
H0147 - (Uftm) Observe a fotografia de 31 de outubro mulheres que aplicavam esses tratamentos eram
de 2010 que registrou peregrinos no círculo da Caaba considerados feiticeiros e feiticeiras. Nas terras cristãs,
na Grande Mesquita, em Meca, Arábia Saudita. a feitiçaria era proibida, mas havia “curandeiros”
cristãos a quem Deus havia dado um saber. As pessoas
mais ricas (senhores e burgueses) eram quase sempre
tratadas por médicos judeus, pois os judeus possuíam
conhecimentos de medicina vindos da Antiguidade.
(Jacques Le Goff. A Idade Média explicada aos meus filhos, 2007.
Adaptado.)
Ao tratar das doenças e dos tratamentos médicos na
Idade Média, o texto
a) reconhece a diversidade dos cuidados médicos em
um universo sociorreligioso uniforme.
b) caracteriza o avanço das ciências médicas na Europa,
em comparação com outras partes do mundo.
c) destaca o caráter democrático da medicina popular,
em comparação com tratamentos mais caros.
d) associa o declínio dos tratamentos médicos à
No islamismo, que conta com milhões de adeptos no perseguição desencadeada pela Inquisição.
mundo contemporâneo, a peregrinação e) relaciona o acesso a tratamentos médicos às
a) é sinônimo de guerra santa e deve ser realizada por diferentes condições sociais e religiosas.
convocação de um aiatolá.
b) foi instituída depois da morte de Maomé, para H0371 - (Ifsul) O período histórico entre os séculos V e
homenagear o fundador do Islã. XV, que abrange as terras do entorno do mar
c) deve ser realizada pelo menos uma vez na vida, pelos Mediterrâneo, é denominado como Idade Média.
fiéis com condições físicas e financeiras. Foram homens do século XVI que deram esse nome.
d) exige grande sacrifício, pois o fiel deve conservar-se Para eles, a Idade Média foi um período menos
em jejum durante todo o período. importante, de menor desenvolvimento científico e
e) dificultou a expansão do Islã para além do Oriente tecnológico. Alguns historiadores chegaram mesmo a
Médio, pelas obrigações que impunha. chamá-la de Idade das Trevas.

H0369 - (Enem) Mas era sobretudo a lã que os A Idade Média corresponde a um período histórico
compradores, vindos da Flandres ou da Itália, a) em que ocorreu o domínio do sistema feudal em
procuravam por toda a parte. Para satisfazê-los, as todas terras da Europa.
raças foram melhoradas através do aumento b) de retrocesso tecnológico, já que os avanços
progressivo das suas dimensões. Esse crescimento científicos dos gregos antigos foram desconsiderados
prosseguiu durante todo o século XIII, as abadias da pelos povos do entorno do Mediterrâneo, naquele
período.
14

Idade Media 103


c) de domínio espiritual da Igreja Católica de Roma nas
terras do entorno Mediterrâneo.
d) onde diferentes civilizações produziram avanços
científicos e tecnológicos na região abrangida,
contrariando a tese defendida no século XVI.

H0372 - (Unicamp) O surgimento das primeiras


universidades, nos séculos XII e XIII, marca um
momento capital da história do Ocidente medieval. Em
relação à época anterior, esse momento comportou
elementos de continuidade e de ruptura. Os primeiros
devem ser buscados na localização urbana das
A leitura do gráfico permite concluir, corretamente,
universidades, no conteúdo dos ensinamentos, no
que o período de queda demográfica mais acentuada
papel social dos homens de saber. Já os elementos de
na Europa ocorreu
ruptura foram inicialmente de ordem institucional. No
a) na primeira metade do século XI, devido ao período
âmbito das instituições educativas, este sistema era
de secas que comprometeu as colheitas e provocou
novo e original. As comunidades autônomas dos
fome generalizada em toda a porção ocidental do
mestres e dos estudantes eram protegidas pelas mais
Continente.
altas autoridades leigas e religiosas daquele tempo,
b) na primeira metade do século XII, quando a
permitindo tanto progressos no domínio dos métodos
introdução de técnicas agrícolas não-sustentáveis
intelectuais e em sua difusão como uma inserção mais
provocou o esgotamento dos pastos e a diminuição
eficiente das pessoas de saber na sociedade da época.
(Adaptado de J. Verger, Cultura, ensino e sociedade no ocidente pronunciada dos rebanhos bovinos.
nos séculos XII e XIII. Bauru: EDUSC, 2001, p.189-190.) c) na segunda metade do século XIII, devido à
perseguição promovida pela Igreja Católica contra
Considerando o texto e seus conhecimentos sobre o judeus, muçulmanos e praticantes de religiões pagãs,
período medieval, assinale a alternativa correta. acusados de bruxaria.
a) A Igreja Católica apoiava a estruturação das d) na primeira metade do século XIV, quando o número
universidades medievais, que representavam o avanço de infectados pela peste negra atingiu seu ápice,
das ciências e a superação de dogmas e das teorias provocando a morte de pouco menos de um terço da
teocêntricas. população europeia.
b) A organização institucional diferencia as e) na segunda metade do século XV, devido à migração
universidades medievais das corporações de ofícios, de milhões de europeus em direção aos continentes
visto que seu método de estudo estava calcado na recém-descobertos no processo das Grandes
escolástica, caracterizando o atraso do mundo Navegações.
medieval.
c) Uma ruptura trazida pelas universidades medievais H0374 - (Fgv) Por volta do final do século XVI, teve
foi o início da atuação dos copistas nas bibliotecas, que início uma transformação profunda no gênero de vida
copiavam sistematicamente a produção de autores das classes privilegiadas. Os castelos deixaram de ser
latinos críticos aos dogmas religiosos. fortalezas e se tornaram residências de lazer no campo.
d) A institucionalização das universidades medievais Seus fossos foram cobertos e suas torres
era um dado novo no período; essas instituições se transformaram-se em ornamentos. As famílias ricas
caracterizavam pelo apoio das autoridades de dentro e tinham, além disso, solares na cidade, onde passavam
de fora da Igreja, e pela maior autonomia e inserção uma parte do ano. Os divertimentos tornaram-se
social de seus membros. menos guerreiros, o torneio foi substituído pelo
carrossel, exercício de habilidades a cavalo, vindo da
H0373 - (Fatec) Observe o gráfico. Itália. O jogo de combate transformou-se na esgrima
com espada, de origem italiana, modificada na França.
(Charles Seignobos. Histoire sincère de la nation française, 1982.
Adaptado.)

As transformações assinaladas pelo texto sugerem


a) a extinção das famílias nobres medievais com a
ascensão social da burguesia de comerciantes e
industriais.

15

Idade Media 104


b) a pacificação das disputas entre Estados como refinamento do mundo ocidental, graças à influência
resultado da evolução cultural da sociedade europeia. dos bizantinos. O uso do garfo, os aparelhos de jantar,
c) a passagem do poder político descentralizado para a as peças finas e bem-acabadas em metais preciosos, as
centralização política do absolutismo monárquico. toalhas ricamente bordadas em linho, porcelanas e as
d) a dissolução da hierarquização social com base no faianças italianas sofisticaram o comportamento à
nascimento face ao advento da sociedade de classes. mesa.”
e) a democratização do uso das terras produtivas com (Fonte: FREIXA, Dolores. Gastronomia no Brasil e no Mundo. São
Paulo: Editora SENAC São Paulo, 2017. p. 78).
a abolição da exploração da mão de obra servil.

H0375 - (Fuvest) Afirmo, portanto, que tínhamos O exemplo da transformação proposta por meio do
atingido já o ano bem farto da Encarnação do Filho de modo de se portar à mesa acabou por influenciar todo
Deus, de 1348, quando, na mui excelsa cidade de o período conhecido como Renascimento. A mudança
Florença, (...) sobreveio a mortífera pestilência. (...) de hábitos, por sua vez, acabou impondo uma
apareciam no começo, tanto em homens como nas característica extremamente importante para a
mulheres, ou na virilha ou na axila, algumas inchações sequência dos acontecimentos históricos. Assinale a
(...) chamava-as o populacho de bubões (...). alternativa correta que esteja associada ao
Giovanni Boccaccio, Decamerão. desenvolvimento do processo descrito no texto.
a) O intercâmbio cultural proposto pelo Renascimento
A respeito da Peste Negra do século XIV, é correto coloca a Europa como receptora de hábitos e de
afirmar: sistemas orientais (econômicos e políticos), sendo
a) Provocou gravíssima queda demográfica, que afetou perceptível pela difusão de valores como a religião e a
grande parte da produção econômica europeia. administração pública típicas do Oriente.
b) Originou-se no Oriente, penetrou no continente b) Entendido como resultado direto das Cruzadas, o
europeu pelos portos e manteve-se restrita à Península Renascimento e o contato com o Oriente promovem
Itálica. uma difusão do ideal cristão pelo mundo, que será
c) Foi provocada pela fome e pela desnutrição dos concluída com a mudança cultural imposta pelos
camponeses e favoreceu o processo de centralização europeus aos povos do Oriente.
política. c) O contato com o Oriente promoveu para as cidades
d) Foi contida pelo caráter de subsistência da economia italianas localizadas à beira do mar Mediterrâneo a
europeia, que dificultava o contato humano e, assim, o possibilidade de reativação do comércio, ampliando
contágio. cada vez mais suas áreas de atuação nos campos
e) Estimulou as investidas contra os territórios econômicos e culturais e distanciando-as cada vez mais
muçulmanos no movimento conhecido como Segunda do passado medieval.
Cruzada. d) Após estabelecer vínculos comerciais com os
mercados do Oriente, as cidades italianas que estavam
mais próximas do mar Mediterrâneo passaram a se
H0376 - (Ufms) Alguns períodos da história são isolar do contexto europeu, fato que impulsionou seu
marcados por transformações que ilustram as desenvolvimento científico e cultural e deu origem ao
mudanças na sociedade e que acabam por transportar Império de Roma.
essas situações para contextos mais amplos como a e) O Renascimento foi um modelo intelectual e cultural
economia e a política. Leia atentamente o trecho a de valorização da cultura clássica grega e que,
seguir. consequentemente, impulsionou as cidades italianas
para o desenvolvimento político aos moldes das
“Renascença ou Renascimento são termos aplicados ao antigas cidades-estado da Grécia antiga, fato que
movimento de renovação cultural que teve início no impulsionou o desenvolvimento econômico e
século XIV, na Itália, e atingiu seu apogeu no século XVI, tecnológico do período.
influenciando várias regiões da Europa. Os
renascentistas defendiam a restauração dos valores do H0377 - (Ueg) Leia o texto a seguir.
mundo clássico e acreditavam na capacidade ilimitada
da criação humana. Esses ideais transformaram as Tomai o caminho do Santo Sepulcro; arrebatai aquela
artes, a literatura, a ciência, a filosofia e a gastronomia. terra à raça perversa e submetei-a a vós mesmos. Essa
O período é rico em exemplos de pesquisadores e terra em que, como diz a Escritura: “jorra leite e mel”
inventores que prepararam o caminho para o foi dada por Deus aos filhos de Israel. Jerusalém é o
progresso científico e técnico da Idade Moderna. No umbigo do mundo, a terra mais que todas frutífera,
Renascimento, a Itália tornou-se símbolo de como um novo paraíso dos deleites.

16

Idade Media 105


Papa Urbano II. In: HUBERMAN, Leo. História da Riqueza do onde se penetra por portas e se caminha por ruas e
Homem. São Paulo: Zahar, 1979. p. 28. praças e que é guarnecido por torres.
LE GOFF, J.; SCHMITT, J.-C. Dicionário temático do Ocidente
O texto citado é um trecho do discurso do papa Urbano Medieval. Bauru: Edusc, 2006.
II no Concílio de Clemont, em 1095, no qual o pontífice
defende a necessidade de os europeus partirem em No texto, o espaço descrito se caracteriza pela
uma Cruzada rumo ao oriente. associação entre a ampliação das atividades urbanas e
a
Essa expedição militar ficou conhecida como a) emancipação do poder hegemônico da realeza.
a) Cruzada dos Reis, fracassada militarmente, mas que b) aceitação das práticas usurárias dos religiosos.
estabeleceu acordos diplomáticos que possibilitaram c) independência da produção alimentar dos campos.
peregrinações a Jerusalém. d) superação do ordenamento corporativo dos ofícios.
b) Cruzada das Crianças, baseada na crença de que e) permanência dos elementos arquitetônicos de
apenas os puros e inocentes, os “filhos de Israel”, proteção.
poderiam libertar Jerusalém.
c) Cruzada Comercial, liderada por comerciantes de H0379 - (Ufu) A partir do século XI, observa-se em
Veneza, que se desviaram de Jerusalém e saquearam a várias localidades da Europa Ocidental uma
cidade de Constantinopla. intensificação das atividades comerciais. Dentre os
d) Cruzada dos Pobres, liderada por líderes messiânicos fatores que explicariam esse “renascimento
que pretendiam enriquecer conquistando os tesouros comercial”, analise as informações abaixo.
de Jerusalém.
e) Cruzada dos Nobres, uma campanha bem-sucedida I. Uma forte diminuição demográfica, causada pela
que chegou a fundar em moldes feudais o Reino Latino chamada peste negra e pelas chamadas invasões
de Jerusalém. bárbaras.
II. O aumento do número de cidades e da intensificação
H0378 - (Enem) A cidade medieval é, antes de mais da divisão social do trabalho que ajudou no
nada, uma sociedade da abundância, concentrada num desenvolvimento do artesanato.
pequeno espaço em meio a vastas regiões pouco III. O aumento da atividade bancária como atividade
povoadas. Em seguida, é um lugar de produção e de cada vez mais significativa para expansão do comércio.
trocas, onde se articulam o artesanato e o comércio,
sustentados por uma economia monetária. É também Em relação a essas informações, assinale a alternativa
centro de um sistema de valores particular, do qual que apresenta as afirmativas corretas.
emerge a prática laboriosa e criativa do trabalho, o a) II e III.
gosto pelo negócio e pelo dinheiro, a inclinação para o b) I e II.
luxo, o senso da beleza. E ainda um sistema de c) I e III.
organização de um espaço fechado com muralhas, d) I, II e III.

