Você está na página 1de 25

Texto: Apocalipse 1.

1-3

Introdução

O contexto do livro de apocalipse é provavelmente o reinado de um

dos mais cruéis imperadores que já viveu no Império Romano, e olhe que

todos eles eram maus e cruéis.

Por isso, é importante conhecermos um pouco sobre Domiciano.

Domiciano (51-96 d.C.), “depois de tomar liberdade com as esposas

de muitos homens, chegou ao ponto de se casar com Domícia Longina,

esposa de Aelius Lamia.”

Suetônio, um historiador, também relata que, quando seu irmão Tito

“foi tomado por uma doença perigosa”, Domiciano “ordenou que ele fosse

deixado para morrer, antes que ele realmente desse seu último suspiro”.

Quando Cornélia, a principal virgem vestal, foi considerada culpada

de ter um amante, Domiciano a “enterrou viva; e seu amante foi

espancado até à morte com varas.”

Domiciano “matou Aelius Lamia por piadas sobre ele feitas na

verdade, muito antes de ele se tornar imperador e, piadas absolutamente

inofensivas”.
 Ele seduziu a sobrinha, que era casada, e eventualmente “se tornou

a causa da morte dela, obrigando-a a se livrar de um filho dele por

aborto”.

Domiciano era uma catástrofe moral de um homem, e ele também

era fisicamente inexpressivo. Há um relato de que ele coçava

vigorosamente uma verruga apodrecida na testa até tirar sangue.

Ele é descrito como sendo “sensível à sua calvície” e “tendo uma

barriga protuberante e zambeta”.

Este fraco e perverso César insistiu em ser tratado como “Senhor e

Deus” (Dominus et deus).

Transição

Ao lermos Apocalipse, ajuda saber que a cultura do primeiro

público-alvo não era influenciada pelo cristianismo. Também é

importante reconhecer o óbvio: pessoas perseguidas tendem a se sentir

massacradas.

Pessoas perseguidas normalmente não são inclinadas a sentir que

Deus os abençoou, e as pessoas perseguidas não são normalmente

inclinadas a louvar a Deus.


Assim, quando pessoas perseguidas afirmam ser abençoadas e

quando as pessoas perseguidas louvam a Deus, estão se comportando de

maneira anormal. Elas estão se comportando pela fé.

E não há nada que possa mudar mais nossa forma de viver a vida

que não seja a fé.

Transição 2

Neste ponto de nossa experiência, a maioria de nós provavelmente

não está enfrentando os problemas que João experimenta (1.9), e embora

existam mártires hoje, como Antipas (2.13), a maioria de nós não

enfrenta a ameaça de ser morto pela fé.

Mas isso não significa que não enfrentamos perseguição por nossa

fé. Você já teve familiares que se ressente de sua presença – mesmo que

você não tenha dito nada – porque eles sabem no que você acredita?

Você já foi acusado de julgar? Você já foi chamado de “arrogante”,

“hipócrita”, “intolerante” “fanático” porque você acredita que a única

maneira de estar bem com Deus é confiar em Jesus?


Mesmo que essas formas leves de perseguição não tenham resultado

em exílio ou violência física, nossa cultura nos comunica que nossas

ideias sobre religião não serão toleradas.

As igrejas que receberam o livro do Apocalipse precisavam saber

como Deus os abençoou – porque pelos padrões do mundo elas não

pareciam abençoadas. Nós também precisamos saber como Deus nos

abençoou.

As igrejas que receberam o livro do Apocalipse também precisavam

saber por que elas deveriam louvar a Deus – porque pela maneira de

calcular o mundo, Deus não tinha feito deles os mais influentes, mais

bem sucedidos, mais impressionantes, mais ricos, pessoas mais saudáveis.

E nós também precisamos saber por que devemos louvar a Deus.

Ponto principal

Ao examinarmos 1: 1–11, vemos que Deus se revela para que

aqueles que o conhecem para que sejam abençoados e o louvem,

independentemente das circunstâncias.

Tema: A importância do livro de apocalipse


Vou dá a vocês algumas razões pelas quais devemos considerar,

nesse contexto, o livro de Apocalipse importante.

Frase de transição: O apocalipse é um livro importante porque:

1. Porque Cristo é o centro do livro (vs. 1)

O título é “Revelação de Jesus Cristo”. Esta não é a revelação de


João, ele é apenas o repórter. É uma revelação ou desvendamento do
plano de Deus para a história do mundo, especialmente da igreja, por meio
de Jesus Cristo.
Vejam antes de tudo o título do livro: “Revelação” é uma palavra de

bênção. 

