Você está na página 1de 19

Tecnologias de Informação e Comunicação

Republica Portuguesa
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

ÍNDICE

Manual de Introdução à Informática .............................................................. 3


Conceito de Tecnologia da Informação ........................................................... 3
O que é a Informática ................................................................................. 3
Do ábaco ao computador, que percurso… ....................................................... 4
Tipos de Computadores ............................................................................... 5
Supercomputador .........................................................................................................5
Computador doméstico .................................................................................................6
Constituição básica de um computador .......................................................... 7
O Hardware......................................................................................................................7
A CPU ..........................................................................................................................7
Disco rígido, .................................................................................................................7
Um monitor ..................................................................................................................8
O rato ..........................................................................................................................8
O teclado .....................................................................................................................8
Uma impressora ...........................................................................................................8
Webcam ......................................................................................................................9
Digitalizador .................................................................................................................9
Uma drive ....................................................................................................................9
SOFTWARE ............................................................................................... 9
Software Operativos .......................................................................................................10
Software utilitário ...........................................................................................................10
Software aplicativo .........................................................................................................10
Esquema de Funcionamento de um computador ............................................ 10
Sistemas de Entrada e Saída de Dados ............................................................................11
Dispositivos de entrada ...............................................................................................11
Dispositivos de saída ...................................................................................................11
Unidades de Armazenamento de Dados ........................................................ 12
Bit .............................................................................................................................12
MEMÓRIAS ............................................................................................. 12
Armazenamento de Informação .................................................................. 14
DISQUETES....................................................................................................................14
CD .............................................................................................................................15
DVD...........................................................................................................................15
Rede de Computadores ............................................................................. 16
Modelos de rede de computadores ..................................................................................17
LAN ...........................................................................................................................17
CAN ...........................................................................................................................17
MAN ..........................................................................................................................17
WAN ..........................................................................................................................17
Vírus de computador ................................................................................. 18
O que são vírus informáticos ...........................................................................................18
Avarias possíveis ............................................................................................................18
Antivírus ........................................................................................................................19
Firewall ..........................................................................................................................19

Introdução à informática 2
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

Manual de Introdução à Informática

Conceito de Tecnologia da Informação

As TIC assumem cada vez mais um papel destacado na sociedade actual, estão
muitas vezes presentes na comunicação entre os homens.
O combate à info-exclusão deve ser praticado na escola, dando igualdade
de oportunidades aos alunos, no acesso às novas tecnologias da informação e
da comunicação.

As Tecnologias da Informação e Comunicação(TIC) são um conjunto de


recursos não humanos dedicados ao armazenamento, processamento e
comunicação da informação, e a maneira como esses recursos estão
organizados num sistema capaz de executar um conjunto de tarefas. As TI’s
não se restringem a equipamentos (hardware), programas (software) e
comunicação de dados. Existem tecnologias relativas ao planeamento da
informática, ao desenvolvimento de sistemas, ao suporte ao software, aos
processos de produção e operação, ao suporte de hardware.

O que é a Informática

A palavra informática é derivada do francês informatique, vocábulo criado por


Philippe Dreyfus, em 1942, a partir do verbo francês informer, por analogia com
mathématique, électronique, etc., tem origem na conjugação das palavras
Informação (Information) e Automática (Automatique), logo informática é o
tratamento de informação por meios automáticos (computadores ou sistemas
informáticos) tendo como objectivos a economia da transmissão de dados, o
estudo das linguagens, a redução de erros e a formulação de códigos. Em
português, também se considera que a palavra INFORMÁTICA seja formada
pela junção das palavras INFORMAÇÃO + AUTOMÁTICA

Chama-se genericamente informática ao conjunto das Ciências da Informação,


estando incluídas neste grupo: a teoria da informação, o processo de cálculo, a
análise numérica e os métodos teóricos da representação dos conhecimentos e
de modelagem dos problemas.

Introdução à informática 3
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

Habitualmente usa-se o termo informática para referir especificamente o


processo de tratamento automático da informação por meio de máquinas
electrónicas definidas como computadores.

O estudo da informação começou na matemática quando grandes nomes desta


ciência começaram a estudar que tipos de problemas poderiam ser resolvidos,
ou transformados, por elementos humanos que seguissem uma série de
instruções simples de forma automática, independente do tempo requerido
para isso. A motivação por trás destas pesquisas era o avanço da
automatização e da promessa que as máquinas poderiam futuramente
conseguir resolver os mesmos problemas de forma mais rápida e mais eficaz.

