Você está na página 1de 27

Segurança e Medicina do

Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

ÍNDICE
1 Identificação e caracterização da empresa 03
2 Introdução 04
3 Objetivos 04
4 Diretrizes 05
5 Das Responsabilidades 05
6 Desenvolvimento PCMSO 07
7 Prazos e Periodicidades dos exames médicos 08
8 Atestado de saúde ocupacional – ASO 09
9 Disposições Diversas 10
10 Primeiros socorros 10
11 Situações especiais 11
12 Analise de exames por cargos 12
Cargo: Diretor 13
Cargo: Caixa 13
Cargo: Empacotador 14
Cargo: Zeladora 15
Cargo: Auxiliar Administrativo 14
Cargo: Balconista 16
Cargo: Açougueiro 15
Cargo: Repositor 17
Cargo: Encarregado de Deposito: 17
13 Planejamento Anual dos exames periódicos 19
14 Relatório Anual 20
15 Sugestões de palestras 21
15 Considerações finais 26
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

DADOS DA EMPRESA:

Razão
Social:
Nome
Fantasia:
Endereço:
Município: Cianorte – Pr
Fone/Fax:
CNPJ:
Comércio varejista de mercadorias em geral, com
Ramo de
predominância de produtos alimentícios -
Atividade:
minimercados, mercearias e armazéns.
Código 47.12-1-00
CNAE:
Grau de 02
Risco:

De Acordo com a NR-4 – Quadro I, alterado pela Portaria no 4 de outubro de 1991,


a empresa acima se enquadra no grau de risco:

GRAU DE RISCO: 02

RESPONSÁVEIS PELO P.C.M.S.O.


NOME:
ENDEREÇO: ,
CIDADE: CIANORTE – PR.
FONE:
CRM
REG. SSMT
ESPECIALIDADES: MEDICINA DO TRABALHO
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

INTRODUÇÃO:
Com a redação dada pela Portaria SSST nº 24, de 29/12/94 - DOU de 30/12/94,
complementada pela portaria 08, de 08/05/96, que leva também em consideração o acordo tripartite
envolvendo entidades representativas, esta norma objetiva orientar os empregadores, empregados,
agentes de inspeção do trabalho, etc, para uma adequada operacionalização do Programa de Controle
Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO.
A NR 7 estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte de todos os
empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do PCMSO, com o objetivo
de promoção e preservação da saúde do conjunto dos seus trabalhadores, estabelecendo os parâmetros
mínimos e diretrizes gerais a serem observados na execução do PCMSO, podendo os mesmos ser
ampliados mediante negociação coletiva de trabalho.
O PCMSO é parte integrante do conjunto mais amplo da saúde dos trabalhadores, devendo
estar articulado com a exigência das demais normas regulamentadoras, considerando as questões
incidentes sobre o homem, com ênfase no instrumental clinico epidemiológico, na abordagem da relação
entre a saúde e o trabalho, que deverá ter prioridade na prevenção, rastreamento e diagnóstico preventivo
dos aspectos de saúde relacionados ao trabalho, inclusive de natureza subclínica, além da constatação da
existência de doença ocupacional.

OBJETIVO
O Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO - prioriza o atendimento dos
interesses da saúde dos trabalhadores vinculados à Empresa, a partir de métodos de estudos
epidemiológicos prevencionista, diante dos riscos ambientais a que se submetem, quando em atividade
laborativa, a eles direta ou indiretamente expostos.
O PCMSO é parte integrante do conjunto mais amplo de iniciativas da empresa no campo da
saúde dos trabalhadores, devendo estar articulado com o disposto nas demais NR.
O PCMSO deverá considerar as questões incidentes sobre o indivíduo e a coletividade de
trabalhadores, privilegiando o instrumental clínico-epidemiológico na abordagem da relação entre sua
saúde e o trabalho.
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

DIRETRIZES
O PCMSO deverá ter caráter de prevenção, rastreamento e diagnóstico precoce dos agravos à
saúde relacionados ao trabalho, inclusive de natureza subclínica, além da constatação da existência de
casos de doenças profissionais ou danos irreversíveis à saúde dos trabalhadores.
O PCMSO deverá ser planejado e implantado com base nos riscos à saúde dos trabalhadores,
especialmente os identificados nas avaliações previstas nas demais NR.
O PCMSO poderá ser alterado, a qualquer momento, em todo ou em parte, sempre que o
médico detectar: mudança em riscos ocupacionais, decorrentes das alterações nos processos de trabalho;
novas descobertas da ciência médica, em relação a efeitos de riscos existentes; mudança de critério de
interpretação dos exames; ou, ainda, reavaliações do reconhecimento dos riscos.

DAS RESPONSABILIDADES
Compete ao Empregador
a) garantir a elaboração e efetiva implementação do PCMSO, bem como zelar pela sua eficácia;
b) custear sem ônus para o empregado todos os procedimentos relacionados ao PCMSO;
c) indicar, dentre os médicos dos Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do
Trabalho - SESMT, da empresa, um coordenador responsável pela execução do PCMSO;
d) no caso de a empresa estar desobrigada de manter médico do trabalho, de acordo com a NR 4, deverá
o empregador indicar médico do trabalho, empregado ou não da empresa, para coordenar o PCMSO;
e) inexistindo médico do trabalho na localidade, o empregador poderá contratar médico de outra
especialidade para coordenar o PCMSO.
Obs: O custeio do Programa (incluído avaliações médicas e exames complementares) deve ser,
totalmente, assumido pelo empregador.