H0380 - (Ufjf) O mapa abaixo informa sobre rotas mercantis que conectavam Europa medieval, Ásia e África, entre os
séculos XI e XII:

17

Idade Media 106


Considerando-se a natureza e a incidência das rotas indicadas no mapa, é possível concluir que:
a) A Idade Média foi um período marcado por uma economia rural, fechada e pautada pela ausência de trocas
comerciais.
b) A possibilidade de oferta de produtos de luxo oriundos do norte da África e Ásia nas principais cortes europeias é
posterior à expansão marítima do século XV.
c) Cidades como Roma, Paris e Londres são construções modernas e representativas do estilo de vida contemporâneo,
portanto, sem elos com o mundo pré-capitalista.
d) Durante a Idade Média existia uma circulação de produtos e pessoas, o que favoreceu a formação de redes
mercantis que conectavam diversas cidades.
e) O Mar Mediterrâneo serviu, durante a Idade Média, como barreira geográfica natural, o que favoreceu o isolamento
das diferentes regiões europeias.

H0381 - (Ufrgs) Assinale a alternativa correta sobre a reis. Bastante enriquecida, uma parte da burguesia
chamada Guerra dos Cem Anos (1337-1453), entre começou a comprar terras, conquistar títulos de
Inglaterra e França. nobreza e, inclusive, a assumir cargos nos governos.
a) O conflito marcou a gradual transformação dos MIGLIOLI, Jorge. Dominação burguesa nas sociedades modernas.
exércitos feudais em forças militares profissionalizadas Fonte:
https://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/
e iniciou o lento processo de decadência da aristocracia artigo205Artigo1.pdf / Adaptado.
feudal nos respectivos países.
b) A guerra foi vencida pela Inglaterra e teve como Para conquistar o domínio sobre os demais membros
consequência a eclosão de rebeliões na França que da sociedade, o grupo descrito no texto se utiliza de
culminaram com a deposição da dinastia dos Valois do diversos instrumentos, tendo-se como principal
trono francês. a) a divisão de riquezas.
c) O confronto consolidou a transformação da b) a utilização dos militares.
Inglaterra na principal potência econômica do período c) a abertura do mercado nacional.
moderno, por meio do processo de pacificação interna d) o controle dos meios de produção.
que se seguiu à guerra. e) o fechamento do comércio ao mercado externo.
d) A consequência da guerra para os dois países foi a
consolidação de estruturas sociais feudais, tornadas H0384 - (Uel) Leia o texto a seguir.
mais fortes com o enfraquecimento das monarquias
centrais. UEL é a melhor estadual do Sul do Brasil.
e) A origem do conflito foi a invasão da Inglaterra pela
França e a subsequente instalação de uma dinastia pró- A Universidade Estadual de Londrina é a primeira
França no trono inglês, derrubada ao longo da guerra. Instituição Estadual de Ensino Superior do Sul do Brasil
no QS University Rankings: Latin America 2016, e que
H0382 - (Cftrj) No século XIV, a Europa Ocidental destacou as 300 melhores universidades na região da
passou por diversas crises que levaram à América Latina. A UEL conquistou ainda três pontos no
transformação do Antigo Sistema Feudal. Dentre os cômputo geral, aparecendo na 84ª colocação, 19ª do
eventos que marcaram essas crises, podemos destacar: Brasil, 2ª do Paraná e 5ª do Sul do país.
a) As Cruzadas e o Renascimento Comercial (Adaptado de: <http://www.bonde.com.br/educacao/ensino/uel-
b) Cisma da Igreja e as Invasões Vikings e Mouras e-a-melhorestadual-do-sul-do-brasil-confira-ranking-das-
c) As Grandes Navegações e Perseguições aos judeus universidades-410937.html>. Acesso em: 11 jul. 2017.)
d) A Guerra dos Cem Anos e a Peste Negra
A UEL foi criada em 1970 e atualmente conta com mais
H0383 - (Upe) Na Europa ocidental, a burguesia surge de 12500 alunos na graduação em seus 54 cursos. Na
entre os séculos X e XI, sob a forma mercantil, isto é, pós-graduação, tem mais de 5000 alunos em 177
composta por comerciantes, cambistas e cursos de especialização e 67 cursos de mestrado e
emprestadores de dinheiro, sendo aumentada logo em doutorado.
seguida com a participação dos artesãos urbanos.
Durante muito tempo, o poder político esteve nas Com base no contexto histórico, no que diz respeito à
mãos da nobreza, dos grandes senhores de terras, o importância das universidades, da ciência e da
que não impediu o crescimento e enriquecimento da tecnologia para a criação de elevadas escalas de
burguesia. Com a formação das monarquias desenvolvimento das sociedades em seus múltiplos
absolutistas, unificando territórios, mercados, leis, aspectos, assinale a alternativa correta.
moedas e tributos, o poder político se concentrou nos
18

Idade Media 107


a) As universidades na Europa Ocidental do século XII c) ampliação da escolaridade realizada pelas
conquistaram o direito de autonomia perante os corporações de ofício.
poderes eclesiásticos, comunais e monárquicos para o d) evolução da ciência que era provocada pelos
livre exercício de suas funções de pesquisa e formação intelectuais bizantinos.
profissional. e) publicização das escrituras, que era promovida pelos
b) Os chamados Tigres Asiáticos. Hong Kong, Taiwan, sábios religiosos.
Coreia do Sul e Cingapura tiveram um excepcional
crescimento econômico e científico na década de 1970 H0386 – (Ufu) Observe a imagem.
devido ao elevado investimento privado na educação.
c) O período Macartista nos EUA propiciou ao campo
da ciência e tecnologia uma liberdade plena para as
atividades dos educadores e cientistas
independentemente de suas ideologias.
d) A ideologia da globalização neoliberal, por valorizar
os empreendimentos privados, dispensa a realização
de pesquisas com fomento público no Brasil, sobretudo
por ser o agronegócio a vocação natural do país.
e) Os fundamentos da ciência econômica do inglês
David Ricardo foram importados pelo Cardeal
Richelieu, que os aplicou na França, levando-a à
bancarrota, o que propiciou o Terror.
Essa pintura retrata um dos fatores que contribuíram
H0385 - (Enem) TEXTO I para a derrocada do sistema feudal na Europa
É da maior utilidade saber falar de modo a persuadir e Medieval.
conter o arrebatamento dos espíritos desviados pela
doçura da sua eloquência. Foi com este fim que me Sobre o contexto abordado, é correto afirmar que a
apliquei a formar uma biblioteca. Desde há muito rápida disseminação da peste negra decorreu em
tempo em Roma, em toda a Itália, na Germânia e na grande parte em função
Bélgica, gastei muito dinheiro para pagar a copistas e a) da circulação de mercadorias na Europa totalmente
livros, ajudado em cada província pela boa vontade e urbanizada.
solicitude dos meus amigos. b) do reforço do sistema servil, que debilitou ainda
GEBERTO DE AURILLAC. Lettres. Século X. Apud PEDRERO- mais os camponeses.
SÁNCHEZ, M. G. História da Idade Média: texto e testemunhas.
São Paulo: Unesp, 2000.
c) da crença na ira divina, que dificultava a cura pela
medicina.
TEXTO II d) do baixo nível nutricional e das precárias condições
Eu não sou doutor nem sequer sei do que trata esse sanitárias dos indivíduos.
livro; mas, como a gente tem que se acomodar às
exigências da boa sociedade de Córdova, preciso ter H0387- (Uel) A Peste Negra, ou Morte Negra, era assim
uma biblioteca. Nas minhas prateleiras tenho um chamada porque no seu desenvolvimento provocava
buraco exatamente do tamanho desse livro e como hemorragias subcutâneas, que assumiam uma
vejo que tem uma letra e encadernação muito bonitas, coloração escura no momento terminal da doença. A
gostei dele e quis comprá-lo. Por outro lado, nem morte dava-se entre três e sete dias, depois de
reparei no preço. Graças a Deus sobra-me dinheiro contraída a patologia, e levava de 75% a 100% dos
para essas coisas. acometidos. O agente causador da peste era
AL HADRAMI. Século X. Apud PEDRERO-SÁNCHEZ, M. G. A transmitido pelo rato, por meio das pulgas e sua
Península Ibérica entre o Oriente e o Ocidente: cristãos, judeus e penetração na pele humana causava uma adenite
muçulmanos. São Paulo: Atual, 2002. aguda, que recebia o nome de “bubão”, principal
sintoma da doença. Daí também o nome de peste
Nesses textos do século X, percebem-se visões distintas bubônica.
sobre os livros e as bibliotecas em uma sociedade (SIMONI, K. De peste e literatura: imagens do Decameron de
marcada pela Giovanni Boccaccio. Anuário de Literatura Umbral. Disponível em:
a) difusão da cultura favorecida pelas atividades <https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/viewFile/5
447/4882>. Acesso em: 27 jun. 2017.)
urbanas.
b) laicização do saber, que era facilitada pela educação
nobre.
19

Idade Media 108


O excerto sustenta que o acesso ao poder por meio da
riqueza era secundário na Europa Ocidental até o
século XIII, quando
a) as monarquias nacionais sobrepuseram-se aos
direitos da nobreza senhorial sobre os seus feudos.
b) o esfacelamento do poder imperial romano
transferiu as funções de defesa militar para os
burgueses das cidades.
c) os reis absolutistas constituíram seus exércitos com
recursos de impostos arrecadados de banqueiros e
comerciantes.
d) as atividades comerciais e artesanais produziram
novos grupos sociais no interior das cidades medievais.
e) a fragmentação econômica do continente europeu
foi substituída por um só padrão monetário.
A Peste Negra, que atingiu a Europa no séc. XIV,
espalhou o pânico e transformou a maneira como se H0389 - (Uece) Durante o período medieval, a Igreja
concebia a morte. A Dança Macabra, expressão Católica, herdeira das tradições romanas, sobressaiu-
artística surgida nesse período, representava temas se como a mais poderosa instituição e grande baluarte
fúnebres e sombrios, como a decrepitude dos corpos já da cultura europeia. À medida que avançava e
em forma cadavérica ou esquelética. Ao chamar a convertia novos povos ao cristianismo, ampliava mais
atenção para a fragilidade e a finitude da vida, sugeria ainda seu poderio espiritual e material, e fundia a
que todos, independentemente de sua posição social, cultura romana com a dos povos convertidos.
haviam de compartilhar o mesmo destino.
No que se refere ao papel da Igreja Católica na cultura
Com base na figura, nos textos e nos conhecimentos europeia medieval, é correto afirmar que
sobre a Baixa Idade Média, assinale a alternativa a) a literatura medieval era dominada pelo tema
correta. religioso imposto pela Igreja Católica; nesse período
a) Em uma sociedade dividida em ordens, a Dança não se escreveu sobre nada que não estivesse no Livro
Macabra foi interpretada como uma crítica social que Sagrado.
nivelava os estamentos em face do fenômeno da b) a educação formal espalhou-se pela Europa através
morte. da Igreja Católica, à qual estavam ligadas as escolas e
b) Na gravura, dois personagens são conduzidos por as universidades medievais.
figuras macabras, revelando que, devido às péssimas c) a filosofia escolástica nascida nas universidades
condições de vida, os camponeses eram os que mais católicas opunha-se à fusão da fé cristã com o
temiam a morte. pensamento racional humanista.
c) Na maioria dos países, a epidemia de Peste Negra d) apesar de controlar a literatura, as artes plásticas
assolou burgos e castelos, mas preservou os ficaram livres de qualquer tipo de cerceamento
camponeses do contágio, por estarem eles isolados no religioso por parte da Igreja Católica.
campo.
d) Por viverem nos mosteiros, os membros da Igreja H0390 - (Ufu) Os especialistas em demografia histórica
foram poupados da Peste Negra, reforçando a imagem são mais ou menos concordes em estimar que a
do clero como estamento de origem divina. população global do reino da França no mínimo
e) Devido ao grande número de vítimas da Peste Negra, duplicou entre os anos mil e 1328, passando de cerca
a sociedade na Baixa Idade Média se tornou indiferente de 6 milhões de habitantes para 13,5 milhões, e de 16
à morte, entendendo-a apenas como uma passagem à a 17 milhões, considerando as regiões que desde
vida eterna. então se tornaram francesas.
LE GOFF, Jacques. O apogeu da cidade medieval. Trad. Antônio
Danesi, São Paulo: Martins Fontes, 1992, p. 4. (Adaptado).
H0388 - (Famerp) O Ocidente havia conhecido
somente três modos de acesso ao poder: o De acordo com a citação, pode-se afirmar que o
nascimento, o mais importante, a riqueza, muito principal fator que permitiu o crescimento da
secundário até o século XIII salvo na Roma Antiga, o população europeia foi
sorteio, de alcance limitado entre os cidadãos das
cidades gregas da Antiguidade.
(Jacques Le Goff. Os intelectuais na Idade Média, 1985. Adaptado.)
20

