Você está na página 1de 3

DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA CALDEIRA

Quais os dispositivos de segurança usado nas caldeiras?

R.: Constitui risco grave e iminente a falta de qualquer um dos seguintes itens:

a. válvula de segurança com pressão de abertura ajustada em valor igual


ou Inferior a PMTA;
b. instrumento que indique a pressão do vapor acumulado;
c. injetor ou outro meio de alimentação de água, independente do
sistema principal, em   caldeiras a combustível sólido;
d. sistema de drenagem rápida de água, em caldeiras de recuperação de
álcalis;
e. sistema de  indicação para controle do nível de água ou outro sistema
que evite o superaquecimento por alimentação deficiente.

1. Dispositivos de segurança
Toda caldeira deve possuir dispositivos de segurança para proteger o pessoal
e os equipamentos de possíveis falhas que ocorram durante seu
funcionamento. Um dispositivo de segurança pode se apresentar de diversas
formas, como um simples alarme, um bloqueio de algum componente da
caldeira, ou mesmo um desarme de toda a caldeira, parando de forma imediata
a geração de vapor.

Todos os dispositivos de segurança de uma caldeira devem estar em serviço


durante a operação.

A retirada de um dispositivo de segurança de serviço só poderá ser autorizada


após minucioso estudo dos riscos envolvidos e da colocação em prática de
técnicas que substituam temporariamente a proteção desativada.

Citaremos os principais dispositivos de segurança de uma caldeira:

Dispositivo de Purga
Todas as caldeiras possuem um sistema de purga que impede seu retorno a
operação antes que um fluxo de ar seja passado por todos os circuitos de ar e
gases por um período pré estabelecido, em geral de 5 minutos. Esta segurança
tem por objetivo eliminar gases residuais provenientes de combustíveis que
anteriormente tenham ficado no interior da caldeira, e que poderão provocar
uma explosão quando a caldeira for reacesa. Em casos em que tenha havido
derramamento de combustível na fornalha durante sua retirada de serviço, este
dispositivo poderá ser insuficiente para remover todos os gases, e recomenda-
se que uma limpeza mecânica seja efetuada no seu interior.
Dispositivo de Nível da Caldeira
A manutenção do nível de uma caldeira é uma preocupação constante para os
operadores. Apesar dos modernos dispositivos para controle do nível do
tambor, em algumas situações de variações bruscas de geração o nível de
água do tambor poderá ser afetado e sair da faixa de controle.

Se o nível do tambor se tornar demasiado elevado, os dispositivos de


separação de água /vapor serão cobertos e poderá ocorrer um arraste de água
para os superaquecedores provocando graves distúrbios no controle de
temperatura do vapor, ou até em casos mais críticos provocar o arraste de
umidade para a maquina motriz provocando sua destruição. Em situações
menos graves, a subida do nível da caldeira poderá possibilitar que
concentrações de sólidos e sílica sejam lançadas no vapor em direção as
turbinas.

Se o nível do tambor da caldeira ficar demasiado baixo, a convecção da água


poderá ser reduzida ou mesmo paralisada, interrompendo a absorção de calor
pela água no interior dos tubos de parede d'água, fazendo com que estes de
imediato sejam danificados.

Sob nenhum pretexto uma caldeira deve continuar em serviço se não


houver certeza de que o nível do tambor está na sua faixa normal de
operação.

Todas as caldeiras devem possuir indicadores de nível junto ao tambor,


alarmes sonoros de nível alto e baixo do tambor, e em alguns casos sistemas
de desarme automático da caldeira para perda de nível do tambor.

Após uma parada por perda de nível do tambor, a realimentação deve ser
efetuada de acordo com procedimentos existentes, evitando-se elevados
gradientes térmicos entre a água e os metais do tambor.

Dispositivo de Proteção Contra Pressão Elevada na


Fornalha
Algumas caldeiras possuem dispositivos para supervisão da pressão da
fornalha e em alguns casos eles são calibrados para desarmarem a queima. A
pressão da fornalha é um parâmetro muito importante para a qualidade da
queima. Seu aumento pode ser causado por deficiência do sistema de tiragem
da caldeira, variação muito brusca na taxa de queima sem a devida reação da
cadeia de controle, bloqueio do fluxo de saída dos gases da fornalha, ruptura
de tubos da parede de água.

Dispositivo de Proteção Contra Baixa Pressão ou Alta


pressão do combustível
O controle da pressão adequada do combustível introduzido na caldeira é
importante para que a reação de queima se processe de forma adequada. Os
combustíveis líquidos quando em pressões demasiadamente baixas não
atomizam totalmente, combustíveis gasosos em pressões muito elevadas
provocam a perda de chama na saída do queimador. Em todas estas situações
os riscos são grandes e a caldeira ou se for o caso o queimador, deve dispor
de dispositivo de alarme e desarme.

Dispositivo de Baixa Vazão de Ar


O fluxo de ar enviado para a caldeira deve ser adequado a quantidade de
combustível a ser queimado. A insuficiência de vazão de ar fará com que parte
do combustível saia da fornalha sem queimar provocando perda da eficiência
do processo, depósitos, poluição ambiental, e riscos de explosões em dutos.
As caldeiras possuem dispositivos que poderão alarmar ou provocar o seu
desarme. Caso isto ocorra, quer seja por falha no controle da vazão ou por
falha no equipamento de insuflação de ar como os ventiladores forçados.

Dispositivo de Proteção Contra Pressões Elevadas do


Vapor
Especificamente para este caso, todas as caldeiras devem possuir válvulas de
segurança instaladas tanto no tambor superior, como nas saídas de vapor para
os sistemas como, linhas de vapor principal, linha de vapor auxiliar, linha de
vapor para os sopradores, etc.

Você também pode gostar