Você está na página 1de 1

 Módulo 44 - Hidrografia II

Geografia - 2º Bimestre - 2ª Série - Ensino Médio

A Bacia Platina abrange uma área de 1 415 000 km2,


só em território brasileiro. A Bacia Platina é formada pelos
Rios Paraná, Paraguai e Uruguai. Esses três rios
nascem no Brasil, mas seu baixo curso pertence a
outros países (Paraguai, Argentina e Uruguai).

O nome “Rio da Prata" corresponde à foz, em


estuário, portanto a mesma desembocadura, conjunta dos
Rios Paraná e Uruguai, entre a Argentina e o Uruguai.

1. Região Hidrográfica Paraná


Ocupa 10% do território brasileiro, abrangendo
seis estados (São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul,
Minas Gerais, Goiás e Santa Catarina) e o Distrito Federal.
Está na região mais populosa e de maior
desenvolvimento econômico do Brasil. Por isso, possui
as maiores demandas por recursos hídricos, sendo a
região com maior área irrigada, maior uso industrial e
maior aproveitamento do potencial hidráulico disponível.

O regime do Paraná é pluvial, ou seja, tendo suas


cheias entre dezembro e março e as estiagens, de
junho a setembro. A precipitação média anual é de 1.543
mm, 87% da média nacional que é de 1.761 mm.

O Rio Paraná resulta da fusão do Rio Grande (Serra


da Mantiqueira) com o Paranaíba (Serra da Mata da
Corda), na altura do Triângulo Mineiro. Faz divisa
natural entre Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná;
serve, em seguida, de fronteira entre Brasil e Paraguai, e
entre o Paraguai e Argentina, juntando-se, finalmente, ao
Rio Uruguai, depois de um curso de 4 000 km.

Em território brasileiro, seus afluentes principais são:


Tietê, Paranapanema e Iguaçu.

A região corresponde a cerca de 47,5% do total


instalado do País, de acordo com a Agência Nacional de
Águas (ANA), apresentando o maior aproveitamento do
potencial hidráulico disponível (cerca de 68,4% do seu
potencial hidrelétrico total já foi aproveitado). Entre as
usinas hidrelétricas em operação na região, destacam-se:
Itaipu Binacional, com 7.000 MW (parte brasileira), Ilha
Solteira, Urubupungá, Itumbiara, Porto
Primavera, Marimbondo, Salto Santiago e Furnas.

A Hidrovia do Paraná é resultante do aproveitamento


dos rios Tietê e Paraná, compreendendo ainda trechos
dos seus rios formadores, o Grande e o Paranaíba, e dos
baixos cursos de seus afluentes. O projeto completo da
hidrovia totaliza cerca de 1.800 km de extensão, tendo
como principais trechos os rios Paraná (740 km) e o Tietê
(573 km).

2. Região Hidrográfica Paraguai


Ocupa 4,3% do território nacional, abrangendo parte
dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

O Rio Paraguai nasce na Serra dos Parecis, no estado de


Mato Grosso. Ao longo do seu percurso de,
aproximadamente, 2.582 Km, o rio banha margens
exclusivamente brasileiras, numa extensão de,
aproximadamente, 1.300 Km, onde atravessa a planície
do Pantanal, servindo de fronteira entre Mato Grosso do
Sul e Bolívia, atravessa o Paraguai e, em seguida,
desemboca no Rio Paraná, na fronteira com a
Argentina.

Entre os principais cursos d’água da Bacia do Paraguai,


destacam-se o Taquari, São Lourenço, Cuiabá, Itiquira,
Miranda, Aquidauana, Negro, Apa e Jauru.

Por atravessar uma planície inundável durante o período


de verão, o Rio Paraguai apresenta-se
bastante meândrico (sinuoso) e com muitos trechos onde
se formam bancos de areia, que dificultam a sua
navegabilidade por navios de grande calado (casco
profundo). Por isso, boa parte das embarcações que
trafegam nesse rio caracteriza-se como chatas
(embarcações de baixo calado), fato que reduz o seu
potencial de transporte de embarcações com grande
volume. A precipitação média anual é de 1.359
mm, menor do que o valor da média nacional (1.761
mm).

