Você está na página 1de 25

1

Governo do Estado do Rio de Janeiro


Secretaria de Estado de Educação

Comte Bittencourt
Secretário de Estado de Educação

Andrea Marinho de Souza Franco


Subsecretária de Gestão de Ensino

Elizângela Lima
Superintendente Pedagógica

Coordenadoria de Área de conhecimento


Maria Claudia Chantre

Assistentes
Cátia Batista Raimundo
Carla Lopes
Roberto Farias

Texto e conteúdo

Prof.ª Lígia Silva de Sá


C.E. Nilo Peçanha
Prof.ª Maria José Santana Monsores
C. E. Collecchio
Prof. ª Michelli Soares de Carvalho
C.E. Infante Dom Henrique
Prof.ª Vera Lucia Soares Pedro
C.E. Escritor e Jornalista Graciliano Ramos

2
Capa
Luciano Cunha

Revisão de texto

Revisão de texto

Prof ª Andreia Cristina Jacurú Belletti

Prof ª Andreza Amorim de Oliveira Pacheco

Profª Cristiane Ramos da Costa

Prof ª Deolinda da Paz Gadelha

Prof ª Elizabete Costa Malheiros

Prof ª Karla Menezes Lopes Niels

Prof ª Kassia Fernandes da Cunha

Prof Marcos Giacometti

Prof Mário Matias de Andrade Júnior

Prof Paulo Roberto Ferrari Freitas

Profª Regina Simões Alves

Prof Sammy Cardozo Dias

Prof Thiago Serpa Gomes da Rocha

Esse documento é uma curadoria de materiais que estão disponíveis na internet, somados à
experiência autoral dos professores, sob a intenção de sistematizar conteúdos na forma de uma
orientação de estudos.

©️ 2021 - Secretaria de Estado de Educação. Todos os direitos reservados.

3
Orientações de Estudos para Língua Portuguesa
4º Bimestre de 2020 – 9º ano do Ensino Fundamental

META:

Promover a reflexão nos alunos para que compreendam a finalidade de


comunicação, analisem a confiabilidade e a importância da notícia e apropriem-
se de suas intencionalidades específicas.

OBJETIVOS:

Ao final desse material, você será capaz de:

• Analisar e comentar a cobertura da imprensa sobre fatos de


relevância social, comparando diferentes enfoques por meio do uso
de ferramentas de curadoria;
• Analisar o fenômeno da disseminação de notícias falsas nas redes
sociais e desenvolver estratégias para reconhecê-las, a partir da
verificação/avaliação do veículo;
• Produzir artigos de opinião, assumindo posição diante de tema
polêmico, utilizando diferentes tipos de argumentos;
• Escrever textos corretamente, de acordo com a norma-padrão, com
estruturas sintáticas complexas no nível da oração e do período;
• Diferenciar o efeito de sentido do uso dos verbos de ligação “ser”,
“estar”, “ficar”, “parecer” e “permanecer”.

4
Sumário

1. Aula 1 – Informar e Formar - A importância da imprensa na construção da


cidadania. 7

1.1 O mesmo fato sob diferentes pontos de vista – comparando notícias


online. 8

2. Aula 2. Se é Fake, não pode ser News! 12

3. Aula 3. Hora do Jogo! 19

4. Aula 4. A arte de convencer (artigo de opinião) 19

5. Aula 5 – Proposta de Produção Textual 24

5
INTRODUÇÃO

Querido(a) aluno(a),

Nestas últimas Orientações de Estudos, você encontrará atividades


relacionadas a algumas habilidades e competências do 4º Bimestre do Currículo
Essencial de Língua Portuguesa do 9° ano do Ensino Fundamental.

Aqui será abordado acerca da importância do papel da imprensa no acesso


à informação pela sociedade, bem como na construção da opinião crítica do
cidadão.
Por outro lado, serão aqui
demonstrados o perigo e as
consequências danosas que as
informações falsas podem causar na
vida de uma pessoa e até de uma
nação. Entenderá que combater as
fake News é dever de toda pessoa,
enquanto cidadão, verificando a
veracidade da informação recebida,
denunciando as falsas notícias e não
propagando a desinformação.