1.1. O título do livro

Esse livro é a revelação do Senhor Jesus Cristo.

João nos quer abrir os olhos para o fato de que Cristo é o centro de

todas as coisas. João quer nos mostrar a glória de Cristo. E ele deseja que

a nossa atenção esteja concentrada Nele e apenas Nele.

Aqui está a glória do livro, assim como a glória de toda a Bíblia. Não

é sobre história! Não é sobre o futuro, embora tenha algo a dizer sobre

ambos. Não é sobre mim! Não é sobre a igreja, nem sobre o mundo,

embora nos ensine muito sobre tudo isso. Não é sobre o céu ou o inferno,
embora possamos encontrar ensinamentos sobre os dois assuntos no

livro. O livro do Apocalipse é supremamente sobre Jesus Cristo. É a

revelação de Jesus Cristo! A palavra significa “desvelar” ou em termos

mais simples “tirar o véu”. É a exibição de Jesus. 

“Isso implica em dizer o próprio Jesus Cristo abre as cortinas que

escondia o mundo invisível e o futuro desse mundo dos olhos humanos.

Esse mundo e seu futuro dados como certos por meio de Jesus Cristo”. 1

É aqui que João quer atrair sua atenção ao ler este livro. Ele quer

que você veja Cristo de novas maneiras e com maior clareza, então este é

um livro sobre Jesus.

1.2. Ilustrando o texto

Jesus está no centro do plano de Deus para a história humana.

Se não reconhecermos o personagem principal, uma história não

fará sentido. Escolha um filme ou livro popular e considere o que poderia

acontecer se o leitor acreditasse que um personagem secundário era o

herói.

Por exemplo, se alguém acreditasse que o personagem principal das

crônicas de Nárnia fosse Lúcia, ou Suzana, ou Pedro, ou Edmundo, ou o

1
BEASLY-MURRAY. G. R. Revelation. Eerdmans. Grand rapids, 1974, P. 50.
princípe Caspian, ou o ratinho Ripchip, ele perderia todo o enredo do

livro, e os livros fariam pouco sentido para eles.

Tema: O Apocalipse é um livro importante:

1. Porque Cristo é o centro desse livro

2. Deus é o autor do Livro de Apocalipse (vs. 1).

1. O Apocalipse vem de Deus. “Foi Deus, que tão altamente exaltou


o Mediador e lhe entregou o governo do mundo no interesse da igreja (1
Co 15. 24-28; Fp 2. 9)”.
2. Em segundo lugar vem Jesus Cristo. Ele se revela como o
Mediador entronizado em glória. Ele reina nas alturas.
3. Em terceiro lugar há o seu anjo. Jesus comissiona o anjo, para
guiar e para demonstrar a João por meio de visões, os elementos do seu
plano. Ele guia e mostra a João a visão do céu; depois da terra, do deserto
e do novo céu e da nova terra.
4. Em quarto lugar há João. João atestou a Palavra de Deus... etc.
(vs. 2)
5. E em quinto há o leitor ou ouvinte (vs 3).2
Os livros tinham de ser copiados à mão, sendo, portanto, poucos em
número e bastante caros. Assim, um leitor era indicado para proceder a
leitura do povo reunido diante do povo reunido para o culto.3
2.1. A importância desse livro
2
Ver: Mais que vencedores, William Hendrksen, Editora Cultura Cristã.
3
Esta é a primeira das bem-aventuranças. As outras: 14. 13; 16. 15; 19. 9; 20. 6; 22. 7; 22. 14.
Vejam meus irmãos, esse é um livro que precisamos considerar

atentamente.

João diz que o livro veio da parte de Deus.

Mas veja o que 1.1 afirma sobre si mesmo: “A revelação de Jesus

Cristo, que Deus lhe deu... Este livro vem do próprio Deus. E Deus não

deu a ninguém - ele deu a Jesus, que deu a seu anjo, que o revelou ao

discípulo amado, o apóstolo João.

Que essa série digna de pessoas envolvidas na produção desse

presente provoque seu apreço pela Bíblia.

2.2. As coisas que em breve devem acontecer

A revelação é dada para que os servos de Deus e Cristo saibam “as

coisas que em breve acontecerão” (1.1). Não importa quantos milênios se

passem antes que esses eventos ocorram, à luz da eternidade eles virão

em breve. Esses eventos podem acontecer a qualquer momento. Você está

pronto?

