Você está na página 1de 4

Extrusão de metais Prof Ms Carlos O.C.

Almeida Filho Prof Dr Marco Stipkovic Filho

Extrusão de metais

O termo extrusão tem o significado de empurrar o material a ser moldado através de uma
ferramenta denominada matriz de extrusão para formação contínua de um produto
polimérico, em estado fundido ou pastoso, cerâmico , na forma de pasta ou massa, e
metálico na forma pastosa ou com temperatura adequada. Nestes tem grande aplicação nos
perfis de alumínio, cobre e latão, bem como na produção de cápsulas e invólucros.
Para os polímeros e cerâmicos a maquina denominada extrusora é composta dos elementos
destacados na figura 1

Figura 1 Extrusora de polímeros e cerâmicos(Larousse)

É um processo de transformação termomecânica no qual um tarugo de metal é reduzido em


sua seção transversal quando forçado a fluir através do orifício de uma matriz (ferramenta),
sob o efeito de altas pressões e temperatura (máquina). Como uma pasta de dente sendo
expelida para fora de seu tubo.Nos metais são utilizadas extrusoras com aplicação de
pistões hidráulicos que permitem uma maior pressão de extrusão necessária para a
conformação. Na figura 2 tem-se um esquema de uma extrusora para perfis e barras.

1
Extrusão de metais Prof Ms Carlos O.C. Almeida Filho Prof Dr Marco Stipkovic Filho

Figura 2 Extrusora para metais(ABAL)

2
Extrusão de metais Prof Ms Carlos O.C. Almeida Filho Prof Dr Marco Stipkovic Filho

O equacionamento envolve os estudos de mecânica dos fluidos e o comportamento dos


metais em temperaturas elevadas próximas da temperatura de recristalização. Destacando
que o processo ocorre a volume constante, alguns dados iniciais são necessários:
A1 = área da seção transversal do tarugo a ser extrudado
A2 = área da secção transversal do perfil ou barra final
D1 = diâmetro do tarugo
D2 = dimensão do perfil ou barra formado
V = volume do material a ser processado
π • D12 π • D22
V = • L1 = • L2
4 4
Considerando a deformação tem-se
ψ1= D21/D22 e ψ2 = L1/L2
onde
ψ1 + ψ2 = 0
Como o processo esta relacionado com a pressão necessária para a deformação, considerar-
se a redução de área da seção transversal e a deformação longitudinal relacionada com a
variação de seção.
A D 21
ln 1 = ln 2
A2 D2
Considerando o trabalho realizado com a força média de compressão Fm sendo aplicada ao
longo da dimensão L1 do tarugo. Pode-se obter a equação:
2
D1
Fm = A1 • kd • ln 2
D2
onde kd é a pressão de deformação do material considerada como uma função do grau de
deformação ψ e exemplificada no quadro 1 para o alumínio no estado recozido.
A forma da matriz também deve ser considera em função do fluxo previsto para o metal em
escoamento conforme mostrado na figura 3

Figura 3 – Linhas de fluxo para o escoamento do metal

3
Extrusão de metais Prof Ms Carlos O.C. Almeida Filho Prof Dr Marco Stipkovic Filho

Quadro 1- Tabela de valores do fator Kd em função do grau de deformação ψ


ψ kd
0 a 10 % 100 a 130 MPa

10 a 20 % 130 a 160 MPa

20 a 40 % 160 a 190 MPa

40 a 60 % 190 a 200 MPa

< 70 % 200 a 250 MPa

O quadro 2 apresenta um gráfico de comportamento de alguns materiais

Quadro 2- Gráfico de valores do fator Kd em função do grau de deformação ψ e da


temperatura do tarugo