Do ábaco ao computador, que percurso…

A utilização, pelo Homem, de máquinas auxiliares para Tratamento da


Informação é conhecida há muitos séculos: o ábaco é usado, pelo menos desde
o século VIII a.C. para efectuar com facilidade
adições e subtracções e, com alguma habilidade,
multiplicações e divisões. B. Pascal construiu, em
1642, uma máquina de calcular com
engrenagens mecânicas que permitia efectuar as
quatro operações aritméticas. Esta máquina
Ábaco - Soroban (Japão)
ainda hoje sobrevive, na sua versão Suan-pan (China)
electromecânica, sob a forma de máquina
registadora, facturadoras e de contabilidade. Jacquard em 1801 inventa o
cartão perfurado (metálico) sobre o qual são codificadas operações repetitivas
(programa) que permitem o comando automático de teares.

Hollerit, em 1886, inventa um código para a transcrição de dados, letras


algarismos e símbolos, sob a forma de perfurações realizadas sobre um cartão
e constrói máquinas electromecânicas (tabuladoras). A construção e
comercialização de tabuladoras deu origem à criação
de grandes Empresas nos U.S.A. que hoje são
Multinacionais bem conhecidas (IBM, General
Electrics, Dell, etc). Oficialmente o primeiro
computador electrónico foi concebido e construído em
1946 na Universidade de Pennsylvania, nos U.S.A.
ocupava um ginásio. Em 1948, nos Laboratórios BELL
nos U.S.A., é descoberto o transístor que contribuirá,
a partir de 1960, para a miniaturização dos circuitos
electrónicos e para a redução do volume físico dos
Computadores.

Leitor
Em de Bill
1975, Cartões
Gates e Paul Allen fundam uma empresa que denominam
MicroSoft e rebaptizam o Sistema Operativo com a sigla MS-DOS (Micro Soft -
Disc Operating System). Em 1985, aparece a primeira versão do Windows
acompanhando a evolução do Hardware. O Windows, o sistema operativo

Introdução à informática 4
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

actualmente mais utilizado em todo o mundo a nível dos PC’s (Personal


Computer), contribui para tornar a Microsoft a empresa de informática mais
poderosa no mundo inteiro. No entanto, muitas outras empresas de informática
se desenvolveram sobre os alicerces sólidos, lançados pelo Windows.
Referência ainda, no campo dos sistemas operativos para o OS, utilizado pela
IBM e para o Linux, surgido no final da década de 90, como uma alternativa ao
Windows.
Denomina-se computador o conjunto de componentes electrónicos capazes de
efectuar qualquer espécie de tratamento automático de informações ou
processamento de dados. O computador é o elemento fundamental da Ciência
da Informação, também descrita como informática. Exemplos de computadores
incluem o ábaco, a calculadora, o computador analógico e o computador digital.
Um computador pode prover-se de inúmeros atributos, entre eles o
armazenamento de dados, processamento de dados, cálculo em grande escala,
desenho industrial, tratamento de imagens gráficas, realidade virtual,
entretenimento e cultura.
Em geral, entende-se por computador um sistema físico que realiza qualquer
tipo de cálculo. Existe ainda o conceito matemático rigoroso, utilizado na teoria
da computação.
Assumiu-se que os computadores pessoais e laptops são ícones da Era da
Informação, isto é o que muitas pessoas consideram como "computador". No
entanto, actualmente as formas mais comuns de computador em uso são os
pequenos dispositivos usados para controlar outros dispositivos, como robôs,
câmaras digitais ou brinquedos.

Tipos de Computadores

Existem computadores de vários tipos e podemos fazer a


sua classificação de acordo com o seu tamanho, a sua
capacidade, a sua velocidade de processamento, etc., assim
e de acordo com o seu tamanho temos:

Supercomputador é um computador com altíssima


velocidade de processamento e grande capacidade de
memória, empregado em pesquisas científicas e militares.
Este termo é geralmente confundido com cluster — um tipo de
supercomputador criado a partir da cooperação de vários computadores
convencionais.

Um Mainframe é um computador de grande porte,


dedicado normalmente ao processamento de um
volume grande de informações. Os Mainframes são
capazes de oferecer serviços de processamento a
milhares de utilizadores através de milhares de
terminais ligados diretamente ou através de uma
rede.

Introdução à informática 5
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

Embora venham perdendo espaço para os servidores de arquitetura PC e


servidores Unix, de menor custo, ainda são muito usados em ambientes
comerciais e grandes empresas (bancos, empresas de aviação, universidades,
etc.).

São computadores que geralmente ocupam um grande espaço e necessitam de


um ambiente especial para seu funcionamento, que inclui instalações de
arrefecimento (alguns usam refrigeração a água). Os mainframes são capazes
de realizar operações a grande velocidade e sobre um volume muito grande de
dados.