Também será aqui trabalhado o gênero textual artigo de opinião,


demonstrando que o referido gênero é um importante suporte para manifestação
de uma pluralidade de ideias para construção do senso crítico. Analisaremos,

6
ainda, alguns recursos gramaticais da norma padrão que devem ser observados na
elaboração de textos.
Nestas Orientações contêm 5 (cinco) aulas que são compostas por
explicações para aprimorar a sua capacidade de compreender as principais ideias e
atividades relacionadas às habilidades do bimestre, além de exercícios que os
auxiliarão na fixação do conteúdo. Por fim, preparamos uma proposta de Produção
Textual para reforçar ainda mais seu conhecimento e capacidade. Vamos lá? ☺

1. Aula 1- INFORMAR E FORMAR - A IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA NA


CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA

A função da imprensa é informar. Informação é a maneira pela qual o


cidadão, em qualquer sociedade, reflete e tem conhecimento sobre um ou mais
assuntos. Então, cabe ao jornalista mediar essa relação dialógica com o leitor e,
dessa forma, levá-lo a ponderar os fatos. Assim, ao refletir, é capaz de elaborar sua
própria reflexão.
No entanto, alguns suportes jornalísticos fingem defender os interesses da
nação, mas defendem, tão-somente, o que lhes convém. Isso é um perigo. Por
quê? Porque muitas pessoas usam os jornais para se nutrirem de informações e se
manterem atualizados. O mesmo se aplica à mídia eletrônica com seus programas
de qualidade duvidosa. Em busca desenfreada pela audiência, certamente, nada
contribui para uma sociedade mais saudável, feliz e cidadã.

7
Por outro lado, ninguém discorda que uma imprensa livre é de vital
importância em qualquer sociedade. Aliás, ela não pode e nem deve sofrer qualquer
tipo de interferência. Do governo ou dos poderosos.
Não há democracia sem liberdade de expressão. É óbvio que a mídia
necessita repensar, urgentemente, seu papel numa sociedade de massa como a
nossa. Afinal, vivemos numa democracia cuja cidadania se encontra em
construção. Logo, temos um longo caminho a percorrer. Na realidade, a mídia não
pode se furtar ao seu papel educativo, aliás, é uma das forças mais poderosas de
nossa sociedade. Não é à toa que convence, dita moda e influencia
comportamentos.
O leitor, que é inteligente, tem certeza que as informações veiculadas pela
grande imprensa, em maioria, são adulteradas e destoam da realidade.
Muito bem, ninguém nega que a imprensa possui valor enorme, em qualquer
sociedade. Seu papel é, também, zelar pela construção da cidadania, da
democracia e do estado de direito. Em sendo assim, é fundamental garantir ao
cidadão o sagrado direito de acesso à informação de qualidade, mas sem qualquer
tipo de manipulação.
Na verdade, é dessa forma que vamos construir uma sociedade civil
democrática, participativa e menos desigual. É por isso que entendemos que a
mídia não pode e nem deve ser um instrumento de dominação e manipulação de
poucos sobre os demais.
Em conclusão: o exercício pleno da cidadania é o eixo principal de
convergência entre jornalismo, informação e democracia. http://www.brasilescola.com.A
Mídia e a Construção da Cidadania no Brasil - Brasil Escola (uol.com.br) Adaptado.

1.1 – O MESMO FATO SOB DIFERENTES PONTOS DE VISTA – COMPARANDO


NOTÍCIAS ONLINE

Existem diferentes maneiras de relatar fatos e que, ao escrever uma notícia,


os jornalistas precisam fazer várias escolhas: as palavras que serão usadas, a ordem
em que os acontecimentos serão relatados, os dados que serão utilizados etc. Essas
escolhas não são aleatórias e, dependendo de como forem feitas, podem privilegiar
um dos lados envolvidos no fato noticiado. Assim, para contrastarmos vários relatos

8
e não sermos tão manipulados, é importante lermos diversas notícias acerca do
mesmo fato. Observem, abaixo, notícias online referentes ao mesmo fato:

Três manchetes destacam a agressão aos venezuelanos, mas sem dizer


quem a cometeu. Apenas uma das manchetes dá destaque aos brasileiros, mas não
se refere à agressão; refere-se somente à expulsão: brasileiros expulsam
venezuelanos.
Essas diferentes ênfases não são dadas de modo aleatório; elas revelam, de
certa forma, o posicionamento de quem escreveu a notícia e/ou do site onde ela
circula.
Todas as manchetes explicitam o Estado onde o fato ocorreu, pois, ao
relatá-lo, é relevante destacar que se trata de um lugar na fronteira entre o Brasil e
a Venezuela.
Em algumas notícias, os venezuelanos são chamados de refugiados; em
outras, são chamados de imigrantes ilegais; em outras, são chamados apenas de
imigrantes. Você sabe a diferença entre imigrante e refugiado? Todo refugiado é
imigrante, mas nem todo imigrante é refugiado. Os refugiados saem de seu país por
motivo de perseguição política, guerras e/ou qualquer outro acontecimento que
ameace as suas vidas. Já os imigrantes podem sair de seu país de origem por
motivos que envolvem trabalho, estudo, família etc.
Ressalte-se que a escolha de um termo, em vez de outro, não é aleatória e
já pode nos dar indícios da opinião que o site tem a respeito do fato noticiado. Sugiro-
lhe, para complementar esses conceitos, uma rápida leitura do texto que pode ser
acessado neste link: http://www.acnur.org/portugues/2016/03/22/refugiados-e-migrantes-perguntas-
frequentes/.

9
Observem, também, que todas as notícias têm imagens (fotografias ou
vídeos). Essas imagens são escolhidas para atrair a atenção do leitor e para ilustrar
o fato noticiado. Ressalte, desse modo, que a notícia online é um texto
multissemiótico, ou seja, um texto em que são utilizadas a linguagem verbal e
linguagens não verbais (imagens estáticas e/ou em movimento, cores, sons etc.)

TESTE SEUS CONHECIMENTOS

Leia os textos abaixo e responda às questões:

10
1) Conforme a leitura realizada, descreva o fato central de ambas as notícias, isto
é, o que elas abordam?
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
2) Você é a favor ou contra as medidas que foram adotadas para combater o
novo coronavírus? Justifique sua resposta.

__________________________________________________________________
__________________________________________________________________

11
2. Aula 2- SE É FAKE, NÃO PODE SER NEWS!

Na era digital, qualquer um pode criar uma informação, dar a ela um aspecto
de notícia e fazê-la alcançar um grande número de pessoas. É por isso que você
jamais deve passar adiante uma informação se não conseguir estabelecer que veio
de fonte confiável. As redes sociais nos bombardeiam com mensagens o tempo
todo. Umas verdadeiras. Umas falsas. Outras nem tanto.
O que você sabe sobre “fake news”? - quais são as nuances da
desinformação? - como podemos combatê-la?

“Fake news” são - inverdades -


fabricações – mentiras. Ou seja,
conteúdo feito propositalmente para
enganar. Atenção para linguagem
emotiva, imagens sensacionalistas,
pedidos para compartilhar! São indícios
de tentativas de manipular suas
emoções. Uma notícia: é objetiva,
equilibrada, apresenta evidência, cita
especialistas e pode ser atribuída a
alguém.

Fake news não são uma novidade. Em


1835, o jornal The New York Sun publicou
uma série de textos sobre a descoberta
de vida na Lua. A informação foi
falsamente atribuída a um astrônomo
bem conhecido da época, chamado Sir
John Herschel. Fonte: The Social Historian

12
Se as fake news não são novidade, por que estamos vivendo uma verdadeira
tempestade de desinformação?
Por que as pessoas propagam informações falsas? • para enganar (golpes)
• para ganhar dinheiro • para persuadir (mudar crenças e ideias) ...ou até com boas
intenções!
Além do conteúdo fabricado, outras coisas podem contribuir para a
desinformação. Alguns exemplos: uma notícia que usa imagens reais, mas fora do
contexto; sites de humor que divulgam notícias com ironias e sátiras confundindo
os leitores; notícias que simplificam assuntos complexos mostrando só uma parte
do todo.

“Com as pessoas ficando em casa durante a


pandemia, a natureza ‘deu um reset’ e
animais voltaram a frequentar os ambientes
antes degradados pela ocupação humana.
Será?”

Não exatamente. A foto é verdadeira, mas a alegação não. Este é um ponto turístico na Tailândia,
onde, há anos, os turistas se divertiam alimentando os macacos locais. Como os turistas deixaram
de vir durante a pandemia, os animais estão famintos, procurando onde estavam habituados a
encontrar comida abundante e fácil.

