Você está na página 1de 26

CENTRO UNIVERSITÁRIO FANOR | WYDEN

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

ANA KAROLINE ALMEIDA SILVA

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE UM ORÇAMENTO ESTIMATIVO DE CUSTOS


E UM ORÇAMENTO ANALÍTICO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E
HIDROSSANITÁRIAS: ESTUDO DE CASO DE UMA FÁBRICA
AGROINDUSTRIAL DE BEBIDAS, LOCALIZADA EM ITAITINGA

Artigo apresentado ao curso de


Engenharia Civil, do Centro Universitário
Fanor Wyden, como requisito parcial
para a obtenção do grau de Bacharel em
Engenharia Civil.

Orientador: Prof. Dr. José Bruno Rego


de Mesquita

FORTALEZA
2021
ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE UM ORÇAMENTO ESTIMATIVO DE CUSTOS
E UM ORÇAMENTO ANALÍTICO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E
HIDROSSANITÁRIAS: ESTUDO DE CASO DE UMA FÁBRICA
AGROINDUSTRIAL DE BEBIDAS, LOCALIZADA EM ITAITINGA

Ana Karoline Almeida Silva

RESUMO

O orçamento é definido como uma avaliação ou um cálculo especulativo de um


projeto, produto ou serviço a ser prestado, fazendo parte de um plano estratégico
financeiro onde é previsto receitas e despesas futuras para realização de tais
projetos ou serviços. Sendo o orçamento o resultado do processo de orçamentação,
no qual, dentro da construção civil, tem como objetivo prever os custos das
quantidades de materiais, insumos, ferramentas e mão de obra necessários para
finalização de um projeto. Neste trabalho será abordado o orçamento de instalações
elétricas e hidrossanitárias, que para sua execução, seriam necessários
informações de projetos executivos e memoriais descritivos da obra em questão,
porém esporadicamente ocorre das empresas instaladoras receberem pedidos de
orçamento sem os dados citados, e optarem por realizar um orçamento estimativo,
para que possam apresentar sua proposta. Em função disso veremos as diferenças
de custo entre o orçamento realizado de forma estimativa e o orçamento realizado
com base em projetos executivos.

Palavras -chave: Orçamento. Custos. Projetos.

ABSTRACT

The budget is defined as an evaluation or speculative calculation of a project,


product or service to be provided, as part of a strategic financial plan where future
revenues and expenses are foreseen to carry out such projects or services. The
budget is the result of the budgeting process, in which it aims to forecast the costs
of the quantities of materials, inputs, tools and labor required to complete a project.
In this work, the budget for electrical and hydrosanitary installations will be
approached, which would require information on executive projects and descriptive
memorials for the work in question, but sporadically it happens that the installing
companies receive budget requests without the aforementioned data, and choose to
perform an estimated budget so that they can present their proposal. As a result, we
will see the cost differences between the estimated budget and the budget based on
executive projects.

Keywords: Budget. Costs. Projects.


1 INTRODUÇÃO

Com o crescimento da construção civil ao longo dos séculos, se fez


necessário o uso de uma ferramenta que pudesse prever os custos e materiais
necessários para realização de construções, que é o orçamento de obras, que
podemos definir como o cálculo de custos antecipados de uma previsão das
despesas para a realização de determinado projeto.
Todo orçamento é um planejamento prévio, e por isso não possui total
precisão, porém essa margem de erros depende diretamente do nível de
detalhamento do orçamento, um dos pilares para realização do orçamento é o
projeto, sendo também um dos principais fatores que mais causam erros na
elaboração do orçamento. De acordo com o Instituto Brasileiro de Auditoria de
Engenharia, um orçamento no regime de estimativas de custos, com projetos
preliminares possui precisão de 75% a 80%, enquanto um orçamento de caráter
analítico, com projetos executivos possui precisão de 95%.
A execução de um orçamento é uma etapa importante que deve ser realizada
antes de iniciar a obra em questão, prevendo os custos de materiais, mão de obra,
ferramentas e bonificações de despesas indiretas (BDI), baseado em um projeto,
sendo assim o orçamento a principal ferramenta que uma empresa tem para
conquistar novas contratações e clientes.
Após a empresa iniciar a obra que foi orçada, o orçamento em questão se
transforma em uma ferramenta de controle de custos e planejamento da obra, pois
geralmente é realizado em planilhas de excel, que contém as quantidades de todos
os materiais e insumos necessários para realização da obra, inclusive seus valores.
Devido essa importância que o orçamento tem para a empresa, é necessário
que seja realizado da forma mais detalhada e minuciosa possível, de maneira a
reduzir para o mínimo possível o índice de erros, consequentemente os prejuízos
que a empresa contratada pode ter.
Podemos dividir uma obra em diversos tipos de orçamento, como por
exemplo: orçamento civil, que prevê as alvenarias, pisos e entre outros, orçamento
de esquadrias que prevê portas e janelas, e muitos outros tipos de orçamentos.
Nesse trabalho será abordado uma análise comparativa do orçamento de
instalações elétricas de iluminação e Tomadas e hidrossanitário, que engloba águas
pluviais, rede de esgoto e rede de água potável e água de reuso, como estudo de
caso em uma Fábrica Agroindustrial de bebidas localizada em Itaitinga-CE, onde foi
realizado inicialmente um orçamento estimativo de custos sem projetos de
instalações, somente com os projetos preliminares de arquitetura, e posteriormente
um orçamento analítico baseado em projetos executivos de instalações.

2 OBJETIVOS

2.1 OBJETIVO GERAL

Realizar comparativo em uma empresa do ramo da construção civil.

