Você está na página 1de 6

ATIVIDADE INDIVIDUAL

Matriz de análise

Disciplina: Inovação Estratégica Módulo: Atividade Individual

Aluno: Alessandro Cardoso Turma: 0721-1_5

Tarefa: Dissertar sobre os diversos motivos que podem levar uma idéia empreendedora ao fracasso.
Tentar identificar porque um número grande de “Empresas Gazelas”, empresas que crescem muito e
rápido, não conseguem sobreviver nos 5 primeiros anos e como os conceitos e as ferramentas
aprendidas nesta disciplina podem ajudar a mudar essa realidade.

Introdução
O objetivo deste trabalho, é analisar os motivos que podem levar uma idéia empreendedora ao
insucesso e fazer uma reflexão sobre as dificuldades de se empreender.

Porque um número grande de Empresas não conseguem sobreviver nos 5 primeiros anos de
funcionamento?

Antes de iniciarmos nossa dissertação, vamos abordar o conceito de Startup e “Empresas Gazelas”.
O termo startup é utilizado para definir empresas em seus estágios iniciais de criação e primeiros
anos de funcionamento. Enquanto “Empresas Gazelas”, normalmente são empresas que possuem
desenhos inovadores em seus modelos de negócio ou em seus produtos, de modo que conseguem
desenvolver mercados e ter um crescimento rápido, com médias mínimas de crescimento acima de
20% ao ano.

Mas porque muitas destas Empresas não sobrevivem ao primeiro quinquênio? Mesmo sendo
empresas com grande flexibilidade, que identificam oportunidades com soluções criativas e
lucrativas, porque algumas ficam pelo caminho?

Este trabalho vai tentar identificar alguns motivos que podem levar uma Empresa ao fracasso e
trazer ferramentas que auxiliam no aprimoramento do desenvolvimento do empreendedorismo , que
possibilitem maiores chances de sucessos e que possam ajudar a mudar essa realidade.

Muitas organizações ficam imersas no caos da rotina diária, sem compreender o que há de errado e
sem conseguir mudar rumos de forma a melhor aproveitar as oportunidades que se apresentam. Por
vezes, o erro está na origem da própria empresa, que nasce sem planejar ou pensar sua existência.
Às vezes, o problema está na própria cultura da empresa, que não valoriza nem estimula a
criatividade.
Definir o modelo de negócios pode ser a chave para o sucesso do empreendimento ou, ao menos,
uma orientação para o que se pretende empreender e como o negócio pode ser melhorado.
Ter essas informações definidas antes da abertura do empreendimento significa minimizar os
problemas e as chances de insucesso, possibilitando que o foco do empreendedor seja nos
resultados da empresa.
Vamos ver porém, o que ocorre na maioria dos casos é a dificuldade em planejar e evitar erros.

Diante do exposto, vamos abordar um pouco sobre algumas ferrmentas que podem ajudar a mudar
esta realidade, entre elas a Canvas, proposto por Osterwalder e Pigneur (2011), que permite de
forma simples, diagnosticar qual o modelo de negócios pretendido e que permite criar uma visão
completa do negócio com foco na experiência do cliente. Essa visão vai permitir que boas idéias
surjam e que as inovações possuam real utilidade.

1
Motivos que podem levar uma ideia empreendedora ao fracasso
As mudanças contínuas do ambiente de negócios desencadeiam pressões pela constante recriação e
pelo revigoramento das empresas. Dessa forma, precisam se preparar para atingir os níveis de
desempenho demandados por um ambiente de negócios cada vez mais competitivo. Pode-se afirmar
que a falta de planejamento e de preparo antes e durante a abertura de um negócio faz toda a
diferença para o seu sucesso.

Vamos elencar o porque um número grande de Empresas não conseguem sobreviver nos 5 primeiros
anos de funcionamento.

Planejamento prévio - ao abrir uma empresa, parte dos empreendedores não levantou
informações importantes sobre o mercado, ou seja, não realizou um planejmento de itens básicos
antes do início das atividades da empresa.

Como por exemplo pesquisa de segmentos de clientes: qual o número de clientes , quais os
hábitos de consumo desses clientes ?