Idade Media 109


a) o controle da Peste Negra por meio da implantação H0392 - (Unioeste) Sobre as cidades ao longo da
de medidas de saneamento das grandes cidades História:
europeias.
b) o fim dos conflitos entre os reinos, especialmente o "Uma vertente importante do pensamento sobre a
da “Guerra dos Cem Anos”, entre França e Inglaterra. cidade e o urbanismo está hoje ancorada na história.
c) a relativa estabilidade política e econômica, que Isto vale não só para o Brasil, mas para muitos outros
fomentou a expansão dos burgos e o aumento da países. Diversas são as formas que tomam esse
produção agrícola nos campos. renovado interesse pela história: de um lado, mais
d) o incremento da agricultura, que impulsionou o pragmático, comparecem a valorização do patrimônio
sistema de trocas de mercadorias promovendo a histórico – quase sempre de olho nas perspectivas
prosperidade nos feudos. oferecidas pelo desenvolvimento turístico – e a criação
de novos espaços, consistente ou banal, inspirada em
H0391 - (Ufjf) Leia com atenção o texto a seguir sobre formas urbanas tradicionais; de outro, o enorme
o fim do período medieval. desenvolvimento de pesquisas que buscam conhecer a
história de nossas cidades, os processos de sua
... o final do milênio medieval costuma ser visto sob a transformação no tempo, os projetos realizados e não
forma de uma crise profunda e generalizada. Brutal, a realizados, os protagonistas que ajudaram a dar-lhes
mortalidade provocada pelo bacilo da peste espalha-se uma nova forma e um novo sentido, as inflexões da
rápida e maciçamente. Os doentes sucumbem em constituição do urbanismo enquanto disciplina
alguns dias, sem remédio nem alívio possíveis. No dizer reflexiva e propositiva sobre a cidade".
das testemunhas, toda organização social, até os laços FERNANDES, Ana; GOMES, Marcos Aurélio A. História da cidade e
familiares, foi violentamente perturbada por isso. do urbanismo no Brasil: reflexões sobre a produção recente.
Ciência e Cultura. São Paulo, v. 56, n. 2, p. 01, 2004.
BASCHET, J. A civilização feudal: do ano mil à colonização da
América. São Paulo: Globo, 2006, p. 247-248. Adaptado.
Assinale a alternativa INCORRETA.
Acerca da chamada “Crise do século XIV”, assinale a
alternativa CORRETA: a) As cidades inglesas do início da revolução industrial
a) a expansão agrícola que precedeu a crise do século cresceram principalmente após os chamados
XIV foi realizada à custa de arroteamentos, o que “cercamentos”; fenômeno que provocou a expulsão
contribuiu para minimizar o impacto ambiental e dos camponeses de suas terras e uma crescente
conter o processo inflacionário. proletarização das áreas urbanas.
b) a diminuição da produtividade levou a uma maior b) Os chamados “discursos de patrimônios culturais”
exploração da mão de obra camponesa. Nesse estão presentes nas sociedades nacionais modernas e
momento a teoria das três ordens foi responsável pela relatam a história de determinada coletividade e seus
aceitação do aumento da tributação, evitando, assim, “heróis”. Ao fazer uso dessas narrativas, contribuem
as revoltas camponesas. para a construção de identidades, tradições e
c) os deslocamentos de camponeses que fugiam para memórias.
as cidades ajudaram na eliminação da epidemia nas c) No Brasil, o discurso modernista debruçou-se acerca
zonas rurais, já que a peste apenas atingia as da construção de uma identidade nacional. Os
populações mais pobres e desnutridas. intelectuais deste movimento iriam criticar um Brasil
d) tentando fazer frente à crise do século XIV, a Igreja “europeizado”, característico do século XIX, e valorizar
transferiu sua sede de Roma para Avignon, na França. o século XVIII, considerando traços mais genuínos da
Essa medida contribuiu para manter a unidade da cultura brasileira antes vistos como atrasados.
cristandade, a autonomia e o caráter universalista da d) O governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961) foi
Igreja. marcado pela elaboração do “Plano de Metas”,
e) nesse contexto, a fome e as epidemias contribuíram dividido em seis grandes partes. Trazia como grande
para o processo de desintegração do feudalismo e o destaque a construção da cidade de Brasília, que viria
fortalecimento do poder dos reis, que aos poucos a ser a sede da nova capital federal.
foram tomando para si a autoridade administrativa e e) No início da Idade Média, com o renascimento
militar até então em mãos senhoriais. comercial e urbano, as cidades voltaram a desenvolver-
se, tendo como elemento incentivar os burgos, como
centros culturais e comerciais.

21

Idade Media 110


H0393 - (Fgv) Perante esta sociedade, a burguesia está c) o território da burguesia é o solo urbano, a cidade
longe de assumir uma atitude revolucionária. Não como sinônimo de liberdade, protegida da exploração
protesta nem contra a autoridade dos príncipes da nobreza e do clero; para isso, cria o direito urbano,
territoriais, nem contra os privilégios da nobreza, nem, isto é, leis para o comércio, a justiça e a administração
principalmente, contra a Igreja. (...) A única coisa de que, de forma revolucionária, asseguram-lhe um lugar
que trata é a conquista do seu lugar. As suas na sociedade moderna.
reivindicações não excedem os limites das
necessidades mais indispensáveis. d) a sociedade medieval tem um lugar específico para
Henri Pirenne. História econômica e social da Idade Média, 1978. os burgueses, pois as liberdades, as leis, a justiça e a
administração estão em suas mãos; tal situação tem o
Segundo o texto, é correto afirmar que objetivo de brecar o poder político e econômico dos
nobres e da Igreja, fortalecidos pela expansão da
a) a burguesia, nascida da própria sociedade medieval, servidão e pelo declínio do comércio.
nela não tem lugar; para conquistá-lo, suas
reivindicações são a liberdade de ir e vir, elaborar e) com exigências revolucionárias, como liberdade
contratos, dispor de seus bens, fazer comércio, comercial, jurídica e territorial, a burguesia, cada vez
liberdade administrativa das cidades, ou seja, não tem mais rica, visa destruir a sociedade medieval; esta, por
o objetivo de destruir a nobreza e o clero. sua vez, barra a ascensão econômica e política da
burguesia, ao fortalecer a servidão no campo e impedir
b) os burgueses, enriquecidos pelo comércio, as transações comerciais na cidade.
reivindicam privilégios semelhantes aos da nobreza e
do clero na sociedade moderna; acentuadamente
revolucionários, os seus interesses significam título,
terras e servos para garantirem um lugar compatível
com sua riqueza.

notas

22

Idade Media 111


www.professorferretto.com.br
ProfessorFerretto ProfessorFerretto

Idade Moderna
H0394 - (Ueg) Leia o texto a seguir. desenvolvimento comercial e financeiro. Foi típico das
Monarquias Absolutistas da Europa. Acerca do
Nasce daí o debate: se é melhor ser amado que temido mercantilismo, todas as afirmações abaixo estão
ou o inverso. Dizem que o ideal seria viver-se em ambas corretas, exceto a alternativa:
as condições, mas, visto que é difícil acordá-las entre si,
muito mais seguro é fazer-se temido que amado, a) Necessitando de ouro e de prata para o
quando se tem de renunciar a uma das duas. fortalecimento das moedas nacionais, o metalismo foi
MAQUIAVEL, N. O Príncipe. Porto Alegre: L&PM Pocket, 2008. p. 80. também um importante instrumento do mercantilismo
europeu.
A famosa citação de O Príncipe explica a estratégia de b) As medidas alfandegárias incentivavam as
funcionamento das monarquias absolutistas, nas quais importações e liberavam o mercado interno para os
o rei produtos estrangeiros, incentivando, desta maneira, as
a) vale-se da prática de suplícios e execuções públicas, relações comerciais.
como enforcamento e decapitações, para reforçar o c) Na Inglaterra, ocorreu o desenvolvimento da frota
temor de seus súditos. naval e da marinha mercante, essenciais para a
b) promove a transformação dos servos em soldados expansão do comércio externo.
por meio de recrutamento compulsório e treinamento d) O domínio de colônias, dentro do Pacto Colonial,
militar rigoroso e cruel. também caracterizou o mercantilismo, destacando-se
c) rompe com a Igreja, uma vez que o exercício do os países ibéricos. Criava-se uma relação de
poder não pode ser conciliado com a doutrina de amor dependência da colônia em relação à metrópole.
universal dos evangelhos.
d) estimula a perseguição de heréticos, tornando-se, a H0397 - (Ifsul) Sob o ponto de vista europeu, a
partir da permissão do Papa, o chefe honorário do ampliação dos horizontes geográficos tornou-se
Tribunal da Santa Inquisição. possível a partir do expansionismo marítimo-comercial
e) permite a livre manifestação da opinião dos europeu, num processo histórico ocorrido entre os
intelectuais para difundir uma imagem pública séculos XV e XVI, que teve Portugal como nação
ambígua que perpassa pelo temor e o amor. pioneira.

H0395 - (Cftrj) Entende-se comumente por Monarquia Sobre a formação do Estado português, é correto
aquele sistema de dirigir que se centraliza afirmar que
estavelmente numa só pessoa investida de poderes a) foi tardio, comparado com Estados europeus fortes,
especialíssimos, exatamente monárquicos, que a como Inglaterra e França.
colocam claramente acima de todo o conjunto dos b) já nasceu grande, considerando as terras do Brasil,
governados. África e Ásia.
(BOBBIO, Noberto. Dicionário de política. Brasília UNB, 1995)
c) nasceu de doações da Igreja, daí sua ligação
profunda com a Igreja Católica.
A forma de organização política exposta acima refere-
d) surgiu em terras reconquistadas aos muçulmanos na
se:
península Ibérica.
a) Ao regime de monarquia parlamentar.
b) Ao absolutismo monárquico.
H0398 - (Fgv) Por volta do final do século XVI, teve
c) À democracia participativa.
início uma transformação profunda no gênero de vida
d) À ditadura militar.
das classes privilegiadas. Os castelos deixaram de ser
H0396 - (Acafe) Articulando uma relação íntima entre
fortalezas e se tornaram residências de lazer no campo.
o Estado e a economia, o mercantilismo caracterizou-
Seus fossos foram cobertos e suas torres
se por uma política pela qual o Estado buscava garantir

Idade Moderna 112


transformaram-se em ornamentos. As famílias ricas c) O monarca Luís XIV dispunha de autoridade limitada,
tinham, além disso, solares na cidade, onde passavam recordando a divisão iluminista do poder em três
uma parte do ano. Os divertimentos tornaram-se esferas.
menos guerreiros, o torneio foi substituído pelo d) A extensão de direitos de cidadania ao Terceiro
carrossel, exercício de habilidades a cavalo, vindo da Estado foi um dos principais traços políticos do
Itália. O jogo de combate transformou-se na esgrima período.
com espada, de origem italiana, modificada na França. e) A característica política do reinado de Luís XIV foi a
(Charles Seignobos. Histoire sincère de la nation française, 1982. separação entre a instituição religiosa e o Estado.
Adaptado.)
H0400 - (Ifce) A Formação das Monarquias Nacionais
As transformações assinaladas pelo texto sugerem ocorreu na Baixa Idade Média, entre os séculos XII e XV,
a) a extinção das famílias nobres medievais com a nos países da Europa Ocidental. É correto afirmar-se
ascensão social da burguesia de comerciantes e que
industriais. a) o processo de consolidação das monarquias foi um
b) a pacificação das disputas entre Estados como dos mais evidentes sinais das transformações que
resultado da evolução cultural da sociedade europeia. assinalavam o apogeu do sistema feudal.
c) a passagem do poder político descentralizado para a b) na França, considerada exemplo máximo do
centralização política do absolutismo monárquico. absolutismo europeu, esse processo só foi consolidado
d) a dissolução da hierarquização social com base no com a Revolução de 1789.
nascimento face ao advento da sociedade de classes. c) Portugal e Espanha começaram o processo de
e) a democratização do uso das terras produtivas com formação dos estados nacionais após a expulsão dos
a abolição da exploração da mão de obra servil. mouros (muçulmanos) que habitavam a península
ibérica desde o século VIII.
H0399 - (Uel) d) o Estado Monárquico buscava a manutenção e
preservação das tradições medievais e dos seus
mecanismos de organização política.
e) com a formação do Estado Moderno os burgueses e
os camponeses foram rapidamente liberados do
pagamento de taxas e impostos tão presentes durante
a Idade Média.

