Você está na página 1de 5

1 PEDRO 5:1 – 4

QUALIDADES DE UM OBREIRO.

1. Rogo, pois, aos presbíteros que há entre vós, eu, presbítero como eles, e testemunha
dos sofrimentos de Cristo, e ainda co-participante da glória que há de ser revelada:
2. pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não por constrangimento, mas
espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade;
3. nem como dominadores dos que vos foram confiados, antes, tornando-vos modelos
do rebanho.
4. Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar, recebereis a imarcescível coroa da
glória.

- rogos, pois, aos Presbíteros que há entre vós, eu, Presbítero como eles,

Pedro mesmo sendo o líder dos 12 apóstolos, ele mesmo se descrevia como
“Presbítero com eles”. Ele se recusava a impor sua posição sobre os outros Presbíteros.
Vejo em Pedro algumas qualidades:

Humildade – O líder deve ser humilde


Vivemos em um mundo que não valoriza nem deseja a humildade. Seja na
política, nos negócios, nas artes ou nos esportes, as pessoas se esforçam para alcançar
destaque, popularidade e fama. Infelizmente, essa atitude tem contaminado a igreja.
Existe um culto à personalidade, pois os líderes cristãos lutam para alcançar glória. O
homem de Deus, entretanto, busca a aprovação de seu Senhor, e não a adulação da
multidão. A humildade é portanto, a marca registrada de qualquer servo comprometido
com a obra de Deus.
Charles H. Spurgeon nos lembra de que “ se exaltarmos a nós
mesmos, nos tornaremos desprezíveis, e não exaltaremos nosso
trabalho e nem o Senhor”.

Exemplos de Humildade
João Batista foi o maior homem que viveu. Ele foi o último dos profetas do
Antigo Testamento, tendo o privilegio de ser nada menos que o precursor imediato do
messias. Ainda assim, ele foi um homem humilde e expressou sua humildade ao dizer
sobre Cristo: “é necessário que Ele cresça e eu diminua” (Jô 3.30).

Apostolo Paulo depois de Jesus Cristo foi o maior líder espiritual que o mundo
conheceu, mas ele se descreveu como “o menor dos apóstolos” (1Co 15.9), “o mínimo
de todos os santos” (Ef 3.8) e “o principal dos pecadores” (1Tm 1.15,16).

As cinco marcas da humildade de Paulo são identificadas em 1 Co 4.

1. ele estava contente como servo:


Que os homens nos considerem como ministros de Deus e despenseiros dos
mistérios de Deus (v. 1).
A palavra que Paulo usou para “despenseiros” é huperetes, que,
literalmente, refere-se a um remador inferior, aquele que
remava na fileira inferior de uma embarcação de guerra. Tais
remadores não tinham nome, nem reconhecimento, nem honra.
“Quando tudo terminar”, afirma Paulo, “que se diga que
empunhei meu remo”.

2. foi sua disposição de ser julgado por Deus.


Em 1Co 4.4 ele escreveu: “Quem me julga é o Senhor”. Paulo não buscava a
aprovação dos homens e também não se importava com o que os homens pensava dele.
Para Paulo qualquer avaliação humana de seu ministério, fosse a dos apóstolos ou a dele
próprio, não tinha importância.

3. Paulo se contentava em ser igual aos outros servos de Deus.


Em 1Co 4.6, ele os adverte para que não o comparem a Apolo. Ele não queria que
seus leitores o elevassem.
4. Paulo está disposto a sofrer.
Em 1Co 4.12, 13. Ele sofreu pela causa de Cristo como poucos sofreram na história,
cumprindo assim a predição do Senhor no momento em que se converteu (At 9.16).
Paulo detalha um pouco desse sofrimento em suas cartas aos Coríntios (1Co 4.9-13;
2Co 11.23-33). Sua exortação a Timóteo: “Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom
soldado de Cristo” (2Tm 2.3), é seu desafio a cada líder, pois todos enfrentarão
sofrimentos. Como observa Sandres:

“Ninguém deve aspirar à liderança na obra de Deus sem


que esteja disposto a pagar um preço mais alto que aquele pago
por seus contemporâneos e colegas. A liderança verdadeira
sempre impõe uma carga pesada sobre o homem, e quanto mais
eficiente a liderança, mais alto o preço a pagar”.

5. Paulo estava contente por sacrificar sua reputação.


O alvo do líder (pastor, etc.) não é tornar-se popular diante do mundo. Os que
pregam com firmeza contra o pecado e vivem de modo piedoso sacrificarão a reputação
e o prestígio público. Esses irão sofrer rejeição, enfrentar oposição e suportar injúrias.
Paulo descreveu sua própria perda de reputação ao afirmar: “Porque tenho para mim
que Deus a nós, Apóstolos, nos pôs por últimos, como condenados à morte; pois somos
feitos espetáculo ao mundo, aos anjos e aos homens. Temos chegado a ser como lixo
deste mundo e como a escória de todos” (1Co 4.9,13).

