Você está na página 1de 8

18

Exemplo
Apud = citado por, conforme, segundo
De acordo com Struve (1996, 2002), uma crença e
uma atividade religiosa/espiritual ativa tem um Et al. ou et alii = e outros
efeito curativo significativo pela mudança de
atitudes específicas e alterações de
comportamento, baseados principalmente em uma Algumas expressões latinas usadas somente em
convicção espiritual.
notas de rodapé, no caso do Sistema Numérico:

Cf. = confira, confronte


As citações de diversos documentos de um Ex.: Cf. ANTUNES, 2005.
mesmo autor, publicados num mesmo ano, são
diferenciadas pelo acréscimo de letras minúsculas, Ibid. ou Ibidem = mesma obra
em ordem alfabética, após a data e sem espaçamento, Ex.: SOLOMON, 2006, p. 21.
conforme a lista de referências. Ibid., 2005, p. 190.

Exemplo Id. ou Idem = mesmo autor; igual a


anterior Ex.: NAVEGA, 2005, p. 7.
Id., 2005, p. 20.
Estudos epidemiológicos analisando as possíveis Loc. cit. ou loco citato = no lugar citado
rotas de transmissão de hepatite aguda verificaram Ex.: ALVES; MATTAR, 1997, p. 52-59.
que a transmissão por via sexual é a principal rota
de contaminação, mostrando-se, inclusive, muito
ALVES; MATTAR, 1997, loc. cit.
mais comum que o uso de droga intravenosa.
(STRUVE et al., 1992, 1995a, 1995b, 1996a, Op. cit. ou opus citatum ou opere citato = na obra
1996b, 996c). citada
Ex.: SANTOS, 1996, p. 42.
SILVA, 1990, p. 20-24.
“As citações indiretas de diversos documentos de SANTOS, op. cit., p. 19.
vários autores, mencionados simultaneamente,
Passim = aqui e ali; em vários trechos ou passagens
devem ser separadas por ponto-e-vírgula, em ordem Ex.: MOTTA, 1991, passim.
alfabética.” (ABNT, 2002, p. 3). Et seq. ou sequentia = seguinte ou que se segue
Ex.: SILVA, 2003, p. 30 et seq.
Exemplo
E.g. ou exempli gratia = por exemplo

A função de Struve H1(z) mostrou-se a ferramenta Sic = assim.


mais eficiente para modelar o alcance da
frequência auditiva de baixa intensidade no
cálculo da impedância acústica. (AARTS;
JANSSEN, 2003; BOISVERT; VAN BUREN, 2.5 EXERCÍCIOS SOBRE CITAÇÕES I
2002; KEEFE; LING; BULEN, 1992;
KRUCKLER et al., 2000;
WITTMANN; YAGHJIAN, 1991). 1) De acordo com a NBR 10520 (2002),
caracterize as citações a seguir:

1.1. O contrato de seguro de vida, seguindo a


definição da FUNENSEG (1998, p.17), pode ser:
2.4 ABREVIATURAS DE EXPRESSÕES
LATINAS Em linhas gerais, denomina-se contrato de seguro
de vida aquele em que a duração da vida humana
serve de base para o cálculo do prêmio devido ao
As expressões latinas, abreviadas ou não, segurador, para que este se obrigue a pagar uma
indenização em forma de um capital ou uma renda
utilizadas para as subsequentes citações do mesmo determinada ao beneficiário, por morte do
autor e/ou da mesma obra, devem ser usadas na segurado, podendo estipular-se [...] que esta
página ou na folha onde aparece a citação a que se indenização seja paga ao próprio segurado, ou a
terceiro, se aquele sobreviver ao prazo do contrato.
referem. Únicas expressões latinas usadas no texto,
no caso do Sistema Autor-Data:
MET O DOL OGIA D O T RA BA L HO C I EN T Í F I C O I I 19

( ) citação da citação ( x) longa ( ) curta 1.5. Desta forma, a razão não tem a função de
( ) destaque (x ) conhecer, mas a de regular e controlar a sensibilidade
omissão ( ) indireta e o entendimento. Assim, a razão é inata e universal
e esta organiza, formula e reformula as ideias. Neste
sentido, afirma Kant (apud REALE, 1990, p. 882):
1.2. Segundo Gonçalves (2005, p. 02, grifo
nosso), “As seguradoras são as operadoras da Nenhuma das nossas duas faculdades deve ser
política traçada pelo CNSP e receptores das anteposta à outra. Sem a sensibilidade, nenhum
consequências essa política. tem como principal objeto seria pensado. Sem conteúdo, os pensamentos
são vazios; sem conceitos, as intuições são cegas [...].
atribuição: administrar eficientemente o seguro, Essas duas faculdades ou capacidades não podem ter
de acordo com as diretrizes do CNSP.” suas funções trocadas. O intelecto não pode intuir
nada, nem os sentidos podem pensar nada. O
conhecimento só pode brotar dessa união.