H0401 - (Enem) TEXTO I


A centralização econômica, o protecionismo e a
expansão ultramarina engrandeceram o Estado,
embora beneficias sem a burguesia incipiente.
ANDERSON, P. In: DEYON, P. O mercantilismo. Lisboa: Gradiva,
1989 (adaptado).

TEXTO II
As interferências da legislação e das práticas
exclusivistas restringem a operação benéfica da lei
natural na esfera das relações econômicas.
SMITH, A. A riqueza das Nações. São Paulo: Abril Cultural, 1983
(adaptado).

Entre os séculos XVI e XIX, diferentes concepções sobre


Com base na figura e nos conhecimentos sobre o as relações entre Estado e economia foram
reinado de Luís XIV, na França, assinale a alternativa formuladas. Tais concepções, associadas a cada um dos
correta. textos, confrontam-se, respectivamente, na oposição
a) Como fonte histórica, a pintura é considerada entre as práticas de
produção estética destituída de articulações com a a) valorização do pacto colonial — combate à livre-
sociedade do período. iniciativa.
b) Essa pintura representa, da perspectiva política, b) defesa dos monopólios régios — apoio à livre
símbolos do Absolutismo, ao tornar reconhecida a concorrência.
figura do rei. c) formação do sistema metropolitano — crítica à livre
navegação.
2

Idade Moderna 113


d) abandono da acumulação metalista — estímulo ao Metais extraídos Política econômica
livre-comércio.
e) eliminação das tarifas alfandegárias — incentivo ao a) Diamante e cobre Monetarismo
livre-cambismo.
b) Ouro e diamante Monetarismo
H0402 - (Famerp) A base comum das ideias c) Cobre e níquel Metalismo
mercantilistas consiste na atuação de dois novos
fatores: os Estados modernos nacionais, ou seja, as d) Prata e ouro Mercantilismo
monarquias absolutas, e os efeitos de toda ordem
provocados pelas grandes navegações e e) Níquel e prata Mercantilismo
descobrimentos sobre a vida das sociedades europeias.
(Francisco Falcon. Mercantilismo e transição, 1986. Adaptado.)
H0404 - (Unicamp) Na formação das monarquias
confessionais da Época Moderna houve reforço das
Os dois fatores mencionados no texto expressam-se,
identidades territoriais, em função de critérios de
respectivamente,
caráter religioso ou confessional. Simultaneamente,
a) no intervencionismo econômico dos Estados
houve uma progressiva incorporação da Igreja ao
modernos e no aumento dos metais nobres
corpo do Estado, através de medidas de caráter
entesourados.
patrimonial e jurisdicional que procuravam uma maior
b) na redução significativa do comércio interno
sujeição das estruturas e agentes eclesiásticos ao
europeu e na colonização da América e da África.
poder do príncipe. Na busca pela homogeneização da
c) no desenvolvimento de teorias voltadas à defesa do
fé dentro de um território político, a Igreja cumpria
livre comércio e na política de degredo de
também papel fundamental na formação do Estado
encarcerados.
moderno por meio de seus mecanismos de
d) na difusão das ideias sociais libertárias e no
disciplinamento social dos comportamentos.
aperfeiçoamento dos instrumentos e das técnicas de (Adaptado de Frederico Palomo, A Contra-Reforma em Portugal,
navegação. 1540-1700. Lisboa: Livros Horizonte, 2006, p.52.)
e) no controle político burguês dos Estados modernos
e no surgimento de órgãos regradores do comércio Considerando o texto acima e seus conhecimentos
internacional. sobre a Europa Moderna, assinale a alternativa correta.

a) Cada monarquia confessional adotou uma


H0403 - (Fatec) Potosi e Vila Rica foram duas cidades identidade religiosa e medidas repressivas em relação
economicamente importantes das Américas espanhola às dissidências religiosas que poderiam ameaçar tal
e portuguesa, respectivamente, uma vez que, do unidade.
entorno delas, foram extraídos metais preciosos. A b) Monarquias confessionais são aquelas unidades
acumulação desses e de outros metais, o controle da políticas nas quais havia a convivência pacífica de duas
balança comercial e o monopólio do comércio colonial ou mais confissões religiosas, num mesmo território.
foram parte de uma política econômica que fortaleceu c) São consideradas monarquias confessionais os
Estados europeus e garantiu o seu desenvolvimento territórios protestantes que se mostravam mais
econômico posterior. propícios ao desenvolvimento do capitalismo
comercial, tornando-se, assim, nações enriquecidas.
Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, os d) As monarquias confessionais contavam com a
metais extraídos do entorno dessas duas cidades instituição do Tribunal do Santo Ofício da Inquisição em
coloniais e a política econômica à qual o texto se refere. seu território, uma forma de controle cultural sobre
religiões politeístas.

H0405 - (Acafe) A formação dos Estados Modernos, o


Absolutismo Monárquico e o Mercantilismo
caracterizaram a centralização política em várias partes
da Europa, em oposição ao poder político
descentralizado do sistema feudal. Nesse sentido é
correto afirmar, exceto:

Idade Moderna 114


a) O mercantilismo foi caracterizado pelo controle Quais estão corretas?
estatal da economia e priorizava o domínio de colônias a) Apenas I.
para fornecer matérias-primas e criar mercados b) Apenas II.
consumidores para a metrópole. c) Apenas III.
b) O casamento de Fernando, herdeiro do trono de d) Apenas II e III.
Aragão, com Isabel, do trono de Castela, consolidou a e) I, II e III.
formação do território que corresponde à Espanha.
c) O processo de fortalecimento do poder real atingiu H0408 - (Ufjf) Leia o texto a seguir e observe com
seu ápice com o absolutismo. O monarca passou a atenção a imagem da pintura a óleo de um rei francês
exercer o controle total sobre o comércio, as em um campo de batalha. Os dois estão relacionados
manufaturas e sobre a máquina administrativa. ao período dos Estados Absolutistas Modernos:
d) As Guerras da Reconquista, ao expulsarem os
muçulmanos da Europa, contribuíram decisivamente “Como é importante que o público seja governado por
para a formação da Monarquia francesa numa aliança um só, também importa que quem cumpre essa função
com setores da nobreza. esteja de tal forma elevado acima dos outros que
ninguém se possa confundir ou se comparar com ele;
H0406 - (Fgvrj) Soberania popular, igualdade civil, não se pode retirar do seu chefe a mínima marca da
igualdade perante a lei – as palavras hoje são ditas com superioridade que o distingue...”.
tanta facilidade que somos incapazes de imaginar seu RIBEIRO, R. J. A ética no Antigo Regime. São Paulo: Moderna,
caráter explosivo em 1789. Não conseguimos nos 1999. p. 54.
imaginar num mundo mental como o do Antigo
Regime...
DARNTON, Robert. O beijo de Lamourette. Mídia, cultura e revolução. Trad.,
São Paulo: Companhia das Letras, 2010, p. 30.

As sociedades europeias do chamado Antigo Regime


baseavam-se
a) no princípio da igualdade social e econômica e no
direito divino de seus monarcas.
b) na ordenação social hierárquica e em concepções
filosóficas ligadas a religiões.
c) na perspectiva da desigualdade social e em doutrinas
religiosas democráticas.
d) na liberdade de expressão religiosa e no sentimento
nacionalista.
e) na efetivação da igualdade jurídica e na mentalidade
clerical.

H0407 - (Ufrgs) Leia as seguintes afirmações a respeito


da história ocidental moderna.

I. A consolidação da monarquia francesa, no século XVI, Sobre os Estados Absolutistas, assinale a alternativa
foi marcada pela conquista de territórios coloniais na CORRETA:
África e pela completa pacificação dos conflitos a) a formação de exércitos permanentes, profissionais
religiosos no país. e centralizados era o objetivo militar de Estados
II. A Europa também foi palco de querelas intelectuais Absolutistas que pretendiam defender suas fronteiras
sobre literatura e ciência, como a chamada “Batalha estabelecidas.
dos livros”, que opôs, de um lado, letrados defensores b) os exemplos mais característicos de Estados
do predomínio da antiguidade clássica e, de outro, Absolutistas, nos quais o poder do monarca era
partidários da superioridade moderna. concentrado efetivamente na Europa, eram a Itália e a
III. O domínio de Felipe II, na península Ibérica, Alemanha.
caracterizou um contexto de ampla liberdade de c) a política econômica dos Estados Absolutistas
consciência, tornando os reinos de Portugal, Castela e combatia as propostas que defendiam a unificação de
Aragão redutos privilegiados para protestantes e impostos, moedas, pesos e medidas em todo seu
judeus que fugiam da perseguição inquisitorial dos território.
Países Baixos.
4

Idade Moderna 115


d) diferentes representações artísticas traziam a H0410 - (Upf) Entende-se por mercantilismo o
imagem idealizada de monarcas dos Estados conjunto de ideias e práticas econômicas dominantes
Absolutistas, caracterizando-os como indivíduos na Europa entre os séculos XV e XVII. Seu período de
semelhantes aos seus súditos. dominação corresponde à fase de transição do
e) a justificativa do poder exercido pela nobreza nos feudalismo para o capitalismo e ficou marcado pela
Estados Absolutistas buscava se afastar do princípio da intervenção estatal na economia, caracterizado:
origem divina que lhe conferiria um caráter ilimitado. a) Pela limitação das atividades das companhias
comerciais privadas, em função dos privilégios
H0409 - (Fgv) A colonização do Novo Mundo na época concedidos às empresas estatais.
moderna apresenta-se como peça de um sistema, b) Pela preocupação com o enriquecimento da
instrumento da acumulação primitiva, da época do burguesia em detrimento da nobreza feudal,
capitalismo mercantil. Na realidade, nem toda garantindo a aliança de burgueses de vários países.
colonização se desenrola dentro das travas do sistema c) Pelo monopólio metropolitano sobre as colônias da
colonial, pois a colonização inglesa na América do América, o qual passou a estimular as disputas entre as
Norte, colônias de povoamento, deu-se fora dos grandes empresas comerciais de propriedade da
mecanismos definidores do sistema colonial burguesia.
mercantilista. d) Pelas teorias metalistas, que, ao defender práticas
Fernando Novais. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema protecionistas, promoveram grande rivalidade entre as
colonial, 1989. Adaptado. nações europeias.
e) Pelo controle exclusivo externo, em contraposição à
A partir do texto, é correto afirmar que livre concorrência interna, tanto nas áreas coloniais
quanto nas metropolitanas.
a) coexistem, no processo de colonização na Idade
Moderna, dois tipos de colônias: as de exploração e as H0411 – (Unesp) Deveis saber, portanto, que existem
de povoamento, sendo estas as mais encontradas, uma duas formas de se combater: uma, pelas leis, outra,
vez que se baseiam em pequena propriedade, trabalho pela força. A primeira é própria do homem; a segunda,
livre e mercado interno; além disso, o Antigo Sistema dos animais. Como, porém, muitas vezes a primeira
Colonial garantia superlucros às respectivas não seja suficiente, é preciso recorrer à segunda. Ao
metrópoles. príncipe torna-se necessário, porém, saber empregar
b) dois tipos de colonização significam a coexistência convenientemente o animal e o homem. [...] Nas ações
de dois processos históricos diferentes, um ligado à de todos os homens, máxime dos príncipes, onde não
Idade Média e outro ligado à Idade Moderna, com há tribunal para que recorrer, o que importa é o êxito
características semelhantes, como o comércio bom ou mau. Procure, pois, um príncipe, vencer e
triangular, a grande e a pequena propriedades, o conservar o Estado.
autogoverno e o exclusivo metropolitano. Nicolau Maquiavel. O príncipe, 1983.
c) a colonização de povoamento, típica do Sistema
Colonial Mercantilista, baseia-se em grande O texto, escrito por volta de 1513, em pleno período do
propriedade, trabalho escravo e produção voltada para Renascimento italiano, orienta o governante a
o mercado externo, o que implica o exclusivo a) defender a fé e honrar os valores morais e sagrados.
metropolitano como base das relações entre b) valorizar e priorizar as ações armadas em
Metrópole e Colônia. detrimento do respeito às leis.
d) os dois tipos de colonização, de exploração e de c) basear suas decisões na razão e nos princípios éticos.
povoamento, explicam-se por processos diferentes: a d) comportar-se e tomar suas decisões conforme a
de exploração está ligada à acumulação de riqueza circunstância política.
para a Metrópole moderna, com grande propriedade e e) agir de forma a sempre proteger e beneficiar os
trabalho escravo, enquanto a colonização de governados.
povoamento liga-se à Metrópole industrializada.
e) o sentido profundo da colonização moderna é H0412 - (Fgv) Perante esta sociedade, a burguesia está
comercial e capitalista, pois as colônias de exploração, longe de assumir uma atitude revolucionária. Não
típicas do Antigo Sistema Colonial, nasceram para as protesta nem contra a autoridade dos príncipes
Metrópoles acumularem riqueza; e é dentro desse territoriais, nem contra os privilégios da nobreza, nem,
processo de análise de conjunto que se torna inteligível principalmente, contra a Igreja. (...) A única coisa de
a existência do outro tipo, a colonização de que trata é a conquista do seu lugar. As suas
povoamento. reivindicações não excedem os limites das
necessidades mais indispensáveis.
5