3. Região Hidrográfica Uruguai


Ocupa cerca de 3% do território brasileiro, abrangendo
porções dos estados do Rio Grande do Sul (74%) e Santa
Catarina (26%).

O Rio Uruguai possui 2.200 km de extensão e origina-


se da confluência dos rios Pelotas e do Peixe, segundo
a ANA, que divulgou a mudança em 2015-2016.
Assume, nesse trecho, a direção leste-oeste, dividindo os
estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Após a
sua confluência com o Rio Peperi-Guaçu, apresenta
direção sudoeste, servindo de fronteira entre Brasil e Ar
gen tina. Após receber a afluência do Rio Quaraí, que
limita o Brasil e o Uruguai, na região sudoeste do estado
do Rio Grande do Sul, toma a direção sul, passando a
dividir a Argentina e o Uruguai, até sua foz no estuário,
chamado de Rio da Prata.

Até 2015, o IBGE considerava como nascente do Rio Uruguai, a junção dos rios
Pelotas e Canoas. Mas, os estudos com satélites da ANA revelaram que o
Canoas é afluentes do Pelotas e a nascente do Rio Uruguai é formada pelo Rio
Pelotas e Rio do Peixe.

O clima dessa Bacia é subtropical, com chuvas


distribuídas ao longo de todo o ano, mas com
concentração média maior no inverno (maio a setembro).
A precipitação média anual é de 1.623 mm, pouco abaixo
da média nacional (1.761 mm).

Na área banhada pela Bacia do Uruguai há


atividades agroindustriais desenvolvidas e grande
potencial hidrelétrico.

4. Outras Regiões Hidrográficas


A Região Hidrográfica Atlântico Nordeste
Ocidental ocupa 3% do território nacional, abrangendo
quase a totalidade do estado do Maranhão e pequena
parcela do Pará.

A Região Hidrográfica Atlântico Nordeste


Oriental ocupa 3,4% do território nacional, abrangendo
seis estados: Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba,
Pernambuco e Alagoas. Possui a menor disponibilidade
hídrica do Brasil e apresenta períodos de estiagens
prolongadas e temperaturas elevadas durante todo o ano
– clima semiárido.

A Região Hidrográfica Parnaíba ocupa 3,9%


do território brasileiro, abrangendo três estados: Ceará,
Piauí e Maranhão. Também localizada no semiárido,
caracteriza-se pela intermitência das chuvas, com
precipitação média anual muito abaixo da média nacional.

A Região Hidrográfica Atlântico Leste ocupa 3,9% do


território brasileiro, abrangendo quatro estados:
Bahia, Minas Gerais, Sergipe e Espírito Santo. Possui a
segunda menor disponibilidade hídrica e grande parte de
sua área está situada no semiárido, onde as estiagens são
prolongadas.

A Região Hidrográfica Atlântico Sudeste ocupa 2,5%


do território nacional e abrange cinco estados: Minas
Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná.
Caracteriza-se por banhar a área mais populosa, povoada,
altamente urbanizada, com diversas atividades econô
micas e importante parque industrial.

A Região Hidrográfica Atlântico Sul ocupa 2,2% do


território nacional e abrange parte dos Estados de
São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do
Sul. Destaca-se por abrigar um expressivo
contingente populacional, pelo desenvolvimento
econômico e por sua importância turística.

Exercícios Propostos
1. (MODELO ENEM) – Observe os perfis longitudinais
de importantes rios de algumas das bacias
hidrográficas brasileiras.

(IBGE. Atlas Geográfico Escolar, 2009. Adaptado.)

As bacias hidrográficas identificadas nos perfis


são, respectivamente,

a) Amazônica, Tocantins-Araguaia, Uruguai e


Atlântico Nordeste Oriental.

b) Tocantins-Araguaia, Paraguai, Parnaíba e Atlântico


Leste.

c) Atlântico Sudeste, Uruguai, Paraguai e Amazônica.

d) Amazônica, Tocantins-Araguaia, São Francisco e


Paraná.

e) Atlântico Nordeste Oriental, Parnaíba, São Francisco


e Paraná.