Médico Coordenador
Ficam desobrigadas de indicar médico coordenador as empresas de grau de risco 1 e 2,
segundo o Quadro 1 da NR 4, com até 25 (vinte e cinto) empregados e aquelas de grau de risco 3 e 4,
segundo o Quadro 1 da NR 4, com até 10 (dez) empregados.
As empresas com mais de 25 (vinte e cinco) empregados e até 50 (cinqüenta) empregados,
enquadradas no grau de risco 1 ou 2, segundo o Quadro 1 da NR 4, poderão estar desobrigadas de
indicar médico coordenador em decorrência de negociação coletiva.
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

As empresas com mais de 10 (dez) empregados e com até 20 (vinte) empregados,


enquadradas no grau de risco 3 ou 4, segundo o Quadro 1 da NR 4, poderão estar desobrigadas de
indicar médico do trabalho coordenador em decorrência de negociação coletiva, assistida por profissional
do órgão regional competente em segurança e saúde no trabalho.
Por determinação do Delegado Regional do Trabalho, com base no parecer técnico conclusivo
da autoridade regional competente em matéria de segurança e saúde do trabalhador, ou em decorrência
de negociação coletiva, as empresas previstas nos subitens anteriores poderão ter a obrigatoriedade de
indicação de médico coordenador, quando suas condições representarem potencial de risco grave aos
trabalhadores.

Compete ao Médico Coordenador


a) realizar os exames médicos ou encarregar os mesmos a profissional médico familiarizado com os
princípios da patologia ocupacional e suas causas, bem como com o ambiente, as condições de trabalho e
os riscos a que está ou será exposto cada trabalhador da empresa a ser examinado;
b) encarregar dos exames complementares previstos nos itens, quadros e anexos desta NR profissionais
e/ou entidades devidamente capacitados, equipados e qualificados.

Metodologia
Os objetivos principais dedicam-se à manutenção da saúde dos trabalhadores com enfoque
nos aspectos ocupacionais, priorizando as características das ações que são de três níveis:
 As de prevenção, baseiam-se no pleno conhecimento dos riscos específicos e das atitudes que os
neutralizem ou, em segundo plano, os minimizem;
 As medidas terapêuticas, são dependentes de possíveis intercorrências e as ações de avaliação,
são feitas pelos exames médicos.
 Os riscos são conhecidos através de levantamentos dos riscos, anualmente renovados.

Compete, pois, ao Médico Coordenador do PCMSO:

 Conhecer todos os riscos ambientais existentes na Empresa, participando do seu levantamento.


 Desenvolver e fazer cumprir as normas de segurança definidas pelo PCMSO, para a preservação
da saúde dos trabalhadores.
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

 Acompanhar a rotina do cumprimento das normas estabelecidas desde a implantação, o


planejamento e a execução de cada etapa do PCMSO.
 Identificar novos riscos a que estejam submetidos os trabalhadores, a partir de novas tecnologias
do processo ou da adição de novos componentes deste mesmo processo.
 Criar alternativas de controle da saúde dos trabalhadores, a partir do conhecimento dos riscos
existentes, dos resultados dos indicadores biológicos e implementar meios de condicionar - pelos
referenciais de saúde - as alterações dos métodos, sem alterar o processo produtivo.

DESENVOLVIMENTO DO PCMSO
O PCMSO deve incluir, entre outros, a realização obrigatória dos exames médicos:
Admissional - a ser realizado antes que o trabalhador assuma suas atividades, dele, fazem parte, além
do exame clínico propriamente dito, a realização dos exames complementares adiante descritos;
Periódico - a cada seis, doze ou vinte e quatro meses, alem do exame clínico, serão realizados os demais
exames complementares adiante citados;
De retorno ao trabalho - independentemente do resultado de alta médica, recebida pelo trabalhador,
antes do retorno às suas funções, após período de 30 ou mais dias de ausência do trabalho;
De mudança de função - antes de ser efetuada qualquer alteração significativa da atividade do
trabalhador, com exclusão daquelas dependentes do revezamento proposto pelo programa de controle
das LER – Lesões por Esforços repetitivos / DORT – Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao
Trabalho.
Demissional - o exame deverá ser feito na época do desligamento do trabalhador, antes que isto ocorra.

Os Exames Compreendem, conforme NR-7:

a) avaliação clínica, abrangendo anamnase ocupacional e exame físico e mental;


b) exames complementares, realizados de acordo com os termos específicos nesta NR e seus anexos.
Para os trabalhadores cujas atividades envolvem os riscos discriminados nos Quadros I e II da
NR7, os exames médicos complementares deverão ser executados e interpretados com base nos critérios
constantes dos referidos quadros e seus anexos. A periodicidade de avaliação dos indicadores biológicos
do Quadro I deverá ser, no mínimo, semestral, podendo ser reduzida a critério do médico coordenador, ou
por notificação do médico agente da inspeção do trabalho, ou mediante negociação coletiva de trabalho.
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
Para os trabalhadores expostos a agentes químicos não-constantes dos Quadros I e II, outros
indicadores biológicos poderão ser monitorizados, dependendo de estudo prévio dos aspectos de validade
toxicológica, analítica e de interpretação desses indicadores.
Outros exames complementares usados normalmente em patologia clínica para avaliar o
funcionamento de órgãos e sistemas orgânicos podem ser realizados, a critério do médico coordenador ou
encarregado, ou por notificação do médico agente da inspeção do trabalho, ou ainda decorrente de
negociação coletiva de trabalho.