Computador doméstico é a designação amigável da segunda geração de


microcomputadores (o termo técnico que até então era usado), tendo o seu uso
sido iniciado em 1977 e tornando-se muito comum durante a década de 1980.
O computador doméstico tornou-se disponível para o público em geral devido a
produção em massa dos microprocessadores e, como seu nome indica, tendia a
ser utilizado nas habitações, em vez do contexto indústria/negócios.
O nome também assinala a diferença para a primeira geração de
microcomputadores (de 1974-75 em diante), que servia principalmente os
interesses de engenheiros habilidosos em trabalhos de solda, visto que eram
frequentemente vendidos como "kits" para montagem pelo utilizador. O uso do
termo "computador doméstico" praticamente desapareceu em fins da década
de 1980 nos E.U.A. e no Brasil, ou no princípio dos anos 1990 (na Europa).
Explica-se isto pela ascensão dos modelos de computador pessoal compatíveis
com o IBM-PC, e a consequente preferência pelo uso do termo "PC" em vez de
"computador doméstico".

Um computador pessoal é um computador de pequeno


porte e baixo custo, que se destina ao uso pessoal (ou para
uso de um pequeno grupo de indivíduos). A expressão
"computador pessoal" é geralmente abreviada para a sigla
PC, cujo significado em inglês é "personal computer".
Também é muito comum utilizar o termo desktop para esta classe de
computadores.

Um laptop (também chamado de notebook) é um


computador portátil, leve, designado para poder ser
transportado e utilizado em diferentes lugares com
facilidade. Geralmente um laptop contém unm ecrã de
LCD (cristal líquido), teclado, rato (geralmente um
trackpad, área onde se desliza o dedo), unidade de disco

Introdução à informática 6
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

rígido portas para conectividade via rede local ou fax/modem, gravadores de


CD/DVD, sendo o disco flexível praticamente abolido. Este, porém, pode ser
utilizado externamente através de uma porta USB.

Constituição básica de um computador

Um computador é constituido pelo HARDWARE e pelo SOFTWARE.

O Hardware, (palavra de origem inglesa que traduzida quer dizer: material,


ferramenta), é a parte física do computador, ou seja, é o conjunto de
componentes electrónicos, circuitos integrados e placas, que se comunicam
através de barramentos (conjuntos de sinais digitais através dos quais o
processador transmite e recebe dados de circuitos externos.).

Em contraposição ao hardware, temos o Software que é a parte lógica, ou


seja, o conjunto de instruções e dados que são processados pelos circuitos
electrónicos do hardware. Toda a interacção dos utilizadores de computadores
modernos é realizada através do computador em algo útil para o ser humano.

A CPU (Central Processing Unit em inglês, ou Unidade Central


de Processamento), é a parte de um computador que
interpreta e leva as instruções contidas no software. Na
maioria das CPUs, essa tarefa é dividida entre uma unidade de
controle que dirige o fluxo do programa e uma ou mais
unidades de execução que executam operações em dados.

Placa-mãe, (também denominada mainboard ou


motherboard), é uma placa de circuito impresso
electrónico. É considerado o elemento mais
importante de um computador, pois tem como função
permitir que o processador comunique com todos os
periféricos instalados. Na placa-mãe encontramos não
só o processador, mas também a memória RAM, os circuitos de apoio, as placas
controladoras, os conectores do barramento PCI e os chipset, que são os
principais circuitos integrados da placa-mãe e são responsáveis pelas
comunicações entre o processador e os restantes componentes.

Disco rígido, disco duro, ou HD (do inglês Hard


Disk) é a parte do computador onde são armazenadas
as informações, ou seja, é a "memória permanente"

Introdução à informática 7
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

propriamente dita (não confundir com "memória RAM"). É caracterizado como


memória física, não-volátil, que é aquela na qual as informações não são
perdidas quando o computador é desligado.

Um monitor de vídeo, ou simplesmente monitor, é um


dos dispositivos de saída de um computador que serve de
interface ao utilizador, na medida que permite visualização
e interação dos dados disponíveis. Existem duas
tecnologias disponíveis: CRT e LCD, em relação aos
componentes internos para produção das imagens. A
superfície do monitor sobre a qual se projecta a imagem é chamada ecrã ou
écran.

O rato (termo utilizado em Portugal) ou mouse (termo em


inglês) é um periférico de entrada que historicamente se juntou
ao teclado como auxiliar no processo de entrada de dados,
especialmente em programas com interface gráfica. O rato tem
como função movimentar o cursor (apontador) pelo ecrã do
computador. O formato mais comum do cursor é uma seta, contudo, existem
opções no sistema operacional e softwares que nos permitem personalizar o
cursor do rato.

O teclado do computador é um tipo de periférico utilizado pelo utilizadores


para a entrada manual no sistema de dados e
comandos. Possui teclas representando letras,
números, símbolos e outras funções, baseado no
modelo de teclado das antigas máquinas de
escrever. Basicamente, os teclados são projetados
para a escrita de textos, onde cerca de 50% são
usadas para esse meio. Também serve para o controle das funções de um
computador e do seu sistema operacional. Essas teclas são ligadas a um chip
dentro do teclado, que identifica a tecla pressionada e manda para o PC as
informações. é um dos periféricos que mais se destacam na informática.