E então João diz que também é um livro, observe, “as coisas que

devem acontecer em breve”.

Agora essa é uma expressão importante! 


Ele reaparece de uma forma ou de outra em vários lugares do livro

do Apocalipse e vem, como acontece com muitas outras coisas da

profecia de Daniel, desta vez Daniel, capítulo 2, versículo 28, que diz que

existe um Deus no céu e Ele revelou a Nabucodonosor “o que deve

acontecer nos últimos dias”.

Somente aqui em Apocalipse, é a revelação de Jesus Cristo que Deus

deu para mostrar o que deve acontecer rapidamente, ou “as coisas que

em breve devem acontecer”.

“Os últimos dias” de Daniel é substituído em Apocalipse por “em

breve” ou “rapidamente”. E ver essa conexão com Daniel é importante

porque nos leva à perspectiva básica de João enquanto ele escreve o

livro. 

Para João os últimos dias de Daniel já entraram em movimento

enquanto ele escreve. A chave girou na ignição; o motor do triunfo final

de Deus já está assumindo o controle. Os últimos dias começaram com a

ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos e eles não concluirão até o

Seu retorno final.

E o livro do Apocalipse trata da vida entre esses dois pólos - a tumba

vazia e o retorno final. É sobre o que deve acontecer “nos últimos dias”, os
dias em que vivemos agora. E, é claro, elas acontecem, como João coloca,

“rapidamente, em breve”, ou como ele coloca no versículo 3, “o tempo

está próximo”.

As realidades que são reveladas no livro do Apocalipse são esperadas

em breve, para toda a igreja em todas as gerações desde que a tumba foi

encontrada vazia naquele primeiro domingo de Páscoa. 

Em outras palavras, não precisamos nos convencer de que o

cataclismo final com o qual o mundo terminará está chegando, para que

o Apocalipse fale com urgência e relevância para a nossa situação e

circunstâncias hoje. 

Não foi escrito para a igreja no final da linha apenas nos anos da

história da humanidade. Foi escrito para a igreja dos últimos dias. Ou

seja, foi escrito para a igreja de todas as gerações desde a

ressurreição. Foi escrito para você e para mim.

2.3. Deus nos fala sobre a Sua Palavra e o Testemunho de Jesus (vs.

2)

E observe também no versículo 2 que o livro é o cuidadoso registro

de testemunha ocular de João para “a palavra de Deus e o testemunho de

Jesus Cristo” que vieram a ele nessas visões. 


Você vê isso no versículo 2? 

É isso que temos em Apocalipse, não as invenções da imaginação

febril de João! 

Este livro não é o equivalente do primeiro século ao de Louis

Carroll, Alice no País das Maravilhas. Ou de qualquer outro livro.

Não! Esta é a Palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo. 

A autoridade de Deus assiste a este livro. 

A voz de Jesus Cristo é ouvida neste livro. 

Portanto, por mais difícil que seja entender, por mais obscuro que

você possa achar, dado o ônus de nos mostrar a Jesus de quem nossas

almas tanto precisam, e dada a sua relevância para a vida nos últimos

dias em que atualmente vivemos e considerando o fato de que é o

próprio Deus e a voz de Cristo se dirigindo a ele, você acha que podemos

negligenciá-lo com segurança? 

Ousamos deixar suas páginas fechadas e suas imagens inexploradas,

não sem danos sérios ao nosso bem-estar espiritual.

2.4. João diz que atestou tudo o que viu


Esta é uma afirmação de estar dizendo a verdade, tudo isso que ele

viu. O autor deste livro se identificou pelo nome no versículo 1, e ele

afirmou que é uma testemunha ocular no versículo 2.

Este é um forte atestado da intenção do autor de dizer o que ele

acredita ser a verdade. Você pode confiar na Bíblia e pode confiar no

livro do Apocalipse. João assinou o nome dele. Rejeitar seu testemunho é

chamá-lo de mentiroso ou dizer que ele entendeu errado. Não vamos

discutir aqui se é o mesmo João que escreveu o Evangelho e as três

Epístolas, para mim está mais do que claro que é ele.

Tema: O Apocalipse é um livro importante:

1. Porque Cristo é o centro desse livro

2. Porque Deus é o autor do Livro de Apocalipse (vs. 1).

3. Porque promete que aqueles que leem e ouvem e praticam são

bem-aventurados (vs. 3)

Percebam que interessante é o que João escreve desde o início.