PRAZOS E PERIODICIDADE DOS EXAMES MÉDICOS


 No exame médico admissional, deverá ser realizada antes que o trabalhador assuma suas
atividades;
 No exame médico periódico, de acordo com os intervalos mínimos de tempo abaixo discriminados;
 Para trabalhadores expostos a riscos ou a situações de trabalho que impliquem o
desencadeamento ou agravamento de doença ocupacional, ou ainda, para aqueles que sejam
portadores de doenças crônicas, os exames deverão ser repetidos;
 A cada ano ou a intervalos menores, a critério do médico encarregado, ou se notificado pelo
médico agente da inspeção do trabalho, ou ainda, como resultado de negociação coletiva de
trabalho;
Para os demais trabalhadores:
b.1) anual, quando menores de 18 (dezoito) anos e maiores de 45 (quarenta e cinco) anos de idade;
b.2) a cada dois anos, para os trabalhadores entre 18 (dezoito) anos e 45 (quarenta e cinco) anos de
idade.
 No exame médico de retorno ao trabalho, deverá ser realizada obrigatoriamente no primeiro dia da
volta ao trabalho de trabalhador ausente por período igual ou superior a 30 (trinta) dias por motivo
de doença ou acidente, de natureza ocupacional ou não, ou parto.
 No exame médico de mudança de função, será obrigatoriamente realizada antes da data da
mudança.
 Entende-se por mudança de função toda e qualquer alteração de atividade, posto de trabalho ou
de setor que implique a exposição do trabalhador à risco diferente daquele a que estava exposto
antes da mudança.
 No exame médico demissional, será obrigatoriamente realizada até a data da homologação, desde
que o último exame médico ocupacional tenha sido realizado há mais de:
 135 (centro e trinta e cinco) dias para as empresas de grau de risco 1 e 2, segundo o Quadro I da
NR 4;
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
 90 (noventa) dias para as empresas de grau de risco 3 e 4, segundo o Quadro I da NR 4.

 As empresas enquadradas no grau de risco 1 ou 2, segundo o Quadro I da NR 4, poderão ampliar


o prazo de dispensa da realização do exame demissional em até mais 135 (cento e trinta e cinco)
dias, em decorrência de negociação coletiva, assistida por profissional indicado de comum acordo
entre as partes ou por profissional do órgão regional competente em segurança e saúde no
trabalho.
 As empresas enquadradas no grau de risco 3 ou 4, segundo o Quadro I da NR 4, poderão ampliar
o prazo de dispensa da realização do exame demissional em até mais 90 (noventa) dias, em
decorrência de negociação coletiva assistida por profissional indicado de comum acordo entre as
partes ou por profissional do órgão regional competente em segurança e saúde no trabalho.
 Por determinação do Delegado Regional do Trabalho, com base em parecer técnico conclusivo da
autoridade regional competente em matéria de segurança e saúde do trabalhador, ou em
decorrência de negociação coletiva, as empresas poderão ser obrigadas a realizar o exame
médico demissional independentemente da época de realização de qualquer outro exame, quando
suas condições representarem potencial de risco grave aos trabalhadores.

ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL – ASO


Para cada exame médico realizado, o médico emitirá o Atestado de Saúde Ocupacional -
ASO, em 2 (duas) vias.
A primeira via do ASO ficará arquivada no local de trabalho do trabalhador, inclusive frente de
trabalho ou canteiro de obras, à disposição da fiscalização do trabalho.
A segunda via do ASO será obrigatoriamente entregue ao trabalhador, mediante recibo na
primeira via.
As indicações dos procedimentos médicos a que foi submetido o trabalhador são ligadas à
identificação dos riscos ambientais citados no PPRA.

O ASO Deverá Conter no Mínimo


Nome completo do trabalhador, o número de registro de sua identidade e sua função;
Os riscos ocupacionais específicos existentes, ou a ausência deles, na atividade do empregado, conforme
instruções técnicas expedidas pela Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho - SSST;
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
Indicação dos procedimentos médicos a que foi submetido o trabalhador, incluindo os exames
complementares e a data em que foram realizados;
O nome do médico coordenador, quando houver, com respectivo CRM;

Definição de apto ou inapto para a função específica que o trabalhador vai exercer, exerce ou exerceu;
Nome do médico encarregado do exame e endereço ou forma de contato;
Data e assinatura do médico encarregado do exame e carimbo contendo seu número de inscrição no
Conselho Regional de Medicina.
Sendo verificado, através de avaliação clinica do trabalhador e/ou exames constantes no quadro I deste
programa exposição excessiva a riscos, deverá o trabalhador ser afastado do local de trabalho, ou de
risco, até que sejam normalizados o indicador biológico de exposição e as medidas de controle nos
ambientes de trabalho tenham sido adotadas.
Constatada ocorrência ou agravamento de doenças profissionais, através de exame médico, ou sendo
verificado alterações o médico solicitará:
A emissão da comunicação de acidente de trabalho (CAT)
O afastamento do trabalhador da exposição ao risco, ou do trabalho;
O encaminhamento do trabalhador a previdência social para o estabelecimento do nexo causal
Orientar o empregador para a adoção de medidas para controle no ambiente de trabalho.