Uma impressora ou dispositivo de impressão é um


periférico que, quando conectado a um computador ou
a uma rede de computadores, tem a função de
dispositivo de saída, imprimindo textos, gráficos ou
qualquer outro resultado de uma aplicação.

Introdução à informática 8
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

Webcam é uma câmera de vídeo de baixo custo que capta


imagens, transferindo-as de modo quase instantâneo para a
área de trabalho do computador ou para uma página de
Internet. É muito utilizada em videoconferências.

Um Joystick é um periférico de entrada utilizado sobretudo como


controlador de jogos de computador. Embora a maioria opere em
apenas dois eixos (x,y), existem também joysticks a três
dimensões.

Digitalizador (ou scanner) é um periférico de entrada


responsável por digitalizar imagens, fotos e textos impressos
para o computador, um processo inverso ao da impressora.
Ele faz leituras (varre as imagens) na imagem física
gerando impulsos elétricos através de um captador de
reflexos.

Uma drive (neologismo importado do inglês que pode ser


comparado como uma unidade de armazenamento ou uma
unidade de leitura de dados), pertencente ao equipamento
ou parte física de um computador. Uma drive ou unidade
de leitura pode ser de disquetes, disco rígido, CD-ROM,
DVD’s virtual, etc. A drive é a parte fisica que vai ser utilizada nos processos de
leitura, gravação, etc.

SOFTWARE

Tecnicamente, Software também é o nome dado ao conjunto de produtos


desenvolvidos durante o processo de criação de Software, o que inclui não só o
programa de computador propriamente dito, mas também manuais,
especificações, planos de teste, etc.
Software, ou programa de computador é uma sequência de instruções a serem
seguidas e/ou executadas, na manipulação, redirecçionamento ou modificação
de um dado/informação ou acontecimento.
Software também é o nome dado ao comportamento exibido por essa
sequência de instruções quando executada num computador ou máquina
semelhante.

Introdução à informática 9
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

Qualquer computador moderno tem uma variedade de programas que fazem


diversas tarefas, podem ser classificados em três grandes categorias:

Software Operativos ou do sistema, que incluiem o firmware (A BIOS dos


computadores pessoais, por exemplo), drivers de dispositivos, o sistema
operacional e tipicamente uma interface gráfica que, em conjunto, permitem ao
utilizador interagir com o computador e seus periféricos

Software utilitário, ou programas utilitários que se destinam a facilitar a


execução de certas tarefas como por exemplo proteger o computador contra
virus, (Norton Utilities, Panda, etc.), para compactar arquivos ( WinZip) ou fazer
cópias de segurança.

Software aplicativo, programas que permitem ao utilizador fazer uma ou


mais tarefas específicas. Os softwares aplicativos podem ter uma abrangência
de uso de larga escala, muitas vezes em âmbito mundial, como por exemplo os
programas pertencentes ao grupo do Office, nestes casos, os programas
tendem a ser mais robustos e mais padronizados. Programas escritos para um
pequeno mercado têm um nível de padronização menor.

Esquema de Funcionamento de um computador


Computador é um conjunto de dispositivos electrónicos capazes de aceitar
dados e instruções (matemáticas e/ou lógicas em símbolos numéricos,
alfanuméricos ou outras formas de informação), executar essas instruções para
processar os dados, e apresentar os resultados compreensíveis pelo homem ou
por outras máquinas.

Assim, um computador pode ser esquematicamente entendido como:

Hardware
+
Software RESULTADOS
DADOS (Processa-
mento)

Armaze -
namento

Esquema conceptual básico de computador

Introdução à informática 10
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

Sistemas de Entrada e Saída de Dados

Como é evidente, os computadores têm necessidade de interagirem com o


homem ou outras máquinas:

 Entrada de dados que poderão ser sujeitos a processamento;


 Saída dos resultados do processamento.

Basicamente, tudo o que é mensuráve, possivel de ser medido e que possa ser
convertido para sinais digitais, pode ser usado pelo computador. Por outro lado,
o que é usado pelo computador, deve poder ser convertido para formas
compreensíveis pelo Homem ou por outras máquinas.

Existem portanto dois tipos de dispositivos:

Dispositivos de entrada – São dispositivos que fornecem dados para


operações num determinado programa, também chamados de unidades de
entrada. Dizendo de outra forma, um dispositivo de entrada permite a
comunicação no sentido do utilizador para o computador.

