Você está na página 1de 24

INTRODUÇÃO

• O lingotamento contínuo (LC) surgiu a partir de 1840, de uma patente que foi desenvolvida por uma máquina por
lingotamento contínuo por George Seller. Ao passar os anos, em 1846, Henry Bessemer patenteou a fabricação do
LC, para produção de chapas de ferro e aço.

• Mais a frente, em 1887, R.M Daelen em seus estudos revelou uma possível produção, utilizando o molde
refrigerado, com superfície aberta, na solidificação do aço.

• Em 1933, eu torno XX, na Alemanha, o LC teve sua primeira construção, cujo o criador foi Siegfried Junghans,
na produção do tarugo da liga cobre – zinco de latão.
O que é o Lingotamento Contínuo?

• De acordo com Janik et al (2004), o conceito mais compreendido de lingotamento continuo é: “Um método
primário de produção de lingote e placas. Neste processo, o aço em estado líquido é transformado em sólido
através do molde de cobre resfriado com água, submetido a diferentes zonas de resfriamento: molde, zona
de resfriamento com jato de água (zona de resfriamento secundária) e zona de resfriamento por radiação”.

• Em virtude de tais problemas, nas últimas décadas, houveram consideráveis avanços no processo de
solidificação do aço.
CONSTITUIÇÃO DA MÁQUINA

• Os componentes utilizados na máquina são inteiramente utilizados para ter características dimensionais,
físicas e químicas para manter a qualidade do produto produzido.

Figura 1 – Máquina de lingotamento contínuo e seus equipamentos.

• Torre Giratória;
• Distribuidor de Aço;
• Molde;
• Segmentos;
• Barra Falsa;
• Máquina de Corte.

Fonte: SILVA, 2017.


APLAINAMENTO
Figura 2 - Plaina de mesa horizontal

posição horizontal, vertical ou inclinado e


também pode ser classificado em
aplainamento de desbaste ou acabamento

A mesa executa o curso útil. Ferramenta


estacionária responsável pelo avanço
transversal, (passo de avanço)
Fonte: Rocha; Dias (2008).
FRESAMENTO Figura 3 - Exemplos de operações de fresamento.

O fresamento de disco: corte que


utiliza predominantemente as arestas
de corte periféricas

No faceamento: ação combinada das


arestas de corte periféricas e frontais
fresa gira em relação à peça

Mergulho: arestas frontais avança


axialmente, executando uma operação
de furação

Fonte: Manual (2005).


Máquina e Equipamentos Aplicados ao Aplainamento (processo atual)

Figura 4 - Fotografia da plaina de mesa utilizada


para usinagem de placas de cobre da MLC1.

Fonte: (MENDES, 2011)


Máquinas e Equipamentos Aplicados ao Fresamento (processo atual)
Figura 5 - Fotografia da mandriladora/fresadora utilizada.

Figura 7 -Barra de mandrilar, suporte de ferramenta e inserto


de metal duro utilizado na usinagem da superfície de níquel.

Fonte: (MENDES, 2011)


Máquinas e Equipamentos Aplicados à Retificação
Figura 6 - retificadora utilizada nos testes.

sistema de fixação de peças por meio de mesa


magnética, porém as amostras são de cobre
eletrolítico (não ferromagnética), o que implicou
no desenvolvimento do suporte

Fonte: (MENDES, 2011)


RUGOSIDADE Figura 7 - amostra texturizada (ae = 0,02 mm e Vf 25 m/min).

Figura 8 - amostra(ae = 0,01 mm e Vf = 25 m/min).

Fonte: (MENDES, 2011) Fonte: (MENDES, 2011)


ETAPAS DE PRODUÇÃO DO LINGOTAMENTO CONTÍNUO
Figura 9 - Etapas do lingotamento Contínuo

1. Molde ou Resfriamento Primário;

2. Resfriamento secundário ou região dos


chuveiros (sprays);

3. Região de radiação livre.

Fonte: BARCELLOS, 2007


Molde ou Resfriamento Primário

Figura X: Desenho esquemático dos componentes do molde Figura 10 - Molde de lingotamento Contínuo

Fonte: BARCELLOS, 2007 Fonte: BARCELLOS, 2007


Região de Chuveiros (sprays) ou Resfriamento Secundário

Figura 12 - Esquema representativo resfriamento


secundário
Figura 13 - Região de Chuveiros (Sprays)

Fonte: BEZERRA, 2016 Fonte: BEZERRA, 2016


Região de Radiação Livre ou Resfriamento Terciário

Figura 14 - Região de Radiação Livre Figura 15 - Região de Oxicorte

Fonte: BEZERRA, 2016 Fonte: BEZERRA, 2016


Figura 16 - Regiões de lingotamento Contínuo

Fonte: BEZERRA, 2016


ESTRUTURA DE SOLIDIFICAÇÃO NO LINGOTAMENTO
CONTÍNUO

Figura 17 - a. Formação da zona colunar; b. Formação da zona equiaxial interna; c. Formação


da zona colunar; d. Formação da zona equiaxial intern

a. b. c. d.