DISPOSIÇÕES DIVERSAS
Os dados obtidos nos exames médicos, incluindo avaliação clínica e exames complementares,
as conclusões e as medidas aplicadas deverão ser registrados em prontuário clínico individual, para que o
médico tenha um histórico do profissional trabalhador, em caso de necessidade futura, que ficará sob a
responsabilidade do médico coordenador do PCMSO.
Os registros deverão ser mantidos por período mínimo de 20 (vinte) anos após o desligamento do
trabalhador.
Havendo substituição do médico, os arquivos deverão ser transferidos para seu sucessor.

PRIMEIROS SOCORROS
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
Todo estabelecimento deverá estar equipado com material necessário à prestação dos
primeiros socorros, considerando-se as características da atividade desenvolvida; manter esse material
guardado em local adequado e aos cuidados de pessoa treinada para esse fim.

Material para Caixa de Primeiros Socorros:

Tesoura de ponta romba Soro fisiológico (0,9%)


Lanterna pequena Algodão hidrófico
Sabão líquido bactericida Bolsa de gelo
Curativo adesivo (tipo band-aid) Atadura
Solução antiséptica Esparadrapo
Compressa de gaze esterilizada Luva de procedimento cirúrgico

SITUAÇÕES ESPECIAIS:
Trabalhadores temporários:
 são de responsabilidade da empresa contratante, e compete à mesma comunicar ao médico do
trabalho coordenador, sobre a existência de funcionários temporários na empresa, para realização
de análise dos exames ocupacionais de tais funcionários.
Trabalhadores terceirizados:
 são de responsabilidade da empresa terceirista, e compete à empresa contratante, comunicar ao
médico do trabalho coordenador, sobre a existência de trabalhadores terceirizados na empresa,
para realização de análise dos exames ocupacionais de tais funcionários.
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

Departamento: Administração
Carga Horária de trabalho:
Cargo : Office boy, Auxiliar Administrativo, 08:00h ás 18:00 h. 02:00 intervalo
Zeladora:

PRINCIPAIS ATIVIDADES:
Auxiliar Administrativo: Atividade leve, realizada principalmente sentada com movimentos de mãos e
braços. Desenvolve serviços burocráticos voltados para gestão administrativa do setor e auxilia nos caixas
nas horas vagas.
Office Boy: Realiza atividade leve, entregando correspondências e serviços de rua;
Zeladora: Atividade leve, realizada principalmente em pé com deslocamentos constantes e movimentos
moderados de mãos e braços. Zela pela limpeza e higienização dos ambientes laborais (loja, escritório,
copa, e wc’s)

RISCOS INERENTES A SUA FUNÇÃO/ATIVIDADES:


Físico: Ruído abaixo do nível de ação.
ERGONÔMICO : Exigência de Postura: Sentado ou em pé digitando ou escrevendo.
ACIDENTE: Acidentes: Quedas da escada de acesso ao escritório que fica no mezanino da loja e
outros.Quedas: em decorrência do piso molhado e escorregadio

TABELAS DE EXAMES:
TIPOS DE EXAMES Admissional Periódico Retorno ao Trabalho Mudança de Função Demissional
Exame médico clinico Sim Anual Sim Sim Sim

Departamento: Administração / Sala de


escritório, Caixa e Zeladoria Carga Horária de trabalho:
08:00h ás 18:00 h. 02:00 intervalo
Cargo : Caixa:

PRINCIPAIS ATIVIDADES:
Atividade leve realizada principalmente apoiada / sentada, com movimentos moderados de mãos e braços.
Opera caixa registradora, recebe e manuseia dinheiro.

RISCOS INERENTES A SUA FUNÇÃO/ATIVIDADES:


Físico: Ruído abaixo do nível de ação.
ERGONÔMICO : Ora sentado ora em pé, com movimentos rigorosos com braços e troncos;
ACIDENTE: Acidentes: Quedas da escada de acesso ao escritório que fica no mezanino da loja e
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
outros.Quedas: em decorrência do piso molhado e escorregadio

TABELAS DE EXAMES:
TIPOS DE EXAMES Admissional Periódico Retorno ao Trabalho Mudança de Função Demissional

Exame médico clinico Sim Anual Sim Sim Sim

Carga Horária de trabalho:


Departamento: Administração / Sala de
escritório, Caixa e Zeladoria 08:00h ás 18:00 h. 02:00 intervalo

Cargo : Empacotador:

PRINCIPAIS ATIVIDADES:
Atividade leve realizada principalmente em pé, com pequenos deslocamentos entre as caixas registradoras.
Faz o empacotamento das mercadorias colocar em pequenas sacolas ou engradados

RISCOS INERENTES A SUA FUNÇÃO/ATIVIDADES:


Físico: Ruído abaixo do nível de ação.
ERGONÔMICO : trabalho realizado em pé com movimentos rigorosos com braços e pernas.
ACIDENTE: Acidentes: Quedas da escada de acesso ao escritório que fica no mezanino da loja e
outros.Quedas: em decorrência do piso molhado e escorregadio

TABELAS DE EXAMES:
Retorno ao Mudança de
TIPOS DE EXAMES Admissional Periódico Demissional
Trabalho Função

Exame médico clinico Sim Anual Sim Sim Sim

Departamento: Padaria / Açougue e Frios Carga Horária de trabalho:


Cargo : Balconista: 08:00h ás 18:00 h. 02:00 intervalo

PRINCIPAIS ATIVIDADES:
Atividade leve realizada principalmente em pé com pequenos deslocamentos e movimento de braços e
mãos. Faz o atendimento de clientes, acondiciona, separa e pesa os produtos solicitados.
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

RISCOS INERENTES A SUA FUNÇÃO/ATIVIDADES:


Físico: Ruído proveniente de alguns equipamentos existentes nos setores inspecionados.
ERGONÔMICO : Balconista, trabalho realizado em pé com movimentos de tronco e braços.
ACIDENTE: Quedas: em decorrência do piso molhado (escorregadio).
TABELAS DE EXAMES:
Retorno ao Mudança de
TIPOS DE EXAMES Admissional Periódico Demissional
Trabalho Função

Exame médico clinico Sim Anual Sim Sim Sim

Departamento: Açougue / Açougue e Frios Carga Horária de trabalho:


Cargo : Açougueiro: 08:00h ás 18:00 h. 02:00 intervalo

PRINCIPAIS ATIVIDADES:
Atividade moderada realizada principalmente em pé com movimentos moderados de braços e mãos. Opera
serra fita, faz manuseio de facas para corte, fatiados e desossa de carnes. Abastece e retira peças da frizer,
abastece os balcões e zela pela limpeza e conservação do ambiente.

RISCOS INERENTES A SUA FUNÇÃO/ATIVIDADES:


Físico: Ruído proveniente de alguns equipamentos existentes nos setores inspecionados.
ERGONÔMICO : Exigência de Postura: Trabalho realizado em pé, com movimentos rigorosos com
braços e troncos
ACIDENTE: Acidentes diversos: Em decorrência da utilização de faca e serra fita. Acidentes diversos: Em
decorrência da utilização de faca e serra fita. Quedas: em decorrência do piso molhado (escorregadio).

TABELAS DE EXAMES:

Retorno ao Mudança de
TIPOS DE EXAMES Admissional Periódico Demissional
Trabalho Função

Exame médico clinico Sim Anual Sim Sim Sim


Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

Departamento: Deposito Carga Horária de trabalho:


Cargo : Repositor: 08:00h ás 18:00 h. 02:00 intervalo

PRINCIPAIS ATIVIDADES:
Atividade moderada, realizada principalmente em pé, com deslocamentos constantes e movimentação de
tronco, braços e mãos. Desenvolvem serviços operacionais abastecendo as gôndolas e prateleiras da loja.
Verificam o acondicionamento do produto e sua conservação.

RISCOS INERENTES A SUA FUNÇÃO/ATIVIDADES:


Físico: Ruído proveniente de alguns equipamentos e máquinas existentes nos setores inspecionados..
ERGONÔMICO : Exigência de Postura: Levantamento e transporte manual de peso;
Trabalho realizado em pé com movimentos rigoroso com braços e pernas para empurrar os carrinhos
carregados com mercadorias para abastecer as gôndolas.
ACIDENTE: Prensado contra, batida contra, Quedas: em decorrência da escada de acesso ao mezanino
existente no deposito.

TABELAS DE EXAMES:
Admissiona Demissiona
TIPOS DE EXAMES Periódico Retorno ao Trabalho Mudança de Função
l l
Exame médico
Sim Anual Sim Sim Sim
clinico

Departamento: Deposito Carga Horária de trabalho:


Cargo : Encarregado de Deposito: 08:00h ás 18:00 h. 02:00 intervalo

PRINCIPAIS ATIVIDADES:
Atividade leve, realizada sentada ou em pé, com deslocamentos pelo setor e movimentos de mãos e braços.
Responsável pela conferência das mercadorias (quantidade, qualidade, peso) e pela coordenação das
atividades no depósito.

RISCOS INERENTES A SUA FUNÇÃO/ATIVIDADES:


Físico: Ruído proveniente de alguns equipamentos e máquinas existentes nos setores inspecionados..
ERGONÔMICO : Exigência de Postura: Levantamento e transporte manual de peso;
Trabalho realizado em pé com movimentos rigoroso com braços e pernas para empurrar os carrinhos
carregados com mercadorias para abastecer as gôndolas.
ACIDENTE: Prensado contra, batida contra, Quedas: em decorrência da escada de acesso ao mezanino
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
existente no deposito.

TABELAS DE EXAMES:

Retorno ao Mudança de
TIPOS DE EXAMES Admissional Periódico Demissional
Trabalho Função

Exame médico clinico Sim Anual Sim Sim Sim

NOTA IMPORTANTE:
Este planejamento deverá ser preenchido pela empresa imediatamente após o recebimento oficial do
Documento Base do PCMSO, sendo de inteira responsabilidade da empresa contratante o cumprimento dos
exames periódicos, bem como o ônus decorrente das ações aplicadas.
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

SUPERMERCADO

Qt Cargo Setor Exames Mês


Office Boy
Caixa
Empacotador
Administração/ caixa Consulta Clinica Agosto/09
Auxiliar Administrativo
09

Consulta Clinica Agosto/09


Zeladora Administração
Parasitológico Agosto/09

Consulta Clinica Agosto/09


Açougueiro
02 Açougue/Padaria Parasitológico
Agosto/09
Balconista Hemograma

Encarregado do
03 Deposito Deposito Consulta Clinica Agosto/09

Repositor
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
Responsável: ___________________________________________
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