Proposta de valor - como resolvo os problemas dos clientes ? Quais as suas necessidades? Quais
são os recursos necessários para que a Empresa entregue valor ao cliente? Quais são as atividades
chave, principais produtos e serviços a serem desenvolvidos? Meu produto satisfaz as
necessidades do mercado? Sei identificar quais são os pontos positivos e negativos do meu
produto? É fácil de ser usado pelo cliente? Se não temos uma proposta de valor bem definida, a
chance de dar errado é muito grande.

Canais - meios pelos quais as propostas são levadas aos clientes. Identificar os principais canais de
comunicação, distribuição ou vendas. Melhor localização, quais são os fornecedores.

Relacionamento com os clientes - como será a comunicação da Empresa com o cliente? Qual a
necessidade do mercado? Qual é o público alvo?

O atendimento ao cliente e feedback são extremamente importantes. Nunca ignore seus clientes.
Sempre compartilhe o feedback deles com sua equipe e trabalhe para resolver os problemas
encontrados por eles.

Outro ponto importante é referente a Marketing. Foi definido uma boa proposta de Marketing?
Adquirir clientes, criar e divulgar uma marca pode ser muito difícil e sem um marketing bem
elaborado, muito difícil ter sucesso.

Fontes de receita, estrutura de custo e recursos principais - estratégias de preços que geram
fluxos positivos de entrada financeira. Quanto o cliente está disposto a pagar pelo produto ou
serviço? Qual será o capital de giro necessário para abrir o negócio ? Qual o investimento inicial? Foi
definido o valor do lucro pretendido? Quanto preciso vender para cobrir os custos e gerar o lucro
pretendido? Qual o nível de qualificação necessária da mão de obra? Tenho uma equipe qualificada,
com as competências necessárias ? Posso terceirizar alguma atividade? Eu sei o número de
concorrentes que vou ter? Meu produto é melhor e mais útil para o meu cliente do que o do
concorrente?

Gestão Empresarial - as empresas que costumam com frequência aperfeiçoar produtos e serviços,
estar atualizada com respeito às tecnologias do setor, inovar em processos e procedimentos e
investir em capacitação, tendem a sobreviver mais no mercado.
“Estamos na era do crescimento exponencial e o mercado respeita religiosamente a conclusão de
Charles Darwin, descrita em sua obra prima "A Origem das Espécies" : Aqueles que sobrevivem não
são os mais fortes ou os mais rápidos, e sim aqueles que detém maior capacidade de adaptação.”

2
As empresas que costumam, com frequência, aperfeiçoar produtos e serviços, estar atualizada com
respeito às tecnologias do setor, inovar em processos e procedimentos e investir em capacitação,
tendem a sobreviver mais no mercado. E isto depende muito do comportamento do Empreendedor
ou dos líderes nestas Empresas. Se antecipar aos fatos, buscar intensamente informações e persistir
nos objetivos, são comportamentos que distinguem as empresas de sucesso das que fracassaram e
ficam no meio do caminho.

Falta de um modelo de negócios: É difícil crescer como empresa quando um modelo de negócios
não é estabelecido. Um caminho claro precisa estar evidente para conquistar membros de equipe,
clientes e potenciais investidores.

Um maior tempo de planejamento permite que se conheça melhor o mercado antes de abrir a
empresa, o que tende a aumentar as chances de sucesso ou de fracasso.

Como evitar a mortalidade das empresas nos primeiros anos

A inovação é caracterizada pela habilidade de conseguir estabelecer relações, detectar


oportunidades e tirar benefícios delas. Grande parte do sucesso esperado nos objetivos planejados,
dependem da inovação como fator principal para alcançá-los. Para os empreendedores, inovar pode
ser a sua sobrevivência no mercado (TIDD; BESSANT, 2015).

Algumas ferramentas podem ajudar a evitar a mortalidade das Empresas nos primeiros anos,
permitindo se pensar inovações que possam criar propostas de valor e tendo como foco principal, o
cliente.
Iremos falar um pouco sobre algumas destas ferramentas, como a definição de oportunidades, o
Jobs to be done ou o trabalho a ser feito, P&D ou pesquisa e desenvolvimento, a democratização da
opinião, a solution-storming e a demonstração de viabilidade.

A definição de oportunidade começa pela identificação das necessidades de seu cliente ou de seu
cliente potencial.

Uma das ferramentas que pode ser utilizado é o Jobs to be done ou qual o trabalho a ser feito
para atender o que o meu cliente deseja?