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

✔ Descrever as técnicas para elaboração de um orçamento estimativo


de custos e de um orçamento analítico de instalações elétricas e
hidrossanitárias;
✔ Realizar levantamento quantitativo dos projetos elétricos e
hidrossanitários para fins de comparação financeira.
✔ Analisar vantagens e desvantagens de um orçamento estimativo de
custos em comparação ao orçamento analítico, mostrando os valores de cada
um.

3 REFERENCIAL TEÓRICO

3.1 ORÇAMENTO

O ato de “Orçar é quantificar insumos, mão de obra e equipamentos


necessários à realização de uma obra ou serviço, bem como, os respectivos custos
e o tempo de duração dos mesmos (ÁVILA et al. 2003).”, tendo como produto final
o orçamento, que é a parte de um plano financeiro estratégico que engloba a
previsão de gastos e despesas futuras.
Sampaio (1989) afirma que o orçamento é o resultado das informações de
custos reunidas, que são necessárias para executar as atividades previstas em
projeto para construção de uma obra ou empreendimento, que quanto mais
detalhado, mais o valor final orçado se aproximará do custo real para execução da
obra, podendo a partir disso, ser analisado a viabilidade de um empreendimento.
De acordo com Cardoso (2009), o orçamento é uma ferramenta que se
apresenta como documento, e tem grande importância no estudo preliminar de um
projeto, uma obra iniciada sem uma previsão de custos corre o risco de não ser
concluída.
“O orçamento, parte integrante dos contratos, é o documento por meio do
qual o auditor acessa as mais variadas informações dos projetos de
arquitetura e de engenharia, podendo ainda efetuar diversas
confrontações com os documentos e relatórios de prestação de contas.
(CARDOSO, 2009, p. 15)”

Dentro desse estudo de caso se faz necessária a definição de duas


classificações diferentes para orçamentos na construção civil, de acordo com a
norma técnica nº 01/2011 do Instituto de Engenharia, que dependem da fase de
elaboração do projeto e do grau de detalhamento do orçamento, que são chamadas
de estimativa de custos e o orçamento analítico.
Estimativa de custos / Orçamento de Grandezas: Segundo o Instituto de
Engenharia (2011) é uma avaliação de custo adquirida através do exame de
informações preliminares de uma ideia de projeto em relação a área a ser
construída, quantidades de materiais, serviços envolvidos e preço médio dos
componentes por meio da consulta de preços no comércio.
Para Mattos (2006) a estimativa de custos é uma avaliação rápida realizada
com base em custos históricos e obras com projetos semelhantes, encontrando uma
ordem de grandeza do custo para o empreendimento, por isso a tradição dentro da
empresa é relevante para essa estimativa, um indicador bastante usado, por
exemplo, é o custo do metro quadrado construído, como mostrado na tabela abaixo.
Tabela 1 - Custo Unitário Básico de Construção

Tipo de Construção Indicador

Edificações R$/m² construído

Instalação de rede de drenagem, água ou esgoto R$/m de tubulação

Urbanização R$/hectare

Pavimentação ou Construção de estradas R$/km construído

Fonte: CUB (Custo Unitário Básico de Construção) – SINDUSCON

Orçamento analítico: De acordo com o Instituto de Engenharia (2011), é a


avaliação do preço com o nível de precisão adequado, elaborado a partir do
levantamento de quantitativos dos materiais, equipamentos e composições de
preços unitários, tudo baseado em projetos executivos, com o máximo de precisão
possível.
Segundo Mattos (2006), o orçamento analítico é a forma mais detalhada para
previsão do custo de uma obra, se aproximando do valor real a ser gasto, pois é
feita uma pesquisa rigorosa de preços dos insumos, nele entram todos os custos
indiretos, que são custos não vistos na obra, mas necessários para sua execução,
como por exemplo: custos com a administração central da empresa, construção e
manutenção do canteiro, taxas e emolumentos e etc. É composto também dos
custos diretos, que são custos diretamente ligados a execução da obra, por
exemplo: gastos com tubos de PVC, conexões de PVC, tijolos, cimentos e etc.

O ato de orçar uma obra ou uma edificação é baseado na determinação dos


valores a serem gastos na execução de tal empreendimento, reunindo os
levantamentos das quantidades de insumos, sua mão de obra, os equipamentos
necessários e o tempo de duração da obra com seus respectivos preços unitários,
adicionando os percentuais de impostos e lucros a eles, chegando assim ao valor
global necessário para execução do empreendimento.
“Em geral, um orçamento é determinado somando-se os custos diretos -
mão-de-obra de operários, material, equipamento - e os custos indiretos -
equipes de supervisão e apoio, despesas gerais do canteiro de obras,
taxas, etc. - e por fim adicionando-se impostos e lucro para se chegar ao
preço de venda (MATTOS, 2006, p. 22)”

Segundo o Conselho Internacional de Engenharia de custos (ICEC), cada


orçamento deve ter uma margem de custos para tomadas de decisões, que no
período de orçamento pode ter ficado como incertezas por falta de informações em
projetos, essa margem deve oscilar entre 5% (cinco por cento) e 35% (trinta e cinco
por cento), que deve ser incluso no valor global de orçamento, a escolha da
porcentagem a ser empregada se dá através da tabela de margem de erro,
apresentada a seguir:

Tabela 2 – Margem de erro aceitável de um orçamento

Margem de erro de uma estimativa de custos


Projeto Executivo + ou – 5%
Projeto Básico + ou – 10% a 15%
Viabilidade Econômica + ou – 25% a 30%
Ordem de Grandeza + ou – 35%
Fonte: ICEC – Conselho Internacional de Engenharia, adaptado pela autora.

Tendo esse breve conhecimento sobre os orçamentos em estudo, tem-se um


melhor entendimento sobre o que irá ser abordado, que é uma comparação de
valores entre um orçamento realizado na modalidade de estimativa de custos, e um
orçamento realizado de forma analítica, os dois apresentam custos para execução
das instalações elétricas de iluminação e tomadas e instalações hidrossanitárias,
dos prédios Galpão Logístico e Portaria de uma fábrica agroindustrial de bebidas,
localizada em Itaitinga – CE.

