Você está na página 1de 11

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MOÇAMBIQUE

FACULDADE DE DIREITO

CURSO DE DIREITO

O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO

LAZARINA AVELINO VASCO JOÃO

NAMPULA

2020
UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MOÇAMBIQUE

FACULDADE DE DIREITO

CURSO DE DIREITO

O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO

LAZARINA AVELINO VASCO JOÃO

Trabalho de carácter avaliativo da cadeira de


Introdução ao Estudo e Pensamento Jurídico I, 1º
semestre, curso de Direito, 1º ano. Leccionada
pela Docente: MA. Clara José Macovela

NAMPULA

2020

II
Índice
Introdução ................................................................................................................................... 2

1. O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO ....................................................................... 3

1.1 Conceito de Estado de Direito Democrático ........................................................................ 3

1.2 Origem do conceito .............................................................................................................. 3

2. Características do Estado Democrático de Direito ................................................................. 4

2.1 Diferença entre Estado Democrático de Direito e Estado de Direito ................................... 5

3. Funções do Estado Democrático de Direito ........................................................................... 6

4. Fins do Estado democrático de Direito................................................................................... 6

Referência Bibliografia............................................................................................................... 9
Introdução
O presente trabalho de introdução ao estudo de direito e ao pensamento jurídico I
tem como tema o Estado de democrático de Direito e procura fazer uma análise geral
deste tema, um Estado Democrático de Direito é aquele que garante, a partir de um Estado
governado democraticamente e submetido ao Direito como fundamento primeiro de suas
acções, o atendimento a elementos básicos que promovam uma vida digna a todos os cidadãos
e cidadãs.

Há uma diferença fundamental entre as categorias jurídicas nomeadas Estado de


Direito e Estado Democrático de Direito. O Estado de Direito surgiu nos séculos XVII e
XVIII no âmbito das revoluções que provocaram mudanças na organização política das
sociedades inglesa e francesa ao acabar com o absolutismo (forma de governo autoritária
baseada na imposição da lei por um governante absoluto) e implantar o parlamentarismo
(sistema de governo composto por um corpo parlamentar deputados, senadores e Poder
Legislativo em geral que está submetido a um sistema de leis, a Constituição, e que deve
governar a partir do cumprimento dessas leis).

Objectivo Geral:

 Analisar o Estado de Democrático de Direito

Objectivos Específicos:

 Analisar o conceito de Estado democrático de Direito;


 Trazer as características do Estado democrático de Direito;
 Trazer as funções do Estado democrático de Direito;
 Analisar o Estado de Democrático de Direito ( o caso particular de Moçambique).

Quanto aos métodos usados na pesquisa é o método dedutivo, uma vez que visa descobrir
conhecimentos particulares através do conhecimento geral, é um processo de análise de
informação que nos leva a uma conclusão.

2
1. O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO

1.1 Conceito de Estado de Direito Democrático


Para entender o conceito, é necessário compreender o que significa “democrático”,
segundo o professor e mestre em direito constitucional Edgard Leite. Ele explica que essa
palavra por si só concentra todo o significado da expressão. É justamente por isso que um
Estado de Direito é totalmente diferente do Estado Democrático de Direito. Resumidamente,
no Estado Democrático de Direito, as leis são criadas pelo povo e para o povo, respeitando-se
a dignidade da pessoa humana”, afirmou Leite. Já o Estado de Direito é pautado por leis
criadas e cumpridas pelo próprio Estado.1

O Estado democrático de direito é um conceito que designa qualquer Estado que se


aplica a garantir o respeito das liberdades civis, ou seja, o respeito pelos direitos humanos e
pelas garantias fundamentais, através do estabelecimento de uma protecção jurídica.2

Estado democrático de direito é um conceito de Estado que busca superar o simples


estado de direito concebido pelo liberalismo. Garante não somente a protecção aos direitos de
propriedadeː mais que isso, defende, por meio das leis, uma variedade de garantias
fundamentais, baseadas no chamado "Princípio da Dignidade Humana". A expressão "estado
democrático de direito" conjuga dois conceitos distintos que, juntos, definem a forma de
funcionamento tipicamente assumido pelo estado de inspiração ocidental. Cada um destes
termos possui sua própria definição técnica, mas, neste contexto, referem-se especificamente
aos parâmetros de funcionamento do Estado ocidental moderno.3

1.2 Origem do conceito


A ideia de democracia surgiu na Grécia antiga junto ao conceito de cidadão activo. Foi
quando surgiu a democracia directa. O cidadão activo ateniense era aquele que poderia
exercer poderes políticos. Naquela época, eram apenas homens livres com posses, que se
reuniam em praça pública e decidiam os rumos da cidade-estado.

Neste contexto específico, o termo "democracia" refere-se à forma pela qual o Estado
exerce o seu poder soberano. Mais especificamente, refere-se a quem exercerá o poder de

1
FILHO, Almeida, O Estado De Direito e Direitos Fundamentais, vol. I, 2ª Ed., Coimbra, Lisboa, 2008, p. 232.
2
Idem, p. 232.
3
Idem, p. 233.
3
Estado, e estabelece os requisitos necessários para que os governantes conquistem o poder
legalmente, já que o Estado propriamente dito é uma ficção jurídica, isto é, não possui
vontade própria e depende de pessoas para funcionar.