A verdadeira humildade flui de uma perspectiva correto de Deus. O modo pelo qual
o líder (pastor, etc.) vive e age no ministério está diretamente relacionado à sua
perspectiva. Um homem humilde, com a perspectiva adequada de Deus, terá confiança
no poder divino, estará comprometido com a verdade, será comissionado pela vontade
do Senhor, compelido por esse conhecimento e consumido pela glória de Deus.
- Pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós,
Primeira coisa que Pedro nos traz nesse texto é. O rebanho não é do homem, do
líder, do pastor, mas o rebanho é de Deus. Então como não é meu o rebanho, mas de
Deus, eu tenho que ter o maior cuidado com ele. Porque terei que dar conta desse
rebanho a Deus que é o dono.

- não por constrangimento.


Segunda coisa que Pedro traz. O líder não pode fazer nada por força, por
obrigação. Esse não pode ser o sentimento do obreiro.

- mas espontaneamente,
Terceira coisa que Pedro traz. O líder tem que liderar de boa vontade,
espontaneamente, de bom agrado. O líder tem que liderar com prazer, com amor, com
dedicação, fazer o melhor para os seus liderados. Agora o líder que não lidera de boa
vontade, com amor, com dedicação, não serve para ser líder, não se enquadra no perfil
do líder.

Como Deus quer,


Quarta coisa que Pedro traz. Que o líder não pode liderar da forma que quer ou
da maneira que quer ou como bem entender, pelo contrario o líder tem que liderar como
Deus quer. Porque quem sabe o melhor para os liderados ou o rebanho é o dono deles
que é Deus.

Como saber de que maneira Deus quer que lideremos?

1. Através do estudo da palavra de Deus.


Oséias 4.6 traz uma exortação para os lideres: “o meu povo está sendo
destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu sacerdote, rejeitastes o
conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não seja sacerdote diante de mim;
visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus
filhos.

Josué (1.8) substituiu Moisés na liderança, e o conselho de Deus para ele foi:
“Não cesses de falar deste livro da lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas
cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu
caminho e serás bem-sucedido”. Quer saber como Deus quer que você lidere?
Busque, estude, medite na palavra de Deus, assim saberá como Deus quer que você
lidere, o rebanho.

Todo líder tem que investir na sua vida espiritual. Foi o próprio Pedro que nos
traz o conselho de: “Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e
salvador, Jesus Cristo... (2Pe 3.18).

Josué Gonçalves disse: “O líder que tem


conhecimento é medido pela Biblioteca que tem, pelo
tempo que ele gasta lendo e estudando”.
- nem por sórdida ganância,
Quinta coisa que Pedro traz. Que o líder não lidere por ganância, ou seja, por
cobiça, ou mesmo por dinheiro. A motivação do líder em liderar não pode está na
cobiça, visando o que irá receber em troca de sua liderança. E é o que mais tem
acontecido nos dias de hoje, homens querendo se tornar lideres por causa do dinheiro, e
quando não é por causa do dinheiro, é por causa da fama, do reconhecimento do
homem, pelo status... Etc. quando a motivação é essa o homem faz de tudo que estiver
ao seu alcance para conquistar esse objetivo, irá derrubar pessoas se preciso, caluniará
se for preciso para alcançar o seu objetivo.

- mas de boa vontade;


Sexta coisa que Pedro traz. O motivo de liderar está na boa vontade. O líder tem
prazer em liderar, ele não visa status, dinheiro, reconhecimento humano para liderar, ele
lidera de boa vontade.
Na TEB está “por dedicação”. O líder verdadeiro ele lidera por dedicação, ele é
dedicado, compromissado no que faz. O líder não faz de qualquer maneira, primeiro
porque Deus não aceita algo de qualquer maneira, o verdadeiro líder irá fazer o melhor
que ele poder.

- nem como dominadores dos que vos foram confiados,


Sétima coisa que Pedro traz sobre o verdadeiro líder é. O verdadeiro líder não é
dominador. O líder não usará de abuso de autoridade só porque é o líder. Um líder que é
dominador desde agradar os seus liderados ele irá trazer desconforto, será desagradável,
e até mesmo criará em seus liderados raiva.
Em provérbios 15.1 diz: “A palavra branda
desvia o furor, mas a palavra dura suscita ira”. O lider
sabe usar a autoridade que tem sem suscitar ira, o líder
vai usar palavras brandas, o líder será educado, social.
Ser arrogante não é ser líder, é ser estúpido.

- antes, tornando-vos modelos do rebanho.


Oitava coisa que Pedro traz. O líder é exemplo para os seus liderados. O líder é
um modelo a ser seguido.
No livro de 1Tm 3.7 diz: “pelo contrario, é
necessário que ele (o líder, obreiro) tenha bom
testemunho dos de fora , a fim de não cair no opróbrio
e no laço do diabo.
Opróbrio = desonra pública.

- Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar,


Nona coisa que Pedro nos traz. Que sempre teremos um “líder” acima de nós.
Diácono ou diaconisa => presbítero =>
evangelista e missionário => pastor local => pastor
presidente e acima do pastor presidente e não só do
pastor presidente, mas de todos está Deus.
- recebereis a imarcescível coroa da glória.
Décima coisa que Pedro nos traz. O obreiro ou o líder ele terá recompensa. E
essa recompensa não vem do pastor, dos liderados, do homem em si. Mas o Supremo
Pastor nos dará a imarcescível coroa da gloria.

Imarcescível = figurado imperecível; incorruptível.

Obrigado Senhor
por este estudo
maravilhoso!!!