Fonte: Google Imagens


Figura 18 - Representação da estrutura de Figura 19 - Estrutura de um metal fundido
solidificação continuamente

Fonte: Google Imagens Fonte: LOUHENKILPI, 2014


PRODUTOS FABRICADOS COM LINGOTAMENTO CONTÍNUO

Produto Laminado Matéria-prima Lingotada

Placa (slab)
Placa fina (thin slab)
Produto plano
Tira ou chapa fina (strip)

Bloco (bloom)
Produto não-plano ou longo Tarugo (billet)
Pré-forma (blank)
Fonte: RIZZO, 2005
PRODUTOS FABRICADOS COM LINGOTAMENTO CONTÍNUO

❑Produto plano
✓ a influência da espessura na
produtividade

✓ controle superficial é essencial

✓ pequenas larguras, o
lingotamento duplo do tipo twin Fonte: Adaptado de RIZZO, 2005
é o mais indicado

Placas grossas (mm) Placas finas (mm) Tiras (mm)


Largura 600 a 4000 - -
Espessura 200 a 400 30 a 150 2a5
Fonte: Adaptado de RIZZO, 2005
PRODUTOS FABRICADOS COM LINGOTAMENTO CONTÍNUO
❑Produto não-plano ou longos
✓ Bloco

✓ produto de secção quadrada

✓ Pela ABNT
• 22.500 mm2 de área
• aresta de 150 mm

✓ Fora da ABNT
• 500 mm x 600 mm Fonte: Adaptado de RIZZO, 2005
PRODUTOS FABRICADOS COM LINGOTAMENTO CONTÍNUO
❑Produto não-plano ou longos
✓ Tarugo

✓ Secção quadrada menor


• 75 mm x 75 mm Fonte: Adaptado de RIZZO, 2005

✓ Romboidez e rachaduras de canto

Fonte: SAMARASEKERA, 1982 Fonte: Adaptado de CHEUNG, 2012


PRODUTOS FABRICADOS COM LINGOTAMENTO CONTÍNUO
❑Produto não-plano ou longos
✓ Pré-forma

✓ Formato de perfis específicos


Fonte: Adaptado de RIZZO, 2005

✓ Falhas e defeitos na estrutura


• são trincas internas e superficiais

Fonte: YANG, 2018


CONCLUSÃO

• A fabricação de aço secundária e o lingotamento contínuo são as fases centrais do processo com
forte influência na qualidade final dos produtos siderúrgicos. O grande desafio na fundição
contínua é fundir aço continuamente, sem interrupções e sem muitos tipos de defeitos.
REFERÊNCIAS

BARCELLOS, Vinicius Karlinski de. Análise da transferência de calor durante a solidificação de aço em moldes no
lingotamento contínuo. Dissertação (mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de
Materiais (PPGEM). Porto Alegre, 2007.

BEZERRA, Débora de Jesus, 1978. Modelagem numérica bidimensional da solidificação no processo de lingotamento
contínuo de geometrias cartesianas e cilíndrica. Tese (doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de
Engenharia Mecânica. Campinas, 2016.

CHEUNG, N; GARCIA, A. The use of a heuristic search technique for the optimization of quality of steel billets
produced by continuous casting. Engineering Applications of Artificial Intelligence. Vol.14. p.229-238. 2001

LOUHENKILPI, Seppo (2014). Treatise on Process Metallurgy || Continuous Casting of Steel. (), 373–434.
doi:10.1016/B978-0-08-096988-6.00007-9

MANUAL Técnico de Usinagem. Sandvik do Brasil S.A.. São Paulo. Divisão Coromant: Suécia, 2005.

Mendes, A. A. A. Estudo de processo de retificação aplicado à recuperação de placas de molde de máquinas de


lingotamento contínuo de placas de aço. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica) – Universidade Federal do
Espírito Santo, Centro Tecnológico – 2011.
REFERÊNCIAS

RIZZO, Ernandes Marcos da Silveira. Introdução aos processos siderúrgicos. Associação Brasileira de Metalurgia e
Materiais. São Paulo, 2005.

ROCHA, Melchi; DIAS, André. Plaina. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. Disponível em:
<http://www.em.pucrs.br/~valega/plaina.doc>. Acesso em: 04/10/2021.

SAMARASEKERA, I.V; BRIMACOMBE, J.K. The Influence of Mold Behavior on the Production of Continuously Cast
Steel Billets. AMERICAN SOCIETY FOR METALS AND THE METALLURGICAL SOCIETY OF AIME v.138. p.105-115.
1982.

SILVA, Reinaldo A. ANALISE DO CRESCIMENTO DA CONFIABILIDADE DOS SEGMENTOS DE UMA MÁQUINA DE


LINGOTAMENTO CONTÍNUO. 83f. Monografia de Especialização. Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba,
2017.

YANG, Gaiyan et al. Initiation of Surface Cracks on Beam Blank in the Mold during Continuous Casting. Metals. v.8.
p.02-17. 2018

Você também pode gostar