3.2 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

A finalidade de um projeto elétrico é basicamente garantir a alimentação


elétrica das luminárias, tomadas, interruptores e etc., que provem de uma fonte,
geralmente é a concessionaria de energia local, de forma a trazer segurança e
eficiência para seus utilizadores.
“O objetivo de um projeto de instalações elétricas é garantir a transferência
de energia desde uma fonte, em geral a rede de distribuição da
concessionária ou geradores particulares, até os pontos de utilização
(pontos de luz, tomadas, motores, etc). Para que isto se faça de maneira
segura e eficaz é necessário que o projeto seja elaborado, observando as
prescrições das diversas normas técnicas aplicáveis (DOMINGOS, 2001,
p. 09)”

De acordo com Domingos (2001), projetar uma instalação elétrica consiste


em quantificar, determinar os tipos e localizar os pontos de utilização elétrica, como
por exemplo luminárias e tomadas, sendo também importante dimensionar e definir
o encaminhamento dos condutos e condutores (cabos elétricos).

3.3 PROJETOS DE INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS

Os projetos hidrossanitários se dividem em água fria, rede de esgoto e


captação de águas pluviais.
Para Carvalho (2014), a instalação de água fria é formada por um conjunto
de tubulações, equipamentos, reservatórios e dispositivos, designados para
abastecimentos de água dos aparelhos e pontos de uso, o seu projeto tem como
objetivo garantir que o abastecimento tenha água suficiente, de boa qualidade, de
forma contínua, com vazões aceitáveis, que possibilite a fácil manutenção e
proporcione conforto aos usuários.
O projeto de rede de esgoto deve apresentar a coleta e condução dos
despejos resultantes dos aparelhos sanitários, como bacias sanitárias, lavatórios,
pias de cozinha e ralos, que são levados através de tubulações ao destino final
adequado, que pode ser a rede pública ou um sistema particular. É importante que
o projeto permita o rápido escoamento da água utilizada evitando vazamentos,
impeça que os gases derivados do interior do sistema cheguem as áreas de
utilização e garanta fácil manutenção, higiene e conforto aos utilizadores.
“As instalações prediais de esgotos sanitários destinam-se a coletar,
conduzir e afastar da edificação todos os despejos provenientes
do uso adequado dos aparelhos sanitários, dando-lhes um rumo
apropriado, normalmente indicado pelo poder público competente. O
destino final dos esgotos sanitários pode ser a rede pública
coletora de esgotos ou um sistema particular de recebimento e
pré-tratamento em regiões (locais) que não dispõem de sistema
de coleta e transporte de esgotos. (CARVALHO, 2014, p. 163)”

Segundo Carvalho (2014), a rede de águas pluviais é formada por calhas de


captação de água, tubulações condutoras, grelhas e caixas de passagem, que
captam a água da chuva e lavagem de pisos, conduzindo essa água ao destino
adequado. O propósito do projeto de águas pluviais é principalmente escoar águas
da chuva, evitando alagamentos e erosão do solo, protegendo as edificações da
umidade.

3.4 LEVANTAMENTO QUANTITATIVO DE INSTALAÇÕES

Os quantitativos das instalações “Trata-se de relações quantitativas, listando


todos os materiais necessários à execução das instalações projetadas, segundo as
especificações em vigor. (MAÇAHICO, 2016)”. É a determinação das quantidades
de materiais para execução da obra, nas instalações elétricas podem ser
quantidades de eletrodutos, fios elétricos, tomadas, luminárias e etc., nas
instalações hidrossanitárias podem ser quantidades de tubos, joelhos 90°, tês, ralos
e etc., “Esses materiais podem ser representados por unidades de medida, em
volumes, em áreas, em comprimentos, em pesos, em sacos, etc. (MAÇAHICO,
2016)”.
Segundo MAÇAHICO (2006), o levantamento de quantitativos é uma etapa
importante do orçamento, para o qual o primeiro passo é “Ter em mãos o projeto
básico ou projeto executivo com todos os projetos complementares tais como
instalações hidráulicas, elétricas, ..., e memoriais descritivos das especificações.
(MAÇAHICO, 2016)”. Com os projetos de instalações em mãos é possível levantar
os quantitativos dos materiais, e após isso “Planilhar, itemizando cada serviço,
criando colunas onde constem o item, discriminação, quantidade, unidade, preço
unitário, preço do item e subtotal. (MAÇAHICO, 2016)”, e assim criar a planilha
orçamentária.

4 METODOLOGIA

4.1 ÁREA DE PESQUISA

A pesquisa é descritiva, aplicada e desenvolvida na forma de estudo de caso.


A fonte dos dados é de origem primária, colhidos através de entrevistas com o
diretor e um orçamentista da empresa instaladora em que foi realizado o trabalho.
O método da pesquisa é qualiquantitativa.
Para realização do estudo de caso foi utilizado o estudo de obras de autores
conhecidos e respeitados na área, foi mostrado resumidamente conceitos e
importância do orçamento na construção civil, dos projetos elétricos e
hidrossanitários e quantitativos de instalações. Foram usados também artigos e
monografias sobre a área estudada, e normas técnicas da engenharia através de
busca eletrônica em sites da internet.

