Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA 

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E EXATAS 

CURSO: LICENCIATURA EM LETRAS/PORTUGUÊS 

COMPONENTE CURRICULAR: METODOLOGIA

CIENTÍFICA PROFESSORA: MELÂNIA N. P. FARIAS 

2020.1 

Aluno (a): Dayanny Flavia e Gessika Cristiny

ATIVIDADE ASSÍNCRONA 7 – II UNIDADE 


Pontuação: 3,0 pontos 

(Esta atividade deverá ser feita em trios e deverá ser entregue até as 18:00 hs
do  dia 28/10/2020 via Google Classroom) 

1) A partir da leitura de Gil (2002), estabeleça a diferença entre pesquisa  bibliográfica


e pesquisa documental. 

A pesquisa bibliográfica e documental são bem semelhante, no entanto, a


bibliográfica é baseada em material já desenvolvido, constituído
principalmente de livros e artigos científicos, se utiliza fundamentalmente das
contribuições dos diversos autores sobre determinado assunto e a pesquisa
documental vale-se de materiais que não recebem ainda um tratamento
analítico, ou que ainda podem ser reelaborados de acordo com os objetos da
pesquisa. Na pesquisa documental, as fontes são muito mais diversificadas e
dispersas, incluem-se aqui inúmeros outros documentos como cartas pessoais,
diários, fotografias, gravações, memorandos, regulamentos, ofícios, boletins
etc.

2) Ainda de acordo com o autor acima referido, diferencie levantamento e estudo de 
campo. 

O estudo de campo apresenta muitas semelhanças com o levantamento.


Distingue-se, porém, em diversos aspectos. De modo geral, pode-se dizer que o
levantamento tem maior alcance e o estudo de campo, maior profundidade. Em
termos práticos, podem ser feitas duas distinções essenciais. Primeiramente, o
levantamento procura ser representativo de universo definido e oferecer
resultados caracterizados pela precisão estatística. Já o estudo de campo
procura muito mais o aprofundamento das questões propostas do que a
distribuição das características da população segundo determinadas variáveis.
Outra distinção é que no levantamento procura-se identificar as características
dos componentes do universo pesquisado, possibilitando a caracterização
precisa de seus segmentos. Já no estudo de campo, estuda-se um único grupo ou
comunidade em termos de sua estrutura social, ou seja, ressaltando a interação
entre seus componentes. Dessa forma, o estudo de campo tende a utilizar muito
mais técnicas de observação do que de interrogação.

3) Para Gil (2002) qual a diferença existente entre pesquisa-ação e pesquisa 


participante?

A pesquisa-ação é "um tipo de pesquisa com base empírica que é concebida e


realizada em estreita associação com uma ação ou com a resolução de um
problema coletivo e no qual os pesquisadores e participantes representativos da
situação ou do problema estão envolvidos de modo cooperativo ou
participativo”. A pesquisa participante, assim como a pesquisa-ação,
caracteriza-se pela interação entre pesquisadores e membros das situações
investigadas. A pesquisa participante, por sua vez, envolve a distinção entre
ciência popular e ciência dominante, tende a ser vista como uma atividade que
privilegia a manutenção do sistema vigente.

Você também pode gostar