RELATÓRIO ANUAL

O PCMSO deverá obedecer a um planejamento em que estejam previstas as ações de saúde


a serem executadas durante o ano, devendo estas ser objeto de relatório anual.
O relatório anual deverá discriminar, por setores da empresa, o número e a natureza dos
exames médicos, incluindo avaliações clínicas e exames complementares, estatísticas de resultados
considerados anormais, assim como o planejamento para o próximo ano, tomando como base o modelo
proposto no Quadro III da NR 7.
O relatório anual deverá ser apresentado e discutido na CIPA, quando existente na empresa,
de acordo com a NR 5, sendo sua cópia anexada ao livro de atas daquela comissão.
O relatório anual do PCMSO poderá ser armazenado na forma de arquivo informatizado,
desde que este seja mantido de modo a proporcionar o imediato acesso por parte do agente da inspeção
do trabalho.
As empresas desobrigadas de indicarem médico coordenador ficam dispensadas de elaborar o
relatório anual.
Sendo verificada, através da avaliação clínica do trabalhador e/ou dos exames constantes do
Quadro I da presente NR, apenas exposição excessiva (EE ou SC+) ao risco, mesmo sem qualquer
sintomatologia ou sinal clínico, deverá o trabalhador ser afastado do local de trabalho, ou do risco, até que
esteja normalizado o indicador biológico de exposição e as medidas de controle nos ambientes de
trabalho tenham sido adotadas.
Sendo constatada a ocorrência ou agravamento de doenças profissionais, através de exames
médicos que incluam os definidos na NR 7; ou sendo verificadas alterações que revelem qualquer tipo de
disfunção de órgão ou sistema biológico, através dos exames constantes dos Quadros I (apenas aqueles
com interpretação SC) e II, e do item 7.4.2.3 da NR 7, mesmo sem sintomatologia, caberá ao médico-
coordenador ou encarregado:
o solicitar à empresa a emissão da Comunicação de Acidente do Trabalho - CAT;
o indicar, quando necessário, o afastamento do trabalhador da exposição ao risco, ou do trabalho;
o encaminhar o trabalhador à Previdência Social para estabelecimento de nexo causal, avaliação de
incapacidade e definição da conduta previdenciária em relação ao trabalho;
o orientar o empregador quanto à necessidade de adoção de medidas de controle no ambiente de
trabalho.
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

SUGESTÕES DE PALESTRAS
Epidemia

PREVENÇÃO DO DENGUE

O dengue (febre quebra-ossos) é uma moléstia infecciosa que pode ser provocada por 4 tipos
de vírus, sorologicamente diferentes, transmitidos pela picada de mosquitos do gênero Aedes.
A primeira infecção apresenta como principais sintomas, febre alta acompanhada de fortes
dores por todo o corpo, geralmente sem maiores conseqüências.
No entanto, se um indivíduo sofrer uma re-infecção por um vírus de sorotipo diferente, pode
desenvolver a forma hemorrágica da doença, que muitas vezes é fatal.
Desde que o mosquito transmissor foi identificado na região de Campinas, demos inicio às
informações sobre o assunto.

Objetivos:
• Conscientizar os funcionários sobre a importância da prevenção de doenças

Planos de Ação:
• Elaborar e ministrar palestras durante o ano, abordando os principais assuntos
relacionados;
• Esclarecer sempre que necessário as dúvidas dos funcionários;
• Elaborar um programa de educação e prevenção continuada, sobre cada tópico.

PREVENÇÃO DA AIDS

Embora esteja perdendo espaço nos meios de comunicação, a incidência da AIDS continua
aumentando assustadoramente no mundo todo. Além disso, a população de risco mudou, passando a
atingir também mulheres, crianças e homens heterossexuais. Não há perspectiva imediata de
tratamento. É recomendação do Ministério da Saúde que se dê continuidade às campanhas
preventivas, através de palestras educativas.
Pretendemos estratificar a população pelo nível de escolaridade para aumentar o interesse e
facilitar o entendimento.

Objetivos:
• Conscientizar os funcionários sobre a importância da prevenção de doenças

Planos de Ação:
• Elaborar e ministrar palestras durante o ano, abordando os principais assuntos
relacionados;
• Esclarecer sempre que necessário as dúvidas dos funcionários;
• Elaborar um programa de educação e prevenção continuada, sobre cada tópico.

PROGRAMA DE ERGONOMIA
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
Objetivo:
• Cumprir o Artigo 200 da CLT, que originou a Portaria 3751/90, a qual estabeleceu a Norma
Regulamentadora 17. Esta Norma visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das
condiqções de trabalho às características psico-fisiológicas dos trabalhadores, de modo a
proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho laboral.

• Orientar e reeducar os funcionários quanto as posturas corretas para cada atividade laboral, como

também em seu dia a dia;


• Alertar e conscientizar os funcionários sobre os efeitos de posturas inadequadas durante o trabalho em
casa;
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre as patologias relacionadas com a má postura.

Plano de ação:
• Elaborar e ministrar palestras durante o ano, abordando os principais assuntos relacionados;
• Esclarecer sempre que necessário as dúvidas os funcionários;
Elaborar um programa de educação e prevenção continuada, sobre cada tópico

DERMATOSES OCUPACIONAIS
São dermatopatias causadas por contato com substâncias sensibilizantes de modo direto e
indireto (por hipersensibilidade0) no ambiente de trabalho.