Existem sites do tipo “caça-cliques” que lucram divulgando notícias


alarmantes. Com uma linguagem extremamente apelativa, atiçam a curiosidade do
leitor e quanto mais tempo você permanece dentro do site, mais ele consegue te
mostrar anúncios e mapear o seu comportamento. Entendeu agora o porquê de
alguns sites fazerem você passar por mil telas até te mostrar a informação
prometida?
Muitas vezes um conteúdo patrocinado (pago) parece notícia. Mas se tem a
finalidade de vender algo, não tenha dúvidas, é publicidade!
Algumas notícias não são falsas nem verdadeiras, simplesmente porque
não são notícias, são opiniões de uma pessoa ou grupo e nem sempre a opinião
está claramente identificada no texto.

13
E como vamos combater a
desinformação?

Primeiramente, temos que entender por que as pessoas criam e propagam


informações falsas: são para enganar, dar golpes, ganhar dinheiro, persuadir,
distorcer crenças e ideias políticas, e alguns até mesmo acreditam estar bem
intencionados.
Você acha que vale a pena participar disso?
As “fake News” causam problemas reais, a desinformação pode agravar uma
crise de saúde pública, levar pânico à população e até desencadear episódios de
ódio, preconceito ou violência. Ao compartilhar um conteúdo sem refletir, você pode
estar contribuindo para espalhar a desinformação.
A partir de agora pratique o “ceticismo saudável”. Ceticismo saudável é você
não acreditar em qualquer coisa que receber. Quando uma informação causou em
você choque, surpresa ou raiva: “Epa! Pera aí! O que é isso?” Pare! Não passe
adiante ainda, dedique um momento para investigar a informação. “Dê um Google”
rapidinho, hoje existem sites que trabalham desmascarando fake news, entre lá e
verifique. Quanto mais a gente sabe, melhor a gente decide. Combater a
desinformação é tarefa de todos nós.

Você consegue identificar se as informações a seguir são confiáveis?

Isto é confiável? É verdade que uma


cidade no Canadá começou a ter água
rosa nas torneiras repentinamente?

14
Ninguém vai mais precisar ficar
prestando atenção para ver se o sinal (ou
farol, em São Paulo) abre enquanto você
vê mensagens no celular. O Whatsapp vai
lançar uma atualização em breve que
pode ser a mais útil já feita até hoje.
Quando o farol abrir, o aplicativo vai
emitir um sinal sonoro, fazendo com que
o motorista ande com seu carro.

Isto é confiável? É real o flagrante


deste homem resgatado em
Brumadinho abraçando o bombeiro
que o salvou?

Isto é confiável? É verdade que um


juiz proibiu uma cidade inteira de
tocar música?

É verdade que a Red Bull terá que indenizar os consumidores que não
ganharam asas?

15
Será que um policial à paisana achou
uma arma dentro de um trenzinho de
brinquedo?

Respostas
Água rosa: Notícia verdadeira. Uma não literal.
busca pelo título revela que o artigo à https://exame.abril.com.br/marketing/red-
direita, em inglês, é da BBC. O texto cita bull-pagara-us-1 3-mi-a-clientes-que-
autoridades e um motivo verificável para nao-ganharam-asas/
a água ter ficado colorida. O artigo que
Bombeiro em Brumadinho: A foto
saiu na BBC Brasil tem a manchete um
circulou amplamente à época e é
pouco mais reveladora:
verdadeira, mas não está relacionada à
https://www.bbc.com/portuguese/geral- tragédia em Brumadinho – foi feita em
39203678 outra data e outro contexto. A foto mostra
o agradecimento de um cidadão que
Whatsapp: O post é do Sensacionalista,
havia caído em um poço e foi resgatado
e portanto é humor. O que está sendo
pelo bombeiro.
satirizado é o fato dos motoristas
https://veja.abril.com.br/blog/me-engana-
utilizarem o app de mensagens enquanto
que-eu-posto/ba ndeira-na-lama-e-
dirigem.
abraco-em-bombeiro-as-imagens-falsa s-
Red Bull: O slogan “Red Bull te dá asas” sobre-brumadinho/
deve ser conhecido pelos alunos para
Música proibida: O fato é verdadeiro. A
que a notícia faça sentido. O texto é da
notícia saiu no Estadão. Mas a manchete,
revista Exame e a notícia é verdadeira. A
propositalmente, deixa de fora o contexto
Red Bull foi processada por propaganda
para aumentar o insólito do fato e causar
enganosa e teve que indenizar milhares
espanto ou indignação. A proibição não é
de consumidores. A decisão é curiosa,
por motivos morais ou culturais, mas está
pois “dar asas” a alguém pode ser
relacionada a um impasse de
entendido como expressão figurativa e