4.2 DESCRITIVO DA PESQUISA

O assunto a ser abordado foi uma situação em que primeiramente o cliente


solicitou a empresa do ramo de construção civil um orçamento de um Galpão
logístico de 12.320 m², e da portaria de acesso de 186 m², tal orçamento englobou
apenas as instalações de iluminação e tomadas e instalações hidrossanitárias, onde
esses dois prédios fazem parte de um complexo agroindustrial de bebidas.
Inicialmente, no mês de março de 2019, o cliente não possuía os projetos de
tais instalações, havia disponibilizado a empresa do ramo de construção civil
apenas os projetos de arquitetura, assim foi realizado um orçamento que pode ser
classificado como orçamento preliminar estimativo, realizado com base apenas na
área a ser construída, depois de alguns meses, em outubro de 2019, a empresa em
questão foi contratada para a realização dos serviços já citados no galpão logístico
e na portaria de acesso, através das informações e valores do orçamento preliminar
estimativo.
Após a contratação e assinatura de contrato entre a instaladora e o cliente,
foram disponibilizados no mês de novembro de 2019, os projetos executivos e
algumas especificações técnicas referentes ao serviços de iluminação e tomadas e
hidrossanitário dos prédios em questão, então foi realizado pelos orçamentistas um
novo orçamento de caráter analítico, com levantamento de quantitativos baseados
nos novos documentos recebidos, o que foi proposto é uma análise financeira entre
os dois orçamentos realizados, e a viabilidade da execução de uma obra sem posse
dos projetos executivos e demais documentos.

4.3 ESTUDO DE CASO

O estudo de caso está geograficamente localizado em Itaitinga, na região


metropolitana de Fortaleza, no estado do Ceará, localizada as margens da BR-116.
A obra em questão é um complexo agroindustrial de bebidas, que concentra
a fábrica e os escritórios, além do centro de distribuição. A previsão é que com esse
novo empreendimento a cidade passe a ser um dos mais importantes modelos
logísticos da companhia no Brasil, gerando novos empregos para a população.
Como já foi dito, os prédios da Portaria e Galpão logístico serão nosso objeto
de estudo de caso, por isso se faz necessário o detalhamento desses prédios e
seus ambientes.
A portaria do complexo agroindustrial de bebidas possui objetivo de ser o
ponto principal para controlar o acesso ao empreendimento, é uma construção que
irá abrigar mais de uma pessoa, possuindo balcão de atendimentos, telefones,
computadores e uma recepção, é onde acontece a entrada de pessoas e veículos
que podem estar transportando mercadorias, por isso, ao lado da portaria existe
uma balança para pesagem de caminhões, segue abaixo o layout arquitetônico da
Portaria a ser estudada e seus ambientes.
Figura 05: Prédio Portaria e seus ambientes.

Fonte: Projeto arquitetônico Complexo Agroindustrial de bebidas – Adaptado pela autora.


O Galpão logístico do Complexo Agroindustrial de bebidas foi construído para
atender as necessidades da empresa, sendo a área de estoque, de armazenamento
e centro de distribuição de bebidas, seu layout segue abaixo na figura 06. É
importante citar que no interior do Galpão logístico existe uma área de apoio
administrativo, que por fazer parte do Galpão, também será incluso nesse estudo
de caso. A área de apoio administrativo possui aproximadamente 265,20 m², e tem
como objetivo dar auxilio operacional as atividades que acontecem no galpão,
dispondo de sala com computadores, sala de reuniões, sala de segurança e outras,
oferecendo também conforto e comodidade aos funcionários, dispondo de
banheiros, copa e locais de descanso, como exposto na figura 07.
Figura 06: Prédio Galpão Logístico e apoio administrativo.

Fonte: Projeto arquitetônico Complexo Agroindustrial de bebidas – Adaptado pela autora.


Figura 07: Apoio administrativo no interior do Galpão Logístico.

Fonte: Projeto arquitetônico Complexo Agroindustrial de bebidas – Adaptado pela autora.


6 RESULTADOS E DISCUSSÕES

6.1 ORÇAMENTO PRELIMINAR ESTIMATIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E


HIDROSSANITÁRIAS PARA OS PRÉDIOS GALPÃO LOGÍSTICO E PORTARIA

Para execução desse orçamento, a empresa do ramo de construção civil


possuía apenas os projetos de arquitetura, no qual apresentava as representações
gráficas dos prédios, com o objetivo de guiar a construção do empreendimento,
porém nesses projetos não existiam representações para as instalações elétricas e
hidrossanitárias dos prédios.
Então o diretor técnico da empresa optou por fazer um orçamento preliminar
estimativo. Para realização de tal orçamento é necessário possuir experiencia e
conhecimento em obras semelhantes, por isso o próprio diretor técnico executou
esse serviço, as informações utilizadas mais importantes para esse orçamento
foram o tipo de empreendimento e suas funções, as dimensões de comprimento,
largura, altura e a quantidade de metros quadrados de cada prédio, a partir dessas
informações o diretor técnico buscou nos arquivos da empresa um orçamento de
caráter analítico de alguma outra obra que fosse semelhante ao empreendimento
em questão, para servir de base ao novo orçamento preliminar estimativo.
Após isso, o diretor com sua vasta experiencia, analisou os projetos
arquitetônicos que foram disponibilizados e começou a manipular as quantidades
de materiais na planilha base, aumentando ou diminuindo os quantitativos dos
materiais de acordo com sua expertise em obras semelhantes. Ao final do processo
foi montada a planilha de orçamento preliminar estimativa, que resultou no valor
total das instalações elétricas e hidrossanitárias de R$ 612.206,52 (seiscentos e
doze mil, duzentos e seis reais e cinquenta e dois centavos), conforme apresentada
na tabela abaixo.
Tabela 3 – Orçamento preliminar estimativo para instalações elétricas e hidrossanitárias, dos prédios
Galpão Logístico e Portaria do complexo agroindustrial de bebidas.
TOTAL GERAL PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E
HIDROSSANITÁRIAS DOS PRÉDIOS: GALPÃO LOGÍSTICO, APOIO R$612.206,52
ADMINISTRATIVO E PORTARIA

