Você está na página 1de 2

PORTUGUÊS – 6.

º ANO
RECURSOS EXPRESSIVOS
FICHA INFORMATIVA
Prof.ª Sílvia Rebocho

Repetição Expressiva

Ao longo de toda a obra encontras inúmeras vezes palavras ou expressões propositadamente


repetidas, com o objetivo de realçar melhor determinadas ideias. Eis alguns dos exemplos mais
significativos:

“E Ulisses, existiu? E Homero, existiu? E o Sol, existe? E a Lua, existe? E o mar, existe?”

“Beberam, comeram, ofereceram sacrifícios...


Beberam, comeram, dançaram...”

Organização Gráfica

Frequentemente encontras as palavras distribuídas no espaço de uma maneira diferente da


habitual, assim ajudando a esclarecer melhor ou a enriquecer ainda mais o seu significado.
Muitas vezes este efeito é combinado com a repetição expressiva, resultando ainda mais
impressionante. Recorda este exemplo:

“Então ali de repente tentou lembrar-se de um nome qualquer para enganar o ciclope, um nome
qualquer
um nome qualquer
um nome qualquer um nome qualquer
um nome qualquer

um nome qualquer um nome qualquer – mas a aflição era tão grande que não se lembrava de nenhum!”

Jogos de Palavras

A autora, com muita sabedoria, brinca, por vezes, com certas palavras, provocando efeitos
surpreendentes.

“ - O que foi, Polifemo?


- Ai, meus irmãos, acudam! Ninguém quer matar-me...
- Pois não, Polifemo, ninguém te quer matar.
- Não é isso, seus palermas! O que eu estou a dizer é que Ninguém está
aqui e Ninguém quer matar-me!
- Pois é, rapaz! É o que nós estamos a perceber muito bem: ninguém está
aqui e ninguém te quer matar...
- Não é isso, seus idiotas!...”
Suspensão de Frase

Este recurso, que consiste em interromper uma frase num ponto onde ainda se esperava que
ela continuasse, contribui para aumentar a emoção e deixar o leitor preso do que virá a seguir. Nesta
obra podes encontrar vários exemplos da sua utilização.

“(Os marinheiros) Não resistiram mais e… nem vos conto o que sucedeu!””

Adjetivação

O uso abundante de adjetivos, particularmente quando existe um


cuidado especial na sua seleção, pode enriquecer bastante um texto literário.

“Ele próprio era, na realidade, um moço vigoroso e valente, sempre


desejoso de correr mundo, de viver as mais inesperadas aventuras.”

Comparação

Consiste em estabelecer uma relação de semelhança entre duas ou mais coisas através de uma
palavra ou expressão (“como; mais do que; maior do que; menos do que; tão”) ou de verbos que sirvam
para comparar (“parecer”, "seguir", “lembrar”…)

“Os fortes marinheiros pareciam bonecos nas suas mãos brutais, ou uvas que com os seus dedos
peludos ele ia colhendo e depois engolindo sofregamente.”

Enumeração

Consiste em apresentar vários elementos da mesma natureza (género), separadas por vírgulas.

“Tudo neste lugar é gigantesco, é ciclópico: os animais, as plantas, as pedras...”

Personificação

É um recurso estilístico que consiste em atribuir a objetos, animais, plantas e outros elementos
da natureza características humanas.

“Os ventos violentos, furiosos de se verem há tanto tempo aprisionados dentro daquele saco,
saltaram de lá cheios de raiva e força…”

Você também pode gostar