16
arrecadação do ECAD. evidências contidas no texto. Erros de
https://politica.estadao.com.br/blogs/faus português e frases como “mandada por
to-macedo/justic a-de-go-proibe-cidade- um amigo” são sinais de alerta. Uma
de-tocar-musica/ busca revela que o assunto já foi tratado
pelo site e-farsas. http://www.e-
Arma no trenzinho: Um caso clássico
farsas.com/um-policial-a-paisana-achou-
de corrente no whatsapp sem autoria.
u ma-arma-dentro-de-um-trenzinho-de-
Não há evidência alguma de que o fato
uma-crianca-no-ba nco.html
relatado ou a foto sejam verdadeiros;
tampouco há como comprovar segundo

2.1 – Ser ou não ser? Eis a questão...


Os verbos de ligação na construção dos sentidos.

E por falar em Fake News, você, provavelmente, andou lendo notícias


que circularam na mídia divulgando que aqueles que tomarem a vacina para
se prevenirem da covid-19 correrão o risco de virarem um jacaré.

17
Observem as frases utilizadas na charge acima e analisem o sentido do verbo
VIRAR no contexto do diálogo:

Perceberam que o verbo virar nesse contexto serviu para atribuir uma
característica ao sujeito, no caso, de se transformar em jacaré ou em um humano.

Quando os verbos são usados para indicar uma característica ou um estado,


eles são chamados de “Verbos de Ligação”. O verbo de ligação não expressa a ação
do sujeito, mas liga um estado, uma característica ao sujeito.

Alguns verbos de ligação: ser, estar, parecer, andar, ficar, continuar,


permanecer, viver, virar, tornar-se, achar-se, encontrar-se, fazer-se. Atenção: Antes
de classificar o verbo como verbo de ligação, é preciso verificar o contexto em que
ele se encontra.

TESTE SEUS CONHECIMENTOS

1- A notícia é um gênero textual jornalístico que está presente em nosso dia a dia,
sendo encontrada principalmente nos meios de comunicação. Trata-se de um texto
informativo sobre um tema atual ou algum acontecimento real, portanto
VERDADEIRA. Geralmente estruturada em três partes básicas: título (manchete e
subtítulo), parágrafo introdutório (lead) e corpo (detalhamento dos fatos). No texto
são citadas as principais características de uma “notícia verdadeira”. Escreva-as:
_________________________________________________________________
________________________________________________________________

2- Analise a notícia abaixo, que circulou nas redes sociais, é verdadeira ou falsa?
Por quê?

Idosos que estiverem na rua durante a


pandemia perderão a aposentadoria De acordo
com a medida provisória nº 922 / de 18 de
março de 2020, o cidadão acima de 60 anos
que estiver na rua a partir do dia 20/03/2020,
terá sua aposentadoria suspensa por tempo
indeterminado. Filhos e netos acima de 18 anos
serão responsabilizados com multa de
R$1045,00 ( Mil e quarenta e cinco reais ). Essa
medida foi feita para assegurar a saúde
pública/privada da ameaça atual do COVID19.

18
3 - Analise os pares de orações que seguem e aponte as diferenças
demarcadas pela predicação verbal, tendo em vista o contexto em que se
encontram inseridos os verbos que os constituem:

a – Maria anda depressa.

b – Ando meio tristonho nos últimos dias.

c – A professora virou uma fera ao presenciar tal ato.

d – A cadeira virou, de tão pesada que estava.

e – Ao saber da notícia, ele caiu numa profunda tristeza.

f – A plateia caiu da arquibancada, que não oferecia nenhuma segurança

3. Aula 3 – HORA DO JOGO!


Caô Digital é um jogo que ensina a combater as fake news, com dicas para
identificar boatos e notícias falsas nas mídias sociais.