Os Christensen et al. (2007) argumentam que os consumidores possuem trabalhos a serem feitos
e, para isso, buscam algum produto ou serviço no mercado que os ajudem a ter determinado serviço
pronto. Essa análise permite que o empreendedor compreenda o desejo de seu cliente, identificando
um mercado de foco, quais os trabalhos a serem feitos que os consumidores estão tentando obter,
identificando aqueles de maior criticidade ou que estão apresentando as maiores dificuldades. Outro
passo importante também, é desenvolver uma análise de causa e efeito, utilizando a técnica de
perguntar os porquês de algo estar ocorrendo, de forma a chegar à raiz do problema.

Outra ferramenta importante para garantir a sobrevivência de uma Empresa, está relacionados à
Pesquisa e desenvolvimento. Muito importante que as Empresas adotem uma espécie de maratonas
de desenvolvimento ou uma Olimpíadas de Inovação, que tem como objetivo incentivar a
execução de projetos inovadores capitaneados pelos colaboradores, por meio da identificação de
problemas ou oportunidades no ambiente de trabalho.  Os projetos selecionados e os funcionários
responsáveis por aquelas idéias, deverão passar por uma jornada com conteúdos de Design
Thinking (Processo Criativo), Lean Startup (Startup Enxuta) e Psicologia da Inovação. Estas
Olimpíadas devem seguir com o formato bootcamp (programa imersivo e intenso que foca nas
habilidades para formar inovadores com potencial de alto impacto), com as fases de imersão,
identificação de oportunidades, ideação de soluções, desenvolvimento de proposta e avaliação em
um Demoday.

Democratizar a opinião para todos também é de suma importantância, ou seja, adotar a cultura
da argumentação. Todo ser humano tem um ponto de vista, desde o estagiário até a alta direção da
Empresa. Deixe que todos expliquem o seu ponto. Adotando essa cultura, haverá o incentivo para
que todos contribuam.
Outro ponto importante, é a presença do líder na linha de frente, no chão de fábrica, é na planta
onde tudo acontece. O líder precisa sair da zona de conforto, passar a observar, ir ao local de
trabalho, ouvir as pessoas, conversar com as pessoas, são elas que sabem efetivamente o que
precisa mudar. Criar práticas que valorizem e compartilhem as histórias dentro da Empresa. É
necessário dar vozes às pessoas que estão querendo mudar a CIA , de forma a se ter um equilíbrio
dentro da organização, onde as pessoas vão poder errar um pouco mais, aprender um pouco mais e
aí quem sabe inovar um pouco mais.
É na planta que a alta direção encontrará as respostas para o próximo grande lançamento da sua
empresa, ou a adaptação no seu produto que lhe fará ganhar market share.

Focar na atenção sistemática ao aprimoramento de produtos e serviços também é um caminho a ser


seguido. De acordo com evolução do gosto dos clientes e identificação da melhor estratégia de
busca de soluções. Uma das técnicas de busca por uma quantidade de idéias é o solution-
storming (Furr e Dyer, 2014, p. 113) ou Brainstorming. Trata-se de uma busca de soluções
para um determinado problema a ser resolvido, em busca de oportunidades e soluções para a
Empresa e para o cliente, com pesquisa de mercado, pesquisa interna com momentos de reflexão
entre as equipes, buscando enxergar o que está sendo feito, de forma a abrir o horizonte e buscar
oportunidades de melhorias para o que estou precisando.

Definindo as oportunidades, o trabalho a ser feito, escutando as equipes e incentivando a execução