O estado de direito é aquele em que vigora o chamado "império da lei". Esta expressão
engloba alguns significados: neste tipo de estado, as leis são criadas pelo próprio Estado,
através de seus representantes politicamente constituídos; uma vez que o Estado criou as leis e
estas passam a ser eficazes (isto é, aplicáveis), o próprio Estado fica adstrito ao cumprimento
das regras e dos limites por ele mesmo imposto; o terceiro aspecto, que se liga directamente
ao segundo, é a característica de que, no estado de direito, o poder estatal é limitado pela lei,
não sendo absoluto, e o controle desta limitação se dá através do acesso de todos ao Poder
Judiciário, que deve possuir autoridade e autonomia para garantir que as leis existentes
cumpram o seu papel de impor regras e limites ao exercício do poder estatal.4

Outro aspecto da expressão "de direito" refere-se a que tipo de direito exercerá o papel
de limitar o exercício do poder estatal. No estado democrático de direito, apenas o direito
positivo (isto é, aquele que foi codificado e aprovado pelos órgãos estatais competentes, como
o Poder Legislativo) poderá limitar a acção estatal, e somente ele poderá ser invocado nos
tribunais para garantir o chamado "império da lei".

O Estado democrático de direito não pode prescindir da existência de uma


Constituição e do integral respeito a ela, inclusive por parte dos órgãos institucionais
encarregados de operar o direito, que não poderão funcionar com partidarismo ou como juízo
ou tribunal de excepção.

2. Características do Estado Democrático de Direito


São algumas características do Estado democrático de direito:5

 Soberania popular: o controlo sobre o poder político é exercido pelo povo, que elege
os governantes que vão lhes representar: o povo também é o destinatário dos direitos,
 Importância da Constituição da República: a Constituição é chamada de "Lei
Maior" porque é a lei que estabelece quais são os princípios fundamentais que devem
orientar as decisões no país, a acção e as decisões dos governantes devem sempre

4
HORTA, José Luiz Borges, História do Estado de Direito, Almedina, 2011. p. 178.
5
Idem, p. 128.
4
levar em consideração o que a lei estabelece, a lei coloca limites ao poder de decisão
dos governantes, as acções dos governos devem ser voltadas ao respeito e à satisfação
dos direitos dos cidadãos, isto é, faz parte das funções do Estado trabalhar para
garantir a justiça social no país.
 Divisão entre os três Poderes que fazem parte do Estado: o Legislativo, o
Executivo e o Judiciário são poderes independentes e cada um tem sua função. O
Legislativo é o responsável por fazer as leis que permitem que o Executivo tome
decisões. Já o Judiciário é independente para julgar e deve ser imparcial nas suas
decisões.

O Estado Moçambicano é um Estado democrático de Direito, pois é baseado no


pluralismo de expressão, na organização, na organização politica democrática, no respeito
garantia dos direitos e liberdades fundamentais do Homem ( art. 3 da CRM).6

2.1 Diferença entre Estado Democrático de Direito e Estado de Direito


Embora existam semelhanças entre as duas definições é importante saber que Estado
democrático de direito e Estado de direito não se tratam exactamente do mesmo conceito. De
maneira simplificada a ideia de Estado de direito é relacionada com o fato de que o
funcionamento do Estado deve ser baseado no que é determinado pela lei, ou seja, o poder de
decisão estatal é limitado pelo que a lei permite. Essa ideia também é presente no Estado
democrático de direito.7

O Estado de direito surgiu depois do período absolutista, em que os governantes


tinham um poder ilimitado de decisão, não devendo obediência às leis. Depois do surgimento
do Estado de direito o governante continuou a ter poder de decisão, mas ele ficou limitado ao
que a lei permitia. A principal diferença entre os conceitos é que no Estado de direito não
existe a preocupação com a garantia dos direitos fundamentais e sociais dos cidadãos por
parte do Estado.8

Já no Estado democrático de direito, além do poder de decisão continuar a ser limitado


pela lei, ele também deve levar em consideração os valores sociais e os princípios
fundamentais da Constituição.
6
REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE, Lei no 1/2018 de 12 Junho: Aprova a constituição, in Boletim da
República.
7
PORFÍRIO, Francisco, Estado Democrático de Direito, Brasil Escola. Disponível em:
https://brasilescola.uol.com.br/sociologia/estado-democratico-direito.htm. Acesso em 19 de Setembro de 2020.
8
Idem.
5
3. Funções do Estado Democrático de Direito
 O Estado Democrático de Direito está baseado no cumprimento por parte dos
governos das normas de Direito;
 Compreende uma série de medidas que devem ser atendidas pelo Estado
soberano para tornar digna a vida da população.
 Garante, a partir de um Estado governado democraticamente e submetido ao Direito
como fundamento primeiro de suas acções, o atendimento a elementos básicos que
promovam uma vida digna a todos os cidadãos e cidadãs.