Divirtam-se!

Disponível em: http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/interaja/jogos-educativos/14409-


ca%C3%B4-digital-apresenta%C3%A7%C3%A3o-e-comandos acesso em 20 de fevereiro de
2021.

19
4. Aula 4 – A ARTE DE CONVENCER (ARTIGO DE OPINIÃO)

Para escrever um artigo de opinião é preciso, antes de tudo, ter uma tese
muito clara para defender diante de uma questão polêmica. Afinal, toda a
organização textual do artigo, assim como sua consistência, estará subordinada
à defesa dessa tese. Por isso, todo o artigo deve poder ser resumido por um
argumento central. É com esse argumento que o autor articula sua opinião pessoal
(a tese ou a conclusão de seu raciocínio e os dados e as justificativas que a
sustentam).

Portanto, para escrever um bom artigo de opinião, é necessário utilizar


argumentos consistentes e bem fundamentados, pois são mais fortes e
convincentes.

O autor do artigo tem de informar ao leitor quais as razões que o levaram


a tomar determinada posição, evitando motivos superficiais ou sem justificativa,
do tipo: “porque ninguém que eu conheço discorda”, “porque ouvi dizer”, “porque
todo mundo pensa assim”, “porque na vizinhança todos dizem” etc.

Parte da estratégia consiste em perceber com precisão que tipo(s) de


argumento pode(m) funcionar melhor no contexto do debate. Com base na relação
lógica estabelecida entre os dados, as justificativas e a conclusão ou tese, tem-se
um tipo de argumento.

20
Argumento de autoridade
Explicação

No argumento de autoridade, o auditório é levado a aceitar a validade da


tese ou conclusão [C] defendida a respeito de certos dados [D], pela credibilidade
atribuída à palavra de alguém publicamente considerado autoridade na área [J].

Exemplo: No livro didático X, as personagens que praticam boas ações são


sempre ilustradas como loiras de olhos azuis, enquanto as más são sempre
morenas ou negras [D]. Podemos dizer que o livro X é racista [C], pois, segundo
o antropólogo Kabengele Munanga, do Museu de Antropologia da USP,
ilustrações que associam traços positivos apenas a determinados tipos raciais são
racistas [J].

Argumento por evidência


Explicação

No argumento por evidência, pretende-se levar o auditório a admitir a tese


ou conclusão [C], justificando-a por meio de evidências [J] de que ela se aplica
aos dados [D] considerados.

Exemplo: De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílio


(PNAD) de 2008, o telefone, a televisão e o computador estão entre os bens de
consumo mais adquiridos pelas famílias brasileiras [D]. Esses dados mostram que
boa parte desses bens de consumo está ligada ao desejo de se comunicar [C]. A
presença desses três meios de comunicação entre os bens mais adquiridos pelos
brasileiros é uma evidência desse desejo [J].

Argumento por comparação (analogia)


Explicação

No argumento por comparação, o argumentador pretende levar o auditório


a aderir à tese ou conclusão [C] com base em fatores de semelhança ou analogia
[J], evidenciados pelos dados [D] apresentados.

21
Exemplo: A quebra de sigilo nas provas do Enem 2009, denunciada pela
imprensa, nos faz indagar quem seriam os responsáveis [D]. O sigilo de uma prova
do Enem deve pertencer ao âmbito das autoridades educacionais – e não da
imprensa [C]. Assim como a imprensa é responsável por seus próprios sigilos, as
autoridades educacionais devem ser responsáveis pelo sigilo do Enem [J].

Argumento por exemplificação


Explicação

No argumento por exemplificação, o argumentador baseia a tese ou


conclusão [C] em exemplos representativos [D], os quais, por si sós, já são
suficientes para justificá-la [J].

Exemplo: Vejam os exemplos de muitas experiências positivas – Jundiaí


(SP), Campinas (SP), São Caetano do Sul (SP), Campina Grande (PB) etc. –
sistematicamente ignoradas pela grande imprensa [D]. Tantos exemplos levam a
acreditar [J] que existe uma tendência predominante na grande imprensa do Brasil
de só noticiar fatos negativos [C].