São por assim dizer, todos os dispositivos que fornecem informação ao


computador, como por exemplo:

 Teclado
 Rato
 Touchpad
 Joystick
 Web Cams
 Scanner
 Câmara digital
 Microfone

Dispositivos de saída – São dispositivos que exibem dados e informações


processadas pelo computador, também chamados de unidades de saída. Por
outras palavras, permitem a comunicação no sentido do computador para o
utilizador.
Exemplos de Dispositivos de Saída:

 monitor
 impressora
 caixas-de-som
 Placa gráfica
 Projetor de vídeo
 Plotters
 Leitor de cd´s

Introdução à informática 11
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

Unidades de Armazenamento de Dados

Bit simplificação para dígito binário, (“BInary digiT” em inglês) é a menor


unidade de informação usada nos Computadores e na Teoria da Informação.
Um bit tem um único valor, 0 ou 1, ou verdadeiro ou falso, ou neste contexto
quaisquer dois valores mutuamente exclusivos.
Embora os computadores tenham instruções (ou comandos) que possam testar
e manipular bits, geralmente são idealizados para armazenar instruções em
múltiplos de bits, chamados bytes. No princípio, o byte tinha tamanho variável
mas actualmente tem oito bits. Bytes de oito bits são também chamados de
octetos. Existem também termos para referir múltiplos de bits, usando padrões
préfixados, como kilobyte (kb), megabyte (Mb), gigabyte (Gb), Terabyte (Tb),
etc.

Assim como na vida temos necessidade de medir tudo; a nossa altura em


metros, o nosso peso em quilos, os líquidos que bebemos ou utilizamos, em
litros, e cada uma dessas medidas tem os respectivos múltiplos. Também na
informática utilizamos uma medida, usa-se uma unidade de medida e os
respectivos múltiplos. A diferença da medida em informática é que, os sistemas
informáticos ficam cada dia mais complexos, e as alterações vão se fazendo
cada vez com mais múltiplos. Temos então assim:

 1 Kilobyte = (Kb) = 1024 Bytes


 1 Megabyte = (Mb): 1024 Kb
 1 Gigabyte = (Gb): 1024 Mb
 1 Terabyte (Tb): 1024 Gb

Para termos uma ideia, vamos ver quanta informação se pode armazenar nos
diferentes dispositivos de “transporte de informção” que conhecemos:

 Disquete: 1.44 Mb;


 Pen Drive: 128, 256, 512 Mb 1 Gb (as mais habituais);
 CD: 650 ou 700 MB;
 DVD: 4.7 GB;
 Disco rígido: mais de 120 GB (os mais recentes).

MEMÓRIAS

Para podermos fazer com que o computador armazene dados, é necessário que
estes tenham “Memória” e nos computadores existem dois tipos de memória: a
memória ROM e a memória RAM.

A memória ROM (expressão inglesa Read-Only Memory ou memória só de


leitura) é um tipo de memória que permite apenas a leitura, ou seja, as suas

Introdução à informática 12
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

informações são gravadas pelo fabricante uma única vez e após isso não
podem ser alteradas ou apagadas, somente lidas.
Uma memória ROM propriamente dita vem com seu conteúdo gravado durante
o fabrico. Actualmente, o termo Memória ROM é usado informalmente para
indicar uma gama de tipos de memória que são usadas apenas para a leitura
na operação principal de dispositivos electrónicos digitais, mas possivelmente
podem ser escritas por meio de mecanismos especiais. Entre esses tipos
encontramos as PROM, (programmable read-only memory, ou seja, memória
programável só de leitura) é uma forma de memória digital, as EPROM, ou
erasable programmable read-only memory, são um tipo de chip de memória de
computador que mantém os dados mesmo quando a energia é desligada, as
EEPROM (Electrically-Erasable Programmable Read-Only Memory) são um chip
de armazenamento não-volátil usado em computadores e as memórias flash
são uma memória de computador do tipo EEPROM NAND, que permite que
múltiplos endereços sejam apagados ou escritos numa só operação.

Memória RAM (Random Access Memory ou memória de acesso aleatório), é


um tipo de memória que permite a leitura e a escrita, utilizada como memória
primária em sistemas electrónicos digitais.

O termo acesso aleatório identifica a


capacidade de acesso a qualquer
posição em qualquer momento, por
oposição ao acesso sequencial, imposto
por alguns dispositivos de
armazenamento, como fitas magnéticas.

O nome da Memória RAM não é


verdadeiramente apropriado, já que
outros tipos de memória (ROM, etc...)
também permitem o acesso aleatório ao
seu conteúdo. O nome mais apropriado
seria Memória de Leitura e Escrita.