4. Fins do Estado democrático de Direito


O Estado Democrático de Direito, apesar de parecer ser um simples Estado de Direito
entoado por governos democráticos, onde há apenas a participação popular na escolha dos
governantes, não é. A democracia na escolha dos participantes é fundamental, mas deve haver
também uma série de garantias de direitos fundamentais para que haja, de fato, liberdade e
igualdade entre as pessoas.9

Esses direitos são educação, saúde, saneamento, direito de ir e vir, direito ao


julgamento livre e imparcial, com a prerrogativa de ampla defesa para aqueles que são
acusados de cometer crimes, direito à alimentação adequada, direito à previdência
(aposentadoria) e a garantia dos direitos trabalhistas em geral (férias remuneradas, descanso
remunerado semanal, jornada de trabalho fixa e justa, salário mínimo, licença-maternidade,
licença médica, entre tantos outros).

O conjunto de direitos que adentraram na concepção de Estado Democrático de


Direito tem com fim garantir a dignidade da pessoa humana, partindo do pressuposto de que
todo mundo tem direito a garantias básicas que tornem a sua vida digna de ser vivida. Existem
documentos oficiais, nos âmbitos do Direito Constitucional e do Direito Internacional, que
regulamentam as garantias que devem ser atribuídas à população em um Estado Democrático
de Direito.

9
PORFÍRIO, Francisco, Estado Democrático de Direito, Brasil Escola. Disponível em:
https://brasilescola.uol.com.br/sociologia/estado-democratico-direito.htm. Acesso em 19 de Setembro de 2020.
6
Assim, os países democráticos, sendo republicanos ou parlamentaristas, devem ter as
suas leis garantidas por uma Constituição. É dever dos Estados, a partir de seus poderes,
garantir a manutenção desses direitos. Para regulamentar e executar tal manutenção, são
eleitos governos e um corpo legislativo que operam no sentido de garantir que todas as
normas jurídicas sejam respeitadas.10

No âmbito internacional, a Declaração Universal dos Direitos Humanos é um


documento oficial que rege o sistema jurídico internacional na tentativa de evitar que
os Direitos Humanos básicos sejam desrespeitados. Existem organismos, como a ONU e a
Unesco, que atuam na fiscalização dos governos, visando a coibir qualquer excesso ou
desrespeito aos Direitos Humanos dentro dos países.

10
PORFÍRIO, Francisco, Estado Democrático de Direito, Brasil Escola. Disponível em:
https://brasilescola.uol.com.br/sociologia/estado-democratico-direito.htm. Acesso em 19 de Setembro de 2020.

7
Conclusão

Findo o presente trabalho cujo tema fundava-se essencialmente em fazer uma análise
em torno do Estado Democrático de Direito, sai a conclusão que : Estado democrático de
direito é um conceito de Estado que busca superar o simples estado de direito concebido
pelo liberalismo. Garante não somente a protecção aos direitos de propriedadeː mais que isso,
defende, por meio das leis, uma variedade de garantias fundamentais, baseadas no chamado
"Princípio da Dignidade Humana". A expressão "estado democrático de direito" conjuga dois
conceitos distintos que, juntos, definem a forma de funcionamento tipicamente assumido pelo
estado de inspiração ocidental. Cada um destes termos possui sua própria definição técnica,
mas, neste contexto, referem-se especificamente aos parâmetros de funcionamento
do Estado ocidental moderno.
Outro aspecto da expressão "de direito" refere-se a que tipo de direito exercerá o papel
de limitar o exercício do poder estatal. No estado democrático de direito, apenas o direito
positivo (isto é, aquele que foi codificado e aprovado pelos órgãos estatais competentes, como
o Poder Legislativo) poderá limitar a acção estatal, e somente ele poderá ser invocado nos
tribunais para garantir o chamado "império da lei".

O Estado democrático de direito não pode prescindir da existência de uma


Constituição e do integral respeito a ela, inclusive por parte dos órgãos institucionais
encarregados de operar o direito, que não poderão funcionar com partidarismo ou como juízo
ou tribunal de excepção.

O Estado Moçambicano é um Estado democrático de Direito, pois é baseado no


pluralismo de expressão, na organização, na organização politica democrática, no respeito
garantia dos direitos e liberdades fundamentais do Homem ( art. 3 da CRM).

8
Referência Bibliografia
Doutrina:

PORFÍRIO, Francisco, Estado Democrático de Direito, Brasil Escola. Disponível em:


https://brasilescola.uol.com.br/sociologia/estado-democratico-direito.htm. Acesso em 19 de
Setembro de 2020.

HORTA, José Luiz Borges, História do Estado de Direito, Almedina, 2011.

FILHO, Almeida, O Estado De Direito e Direitos Fundamentais, vol. I, 2ª Ed., Coimbra,


Lisboa, 2008,

Legislação:

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE, Lei no 1/2018 de 12 Junho: Aprova a constituição, in


Boletim da República.

Você também pode gostar