Você está na página 1de 5

CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER

PÓLO GARUVA – SC
ESTÁGIO SUPERVISIONADO

PLANO DE AULA
ESTÁGIO SUPERVISIONADO (Diferentes contexto)

Aluno/ RU/ Turma:


Maria Angelita Pereira Alves, 2596063
Odette Cristina da Silva Raimundi, 597524

1. IDENTIFICAÇÃO
Disciplina/ área do conhecimento: Estagio de Diferentes Contexto
Campo em que o plano foi aplicado: CASA DE ACOLHIMENTO - PREFEITURA
DE GARUVA.
2. CONTEÚDO DA AULA/ ATIVIDADE
Horta fonte de alimentação saudável e sustentável.
3. OBJETIVOS
Reconhecer a horta como fonte de alimento sustentavél.
Identificar alimentos saudáveis.
Experimentar novos alimentos.
4. SÍNTESE DO ASSUNTO
O trabalho com a horta escolar, promove a interação dos conteúdos das
diversas disciplinas, propiciando a interdisciplinaridade, a qual contribui para que
haja um melhor entendimento das crianças em relação aos temas tratados,
permitindo assim o desenvolvimento de uma visão ampla da questão ambiental,
nutricional e de produção de alimentos.
Confirmando assim, Gallo (2001, p.31) expressa que:

...o sentido geral da interdisciplinaridade é a consciência da necessidade de


um inter-relacionamento explícito entre as disciplinas todas. Em outras
palavras, a interdisciplinaridade é a tentativa de superação de um processo
histórico de abstração do conhecimento que culmina com a total
desarticulação do saber que nossos estudantes (e também nós, professores)
têm o desprazer de experimentar.

Nesse sentido, o papel do educador é de promover a integração dos


conhecimentos, fazendo com que haja união das disciplinas do currículo e dos
conhecimentos de vários temas da atualidade, o que se constitui um desafio.

O contato com a horta e a participação nas atividades práticas de plantio e


CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER
PÓLO GARUVA – SC
ESTÁGIO SUPERVISIONADO

cultivo, além de despertar a valorização relacionada à educação ambiental,


estimulam a propagação das ações para o âmbito familiar, pois ao entrar em
contato com a aprendizagem prática as crianças sentem-se motivados e passam a
reproduzir suas ações contagiando os familiares.
Quanto a isso Magalhães (2003), ressalta que, a envolvente propaganda de
produtos industrializados do tipo fast-food induz a compra e ao consumo
exagerado desses alimentos, neste sentido há uma relação direta de consumo de
alimentos impróprios contribuindo para um comportamento alimentar das crianças
de recusa aos produtos naturais e saudáveis. O autor ainda ressalta que há uma
grande necessidade de abordar o tema da alimentação saudável no ambiente
escolar, assim a horta escolar torna-se uma estratégia que visa estimular o
consumo de feijões, hortaliças e frutas, tornando possível a reeducação alimentar
das crianças. Outro fator interessante é que as hortaliças cultivadas na horta
escolar, quando presentes na alimentação escolar, fazem muito sucesso, pois são
fruto do trabalho dos próprios alunos.
Quanto a isso Dias (1992, p.123) afirma que:

A produção de hortaliças pela horta escolar proporciona um melhor


preparo da merenda escolar, que fica enriquecida com alimentos
agroecológicos. Sendo assim, incentiva-se a vivência de bons hábitos
alimentares que poderão ser incorporados através do processo
ensino/aprendizagem aos familiares dos envolvidos. A ação educativa
consegue sair do marco escolar alcançando a comunidade e fazendo com
que os alunos tenham ação direta de participação.

Portanto, destacamos que as atividades da horta escolar contribuem para o


entendimento dos alunos de como é possível preservar o meio ambiente através
de atividades simples que podem começar dentro do ambiente escolar, partindo
de pequenos gestos, tais como respeitar a pluralidade e diversidade cultural,
fortalecer ação coletiva e organizada, articulando diferente saberes e fazeres. O
trabalho com a horta escolar, além de permitir a união dos discentes em torno de
um propósito comum, a produção e cuidado com as hortaliças, também promove
um reflexo na reeducação alimentar, não só dos alunos envolvidos no projeto, mas
de toda a comunidade escolar, pois os alimentos produzidos passam a ser
introduzidos na alimentação escolar
CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER
PÓLO GARUVA – SC
ESTÁGIO SUPERVISIONADO

5. DESENVOLVIMENTO DA AULA/ ATIVIDADE


PROJETO: A CESTA DE DONA MARICOTA.