( ) citação da citação ( ) longa (x )


curta (x ) destaque ( ) omissão
() indireta (x) citação da citação (x) longa ( ) curta
( ) destaque
(x) omissão () indireta
1.3. De acordo com Becker (1993, p. 37), na
"[...] ausência de reflexão epistemológica o professor
acaba assumindo noções de senso comum", pois a 1.6. Entre os traços comuns do positivismo, está
noção de conhecimento entre os professores pode ser o fato de que este, segundo Reale (1990, p. 297),
vaga ou, às vezes, estes tem dificuldade de responder "[...] reivindica o primado da ciência: nós
o que entendem por conhecimento. conhecemos somente aquilo que as ciências nos dão
a conhecer, pois o último método de conhecimento é
o das ciências naturais.”
( ) citação da citação ( ) longa (x)
curta ( ) destaque (x) omissão
() indireta ( ) citação da citação ( ) longa (x) curta
( ) destaque (x) omissão ()
indireta
1.4. Hoje, equipados com novas ferramentas e
novos conceitos, essas disciplinas, com um novo
quadro de pensadores, denominados 'cientistas 1.7. Muitas teorias buscam oferecer as melhores
cognitivos', investigam muitas das questões que já explicações da cognição e o seu funcionamento, mas
preocupavam os gregos há aproximadamente 2500 deixam em aberto algumas questões. Vejamos
anos. Esta ideia é reforçada por Gardner (1996, p.18) alguns exemplos, como diz Teixeira (2000, p.16):
que argumenta:

Assim como seus antigos colegas, os cientistas


Eu posso fechar meus olhos e, numa fração de
cognitivos de hoje perguntam o que significa
segundos, pensar em estrelas coloridas cintilando
conhecer algo e ter crenças precisas, ou ser
num céu azul-escuro. Estrelas que nem sequer sei se
ignorante ou estar errado. Eles procuram entender o
existem, e que talvez estejam a muitos anos-luz de
que é conhecido - os objetos e sujeitos do mundo
distância. Eu posso imaginar uma vaca amarela ou
externo - e as pessoas que conhece - seu aparelho
então dizer que estou a sentir muito calor.
perceptivo, mecanismo de aprendizagem,
Entretanto, se alguém pudesse abrir o meu cérebro e
memória e racionalidade. Eles investigam as
examiná-lo com o mais aperfeiçoado instrumento
fontes do conhecimento: de onde vem, como é
de observação de que a ciência dispõe, não veria
armazenado e recuperado, como ele pode ser
estrelas coloridas nem uma vaca amarela. Veria
perdido? Eles estão curiosos com a diferença entre
apenas uma massa cinzenta, cheia de células ligadas
indivíduos: quem aprende cedo ou com dificuldade:
entre si.
o que poder ser conhecido pela criança, pelo
cidadão de uma sociedade não letrada, por um
indivíduo que sofreu lesão cerebral, ou por um
cientista maduro?
( ) citação da citação (x) longa ( ) curta
( ) destaque ( ) omissão ()
indireta

( ) citação da citação (x) longa ()