Argumento de princípio
Explicação

No argumento de princípio, a justificativa [J] é um princípio, ou seja, uma


crença pessoal baseada numa constatação (lógica, científica, ética, estética etc.)
aceita como verdadeira e de validade universal. Os dados apresentados [D], por
sua vez, dizem respeito a um fato isolado, mas, aparentemente, relacionado ao
princípio em que se acredita. Ambos ajudam o leitor a chegar a uma tese, ou
conclusão, por meio de dedução.

Exemplo: A derrubada dos índices de mortalidade infantil exige tempo,


trabalho coordenado e planejamento [J]. Ora, o índice de mortalidade infantil de
São Caetano do Sul, em São Paulo, foi o que mais caiu no país [D]. Portanto, São
Caetano do Sul foi o município do Brasil que mais investiu tempo, trabalho
coordenado e planejamento na área [C].

22
Argumento por causa e consequência
Explicação

No argumento por causa e consequência, a tese ou conclusão [C] é aceita


justamente por ser uma causa ou uma consequência [J] dos dados [D].

Exemplo: Não existem políticas públicas que garantam a entrada dos


jovens no mercado de trabalho [D]. Assim, boa parte dos recém-formados numa
universidade está desempregada ou subempregada [C]. O desemprego e o
subemprego são uma consequência necessária das dificuldades que os jovens
encontram de ingressar no mercado de trabalho [J].

TESTE SEU CONHECIMENTO

1. (Enem 2014)

Os anúncios publicitários são compostos, em sua maioria, de imagens e


texto, e sua principal finalidade é mudar comportamentos e hábitos. Com o
objetivo de persuadir o leitor, o autor da peça publicitária sobre a Amazônia busca
levá-lo a

A - munir-se de argumentos para lutar contra o poder dos desmatadores.


B - considerar-se ponto crucial na luta contra o reflorestamento amazônico.
C - basear-se no anúncio, visando à busca pelos desmatadores da Floresta
Amazônica.
D - defender-se do que está por vir, em decorrência do desmatamento mundial.
E - conscientizar-se quanto à importância da preservação da Floresta Amazônica
para todos.

23
5. Aula 5 – PROPOSTA DE PRODUÇÃO TEXTUAL.

Produza um texto argumentativo (artigo de opinião) de 15 a 25 linhas, com


título, trazendo pontos de vista contra e a favor à quarentena imposta pelo novo
coronavírus. É necessário que se pesquise em sites de notícias locais e nacionais,
e que se leia textos de especialistas para emitir sua opinião sobre essa situação.
Pode-se usar citações dos autores, desde que se dê o devido crédito.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Querido(a) aluno(a),

Nessas Orientações de Estudos do 4° Bimestre do Currículo Essencial de


Língua Portuguesa da 9° Série do Ensino Fundamental, você pôde entender a
importância dos argumentos no processo de convencimento e persuasão do
leitor/ouvinte.
Além disso, teve a oportunidade de distinguir fato de opinião relativa a esse
fato nos diversos textos, especialmente, nos gêneros notícia e reportagem.
Foi-lhe proporcionado também a resolução de questões para testar os
conhecimentos adquiridos.
Por fim, foi apresentada uma proposta de Produção textual para você
testar os conteúdos trabalhados, colocando em prática as habilidades adquiridas
na elaboração de seu próprio texto. Você foi capaz de, a partir da análise de um
fato de interesse social, se posicionar, utilizando argumentos de consistência para
defesa do seu ponto de vista.

Parabéns!!

Esperamos que você tenha se divertido!


Abraços. Equipe de elaboração!

24
INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

https://novaescola.org.br/plano-de-aula/3175/o-mesmo-fato-sob-diferentes-
perspectivas--comparando-noticias-online - Plano de Aula - 7º ano - Língua
Portuguesa - O mesmo fato sob diferentes perspectivas – Comparando notícias
online (novaescola.org.br)

http://www.brasilescola.com.A Mídia e a Construção da Cidadania no Brasil -


Brasil Escola (uol.com.br) Adaptado.

htpps://www.escrevendoofuturo.org.br/cadernovirtual/etapa/tipos-de-
argumento/

Fake-News_Desafio.pdf (educamidia.org.br)

25

Você também pode gostar