Você está na página 1de 3

FICHA INFORMATIVA

LP DISCURSO DIRETO / DISCURSO INDIRETO

DISCURSO DIRETO DISCURSO INDIRETO


 O discurso direto ou diálogo pertence  O discurso indireto pertence ao narrador
à personagem. São as palavras que transmite ao leitor o que a
exatas pronunciadas por ela. personagem disse sem respeitar as
palavras exatas da personagem.
EX: “Olha bem para mim, - pede-me às
vezes –olha bem e diz lá se este é o EX: Pedia-lhe às vezes que olhasse bem para
mesmo homem que tu conheceste?...” ele, que olhasse bem e dissesse se aquele era o
(Manuel da Fonseca) mesmo homem que ele tinha conhecido.

MARCAS
 Antes da personagem falar:  Antes do narrador apresentar o que
- A presença de dois pontos (:), disse a personagem:
seguidos de paragrafo e travessão, - A presença de um verbo declarativo,
anunciados por um verbo declarativo seguido de QUE, SE, PARA, ONDE…
(dizer, perguntar, responder, sugerir,
indagar, exclamar, concluir, afirmar
…). A presença do verbo declarativo não
é obrigatória. Se o verbo não estiver
presente, não são necessários os dois
pontos. O verbo declarativo surge muitas
vezes intercalado no discurso direto.

 Na fala da personagem:  No que disse a personagem:

- O uso de pronomes pessoais, formas - O uso de pronomes pessoais, formas verbais e


verbais e determinantes correspondentes determinantes correspondentes à 3ª pessoa
às 1ª e 2ª pessoas gramaticais (eu/nós, gramatical (ele/ela;eles/elas).
tu/vós).
- A presença de advérbios de lugar como: - A presença de advérbios de lugar como:
AQUI, CÁ ALI, LÁ

- A presença de advérbios de tempo - A presença de advérbios de tempo como:


como: NO DIA SEGUINTE, NO DIA ANTERIOR, NAQUELE
AMANHÃ, ONTEM, HOJE, AGORA DIA, NA VÉSPERA, NESSE DIA, NAQUELE
MOMENTO …

- O uso de formas verbais do: - O uso de formas verbais do:


PRESENTE DO INDICATIVO PRETÉRITO IMPERFEITO
PRETÉRITO PERFEITO PRETÉRITO-MAIS-QUE-PERFEITO
FUTURO CONDICIONAL
IMPERATIVO PRETÉRITO IMPERFEITO DO CONJUNTIVO e
INFINITIVO
- A presença do vocativo - A presença de complemento indireto.

_ Muitos bons dias, Sr. Professor. A Helena … disse ao Sr. Professor…

- Determinantes / Pronomes - Determinantes / Pronomes

Este, esse, isso Aquele, aquilo


1. Passa para o discurso indireto as seguintes frases.

A) Eu já vi esse filme, é por isso que não vos acompanho esta noite ao cinema.
B) Estão de parabéns! A peça que representaram era muito interessante e os atores
desempenharam bem o seu papel!
C) Vou estudar esse capítulo todo para tirar uma boa nota.
D) Nós vamos ficar aqui em casa. Se quiseres, liga-nos a qualquer hora.
E) Eles não estão em Estocolmo nem têm intenções de ir lá, uma vez que as condições
climatéricas são muito adversas.
F) Eu tenho as minhas dúvidas que essa solução obtenha os resultados que mencionam.
G) Espero que a viagem te corra bem e que chegues a Paris à hora prevista.
H) Faz isso o mais rapidamente possível! Escreve a carta e envia-a pelo correio azul.

2. Passa para o discurso indireto as seguintes falas.

A) “- Este tipo – dizia às vezes o Tó Ling – ainda acaba a falar com as formigas!”
B) “- Não me estou a rir. Estava – me a lembrar de uma coisa que o Ling às vezes, diz:
que eu acabo a falar com as formigas.

3. As frases abaixo transcritas foram retiradas de Dentes de Rato de Agustina Bessa - Luís, e
encontram-se no discurso direto. Reescreve-as no discurso indireto.

A) – Que estás a fazer criatura? Apanha isso.