Apesar do conceito de memória de


acesso aleatório ser bastante amplo,
actualmente o termo é usado apenas
para definir um dispositivo electrónico
que o implementa, basicamente um tipo
específico de chip. Nesse caso, também
fica implícito que é uma memória volátil,
isto é, todo o seu conteúdo é perdido
quando a alimentação da memória é desligada.
Algumas memórias RAM necessitam que os seus dados sejam frequentemente
atualizados, podendo então ser designadas por DRAM (Dynamic RAM) ou RAM

Introdução à informática 13
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

Dinâmica. Por oposição, aquelas que não necessitam de actualização são


normalmente designadas por SRAM (Static RAM) ou RAM Estática.
Do ponto de vista da sua forma física, uma memória RAM pode ser constituida
por um circuito integrado DIP ou por um módulo SIMM, DIMM, SO-DIMM, etc.
Para computadores pessoais elas são normalmente adquiridas em pentes de
memória, que são placas de circuito impresso que já contém várias memórias já
montadas e configuradas de acordo com a arquitectura usada na máquina.
A velocidade de funcionamento de uma memória é medida em Hz ou MHz. Este
valor está relacionado com a quantidade de blocos de dados que podem ser
transferidos durante um segundo. Existem no entanto algumas memórias RAM
que podem efetuar duas transferências de dados no mesmo ciclo de relógio,
duplicando a taxa de transferência de informação para a mesma frequência de
trabalho. Além disso, a colocação das memórias em paralelo (propriedade da
arquitetura de certos sistemas) permite multiplicar a velocidade aparente da
memória.

A memória principal de um computador é constituída por memória RAM. É


nesta memória que são carregados os programas em execução e os respectivos
dados do utilizador. Uma vez que se trata de memória volátil, os seus dados
são perdidos quando o computador é desligado. Para evitar perdas de dados, é
necessário salvar a informação para suporte não volátil (por ex. disco rígido),
ou memória secundária.
Para acelerar os acessos a memória de trabalho, utiliza-se normalmente uma
memória cache. (pequena quantidade de memória estática de alto
desempenho, tendo por finalidade aumentar o desempenho do processador
realizando uma busca antecipada na memória RAM.

Armazenamento de Informação
Necessitamos de guardar, armazenar os dados necessários ao processamento
de informação, que vamos utilizando ou que poderemos utilizar mais tarde,
para que isso aconteça temos dispositivos próprios para o efeito, assim, é no
disco rígido (de que já falámos), que guardamos todos os ficheiros, sejam eles
os ficheiros do Windows, dos programas que temos instalados, as músicas que
se tiram da Internet, as fotografias das férias, o nosso currículo, os e-mail, etc.
Para isso claro que quanto maior for o disco, mais espaço tem para lá colocar
os nossos dados. Actualmente os computadores dificilmente se compram com
menos de 100 Gigas de espaço. Para além do disco rígido, temos ainda uma
grande quantidade de dispositivos onde podemos fazer o armazenamento
desses dados, como por exemplo:

DISQUETES

Disquete é um disco removível de armazenamento fixo de


dados. O termo equivalente em inglês é floppy-disk,
significando disco flexível.

Introdução à informática 14
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

Pode ter o tamanho de 3,5 polegadas com capacidade de armazenamento de


720 KB, até 2,88 MB, embora o mais comum actualmente seja 1,44 MB (HD =
High Density, alta densidade), ou 5,25 polegadas com armazenamento de 160
KB até 1,2 MB .

Problema: As disquetes foram os primeiro transmissor de vírus de computador,


no fim dos anos 80, o Vírus Ping-Pong, Vírus Stoned, Vírus Jerusalem e Vírus
Sexta-Feira 13 eram disseminados através de disquetes. Que contaminava o
PC quando inserido na máquina, e após contaminar um, ela contaminava
qualquer outra disquete sem vírus que fosse inserida no driver do PC. Até ao
“Bum” do uso da Internet, a disquete era o único meio de propagação de vírus
que existia.
Na altura, o único meio de proteger uma disquete contra vírus, era colocar um
selo de lacre na ranhura superior, isto impedia que o computador gravasse
qualquer coisa na disquete, fazendo dela, somente um meio de leitura de
dados e assim protegendo-a, de vírus.

CD é a abreviação de compact disc (disco compacto). É


actualmente um dos mais populares meios de
armazenamento de dados digitais, principalmente música
comercializada e software de computador, casos em que o
CD recebe o nome de CD-ROM. A tecnologia utilizada nos
CDs é semelhante à dos DVDs.
A partir do final da década de 1980 e início da década de
1990, a invenção dos compact discs prometeu maior capacidade, durabilidade
e clareza sonora, sem ruídos, fazendo com que os discos de vinil fossem
considerados obsoletos.
Com a banalização dos discos compactos, a consecutiva banalização de
gravadores de CD's permitiu a qualquer utilizador de PC gravar os seus
próprios CD’s, tornando este meio um sério substituto a outros dispositivos de
backup (cópia de segurança). Surgiu assim a banalização dos discos virgens
(CD-R), para gravação apenas, e os discos que podem ser reescritos (CD-
RW). A diferença principal entre estes dois é
precisamente a capacidade de se poder apagar e
reescrever o conteúdo no segundo tipo, característica
que iria contribuir para o desaparecimento das
disquetes como meio mais comum de transporte de
dados. Efectivamente, um CD é agora capaz de
armazenar conteúdo equivalente a mais de 486
disquetes de 3 1/2 (com capacidade de 1,44 MB), com muito maior fidelidade –
uma das características negativas das disquetes era a reduzida fidelidade
destas, já que facilmente se danificavam ou corrompiam, põe ex.: A exposição
ao calor, frio e até mesmo a proximidade a aparelhos com campo magnético
como telemóveis.