Idade Moderna 116


Henri Pirenne. História econômica e social da Idade Média, 1978. deixar de ser uma ameaça para os outros homens.
II. Sua doutrina, a respeito do direito divino dos reis
Segundo o texto, é correto afirmar que serviu como suporte ideológico ao despotismo
a) a burguesia, nascida da própria sociedade medieval, esclarecido dos monarcas europeus durante a Era
nela não tem lugar; para conquistá-lo, suas Moderna e de inspiração para a burguesia mercantil,
reivindicações são a liberdade de ir e vir, elaborar em luta contra o poderio que a nobreza exercia sobre
contratos, dispor de seus bens, fazer comércio, as cidades.
liberdade administrativa das cidades, ou seja, não tem III. O Absolutismo, por ele defendido, seria uma nova
o objetivo de destruir a nobreza e o clero. forma de governo capaz de articular setores sociais
b) os burgueses, enriquecidos pelo comércio, distintos. Atenderia aos anseios dos setores populares
reivindicam privilégios semelhantes aos da nobreza e urbanos, interessados em apoiar o poder real a fim de
do clero na sociedade moderna; acentuadamente contar com isenção fiscal, assim como a aristocracia,
revolucionários, os seus interesses significam título, que encontra, nessa forma de governo, possibilidade
terras e servos para garantirem um lugar compatível de manter seus privilégios econômicos e sociais.
com sua riqueza.
c) o território da burguesia é o solo urbano, a cidade Assinale
como sinônimo de liberdade, protegida da exploração a) se apenas I estiver correta.
da nobreza e do clero; para isso, cria o direito urbano, b) se apenas II estiver correta.
isto é, leis para o comércio, a justiça e a administração c) se apenas III estiver correta.
que, de forma revolucionária, asseguram-lhe um lugar d) se apenas I e II estiverem corretas.
na sociedade moderna. e) se apenas II e III estiverem corretas.
d) a sociedade medieval tem um lugar específico para
os burgueses, pois as liberdades, as leis, a justiça e a H0414 - (Ufu) A tranquilidade dos súditos só se
administração estão em suas mãos; tal situação tem o encontra na obediência. [...] Sempre é menos ruim
objetivo de brecar o poder político e econômico dos para o público suportar do que controlar incluso o mau
nobres e da Igreja, fortalecidos pela expansão da governo dos reis, do qual Deus é único juiz. Aquilo que
servidão e pelo declínio do comércio. os reis parecem fazer contra a lei comum funda-se,
e) com exigências revolucionárias, como liberdade geralmente, na razão de Estado, que é a primeira das
comercial, jurídica e territorial, a burguesia, cada vez leis, por consentimento de todo mundo, mas que é, no
mais rica, visa destruir a sociedade medieval; esta, por entanto, a mais desconhecida e a mais obscura para
sua vez, barra a ascensão econômica e política da todos aqueles que não governam.
burguesia, ao fortalecer a servidão no campo e impedir LUÍS XIV, Rei da França. Memorias. (Versão espanhola de Aurelio
as transações comerciais na cidade. Garzón del Camino). México: Fondo de Cultura Económica, 1989.
p. 28-37 (Adaptado).
H0413 - (Mackenzie) “O fim último, causa final e
desígnio dos homens (que amam naturalmente a As palavras do rei Luís XIV exemplificam um complexo
liberdade e o domínio sobre os votos), ao introduzir e longo processo sociopolítico, identificado com o que
aquela restrição sobre si mesmos sob a qual os vemos comumente chamamos de Idade Moderna e que podia
viver nos Estados, é o cuidado com a sua própria ser caracterizado.
conservação e com uma vida mais satisfeita.” a) por um crescente deslocamento do poder político da
(Thomas Hobbes) burguesia, que passou a ver a ascensão da nobreza
feudal, cada vez mais próxima do poder e ocupando
Hobbes, teórico e filósofo do século XVII, elaborou as importantes cargos políticos.
bases do seu pensamento político, admitindo a b) pela centralização administrativa sobre os
existência de um pacto social entre os homens e o particularismos locais e pela crescente unificação
governo, capaz de realizar uma construção racional da territorial, ainda que os senhores de terra não
sociedade. perdessem inteiramente seus privilégios.
Considere as assertivas abaixo. c) pelo fortalecimento do poder político da Igreja
Católica, resultado de um processo de crescente
I. A humanidade, no seu estado natural, era uma selva. mercantilização de suas terras e de sua consequente
Mas quando os homens eram submetidos por Estados adequação ao mercado.
soberanos, não tinham que recear um regresso à selva d) pelo processo de cercamento dos campos, com o
no relacionamento entre indivíduos, a partir do consequente fortalecimento da nobreza feudal, a qual,
momento em que os benefícios consentidos do poder com os altos impostos que pagava, contribuiu
absoluto, em princípio ilimitado, permitiam ao homem decisivamente para o fortalecimento do poder real.

Idade Moderna 117


H0415 - (Uefs) As monarquias nacionais que se a) que o Estado liberal propunha um controle excessivo
formaram ao longo dos séculos XIII, XIV e XV, embora sobre a economia.
tenham sido uma nova forma de exercício do poder b) que o desenvolvimento econômico do Estado estava
(poder centralizado), oposta às monarquias medievais, atrelado à redistribuição de rendimentos ao povo
mantiveram em sua essência a mesma natureza destas. como forma de diminuir a tensão social gerada pela
Apesar, inclusive, de toda a importância e participação miséria.
da burguesia no processo de consolidação do Estado c) que o Estado procurava não intervir na economia
nacional, o poder continuou sendo exercido pela aliviando a classe produtiva dos impostos.
mesma classe dominante, a nobreza, só que agora d) que o mercantilismo tinha como função política
concentrado na figura do rei. acumular tesouros para o Estado.
NEVES, Vera M. da C. (org.). As terras do Brasil e o mundo dos e) que a carga tributária deveria diminuir garantindo
descobrimentos. Secretaria de Educação. Instituto Anísio Teixeira. reservas positivas para o superavit primário.
Salvador: Boa nova, 2000, p. 18-19.

H0417 - (Imed) São características da política


A influência da burguesia na estruturação das
econômica mercantilista que marcou a Idade
monarquias europeias deu aos monarcas, entretanto,
Moderna:
a) a oportunidade para fortalecer os laços de
cooperação com a Igreja Católica, responsável pela
I. Metalismo.
confirmação do poder real.
II. Monopólio.
b) o cancelamento do direito de acesso às “cartas de
III. Protecionismo.
franquia” pelas vilas agrícolas medievais.
IV. Livre iniciativa.
c) o poder de democratizar o acesso de servos,
operários e trabalhadores braçais, aos estamentos
Quais estão corretas?
mais elevados da sociedade.
a) Apenas I e II.
d) a necessidade de dividir o poder de mando com
b) Apenas III e IV.
representantes de outros reinos não cristãos do
c) Apenas I, II e III.
Oriente Médio.
d) Apenas II, III e IV.
e) os recursos necessários à organização de exércitos
e) I, II, III e IV.
nacionais comandados por generais da confiança dos
reis, excluindo os exércitos particulares da nobreza
H0418 - (Ifsul) O mercantilismo foi uma política
feudal.
econômica adotada pelos Estados Nacionais que se
formaram a partir do século 15. A doutrina
H0416 - (Unisc) No século XVI, os Estados afirmam-se
mercantilista baseava-se em uma intervenção do
cada vez mais como grandes coletores e
estado na economia e tinha como características
redistribuidores de rendimentos; apoderam-se por
a) balança comercial favorável e protecionismo.
meio do imposto, da venda de cargos, das rendas, dos
b) lei da oferta e procura e metalismo.
confiscos e de uma enorme parte dos diversos
c) pacto Colonial e livre-iniciativa.
“produtos nacionais”. Esta múltipla penhora é eficaz
d) monopólio e liberalismo.
dado que os orçamentos flutuam por junto sobre a
conjuntura e seguem a maré dos preços. O
H0419 - (Espcex) No período do Renascimento,
desenvolvimento dos Estados está assim ligado à vida
durante os séculos XV e XVI, ocorreram mudanças na
econômica, não é um acidente ou uma força
qualidade e na quantidade da produção cultural.
intempestiva tal como pensou demasiado
Dentre os fatores que influenciaram essas mudanças,
apressadamente Joseph A. Schumpeter. Querendo ou
destacam-se o/a:
não, são os maiores empreendedores do século. É
deles que dependem as guerras modernas, com
I. Absolutismo monárquico.
efetivos e com despesas cada vez maiores; tal como as
II. Desenvolvimento da imprensa.
maiores empresas econômicas: a Carrera de Índias a
III. Advento do “Século das Luzes”.
partir de Sevilha, a ligação de Lisboa com as Índias
IV. Ação dos Mecenas.
Orientais, a cargo da Casa da Índia, ou seja, do rei do
V. Empirismo e liberalismo político de John Locke.
Portugal.
BRAUDEL, Fernand. O Mediterrâneo e o mundo mediterrânico na
época de Felipe II. Lisboa: Martins Fontes, 1983, v. 1, p. 495. Assinale a alternativa que apresenta todos os fatores
corretos, dentre os listados acima.
A respeito da afirmativa acima, é correto afirmar a) Somente a I.
b) I e III.
7

Idade Moderna 118


c) II e IV. Itália e se espalhou para o resto da Europa. O
d) Somente a III. Renascimento traduzia novas concepções que tinham
e) III e V. como referência, essencialmente, o humanismo,
enquanto base intelectual que procurava definir e
H0420 - (Mackenzie) “Os humanistas, num gesto afirmar o novo papel do homem no universo.
ousado, tendiam a considerar como mais perfeita e
mais expressiva a cultura que havia surgido e se Entre as opções abaixo, indique a que corresponde
desenvolvido no seio do paganismo, antes do advento com a história do Renascimento:
de Cristo. A Igreja, portanto, para quem a história a) A pintura renascentista acompanhou as conquistas
humana só atingira a culminância na Era Cristã, não da Geometria, da Anatomia e da Astrologia.
poderia ver com bons olhos essa atitude.” b) Se inspiravam apenas na cultura medieval.
(SEVCENKO, Nicolau. O Renascimento. São Paulo: Unicamp, 1988. c) O palco mais prodigioso do Renascimento foi a
p.14) cidade de Florença na Itália.
d) O Renascimento se desenvolveu com apoio irrestrito
Quanto aos humanistas, podemos dizer que das Monarquias nacionais em franco processo de
centralização do poder político.
a) eram em sua maioria cristãos e desejavam
reinterpretar o Evangelho à luz da experiência e dos H0423 - (Ufms) Em 2019, completaram-se 500 anos da
valores da Antiguidade. Exaltavam o indivíduo, a morte de Leonardo Da Vinci, considerado um dos
vontade e a capacidade de ação dos homens. maiores expoentes do movimento denominado
b) valorizavam os antigos gregos e romanos em Renascimento Cultural. Esse movimento foi um marco
detrimento da cultura medieval. Assim, os humanistas importante na sociedade ocidental, pois promoveu
retornam ao paganismo e fazem dessa religião sua uma mudança profunda na maneira de pensar,
crença principal provocando a ira da Igreja Católica. impactando crenças e valores que norteavam o
c) acreditavam que somente Deus é a fonte de energias homem europeu até então.
criativas ilimitadas, detentor único de virtude e glória.
Porém, seu teocentrismo não os impediu de produzir Sobre as características do Renascimento Cultural,
obras que valorizassem a ação humana. assinale a alternativa correta.
d) acreditavam, inspirados nos valores clássicos, na a) O conhecimento passou a ser dirigido pelo clero
capacidade transformadora dos homens induzidos por católico, que administrava escolas e universidades.
força criadora de Deus. Diante disso, a Igreja Católica Assim, essa nova visão de mundo foi compreendida a
adotou uma política de total apoio ao movimento. partir de um único caminho: o da fé e da religião.
e) eram orientados pela ideia de submissão total do b) Surgiu na Península Itálica no final do século XIV e
homem a Deus e à Igreja. Obedeciam à ordem social início do XV. Foi marcado por um espírito científico, de
imposta pelo clero e justificam esse posicionamento a valorização da razão e do raciocínio lógico, colocando
partir dos textos da antiguidade clássica. o ser humano como centro do universo.
c) Surgiu na Península Itálica no século XVI. Promoveu
H0421 - (Ifsul) Durante o período medieval, todo o mudanças políticas, econômicas e sociais baseadas nas
conhecimento esteve baseado na autoridade e não na ideias de liberdade, igualdade e fraternidade.
experiência. Este conhecimento refletia uma visão d) Surgiu na Península Itálica no final do século XIV e
estática do universo e do ser humano. Nessa início do XV. Nesse contexto, muitos artistas e
perspectiva, o homem não seria dotado de vontade intelectuais foram buscar inspiração num período
própria, e suas ações no mundo apenas reproduziriam considerado por eles de grandes realizações e
a vontade de Deus. esplendor: o Egito antigo.
e) Os renascentistas defendiam uma visão humanista,
O movimento, ocorrido na Europa a partir do século naturalista e teocêntrica, buscando superar a
XV, que questionou a visão descrita acima foi o antiguidade clássica, período que classificaram como
a) Reformismo religioso. trevas, devido à falta de produção de conhecimento.
b) Humanismo.
c) Iluminismo. H0424 - (Ufms) Alguns períodos da história são
d) Industrialismo. marcados por transformações que ilustram as
mudanças na sociedade e que acabam por transportar
H0422 - (Cftrj) Renascimento ou Renascença foi o essas situações para contextos mais amplos como a
nome dado ao movimento de reforma artística, economia e a política. Leia atentamente o trecho a
literária e científica que teve origem no século XIV na seguir.
8