Aquela igreja está passando, como eu já disse, sérios problemas.

Vejamos alguns desses problemas:

3.1. Os crentes estavam sendo severa e duramente perseguidos:


a) Seu sangue estava sendo derramado (6. 10; 7. 14; 16. 6; 17. 6; 19.

2);

b) Alguns estavam presos em sombrios calabouços, ou viviam sob a

ameaça de morte (6. 8; 7. 16);

c) Alguns foram lançados às feras (6. 8);

d) Muitos foram decapitados (20. 4);

e) Em Pérgamo, Antipas foi morto (2. 13). João havia sido banido

para a ilha de Patmos (1. 9).

f) O governo romano estimulava a perseguição;

g) Seu imperador era cultuado e inspirou uma falsa religião;

h) Sua capital era o centro da lascívia (13. 7, 15; 17. 18).

i) Falsos mestres e seitas atribulavam as igrejas (2. 2, 14, 20, 24).

Não obstante, verdadeiros crentes faziam a luz de Cristo brilhar nas

trevas da superstição e das descrenças.

3.2. Mas, percebam o verso 3: Ele fala de bem-aventurança.

Há uma promessa clara. As palavras reveladas de Jesus Cristo não

trariam medo ou confusão, mas bem-aventurança. Elas não são apenas

revelações para o futuro, mas segurança e esperança já no presente.


Quem guarda a Palavra que é lida no culto se expõe à benção de

Deus, quem se recusa a comparecer para ouvir, perde no mínimo a

benção de Deus.

Ele continua no versículo 3, “e bem-aventurados os que ouvem. . . ."

Este

É feita uma declaração apesar do fato de que reunir-se com outros

cristãos poderia ter efeitos adversos sobre a posição de alguém na

comunidade. Uma pessoa poderia ser considerada culpada por

associação com ela. Sua reputação poderia ser manchada. Você poderia

ser perseguido por ser cristão, perseguido pelo miserável Domiciano.

João evidentemente achou mais abençoado ouvir o livro de

Apocalipse do que evitar tal perseguição.

Quão boa deve ser a experiência do cristianismo de João para ele

declarar essa bênção! Apesar da perseguição, apesar das maneiras pelas

quais o cristianismo não promoverá as pessoas na cultura romana,

apesar do fato de que o cristianismo pode custar sua vida, você será

abençoado se ouvir e manter a fé revelada neste livro.


João deve pensar que é melhor permanecer diante de Deus pela fé

em Cristo, perdoado e livre de todo pecado, do que ter toda a Roma

curvada diante de você.

João deve pensar que existe uma vida depois dessa vida em que as

recompensas para aqueles que pertencem a Jesus serão superiores a

todos os prazeres do pecado no mundo atual. Sua experiência no

cristianismo é como a de João? Você conhece o alívio que vem de saber

que a fé em Cristo e sua morte na cruz o colocam diante de Deus? Você

sabe que há algo melhor para se viver do que este mundo?

Lucas 11.28: “Bem-aventurados são os que ouvem a Palavra e a

guardam”.

Há sete Bem-aventuranças em Apocalipse:

a. 1.3 – Para aqueles que leem, ouvem e guardam a Palavra.

b. 14.13 – Para aqueles que morrem no Senhor. “As suas obras os

acompanham”.

c. 16.15 – Para aquele que vigia e guarda as suas vestes.

d. 19.9 – Para aqueles que são chamados à ceia das bodas do

Cordeiro.

e. 20.6 – Para aquele que tem parte na primeira ressurreição.


f. 22.7 – Para aquele que guarda as palavras da profecia desse livro.

g. 22.14 – Para aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do

Cordeiro.

3.3. Voltando ao verso 3

Nesse caso, temos uma dupla bênção:

1. Para quem tem a capacidade e a coragem de ler em voz alta o

livro do Apocalipse para a igreja reunida, e

2. Para os que se reúnem para ouvir sua mensagem e obedecer o

que Eles ouvem.

No primeiro século, a maioria das pessoas (até 85% da população

em geral) era analfabeta. Além disso, tendemos a esquecer que os

primeiros cristãos não possuíam uma cópia privada das Escrituras. Como

resultado, a leitura pública das Escrituras durante reuniões de culto se

tornaram uma prioridade (por exemplo, Col. 4:16; 1 Tes. 5:27; 1 Tim.