DVD significa Digital Versatile Disc (antes denominado


Digital Video Disc). Contém informações digitais, tendo
uma maior capacidade de armazenamento que o CD áudio
ou CD-ROM, devido a uma tecnologia óptica superior,

Introdução à informática 15
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

além de padrões melhorados de compressão de dados. Os DVD’s possuem


por padrão a capacidade de armazenar 4.7 GB de dados, enquanto que um CD
armazena em média de 700 a 800 MB. Os chamados DVD’s de Dupla Camada
podem armazenar o dobro da capacidade de um DVD comum, ou seja, 9.4 GB.
Apesar da capacidade nominal do DVD comum gravável, é possível gravar
apenas 4.464 MB de informações, e com o tamanho máximo de cada arquivo
de 1 GB. O tamanho máximo de arquivo varia conforme o tipo de gravação:
UDF, ISO normal, DVD-video etc...

Cartão de memória ou cartão de memória flash é


um dispositivo de armazenamento de dados com
memória flash utilizado em, câmeras fotográficas
digitais, telefones móveis, PDAs, MP3,
computadores e outros aparatos
eletrônicos. Podem ser regravados
várias vezes, não necessitam de
eletricidade para manter os dados
armazenados, são portáteis e suportam condições de uso e
armazenamento mais rigorosos que outros dispositivos baseados
em peças móveis.

Memória USB Flash Drive, também designado como


Pen Drive, é um dispositivo de armazenamento
constituído por uma memória flash tendo uma fisionomia
semelhante à de um isqueiro e uma ligação USB tipo A,
permitindo a sua ligação a uma porta USB de um
computador. As capacidades actuais, de armazenamento, são 64 MB, 128 MB,
256 MB, 512 MB, 1 GB a 64 GB.

Em condições ideais as memórias flash podem armazenar informação durante


10 anos. Uma vez encaixado na porta USB, o Flash Drive aparece como um
disco removível, similar a um disco rígido ou disquete.

Em computadores com sistema operacional Windows XP ou com as versões


recentes do Linux ou MacOS, Estas memórias são reconhecidas
automaticamente como dispositivos de armazenamento
removível. Alguns modelos podem reproduzir música
MP3 e sintonizar FM, mas em contrapartida são um
pouco mais caros, volumosos e pesados (por causa do
peso da pilha), e utilizam uma pilha interna (geralmente
no tamanho de uma pilha AAA).
(Apresentação interna de uma
Memória USB Flash Drive)

Rede de Computadores
Uma rede de computadores consiste em ter dois ou mais computadores e
outros dispositivos ligados entre si e partilhando dados, impressoras, trocando

Introdução à informática 16
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

mensagens (e-mails), etc. A Internet é um exemplo de uma Rede. Existem


várias formas e recursos de vários equipamentos que podem ser interligados e
partilhados, mediante meios de acesso, protocolos e requisitos de segurança.

Antes do aparecimento das redes de computadores baseadas em sistemas de


telecomunicações, a comunicação entre computadores antigos era realizada
por utilizadores/operadores, através do carregamento de instruções entre eles.

Actualmente, as redes de computadores são o núcleo da comunicação


moderna. O propósito da comunicação cresceu significativamente na década
de 1990 e essa explosão nas comunicações não teria sido possível sem o
avanço progressivo das redes de computador.

As Redes de computadores e as tecnologias necessárias para a sua ligação e


comunicação, continuam a comandar as indústrias de hardware de
computadores, software e periféricos. Essa expansão é espelhada pelo
crescimento nos números e tipos de utilizadores de redes, desde o pesquisador
até ao utilizador doméstico.

Modelos de rede de computadores

Uma rede pode ser definida por seu tamanho, topologia, meio físico e protocolo
utilizado. Por agora falaremos apenas a sua definição por tamanho e de acordo
com o seu tamanho as redes podem ser classificadas por: LAN, CAN, MAN E
WAN.

LAN (Local Area Network, ou Rede Local). É uma rede onde seu tamanho se
limita a apenas um edifício, uma empresa ou organização, permite partilhar os
seus documentos electronicamente o que se traduz numa vantagem ao nível
do consumo de recursos, diminuição de tempo e maior eficácia de trabalho.

CAN(Campus Area Network). Uma rede que abrange uma área mais ampla,
onde pode-se incluir vários edifícios dentro de um espaço contínuos e ligados
em rede.

MAN (Metropolitan Area Network). A MAN é uma rede onde temos por
exemplo, uma rede de farmácias, onde todas podem aceder a uma base de
dados comum.