Idade Moderna 119


consequentemente, impulsionou as cidades italianas
“Renascença ou Renascimento são termos aplicados ao para o desenvolvimento político aos moldes das
movimento de renovação cultural que teve início no antigas cidades-estado da Grécia antiga, fato que
século XIV, na Itália, e atingiu seu apogeu no século XVI, impulsionou o desenvolvimento econômico e
influenciando várias regiões da Europa. Os tecnológico do período.
renascentistas defendiam a restauração dos valores do
mundo clássico e acreditavam na capacidade ilimitada H0425 - (Unicamp) Antes de Copérnico, Kepler e
da criação humana. Esses ideais transformaram as Galileu, os cosmólogos elaboravam sistemas que
artes, a literatura, a ciência, a filosofia e a gastronomia. representavam os corpos celestes por meio de esferas
O período é rico em exemplos de pesquisadores e encaixadas umas nas outras, propostas e
inventores que prepararam o caminho para o desenvolvidas por Eudoxo e Aristóteles, de modo a
progresso científico e técnico da Idade Moderna. No distinguir os mundos celeste e terrestre. É nesse
Renascimento, a Itália tornou-se símbolo de contexto, caracterizado pela tese de que o cosmo é
refinamento do mundo ocidental, graças à influência composto de dois mundos distintos (céu e Terra), e
dos bizantinos. O uso do garfo, os aparelhos de jantar, pelo axioma platônico, que deve ser entendido o
as peças finas e bem-acabadas em metais preciosos, as conteúdo da carta de Kepler (1604). Ele apresenta uma
toalhas ricamente bordadas em linho, porcelanas e as etapa do processo de rompimento com essa distinção
faianças italianas sofisticaram o comportamento à e com o axioma platônico. Na carta, Kepler apresenta
mesa.” os procedimentos para obter as duas primeiras leis dos
(Fonte: FREIXA, Dolores. Gastronomia no Brasil e no Mundo. São movimentos planetários. A importância disso é tão
Paulo: Editora SENAC São Paulo, 2017. p. 78). grande que a segunda lei aparece antes da primeira, e
a lei das áreas só se torna operante numa órbita
O exemplo da transformação proposta por meio do elíptica, não podendo ser aplicada às órbitas circulares
modo de se portar à mesa acabou por influenciar todo sem produzir discrepâncias com relação aos dados
o período conhecido como Renascimento. A mudança observacionais de Tycho Brahe.
de hábitos, por sua vez, acabou impondo uma (Adaptado de Claudemir Roque Tossato, Os primórdios da
característica extremamente importante para a primeira lei dos movimentos planetários na carta de 14 de
sequência dos acontecimentos históricos. Assinale a dezembro de 1604 de Kepler a Mästlin. Scientiae Studia, São
alternativa correta que esteja associada ao Paulo, v. 1, n. 2, p. 199-201, jun. 2003.)
desenvolvimento do processo descrito no texto.
Considerando o contexto histórico descrito e as leis
a) O intercâmbio cultural proposto pelo Renascimento físicas apresentadas por Kepler, assinale a alternativa
coloca a Europa como receptora de hábitos e de correta.
sistemas orientais (econômicos e políticos), sendo
perceptível pela difusão de valores como a religião e a a) Copérnico, Kepler e Galileu fazem parte da chamada
administração pública típicas do Oriente. Revolução Científica que rompe com leituras
b) Entendido como resultado direto das Cruzadas, o especulativas do Universo, baseadas em premissas
Renascimento e o contato com o Oriente promovem aristotélicas e tomistas, e propõe análises empiristas
uma difusão do ideal cristão pelo mundo, que será do mundo natural. O conceito de órbitas circulares
concluída com a mudança cultural imposta pelos para o movimento dos planetas em torno do Sol, em
europeus aos povos do Oriente. que a distância entre o planeta e o Sol permanece
c) O contato com o Oriente promoveu para as cidades constante durante o movimento, foi abandonado por
italianas localizadas à beira do mar Mediterrâneo a Kepler.
possibilidade de reativação do comércio, ampliando b) A Revolução Científica da época Moderna propõe a
cada vez mais suas áreas de atuação nos campos ruptura com o ideal divino, sendo, por isso, combatida
econômicos e culturais e distanciando-as cada vez mais pela Igreja Católica, que defendia a orquestração divina
do passado medieval. sobre o mundo humano e natural. O conceito de
d) Após estabelecer vínculos comerciais com os órbitas circulares para o movimento dos planetas em
mercados do Oriente, as cidades italianas que estavam torno do Sol, em que a distância entre o planeta e o Sol
mais próximas do mar Mediterrâneo passaram a se é variável durante o movimento, foi abandonado por
isolar do contexto europeu, fato que impulsionou seu Kepler.
desenvolvimento científico e cultural e deu origem ao c) Copérnico, Kepler e Galileu foram perseguidos pela
Império de Roma. Igreja Católica do período Moderno, por
e) O Renascimento foi um modelo intelectual e cultural representarem o questionamento dos ideais medievais
de valorização da cultura clássica grega e que, sobre a organização do céu e da Terra e sobre a
onipresença divina. O conceito de órbitas circulares
9

Idade Moderna 120


para o movimento dos planetas em torno do Sol, para
as quais a distância entre o planeta e o Sol é variável
durante o movimento, foi abandonado por Kepler.
d) A Revolução Científica da época Moderna,
incentivada pela Igreja Católica, propõe a manutenção
do antropocentrismo medieval, associado aos
conhecimentos empíricos para a leitura e
representação do mundo natural. O conceito de
órbitas circulares para o movimento dos planetas em
torno do Sol, para as quais a distância entre o planeta
e o Sol permanece constante durante o movimento, foi
abandonado por Kepler.

H0426 - (Ifce) No decorrer do século XIV, a sociedade


medieval estava em crise e a Europa atravessava um
período de grandes transformações culturais,
econômicas e políticas. Nesse contexto, teve origem
nas cidades italianas um movimento que ficou Assinale a alternativa que expressa adequadamente a
conhecido como Renascimento. Dele participavam correlação entre o texto e a imagem.
artistas e pensadores que, buscando inspiração nos
valores da Antiguidade Clássica, passavam a exaltar as a) Figura emblemática do Renascimento, Leonardo da
capacidades humanas e a valorizar a liberdade Vinci destaca-se pela sua obra pictórica e por seu
individual. desenho do Homem Vitruviano. Para ele, arte e ciência
se baseavam nas relações análogas entre homem e
São valores do movimento cultural renascentista natureza preconizadas pela alquimia.
b) O Homem Vitruviano de Leonardo da Vinci condensa
a) antropocentrismo, naturalismo, hedonismo e uma série de estudos do artista, e mesmo a leitura de
racionalismo. uma cópia manuscrita da obra de Vitrúvio. O desenho
b) apenas o antropocentrismo e racionalismo. sintetiza uma relação harmônica entre homem e
c) somente o racionalismo. mundo pautada pela analogia geométrica.
d) desejos pelo pós-modernismo e pelo teocentrismo. c) Na linhagem dos artistas-arquitetos-engenheiros
e) teocentrismo, hedonismo e racionalismo. renascentistas, Leonardo da Vinci dedicou-se ao
estudo da perspectiva e especialmente da aritmética,
H0427 - (Unicamp) Leia o texto a seguir e observe a buscando harmonizar as relações entre o homem e
figura do Homem Vitruviano. Deus no Homem Vitruviano.
d) Leitor assíduo da física newtoniana, Leonardo da
Ao longo da vida, cada vez mais, Leonardo da Vinci Vinci reconhecia que tanto a aritmética quanto a
passou a perceber que a matemática era a chave para geometria poderiam ser usadas na arte, arquitetura e
transformar suas observações em teorias. Não existe engenharia. Na elaboração do desenho do Homem
certeza na ciência em que a matemática não possa ser Vitruviano, ele comprovou esta hipótese.
aplicada, declarou.
(Adaptado de Walter Isaacson, Leonardo da Vinci. Rio de Janeiro: H0428 - (Acafe) Com as transformações
Intrínseca, 2017, p. 52.) socioeconômicas iniciadas na Baixa Idade Média
europeia, como por exemplo, o Renascimento
Comercial e Urbano, o movimento denominado
Renascimento Cultural cresceu e provocou rupturas e
mudanças no universo europeu.

Acerca do Renascimento Cultural e Científico, todas as


alternativas estão corretas, exceto a alternativa.
a) Os mecenas buscavam incentivar o teocentrismo e a
intensificação dos valores desenvolvidos pela filosofia
escolástica.

10

Idade Moderna 121


b) O antropocentrismo caracterizou muitas ações d) O Renascimento subtraiu da Igreja o monopólio da
renascentistas, o “humano” ocupou o lugar cultural até explicação dos fenômenos do mundo. O método
então vinculado ao divino, ao espiritual. experimental passou a determinar muitos saberes.
c) Nicolau Copérnico refutou o geocentrismo,
formulando a Teoria Heliocêntrica.

H0429 - (Ufrgs) Considere as imagens abaixo, em que é representada, de formas distintas, a crucificação de Cristo.

A comparação entre as duas pinturas mostra uma transformação fundamental na história da arte do Ocidente, que
teve no chamado Renascimento italiano do século XV um de seus momentos principais.

Assinale a alternativa que apresenta a principal característica do Renascimento italiano.


a) O desaparecimento das representações de anjos, indicando o advento do racionalismo filosófico e o abandono da
metafísica religiosa.
b) O aprimoramento do realismo estético na representação humana, afirmando o predomínio do humanismo em
detrimento do antropocentrismo.
c) O desenvolvimento da teoria da perspectiva geométrica, marcada pelo princípio do “ponto de fuga”, que favorecia
a representação em profundidade dos espaços.
d) A representação de colunas jônicas, mostrando que o interesse em relação à Antiguidade grega ocorreu apenas a
partir do Quattrocento.
e) A interiorização da cena representada, assinalando o desinteresse da arte renascentista pelas paisagens da
natureza.
H0430 - (Cftrj) “(...)o homem é o mensageiro da vontade e livre consentimento. (...) Eu te coloquei no
criação, o parente de seres superiores, o rei das centro do mundo, a fim de poderes inspecionar, daí, de
criaturas inferiores, o intérprete da natureza inteira todos os lados, da maneira mais cômoda, tudo que
pela agudeza dos sentidos, pela inquirição da mente e existe. Não te fizemos nem celeste, nem terreno,
pela luz do intelecto... mortal ou imortal, de modo que assim, tu, por ti
mesmo, qual modelador e escultor da própria imagem,
(...) Assim, pois, tomou o homem, essa obra de tipo segundo tua preferência e, por conseguinte, para tua
indefinido, e tendo-o colocado no centro do universo, glória, possas retratar a forma que gostarias de
falou-lhes nestes termos: 'A ti, ó Adão, não te temos ostentar. Poderás descer ao nível dos seres baixos e
dado nem uma sede determinada, nem um aspecto embrutecidos; poderás, ao invés, por livre escolha da
peculiar, nem um múnus singular precisamente para tua alma, subir aos patamares superiores que são
que o lugar, a imagem e as tarefas que reclamas para divinos’”.
ti, tudo isso tenhas e realizes, mas pelo mérito da tua (Oração de Giovanni Pico della Mirândola, Sobre a Dignidade do
Homem.- 1486)
11

Idade Moderna 122


Considerando o texto acima, de um filósofo do H0433 - (Ufjf) Leia atentamente os documentos abaixo:
movimento artístico cultural conhecido como
Renascimento (séc. XV-XVI), assinale o que não é Documento 1
característica desse movimento:
a) Humanismo
b) Antropocentrismo
c) Teocentrismo
d) Racionalismo

H0431 - (Unesp) Ainda hoje a palavra Renascimento


evoca a ideia de uma época dourada e de homens
libertos dos constrangimentos sociais, religiosos e
políticos do período precedente. Nessa “época
dourada”, o individualismo, o paganismo e os valores
da Antiguidade Clássica seriam cultuados, dando
margem ao florescimento das artes e à instalação do
homem como centro do universo.
(Tereza Aline Pereira de Queiroz. O Renascimento, 1995.
Adaptado.)