INSTALAÇÕES DO GALPÃO DE LOGISTICA . 12.320 M2 UND. Quant Valor Total

TOTAL GALPÃO DE LOGISTICA R$ 522.131,10

TOTAL ELÉTRICA VB R$ 426.572,10


ARRUELAS / BUCHAS / CAIXAS VB 1,00 R$ 13.622,20
ELETRODUTOS / LUVAS / CURVAS VB 1,00 R$ 21.662,30
ELETROCALHAS E PERFILADOS E ACESSORIOS DE FIXAÇÃO VB 1,00 R$ 54.211,00
CABEAÇÃO DE ILUMINAÇAO E FORÇA PARA TOMADAS DE USO
VB 1,00 R$ 86.222,00
INDUSTRIAL
INTERRUPTORES / PLACAS E TOMADAS DE USO GERAL VB 1,00 R$ 3.120,00

TOMADAS INDUSTRIAL EM CX ALUMINIO IP67 COM TOMADAS


VB 1,00 R$ 66.214,30
2P+T 32A E TOM 3P+T 32A COM INFRA E CAB.
LUMINÁRIAS E EQUIPAMENTOS P/ILUMINAÇÃO - PROJETORES
VB 1,00 R$ 181.520,30
EM LED DE 150W
TOTAL ÁGUAS PLUVIAIS VB R$ 95.559,00

ÁGUAS PLUVIAIS - CONSIDERADO INTERLIGAÇAO COM


VB 1,00 R$ 17.899,00
DRENAGEM

ÁGUAS PLUVIAIS - TUBOS - SERIE R VB 1,00 R$ 54.214,00

ÁGUAS PLUVIAIS - CONEXOES - SERIE R VB 1,00 R$ 16.547,00

ÁGUAS PLUVIAIS - ACESSORIOS DE MONTAGEM E FIXAÇAO VB 1,00 R$ 6.899,00

APOIO ADMINISTRATIVO UND. Quant Valor Total

TOTAL APOIO ADMINISTRATIVO R$ 51.226,02

TOTAL ELÉTRICA ILUMINAÇÃO E TOMADAS VB R$ 30.118,77


ARRUELAS / BUCHAS / CAIXAS VB 1,00 R$ 1.094,67
ELETRODUTOS / LUVAS / CURVAS VB 1,00 R$ 3.410,10
PERFILADOS E ACESSORIOS DE FIXAÇÃO VB 1,00 R$ 5.099,40
CABEAÇÃO VB 1,00 R$ 10.120,50
INTERRUPTORES / PLACAS E TOMADAS VB 1,00 R$ 1.893,60
LUMINÁRIAS E EQUIPAMENTOS P/ILUMINAÇÃO VB 1,00 R$ 8.500,50
TOTAL HIDRÁULICA ÁGUA FRIA VB R$ 10.880,10
TUBOS VB 1,00 R$ 6.288,30
CONEXÕES VB 1,00 R$ 1.222,20
VALVULAS / REGISTROS / BOMBAS VB 1,00 R$ 1.929,60
ACESSORIOS VB 1,00 R$ 1.440,00
TOTAL ESGOTO VB R$ 10.227,15
ÁGUAS ESGOTO - TUBOS VB 1,00 R$ 6.109,20
ÁGUAS ESGOTO - CONEXOES VB 1,00 R$ 2.188,35
ÁGUAS ESGOTO - ACESSORIOS VB 1,00 R$ 1.929,60
PORTARIA UND. Quant Valor Total
TOTAL PORTARIA R$ 38.849,40

TOTAL ELÉTRICA ILUMINAÇÃO E TOMADAS VB R$ 15.256,80


ARRUELAS / BUCHAS / CAIXAS VB 1,00 R$ 405,00
ELETRODUTOS / LUVAS / CURVAS VB 1,00 R$ 3.289,50
PORTARIA UND. Quant Valor Total
TOTAL ELÉTRICA ILUMINAÇÃO E TOMADAS VB
PERFILADOS E ACESSORIOS DE FIXAÇÃO VB 1,00 R$ 1.669,50
CABEAÇÃO VB 1,00 R$ 4.471,20
INTERRUPTORES / PLACAS E TOMADAS VB 1,00 R$ 702,00
LUMINÁRIAS E EQUIPAMENTOS P/ILUMINAÇÃO VB 1,00 R$ 4.719,60
TOTAL HIDRÁULICA ÁGUA FRIA VB R$ 7.761,60
TUBOS VB 1,00 R$ 3.922,20
CONEXÕES VB 1,00 R$ 1.942,20
VALVULAS / REGISTROS / BOMBAS VB 1,00 R$ 918,00
ACESSORIOS VB 1,00 R$ 979,20
TOTAL ÁGUAS PLUVIAIS VB R$ 7.144,20
ÁGUAS PLUVIAIS - TUBOS - SERIE R VB 1,00 R$ 4.359,60
ÁGUAS PLUVIAIS - CONEXOES - SERIE R VB 1,00 R$ 1.704,60
ÁGUAS PLUVIAIS - ACESSORIOS VB 1,00 R$ 1.080,00
TOTAL ESGOTO VB R$ 8.686,80
ÁGUAS ESGOTO - TUBOS VB 1,00 R$ 5.389,20
ÁGUAS ESGOTO - CONEXOES VB 1,00 R$ 1.776,60
ÁGUAS ESGOTO - ACESSORIOS VB 1,00 R$ 1.521,00
Fonte: Planilha de orçamento Complexo Agroindustrial de bebidas – Adaptado pela autora.