WAN (Wide Area Network, ou rede de longa distância). Uma WAN integra
equipamentos em diversas localizações geográficas, envolvendo diversos
países e continentes como a Internet.

Introdução à informática 17
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

Vírus de computador

A crescente utilização de computadores em rede obrigou a que se tomassem


medidas contra a proliferação de vírus e os prejuízos por estes causados.
A palavra vírus vem do Latim e significa venenos. Biologicamente vírus é um
microrganismo que pode infectar outros organismos biológicos. Actualmente
esta palavra também é utilizada para descrever, metaforicamente, qualquer
coisa que se reproduza de forma parasitária. O termo vírus de computador
nasceu por analogia/semelhança com o termo biológico.

O que são vírus informáticos

Em informática, um vírus é um programa malicioso desenvolvido por


programadores que, tal como um vírus biológico, infecta o sistema, faz cópias
de si mesmo e tenta espalhar-se para outros computadores, utilizando-se de
diversos meios.

A maioria das contaminações actuais ocorrem pela acção dos utilizadores que
executando/abrindo os anexos de um e-mail permitem a disseminação destes
programas cuja única intenção visa prejudicar os próprios utilizadores ou ainda
terceiros. A segunda causa de contaminação mais provável dá-se porque os
utilizadores não actualizam o seu Sistema Operacional, e estes sem a
intervenção de antivírus que bloqueiem as entradas maliciosas de programas
mal intencionados espalham-se livremente.

Avarias possíveis

Perda de desempenho do computador, perda de arquivos, alteração de dados,


acesso a informações confidenciais por pessoas não autorizadas, perda de
desempenho da rede (local e Internet); controlo de utilização (espiões), avaria
do Sistema Operacional, inutilização de determinadas peças, como por
exemplo o disco rígido, (quando se executa o vírus chamado de KLENEU 66,
por exemplo, este apaga o que o disco tem dentro dele), possibilidade de o seu
computador ou periféricos (webcam, por exemplo) poderem ser controlados por
estranhos.

È por isso muito importante que todos os computadores possuam um sistema


de protecção contra vírus.

Para manter um computador protegido, deve seguir alguns passos que a seguir
se mencionam:

 Manter o Sistema Operacional sempre actualizado, no caso do Windows


XP, deve assegure-se que tem instalado no mínimo o Service Pack 2;
 Ter um antivírus, e o mante-lo sempre actualizado;
 Actualizar os principais programas de acesso a Internet como por
exemplo o Internet Explorer, e-mails, MSN, (mensageiros instantâneos).
Esta actualização pode ser feita através da própria Internet.

Introdução à informática 18
CML/DMRH/DFSHS/Divisão de Formação

 No caso do Windows, nunca abrir arquivos anexos em e-mails com


extensões .exe, .bat, .scr, .com, .pif, etc, sem antes certificar-se de sua
proveniencia e idoneidade.
 Fazer periodicamente cópias de segurança dos seus ficheiros/arquivos de
modo a poder recuperá-los, caso o seu computador fique danificado.

Antivírus

Os antivírus são programas desenvolvidos por firmas de segurança, com o


objectivo de detectar e eliminar vírus encontrados no computador. Os antivírus
possuem uma base de dados contendo as assinaturas dos vírus que podem
eliminar. Desta forma, somente após a actualização de seu banco de dados, os
vírus recém-descobertos podem ser detectados.

Alguns antivírus dispõem da tecnologia heurística (“conhecimentos” que


proporcionam uma rápida solução para algum problema ou dificuldade), que é
uma forma de detectar a acção de um vírus ainda desconhecido através de sua
acção no sistema do utilizador. Hoje em dia os Antivírus podem ter "Protecção
em Tempo Real" que detecta os códigos maliciosos desde que o computador é
ligado até que é desligado. Esta tecnologia torna mais fácil o utilizador ficar
protegido.

Firewall

Os firewall's são programas desenvolvidos por empresas de software, com o


objectivo de evitar os "Blended Threats" (códigos maliciosos que se espalham
pela Internet sem que o utilizador do computador que infecta/está a infectar
saiba) e os ataques de programas espiões. Falando da sua função relacionada
com os vírus, este programa vigia as "portas" (as portas são entradas que
deixam passar a informação da Internet para o computador, conforme o
protocolo. O protocolo refere-se a um tipo de comunicação feita entre
computadores pela Internet), de maneira a impedir que os vírus ataquem num
protocolo. Assim, se instalar um firewall, está protegido contra ataques de
muitos vírus, sem que eles cheguem ao seu computador! O firewall também
protege de ataques de hacker's (pessoas que pretendem invadir o seu
sistema), porque ao vigiar o tráfico das portas dos protocolos, conseguem
detectar intrusões no sistema através de um computador remoto.

Introdução à informática 19