Você está na página 1de 3

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO

Centro de Ciências Humanas – CCH


Escola de Museologia
Departamento de Estudos e Processos Museológicos

DISCIPLINA - MUSEOLOGIA 03
Texto no. 03

MUSEU: TERMOS E CONCEITOS


Tereza Cristina Scheiner - UNIRIO, Brasil

MUSEU
Fenômeno ou acontecimento, é tão antigo quanto o Homem e se expressa sob as mais diversas
formas, no tempo e no espaço. Nome genérico dado a um conjunto de manifestações do gênio
humano. A base conceitual do Museu é a espontaneidade. Sem criação, não há Museu.

Representações do Fenômeno Museu:

1. MUSEU INTERIOR

Conjunto de impressões / sensações que permanecem impressas na memória de cada indivíduo,


constituindo, ao longo de sua vida, um 'patrimônio' emocional relevante.

O museu interior é base para a constituição das demais formas de Museu: pois o homem só
memoriza, documenta e preserva aquilo que lhe afeta a mente e os sentidos - aquilo que o
identifica como indivíduo e o situa no mundo.

Fazem parte do museu interior os sonhos, os mitos pessoais e coletivos, as memórias do olvido e
as memórias do silêncio – tudo aquilo que nos constitui como psique e que define nossa forma
muito particular de perceber as coisas à nossa volta.

2. MUSEU TRADICIONAL

Espaço, edifício ou conjunto arquitetônico / espacial arbitrariamente selecionado, delimitado e


preparado para receber coleções de testemunhos materiais recolhidas do mundo. No espaço do
museu tradicional, tais coleções são pesquisadas, documentadas, conservadas, interpretadas e
exibidas por especialistas - tendo como público-alvo a sociedade. A base conceitual do museu
tradicional é o objeto, aqui visto como documento.

São museus tradicionais os museus de arte, história, ciências, tecnologia, os museus biográficos
e temáticos; e também os museus exploratórios, os centros de ciência, as casas históricas, os
jardins zoológicos, aquários, planetários, vivários e biodomos.

Modos de representação do Museu Tradicional:

Museologia 03 – Museoogia, Sociedade, Patrimônio e Desenvolvimento Sustentável – Profa. Tereza Scheiner – 2005
- 24 -
2.1 – Museu Tradicional Ortodoxo – é o museu tradicional por excelência, o tipo clássico de
museu

2.2 - Museu Exploratório - modalidade de museu tradicional cuja base conceitual não é o objeto,
mas a relação entre experimento e visitante.

2.3 - Museu com Coleções Vivas – modalidade de museu tradicional cujo acervo se constitui de
coleções vivas (jardins botânicos, zoológicos, aquários, vivários, biodomos)

3. MUSEU DE TERRITÓRIO

Espaço ou território onde todo o conjunto (ou parte significativa do mesmo) encontra-se
musealizado, ou seja - subordinado a parâmetros específicos de proteção, documentação, estudo
e interpretação. Nos museus de território, a base conceitual é o patrimônio. Integram este tipo
de museu todos os elementos constituintes do território musealizado: recursos naturais
renováveis e não-renováveis, formas de ocupação do espaço, relações entre o homem e a
paisagem, relações intergrupais, o fazer cultural e o produto deste fazer. No museu de território,
importa o estudo das relações de sincronicidade e ruptura entre os diversos componentes do
conjunto.

São museus de território os museus ao ar livre, os museus a céu aberto, os sítios históricos e
arqueológicos e etnográficos musealizados, os parques e monumentos naturais, os ecomuseus.

Modos de representação do Museu de Território:

3.1 - Museu a céu aberto – modalidade de museu de território instituída a partir do final do séc.
18 e desenvolvida ao longo do séc. 19. Espaç ou território geográfico onde são reproduzidas
comunidades, geralmente de economia rural (ex: Skansen, Suécia – 1840)

3.2 - Áreas culturais preservadas – sítios arqueológicos ou etnográficos, sítios de valor histórico
(ex: locais de batalhas), vilas e/ou cidades-monumento

3.3 -Áreas naturais preservadas – parques nacionais, estaduais, reservas de caça


musealizadas

3.5 - Ecomuseu - modalidade de museu de território desenvolvida a partir das experiências de


museus a céu aberto e onde as relações entre homem, cultura e natureza se dão de modo tal a
definir processos e produtos específicos de memória e identidade de grupo. No ecomuseu, o
conceito de público é substituído pelo conceito de comunidade. É fundamental, no ecomuseu, a
relação entre os atores de cada comunidade, sendo as relações definidas mediante processos
continuados de negociação. Ecomuseus estudam, documentam, conservam e interpretam o
patrimônio integral (natural e cultural, tangível e intangível) de uma localidade ou território, bem
como os processos sob os quais evolui este patrimônio. Geralmente sua sede (ou núcleo) é
constituída por um museu do tipo tradicional, gerido pela comunidade. Também denominado
Museu Integral, ou Museu Total, por lidar com conjuntos de referências em sua integralidade.

4. MUSEU VIRTUAL

Manifestação imagética das novas tecnologias da informação e da comunicação.


Desterritorializado, existe apenas em processo, na memória do computador ou nos aparatos de
realidade virtual. Recria-se continuamente, e não tem limites. No museu virtual, o homem tem
uma relação inusitada com o tempo, o espaço, a matéria e com sua própria capacidade de criar e
de pensar-se. A base conceitual do Museu Virtual é a informção.

5. MUSEU GLOBAL

Museologia 03 – Museoogia, Sociedade, Patrimônio e Desenvolvimento Sustentável – Profa. Tereza Scheiner – 2005
- 25 -
O planeta Terra, patrimônio comum da Humanidade. Vinculado à idéia de uma 'memória da
biosfera', que integra as relações entre massa e energia, no tempo, em complexidade -
influenciando todos os processos de vida no planeta. Nesta perspectiva, o homem se vê reduzido
à sua real dimensão de ser biológico, parte integrante desses processos. A base conceitual do
museu global é a vida.

Rio de Janeiro, 1998/2005

Museologia 03 – Museoogia, Sociedade, Patrimônio e Desenvolvimento Sustentável – Profa. Tereza Scheiner – 2005
- 26 -