2. (UERJ 2020)

Radiografia das Bacias da Mata atlântica

Em torno de 20% dos rios que compõem as bacias da


Mata Atlântica não podem ter suas águas utilizadas para
qualquer fim, devido às suas péssimas condições. O dado
foi divulgado hoje pela ONG SOS Mata Atlântica, que
analisou 220 rios. O levantamento revela que 74,5% de
todos os rios analisados estão com qualidade “regular", e
somente 6,5% têm índice “bom". Nenhum ponto analisado
apresentou o indicador “ótimo". O levantamento ocorreu
em 103 municípios de 17 estados que compõem a Mata
Atlântica.

Aponte duas causas para a situação de qualidade da


água verificada nesses 20% dos rios da Mata Atlântica.

Apresente, ainda, para cada causa, uma respectiva ação


que reverta esse quadro ao longo do tempo.

3. (MACKENZIE) – Observe o mapa:

Estudo aponta que desmatamento da Mata


Atlântica aumentou cerca de 60% em um ano. Entre 2015
e 2016, cerca de 290 km2 de floresta foram devastados, o
que significa um aumento de 57,7%, se comparado com
os anos anteriores.

A Mata Atlântica percorre importantes regiões


hidrográficas brasileiras. Suas florestas são fundamentais
para a manutenção dos processos hidrológicos garantindo
a quantidade e a qualidade da água potável para milhões
de brasileiros e para os diferentes setores da economia
nacional.

(Disponível em: http://g1.globo.com/sp/campinas-


regiao/terra-dagente/
especiais/noticia/estudo-apontaque-desmatamento-da-
mataatlantica-
aumentou-cerca-de-60-em-um-ano.ghtml)

Tendo por base o mapa, as informações citadas e


seus conhecimentos, identifique, a seguir, a alternativa
que apresente, apenas, regiões hidrográficas com
ocorrências de Mata Atlântica.

a) Região Hidrográfica do Uruguai; Região Hidrográfica


do Tocantins; Região Hidrográfica do Atlântico
Nordeste Ocidental.

b) Região Hidrográfica Atlântico Sul; Região Hidrográfica


do Paraná; Região Hidrográfica do Atlântico Leste.

c) Região Hidrográfica Amazônica; Região Hidrográfica


do Tocantins; Região Hidrográfica do Parnaíba.

d) Região Hidrográfica do Uruguai; Região Hidrográfica


do Atlântico Nordeste Ocidental; Região
Hidrográfica Amazônica.

e) Região Hidrográfica do Paraguai; Região


Hidrográfica Amazônica; Região Hidrográfica do Piauí.

4. Cite duas diferenças marcantes entre os Rios Paraguai


e Uruguai.

5. Identifique os rios assinalados no mapa.

1) –
..................................................................................

2) –
..................................................................................

3) –
..................................................................................

4) –
..................................................................................

5) –
..................................................................................

6. (UFPA-MODELO ENEM) – O mapa a seguir mostra


as principais bacias hidrográ ficas brasileiras, que são
formadas por rios caudalosos, intermi tentes, de planície e
de planalto com regimes diferentes. Olhando o mapa,
constata-se que

a) o número 1 indica a Bacia Amazônica, que é a maior


do mundo e possui rios predominantemente de planalto,
mas sem potencial energético.

b) o número 2 corresponde à Bacia Platina, formada pelos


Rios Paraguai, Paraná e Uruguai: predominam rios de
planalto com corredeiras e cachoeiras.

c) o número 3 corresponde à Bacia Hidrográfica do


Nordeste, que possui a maior parte de seus rios vertendo
para o interior, formando, portanto, uma bacia endorreica.

d) o número 4 indica a Bacia do São Francisco, onde se


localiza a famosa Hidroelétrica de Urubupungá.

e) o número 5 localiza a Bacia do Leste, cujos rios de


planície são totalmente navegáveis.