curta ( ) destaque ( ) omissão
() indireta
20

1.8. O ser humano é portador de um cérebro, no 2.1. O contrato de seguro de vida, seguindo a
qual os neurônios são formados no primeiro ano de definição da FUNENSEG (1998, p.17), pode ser:
vida. (FIALHO, 2001).
“Em linhas gerais, denomina-se contrato de seguro
de vida aquele em que a duração da vida humana
( ) citação da citação ( ) longa ( ) curta serve de base para o cálculo do prêmio devido ao
segurador, para que este se obrigue a pagar uma
( ) destaque ( ) omissão (x) indenização em forma deum capital ou uma renda
indireta determinada ao beneficiário, por morte do
segurado,podendo estipular-se (...) que esta
indenização seja paga ao próprio segurado, ou a
terceiro, se aquele sobreviver ao prazo do contrato.”
1.9. Paraíso (2004) aponta alguns temas que
permeiam as pesquisas pós-críticas em Educação no R: Substituir () por []
Brasil, as quais tem como opção as explicações e as
narrativas parciais, pelo local e pelo particular, não
se preocupam com comprovações daquilo que já foi
sistematizado na Educação, não se interessam,
também, por modos de ensinar, formas de avaliar ou
por conhecimentos legítimos, a não ser para
problematizar essas comprovações, esses modos,
essas formas de conhecimento.
2.2. Segundo Gonçalves (2005, p. 02), “As
seguradoras são as operadoras da política traçada
( ) citação da citação ( ) longa ( ) curta pelo CNSP e receptoras das consequências dessa
( ) destaque política. tem como principal atribuição:
( ) omissão (x) indireta administrar
eficientemente o seguro, de acordo com as diretrizes
1.10. do CNSP.” (grifo nosso)
R: O termo ‘grifo nosso’ deve ficar após o número da pagina
Como consequência de seus interesses, as pesquisas
pós-críticas em Educação no Brasil tem
questionado o conhecimento (e seus efeitos de
verdade e de poder), o sujeito (e os diferentes
modos e processos de subjetivação), os textos
educacionais (e as diferentes práticas que estes
produzem e instituem). Tais pesquisas tem
problematizado as promessas modernas de
liberdade, conscientização, justiça, cidadania e
democracia, tão difundidas pelas pedagogias
críticas brasileiras, abdicado da exclusividade da
categoria classe social e discutido, também,
questões de gênero, etnia, raça, sexualidade, idade.
tem discutido questões dos tempos e espaços
educacionais, mostrando os processos de feitura da 2.3. A história da literatura tem relativamente
escola moderna, bem como pensado, de diferentes poucos capítulos. Começa a delinear-se no início do
formas, a diferença, a identidade e a luta por século XVIII, quando a criança passa a ser diferente
representação. tem aberto mão da função de
prescrever, de dizer aos outros como devem ser,
do adulto, com necessidades e características
fazer e agir. (PARAISO, 2004, p. 287). próprias, pelo que deveria distanciar-se da vida dos
mais velhos e receber uma educação especial que a
preparasse para a vida adulta. (Cunha, 1997, p. 22).
() citação da citação (x) longa ( ) curta
() destaque R:O nome do autor deve estar em caixa alta
( ) omissão () indireta

2.6 EXERCÍCIOS SOBRE CITAÇÕES II

2. De acordo com a NBR 10520 (2002), corrija os


erros das citações (se houver).
MET O DOL OGIA D O T RA BA L HO C I EN T Í F I C O I I 21

2.4. O seguro de vida responde por 57% do 2.7. Segundo Fernandes (2004),
volume total de prêmios do mercado mundial. Neste “Responsabilidade Social trata-se de um processo
mesmo ano, o Brasil ocupou a posição de 25º lugar, dinâmico que se reflete no nosso meio social, no qual
ficando em valores de US$ 6.306 no segmento Vida. se cruzam diversos fatores de ordem econômica,
(INFORME FENASEG, p. 47). política e cultural [...]”
R:Faltou a informação o grifo nosso
R: faltou a página após o ano (2004, p.??)

2.5. Grajew (1999 apud DUARTE e TORRES, 2.8


2004) afirma que a responsabilidade social trata-se “Turismo é o conjunto de viagens que tem por
“... da relação ética, da relação socialmente objetivo o prazer ou motivos comerciais,
responsável da empresa em todas as suas ações, em profissionais ou outros análogos, durante os quais é
temporária sua ausência da residência habitual. As
todas as suas políticas, em todas as suas práticas, em viagens realizadas para locomover-se ao local de
todas as suas relações, sejam elas com o seu público trabalho não constituem em turismo.” (BROMANN
interno ou externo.” apud Andrade e Brito e Jorge, 2000, p.35).

R: Faltou a indicação da página após o ano, as


reticencias de omissão devem estar entre R: Está faltando o ano do autor não consultado
colchetes ([ ]) assim como os nomes dos autores do artigo
consultado devem estar em caixa alta.

2.6. De acordo com a Comissão Mundial sobre


Meio Ambiente e Desenvolvimento CMMD (apud
RUSCHMANN e WIDMER, 2001, p. 51), o 2.9. “A cultura não é pensada como algo pronto,
“Desenvolvimento sustentável é um processo de um sistema estático ao qual o indivíduo se submete,
transformações no qual a exploração dos recursos, a mas como uma espécie de palco de negociações, em
direção dos investimentos, a orientação da evolução que seus membros estão num constante movimento
de
tecnológica e a mudança institucional se recreação e reinterpretação de informações
harmonizam
e reforçam o potencial presente e futuro, a fim de conceitos e significados.” (VIGOTSKY APUD

OLIVEIRA, p. 38, GRIFO DOAUTOR).


R:faltou o ano da obra
R:Faltou o ano de do artigo não consultado, a
expressão apud é em caixa baixa, os nomes dos
autores não podem estar em negrito, o ano do
arquivo consultado e ‘grifo do autor deve estar
em letra minúscula’.

atender às necessidades e aspirações


humanas.” R:
22

2.10. Desde a origem da Filosofia, as teorias 2.13. Em Platão, de acordo com Andery, Micheletto e Sério (1996,
formuladas sobre a natureza do conhecimento, de p.67), a obtenção de conhecimento e a sua transmissão não era
maneira explícita ou implícita, fizeram parte da tarefa para todos os homens, mas apenas daqueles que, por natureza
Educação, pois, como diz Dutra, 2000 (p. 21), “Os (por sua alma), tinham condições para tanto.
pensadores do período clássico, como Platão e
Aristóteles, formularam as doutrinas sobre a R:Faltou aspas
natureza do conhecimento (...) e tais doutrinas
tinham, obviamente, consequências para a
educação.”