6.2 ORÇAMENTO ANALÍTICO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E


HIDROSSANITÁRIAS PARA OS PRÉDIOS GALPÃO LOGÍSTICO E PORTARIA

Quando ocorreu a realização desse orçamento, a empresa do ramo da


construção civil havia recebido por parte do cliente as informações necessárias para
desenvolver um orçamento analítico, tais informações foram constituídas por
projetos executivos de instalações de iluminação e tomadas, rede de água fria, rede
de esgoto e captação de águas pluviais, e ainda por memoriais descritivos e
especificações técnicas dos materiais desejados nas instalações.
Pelo fato de possuir todos os dados definidos e bem fundamentados em
projetos, a equipe técnica de orçamentistas da empresa do ramo da construção civil
ficou responsável pela execução desse orçamento. Primeiramente a equipe
analisou todos os projetos, memoriais e especificações técnicas, para entender e
ter uma melhor percepção dos serviços a serem executados, após isso foi possível
iniciar o levantamento de quantidades dos projetos.
Inicialmente foi realizado o levantamento de quantitativos com base nos
projetos executivos de iluminação e tomadas, apurando as quantidades totais e as
unidades de medida de todos os materiais necessários para completa instalação,
itens como: eletrodutos, curvas para eletrodutos, conduletes de alumínio,
eletrocalhas e perfilados metálicos, interruptores e tomadas, luminárias, cabos
elétricos, parafusos e etc.
Posteriormente foi iniciado o levantamento quantitativo baseado nos
projetos executivos hidrossanitários, que são formados pela rede de água fria, rede
de esgoto e captação de águas pluviais, foi identificado todos os materiais e suas
unidades de medidas para realização absoluta da instalação, produtos como:
tubulações e conexões de PVC, ralos e caixas sifonadas, bombas, registros,
parafusos e etc.
Em seguida todos esses materiais, suas quantidades e unidades de
medida, foram listados na planilha de orçamento, de forma organizada e lógica para
cada tipo de instalação. Com a planilha alimentada e montada, foi iniciado a etapa
de pesquisas de preços com fornecedores, e após receber os valores de cada item
e lançar na planilha, foi calculado o fator percentual de mão de obra para execução
das instalações, posteriormente foi calculado o fator percentual para lucros e
somado junto ao valor de cada material, e o valor final de cada item foi multiplicado
pela quantidade, obtendo o valor total para cada material. Assim foi formada a
planilha de orçamento analítico para execução das instalações de iluminação e
tomadas e hidrossanitário dos prédios Galpão Logístico e portaria do complexo
agroindustrial de bebidas, que totalizou no valor de R$ 1.258.766,81 (Um milhão,
duzentos e cinquenta e oito mil, setecentos e sessenta e seis reais, e oitenta e um
centavos), conforme podemos perceber na tabela abaixo com o resumo do
orçamento.

Tabela 4 – Orçamento analítico para instalações elétricas e hidrossanitárias, dos prédios Galpão
Logístico e Portaria do complexo agroindustrial de bebidas.
TOTAL GERAL PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E
HIDROSSANITÁRIAS DOS PRÉDIOS: GALPÃO LOGÍSTICO, R$ 1.258.766.81
APOIO ADMINISTRATIVO E PORTARIA
1.0 INSTALAÇÕES DO GALPÃO LOGÍSTICO R$ 1.021.677,49
INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ILUMINAÇÃO E TOMADAS DO
1.1 R$ 903.681,24
GALPÃO LOGÍSTICO
1.1.1 ELETRODUTOS / CURVAS / LUVAS R$ 6.326,40
1.1.2 ARRUELAS / BUCHAS / CAIXAS R$ 608,99
1.1.3 ELETROCALHAS E ACESSORIOS DE FIXAÇÃO R$ 215.621,34
1.1.4 LUMINÁRIAS E EQUIPAMENTOS P/ILUMINAÇÃO R$ 306.632,68
1.1.5 CABEAÇÃO R$ 371.310,14
1.1.6 CONDULETES R$ 3.181,69
1.0 INSTALAÇÕES DO GALPÃO LOGÍSTICO
GALPÃO LOGÍSTICO - ÁGUAS PLUVIAIS E DRENAGEM
1.2 R$ 117.996,25
AR-CONDICIONADO
1.2.1 TUBOS - SERIE NORMAL R$ 49.650,06
1.2.2 CONEXÕES - SERIE NORMAL R$ 53.288,51
1.2.3 ACESSORIOS DE MONTAGEM E FIXAÇAO R$ 15.057,68
2.0 INSTALAÇÕES DO APOIO ADMINISTRATIVO R$ 137.295,43
INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ILUMINAÇÃO E TOMADAS APOIO
2.1 R$ 130.305,85
ADMINISTRATIVO
2.1.1 ELETRODUTOS / CURVAS / LUVAS R$ 1.146,22
2.1.2 ARRUELAS / BUCHAS / CAIXAS R$ 180,22
2.1.3 ELETROCALHAS E ACESSORIOS DE FIXAÇÃO R$ 5.632,29
2.1.4 CABEAMENTO R$ 6.310,74
2.1.5 INTERRUPTORES / PLACAS E TOMADAS R$ 14.422,01
2.1.6 LUMINÁRIAS E EQUIPAMENTOS P/ILUMINAÇÃO R$ 61.536,43
2.1.7 CONDULETES R$ 4.149,49
2.1.8 TOMADAS R$ 19.607,85

APOIO ADMINISTRATIVO - ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA AR-