4:13).

Curiosamente, João espera que essa profecia seja obedecida,

enfatizando a natureza do livro como proclamação da verdade de Deus

com implicações éticas, e não simplesmente uma previsão de eventos

futuros.
Entregue-se a este livro e você verá Jesus! 

Você ouvirá a Deus! 

Você se encontrará equipado e guarnecido contra o inimigo em um

dia escuro. 

Bênção! É isso que é oferecido aqui. 

E, é claro, o que João diz aqui sobre o Apocalipse, em particular,

pode ser dito igualmente para toda a Bíblia em geral, não é? 

Leia, ouça e guarde as palavras do livro - por quê? Bênção! 

Irmãos e irmãs, sejamos honestos! Não é o caso de que nossas almas

são tão pobres, tão famintas de nutrição, os olhos de nossa fé veem tão

pouco, nossa coragem espiritual nos falha com tanta frequência, em

grande parte por causa de nossa negligência com o livro. 

Leia, ouça, guarde as palavras e bênção é a promessa do Deus Todo-

Poderoso. 

3.4. Qual a pretensão de João com essas palavras?

João pretende que o livro de Apocalipse produza uma mudança

radical de perspectiva.
Ele pretende que os membros perseguidos dessas igrejas humildes e

insignificantes sintam a realidade de que são abençoados.

Apesar de estarem em desacordo com a cultura dominante do

Império Romano, apesar da hostilidade do imperador e, mais

significativamente, do próprio Satanás, eles são abençoados!

Eles são abençoados por causa do que este livro revela.

Pode não parecer que eles são abençoados por padrões mundanos

de julgamento, mas este livro deixará claro que o terrível julgamento de

Deus está vindo contra aqueles que se rebelaram contra Deus e se

opuseram ao seu povo.

Enquanto isso, o povo de Deus será finalmente libertado e desfrutará

dos novos céus e da nova terra sob o governo benevolente do rei Jesus.

Portanto, pode não parecer à percepção humana, mas aqueles que

leem, ouvem e mantêm o livro do Apocalipse são realmente abençoados

na realidade.

3.5. O apocalipse é uma palavra de consolo e esperança. É uma

palavra de felicidade
O Apocalipse é, antes de tudo, uma mensagem de consolo e de

esperança para um povo em crise, ameaçado em sua fé a causa das

mudanças e das perseguições. O Apocalipse quer ajudar o povo a

encontrar-se novamente com Deus, consigo mesmo e com sua missão.

Quer animá-lo a não desistir da luta e quer armá-lo melhor para o

combate.

O livro nos mostra que somos mais que

vencedores por meio daquele que nos

amou.

Por isto, qualquer interpretação do Apocalipse feita para incutir

medo no povo, ou para aumentar seu desânimo, deve ser considerada

como errada e falsa!

3.5. Por que João nos alerta? Porque o tempo está próximo

A esperança cristã não muda com a mudança dos tempos, dos

séculos e dos milênios. O tempo está próximo. Esta frase tem por objetivo

levar os ouvintes e leitores ao arrependimento.

Mt 3.2 – “Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus”.

Mc 1.15 – “O tempo está cumprido, e o Reino de Deus está próximo;

arrependei-vos e crede no Evangelho”.


At 2. 38 – arrependei-vos e cada um seja batizado”.

As palavras grávidas no final do versículo 3, “pois o tempo está

próximo”, declaram que a realidade logo entrará neste mundo onde as

coisas não são como parecem.

Aplicação

Aplicação #01 – Temos esperança porque Deus falou e continua a

falar sobre seus planos para a história humana, planos que se

concentram em Jesus Cristo.

Deixe-me enfatizar isso. Os planos de Deus para esse mundo e para

a igreja se concentram na pessoa de Jesus Cristo.

“Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras

aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem

constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo”

Hebreus 1.1-2.

É importante conectar o capítulo inicial do Apocalipse com o que

vemos em Apocalipse 2–3. Muito do que as sete igrejas da Ásia Menor já


enfrentaram, também agora enfrentamos, seja a atração sedutora de uma

cultura secular ou a forte oposição dessa mesma cultura.

O fundamento de nossa esperança não está em nossas próprias

circunstâncias, mas na fidelidade de Deus para falar e agir em Cristo,

incluindo a promessa de um dia tornar todas as coisas novas.