R: O ano do deve estar dentro do parênteses e as


reticencias de omissão devem estar dentro de
colchetes ([ ]).

2.7 EXERCÍCIO

1. Em forma de texto, faça exemplos das


seguintes citações:
R:
1.1. Citação curta com autor no final e omissão.

1.2. Citação curta com autor no início e destaque.

1.3. Citação longa com autor no fim e destaque.

1.4. Citação longa com autor no início e omissão.

2.11. As concepções de conhecimento no âmbito


educativo adquiriram uma variedade de sentidos e
que todos que se dedicam à Educação tem as suas
interpretações:
“Toda educadora e todo educador tem uma
interpretação do Conhecimento: o que é, de onde
vem e como chegar até ele. Ora, a interpretação
nem sempre é consciente e reflexiva e, no mais das
vezes, é adotada sem uma percepção muito clara de
suas fontes e suas consequências. Cortela (1998,
p.55).”

R:Não precisa de aspas para citações longas


apossa da problemática da epistemologia tradicional, o que
sobra para esta? A decorrência mais óbvia, pelo menos
primeira vista, é de que, despossuída de seus problemas –
que constituem, naturalmente, sua razão de ser – a
epistemologia tradicional desapareça, suma do mapa das
áreas do conhecimento, cedendo seu espaço para a ciência
cognitiva.”

R:Não precisa de aspas para citações longas


R:

2.12. De acordo com Oliveira (1999, p.52):

“à medida, porém, em que a ciência cognitiva se


1.5. Citação da citação com autores no início.

1.6. Citação da citação com autores no fim.

1.7. Citação indireta no início.

1.8. Citação indireta com dois autores (no


início ou final).

1.9. Citação curta ou longa com dois autores.

1.10. Citação de citação.

2.7

1.1

Há anos são empregados os sistemas de unidades métricas e “[...] atualmente, a maior parte do mundo científico emprega a versão
chamada unidades SI.” (RUSSEL, 1994, v1, p. 44).

1.2

Segundo Russel (1994, v.1, p. 44, grifo nosso), “[...] atualmente, a maior parte do mundo
Científico emprega a versão chamada unidades SI.”

1.3

Quem não se incomoda com um contato assim com os outros será julgado arrogante,
pouco simpático, ao contrário daqueles que, seja qual for à importância de suas
funções, não hesitam em assinalar por seus discursos ao público o valor que dão à sua
apreciação. (PERELMAN; OLBRECHST-TYTECA, 2000, p. 18, grifo nosso).
1.4

Segundo Perelman e Olbrechts-Tyteca (2000, p. 18), para argumentar:

[...] é preciso ter apreço pela adesão do interlocutor, pelo seu consentimento, pela sua
participação mental [...]. Quem não se incomoda com um contato assim com os outros será
julgado arrogante, pouco simpático, ao contrário daqueles que, seja qual for a importância
de suas funções, não hesitam em assinalar por seus discursos ao público o valor que dão à
sua apreciação.

1.5

Segundo Luft (2003 apud BAGNO, 2004, p. 63): “Um ensino gramaticalista abafa justamente os talentos naturais, incute insegurança
na linguagem, gera aversão ao estudo do idioma [...]”

1.6

“Um ensino gramaticalista abafa justamente os talentos naturais, incute insegurança na linguagem, gera aversão ao estudo do
idioma [...]” (LUFT, 1994, apud BAGNO, 2004, p. 63).

1.7

Lancaster (1993, p. 6) aponta como um aspecto importante na recuperação das informações é a extensão dos conteúdos a serem
indexados.

1.8

A energia dos ventos era usada em áreas onde o uso de fontes hídricas eram escassas para se fazer a execução de
tarefas (MONTEZANO; FERREIRA; DUTRA, 2003)

1.9

construiu na cidade de Cleveland o que seria o “primeiro cata-vento destinado a geração de energia elétrica. Tratava-
se de um cata-vento que fornecia 12 kW em corrente contínua” (MONTEZANO; FERREIRA; DUTRA, 2003 p.06).

1.10

Segundo Piaget (1976 apud


MOLL, 1996, p. 80), “Ela consiste em explicar cada
invenção da inteligência por uma estruturação
renovada e endógena do campo da percepção ou do
sistema de conceitos e relações.”

Você também pode gostar