B) – É um doido, não gosto nada que as crianças andem com ele – disse o pai de
Lourença.
C) – Brilhante, põe-te aqui num instante – dizia Emília.
D) – Xerxes – dizia a mãe – vai apanhar erva para os coelhos.
E) – As raparigas são um empecilho. Se ela for eu não vou – disse Xerxes.
F) – Estás aí preso? – disse Lourença, espantada.
– Não! Estou a cantar missa na Cova Da Iria.
– Que fizeste? Quem te trouxe para aqui?
G) – A mim chamam-me Dentes de Rato.
H) – Estavam aqui ontem. Isto é coisa do mafarrico.
I) – Se fizesses doze, dava-te a minha gargantilha com o coração de ouro.
J) – Esta pancrácia faz anos hoje.

4. Passa para o discurso direto as frases que se seguem.

A) O frade disse que ia ver se fazia um caldinho de pedra.


B) O frade perguntou-lhe se eles nunca tinham comido caldo de pedra e declarou que era
uma coisa muito boa.
C) O frade perguntou-lhes se lhe emprestavam um pucarinho.
D) O frade sugeriu que lhe deixassem estar então a panelinha ali ao pé das brasas.
E) O frade afirmou que com uns olhinhos de couve o caldo ficaria tão bom que até os
anjos o comeriam.
F) A gente da casa dirigiu-se ao frade e perguntou-lhe pela pedra.
G) O frade retorquiu que quanto à pedra, lavava-a e levava-a com ele outra vez.
FICHA INFORMATIVA
LP DISCURSO DIRETO / DISCURSO INDIRETO 03
(CORREÇÃO)

1. Passa para o discurso indireto as seguintes frases.

A)Ele / ela disse que já tinha visto aquele filme e que era por isso que não iria com eles ao
cinema, nessa noite.
B)Ele / ela disse que estavam de parabéns. A peça que tinham representado tinha sido
muito interessante e os atores tinham desempenhado bem o seu papel
C)Ele / ela disse que ia estudar aquele capítulo para tirar uma boa nota.
D)Eles disseram que iam ficar lá em casa. Se quisesse poderia ligar-lhes a qualquer hora.
E)Eles disseram que não estavam em Estocolmo nem tinham intenções de ir lá, uma vez
que as condições climatéricas eram muito adversas.
F)Ele / ela disse que tinha as suas dúvidas que aquela solução obtivesse os resultados que
eles mencionavam.
G)Ele / ela disse que esperava que a viagem lhe corresse bem e que chegasse a Paris à
hora prevista.
H)Ele / ela disse para fazer aquilo o mais rapidamente possível e para escrever a carta e
enviá-la pelo correio azul.

2. Passa para o discurso indireto as seguintes falas.

A) O Tó Ling dizia às vezes que aquele tipo ainda acabava a falar com as formigas.
B) Ele disse que não se estava a rir. Estava-se a lembrar de uma coisa que o Linmg, dizia:
que ele acabava a falar com as formigas.

3. As frases abaixo transcritas foram retiradas de Dentes de Rato de Agustina Bessa - Luís, e
encontram-se no discurso direto. Reescreve-as no discurso indireto.

A) Ela perguntou-lhe o que estava a fazer e ordenava-lhe que apanhasse aquilo.


B) O pai de Lourença declarou que era um doido e que não gostava nada que as crianças
andassem com ele.
C) Emília ordenava a Brilhante que se pusesse ali num instante.
D) A mãe dizia a Xerxes para ir apanhar erva para os coelhos.
E) Xerxes afirmou que as raparigas são um empecilho e que se ela fosse ele não ia.
F) Lourença perguntou-lhe se estava ali preso. Ele respondeu que não, que estava a
cantar missa na Cova da Iria. Lourenço quis saber o que ele tinha feito e quem o tinha
trazido para ali.
G) Lourença contou que a ela lhe chamavam Dentes de Rato.
H) Ela afirmou que se ela fizesse doze, dava-lhe a sua gargantilha.
I) Ela informou que aquela pancrácia fazia anos naquele dia.

4. Passa para o discurso direto as frases que se seguem.

A) – Vou ver se faço um caldinho da pedra.


B) – Então nunca comeram caldo de pedra? Só lhes digo que é uma coisa muito boa.
C) – Se me emprestassem aí um pucarinho?
D) – Agora se me deixassem estar a panelinha aí ao pé das brasas.
E) – Agora é que com uns olhinhos de couve ficava que os anjos o comeriam.
F) – Ó senhor frade, então a pedra?
G) – A pedra, lavo-a e levo-a comigo para outra vez.

Você também pode gostar