de projetos inovadores capitaneados pelos colaboradores e assumindo uma certa dose de risco em
sua implementação, com a prototipagem de idéias e projetos, o processo final é passar pela
demonstração de viabilidade, que pode ser feita via Canvas.
A ferramenta Business Model Canvas, é um modelo adequado para que empreendedores e
executivos consigam discutir e visualizar como o negócio seria executado de forma sistêmica e
integrada. Esta ferramenta foi proposta por Osterwalder e Pigneur (2011), e permite de forma
simples, diagnosticar qual o modelo de negócios pretendido e que permite criar uma visão completa
com foco na experiência do cliente. Definir este modelo pode ser a chave para o sucesso do
empreendimento ou, ao menos, uma orientação para o que se pretende empreender e identificar
oportunidades de melhorias.
Para isso o empreendedor precisa definir qual o propósito do seu negócio. Ter essas informações
definidas antes da abertura do empreendimento significa minimizar os problemas e as chances de
insucesso, possibilitando que o foco do empreendedor seja nos resultados da empresa.
O Canvas tem por objetivo analisar e levantar informações que visam sustentar a empresa,
identificar o modo como a empresa ganha seu sustento. Além disso auxilia na identificação dos seus
clientes, produtos/serviços.
O Modelo trata da combinação de nove componentes para definir o negócio, que são: segmentos de
clientes, proposta de valor, canais (canais de comunicação, distribuição ou vendas), relacionamento
com os clientes, fontes de receita, recursos, atividades chave, parcerias principais e estrutura de
custo. Uma técnica poderosa que cria esquemas que fazem o funcionamento da organização dar
certo (CLARK, 2013).
O principal enfoque do Canvas é trazer clareza para os objetivos centrais da empresa, apontando as
suas forças, fraquezas e prioridades (STICKDORN; SCHNEIDER, 2014). Permite visualizar as
principais funções de um negócio em blocos relacionados, no qual se pode descrever, visualizar e
alterar modelos de negócios. Trata-se da síntese de funções da empresa em um único quadro. O
quadro é um espaço livre para imaginar o futuro negócio, com criatividade, permitindo-se pensar
inovações que possam criar uma proposta de valor única. Desse mapa visual do negócio, o
empresário é convidado a validar essas hipóteses junto aos clientes. Só depois das incertezas

4
reduzidas com a validação das hipóteses é que se define o Modelo de Negócios, que será o insumo
para o planejamento e execução. Refere-se a um conceito que permite tornar em uma linguagem
fácil e comum a elaboração e formação de estratégia, facilitando assim a compreensão
compartilhada (OSTERWALDER; PIGNEUR, 2011).

Conclusão

Um dos principais pontos que define o sucesso de uma empresa é o seu potencial de inovação. Em
uma época altamente tecnológico e com rápida multiplicação de empresas e startups, fica cada vez
mais difícil lançar um produto realmente inovador e interessante para os usuários, antes que ele seja
ultrapassado por outra solução ainda mais útil.

E é na busca por inovar que muitas empresas esquecem de fazer um planejamento real de suas
previsões, o andamento prático do mercado e, por fim, terminam por lançar produtos desatualizados
e obtendo péssimos resultados, perdendo espaço e o controle dos negócios, e muitas vezes
encerrando por definitivo as atividades.

Vimos que é possível propor inovações no ambiente de atuação das Empresa, objetivando incentivar
a execução de projetos inovadores capitaneados pelos colaboradores, por meio da identificação de
problemas ou oportunidades no ambiente de trabalho .  

Essencialmente, inovação é um dos caminhos para fazer uma empresa se manter no mercado e
prosperar. Todo processo de inovação traz vantagens à organização, desde aquelas que modificam
um mercado (clientes), oferecendo o melhor produto possível e outras que permitem apenas
aprimorar processos internos na CIA, fazendo o mesmo de uma forma melhor e com menor custo.
Referências bibliográficas
PEREIRA, S.C.P. Inovação Estratégica. Apostila do MBA Executivo em Gestão Empresarial. Rio de
Janeiro. FGV IDE In Company Management OnLine. Disponível em:

https://ls.cursos.fgv.br/d2l/lor/viewer/viewFile.d2lfile/334842/598002/downloads/inovacao_estrategi
ca.pdf

Sites:

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Disponível em: <http://www.abnt.org.br/>


Acesso em 07 ago. 2021.

BVIRTUAL. Bvirtual. Disponível em:


<https://plataforma.bvirtual.com.br/Leitor/Publicacao/1996/pdf/>. Livro Criatividade e Inovação.
Acesso em 06 ago.2021.

http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/2057/1/gestaoinovacao.pdf - Gestão da Inovação


Apoio: Hélio Gomes de Carvalho Dálcio Roberto dos Reis Márcia Beatriz Cavalcante.

https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/UFs/SP/Pesquisas/CAUSA%20MORTIS_vf.pdf.

http://repositorio.unesc.net/bitstream/1/5617/1/J%C3%B4nata%20de%20Oliveira%20Biava.pdf.

https://administradores.com.br/noticias/como-sua-empresa-vai-morrer-em-10-anos.

https://administradores.com.br/noticias/iridium-o-fracasso-que-ensinou-a-motorola-e-ao-mundo-a-
forca-devastadora-da-inovacao.

Você também pode gostar