Objetivos:
• Orientar os funcionários sobe quais são e como evitá-las.

Plano de ação:
• Elaborar e ministrar palestras durante o ano, abordando os principais assuntos relacionados;
• Esclarecer sempre que necessário as dúvidas dos funcionários;
• Elaborar um programa de educação e prevenção continuada sobre cada tópico.

STRESS
O ”Stress” é tão necessário à nossa vida como o é a água. É um conjunto de reações, já
catalogado e registrado em nosso "modus operandi" e em todos os animais desde a origem dos seres,
das espécies.
Nós vivemos o ”Stress”.
O ”Stress” tem milhões e milhões de anos, aperfeiçoando-se neste tempo, aumentando
temporariamente a energia, a forma muscular, a resistência contra infecções e aguçando os sentidos.
Necessário é entendermos que a vida orgânica e emocional depende de um equilíbrio, não
pode haver desajustes, nem faltas, nem excessos. Portanto, o ”Stress” em excesso traz desequilíbrio
orgânico (doenças cardiovasculares e outras) e emocional (tensão ...) e deixa de ser um agente
facilitador, passando a ser um agente nocivo, contra nossa saúde, nossa felicidade.

Objetivos:
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre as causas e os efeitos do stress;
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre hábitos de vida saudáveis;
• Programar atividades anti-stress e contra o sedentarismo.
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

Planos de ação:
• Elaborar e ministrar palestras durante o ano, abordando os principais assuntos
relacionados;
• Esclarecer sempre que necessário as dúvidas dos funcionários;
• Elaborar um programa de educação e prevenção continuada, sobre cada tópico.

HIGIENE COLETIVA
Trata-se de fornecer noções de higiene corporal, individual e coletiva em relação ao ambiente
de trabalho e promover mudanças culturais (hábitos) anti-higiênicos.

Objetivos:
• Conscientizar os funcionários sobre a importância das formas corretas de higiene pessoal e seus
benefícios para a saúde. Conscientizar os funcionários os funcionários sobre a importância da
prevenção de doenças.

Plano de ação:
• Elaborar e ministrar palestras durante o ano, abordando os principais assuntos relacionados;
• Esclarecer sempre que necessário as dúvidas ds funcionários;
• Elaborar um programa de educação e prevenção continuada sobre cada tópico.

DROGAS
Um dos efeitos indesejáveis do estilo de vida atual (altas responsabilidades, insegurança,
incerteza, frustrações, competitividade, etc.) é a fuga ou a procura de substâncias que possam
proporcionar momentos de prazer (alegria, euforia, alienação, etc.). O grupo de substâncias que
exercem esses efeitos e que sempre são nocivas para a saúde recebe, aqui, o nome de droga.
Infelizmente, a procura e o consumo de drogas tem crescido bastante. Isto constantemente
tem sido comprovado pelos noticiários. Dentro de todos nós cresce um desespero, pois a criminalidade
aumenta, e o que é pior, a possibilidade de nossos amigos, parentes e, principalmente, nossos filhos
poderem se envolver.
Com a finalidade de oferecer conhecimentos para nossos empregados a respeito da ação das
principais drogas e também de proporcionar uma melhor atuação daqueles que já tem filhos
adolescentes, pretendemos convidar especialistas para ministrarem palestras sobre o assunto.

Objetivos:
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre os efeitos maléficos das drogas, tanto as
lícitas quanto as ilícitas;
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre as patologias relacionadas com este hábito;
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre esta dependência.
Planos de Ação:
• Elaborar e ministrar palestras durante o ano, abordando os principais assuntos
relacionados;
• Esclarecer sempre que necessário as dúvidas dos funcionários;
• Elaborar um programa de educação e prevenção continuada, sobre cada tópico.
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional

ALCOOLISMO
A maioria das sociedades humanas tem produzido e consumido bebidas alcoólicas.
Infelizmente, uma bebida que poderia ser fonte de prazer, ao ser adequadamente saboreada, torna-se
um problema sério para um número de pessoas que perdem a noção do prazer e passam a consumi-la
de maneira constante e intensa, podendo chegar a um estado de dependência física e psíquica.
O álcool etílico ou etanol tem sido responsabilizado por um grande número de alterações
físicas, mentais e sociais sobre o organismo humano. Dentre as mais importantes, podemos citar:
cirrose hepática, câncer hepático, demência, psicoses, suicídios, depressão, síndrome de
dependência, etc.

Todas as pessoas estão sujeitas ao vicio, independendo da sua situação econômica e social.
Portanto, dentro da população de empregados e das empresas contratadas, a existência de pessoas

que mantêm o hábito de ingestão de bebidas alcoólicas pode ser expressiva. Também, muitos têm
filhos que estão em idade onde o contato com as bebidas passa a ser freqüente.
Com a finalidade de esclarecimento, orientação e conscientização dos empregados, aqui pretendemos
discutir o assunto da seguinte forma:

 Palestras: transmitir informação sobre os efeitos nocivos do etanol ao organismo


humano.
No inicio, não temos como objetivo a identificação de alcoólatras, mas sim, criar a
oportunidade para um contato, através do qual essas pessoas poderiam nos procurar, para então
atuarmos especificamente sobre elas.