O texto refere-se a uma concepção acerca do


Renascimento cultural dos séculos XV e XVI que
a) projeta uma visão negativa da Idade Média e
identifica o Renascimento como a origem de valores
ainda hoje presentes.
b) estabelece a emergência do teocentrismo e reafirma
o poder tutelar da Igreja Católica Romana. Documento 2
c) caracteriza a história da arte e do pensamento como
desprovida de rupturas e marcada pela continuidade
nas propostas estéticas.
d) valoriza a produção artística anterior a esse período
e identifica o Renascimento como um momento de
declínio da criatividade humana.
e) afirma o vínculo direto das invenções e inovações
tecnológicas do período com o pensamento mítico da
Antiguidade.

H0432 - (Ufrgs) Sobre o desenvolvimento do


pensamento moderno no Ocidente, entre os séculos
XIV e XVIII, é correto afirmar que
a) os estudos empíricos sobre a natureza, realizados no
Renascimento, contribuíram para o desenvolvimento
Documento 3
da ciência europeia.
b) o abandono do dogma cristão pelo pensamento
"Foi no Renascimento que se sistematizou uma forma
humanista motivou a criação dos tribunais do Santo
de representar o espaço real e tridimensional
Ofício para combater as heresias.
(realidade) partindo de uma abstração matemática que
c) a filosofia foi marcada por uma completa ruptura em
ficou conhecida como perspectiva. Na Renascença,
relação à visão de mundo, elaborada durante a
quase toda pintura obedecia a esse método de
antiguidade.
representação. A perspectiva era um expediente
d) a Reforma Protestante caracterizou-se pela
geométrico que produzia a ilusão da realidade,
reafirmação dos valores institucionais da Igreja e pela
mostrando os objetos no espaço em suas posições e
defesa do papado.
tamanhos corretos. A perspectiva capta os fatos visuais
e) a rígida separação social entre a elite letrada e a
e os estabiliza, transformando o ponto fixo de um
população camponesa impedia o desenvolvimento de
observador para o qual o mundo todo converge.”
práticas culturais populares. Disponível em https://goo.gl/814GFE
12

Idade Moderna 123


Ao comparar os três documentos apresentados, é pacificação entre as classes dominantes ocorreu com o
CORRETO afirmar que: fortalecimento do Regime Parlamentar ao longo do
a) Os pintores do Renascimento desconheciam as século XVIII.
correlações possíveis entre a Geometria e a produção c) a instauração da República de Cromwell e do
artística. parlamentarismo, em meados do século XVIII, foi
b) A busca da tridimensionalidade realista foi a tônica responsável pelo fim das turbulências políticas
da arte usada na construção de Igrejas durante a Idade características do absolutismo monárquico.
Média, aspecto perpetuado pela Renascença. d) o avanço da civilização mencionado no texto ocorreu
c) A técnica da perspectiva inventada no Renascimento com o estabelecimento do princípio da tolerância
encontra-se ainda presente em recursos atuais de religiosa entre anglicanos, calvinistas e católicos pelo
produção de imagens, tais como a fotografia e o Parlamento no final do século XVIII.
cinema. e) o estabelecimento do parlamento bicameral, com
d) Durante a Renascença, a fotografia era uma técnica representação para os nobres e para a burguesia
disseminada enquanto recurso voltado à enriquecida, e do direito de voto universal, ambos no
representação de lugares, pessoas e paisagens. século XVIII, foram responsáveis pela contenção das
e) As técnicas utilizadas na pintura de tipo lutas sociais na Grã-Bretanha.
renascentista originaram-se na América e expandiram-
se para a Itália e França após o século XIV. H0436 - (Enem) Dois grandes eventos históricos
tornaram possível um caso como o de Menocchio: a
H0434 - (Espcex) Alguns humanistas cristãos, a partir invenção da imprensa e a Reforma. A imprensa lhe
do século XI, condenaram o distanciamento do clero permitiu confrontar os livros com a tradição oral em
católico do que chamavam de “espírito do Evangelho”. que havia crescido e lhe forneceu as palavras para
Qual o nome do francês que criou uma vertente do organizar o amontoado de ideias e fantasias que nele
Protestantismo que foi adotada na França, na Suíça, na conviviam. A Reforma lhe deu audácia para comunicar
Inglaterra, na Escócia e nos Países Baixos? o que pensava ao padre do vilarejo, conterrâneos,
a) Martinho Lutero. inquisidores – mesmo não tendo conseguido dizer tudo
b) Rei Henrique VIII. diante do papa, dos cardeais e dos príncipes, como
c) Zwinglio. queria.
d) Calvino. GINZBURG, C. O queijo e os vennes: o cotidiano e as ideias de um
e) Pedro Valdo. moleiro perseguido pela Inquisição. São Paulo: Cia, das Letras.
2006.

H0435 - (Fuvest) A entrega pacífica do governo a um


Os acontecimentos históricos citados ajudaram esse
adversário pressupunha um elevado nível de
indivíduo, no século XVI, a repensar a visão católica do
automoderação. O mesmo determinou a boa vontade
mundo ao possibilitarem a
de um governo em não usar os seus grandes recursos
a) consulta pública das bibliotecas reais.
do poder na humilhação ou destruição de
b) sofisticação barroca do ritual litúrgico.
predecessores hostis ou opositores (...). As técnicas
c) aceitação popular da educação secular.
militares deram lugar às técnicas verbais do debate
d) interpretação autônoma dos textos bíblicos.
feitas de retórica e de persuasão, a maior parte das
e) correção doutrinária das heresias medievais.
quais exigia mais contenção geral, identificando, de
modo nítido, esta mudança com um avanço da
H0437 - (Uece) Atente para o seguinte excerto:
civilização.
Norbert Elias, A busca da excitação. Lisboa: Difel, 1992.
“...A partir de minhas pesquisas em Portugal, eis a lista
dos “crimes” de 235 moradores da Bahia processados
O processo histórico britânico ofereceu, entre os pela Santa Inquisição entre 1546 a 1821, data em que
séculos XVII e XIX, modelos institucionais e práticas é extinto este tribunal eclesiástico: judaísmo: 96;
políticas importantes. bigamia: 34; blasfêmia: 33; sodomia: 18; gentilismo:
12; luteranismo: 10; feitiçaria: 10; contra a Inquisição:
A respeito deles, é correto afirmar que 8; falsos padres: 6; irreligiosidade: 6; solicitação: 2”.
MOTT, L. Bahia: inquisição e sociedade [online]. Salvador:
a) os debates acalorados no Parlamento, que EDUFBA, 2010. p.24.
desencadearam uma série de lutas sociais no século
XVIII, foram apenas superados no início do século XIX No excerto acima, Luiz Mott apresenta um aspecto da
com a instauração do Regime Parlamentar. história colonial brasileira que corresponde
b) após o turbulento século XVII, marcado por
sucessivas lutas sociais e golpes de Estado, a
13

Idade Moderna 124


a) ao forte controle estatal sobre a moralidade pública nós mesmos. Como, porém, se entrelaçam com muitos
a partir da realização de Tribunais de Inquisição, elos, não é fácil, entretanto, discernir qual deles
comandados por juízes laicos vindos de Portugal. precede ao outro, e ao outro origina. [...] Por outro
b) à atuação da Santa Inquisição Católica na tentativa lado, é notório que o homem jamais chegue ao puro
de impedir o crescimento de outras religiões e igrejas conhecimento de si mesmo até que haja antes
na colônia, garantindo seus dogmas e o predomínio do contemplado a face de Deus, e da visão dele desça a
seu modelo de sociedade. examinar-se a si próprio [...].
c) à busca da Coroa Portuguesa por um equilíbrio na CALVINO, João. As Institutas ou Tratado da Religião Cristã. São
Paulo: Cultura Cristã. p. 47-48. (Adaptado)
sociedade colonial, combatendo, através da Santa
Inquisição, práticas discriminatórias e promovendo a
inclusão social. A Reforma Protestante pode ser definida como um
d) ao apoio do Estado português às Igrejas Cristãs movimento de caráter essencialmente teológico com
Reformadas instaladas na colônia portuguesa para que inúmeras consequências políticas e religiosas. Uma de
fizessem, através da Santa Inquisição, uma restauração suas causas foi a inquietação espiritual de parte do
moral na população colonial. clero frente a crise clerical verificada em fins da Idade
Média.
H0438 - (Ufu) As revoluções que abalaram a Inglaterra
no século XVII caracterizaram a superação tanto do Em relação à Reforma Protestante, é correto afirmar
modo de produção feudal quanto do Antigo Regime e que
de suas instituições. Isso possibilitou o surgimento e o a) suas raízes podem ser encontradas já em fins da
desenvolvimento de uma sociedade burguesa e a Idade Média nas obras e nos pensamentos de homens,
futura emergência da produção capitalista no país. Um como John Wycliff e Jan Huss, que já, nos séculos XIV e
dos principais nomes desse processo revolucionário foi XV, criticavam a venda de indulgências e a hierarquia
o de Oliver Cromwell que, após um período de guerra eclesiástica.
civil, instaurou uma República que durou entre os anos b) se desenvolveu uma forte crítica ao pensamento
1649 e 1658. racional e ao individualismo moderno, devido à
importância atribuída à Bíblia e a seus códigos morais
Considera-se como alguns dos principais feitos do rígidos.
período Cromwell, EXCETO, c) a partir da reforma luterana, desenvolveram-se, por
a) a conquista da Irlanda, com a expropriação dos toda a Europa, igrejas protestantes e/ou reformadas,
proprietários de terra e dos camponeses. centralizadas, cujas autoridade e limites se
b) a vitória dos ideais Levellers (sufrágio, fim dos sobrepunham às fronteiras dos Estados Nacionais do
monopólios, separação entre Estado e Igreja etc.). período.
c) a conquista da Escócia, com o intuito de impedir ali d) a salvação era obtida por meio da graça de Deus,
o reestabelecimento da velha ordem. mas também pela participação na eucaristia, momento
d) o empreendimento de uma política naval e em que o pão e o vinho se transformavam no corpo de
comercial mais avançada por meio do Ato de Cristo (transubstanciação), segundo João Calvino.
Navegação de 1651.

H0439 - (Ifsul) Nos séculos XVII e XVIII, a partir da H0441 - (Espm) Em 1646, em plena guerra civil, um
Europa Ocidental, um novo estilo de arte se impôs: o grupo de democratas em Londres afirmou que a
Barroco. Rompendo o sóbrio equilíbrio que soberania do Parlamento e sua resistência ao rei só
caracterizava a arte renascentista, busca comover, poderiam se justificar teoricamente se essa soberania
deslumbrar e dotar as obras de um caráter de derivasse do povo. Assim, se o povo era soberano,
espetáculo. O Barroco tinha uma ligação profunda com então o Parlamento teria de se fazer representante do
o ideário associado povo. O mais pobre dos indivíduos tem tanto direito de
a) à Reforma. votar quanto o mais rico e o mais importante deles.
(Christopher Hill. O Século das Revoluções)
b) à Contrarreforma.
c) ao Humanismo.
O texto, que trata de uma revolução e de um grupo
d) ao Racionalismo.
político nela interveniente, refere-se:
a) à Revolução Ludita e ao grupo dos destruidores de
H0440 - (Ufu) “Quase toda a soma de nosso
máquinas;
conhecimento, que de fato se deva julgar como
b) à Revolução Gloriosa e ao grupo dos cartistas;
verdadeiro e sólido conhecimento, consta de duas
c) à Revolução Gloriosa e ao grupo dos cavaleiros;
partes: o conhecimento de Deus e o conhecimento de
14

Idade Moderna 125


d) à Revolução Puritana e ao grupo dos diggers ou documento em que se tornava o chefe da Igreja da
escavadores; Inglaterra, posteriormente denominada Anglicana.
e) à Revolução Puritana e ao grupo dos levellers ou b) Lutero e o teólogo Felipe Melanchton escreveram a
niveladores. Confissão de Augsburgo, fundamentando a doutrina
luterana. Um dos pontos desta obra determinava a
H0442 - (Ueg) Leia o texto a seguir: substituição do latim pela língua nacional nos cultos
religiosos.
Por ter tido educação protestante, nunca achei que 31 c) As ideias protestantes influenciaram a revolta
de outubro é o dia das bruxas. Sempre foi o dia em que camponesa sob a liderança de Thomas Munzer na
Lutero, em 1517, começou uma revolução. Turíngia, que pregava o fim do Estado e da propriedade
LEITÃO, Míriam. Disponível em: <blogs.oglobo.com/miriam- privada.
leitao/post/os-500-anos-da-reforma-protestante-que-abalou-o- d) Calvino condenava a usura e a doutrina da
mundo.html>. Acesso em: 18 ago. 2017.
predestinação, sendo apoiado por integrantes do clero
secular e da própria burguesia estabelecida na Suíça.
No ano de 2017, completam-se 500 anos da eclosão da
Reforma Protestante. Do ponto de vista histórico, a
H0445 - (Upe) A morte de Carlos I, rei da Inglaterra, em
Reforma pode ser considerada uma revolução
1649, conforme demonstra a imagem abaixo, teve
a) estética, pois foi a matriz ideológica da concepção
como principal(ais) significado(s) sociopolítico(s) a(o)
barroca de mundo que se manifestou nos países
ibéricos.
b) política, pois permitiu a centralização monárquica
absolutista, ao legitimar a tese do direito divino dos
reis europeus.
c) econômica, pois, com os puritanos, difundiu-se uma
nova mentalidade econômica que gerou o capitalismo.
d) social, pois legitimou as aspirações revolucionárias
dos camponeses europeus na luta contra a aristocracia.
e) intelectual, pois foi difusora do pensamento
científico iluminista por meio de intelectuais
protestantes, como é o caso de Voltaire.