Introdução.
 Em deliciosos versos, os alimentos contam as vantagens nutritivas de se comer
verduras, frutas e legumes. As próprias frutas falam, de maneira encantadora, a
incentivar a comer alimentos.
Tatiana Belink nasceu na Rússia em 1919 e chegou ao Brasil com 10 anos
de idade. Escreve livros a mais de quarenta anos e é uma das mais importantes
escritoras infanto-juvenil contemporânea, também já escreveu para o teatro e
televisão. Seu maior prêmio é saber que seus livros irão para as mãos das
crianças.
Duração:28 horas.
Justificativa: Diante de um livro a criança se diverte e também é possível
favorecer o desenvolvimento da personalidade. O livro pode oferecer significado
em tantos níveis diferentes e enriquece a existência da criança de vários modos.
Ler é uma prática básica, essencial para aprender e desenvolver o gosto
pela leitura. Para isso é importante que desde Educação Infantil crie-se ambientes
favoráveis e situações para a leitura.
Esse projeto surgiu na necessidade de despertar na criança a curiosidade,
saber que o livro é um amigo e através do livro possa descobrir coisas incríveis e
que sempre queira ter um livro por perto. Dessa maneira contribuir para formação
de leitores e amigos para sempre de livros.
Objetivos gerais: incentivar a leitura e a pesquisa. Contribuir para a
formação de leitores e na aquisição de conhecimento cultural. Proporcionar
iteração da família com a escola. Propor uma releitura das obras e o entendimento
da função da escrita.
Objetivos específicos: Estimular os hábitos alimentares saudáveis.
Conhecer, nomear e identificar tipos de alimentos. Entrar em contanto com
literatura e um gênero diferente (poema).

Desenvolvimento das aulas:

Dia 10/09/2021: Observação, socialização e roda de conversa.


Neste dia iremos investigar os alimentos que as crianças já conhecem e os quais
não conhece. Durante a roda de conversa iremos perguntar quais frutas elas
gostariam de provar e quais não provaram. Neste dia acontecera 3 horas de
observação e 1 hora de aplicação da atividade.

Dia 13/09/2012 Apresentação do projeto e contação de história Cesta da Dona


Maricota. Após a contação da história levaremos as crianças para conhecer a
horta da instituição e fazer a limpeza da mesma. Neste dia acontecera 3 horas de
observação e 1 hora de aplicação da atividade.

Dia 18/09/2021: Confecção dos vasos e regadores. Junto com as crianças


CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER
PÓLO GARUVA – SC
ESTÁGIO SUPERVISIONADO

confeccionaremos vasos e regadores utilizando garrafas pet para cuidar da horta


falaremos sobre a importância de cuidar bem da horta para o crescimento das
hortaliças. Neste dia acontecera 3 horas de observação e 1 hora de aplicação da
atividade.

Dia 20/09/2021: Pintura dos desenhos das frutas. Faremos o desenho das frutas
em uma folha A4 e daremos para as crianças pintarem com tinta guache e giz de
cera. Neste dia acontecera 3 horas de observação e 1 hora de aplicação da
atividade.

Dia 25/09/2021 Realização do plantio das hortaliças. Levaremos as crianças para


horta e explicaremos como vamos plantar as sementes. Cada crianças fara seu
canteiro e jogara sua semente. Após realizar esta atividade cada crianças irá regar
a sua parte da horta.

Dia 27/09/2021 História magica das frutas. Levaremos uma maleta com cinco
garrafa pet dentro, cada pet terá água e o desenho de uma fruta. Conforme vai
acontecendo a história as garrafas vão sendo chacoalhadas e a água ficara da cor
da fruta. Neste dia acontecera 3 horas de observação e 1 hora de aplicação da
atividade.

Dia 01/09/2021 Enceramento piquenique. Na área externa faremos um piquenique


com as frutas que foram pesquisadas e apresentadas as crianças durante o
projeto.
Neste dia acontecera 2 horas de observação e 2 hora de aplicação da atividade.

Conclusão: Exposição de toda a atividade realizada durante o projeto.

6. RECURSOS
Os recursos que serão utilizados para o desenvolvimento desse projeto foram: Giz
de cera, tinta guache, tesoura, garrafa pet, maleta, livro.
7. REFERÊNCIAS
DIAS, F. G. Educação Ambiental: Princípios e Práticas. 3. ed. São Paulo: Gaia,
1992

GALLO, S. Transversalidade e meio ambiente. In: Ciclo de palestras sobre o


meio ambiente. Brasília: MEC/SEF, 2001.

MAGALHÃES, A. M. A horta como estratégia de educação alimentar em


creche. 2003. 120 f. Dissertação (Mestrado em Agros ecossistemas) -
Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

https://bloguinhovania.blogspot.com/2009/06/dona-maricota.html Acessado dia


27/09/2021 ás 20:37 horas.
CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER
PÓLO GARUVA – SC
ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Você também pode gostar