Objetivos:
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre os efeitos maléficos do álcool;
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre as patologias relacionadas com este hábito;
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre esta dependência.

Plano de Ação:
• Elaborar e ministrar palestras durante o ano, abordando os principais assuntos
relacionados;
• Esclarecer sempre que necessário as dúvidas dos funcionários;
• Elaborar um programa de educação e prevenção continuada, sobre cada tópico.

TABAGISMO
A fumaça do cigarro contém milhares de substâncias químicas que podem estar na forma
gasosa e em forma de partículas. A fase gasosa é composta de amônia, monóxido de carbono, ácido
hidrociânico, fomaldeído, metanol e outros compostos. A fase sólida da fumaça contém partículas de
água, nicotina e alcatrão.
Alguns destes componentes afetam a função respiratória, predispõem a formação de
coágulos, alteram a formação das células sangüíneas e causam câncer de pulmão, entre outros tipos
de câncer.
A nicotina, dentre os componentes do tabaco, deve ser abordada com especial atenção, uma
vez que é o agente responsável pela dependência física, que por sua vez leva à exposição contínua a
todos estes fatores, por induzir à manutenção de hábito.
Estudos demonstram que, o aconselhamento médico constitui um dos principais incentivos ao
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
fumante que deseja abandonar o hábito. Na verdade, um conselho breve, firme e, se necessário,
repetido, no seu próprio estilo, pode ter um efeito surpreendente no fumante.
Os fumantes que recebem este conselho apresentam uma probabilidade de 2 a 10 vezes
maior de parar de fumar do que fumantes que não chegam a ser orientados a este respeito.

Objetivos:
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre os efeitos maléficos do fumo;
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre as patologias relacionadas com este hábito;
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre esta dependência.

Plano de Ação:
• Elaborar e ministrar palestras durante o ano, abordando os principais assuntos
relacionados;
• Esclarecer sempre que necessário as dúvidas dos funcionários;
• Elaborar um programa de educação e prevenção continuada, sobre cada tópico.

OBESIDADE
Entre os grandes problemas de saúde que afligem a humanidade, destacam-se a fome e o
excesso de comida.

Se por um lado, somente no Brasil morrem cerca de 1.000 crianças por dia, por decorrência de
alimentação deficiente em calorias e proteínas, nas regiões desenvolvidas a obesidade constitui um
problema que chega a atingir até 2 de cada 5 criança.

Muitas causas têm sido apresentadas, entre as quais o sedentarismo induzido pela TV, a
prisão domiciliar por motivos de segurança e, sobretudo, o interesse comercial com intensas propagandas
de doces, farináceos e refrigerantes.

Na infância a obesidade dos filhos não causa muita preocupação nos pais. Entretanto, na
adolescência desperta a vaidade e começam os regimes e uso de drogas anorexigenas, tão prejudiciais à
saúde.

Costumamos dizer que “quem emagrece as custas de medicamentos não fica magro”, tão alta
é a porcentagem de ocorrência dessa doença (obesidade).

É preciso fazer um trabalho educativo de base, visando mudar hábitos e costumes. Entretanto,
é muito difícil mudar o que é tradicional - cafezinho com açúcar, refrigerante, sobremesas, balas, bolachas,
alimentos ricos em gordura hidrogenada, corantes, conservantes, que constituem calorias, vazias, sem
qualquer valor nutritivo.

Se o açúcar de cana fosse lançado comercialmente, hoje, como adoçante, poderia não ser
aprovado, tão graves os efeitos colaterais dessa substância: obesidade, caries, diabetes, depressão
emocional, etc. Entretanto, é uma droga tradicionalmente aceita e nossos filhos fazem uso dela, sem
maiores restrições. Só para exemplificar, a cárie é praticamente inexistente entre populações de
esquimós, que ainda não conhecem o açúcar.

O resultado é que todos nós conhecemos muitas pessoas com 40 a 50 kg acima do peso
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
ideal, fato não observado na vida animal selvagem.

A obesidade é uma doença grave que reduz os anos de vida, favorecendo o aparecimento de
doenças correlatas como a hipertensão, o diabetes, o infarto, etc., além de outras.

A única arma disponível é a educação. Quem sabe, algum dia conseguiremos proibir
propagandas enganosas do tipo "açúcar nele" ou ainda ”um danoninho vale por um bifinho” ou,
simplesmente, consigamos restringir a oferta de doces como sobremesa no nosso restaurante.

Objetivos:
• Alertar e conscientizar os funcionários sobre esta patologia;
• Orientar quanto a hábitos alimentares mais saudáveis.

Plano de Ação:
• Elaborar e ministrar palestras durante o ano, abordando os principais assuntos
relacionados;
• Esclarecer sempre que necessário as dúvidas dos funcionários;
• Elaborar um programa de educação e prevenção continuada sobre cada tópico.

Considerações Finais

Estamos lhe entregando, o PCMSO elaborado para sua apreciação, apresentação de


sugestões/ou aprovação.
Aproveitamos a oportunidade para informá-lo que o mesmo deverá ficar arquivado na
empresa, em local de fácil acesso para uma eventual fiscalização. Sendo de responsabilidade da empresa
realizar as medidas preventivas e exames médicos exigidos por cargos / setores.

Cianorte, Pr,
Segurança e Medicina do
Trabalho
PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
_____________________________ _____________________________
Médico Coordenador