H0443 - (Ifsul) No quadro de transformações


estruturais da Idade Moderna, a partir do século XVI,
foi se consolidando uma doutrina religiosa que dizia
não ser o lucro um pecado para um cristão, mas um
objetivo e prova de predestinação.

Tal doutrina refere-se ao


a) Calvinismo. a) crise e o declínio do absolutismo.
b) Luteranismo. b) implementação da República inglesa.
c) Catolicismo renovado. c) restabelecimento das relações feudais.
d) Anabatismo. d) irrupção de movimentos liberais pró-
presidencialismo.
H0444 - (Acafe) “Erram os pregadores de indulgências e) estabelecimento da guerra civil e o fim do Reino
quando dizem que pelas indulgências do papa o Unido.
homem fica livre de todo pecado e que está salvo”. Este
é um dos pontos das 95 teses divulgadas por Martinho H0446 - (Upf) A Reforma Protestante, iniciada em 1517
Lutero na porta da igreja do Castelo de Wittenberg, em por Martin Lutero, rompeu a unidade cristã que existia
1517, que está completando 500 anos em 2017. na Europa, fazendo com que a Igreja Católica reagisse,
promovendo também uma reforma religiosa, que ficou
Acerca do contexto da reforma protestante, da conhecida como a Contrarreforma.
atuação de Lutero e do avanço do movimento Assinale a alternativa que não corresponde àquele
reformista na igreja europeia é correto afirmar, exceto: momento histórico.
a) Henrique VIII, rei da Inglaterra, rompeu com o a) O combate ao lucro e à usura, bases da vida
catolicismo publicando o Ato de supremacia, comercial e financeira que se dinamizava ao final da

15

Idade Moderna 126


Idade Média, mostrava o descompasso da Igreja igrejas protestantes, o que impediu, posteriormente,
católica em relação às transformações ocorridas na os conflitos entre as crenças cristãs.
sociedade. d) definiu uma forma de interação entre diferentes
b) As ideias de Martin Lutero centravam-se na salvação religiões, apaziguando os conflitos entre cristãos,
pela fé e na leitura direta e interpretação pessoal do judeus e muçulmanos no oriente médio até os dias
Evangelho, além de contestarem a supremacia da atuais.
Igreja sobre o Estado.
c) Exaltando o trabalho e a poupança como condutores H0448 - (Acafe) Em 2017 completam-se os 500 anos da
da vida humana, ao mesmo tempo em que proibia o Reforma Protestante. Iniciada em 1517, promoveu
lazer e a diversão, o calvinismo consagrava valores transformações religiosas e políticas na Europa
morais e políticos defendidos pela burguesia mercantil. moderna. Sobre os eventos que têm relação com a
d) A Contrarreforma significou a tentativa da Igreja Reforma Protestante é correto afirmar, exceto:
Católica de reorganizar-se com base em princípios a) A doutrina calvinista aceitava o mundo dependente
liberais: abrandamento da hierarquia clerical e da da vontade de Deus, estando todos os homens sujeitos
autoridade papal, tolerância quanto aos hereges e à predestinação.
abandono das práticas de censura. b) Na Dieta de Worms, convocada pelo monarca Carlos
e) Na Inglaterra, a reforma que originou a Igreja V, o luteranismo foi oficializado como religião do Sacro
Anglicana foi promovida pelo rei Henrique VIII, que Império e difundiu-se rapidamente na Península
rompeu com a Igreja Católica romana por motivações Ibérica.
políticas, encobertas sob suas complicadas questões c) A supressão do celibato e a condenação da simonia
matrimoniais. também caracterizaram princípios defendidos pelo
protestantismo.
H0447 - (Uece) Leia atentamente o trecho a seguir: d) O sistema clerical dominante foi criticado por Lutero
“Antes de chegar à ilha, o rei Utopos tinha através das 95 teses fixadas na porta da igreja do
conhecimento de que seus habitantes lutavam castelo de Wittenberg.
continuamente entre si por questões religiosas. De
fato, concluiu que seria fácil conquistar a ilha porque H0449 - (Ufjf) A Reforma Protestante foi um
as diferentes seitas estavam demasiadamente movimento religioso que ocorreu no período de
ocupadas, lutando umas contra outras, para se oporem transição da época medieval para a moderna. Esse
às suas forças. Portanto, tão logo conquistou a vitória, período foi marcado por inúmeras transformações no
decretou que cada um era livre para professar a que se refere à mentalidade e às relações
religião de sua própria escolha, podendo fazer sociopolíticas. Sobre esse contexto, assinale a resposta
proselitismo por sua fé, desde que fosse de forma INCORRETA:
racional, discreta e moderada, sem agredir outras a) A crise econômica feudal possibilitou a emergência
crenças”. de questionamentos da população em relação aos
MORE, Thomas. Utopia. trad. Anah de Melo Franco. Brasília: dogmas impostos pela Igreja Católica. Os clérigos
Editora da Universidade de Brasília: Instituto de Pesquisa de estavam mais preocupados com o poder político e com
Relações Internacionais, 2004, p. 115.
recursos materiais.
b) O Movimento Renascentista abriu espaço para
Publicado em 1516, o clássico Utopia, do inglês Thomas
questionar o papel exercido pela Igreja Católica. O
More ou Thomas Morus, reflete a visão do autor sobre
Heliocentrismo contribuiu para diminuir o monopólio
várias questões de sua época. Quanto às questões
da produção intelectual da Igreja.
religiosas, tratadas no excerto acima, o livro é bastante
c) A venda de títulos eclesiásticos e de indulgências era
significativo de sua época, porque
uma prática oficializada pelos representantes do clero,
a) na Europa, apenas uma Igreja existiu no século XVI,
cuja ampliação e popularização desse comportamento
a Igreja Católica Romana, portanto essa postura
fortaleceu o poder da Igreja Católica.
hipotética seria ideal apenas para lugares com várias
d) Houve a criação de instituições religiosas cristãs que
correntes religiosas.
apresentavam novos preceitos relacionados à base
b) na Inglaterra, a criação de uma igreja nacional — o
doutrinária da Igreja Católica. O Luteranismo, o
anglicanismo — provocou profundos choques e
Calvinismo e o Anglicanismo foram religiões
perseguições aos cristãos católicos e calvinistas pela
protestantes surgidas no século XVI.
nova igreja fundada pelo rei Henrique VIII.
e) As novas atividades praticadas pelos comerciantes
c) estabeleceu um modelo de comportamento que foi
burgueses no ambiente das cidades como, por
plenamente aceito na Europa quando surgiram as
exemplo, a prática da usura, eram consideradas de
caráter pecaminoso pelo clero católico.
16

Idade Moderna 127


H0450 - (Ueg) Leia o texto a seguir. Exceto que, acerca disso, a regra seja prescrita pela
O desenvolvimento do racionalismo econômico é Igreja?
parcialmente dependente da técnica e do direito CALVINO, J. A instituição da religião cristã. Trad.: Editora Unesp,
São Paulo:2007, tomo I, p. 71.
racionais, mas é ao mesmo tempo determinado pela
habilidade e disposição do homem em adotar certos
tipos de conduta racional prática [...]. As forças mágicas O texto acima refere-se
e religiosas e as ideias éticas de dever nelas baseadas a) à perspectiva reformista de salvação humana pelo
têm estado sempre, no passado, entre as mais conjunto das obras e pelo conhecimento da Bíblia.
importantes influências formativas de conduta. b) à afirmação do papel da Igreja como orientador do
WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São conhecimento divino e como base para a salvação.
Paulo: Pioneira, 1981. p. 09. c) ao livre arbítrio como guia para o conhecimento de
Deus e como validação dos escritos sagrados.
Uma das mais conhecidas explicações sobre a origem d) à valorização da verdade inserida nas Sagradas
do capitalismo é a do sociólogo alemão Max Weber, Escrituras e à crítica à intermediação da Igreja.
que postula a afinidade entre a ética religiosa e as e) ao culto aos santos e ao Espírito Santo como
práticas capitalistas. Essa relação se mostra claramente caminho para a compreensão dos desígnios de Deus.
na ética do
a) Catolicismo romano, que por meio da cobrança de H0453 - (Fgv) Em um dos diálogos da peça intitulada
dízimos e vendas de indulgências estimulou a Henrique VIII, de William Shakespeare, encenada em
acumulação de capital. 1613, a rainha católica Catarina, primeira esposa do rei,
b) Puritanismo calvinista, que concebe o sucesso desabafava:
econômico como indício da predestinação para a
salvação. Mesmo aqui poderemos falar, pois, em consciência,
c) Luteranismo alemão, que defendia que cada pessoa até hoje nada fiz que não pudesse revelar francamente
devia seguir a sua vocação profissional para conseguir em qualquer parte. Prouvera ao céu que todas as
a salvação. mulheres pudessem declarar a mesma coisa com igual
d) Anglicanismo britânico, que, ao desestimular as liberdade. Meus senhores, uma felicidade sempre tive:
esmolas, permitiu o incremento da poupança nas isso de não ligar nunca importância ao fato de meus
famílias burguesas. gestos comentados serem por toda a gente, de ficarem
e) Catolicismo Ortodoxo, que, ao abrir mão dos luxos sob a vista de todos, e como alvo dos ataques da inveja
nas construções arquitetônicas, canalizou capital para e da calúnia, tão certa me acho de ter vida limpa. Se
investimentos econômicos. vindes para examinar a minha conduta como esposa,
sede francos. Sempre a verdade ama linguagem rude.
H0451 – (Unesp) As reformas protestantes do princípio http://www.ebooksbrasil.org/eLibris/oitavo.html
do século XVI, entre outros fatores, reagiam contra
a) a venda de indulgências e a autoridade do Papa, líder O monarca Henrique VIII governou a Inglaterra entre
supremo da Igreja Católica. 1509 e 1547. Durante esse turbulento período,
b) a valorização, pela Igreja Católica, das atividades a) o catolicismo foi consolidado na Inglaterra, por ação
mercantis, do lucro e da ascensão da burguesia. direta do rei, que se manteve aliado a Roma contra os
c) o pensamento humanista e permitiram uma ampla monarcas ibéricos.
revisão administrativa e doutrinária da Igreja Católica. b) a liberdade de culto foi implementada, favorecendo
d) as missões evangelizadoras, desenvolvidas pela a constituição de diversos grupos religiosos após a
Igreja Católica na América e na Ásia. Reforma Protestante.
e) o princípio do livre-arbítrio, defendido pelo Santo c) o casamento civil, desvinculado da cerimônia
Ofício, órgão diretor da Igreja Católica. religiosa, foi estabelecido como alternativa para os
diversos matrimônios do rei.
H0452 - (Fgv) Cresce entre muitos o erro d) uma nova religião se formou, marcada por uma
perniciosíssimo de que o valor da Escritura decorre da estrutura sacerdotal ligada diretamente ao Estado
vontade da Igreja, como se dependesse do arbítrio inglês e aos interesses do rei.
humano a eternal e inviolável verdade de Deus, pois, e) medidas legais foram criadas para impedir as
com grande desprezo pelo Espírito Santo, perguntam: mulheres de participarem da linha sucessória na
quem nos fará crer que provém de Deus? Como nos monarquia inglesa.
certificamos de que chegou salva e intacta aos nossos
dias? Quem pode nos persuadir de que este livro deve
ser recebido com reverência e outro expurgado?

17

Idade Moderna 128