2.1.9 R$ 17.320,60
CONDICIONADO

2.2 INSTALAÇÕES REDE DE ESGOTO APOIO ADMINISTRATIVO R$ 4.140,19

2.2.1 TUBOS - SERIE NORMAL R$ 1.353,36


2.2.2 CONEXÕES - SERIE NORMAL R$ 1.956,84
2.2.3 ACESSORIOS DE MONTAGEM E FIXAÇAO R$ 829,99
2.3 INSTALAÇÕES DE ÁGUA FRIA POIO ADMINISTRATIVO R$ 2.849,39
2.3.1 TUBOS POLIPROPILENO R$ 738,15
2.3.2 CONEXÕES POLIPROPILENO R$ 1.380,59
2.3.3 VALVULAS / REGISTROS / BOMBAS R$ 479,99
2.3.4 ACESSORIOS R$ 250,66
3.0 INSTALAÇÕES DA PORTARIA R$ 99.793,89
INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ILUMINAÇÃO E TOMADAS
3.1 R$ 78.581,64
PORTARIA
3.1.1 ELETRODUTOS / CURVAS / LUVAS R$ 2.038,78
3.1.2 ARRUELAS / BUCHAS / CAIXAS R$ 504,92
3.1.3 ELETROCALHAS E ACESSORIOS DE FIXAÇÃO R$ 2.884,22
3.1.4 CABEAÇÃO R$ 7.740,39
3.1.5 INTERRUPTORES / PLACAS E TOMADAS R$ 10.476,12
3.1.6 LUMINÁRIAS E EQUIPAMENTOS P/ILUMINAÇÃO R$ 43.954,68
3.1.7 SISTEMA DUTOTEC R$ 8.026,20
3.1.8 CONDULETES R$ 2.956,33
3.2 INSTALAÇÕES REDE DE ESGOTO PORTARIA R$ 4.122,25
3.2.1 TUBOS - SERIE NORMAL R$ 2.154,54
3.2.2 CONEXÕES - SERIE NORMAL R$ 1.131,26
3.2.3 ACESSORIOS DE MONTAGEM E FIXAÇAO R$ 836,45
3.3 INSTALAÇÕES DE ÁGUA FRIA PORTARIA R$ 6.327,98
3.3.1 TUBOS POLIPROPILENO R$ 2.191,47
3.3.2 CONEXÕES POLIPROPILENO R$ 1.308,51
3.0 INSTALAÇÕES DA PORTARIA
3.3.3 VALVULAS / REGISTROS / BOMBAS R$ 755,74
3.3.4 ACESSORIOS R$ 2.072,26
PORTARIA - ÁGUAS PLUVIAIS E DRENAGEM AR-
3.4 R$ 10.762,02
CONDICIONADO
3.4.1 TUBOS - SERIE NORMAL R$ 3.426,90
3.4.2 CONEXÕES - SERIE NORMAL R$ 4.002,50
3.4.3 ACESSORIOS DE MONTAGEM E FIXAÇAO R$ 3.332,62
Fonte: Planilha de orçamento Complexo Agroindustrial de bebidas – Adaptado pela autora.

6.3 ANÁLISE COMPARATIVA FINANCEIRA

Diante do exposto nas tabelas 3 e 4, foi possível criar uma nova tabela para
comparação e análise dos valores, conforme apresentado abaixo.

Tabela 5 – Comparativo financeiro entre orçamento preliminar estimativo e orçamento analítico.


PRELIMINAR
ANALÍTICO
TIPO DE INSTALAÇÃO LOCAL ESTIMATIVO
VALORES R$ VALORES R$

GALPÃO LOGÍSTICO R$426.572,10 R$903.681,24


ELÉTRICA
APOIO
ILUMINAÇÃO E R$30.118,77 R$130.305,85
ADMINISTRATIVO
TOMADAS
PORTARIA R$15.256,80 R$78.581,64

GALPÃO LOGÍSTICO - -

APOIO
REDE DE ESGOTO R$10.227,15 R$4.140,19
ADMINISTRATIVO

PORTARIA R$8.686,80 R$4.122,25

GALPÃO LOGÍSTICO - -

APOIO
REDE DE ÁGUA FRIA R$10.880,10 R$2.849,39
ADMINISTRATIVO

PORTARIA R$7.761,60 R$6.327,98

GALPÃO LOGÍSTICO R$95.559,00 R$117.996,25

CAPTAÇÃO DE ÁGUAS APOIO


- -
PLUVIAIS ADMINISTRATIVO

PORTARIA R$7.144,20 R$10.762,02

TOTAL GERAL R$612.206,52 R$1.258.766,81

Fonte: Criado pela autora.


Com essa comparação podemos identificar que as instalações elétricas
tiveram um grande aumento nos seus valores no orçamento mais detalhado, isso
se deve, em grande parte, ao detalhamento de materiais em projetos e memoriais,
por exemplo: no preliminar estimativo foram orçados interruptores convencionais e
luminárias de uma linha básica, e no analítico o projeto especificava interruptores
do tipo dimmer e pulsadores, e as luminárias de um fabricante superior, o que
resultou em um aumento de aproximadamente 135% no valor total das instalações
elétricas.
Observou-se a redução dos custos nas instalações de esgoto e água fria no
orçamento analítico, a diminuição foi aproximadamente de 46%, provavelmente
houve um excesso de segurança na margem de erro dos quantitativos.
Nas instalações de captação de águas pluviais, houve um acréscimo de
25% no orçamento analítico, em decorrência de que no orçamento estimativo foram
consideradas colunas de tubulação para descidas das águas pluviais de um
diâmetro menor ao solicitado em projetos executivos.

6.4 VANTAGENS E DESVANTAGENS

Com as informações obtidas no estudo de caso, foi possível elaborar a


tabela de vantagens e desvantagens abaixo:
Tabela 6 – Vantagens e desvantagens entre orçamento preliminar estimativo e analítico.

Vantagens e Desvantagens

Estimativa de Custos Orçamento analítico

Forma mais detalhada e precisa de se


Avaliação aproximada dos custos na
conhecer os custos envolvidos na
construção de uma edificação
construção de uma edificação
Não possui conhecimento das quantidades Lista detalhada e organizada dos
de materiais que serão utilizados na materiais e seus quantitativos, com suas
construção unidades de medida.
Execução demorada, pois é mais
Executado de forma mais rápida, pois não
detalhado por possuir documentos
possui vasta fonte de informações.
informativos

Recomendável que seja executado por


Pode ser executado por profissional
profissional habilitado com grande vivência
habilitado em leitura de projetos e
e expertise em orçamentos e execução de
levantamento de quantitativos.
obras.