7. A respeito do Rio Paraná, responda:

a) Por que o Rio Paraná é o mais importante da Bacia


Platina?

b) Cite três características físicas do Rio Paraná.

8. (FAMERP)

(<www.ana.gov.br>)

Considerando a disponibilidade de água no território


brasileiro, pode-se concluir que o mapa apresenta um
quadro sobre

a) a escassez hídrica, que é menor onde a oferta de água


é realizada por rios intermitentes.

b) a segurança hídrica, que é maior nas bacias onde


a perenidade dos rios é constante.

c) o potencial hídrico, que é maior na área meridional


sob influência da evapotranspiração.

d) o estresse hídrico, que é maior nas regiões onde


a densidade demográfica é alta.

e) a crise hídrica, que é menor na parcela oriental, onde


a oferta de água é abundante.

Gabarito
1. RESOLUÇÃO

Ao analisar os perfis dos rios, identificamos os estados por


eles atravessados e alguns afluentes. Esses elementos
permitem concluir que:

I. Rio Madeira pertence à Bacia Amazônica.

II. Rios Araguaia e Tocantins formam a Bacia do


Tocantins-Araguaia.

III. Rios Carinhanha e Rio das Velhas estão na Bacia do


São Francisco.

IV. Rio Grande, Rio Tietê e Rio Iguaçu pertencem à Bacia


do Paraná.

Resposta: D

2. RESOLUÇÃO:

Entre as causas para a situação da qualidade da água de


20% dos rios em péssimas condições e as respectivas
ações para reverter a situação, pode-se citar: comprome
timento da água pelo lançamento de esgoto e efluentes
industriais – implantação de tratamento de esgoto e
fiscalização/punições de órgãos ambientais; contaminação
da água por agrotóxicos e fertilizantes – controle do uso
de insumos agrícolas e fiscalização; contaminação por lixo
– políticas de destinação de resíduos e campanhas de
conscientização da população.

3. RESOLUÇÃO:

A alternativa [B] está correta porque as Regiões


Hidrográficas do Atlântico Sul, do Paraná e do Atlântico
Leste registram a ocorrência da Mata Atlântica. As
alternativas seguintes são incorretas porque Uruguai,
Tocantins, Nordeste Ocidental, Amazônica, Parnaíba,
Paraguai e Piauí são regiões hidrográficas que registram a
ocorrência respectiva de campos, mata de cocais, Floresta
Amazônica, vegetação do Pantanal, Cerrado e Caatinga.

Resposta: B

4. RESOLUÇÃO:

Paraguai – rio de planície, navegável, banha o Pantanal


Mato-Grossense, o Paraguai e a Argentina, onde se une ao
Rio Paraná. Uruguai – é planáltico e formado pela junção
dos Rios Canoas e Pelotas, banha a porção ocidental do
Rio Grande do Sul, sendo aproveitado para gerar energia.

5. RESOLUÇÃO:

1) – Rio Tietê

2) – Rio Grande

3) – Rio Paranaíba

4) – Rio Paranapanema

5) – Rio Paraguai

6. RESOLUÇÃO:

Resposta: B

7. RESOLUÇÃO:

a) Porque é o eixo principal, possui o maior potencial


hidroelétrico instalado do País e constitui importante
hidrovia com o uso de sistema de eclusas.

b) – Rio planáltico;

– Regime pluvial com cheias entre dezembro e março;

– Grande potencial hidroelétrico instalado, destacando-


se Itaipu e o Complexo Hidroelétrico de Urubupungá.

8. RESOLUÇÃO:

Rios com situação preocupante, crítica ou muito crítica


aparecem tanto nas áreas semiáridas do Nordeste como
nas regiões superpopulosas do Sudeste. No caso do
Nordeste, o problema é mais de natureza climática (não
se desconsiderando a pressão demográfica), enquanto no
Sudeste o problema envolve mais o elevado consumo de
água numa região supersaturada de atividades humanas e
grandes populações.

Resposta: D

Professor: Eduardo de Souza


Britto da Silva
Aula: Hidrografia II

Sistema Integrado Copyright 1999-2021 - UNIP/Objetivo - Todos


os direitos reservados