É importante lembrar aos crentes que a visão foi dada não apenas a

João, mas a todo o povo de Deus (ou seja, "seus servos"). Deus não está

calado. Ele se preocupa com o que está acontecendo com seu povo e está

fazendo algo a respeito.

Aplicação #02 – Lembrem que estamos vivendo os últimos dias

A profecia começou a ser cumprida quando Cristo veio a esse

mundo. Mas, há algumas coisas ainda a chegarem.

Como João e os cristãos na Ásia Menor, também nós vivemos nos

últimos dias (cf. Ap 12: 6, 10–17).

Estamos travando as mesmas batalhas e recebendo o mesmo

conforto que os crentes do primeiro século na Ásia Menor.

Paulo resume bem a mentalidade em Romanos 13:11: “E faça isso,

compreendendo o tempo presente: já chegou a hora de você acordar do


seu sono, porque nossa salvação está mais próxima agora do que quando

cremos pela primeira vez”.

A iminência do cumprimento final do plano de Deus nos leva a

viver cada dia com um senso de urgência e abandono aos propósitos de

Deus (isto é, como se fosse nosso último dia). De outro ponto de vista, o

“fim” é sempre iminente no sentido de que poderíamos morrer a

qualquer momento.

Aplicação #03 – A bênção prometida é para aqueles que ouvem e

obedecem à Palavra de Deus.

Aqui nós temos oportunidade de enfatizar a importância de

conhecer e viver a Palavra de Deus.

O analfabetismo bíblico é um problema crescente na Igreja

contemporânea.

A prática antiga de ouvir as Escrituras, em vez de ler

silenciosamente para nós mesmos, pode oferecer uma disciplina

espiritual útil para a igreja hoje. Além disso, o Apocalipse apoia uma

ênfase adicional na leitura pública de grandes seções de texto.


Mas ouvir por si só não é suficiente. A mensagem deve seja levado a

sério e vivido. Talvez surpreendentemente, o Apocalipse tenha muito a

dizer sobre discipulado. A bênção não é para quem se envolve em

especulação, mas para aqueles que “seguem o Cordeiro por onde passa”

(Ap 14: 4).

Conclusão

Por favor escute isso com atenção.

Veremos no decorrer do livro que Cristo é o centro não apenas de

Apocalipse, mas de toda a Bíblia e de todo o mundo.

João está nos dizendo para olharmos com atenção para esse livro

por causa de três verdades que foram expostas nessa noite.

1. Porque Cristo é o centro desse livro.

Esse livro revela quem é Jesus Cristo de formas e maneiras

diferentes. Enquanto estudamos Marcos falamos do Cristo humilhado. O

homem que aqui foi xingado, cuspido, maltratado verbal e fisicamente

por mim e por você e que finalmente padeceu na cruz do Calvário.

O livro de Apocalipse se concentra ainda nessa pessoa.


Esse livro é a revelação de Jesus Cristo. Ele é o centro de todas as

coisas. Tudo o que acontece na história é por causa dele.

“Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele,

pois a glória eternamente. Amém”. Romanos 11.36.

2. Deus é o autor do Livro de Apocalipse (vs. 1).

Esse não é um livro como qualquer outro.

Este é o Evangelho que é pregado em toda parte da Bíblia. Isso não é

algo humano. É poder de Deus. Poder de Deus com um objetivo: Salvar.

Esse livro nos foi dado por Deus. Este é o Evangelho que reconcilia o

homem caído, afastado e inimigo de Deus. É mediante este Evangelho que

vidas são transformadas.

3. Porque aqueles que leem e ouvem e praticam são bem-

aventurados (vs. 3)

A bênção vem com nossa resposta pessoal de obediência (1: 3)

O propósito do Apocalipse não é excitar nossa imaginação a

especulações interpretações. É para nos inspirar e motivar à fidelidade e

obediência:
“Àquele que nos ama e nos libertou dos nossos pecados pelo Seu

sangue e fez nós um reino de sacerdotes para o seu Deus e Pai” (vv. 5-6).

João quer que a gente leia, ouça e guarde o que está escrito em

Apocalipse, porque, ao fazê-lo, seremos abençoados, e o tempo está

próximo.

O que ouvimos, precisamos obedecer.

No que acreditamos, nós precisamos viver.

A proximidade do retorno do Senhor visa desafiar-nos a viva uma

vida fiel.

Espero que você estejam atentos a tudo isso.

No próximo domingo veremos A apresentação do Deus Triuno nos

versos 4-8.

Você também pode gostar