A empresa a ser contratada pode ter um Maior clareza nos valores cobrados e dos
grande prejuízo ou perder obras pelos lucros, participação de concorrências com
valores exorbitantes preços justos.

O orçamento deve ser utilizado como


O orçamento não pode ser usado como
ferramenta para controle de materiais e
ferramenta de controle para execução da
mão de obra para execução das obras,
obra, pois não possui quantidades de itens.
pois é baseado em projetos executivos.
Fonte: Criado pela autora.

Considerando o comparativo financeiro e as vantagens e desvantagens de


cada um dos orçamentos, pode-se perceber que apesar do orçamento preliminar
estimativo ser elaborado com mais agilidade e não possuir muitas técnicas, não
seria possível para a empresa do ramo da construção civil executar as instalações
conforme projetos executivos considerando apenas tal orçamento.
“Nas empresas, a estimativa de custos só serve realmente para dar a
ordem de grandeza do empreendimento” ...”, o orçamento propriamente
dito requer o levantamento das quantidades e a composição de custos
para cada serviço. O orçamento detalhado (ou analítico) gera um produto
final muito mais completo e confiável do que a simples estimativa de
custos. (MATTOS, 2006, p. 34)”

Caso a empresa tivesse que realizar os serviços dos projetos executivos


considerando o valor cobrado no orçamento preliminar estimativo, teria grandes
prejuízos e com certeza a obra não seria concluída, por isso, após a realização do
orçamento analítico houve um novo acordo e negociação entre a empresa e o
cliente, para ambas as partes não terem prejuízos, podemos constatar então que
nesse estudo de caso o orçamento preliminar estimativo não obteve sucesso, e que
o orçamento analítico foi a melhor escolha.
7 CONCLUSÃO

Diante do estudo de caso apresentado e seus resultados, percebemos que


o orçamento de obras na construção civil é de fundamental importância, é a etapa
inicial do estudo de viabilidade financeira de um empreendimento, e como tal, é um
antecessor para outras etapas da construção, ou seja, os erros em um orçamento
implicam em erros nas etapas sucessoras da obra.
Possuindo os valores de orçamento, os clientes decidem se irão ou não
executarem a obra, por isso o orçamento precisa ser o mais fidedigno possível, para
que não haja prejuízos aos envolvidos.
Porém atualmente, algumas empresas tem pressa em construir e não se
preocupam com o planejamento prévio, essa situação leva as empresas do ramo
de construção civil a adotarem o orçamento estimativo de custos, mas como vimos
nesse estudo de caso, é um risco alto.
De um modo geral podemos concluir que a execução de um orçamento
analítico é sempre a melhor escolha, sua realização é mais demorada e detalhada,
porém é mais assertiva e próxima a realidade, e com certeza o tempo que foi
utilizado para realização do orçamento, vai ser um tempo ganho na fase de
execução da obra, além de poupar aborrecimentos entre clientes e empresas
contratadas.
Contudo o uso de orçamentos preliminares estimativos não deve ser
descartado pelas empresas de construção civil em casos de extrema urgência, mas
acredito que seja mais eficaz e próximo ao real em obras de pequeno porte, sendo
um grande risco aplicar tal prática em obras de grande porte.
“A depender do tipo de obra, a estimativa consegue ser mais ou menor
precisa. Quando se trata de uma construção convencional, com um projeto
relativamente tradicional, com os serviços bem conhecidos pela
construtora, com registros de custos de obras similares e sem grandes
indefinições e interferências, a estimativa pode produzir números bem
próximos da realidade “...” Quando o projeto é pouco convencional, como
uma indústria sem precedentes a ser feita com uma tecnologia construtiva
poucas vezes aplicada, a estimativa de custos naturalmente carregará em
seu bojo uma imprecisão maior (MATTOS, 2006, p. 34)”
REFERÊNCIAS

INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE ENGENHARIA, Orientação Técnica


sobre precisão e margem de erros dos orçamentos, OT-004-2016 Disponível em OT-004-
2016-IBRAENG_Precisão_e_Margem_de_Erro_dos_Orçamentos.pdf. Acesso em 03 abril.
2021.

CARDOSO, R. S. Orçamento de obras em foco: um novo olhar sobre a engenharia de


custos. São Paulo: Pini, 2009.

SAMPAIO, F. M. Orçamento e custo da construção. Brasília: Hemus, 1989.

MATTOS, A. D. Como preparar orçamento de obras. São Paulo: Pini, 2006

INSTITUTO DE ENGENHARIA, Norma técnica para elaboração de orçamento de obras


de construção civil, IE – Nº 01/2011 Disponível em: arqnot7629.pdf
(institutodeengenharia.org.br) . Acesso em 03 abril. 2021.

AVILA, A. V.; LIBRELOTTO, L. I.; LOPES, O. C. L. Orçamento de obras, construção civi.


1.0.ed. Florianopolis, 2003.

DOMINGOS, L. L. F., Projetos de instalações elétricas prediais. 6.0. ed: Érica, 2001.

CARVALHO, R. J., Instalações hidráulicas e o projeto de arquitetura. 11.ed: Blucher

MAÇAHICO. T., _11798 - ORÇAMENTO NA CONSTRUÇÃO CIVIL -


CONSULTORIA, PROJETO E EXECUÇÃO - Metodologia de Cálculo, Composição do
BDI e Legislação. 1.0.ed. São Paulo: Pini 2006

Você também pode gostar