Você está na página 1de 17

TEORIA

ESTRUTURALISTA

SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração.


São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração
noções básicas.
4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
Abordagem Estruturalista

Teoria da Ênfase na
Burocracia Estrutura

Abordagem
Estruturalista

Ênfase na Estrutura,
Teoria nas Pessoas e
Estruturalista
no Ambiente

SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
ORIGEM DA
TEORIA ESTRUTURALISTA
• Estruturalismo: representa uma nova visão com o
surgimento da Escola Sistêmica
• Maior pensador: Amitai Etzioni é professor de
sociologia da Universidade de Columbia.
• Foco: Estudo da organização em sentido amplo e
integral, levando em conta todos os fatos que influem,
tanto internos como externos, e submetendo-os a uma
análise comparativa global.
• Implica: reconhecer que fenômenos organizacionais se
interligam, interpenetram e interagem de tal modo que
qualquer modificação ocorrida em uma parte da
organização afeta todas as outras partes

SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
Idealizadores da Teoria Estruturalista
Idealizador Ano Principais contribuições
Amitai 1964 Consolidou e fez uma síntese das teorias existentes bem
Etzioni como criou o estruturalismo
Victor 1961 Analisou o conflito da estrutura formal com a atuação dos
Alexander profissionais especialistas em uma abordagem
Thompson sociológica

Talcott 1961 Analisou os aspectos da estrutura organizacional e dos


Parsons processos nas organizações

P. M. Blau e 1962 Aprimoraram a abordagem da Teoria da Burocracia no


W. R. Scott contexto do estruturalismo; Estudaram as relações das
organizações com seus clientes; Analisaram a
organização forma (distinguindo habilidade e disciplina) e
a organização informal.
Philip 1963 A organização formal é básica para a racionalidade
Selznick administrativa, e só com esta sustentação é possível se
adaptar às mudanças do ambiente organizacional
CONCEITO DE ORGANIZAÇÃO
(Segundo Etzioni)
Organizações são coletividades que foram
estabelecidas para a condução de objetivos,
relativamente específicos numa base mais ou menos
contínua. Deveria ficar claro, entretanto, que as
organizações têm caracteres particulares, além de
especialidade de objetivos e da continuidade. Estes
caracteres incluem fronteiras relativamente fixas,
uma ordem normativa, posições de autoridade, um
sistema de comunicações e um sistema de
incentivos, que permite aos diversos tipos de
participantes trabalhar juntos na consecução dos
objetivos comuns.

SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
ORGANIZAÇÕES E PODER

• Etzione desenvolveu tipologia e examinou como o


envolvimento individual com uma organização e o tipo
de poder predominante interagem para explicar o
consentimento ao poder.
• Tipos de poder nas organizações:
– Coercitivo (sanções físicas)
– Remunerativo (controle de recursos econômicos)
– Normativo (manipulação de recompensas simbólicas)
• Envolvimento do indivíduo por ser: (a) alienado; (b)
calculativo e (c) moral.
• Organizações sob pressões por eficácia tendem a elevar
sua estrutura de conformidade de incongruentes para
congruentes
SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
TIPOS DE ORGANIZAÇÕES
(Segundo Blau e Scott)
• Baseada: nas características e considerações dos beneficiários
principais da existência da organização
• Categorias de beneficiários: (a) Participantes; (b) Mandatários;
(c) Clientes; (d) Público em geral
• Tipos de organização / beneficiários:
– Associações de benefícios mútuos: participantes (cooperativas,
consórcios, sindicatos, associações profissionais)
– Organizações de interesses comerciais: Proprietários, acionistas,
investidores (empresas privadas)
– Organizações de serviços: clientes e sociedade (hospitais,
universidades, escolas, agências sociais, organizações religiosas)
– Organizações de Estado: cidadãos e o público em geral (correios,
instituições jurídicas, saneamento e iluminação pública)

SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
ASPECTOS PRINCIPAIS DO ESTRUTURALISMO

• A organização é concebida como um sistema social


aberto e deliberadamente construído;
• Os conflitos são considerados inevitáveis e até muitas
vezes desejáveis na relação empresa-empregado
• Incentivos mistos são recomendados (não apenas
materiais)
• O sentido do “homem organizacional” em contraposição
ao “homem administrativo”, do comportamentalismo, ao
“homem social”, da dinâmica de grupo e ao “homem
econômico”, da administração científica, de Taylor.
• São visados “resultados máximos”, à semelhança da
Escola Clássica, em oposição ao comportamentalismo,
que visa “resultados satisfatórios”

SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
Abordagem Estruturalista
As Organizações:
• Org. Complexas - Estrutura & Processo com
elevado grau de complexidade
O Homem Organizacional:
O homem que desempenha papéis em diferentes
organizações
Características do Homem Organizacional
1. Flexibilidade
2. Tolerância às Frustrações
3. Capacidade de Adiar as Recompensas
4. Permanente Desejo de Realização
SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
Abordagem Estruturalista
O Homem Organizacional:
• H.O. reflete uma personalidade eminentemente
cooperativa & coletivista
• Org. Sociais - Necessidade do homem de
relacionar seu comportamento com os
comportamentos dos outros, para realizar seus
objetivos
• Org. sociais eivididas em elementos
(Comportamentos) & Estrutura (Conjunto de
comportamentos agrupados)
• Papel - conjunto de comportamentos
solicitados a uma pessoa.
SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
Abordagem Estruturalista
Análise das Organizações
Abordagem Múltipla :
• Os diferentes níveis da organização
a) Nível Institucional : Nível Estratégico
b) Nível Gerencial : Detalhamento dos
problemas, da captação dos recursos
necessários & distribuindo e alocando os
mesmos coerentemente
c) Nível Técnico : Execução de tarefas,
desenvolvimento de programas, aplicação de
técnicas
SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
Abordagem Estruturalista
Níveis Organizacionais:

Diretores Nível Institucional


Decisões

Gerentes & Nível Gerencial


Chefes Planos
Supervisores
& Executores Operações Nível Técnico

SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
Abordagem Estruturalista
Análise das Organizações
Abordagem Múltipla :
• A Diversidade das Organizações
– Pequenas, Médias & Grandes
– Públicas & Privadas
– Indústrias ou Produtoras de Bens,
Prestadoras de Serviços etc
• Análise Interorganizacional
– Sistema Aberto

SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
Abordagem Estruturalista
Objetivos Organizacionais:
• 1. Objetivos da Sociedade;
• 2. Objetivos de Produção;
• 3. Objetivos de Sistemas;
• 4. Objetivos de Produtos.

Ambiente Organizacional:
“As Organizações vivem em um mundo humano, social,
político e econômico”.
SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
Abordagem Estruturalista
Ambiente Organizacional:
• Três Conceitos:
1. Interdependência das Organizações com a Sociedade:
– Competição
– Coopção (ou Cooptação)
– Coalizão
2. Conjunto Organizacional:
Conjunto de Papéis de seu Pessoal de Fronteira;
Fluxo de Informação;
Fluxo de Produtos ou Serviços
Fluxo de Pessoas Entre as Organizações

3. Ambiente Operacional ou Ambiente de Tarefa:


Clientes, Fornecedores, Concorrentes, Grupos Regulamentadores

SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
O PAPEL DO CONFLITO NO ESTRUTURALISMO
• Dependência do homem: das organizações ao longo da vida
• Organizações esperam: conformismo total às regras e decisões
• O conflito é considerado um processo fundamental e válido. Traz à
tona frustrações e desinteligências na organização. Refuta a visão
harmônica das escolas anteriores.
• Conflito (conceito): é toda e qualquer espécie de oposição ou
interação antagônica entre duas ou mais pessoas ou partes
• Tipos mais comuns de conflito:
– Segundo Etzioni: entre autoridade especialista (conhecimento)
e autoridade administrativa (hierarquica)
– Segundo Blau e Scott: (a) entre organização formal e a
informal; (b) no relacionamento entre clientes e a organização
• Dilemas: São escolhas dentre alternativas, em que algum objetivo
muito importante será desprezado em benefício de outro.
• Tipos de dilemas: (a) entre coordenação e comunicação; (b) entre
disciplina burocrática e conhecimento profissional; (c) entre
necessidade de planejamento centralizado e iniciativa individual
SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001
IR PARA

CRÍTICAS E COMENTÁRIOS AO
ESTRUTURALISMO

• Críticas:
– Não é uma corrente específica ou individualizada
– Omissa ou escassez de alusão em textos gerais de
Administração
• Comentários:
– É uma teoria de transição que visava sintetizar proposições
válidas das correntes administrativas até então existentes
– Deu origem ao desenvolvimento organizacional
– Contribuição maior foi a interdependência dos elementos
internos e externos encerrando a o predomínio da escola das
Relações Humanas

SILVA, Reinaldo O. Da. Teoria da Administração. São Paulo: Thomson Learning/Pioneira, 2001.
MUNIZ, Adir Jaime de Oliveira. Teoria Geral da Administração noções básicas. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001